newsletter

Pular para o conteúdo principal

Luis Nassif Online

Dilma Rousseff e Aécio Neves representam forças claras e explícitas e são personalidades racionais; por Luis Nassif
240 comentários
Tucanos e petistas deviam cuidar da credibilidade de suas narrativas, fazer melhor diagnóstico; por Gunter Zibell
164 comentários
Princípios básicos do jornalismo são esquecidos pela mídia, notadamente com relação à crise da água; por Sergio Reis
24 comentários

O Mercado de Notícias, por Marcelo Coelho

Da Folha de S. Paulo

O Mercado de Notícias

Por Marcelo Coelho

Sou naturalmente suspeito para comentar “O Mercado de Notícias”, documentário de Jorge Furtado sobre os problemas da imprensa brasileira.

Fiquei bastante embaraçado com uma das principais “descobertas” do filme: uma matéria escandalosamente errada que saiu na “Folha” há anos, apontando a existência de um quadro de Picasso na parede de um corredor burocrático do INSS.

Não era um Picasso autêntico, evidentemente, e a ideia da notícia –mostrar o descaso do poder público com o próprio patrimônio—caía por terra.

Não me lembro de ter visto a reportagem, que saiu com foto e tudo. O suposto quadro de Picasso era a reprodução de uma obra razoavelmente famosa, de um museu em Nova York, e quero imaginar que eu teria reconhecido o engano. Só agora, passados anos da notícia, saiu na “Folha” um “erramos” sobre o caso.

É um dos momentos mais interessantes do filme, ainda que incômodos para quem é da Folha.
Mas “O Mercado de Notícias” (veja horários no Guia da Folha) não se dedica muito ao divertido recenseamento dos deslizes jornalísticos. O principal do filme –e aqui surge um segundo motivo para minha suspeição ao comentá-lo—está numa série de entrevistas com jornalistas, seja os da grande imprensa (Fernando Rodrigues, Renata Lo Prete, Cristiana Lôbo), seja os que a criticam (Mino Carta, Luis Nassif, Raimundo Pereira).

Leia mais »

Média: 1.9 (12 votos)

Dificuldade na operação influenciou descarte de racionamento em São Paulo

Segundo Companhia de São Paulo, modelo de corte periódico de água teria 45% de chances de sucesso

Jornal GGN - A Sabesp (Companhia de Saneamento Básico de São Paulo) descartou o racionamento na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) em função das dificuldades que surgem ao longo da operação. A empresa parcialmente comandada pelo Estado decidiu colocar em prática medidas que, na avaliação de um especialista consultado pelo GGN, além de "mais fáceis", afastam as críticas da oposição ao governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Um documento de janeiro deste ano revela que o modelo de corte periódico de água estudado pela Sabesp teria 45% de chances de sucesso. Segundo a proposta, a região abastecida pelo Sistema Cantareira, que enfrenta a maior seca em oito décadas de registros, seria dividida em 3 grandes blocos. Cada bloco teria efeitos diretos sobre a vida de 2,7 milhões de pessoas. O modelo de rozídio seria do tipo 2x1 (48 horas com água, 24 horas sem).

Em junho, após rejeitar esse modelo de racionamento, a Sabesp lançou um segundo relatório, o Plano de Contingência II. Nele, há uma lista de falhas e riscos que justificam o descarte. Entre os pontos citados, estão:

1 - O descontrole no tempo de operação: Após cada interrupção mais abrangente de água, o retorno do serviço acontece de maneira gradual, iniciando-se pelas áreas mais baixas e finalizando por aquelas mais elevadas ou em pontos mais distantes. "Na execução de um rodízio, não é evento raro que o deslocamento de vazões para alcançar uma região que se encontra no extremo de um setor, após o período de desabastecimento, exija mais tempo do que o período de recuperação planejado", argumenta a Sabesp. A empresa demonstrou preocupação com o número considerável de pessoas que seriam afetadas.

Leia mais »

Média: 1 (1 voto)

Investimento estrangeiro direto totaliza US$ 5,9 bi em julho

Jornal GGN - O ingresso líquido de investimento estrangeiro direto (IED) atingiu US$ 5,9 bilhões ao longo do mês de julho, compreendendo US$ 3,5 bilhões de ingressos líquidos em participação no capital de empresas no País, e US$ 2,4 bilhões referentes a desembolsos líquidos de empréstimos intercompanhias. Nos doze meses encerrados em julho, os ingressos líquidos de IED somaram US$ 64 bilhões, equivalentes a 2,82% do PIB (Produto Interno Bruto). Os dados foram divulgados pelo Banco Central.
 
