Revista GGN

Assine

Luis Nassif Online

Reeleição de Haddad poderá ser a peça inicial de construção da frente de esquerdas em torno de um novo projeto de gestão
137
Assista agora: as marcas da crise política; um ícone das noites paulistanas; e riqueza da música tradicional brasileira
Delcídio, patrocinador de Nestor Cerveró na Petrobras, jogou do colo de Lula a culpa por crime que ele confessou
1

Sobrou para a Odebrecht identificar o "Santo" da propina sob Alckmin e outros apelidos

Jornal GGN - Diante da dificuldade da Polícia Federal em identificar quem são os nomes por trás de apelidos como Santo, Estrela, Corintiano e outros ligados ao recebimento de propina por obras do Metrô de São Paulo, entre outros projetos que ocorreram sob a gestão de Geraldo Alckmin (PSDB), sobrou para os próprios executivos da Odebrecht fazer essa revelação.

Ontem, o GGN mostrou que desde que a planilha da Odebrecht apareceu na mídia, em março passado, a Lava Jato já deflagrou 12 operações sem que tenha avançado sobre os esquemas da empreiteira em obras do governo Alckmin. Leia mais aqui.

A última operação, a Omertà, que prendeu o ex-ministro Antonio Palocci - atingindo o PT às vésperas da eleição municipal - poderia ter indiciado Santo e outros apelidados da planilha, mas não foi possível, de acordo com o Estadão, porque a PF ainda não fez seu trabalho.

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

Greve dos bancários chega ao 23º dia de paralisação

Agência do Bradesco em Osasco

Jornal GGN - A greve dos bancários atinge 23 dias de paralisação, após reunião com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), realizada ontem. De acordo com o Comando Nacional dos Bancários, os representantes patronais sinalizaram com um novo acordo, que teria validade de dois anos.

Segundo balanço do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, 913 locais de trabalho, sendo 10 centros administrativos e 903 agências, foram fechados na última segunda (26), e estima-se que mais de 32 mil trabalhadores aderiram à greve.

Leia mais »

Média: 4 (8 votos)

Temer pode viabilizar aposentadoria aos 70 ou mais, sem discussão com a sociedade

Jornal GGN - A reforma da Previdência que o governo Michel Temer pretende emplacar no Congresso no primeiro semestre de 2017 pode trazer uma surpresa para a sociedade civil que gosta de participar dos debates sobre esse tema: um gatilho que viabiliza aumentar a idade mínima da aposentadoria de 65 anos para 70 ou mais, sem necessidade de aprovar uma nova lei. 

Segundo informações do Estadão, esse "gatilho" que fará a idade mínima crescer de acordo com o aumento da expectativa de vida no Brasil já foi recomendado a Temer pela equipe econômica. A ideia é garantir que essa transição será possível sem que uma nova reforma seja necessária, evitando o desgaste políticos para os próximos presidentes.

Leia mais »

Média: 2 (8 votos)

Temer agora corre com pré-sal e anistia aos processados com contas no exterior

Jornal GGN - Apesar de alardeadas desde que Michel Temer tomou a cadeira conquistada por Dilma Rousseff na eleição presidencial de 2014, a reforma da Previdência e a aprovação da emenda constitucional que limita os gastos públicos com saúde e educação, entre outros setores, não serão aprovadas antes de o governo mexer no pré-sal e anistiar as contas no exterior de quem enfrenta problema na Justiça por evasão de divisas e outros crimes.

Segundo informações da Folha desta quarta (28), a PEC do teto dos gastos, assim como a reforma da previdência, devem ser aprovadas somente após as eleições. Na semana que vem, a Câmara deve correr para entregar o fim da obrigatoriedade da Petrobras participar da exploração do pré-sal e as mudanças na Lei de Repatriação.

Leia mais »

Média: 2 (8 votos)

Estadão: Moraes não antecipou Lava Jato, mas deve sair por incompetência

 
Jornal GGN - Seguindo a tradição de ditar as regras políticas do novo governo Temer, após sucessivos editoriais de defesa explícita das mudanças econômicas propostas pelo peemedebista, o Estado de S. Paulo recuou e, em um aparente gesto de se voltar aos clamores das ruas, pede a saída do ministro da Justiça Alexandre de Moraes. Mas foi pelas gafes, e não pela atuação autoritária e repressiva na pasta.
 
Neste texto opinativo, o jornal não menciona o risco de um ministro do governo de Michel Temer ter conhecimento antecipado das fases da Operação Lava Jato, presumindo que governo e autoridades trabalham em conluio, apenas caracteriza a declaração de Moraes como "gritante imprudência" e "comportamento irresponsável".
 
