Revista GGN

Assine

Ator negro fala sobre período preso injustamente

Do Extra

Ator fala sobre período preso injustamente: ‘Existem muitos outros Vinicius lá dentro’

Pouco tempo depois de atravessar as portas da Casa de Detenção Patrícia Acioli, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio - onde passou 16 dias preso injustamente -, o ator Vinícius Romão de Souza, de 26 anos, conversou com jornalistas no play do prédio onde mora, no Méier, na Zona Norte da cidade. Cercado por vizinhos e amigos e visivelmente emocionado ao lado do pai, o tenente-coronel da reserva do Exército, Jair Romão de Souza, de 64 anos, o rapaz descreveu a sensação de enfim retomar a liberdade

- Estou muito feliz de ter sido solto, claro. De poder rever os amigos e familiares. Mas existem muitos outros Vinicius lá dentro - disse o ator, acrescentando:
- Tem muita gente que com certeza é inocente, ou que cometeu um crime pequeno e mesmo assim está lá. É complicado.

- Fiquei numa cela onde havia mais 14 pessoas. Tinha gente que foi presa por tráfico de drogas, por Maria da Penha (violência doméstica)... Assim que entrei perguntaram qual a minha facção. Eu disse que era neutro e fiquei numa cela de pessoas sem facção. Na cela existem três beliches, seis camas sem colchão. Eu dormi no chão, com papelão - revelou.

Quatro vezes por dia, os chuveiros eram ligados e o banho durava 10 minutos. Além do banho, o tempo também era utilizado para encher copinhos de guaraná natural, únicos recipientes que tinham para guardar água. É assim que os presos se hidratam na Casa de Detenção Patrícia Acioli, em São Gonçalo, na Região Metropolitana.

- A lição que tirei foi a de aproveitar cada minuto. Senti falta de coisas como abrir a geladeira e beber água por exemplo. Lá, eu bebia água do banho. Ressocialização seria alguém conseguir sair de lá melhor do que quando entrou, só que isso acaba não acontecendo. Poderia ter uma biblioteca, palestras... Mas lá dentro as pessoas só têm ódio. É desumano - contou o rapaz.


Para passar o tempo, os 15 homens que compartilhavam a cela fizeram um dominó e um jogo de damas de papel. Mas segundo o ator, mesmo para conseguir papel e lápis foi difícil.

- O que me emociona nisso tudo é o apoio que me foi dado. Pessoas que não via há muito tempo compraram a minha causa. Todas essas pessoas que estão aqui (em casa) para me receber. Tem gente que estudou comigo no primário e está aqui. Quando eu estava lá dentro, eu orava muito e sabia que aqui fora vocês também estavam. E isso me passava tranquilidade. Eu sabia que estava acontecendo alguma coisa aqui fora, mas não tinha acesso e não sabia ao certo o quê.

Para o futuro, planos.

- Eu ainda vou fazer uma pós-graduação e decidir se continuo com a carreira de ator. O que quero, neste momento, é voltar logo a trabalhar. Tenho saudade do meu trabalho como vendedor. Eu fui o único negro, num grupo de 17 vendedores contratados como temporários. E fui o único a ser efetivado. É disso que falo.

Ainda na saída do presídio, Vinicius garantiu que perdoa a vítima de assalto que fez o seu reconhecimento equivocadamente. Já a copeira Dalva da Costa Santos, de 51 anos, falou com o EXTRA pelo telefone cerca de uma hora após o jovem ser solto. Emocionada, a mulher disse que não querer se expor para não prejudicar seu trabalho - ela é funcionária de uma empresa que presta serviços para o Hospital Pasteur, também no Méier. Dalva pediu desculpas ao jovem e também ao pai dele, o tenente-coronel da reserva do Exército, Jair Romão de Souza, de 64 anos.

- Peço perdão mil vezes ao Vinícius. Estou orando sem parar por ele. Para Deus estar guardando ele, o coração dele. E que ele consiga superar tudo isso o mais rapidamente possível. No que precisar de mim para resolver questões da Justiça, eu, como mãe de família, vou estar sempre à disposição - disse ela, que é evangélica e mãe de dois filhos.

 

Média: 5 (3 votos)
12 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Rita Rejane Machado Foschiera
Rita Rejane Machado Foschiera

prisão injusta

Tem um rapaz que está preso na penitenciária de Itajaí desde Janeiro, seu nome é Rodrigo Agostinho Scheidt, Ele foi acusado imjustamente por roubo, tem família com dois filhos, gostaria de uma orientação de como agir, pois o advogado é meio fraco. Obrigada.

Seu voto: Nenhum
imagem de raf
raf

Isso no país que "não tem

Isso no país que "não tem pertencimento racial". Fala aí, Militão!

Seu voto: Nenhum
imagem de Aliança Nacional Libertadora
Aliança Nacional Libertadora

Rezo também por essa mulher inocentemente racista

Converso com muitos amigos sobre com quantos negros ou amigos negros eles convivem, so tais manos...