Os investimentos estrangeiros em carteira apresentaram saídas líquidas de US$2,1 bilhões em julho, compostos por saídas líquidas de US$5 milhões em ações e de US$2,1 bilhões em títulos de renda fixa. Os investimentos em títulos de renda fixa negociados no País somaram ingressos líquidos de US$ 680 milhões. Os bônus públicos negociados no exterior apresentaram amortizações líquidas de US$ 465 milhões. As amortizações líquidas de notes e commercial papers atingiram US$2,4 bilhões no mês, com desembolsos de US$ 559 milhões e amortizações de US$ 2,9 bilhões. Os desembolsos em títulos de renda fixa de curto prazo negociados no exterior atingiram US$ 97 milhões.

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

Petrobras refuta acusações sobre doações feitas por Graça Foster

Jornal GGN - A Petrobras emitiu duas notas de esclarecimento depois que uma reportagem do jornal O Globo, publicada na quarta-feira (20), afirmou que a presidente Graça Foster teria doado imóveis para burlar a decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) de declarar indisponibilidade de bens.

A primeira defesa foi enviada ontem (21) à imprensa, refutando a acusação e afirmando que desde junho de 2013 – mais de um ano antes da decisão do TCU de 23 de julho de 2014 – a executiva já estava providenciando a documentação necessária para a doação dos citados imóveis aos seus filhos.

Na segunda nota, distribuída hoje (22) pela assessoria de imprensa da Petrobras, a estatal informa que em antecipação a uma solicitação formal do TCU, já disponibilizou toda a documentação que comprova sua versão dos fatos, contendo, “avaliações dos imóveis, obtenção de certidões, verificação do valor dos custos e tributos incidentes, elaboração das minutas de escrituras e sua posterior formalização, bem como os competentes registros imobiliários”.

A Petrobras voltou a lembrar que o nome da presidente Graça Fostes não foi mencionado em nenhum dos relatórios técnicos emitidos pelo Tribunal.

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

BCs podem apenas ganhar tempo, diz representante do BIS

Jornal GGN - A política monetária pode ser utilizada apenas para ganhar tempo no gerenciamento de problemas estruturais em uma economia, e alterar uma postura frouxa tardiamente pode ser algo arriscado, segundo declarações do diretor-geral do Banco de Compensações Internacionais (BIS, na sigla em inglês), Jaime Caruana, em um aceno ao Banco Central Europeu (BCE).
 
De acordo com informações da agência de notícias Reuters, Caruana disse ao jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung que não espera ver a deflação se instalar na Europa e que as expectativas de inflação estão bem ancoradas. "Com problemas estruturais, a política monetária pode apenas ganhar tempo", disse. "Depois de sete anos com taxas de juros muito baixas, é realmente possível se perguntar se estes não são problemas estruturais, que não podem ser enfrentados com taxas de juros baixas".
 
O Banco Central Europeu levou as taxas de juros para mínimas recordes, ao mesmo tempo em que lançou diversas medidas para injetar capital na economia da região, e prometeu adotar novas medidas para combater o risco de deflação;
 
O represenante do BIS ressaltou que, embora exista o risco de uma normalização antecipada da política monetária, os riscos de uma adoção tardia não são abordados. Segundo Cartana, a política monetária se torna menos eficaz com o passar do tempo, e os efeitos colaterais aumentam.

Leia mais »

Média: 3 (2 votos)

Acúmulo de bons sambas, por Aquiles Rique Reis

Despontando para o samba quando do surgimento de uma nova cena musical na Lapa carioca, Marcos Ozzellin lança Intersecção (independente), seu segundo trabalho. Do primeiro até este, nota-se o amadurecimento do cantor. Embora a meu ver rotulá-lo como sambista seja uma avaliação reducionista, já que seus recursos vocais são inegáveis e estão em franca evolução, ele volta a fazer do samba a sua praia. Inegavelmente é um grande cantor de sambas, mas assim será em qualquer outro gênero musical que decida cantar.

