newsletter

Luis Nassif Online

Blogs e sites independentes são sufocados por onda de ações judiciais comandada pela velha mídia; por Luis Nassif
125 comentários
O ponto que unifica todas as teses das diferentes correntes internas é a crítica ao ajuste fiscal do governo Dilma
17 comentários
Programa aborda hoje o papel do país asiático como agente indutor de desenvolvimento na América Latina

As possibilidades abertas pela China

A ascensão dos Estados Unidos, em fins do século 19, provocou uma explosão nos preços das commodities beneficiando as exportações brasileiras de algodão e café.

A consolidação do poderio geopolítico norte-americano, no pós-guerra, com o acordo de Bretton Woods e os financiamentos internacionais para a reconstrução da Europa e para a infraestrutura na América Latina, ajudaram no salto seguinte da industrialização brasileira.

Na década anterior, Getúlio Vargas dera início à constituição do Estado brasileiro, com a criação do DASP (Departamento de Administração do Serviço Público), a instituição do concurso público, a aprovação do Código das Águas. Leia mais »

Média: 4.8 (20 votos)

Ciro: Qualquer bodega no Ceará tem projeto, mas o Brasil não

“Brasília está dominada por uma coalizão de gatunos”, diz Ciro Gomes

Da CartaCapital

Agora na iniciativa privada, como chefe da ferrovia Transnordestina, o ex-ministro da Integração Nacional e ex-governador do Ceará Ciro Gomes não poupou o Congresso Nacional e as coligações partidárias durante sua participação na 3ª edição do Fórum Brasil promovido por CartaCapital, cujo tema neste ano é "Crescer ou crescer”. Para Ciro, o parlamento está dominado por ladrões.

Ciro participou de uma mesa de debate com o ex-ministro da Defesa e das Relações Internacionais Celso Amorim e o presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), David Barioni Neto. Os três se reuniram na tarde desta sexta-feira 22 para falar sobre o tema “Exportações, o Caminho para Sair da Crise”. Segundo a falar, Ciro revelou seu pessimismo em relação à retomada do crescimento econômico: “O Brasil não tem projeto”, afirmou.

Leia mais »

Média: 3.6 (29 votos)

Fragilidade do abastecimento de água na Zona Leste

Jornal GGN - O problema de água na Zona Leste de São Paulo foi tema de audiência pública realizada ontem (21), em São Miguel Paulista. Cerca de 30 pessoas, moradoras da região, estiveram presentes na reunião, conduzida pelo vereador Laércio Benko, presidente da CPI da Sabesp.

As pessoas deram testemunhos de um cenário de racionamento que parte da população da capital ainda não vivenciou.

De acordo com Dorcas Freitas, organizadora da audiência, o período de disponibilidade da demanda é muito curto. “Não tem nem fiozinho, a água acaba 11h30 e volta 4h30 da manhã. Quando chega, a água não tem força suficiente para subir. O que fazer? Idosos e acamados ficam sem banho. É uma luta muito grande”, disse. “Aumentou a conta sem ter água, diferente da luz que aumentou, mas não acaba. Todos têm o mesmo problema”.

A fala dela foi reforçada por outros moradores. Ana Lúcia afirmou que só tem duas horas de água por dia, Socorro disse não se lembrar da última vez que não faltou água. Zezinha disse que nunca tem água quando ela chega do trabalho. Ernesto da Silva disse que o corte acontece todos os dias, logo pela manhã, por volta de 9h30.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

O papel da China na integração sul-americana

Por Daytona

Comentário ao post "As possibilidades abertas pela China"

 

Um aspecto não citado na análise histórica do Nassif foram os processos de integração levados adiante nos períodos citados. Na fase de industrialização inciiada pela Revolução de 30, o projeto industrializante teve como componente político a unificação do Brasil por meio da articulação da economia nacional em torno do núcleo industrial construído em São Paulo.

Antes de 30, o Brasil era economicamente fragmentado, as economias regionais pouco interagiam, a a infraestrutura, baseada no modelo de bacia de exportação, se direcionavam das diferentes regiões para o exterior, sem comunicação entre elas.

