newsletter

Luis Nassif Online

Usam uma política deliberada para faturar em cima da TIL, a Taxa de Ignorância Líquida do consumidor; por Luis Nassif
12 comentários
Sem fio condutor da boa política econômica, o resultado é o afloramento dos ressentimentos e do ódio; por Luis Nassif
96 comentários
Como as energias renováveis podem ajudar a equilibrar o sistema elétrico brasileiro?
4 comentários

A solução é mudar de canal?, por Cilene Victor

Por Cilene Victor

Via Facebook

Ref. ao post A misoginia disfarçada de humor

Do meu Face para o Jornal GGN - tantos ruídos!

Hoje, recebo o grato convite para publicar no Jornal GGN o texto que escrevi sobre o discurso misógino e intolerante de Alexandre Frota. 

Muito bem, já imaginava uma repercussão bem diferente da que costumo ter no meu Facebook, onde as pessoas me conhecem e, por isso, sabem que eu jamais assistiria a um programa apresentado por um homofóbico, racista, intolerante e ignorante travestido de humorista, gozando daquilo que entendemos e chancelamos como liberdade de expressão.

Li alguns dos comentários e cheguei à conclusão de que estamos caminhando para o buraco.
Na opinião de um leitor, comentar sobre o assunto nos deixa tão baixos quanto os protagonistas da entrevista. 

Na visão de outro, quem assistiu à entrevista (meu caso) merece ouvir tudo o que eles disseram. 

Leia mais »

Média: 4.3 (11 votos)

A maldição da NET. NET, nunca mais!

São 13:47.

Estou há 15 minutos no telefone tentando, mais uma vez, romper o contrato com a NET. O mesmo lengalenga de ontem. A atendente pergunta o motivo, faz contrapropostas. Reitero que não quero nada, apenas encerrar o contrato. Diz ela que necessita terminar os procedimentos. Me deixa esperando, como ontem. Provavelmente após 45 minutos a linha cairá do nada e ela não retornará.

Conhece-se um banco no momento em que se necessita de crédito.

Conhece-se uma operadora, no momento de romper o contrato. Ocorra o que ocorrer com a atual provedora, nada me fará voltar para a NET. A direção da empresa não tem ideia de que esse tipo de desrespeito faz com que o usuário carregue pelo resto da vida a implicância com a marca. Não haverá campanha futura, promoção, melhoria de serviço que compense esse desaforo.

NET, nunca mais!

13:52: 20 minutos de espera.

13:57: 25 minutos de espera.

14:02: 30 minutos de espera.

14:07: 35 minutos de espera. Leia mais »

Média: 4.7 (37 votos)

Criminoso deve ficar sentado sobre seu dinheiro sujo, diz Sergio Moro

Para falar sobre lavagem de dinheiro, em mais de uma hora de aula, não citou a Lava Jato, mas lembrou do mensalão
 
 
Jornal GGN - "Um político desonesto tem vantagens que um político normalmente não tem", disse o juiz que comanda as investigações da Operação Lava Jato, Sergio Moro. A afirmação foi concedida na aula inaugural da Escola da Magistratura Federal do Paraná
 
Em pouco mais de uma hora, o juiz falou sobre lavagem de dinheiro, não citou diretamente o caso da Lava Jato, mas lembrou do Mensalão. Defendeu a necessidade da criminalização da lavagem de dinheiro como forma de se separar a política e a economia de casos de corrupção. Citou o exemplo do ex-presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT), condenado na AP 470. “A propina nesse caso foi paga com dinheiro sujo”, disse Moro.
 
Defendeu novas táticas de combate que permitam às autoridades criminais terem acesso aos chefes das organizações criminosas. “Fatalmente o dinheiro vai chegar em quem tem esse poder de controle", disse.
 
Sergio Moro alertou para a dificuldade de se rastrear o caminho do dinheiro de corrupção. "O dinheiro não tem cheiro", disse. E abordou a relação entre esses casos e nomes de políticos envolvidos: "é preciso diminuir a chances de êxito daqueles que se utilizam no domínio político de recursos criminosos”, afirmou.
 