Canta muito bem, o Marcos. Sua voz, além de apurada, tem um timbre que naturalmente traz o ouvinte para junto de si. E ela, a voz, ressoa no fundo do céu da boca, tempera-se no nariz e sai volumosa, afinada. Tal clima de intimidade faz com que seu cantar flua de maneira simples, sem maneirismos desnecessários, muito menos trejeitos supérfluos e outras mumunhas mais.

Como no primeiro álbum, a formação instrumental difere daquelas normalmente utilizadas para emoldurar arranjos para sambas e assemelhados. Para ratificar esta impressão atual, cotejo-a com a que tive em 2010, quando resenhei o primeiro CD de Marcos Ozzellin: “Samba bom tem de ter ritmistas que criem alvoroço e façam a cabrocha gastar a sola da sandália; tem de ter surdo de marcação, caixa e repinique; tem de ter cavaco, banjo e violão de sete. Certo? Sim, mas não obrigatoriamente”. Ontem como hoje, menos pode ser mais.

O diretor musical, arranjador e produtor André Muato é um dos grandes responsáveis pelo belo resultado do CD. Seus arranjos seguram a onda para o cantor surfar, partindo de um pequeno grupo de quatro instrumentistas – Muato com seu violão de oito cordas, mais Henrique Vasconcelos (cavaquinho), Vinícius Santos (bandolim) e Thiago Kobe (percussão), além de um coro misto de quatro vozes.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Banco e fundo dos BRICs x Bretton Woods, por Ricardo Carneiro

brics foto geral da reunião

Artigo do Brasil Debate

Por Ricardo Carneiro*

A recente criação de dois organismos financeiros multilaterais pelos BRICs – um fundo de contingência e um banco de desenvolvimento – tem suscitado fartos comentários na mídia especializada. Mais do que o volume de recursos mobilizados, bastante expressivos, de US$ 100 bilhões para cada uma das instituições, o destaque tem sido para o seu caráter singular.

Este último residiria tanto na escala da iniciativa quanto na participação exclusiva de países em desenvolvimento, com a exclusão inicial dos países do G-7 e de outros países desenvolvidos membros da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

Diante desse fato, de relevância histórica indiscutível, algumas perguntas se impõem: qual o significado desta iniciativa perante a atual ordem financeira internacional originada em Bretton Woods (cidade norte-americana que sediou os históricos encontros de 1944)? Como a governança dessas instituições poderá ajudar os países membros, e evitar que se convertam em instrumento de hegemonia dos países mais fortes dentro do bloco?

Leia mais »

Média: 5 (5 votos)

Paint It Black, com Rolling Stones

Enviado por Antonio Carlos Silva

Paint It Black - The Rolling Stones

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

OAB proíbe nepotismo na indicação do Quinto Constitucional do TRF

Jornal GGN - Duas vagas estão abertas no Tribunal Regional Federal, da 1ª e da 5ª Região. Para elaborar a lista sêxtupla com indicações para ocupar o cargo de desembargador, a Ordem dos Advogados do Brasil Nacional proíbe nepotismo.

Para os conselheiros federais, estaduais e membros honorários vitalícios votarem e elaborarem as listas do Quinto Constitucional, eles não podem ter nenhuma relação de parentesco ou de sociedade com os candidatos inscritos.

A norma foi aprovada apenas em 2013 pelo plenário da OAB. Desde então, a “mudança tornou este processo mais justo e equânime”, afirma a organização, em nota.

Está no artigo 8º do Provimento 102/04, que dispõe sobre a indicação em lista sêxtupla de advogados, que estão impedidos quando os conselheiros ou membros são cônjuges, companheiros e parentes até o terceiro grau. Também vale para aqueles que foram sócios ou associados, anteriormente, em empresas de advogados.

Leia mais »

Média: 4.3 (4 votos)

Cybele, do Quarteto em Cy, morre aos 74 anos

Jornal GGN – Cybele de Sá Moreira, integrante do Quarteto em Cy, morreu ontem, dia 21, aos 74 anos. Cybele teve uma isquemia pulmonar. De acordo com sua irmã, Cynara, ela estava com pneumonia. O sepultamento será feito no cemitério São João, em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro.