O reflexo político disso era um país politicamente arregimentado em uma frágil coalizão estadual(a Política dos Governadores, de Campos Salles), sem substância, aberta a movimentos separatistas(vide o putsch paulista de 32).

A industrialização permitiu a construção de um mercado nacional, articulado em torno do pólo industrial paulista, base da consolidação política nacional. Note a criação, pela primeira vez, de partidos políticos nacionais, representativos não de regiões, como eram os partidos da República Velha, mas de grupos de interesses. A própria estrutura partidária brasileira tinha como núcleo o projeto industrializante, com o PTB baseado na organização sindical baseada na indústria, e o PDS baseado na burocracia estatal, baseada no fortalecimento do Executivo Nacional com o fim da política fragmentária da República Velha. A oposição era formada pelas forças alijadas do poder pela revolução dde 30(a UDN), que continua viva em partidos como o PSDB. Antes desse processo, o único partido não regional era o PCB.

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

Os contratos dos grandes consumidores da Sabesp

Da Agência Pública

 
por Carolina Arteta, Marcelo Grava, Marina Dias, Maurício Moraes, Natalia Viana
 
Contratos assinados pela Sabesp com descontos para empresas que consomem muita água foram obtidos pela Pública e Artigo 19; conheça os maiores consumidores de São Paulo

Três montadoras de veículos, duas das maiores redes de supermercados do país e um dos bancos que mais lucraram em 2014 estão entre os dez maiores consumidores privilegiados com baixas tarifas de água pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Mercedes-Benz, Ford, Volkswagen, Pão de Açúcar, Carrefour e Itaú Unibanco assinaram contratos de demanda firme com a empresa, um expediente que dá direito a um vantajoso desconto. Diferentemente do que ocorre com consumidores residenciais, quanto maior o uso, menor é o valor que as empresas pagam pelo metro cúbico (1.000 litros).

Também integram esse seleto grupo a Telefônica, dona da marca Vivo e líder entre as operadoras de telefonia celular no país; a indústria Viscofan, que produz invólucros para embutidos; a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp); e a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô). O valor estimado desses dez contratos é de R$ 133 milhões. Juntas, essas empresas pagam baixas tarifas que dão direito ao uso de 412 bilhões de litros por mês, suficientes para o abastecimento de 2 mil famílias ou 8 mil pessoas.

Leia mais »
Média: 3.7 (6 votos)

As dúvidas sobre os acordos com a China

 
 
Por gentilhomme
 
Os acordos com a China não têm sido bons para o Brasil: ainda em 2004 estendemos adiantadamente à ela o status de economia de mercado e o que recebemos foi uma agressiva política de ocupação dos mercados preferenciais de nossos produtos - na América do Sul, num primeiro momento, e de nosso mercado interno em um segundo momento.
 
Até as pedras da Grande Muralha sabem que a China é competitiva em diversos segmentos, notavelmente nos baseados em escala, mas que um avanço nessa velocidade só pode ocorrer com base em uma política comercial agressivíssima, com alto nível de subsídio e de ações estratégicas coordenadas e planejadas. Ao mesmo tempo, a China não fez nenhum investimento de vulto no Brasil e o surto de compras de commodities brasaileiras naõ foi nenhum favor, decorreu apenas de sua avidez em expandir e qualificar sua infraestruttura, política que foi incrementada como parte de seu programa anticíclico depois de 2009.

Leia mais »

Média: 2.4 (13 votos)

Marina Silva vai pedir o registro da Rede na próxima semana

Jornal GGN - A Rede Sustentabilidade de Marina Silva (PSB) chegou ao mínimo de assinaturas necessárias para que o Tribunal Superior Eleitoral autorize o registro oficial do partido. Segundo informações do colunista Ilimar Franco (O Globo), o senador Reguffe (PDT) e os deputados Miro Teixeira (PROS) e Eliziane Gama (PPS) acompanharão Marina ao TSE na próxima semana, para dar encaminhamento à formação oficial da Rede. "O vereador Jefferson Moura, da Executiva, informa que já são 496.427 assinaturas certificadas. O senador Randolfe Rodrigues (PSOL), foi convidado."