 

Como só enchergam a cor e não a face é intrínseco o fato de qualquer negro ser Vinicius ou qualquer Vinicius ser negro (ou pior Sebastião).

Seu voto: Nenhum
imagem de marilamar
marilamar

Prisao em flagrante sem

Prisao em flagrante sem provas......., apenas reconhecimento???

Nao tem o produto do crime, arma do crime, testemunhas, provas materiais outras, o cidadao preso tem passagens pela policia, já foi processado por crimes contra a pessoa e etcs e etcs....?

Foi rascimo, mesmo, e o Estado tem que ser severamente processado.....

Seu voto: Nenhum
imagem de nelton
nelton

Ator negro fala sobre período preso injustamente

Não, não somos racistas!

Seu voto: Nenhum
imagem de Fabio (o outro)
Fabio (o outro)

ALI KAMEL

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Pela lógica de alguns por

Pela lógica de alguns por aqui, como no caso dos roleinhos, ele tem cara de cagabundo, logo deveria ser preso e depois perguntado. Tristes tempos em que se quer punir todos sem o devido processo legal.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Ques as forças maiores me livrem de linchar o devido processo legal

Gilmar Mendes Tem Razão

Há cerca de dois anos o Gilmar Mendes publicou um excelente artigo na FSP sobre esse tipo de caso. Disse ele, na ocasião, que pessoas presas devem ser apresentadas a um Juiz de Direito, onde podem exercer o princípio do contraditório, em vez de serem submetidas ao arbítrio da Autoridade Policial, que está jungida ao que diz o policial, civil ou militar, que apresenta o detido.

É evidente que estamos uns 50 anos atrasados na questão da criação dos Juizados de Instrução. Não há reforma da segurança pública que funcione sem antes extinguir o inquérito policial e estabelecer uma polícia totalmente civil, cuja carreira seja única.

Seu voto: Nenhum
imagem de JoaoMineirim
JoaoMineirim

A sorte dele é que ele não é

A sorte dele é que ele não é um negro pobre qualquer. Sua condição de ator da globo causou repercussão e tudo foi esclarecido. 

Com certeza, nos diversos presídios espalhados pelo Brasil, têm muitos outros negros cumprindo penas por crimes que não cometeram, porque são "parecidos" com  alguém que, de fato, cometeu o crime.  As vezes nem tão parecido é.

Eu, por exemplo, já fui confundido com alguém que trabalhava comigo diversas vezes. No meu caso, a confusão não trouxe nenhuma consequência mais grave. Foram apenas situações engraçadas que vivi, pois era recorrente o fato de me confudirem com esse outro, então eu já percebia logo que a pessoa estava me confundindo com a outra,  tirava sarro e deixava as pessoas confusas por um tempo, mas rapidamente explicava que a pessoa estava me confundindo com outra pessoa. Ríamos e tudo terminava bem.

Ainda bem que nunca fui confundido por alguém testemunhando e me apontando como autor de algum crime. Dou graças a Deus por isso. Se tivesse acontecido comigo, com certeza cumpriria a pena integralmente. O pior é que eu era apenas "biotipicamente" parecido com esse meu "sósia". Uma esmagadora maioria de conhecidos diziam que nós não parecíamos em nada. E realmente, éramos muito diferentes um do outro. Só éramos confundidos por pessoas que andam de cabeça baixa e que nunca olham no rosto ou nos olhos das pessoas.  

Seu voto: Nenhum
imagem de Fabio (o outro)
Fabio (o outro)

Mais um caso

No vídeo abaixo mais um caso , ocorrido há dois anos , um rapaz foi preso apenas por reconhecimento da vítima. Mas no momento do crime , ele estava no trabalho .

 

Seu voto: Nenhum

Kd o Barbosa

 Mas existem muitos outros Vinicius lá dentro - disse o ator

Olá Joaquim Barbosa, levanta logo esse bundão da cadeira e põe o CNJ prá funcionar, kd os mutirões carcerários, ou vc só pensa no "mensalão", ou será que soltar presos inocentes não lhe dá é coisa afinada com seu populismo...ou seja, não dá votos, né ...

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Grato, Spin F

imagem de Ivan de Union
Ivan de Union

MAIS UM CASO HOJE. O ESTADO

MAIS UM CASO HOJE.

O ESTADO FALHOU.  TODA VEZ EH A MESMA COISA.

Daqui pra frente TODA vez que um assunto bomba aparecer no blog eu vou escrever isso.  TODA vez eh a mesma coisa.  O estado brasileiro falha SISTEMATICAMENTE.  Nao dava pra adotar mentiras e trairagem, em serie igual o governo norte americano nao?

Por sinal, eu notei antes de ontem, com link, que so um caso assim mesmo pra uma foto de preto brasileiro aparecer na capa do jornal da rede golpe...

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de aliancaliberal
aliancaliberal

Pensei que era o mercado que

Pensei que era o mercado que tinha falhas.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.