O Quarteto em Cy foi formado na década de 1960, pelas irmãs baianas Cyva, Cybele, Cynara e Cylene. Da família Sá Leite, elas nasceram em Ibirataia, na Bahia, ligadas a um projeto sociocultural, acabaram por se aproximar da música. Logo de início tiveram apoio de Vinicius de Moraes e Carlos Lyra, formando assim o Quarteto em Cy, que remete à primeira sílaba de seus nomes.

O primeiro disco veio em 1964, com composições de Edu Lobo, Ruy Guerra, Baden Powell, Moacyr Santos e Vinicius.

Por 40 anos, o grupo teve várias modificações. Em 1967, Cynara e Cybele se desligaram do Quarteto pois não queriam arriscar a sorte no mercado fonográfico americano, formando então uma nova dupla. Neste ano, elas defenderam “Carolina”, de Chico Buarque, no Festival Internacional da Canção, e ficaram em terceiro lugar.

Cybele se casou, em 1969, com o jornalista, radialista e dublador Marcílio Freire, com quem teve um filho. Freire morrem em 2003, aos 66 anos.

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

A nova falácia de Alckmin e o fordismo da mídia na crise da água, por Sergio Reis

Por Sergio G. Reis

A nova falácia de Alckmin e o fordismo da mídia na crise da água

Um atributo que julgo relevante no processo de construção de matérias jornalísticas é a capacidade de se transmitir informações que se atribuiu como notícias sabendo-se elaborá-las sem que sejam réplicas de notas de assessorias de imprensa, nem discursos de quem poderia se opor a elas da forma mais visceral. Esse equilíbrio está longe de constituir “neutralidade” ou “centrismo”: na verdade, entendo que há um claro sentido político (progressista) quando os textos são construídos com essa perspectiva crítica-investigativa, com o compromisso de dar mesmo relevo à alteridade, enfim. Creio que constituam princípios básicos de jornalismo. Mas não são práticas frequentes em nossa mídia, notadamente com relação à crise da água.

O mais novo capítulo noticiado pela imprensa no que se refere ao tema é a declaração do Governador Geraldo Alckmin, publicada pelo Estadão (http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,alckmin-diz-que-sao-paulo...) e pela Folha (http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/08/1504149-cantareira-tem-ag...) de hoje dizendo que, independentemente das chuvas, a região metropolitana de São Paulo tem água por mais 4 meses. Por sinal, ambas as reportagens ficaram pouquíssimo tempo em destaque nas páginas iniciais – só é possível acessá-las agora, respectivamente, no interior dos cadernos “São Paulo” e “Cotidiano”. Causa espécie que uma afirmação tão importante ganhe tão pouca ênfase por parte desses dois veículos de comunicação.

A fala de Alckmin é importante, em um primeiro contexto, porque ela já contradiz fundamentalmente a tão reiterada promessa de que teríamos abastecimento pleno até Março de 2015, independentemente do que ocorresse. O Governador, que discursou enquanto visitava a represa Atibainha (que já está tendo seu volume morto aduzido há mais de uma semana), comentou, em tom de “torcida racional”, que “é evidente que vem chuva”. Triste pensar que a medida mais consistente do Estado mais rico e tecnicamente preparado da federação para lidar com a adversidade seja esse ato de fé. Difícil fazer um paralelo com outra área de política pública em que se pudesse transferir o fator fundamental de seu sucesso para uma variável tão “independente”: talvez, na Educação, seria algo como esperar a melhoria global do desempenho escolar dos alunos com base no bom humor diário de cada um como o fator-chave.

Leia mais »

Média: 5 (11 votos)

Transações correntes fecham julho com déficit de US$ 6 bi

Jornal GGN - As transações correntes brasileiras apresentaram um déficit de US$ 6 bilhões, segundo dados divulgados pelo Banco Central. Com isso, a variação acumulada em 12 meses chega a US$ 78,4 bilhões, valor equivalente a 3,45% do PIB (Produto Interno Bruto). Já o balanço de pagamentos apresentou superavit de US$ 5,2 bilhões em julho.

Na conta financeira, destacaram-se os ingressos líquidos de investimentos estrangeiros diretos (IED), que atingiram US$ 5,9 bilhões. Já a conta de serviços registrou deficit de US$4,5 bilhões em julho, 12,2% acima do valor registrado no mesmo mês de 2013.