Em seu site institucional, a Rede comemora a obtenção das 50 mil assinaturas que faltaram para conquistar o registro na última tentativa do partido, no final de 2013. Na ocasião, Marina teve de optar pela filiação ao PSB de Eduardo Campos para não ficar de fora da disputa presidencial. Passadas as eleições, a ex-ministra reafirmou que sua estadia no PSB tinha "prazo de validade": a formalização da Rede.

Fiel escudeiro de Marina ao longo da formação da Rede, Jefferson Moura, ex-petista, disse, em entrevista ao jornal O Dia, do Rio de Janeiro, que o partido terá candidato para a eleição municipal de 2016. O deputado Miro Teixeira ou o próprio vereador poderão disputar pela Rede contra o prefeito Eduardo Paes (PMDB).

Leia mais »

Média: 1.9 (18 votos)

Operações de mercado com o dinheiro público

Jornal GGN - No começo dessa semana, o Jornal GGN falou sobre uma operação financeira que está se tornando cada vez mais comum na administração pública brasileira: a securitização de dívida ativa. Consiste basicamente em vender papéis de dívidas tributárias renegociadas para antecipar dinheiro no caixa.

Os estados e municípios que defendem a solução argumentam que é uma maneira de viabilizar investimentos. Mas o Tribunal de Contas da União (TCU) analisa se a saída não fere a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Leia também: Vende-se dívida ativa para enfrentar crise financeira 

A Prefeitura de São Paulo trata o assunto com cautela. Procurada pela redação do GGN, a Secretaria de Finanças e Desenvolvimento Econômico disse que não descarta a possibilidade de realizar operação de securitização da dívida ativa, mas que ainda está avaliando as melhores soluções para a saúde financeira do município.

“Considerando que são operações financeiras bastante complexas e que envolvem elevados custos de transação - e dados os fatores de conjuntura econômica e a incerteza regulatória -, embora a Prefeitura de São Paulo não descarte a possibilidade de realizar operação de securitização da dívida ativa, adota postura cautelosa e está avaliando as melhores soluções para a cidade”.

A Secretaria entende que no cenário de elevação da taxa básica de juros (Selic), outras aplicações financeiras devem pagar melhor para o investidor. “Qualquer emissão nas condições atuais poderia resultar em baixa demanda e baixa performance da operação”.

Para performar, talvez seja necessário ser generoso demais com o mercado. Como se trata de uma alienação de direitos (venda de ativo), o município precisa ser responsável.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Os resultados das pesquisas nos meios de comunicação

Por Paulo Gurgel Carlos da Silva, no Portal LN

Em 2003, em um artigo na revista JAMA (Journal of American Medicine) pesquisadores escreveram algo que deveria mudar a forma como você recebe as notícias médicas. Eles revisaram 101 estudos, publicados nas principais revistas científicas entre 1979 e 1983, que anunciavam como muito promissora uma nova terapia ou uma nova tecnologia médica . Apenas cinco, descobriram eles, haviam chegado ao mercado dentro de uma década. E apenas um, formado pelo grupo dos inibidores da ECA (enzima conversora da angiotensina), ainda era amplamente utilizado no momento da revisão.

"Há uma grande, grande diferença entre a forma como a mídia pensa sobre as notícias e como os cientistas pensam sobre notícias," Naomi Oreskes , um professor de Harvard da história da ciência, me disse recentemente em uma entrevista:

"Para você, o que faz ser notícia é o que há de novo – o que cria um viés nos meios de comunicação em sua busca pelos resultados novíssimos. Em meu ponto de vista, os resultados novíssimos com maior probabilidade vão estar errados."

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

A mídia de Schrödinger

Por Tadeu Porto

Do Brasil Debate

Confesso que já subestimei a inteligência da imprensa nacional. Bom, depois de ver boa parte dela ~hagir~ como se não soubesse sequer os nomes dos presidentes de países da América Latina, acabei desdenhando um pouco mesmo. Sei que boa parte dos leitores me entende e peço desculpas aos demais por uma posição tão esnobe. Não se repetirá, prometo!

Até mesmo porque melhorei meu juízo sobre a mídia brasileira nos últimos dias, afinal descobri que ela parece ter aplicado conceitos de física quântica em seu jornalismo, e isso não é para qualquer um!

