newsletter

Luis Nassif Online

Como Henry Luce, criador da Time-Life, forneceu as bases para os dois maiores grupos de mídia brasileiros
12 comentários
Uma crítica à atuação da PwC no processo de auditoria dos ativos da companhia brasileira
80 comentários
Como aconteceu com Cardozo e advogados de empreiteiras, o PGR virou alvo por reunião com políticos da Lava Jato
17 comentários

Philips é condenada à pagar R$ 20 milhões à ex-funcionários

 
Jornal GGN - A Philips foi condenada pela justiça a pagar indenização de R$ 20 milhões que serão divididos entre 145 ex-trabalhadores da fábrica que mantinha na cidade de Mauá (SP), fechada em 2010. Os trabalhadores foram intoxicados por mercúrio, decorrente da fabricação de lâmpadas fluorecentes. Com isso desenvolveram alterações no sistema nervoso central, com sintomas de dores musculares, tremores, enxaquecas, labirintites, sangramentos na gengiva, depressão e insônia. Para a doença desaparecer é preciso tratamento especializado, por isso, além dos R$ 20 milhões, a Philips também é obrigada a pagar um plano de saúde vitalício aos afetados e doar R$ 4 milhões em equipamentos ao Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, que possui um grupo multidisciplinar voltado ao diagnóstico de mercurialismo, também chamado de hidrargirismo (doença desenvolvida pela intoxicação com o mercúrio). A sentença foi dada após a multinacional chegar a um acordo com o Ministério Público do Trabalho.
Média: 5 (4 votos)

Casamento, de Adélia Prado

Há mulheres que dizem:
Meu marido, se quiser pescar, pesque,
mas que limpe os peixes.
Eu não. A qualquer hora da noite me levanto,
ajudo a escamar, abrir, retalhar e salgar.
É tão bom, só a gente sozinhos na cozinha,
de vez em quando os cotovelos se esbarram,
ele fala coisas como "este foi difícil"
"prateou no ar dando rabanadas"
e faz o gesto com a mão.

Leia mais »

Média: 4 (7 votos)

Uma pequena história da mídia brasileira, nos 50 anos da Globo

O avanço das telecomunicações, o desenvolvimento do micro ondas, abriram novas perspectivas para as redes de TV norte-americanas.

Em fins dos anos 50 elas começaram a planejar sua expansão internacional, de olho na América Latina.

Coube a Henry Luce, fundador e mentor do grupo Time-Life a grande revolução do período, que o tornou o norte-americano mais influente de sua época.

Antes da TV, Luce se consagrara com um conjunto de revistas campeãs, a Time (que se tornaria o modelo das revistas semanais de informação, espelho da futura Veja), a Life (copiada pela Manchete), a Fortune (de negócios) e a Sporteds Illustred, servindo de modelo para os novos grupos editoriais.

O lançamento da revista Time foi um divisor de águas na imprensa mundial, conferindo um novo status às revistas semanais, uma influência política sobre a opinião pública equiparável à dos grandes diários e inspirando similares em todos os países, muitos deles tendo a própria Time-Life como sócia. Leia mais »

Média: 4.6 (9 votos)

A casa da crise, por Janio de Freitas

 
 
 
A Câmara faz um tipo de rebelião branca; segue, declarada e estritamente, o que Eduardo Cunha decide
 
Tão citada há tantos meses, a crise ainda não começou. O que parece estar às avessas e de pernas para o alto, os problemas entre os Poderes, a inversão de Dilma, os desarranjos do governo, e tudo o mais, são pedaços desarticulados do que pode vir a ser a crise. Depende de que essas partes, ou as principais, se associem na mesma direção em que configurem uma afronta à ordem institucional. Antes disso, crise é uma força de expressão usada sem cerimônia --como tudo mais no Brasil atual.
 
O quanto se está distante do ponto de fervura, não dá para estimar. Certa é a geração continuada de fatores próprios da elaboração de crise. Os quais se apresentam, a meu ver, de forma sem precedente entre nós. Ou ao menos desde muitas décadas.
Média: 5 (6 votos)

A satanização do empreendedor no Brasil, por Andre Araujo

O DIFICIL É O EMPREENDEDOR - Em nome da necessidade óbvia de relançar a economia além do ajuste fiscal, o Governo anuncia nova rodada de concessão de aeroportos. Os aeroporto já concedidos com grande sucesso foram Cumbica, Viracopos, Brasília, Natal e Confins. Cumbica, no seu Terminal 3 atingiu uma excepcional qualidade e nivel global. Brasilía está irreconhecivel, de um aeroporto puxadinho para um aeroporto de primeira qualidade. Viracopos deverá ser o grande aeroporto do interior de São Paulo, capturando o tráfego de uma economia pujante destacada da economia da capital.