Ao mesmo tempo, as despesas de brasileiros no exterior chegaram a US$ 2,415 bilhões, em julho, o maior resultado registrado na série histórica mensal do indicador, iniciada em 1995. Nos sete meses do ano, os gastos no exterior alcançaram US$ 14,9 bilhões, contra US$ 14,403 bilhões em igual período de 2013. Em julho do ano passado, as despesas totalizaram US$ 2,194 bilhões. As receitas de estrangeiros no Brasil chegaram a US$ 789 milhões em julho, contra US$ 540 milhões igual mês do ano passado. De janeiro a julho, as receitas chegaram a US$ 4,436 bilhões, contra US$ 4,020 bilhões nos sete meses de 2013. Com esses resultados de despesas e receitas, a conta das viagens internacionais ficou negativa em US$ 1,625 bilhão, no mês passado, contra US$ 1,654 bilhão em julho de 2013.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Polícia Federal apreende mais documentos vinculados a Paulo Roberto Costa

Jornal GGN - A Polícia Federal realizou a sexta fase da Operação Lava Jato, hoje (22). No Rio de Janeiro, foram feitos 11 mandados de busca e apreensão e um de condução coercitiva, obrigando a depor Marcelo Barboza Daniel, sócio do genro de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras.

O objetivo da busca e apreensão é recolher documentos de 12 empresas vinculadas a Paulo Roberto Costa e seus familiares. Além de Costa, a Operação Lava-jato contabiliza 30 prisões, até o momento, segundo informações da Polícia Federal.

Barboza é suspeito de ter emprestado R$ 1.900.000 ao ex-diretor, depois que a Polícia apreendeu os recursos em sua casa. Entretanto, Marcelo Barboza Daniel está nos Estados Unidos e disse que prestará esclarecimentos, assim que retornar ao Brasil. Barboza também teria doado R$ 1 milhão a Humberto Sampaio de Mesquita, genro de Paulo Roberto Costa.

A fase de novas buscas foi autorizada pela Justiça Federal da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba, motivada pelo Ministério Público Federal. Segundo o MPF-PR, “empresas registradas em nome terceiros poderiam estar sendo utilizadas por Paulo Roberto Costa no recebimento de valores de construtoras e empresas do setor petroquímico que celebraram contratos com a estatal Petrobras”.

Leia mais »

Média: 2.7 (7 votos)

Gaza: cerca de 280 mil palestinos refugiam-se em escolas da ONU

Jornal GGN – A Agência da ONU para os Refugiados Palestinos (UNRWA) informou, nesta quinta-feira (21), que continua aumentando o fluxo de pessoas que buscam proteção em suas instalações e já são cerca de 280 mil pessoas abrigadas em 83 escolas sob sua gestão, um número sem precedentes.

Disse ainda que pelo menos 2.030 palestinos perderam a vida desde o início da ofensiva militar israelense em 7 de julho. E, deste número de vítimas, 71% eram civis, incluindo-se aí 475 menores.

A UNRWA observou que a ansiedade e o estresse provocados pelos contínuos bombardeios, pela perda de entes queridos e de moradias, assim como a falta de perspectivas em geral sobre a vida em Gaza, contribuem para aumentar a tensão nos abrigos superlotados.

Apesar da retomada das atividades militares israelenses, a UNRWA contiua realizando trabalhos básicos de emergência, ainda que se tenha paralisado ou reduzido ao mínimo o trabalho de campo de seu pessoal.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Instituto Lula lança site sobre projetos do PT na Presidência

Jornal GGN - O Instituto Lula lançou na semana passada o site O Brasil da Mudança (brasildamudanca.com.br), com o objetivo de publicar mais informações consolidadas sobre os 12 anos de governo do PT no plano federal. No endereço, é possível achar números atualizados, infográficos, vídeos do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff (PT) falando sobre as políticas públicas, além de vários outros materiais. 

A cada semana, novos capítulos entram no ar. Nesta sexta-feira (22), por exemplo, o portal disponibilizou dados sobre os programas de combate à corrupção. Entre as medidas adotadas no últimos anos está o fortalecimento da Polícia Federal, da Corregedoria Geral da União, do Ministério Público Federal e a criação das leis que garantem transparência nos atos do Executivo nacional.

Leia mais »

Média: 4.6 (9 votos)