Mas defende: "É bom que se diga, desde já, que não há nenhuma razão para concluir que Alexandre de Moraes tinha mesmo alguma informação privilegiada a respeito da operação que prendeu o ex-ministro Palocci". Completa diminuindo que "é parte da rotina do ministro da Justiça encontrar-se com os chefes da PF", o que, segundo o editorial, não garante o conhecimento do ministro sobre as investigações.
Média: 1.4 (9 votos)

Petrobras prorroga negociações para vender petroquímicas em Pernambuco

Jornal GGN - Por meio de nota, a Petrobras informou que prorrogou por mais 30 dias o período de exclusividade nas negociações com a mexicana Alpek para vender sua participação na Companhia Petroquímica de Pernambuco (Petroquímica Suape) e na Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (Citepe).

A condução das negociações com a empresa mexicana foi aprovada pela diretoria da empresa no final de julho. A venda faz parte do plano de desinvestimentos 2015-2016, que pretende arrecadar US$ 15,7 bilhões no período.

Leia mais »

Média: 2 (8 votos)

Balanço do golpe II, por Guilherme Scalzilli

por Guilherme Scalzilli

A base parlamentar

A causa direta do golpe foi o desmoronamento do apoio a Dilma Rousseff no Congresso Nacional. O desgaste começou com o fracassado projeto de criar um “centrão” via PSD, ganhou cores vingativas após a chegada de Eduardo Cunha à presidência da Câmara e virou conspiração quando Michel Temer o substituiu no comando dos insatisfeitos.

Politicamente inapta, inflexível e mal assessorada, Dilma não soube (e em boa medida não quis) aplacar as pressões do fisiologismo. Suas concessões programáticas pouco aliviaram o problema, pois a aparência entreguista dos ministérios tenebrosos escondia uma relação esquizofrênica e autodestrutiva com as bases partidárias.

Leia mais »

Média: 4 (4 votos)

Agressor de Lindbergh Farias é identificado

Jornal GGN - O senador do PT, Lindbergh Farias, sofreu um ataque, no Rio de Janeiro, de um valentão que, aos gritos, o ofendia por ser petista. Não é o primeiro ataque contra petistas ou pessoas que defendam o PT, é um entre muitos. Só que o agressor se deu mal: Lindbergh o identificou e está processando o infeliz. Os Jornalistas Livres, em matéria de Laura Capriglione, foi mais longe e levantou a capivara do agressor e a capivara não é bonita, o provocador tem outras passagens por agressões, movidas por um sentimento de impunidade que não pode ser tolerado.

Claudio Roberto Baldaque Guimarães é o nome do agressor e em sua capivara constam agressões contra um policial, tiros para cima no meio da rua, e outras coisinhas mais. Não é, realmente, um opositor político, é somente um fanfarrão que se acha intocável. Leia a matéria a seguir.

Leia mais »

Média: 4.4 (7 votos)

Carmen Miranda, Bahia & etc. - Coisas que o tempo levou!

por Luciano Hortencio

 

Bahia, terra do meu samba.

Quem nasce na Bahia é bamba.

É bamba.

Bahia, terra do poeta,

Terra do meu sonho e etc. (bis)

 

Eu tenho também o meu valor,

Ora se tenho.

E vivo com muita alegria.

O samba é o meu avô,

Macumba é a minha tia.

Sofri, mas num grande violão,

Sou bamba no batuque e no pandeiro.

Meu pai é um homem das muambas,

O grande e conhecido candomblé.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

O golpe judiciário, por Sérgio Sérvulo

O golpe judiciário, por Sérgio Sérvulo

Alguns analistas afirmam que o impeachment da presidente Dilma Rousseff caracterizou um golpe de Estado, que se veio a designar como “golpe de Estado parlamentar”, não obstante a participação nele, além da oposição política, de setores da mídia e do judiciário.

O impeachment de Dilma assegurou, à oposição, a tomada do governo. Entretanto, conforme alguns desses analistas, o objetivo maior do golpe – a tomada do poder político, com o esmagamento do PT – só se consumará com a desmoralização de Lula, e sua inabilitação para concorrer às eleições presidenciais de 2018.

Esses mesmos analistas estão agora mencionando um “golpe judiciário”, a partir da decisão adotada, na última 5ª. feira (dia 22 de setembro de 2016) pelo Tribunal Regional Federal da 4ª. Região (sede em Porto Alegre), com a qual, por 13 votos a 1, foi repelida representação contra ato ilegal do juiz Sérgio Moro, titular da Vara Privativa dos Feitos do PT, dos seus membros, parentes e amigos, com sede em Curitiba. Essa decisão não invoca jurisprudência do STF, isto é, acórdãos proferidos, em casos semelhantes, pela Suprema Corte; mas replica a extensão dada, por ela, à sua jurisdição.