O juiz mostrou que a punibilidade é necessária para separar o "mundo do crime" e o mundo fora dele, da economia. “O poder do dinheiro de origem criminosa, do dinheiro sujo numa economia não pode ser subdimensionado. Por exemplo, uma empresa do domínio econômico, que (...) se valha de recursos obtidos por meios criminosos, vai ter dentro do mercado (...) vantagens que as empresas que atuam de maneira limpa não vão ter”, explicou. 
Média: 1.8 (31 votos)

Reportagem: por dentro do Estado Islâmico

Enviado por Antonio Ateu

Dentro do Estado Islãmico

Dica de Luc Anderssen

O Estado Islâmico, um grupo sunita jihadista radical antes ligado à Al Qaeda, conquistou grandes áreas do Iraque e da Síria. Anteriormente conhecido como Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL), o movimento armado anunciou a intenção de restabelecer o califado e proclamou seu líder, o misterioso Abu Bakr al-Baghdadi, como califa.

Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
O Canal Livre deste domingo recebe o professor de Relações Internacionais da PUC de São Paulo, Reginaldo Nasser, e os jornalistas convidados Jaime Spitzcovsky e Patrícia Campos Mello. Na primeira parte do debate, foi falado sobre o inicio, organização dos terroristas, origem das doações e suas bases religiosas.
Média: 4.5 (2 votos)

Deem-me um estado de apoio que vos darei um golpe!, por Rogério Maestri

Segundo Pappus de Alexandria, o último matemático grego importante da antiguidade, o grande Arquimedes de Siracusa matemático, físico, engenheiro, inventor, e astrônomo grego logo após a conclusão de seu trabalho teórico sobre alavancas Arquimedes pronunciou a famosa frase “Deem-me um ponto de apoio e moverei a Terra.”.

Sem o mínimo brilhantismo e inteligência do grande Arquimedes, faço uma adaptação da célebre frase para a realidade atual brasileira, ou seja, para que se dê um golpe se precisa ao mínimo de um ponto de apoio, explico melhor.

Dentro do manual da seção de golpes no exterior da CIA (se eles não têm este manual, deveriam ter!), há determinados pressupostos básicos para dar um golpe num pais que está dentro da sua normalidade democrática, e um desses pressupostos é a existência de um ponto de apoio logístico civil local para dar a partida de um golpe.

Mesmo se o apoio das forças armadas do país a ser golpeado for de 100% de seus membros a inexistência de uma liderança política executiva e não legislativa é necessária para começar um golpe.

Leia mais »

Média: 4.4 (11 votos)

Dilma precisa se reinventar e encontrar sua veia conciliadora

Dilma não tem habilidade para governabilidade

Por Juliano Santos

Ref. ao post Aguardando o Senhor Crise

Discordo da parte que fala de inabilidade na política econômica e de partidos que fazem 'o jogo raso do presidencialismo de coalizão". A Dilma enfrenta essa crise política exatamente porque rejeita e/ou não consegue fazer essa política, que é a única que temos no momento para se manter a governabilidade.

Falta à Dilma, a habilidade de fazer "o jogo" da governabilidade, enquanto lidera uma reforma política que vá eliminando aos poucos os vícios do sistema, da Real Poltik.

Leia mais »

Média: 3.3 (11 votos)

Como Alckmin sucateou a Embrapa paulista

Enviado por Drigoeira

Aí está o vídeo feito pelo Canal Rural sobre o sucateamento da CATI em SP.

Lembro aos navegantes que este era o futuro da EMBRAPA se o governo do PT não tivesse assumido o poder em 2004.

Clique aqui para assistir o vídeo.

Leia mais »

Média: 4.1 (14 votos)

Porque eu não sou "progressista", por Gunter Zibell

Em anos discutindo neste blog nunca vi uma maioria de comentaristas a favor de causas modernizantes de valores ou legislação.

Na maior parte do tempo o que temos é só "beatice" mesmo. Talvez mais que Papa Francisco, claro.

Obama sai na frente em relação ao suposto e autodeclarado "progressismo" brasileiro (no caso qualquer político de expressão que o represente), que só aparece em redes sociais no desespero para ganhar eleições e tentar convencer (ou iludir) parcelas de classe média. Como em outubro/2014. 

A primeira razão para eu não ser progressista é porque eu busco direitos iguais para LGBTs (e falo mais disso por conhecer o assunto, afinal sou um deles.)

