Revista GGN

Assine

Luis Nassif Online

Nassif: Já se sabia de contas de Serra no Banestado, mas o caso acabou soterrado pela blindagem que sempre o protegeu
29
Como já conceituei, é o primeiro caso em que lavagem de dinheiro foi substituída por lavagem de apartamento
28
É ativista política, conforme demonstrou participando ativamente das convocações do MBL a favor do impeachment
47

Em SP, vereadores questionam gestão privada de verba do Bilhete Único

onibus_sp_rovena_rosa_agbr_0.jpg

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Da Rede Brasil Atual

 
Presidente do Legislativo paulista defende substitutivo ao texto enviado pela prefeitura que prevê o manuseio de R$ 5 bi por agentes financeiros que vierem a assumir a concessão do sistema de bilhetes de ônibus
 
por Rodrigo Gomes

O presidente da Câmara Municipal de São Paulo, vereador Milton Leite (DEM), afirmou que não aceita que a concessão do sistema de Bilhete Único à iniciativa privada permita que os empresários acessem o dinheiro dos créditos dos usuários. "Não podemos colocar dinheiro público sob administração das empresas. São R$ 5 bilhões por ano. Se é isso que as empresas querem podem tirar o cavalo da chuva", afirmou Leite, durante audiência pública sobre as privatizações.

O presidente da Casa afirma não ver problema em abrir o sistema do Bilhete Único para que as empresas associem serviços como cartão de crédito. "O que não pode é eles colocarem a mão nessa verba. Vamos defender que a venda de créditos de transporte fique com as empresas de ônibus, o que acabaria com a maioria das fraudes do sistema", disse Leite, que avalia contar com apoio dos demais parlamentares. Existem hoje 14,4 milhões de cartões do Bilhete Único, que realizam 13,6 milhões de viagens por dia. 

Leia mais »
Sem votos

Corrupção e castidade, por Fabian Bosch

Corrupção e castidade, por Fabian Bosch

Comentário ao post “Nassif: A ignorância econômica da Lava Jato"

O dinheiro da corrupção volta para a economia, irriga a economia,..."

Esta frase que recorto, bem simples, ilumina a distinção entre moralismo e moralidade administrativa. De fato, o que ocorre são dois tipos básicos de fluxos financeiros, de percursos do dinheiro arrecadado do público pelo Estado. Há o fluxo 'padrão', que corresponde ao contabilizado (ao que pode ser contabilizado), e outros que não o são ou não podem sê-lo.

O que legitima a tributação é, primariamente, a prestação de serviços públicos. A máquina custosa do Estado teria esta justificativa,  - os serviços públicos, lá dos domínios do Direito Administrativo. A Escola Francesa apóia o Estado na prestação de serviços.

Leia mais »

Sem votos

Sem Terra ocupam fazendas de Maggi, Ricardo Teixeira e amigo de Temer

 
mst_teixeira_-_midia_ninja.jpg
 
Foto: Mídia Ninja
 
Jornal GGN - Nesta terça-feira (25), no Dia do Trabalhador Rural, o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra ocuparam a fazenda do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, de Ricardo Teixeira, ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), e de João Batista Lima Filho, o Coronel Lima, assessor e amigo do presidente Michel Temer. 
 
Estas ocupações ocorreram, respectivamente, no Mato Grosso, em Barra Mansa (RJ) e em Duartina (SP), e o MST também faz mobilizações no Sul e no Nordeste do país.
 
As ações fazem parte da Jornada Nacional de Lutas, que tem como objetivo exigir que as fazendas ligadas a processos de corrupção sejam destinadas para o assentamento das famílias de sem terra. O MST também pede a saída de Michel Temer e a convocação de eleições diretas.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Oposição a Temer ainda não definiu o que fazer na votação da denúncia

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN - A oposição a Michel Temer ainda não decidiu como proceder no dia 2 de agosto, quando a Câmara colocará em primeira votação a denúncia por corrupção passiva contra o presidente, a reboque da delação da JBS.

Segundo a Folha desta terça (25), na véspera da votação, PT e PCdoB se reúnem para tentar chegar uma estratégia em comum. No momento, eles seguem divididos.

Leia mais »

Sem votos

Entidades organizam Conferência Nacional Popular da Educação

educacao_marcello_casal_jr-_agencia_brasil.jpg
 
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
 
Jornal GGN - No próximo dia 8 de agosto, a coordenação executiva da Conferência Nacional Popular da Educação (CONAPE) irá se reunir em Brasília para tratar dos encaminhamentos da edição deste ano da conferência e também para participar de uma Audiência Pública no Senado Federal. 
 
A audiência será realizada no dia 10 de agosto, na Comissão de Direitos Humanos do Senado para discutir o processo de identificação, reconhecimento, delimitação e demarcação das terras ocupadas por remanescentes das comunidades dos quilombos.
 