Com exceção do aeroporto de Confins, os empreendedores que pagaram e levaram as concessões dos aeroportos estão todos presos em Curitiba. O Brasil DESPREZA ASSIM O ELEMENTO-CHAVE, RARO E ESSENCIAL AO DESENVOLVIMENTO. NEUTRALIZA NUMA CELA OS CEREBROS QUE FAZEM O PAÍS CRESCER.

Leia mais »

Média: 3.2 (14 votos)

Terceirização do trabalhador norte-americano

 
 
 
“Hoje em dia não é difícil que uma pessoa a caminho do trabalho receba um telefonema do contratante dizendo que ele ou ela não precisam mais ir trabalhar naquele dia”.
 
Assim começa o texto do economista Robert Reich, que foi secretário do trabalho durante a primeira administração de Bill Clinton, publicado em seu site (link abaixo). “E não importa que a pessoa já tenha gastado para contratar quem ficasse com seu filho, o trabalho não está mais disponível e o empregador não precisa mais que ela vá”, continua ele.
 
Reich explica que o cenário atual para o trabalhador americano é esse. “Tudo foi desenhado para que o custo do negócio seja mantido nos menores níveis”, escreve ele. “Dessa forma o empregador não precisa gastar com o funcionário a não ser que ele seja extremamente essencial naquele dia, e assim as empresas evitam gastar com trabalhadores que, quando não necessários, apenas ficam por ali”.
Média: 5 (2 votos)

Morre Wladyslaw Bartoszewski, ativista polonês e sobrevivente de Auschwitz

Do Portal DW

Poloneses lamentam morte, aos 93 anos, de político que sobreviveu a Auschwitz, ajudou judeus a escapar da perseguição nazista e passou sete anos preso durante regime soviético sob falsas acusações.

Morre ativista polonês Wladyslaw Bartoszewski

Diversas autoridades polonesas lamentaram a morte do sobrevivente de Auschwitz e antigo membro da resistência polonesa durante a Segunda Guerra Wladyslaw Bartoszewski, que faleceu nesta sexta-feira (25/04) aos 93 anos, em um hospital em Varsóvia.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Dilma convoca ministros e dá início ao segundo mandato

 
Jornal GGN - A presidente Dilma Rousseff se reuniu no sábado (25) com ministros para discutir a retomada da agenda de investimentos em infraestrutura. O objetivo é avançar em contratos de concessão de obras para aeroportos, rodovias, ferrovias, portos e hidrovias. Além de ser uma medida para elevar os ânimos da econômia, as obras no setor são importantes para solucionar um dos grandes problemas do chamado Custo Brasil que é, justamente, a deficiência da infraestrutura. Segundo estudo divulgado em 2014 pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o chamado Custo Brasil encarece as mercadorias produzidas pelo setor manufatureiro do país em 33,7%. Em outras palavras, se transferíssemos uma empresa da Alemanha, França, Argentina ou Chile, por exemplo, com todos os seus funcionários, equipamentos e grau de produtividade para o Brasil, o custo final de produção dela seria cerca de 33,7% maior.
 
Custo Brasil é um termo criado para descrever o conjunto de entraves estruturais, econômicos e legais que encarecem a produção da indústria local, a exemplo da elevada carga tributária, estradas precárias e câmbio valorizado. 
Média: 4.1 (10 votos)

A lei da terceirização e a agropecuária, por Rui Daher

 
Da Carta Capital, por Rui Daher
 
 
Comparados aos benefícios celetistas, os efeitos da nova lei representam, sim, grande perda para os trabalhadores em estratos de baixa renda
 
Discute-se o Projeto de Lei 4330/04 que interfere na Consolidação das Leis do Trabalho, um avanço social criado por Getúlio Vargas, em 1943.
 
Na década de 1960, uma tia, já falecida, se habilitava como datilógrafa em firmas de recrutamento para trabalhos temporários. Por um bom tempo, assim ganhou a vida na Ultrafértil, gigante do setor de fertilizantes.
 
Entre 1970 e 1975, trabalhei numa fábrica de tintas, em Guarulhos. O serviço apertava e o Departamento de Pessoal selecionava temporários. Auxiliares de produção, expedição, operadoras de envase. Ritmo mantido, ficavam em definitivo.
Média: 5 (5 votos)

Os Choros de Ary Barroso

Apaixonada pela música em geral, especialmente pelo gênero “choro”, fiquei super feliz em encontrar cinco “choros”, do Ary Barroso, que eu desconhecia. A descoberta se deu quando adquiri a Caixa-Box - “Ary Barroso - Brasil Brasileiro”, do pesquisador Omar Jubran, com 316 gravações, englobando o período de 1928-2006.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Gilmar Mendes, Ministro ou Advogado atuando no STF?

Gilmar parece que exerce o jus postulandi de advogado para defesa de interesses. Observamos assim batalhas de advogados, ali dentro do STF. 

Se não por soberba, qual a razão para impor o direito da Força obstruindo a Ação ?  Seria um iluminado ? Rejeita o principio democrático da igualdade de valor dos votos. A quem possa interessar mostra-se mais efetivo do que a maioria dos membros do STF juntos.