Leia mais »

Média: 1.8 (39 votos)

Copom inicia reunião que vai definir trajetória da Selic

Jornal GGN - O Comitê de Política Monetária (Copom) deu início nesta terça-feira (03) à reunião de dois dias para definir a trajetória da taxa básica de juros (Selic) da economia brasileira. A expectativa de analistas e investidores do mercado financeiro é de que o índice passe dos atuais 12,25% para 12,75% ao ano.

Caso se confirme a elevação de 0,5 ponto percentual, o Banco Central voltará a sinalizar que está disposto a manter o ritmo do aperto monetário, com a taxa voltando ao patamar de janeiro de 2009. A Selic é um dos instrumentos do BC para manter a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), dentro da meta estabelecida pela equipe econômica. De acordo com o Conselho Monetário Nacional, o centro da meta de inflação corresponde a 4,5%, com margem de tolerância de 2 pontos percentuais para baixo (2,5% – piso da meta) e para cima (6,5% – teto da meta).

Leia mais »

Média: 3.5 (4 votos)

Em 'homenagem' a elas, Senado coloca mulheres na cozinha

Jornal GGN – O Senado Federal é moderno. Progressista. Atento às demandas dos movimentos sociais. Sensível. E encontrou uma forma de prestar homenagem às mulheres neste 8 de março: uma belíssima oficina de culinária!

É isso mesmo! A homenagem dos senadores às suas servidoras do sexo feminino é coloca-las na cozinha. Reforçando os estereótipos das funções sociais dos gêneros.

Dessa vez a Câmara dos Deputados foi mais feliz. Propôs um curso “Gênero e Atuação Legislativa”.

Porque lugar de mulher... é na política.

Enviado por Nilva de Souza

Em homenagem ao Dia da Mulher, o Senado Federal oferece oficina de culinária

Por Grasielle Castro

Do Brasil Post

Em homenagem ao Dia da Mulher, o Senado Federal anunciou na sua página interna para servidores que oferecerá oficina de culinária, intitulada Pão da Paz Interior. A mensagem irritou algumas servidoras, que consideraram a ~homenagem~ machista.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

De Getúlio a Dilma: Petrobras e golpe

Enviado por Ana Fitz

Excelente texto do Ricardo Arthur Fitz sobre a história da PETROBRAS.

De Getúlio a Dilma: Petrobras e golpe

Por Ricardo Arthur Fitz

Este texto não é um texto acadêmico. Nem foi concebido para sê-lo. Ele é resultado de preocupações e consequentes reflexões sobre o atual momento brasileiro, em que pese duas questões centrais: a evidente construção de um clima pré-golpe e a questão que está levando ao esgotamento da Petrobras, numa clara tentativa de privatizá-la e, particularmente, internacionalizar o pré-sal.

Obviamente é impreciso e mesmo falso examinar os eventos históricos a partir de uma monocausalidade. Mais impreciso ainda seria atribuir à questão do petróleo e da Petrobras uma relação direta de causa e efeito com os eventos e, em particular com as crises políticas.

A realidade é muito mais complexa. A preocupação é “juntando as peças”, tentar ver como elas se articulam. É certo que no texto existem muitas lacunas e omissões e é possível que haja imperfeições, também é certo que trata de forma superficial uma questão muito complexa, mas acredito que, como um todo, ele é coerente, preocupantemente coerente. Repito: não é um texto acadêmico, mas penso que vale como reflexão.

A trajetória do petróleo no Brasil começa já no século XIX. Em 1892 foi feita uma prospecção e perfurado um poço de 488 metros de profundidade em Bofete (SP). Os resultados, porém, revelaram apenas água sulfurosa.

Em 1930 o engenheiro Manoel Inácio Bastos, ao ouvir falar de uma “lama preta” usada como combustível pelos moradores de Lobato, na Bahia chama a atenção das autoridades para a possível existência de petróleo na região. Bastos é desacreditado, chamado de “maníaco”.