No mesmo dia, uma outra audiência, na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, vai debater a Lei de Responsabilidade Educacional.
 
No início de junho, diversas entidades integrantes do Comitê Nacional de Luta em Defesa da Educação Pública decidiram romper com o Fórum Nacional de Educação (FNE) e organizar um Fórum Nacional Popular de Educação. 

Leia mais »

Sem votos

Novo DEM pode se juntar ao PSDB e formar superbancada

 

Jornal GGN - O DEM - que tenta inflar sua bancada num movimento liderado por Rodrigo Maia - tem feito um discurso diferente a cada interlocutor que tenta descobrir a agenda oculta do partido. Ao aliado eleitoral de décadas, o PSDB, por exemplo, democratas têm dito que se chegarem a 50 deputados, como pretendem, podem se aliar aos tucanos e o resultado será uma superbancada de 100 deputados que "jamais poderia ser ignorada" pelo governo.

Leia mais »

Média: 2 (4 votos)

Defesa de Lula deve denunciar "perseguição" em Curitiba ao mundo

Foto: Ricardo Stuckert
 
 
Jornal GGN - A sentença do caso triplex e o modo como o processo foi conduzido pelo juiz Sergio Moro devem ser denunciados ao mundo pela defesa de Lula. É o que defendem os aliados do ex-presidente, segundo informações do Painel da Folha desta terça (25).
Média: 5 (2 votos)

Janot vai apresentar só mais 1 denúncia contra Temer

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - A Procuradoria Geral da República corre contra o tempo para denunciar Michel Temer antes do fim de mandato de Rodrigo Janot, que acontece em setembro. Por isso, já sinalizou que vai apresentar apenas mais uma, e não duas denúncias contra o presidente.
 
Segundo informações do Estadão desta terça (25), Janot vai unificar a denúncia por obstrução de Justiça envolvendo a gravação de Joesley Batista, da JBS, com formação de quadrilha, que utiliza informações de um inquérito contra o PMDB na Câmara.
Sem votos

Juristas denunciam ataques sofridos por editor do Justificando após crítica a evento do MP-RJ

do Justificando

Juristas denunciam ataques sofridos por editor do Justificando após crítica a evento do MP-RJ

O evento organizado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) com a presença do Procurador Geral do Estado e painéis sobre “desencarceramento mata”, “bandidolatria”, além das reflexões de Kim Kataguiri, um dos fundadores do Movimento Brasil Livre (MBL), acerca da segurança pública no país repercutiu amplamente no meio jurídico. 

Brenno Tardelli, diretor de redação no Justificando, publicou um artigo na oportunidade com o título: “Finalmente, um evento que honra o Ministério Público”, onde tecia duras críticas ao pensamento autoritário que, na sua visão, está vigente na instituição:

“Fico muito feliz em saber que finalmente o Ministério Público organizou um evento à altura de seu trabalho em desfavor da população. Quem conseguiu a proeza do sincericídio foi a sucursal do Rio de Janeiro que chamou seus melhores think tanks para brindar-nos todos com brilhantismo de suas análises sobre a bandidolatria, o democídio e com reflexões de Kim Kataguiri sobre segurança pública. Para quem não conhece muito a instituição, trata-se de uma excelente oportunidade de entender bem de perto o chorume generalizado que escorre da boca de promotores e promotoras de justiça todos os dias”, afirmou na publicação. 

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

O ovo da serpente, por Thiago Rodrigues Cardin

do Coletivo Transforma MP

O ovo da serpente

por Thiago Rodrigues Cardin

Já há algum tempo, pessoas sérias vêm alertando sobre os riscos de estarmos chocando no Brasil ovos de serpente – metáfora para o nascimento de práticas e ideais fascistas com potencial para causar grandes prejuízos à sociedade.

Apenas para ilustrar um exemplo, em junho de 2015, destacou o jornalista Luiz Fernando Vianna, em sua última coluna (“A serpente no deserto”) publicada no jornal Folha de São Paulo[i]:

“Já se escreveu nesta coluna sobre uma espécie de ‘economia do ódio’ que vem contribuindo para a subsistência da imprensa. O lixo despejado nas áreas destinadas aos comentários de leitores – e nas redes sociais, onde se compartilham os textos publicados em jornais e revistas – resulta em audiência para os sites de notícias e, logo, em receita publicitária.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Seis filmes e a relação capital-trabalho, por Claudio Santana Pimentel

Seis filmes e a relação capital-trabalho

por Claudio Santana Pimentel

Tempos de incertezas, ou de crueis certezas que se impõem, reforçadas pela recente aprovação da reforma trabalhista, reforma que, como tem sido comum neste país, mais uma vez privilegia os interesses não dos trabalhadores, mas do capital.