Leia mais »

Média: 4.2 (5 votos)

Juarez Tavares será observador no acordo entre Colômbia e Farc

Jornal GGN - O acordo de paz entre o governo da Colômbia e as Farc, depois de 52 anos de conflito, vai ter um brasileiro entre os observadores no plebiscito que vai referendar o ato. O professor titular da Universidade do Rio de Janeiro (Uerj), Juarez Tavares, foi o escolhido. Tavares é um dos grandes nomes do Direito Penal no Brasil e é também professor visitante na Universidade de Frankfurt.

O acordo de paz foi assinado em Cartagena das Índias e reuniu autoridades do mundo todo. Com o acordo, põe-se fim ao último conflito armado da América Latina e um dos mais longos. A paz irá chegar após três anos de negociações entre governo e rebeldes realizados em Havana, capital de Cuba.

O jurista Juarez Tavares, por ser signatário do manifesto dos juristas contra o impeachment, foi alvo de críticas e tentativas de assassinato de reputação. Seu livro, "Teoria do Crime Culposo", foi elogiado por Claus Roxin, o maior penalista da atualidade. Outro livro de Tavares foi "Teoria do Injusto Penal", que recebeu prefácio de Hassemer, um dos maiores juristas do mundo no âmbito de filosofia do direito penal.

Este convite vem confirmar a importância de seu trabalho. Leia a seguir.

Leia mais »

Média: 4.5 (8 votos)

Falange de Erê... viva São Cosme e Damião!

por Francy Lisboa

Vídeos

Veja o vídeo
Média: 5 (3 votos)

Os abutres, por Siro Darlan

 

Sugestão de JM Ribeiro

no Jornal do Brasil

Os abutres

por Siro Darlan

Na semana em que um juiz de Curitiba mandou prender e soltar em menos de seis horas um ex-ministro da República fui procurado por um jornalista, famoso por fazer suas reportagens em cima da desgraça alheia com prejulgamentos sem se preocupar com o devido processo legal, agindo como se fosse um “tribunal de exceção” que primeiro escolhe as vítimas para depois encontrar os fatos. O que desejava o “investigador midiático”? Indagava a razão porque eu havia concedido liminar em habeas corpus a uma moça da favela da Rocinha concedendo-lhe a liberdade e depois revogara minha própria decisão para decretar sua prisão.

Respondi que a soltura se dera por excesso de prazo razoável para a prolação da sentença em sede liminar, e que quando levava o processo para julgamento no colegiado sobreveio uma sentença condenatória, a qual, por se tratar de título novo, o habeas corpus deveria ser julgado prejudicado e a liminar cassada, como efetivamente o foi com expedição de mandado de prisão. Tais decisões ocorreram num intervalo de 8 dias. Insistia o jornalista que teria havido recurso do Ministério Público, que se limitara a tomar ciência com ela concordando.

Leia mais »

Média: 4.2 (19 votos)

Na dúvida, vá pela esquerda, por Gustavo Noronha

A esquerda precisa apresentar uma agenda com pontos claros que a distinga do que defende a direita, mas, para isso, não será suficiente uma agenda de conciliação de classes. O povo precisa saber exatamente qual o programa que a esquerda apresenta ao país

do Brasil Debate

Na dúvida, vá pela esquerda

por Gustavo Noronha

Se você é capaz de tremer de indignação a cada vezque se comete

uma injustiça no mundo, então somos companheiros” . Ernesto Che Guevara

Por um mundo onde sejamos socialmente iguais,

humanamente diferentes e totalmente livres”.  Rosa de Luxemburgo

O grupo que assaltou o poder no Brasil apresenta uma agenda para o país com dois pontos bem claros: a flexibilização dos direitos da classe trabalhadora (direitos trabalhistas e previdenciários) e a diminuição do papel do Estado na economia. Uma proposta que jamais foi submetida ao escrutínio popular. No voto, ideias como estas quando explicitadas de maneira honesta são sistematicamente rejeitadas pelas urnas.

Em realidade, tanto os direitos de quem vive da venda de sua força de trabalho como a ideia de um Estado atuante na proteção social, no fornecimento de serviços de educação e saúde e, até mesmo, intervindo em setores considerados estratégicos da economia em nada tem a ver com uma discussão objetiva sobre o que eventualmente seria melhor para o bem-estar geral do povo brasileiro.

Leia mais »

Média: 3.2 (5 votos)

na dicção da goela que se trava, por romério rômulo

na dicção da goela que se trava

por romério rômulo

 

1.

me amarro pela ponta de uma corda

entrego o meu corpo às reticências

 

o mundo estremece numa borda.

2.

na dicção da goela que se trava

na truculência da língua que se baba

na mais cruel das vidas que se cava

 

no metro que se mede e não se acaba.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)