Leia mais »

Média: 4.7 (14 votos)

O fim da religião, por Luciano Martins Costa

do Observatório da Imprensa

O fim da religião, por Luciano Martins Costa

Tornaram-se muito populares, nos anos recentes, vídeos que mostram sessões de exorcismo e supostas curas de males produzidos pelo demônio. Também tem causado muita repercussão manifestações polêmicas do papa Francisco, que se expressa publicamente sobre temas em voga na mídia, como as relações homoafetivas, educação infantil e uso de drogas. Da mesma forma, ganham espaço na imprensa manobras de parlamentares brasileiros tentando impor uma agenda religiosa sobre questões de Estado. No entanto, não estamos falando de religião.

Temos tratado, neste Observatório, do efeito crescente da mídia sobre a sociedade, especialmente na expansão exponencial da cultura de massa, impulsionada pelas tecnologias digitais de comunicação, e de como esse efeito se dá pela construção de simulacros.

O propósito é refletir sobre as consequências de se vivenciar a cópia em vez da vida real, e de observar como grandes contingentes de cidadãos podem ser levados a tomar atitudes contrárias a seus próprios interesses por causa dessa distorção.

Uma busca na internet em torno do nome do papa vai mostrar uma coleção de frases de grande apelo midiático, algumas beirando ideias progressistas, outras repetindo o espírito conservador da Igreja Católica. De vez em quando, ele experimenta uma polêmica, como quando tratou de planejamento familiar, mas em geral suas afirmações tomam o caminho fácil do lugar comum. E o lugar comum é um terreno pantanoso nesta contemporaneidade movida a mudanças.

Leia mais »
Média: 4.5 (8 votos)

Desinvestimentos da Petrobras ultrapassarão US$ 13 bi até 2016

Jornal GGN - A Petrobras aprovou o desinvestimento de US$ 13,7 bilhões entre 2015 e 2016. O número representa uma redução ainda maior do que era previsto. A princípio, o plano de negócios falava de US$ 5 a US$ 11 bilhões de desinvestimentos ao longo de cinco anos.

"Este plano faz parte do planejamento financeiro da Companhia que visa à redução da alavancagem, preservação do caixa e concentração nos investimentos prioritários, notadamente de produção de óleo e gás no Brasil em áreas de elevada produtividade e retorno", afirmou a Petrobras em nota.

Leia mais »

Média: 4.3 (6 votos)

106 anos de Booker Pittman, por Mara L. Baraúna

Booker Pittman (3 de março de 1909, Fairmount Heights, Maryland, EUA - 19 de outubro de 1969, Rio de Janeiro, RJ)

Segundo de três irmãos, Booker Pittman era filho do arquiteto William Sidney Pittman (21 de abril de 1875 –  14 de março de 1958) e de Portia Marshall Washington Pittman (6 de junho de 1883- 26 de fevereiro de 1978), uma professora e concertista de piano. 

Seu avô materno, Booker T. Washington era filho de Jane, uma negra escrava que trabalhava como cozinheira,  e de pai fazendeiro branco desconhecido. Nascido numa plantação do sul de Franklin, na Virginia, em abril de 1856, Booker Washington trabalhou ainda criança em minas de carvão. Matriculou-se mais tarde no Instituto Normal e Agrícola Hampton onde trabalhou para pagar seus estudos. Foi pedreiro e mais tarde professor. Nos dias difíceis de depois da Guerra Civil e da emancipação dos escravos, Washington ficou famoso pela mensagem que dirigiu aos brancos e negros do Sul, para trabalharem em conjunto no desenvolvimento da amizade entre as duas raças [...] Tendo se formado pelas Universidades de Harvard e Dartmouth, Washington escreveu mais de 10 livros sobre a melhora das relações interraciais e a educação de seu povo. Um destes livros, sua autobiografia, Up from Slavery tornou-se um clássico e foi traduzido para mais de 20 línguas.

Leia mais »
Média: 5 (1 voto)

Apenas 37,9% das pessoas do mundo estão conectadas à internet

Jornal GGN – De acordo com dados reunidos pelo Facebook, apenas 37,9% das pessoas do mundo estão conectadas à rede de computadores. O que é mais impressionante, muita gente nunca nem ouviu falar da internet. É o caso de 50% dos cidadãos da África do Sul, 65% dos moradores de Gana, 69% das pessoas na Índia.

Ainda há 4 bilhões de pessoas que não podem pagar, não têm interesse ou vivem em locais onde não há infraestrutura de telecomunicações que torne possível o acesso à internet.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)