As artes, e o cinema especialmente, propiciam oportunidades para refletir sobre a relação capital-trabalho; sobretudo, por ressaltar a assimetria entre trabalhador e patronato, a desigualdade entre o empregado e o patrão, cuja negação é a premissa interesseira do neoliberalismo e de seus representantes.

A presente lista apresenta alguns filmes que, de diferentes maneiras e mirando diferentes momentos históricos, oferecem subsídios para pensar essa relação além e contra a métrica neoliberal.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Professor paulista: serviço de doido, por Sergio Saraiva

A Folha de São Paulo de 24 de julho de 2017 traz uma matéria que traça um diagnóstico preocupante dos impactos da precariedade do trabalho docente para a educação pública de São Paulo. Mas foi preciso reescreve-la, para mostrar isso.

Folha24jul

Professor paulista: serviço de doido

por Sergio Saraiva

Um estado de epidemia é o que se pode concluir quando se considera o índice de absenteísmo dos professores da redes públicas – municipal e estadual – no Estado de São Paulo.

Cada professor das redes públicas de ensino do Estado de São Paulo registra, em média, 30 dias de ausência das escolas em um ano e o principal motivo é o volume de licenças médicas. Especialmente na capital, licenças médicas (afastamentos com mais de 15 dias) representam 60% das ausências, A média de outras prefeituras do Estado é de 39%.

Leia mais »

Média: 4.2 (5 votos)

A ingenuidade, os estilingues e os canhões, por Carlos Motta

A ingenuidade, os estilingues e os canhões

por Carlos Motta

A ingenuidade de algumas pessoas chega a ser comovente.

Elas pensam e agem como se o mundo fosse habitado por anjos e não seres humanos, que, como se sabe, são tão cheios de defeitos e maldade como vazios de virtudes e bondade.

O caso do Brasil é emblemático.

Não é novidade para ninguém que uma elite perversa, ignorante, escravagista e racista, uma oligarquia incapaz de qualquer gesto de humanidade, manda no país desde sempre, e nunca, sob hipótese nenhuma, vai permitir que os sobre os seus imensos privilégios paire sequer uma minúscula nuvem de contestação.

Leia mais »

Imagens

Média: 4.6 (9 votos)

Setor elétrico: o desastre anunciado, por Ronaldo Bicalho

do Instituto Ilumina

Setor elétrico: o desastre anunciado

por Ronaldo Bicalho

Diante da ameaça de uma nova reforma do setor elétrico cabe lembrar que, assim como o futebol, o setor elétrico não aceita desaforo. Tal qual a bola, o KW pune. Como um enigma, o setor elétrico atravessou os tempos devorando aqueles que não foram capazes de decifrá-lo.

Thomas Edison foi capaz de entender a natureza sistêmica do conjunto formado pelas atividades de geração, transporte e uso de eletricidade. No entanto, não foi capaz de lidar com os desafios que essa natureza impunha ao desenvolvimento desse conjunto.

Para isso foi necessária a genialidade de Nikola Tesla, que plantou as bases sólidas sobre as quais o setor elétrico, tal qual o conhecemos, foi erguido.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Jogo social: desafios para resistir e avançar!, por Clemente Ganz Lúcio

Tivemos uma grande derrota na definição das regras do jogo. Haverá repercussão nas condições de trabalho, na distribuição dos resultados e nas instituições de proteção trabalhista (sindicatos e justiça). É preciso reconhecer que perdemos para aprender e seguir com a luta (Foto Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

do Brasil Debate

Jogo social: desafios para resistir e avançar!

por Clemente Ganz Lúcio

Em julho de 2014, o país foi palco de uma grande derrota da seleção brasileira na Copa do Mundo. Uma partida, um grande fracasso e a perda definitiva daquele campeonato. A taça, mais uma vez, não ficou para o Brasil, em casa, na segunda Copa realizada aqui. A nação, entre a raiva e a tristeza, desmontou.

Há pouco mais de uma semana, os trabalhadores brasileiros sofreram também uma derrota, mais trágica do que as da seleção brasileira. E foi também uma segunda perda, agora no Senado Federal – a primeira aconteceu na Câmara dos Deputados, em 26/04 – com a aprovação de uma enorme reforma da legislação trabalhista no país. Parte substantiva da legislação brasileira do direito do trabalho foi transformada em normas que visam a proteger as empresas, precarizar as condições de trabalho, arrochar salários, limitar o acesso à justiça, enfim, criar condições permanentes para reduzir e ajustar o custo do trabalho na economia brasileira. Diferentemente do ocorrido na Copa do Mundo, não houve uma comoção nacional. Diferentemente do campeonato, também, o time dos trabalhadores não foi abatido por adversários, mas por aqueles que estavam lá para legislar por todos.

Leia mais »

Média: 3.7 (3 votos)