Sintonia com PSDB,  que desclassificou o voto e eleitores que re-elegeram Dilma Presidenta. 

Leia mais »

Média: 5 (10 votos)

Os gurus da administração e a incapacidade de formular novos pensamentos

O teórico em administração C.K. Prahalad
 
Jornal GGN - Os gurus da administração não apresentam, já há algum tempo, propostas capazes de reformular os pensamentos que norteiam os jogos competitivos entre empresas, desde o início dos anos 2000. O artigo a seguir, do The Economist, traduzido pelo Estadão, sugere que o grande problema é que os grandes pensadores da administração chegaram ao fim de "um longo ciclo de criatividade", baseado em duas importantes forças econômicas: o crescimento do mundo emergente e a revolução digital. Justamente a intensidade das mudanças digitais desafia os gurus hoje a apresentarem inovações no campo da administração. 
 
Os saltos empresariais mais recentes estão ocorrendo por trabalhos de especialistas em análise de "big date", termo usado para grandes volumes de dados e informações produzidos em cada nicho competitivo. Ainda assim, há muito a ser explorado em termos de novas teorias para a administração, tendo em vista que, primeiro, as publicações mais recentes no setor ainda reformulam ideias já apresentadas nas décadas passadas e, segundo, ainda não surgiram gurus chineses da administração, talvez capazes de desafiar o establishment dos indianos, principais gurus da administração atual. 
 
Média: 3 (2 votos)

Lista de Livros: A cidade do sol – Khaled Hosseini

Lista de Livros: A cidade do sol – Khaled Hosseini

Editora: Nova Fronteira

ISBN: 978-85-209-3552-1

Tradução: Maria Helena Rouanet

Opinião: muito bom

Páginas: 368

“— Aprenda isso de uma vez por todas, filha: assim como uma bússola precisa apontar para o norte, assim também o dedo acusador de um homem sempre encontra uma mulher a sua frente. Sempre. Nunca se esqueça disso, Mariam.”
*
   “O mulá admitiu para Mariam que, por vezes, não compreendia o sentido das palavras do Corão, mas gostava dos sons encantatórios das palavras árabes que pareciam rolar em sua língua. Disse ainda que elas lhe traziam conforto, apaziguavam o seu coração.

— Elas vão fazer isso por você também, Mariam jo — observou ele. — Sempre pode evocá-las em caso de necessidade, e elas não vão lhe faltar. As palavras de Deus nunca vão traí-la, minha menina.”

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Pavimentando o Planeta: Carros e Cultivos em Disputa pela Terra


O artigo é do começo do século, saiu em 2001 pelo WWI ─ Worldwatch Institute (http://www.wwiuma.org.br/), mas é de grande atualidade, principalmente quando consideramos que, de lá para cá, a frota mundial ultrapassou um bilhão de veículos e dezenas de milhões de hectares se converteram no período, em cultivos dedicados à produção de biocombustíveis. Em outras palavras, o uso da terra pelo automóvel se ampliou, com o agravante de que parcela das terras cultiváveis, ainda não pavimentadas, foram redirecionadas para cultivos dedicados aos automóveis.

Mais do que irracional, o modelo de desenvolvimento perseguido na sociedade moderna torna-se a cada dia mais insano. Evidente que os condutores de todas as políticas econômicas atuais consideram-se pessoas sérias e sensatas. Eles argumentam contra aqueles que demonstram a irracionalidade e insensatez, dos rumos suicidas que suas políticas implementam para a civilização e a humanidade, que os últimos são "sonháticos", mistura de sonhadores com lunáticos, enquanto suas decisões são tomadas em bases realistas. Aqui me vem a lembrança de uma frase do escritor católico Georges Bernanos: "O realismo é a boa consciência dos filhos da puta".

Leia mais »

Média: 4 (6 votos)

Rede Globo: o dia após a primeira transmissão televisiva

A Rede Globo de Televisão, que ora completa 50 anos de existência, teve a primeira transmissão realizada em 26 de abril de 1965, por meio do seu canal televisivo original: a TV Globo, canal 4 do Rio de Janeiro.

O jornal O Globo, no dia seguinte, publicou animadas matérias a respeito. Em notícia editada na página 6, o periódico oferecia um registro parcial da recepção política sobre o acontecimento. Afirmava que a transmissão televisiva inaugural havia sido motivo para aplausos na Assembleia Legislativa da Guanabara (atual município do Rio de Janeiro, à época cidade-estado).

Destacou, em especial, os nomes de alguns parlamentares que faziam parte da base legislativa do governador Carlos Lacerda (UDN), assim como congratulações oferecidas pela bancada udenista.

Como exercício de memória, cumpre observar que a UDN foi o partido que preconizava, aberta e histericamente, durante o regime democrático de 1946, a exclusão do trabalhismo, do comunismo e das forças populares da cena pública. Um bastião do golpismo.

Leia mais »

Média: 4.6 (9 votos)