Em 1935, o físico Erwin Schrödinger criou um exercício mental para demonstrar o paradoxo que era abstrair com elementos cotidianos a teoria referente à mecânica quântica. O experimento consistia em considerar um gato vivo preso dentro de uma caixa fechada e opaca, com um frasco de veneno intacto, um martelo, um recipiente com material radioativo e um detector de radiação.

Leia mais »

Média: 4.9 (14 votos)

A via social-desenvolvimentista como alternativa à estagnação, por Flavio Lyra

A VIA SOCIAL-DESENVOLVIMENTISTA. A ALTERNATIVA À ESTAGNAÇÃO

 

por Flavio Lyra (*), no Portal LN

Uma avalanche de propaganda liberal-internacionalizante, associada a uma intensa campanha de combate à corrupção, sob a batuta da grande imprensa brasileira, articulada com a imprensa internacional, desabou recentemente sobre a população brasileira e o governo do PT, produzindo estragos consideráveis na vida econômica e política do país.

Aproveitou-se a conjuntura internacional desfavorável e a incapacidade política interna de articular os agentes econômicos cujos interesses poderiam dar sustentação a uma alternativa de política econômica, para desencadear uma campanha de amplo espectro, destinada a soterrar de vez quaisquer possibilidades de o país enveredar por uma via alternativa, que a da integração internacional dependente.

As forças econômicas e políticas que poderiam dar sustentação a uma reorientação da política econômica foram flagrantemente derrotadas no primeiro conflito aberto havido desde os anos 90, a partir de quando as reformas realizadas no país se orientaram claramente para fortalecer o papel do mercado e dos capitais internacionais na condução dos destinos da sociedade brasileira, sob a orientação do FMI e do Banco Mundial.

Leia mais »

Média: 3.3 (3 votos)

Dilma veta aumento do crédito consignado e mantém sigilo do BNDES

Da Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff sancionou, com vetos, a Lei 13.126 que autoriza o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) receber do Tesouro Nacional R$ 30 bilhões. A medida foi aprovada pelo Congresso Nacional em abril. Um dos vetos mantém o sigilo das operações de crédito do banco, defendida pelo Senado Federal. Os vetos foram publicados hoje (22) no Diário Oficial da União .

Para a presidenta, a divulgação ampla e irrestrita das informações das operações de apoio financeiro do BNDES feriria sigilos bancários, empresariais e prejudicaria a competitividade das empresas brasileiras no mercado global de bens e serviços, uma vez que “evidenciaria aspectos privativos e confidenciais da política de preços praticada pelos exportadores brasileiros em seus negócios internacionais.”

Leia mais »

Média: 4.5 (8 votos)

Cardozo pretende enfrentamento duro à entrada ilegal de haitianos

 
Jornal GGN - O ministro da Justiça José Eduardo Cardozo anunciou um "enfrentamento duro" à entrada ilegal de haitianos no Brasil. Cardozo pretende atuar com medidas internas na segurança e fronteiras do país e com negociatas entre países vizinhos, para combater com mais rigor e de forma mais drástica as organizações criminosas que transportam os imigrantes até o Brasil.
 
São os chamados "coiotes", pessoas que prestam serviço de atravessar fronteiras ilegalmente. Para o ministro da Justiça, eles “colocam os haitianos no Brasil de forma ilegal, trazendo sofrimentos e riscos”. Nos próximos dias, Cardozo visitará o Peru, Equador e a Bolívia para construir a ponte e dar início ao "enfrentamento duro".
 
Ele concluiu que o governo não tem ainda “a medida certa para enfrentar” o problema, depois de se reunir com o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e com o governador do Acre, Tião Viana, no Palácio do Planalto.
 
Apesar do tratamento radical ao problema, Cardozo se diz pronto para tentar a coordenação das políticas com os estados, além do Acre, de forma "harmoniosa". Após falar em enfrentamento drástico dos criminosos, o ministro amenizou que os haitianos são as vítimas e não os vilões desse processo, que envolve inclusive a cobrança de altos custos para a travessia.
Média: 2.4 (9 votos)

Novo banco dos Brics para infraestrutura de emergentes

Jornal GGN – A Câmara dos Deputados aprovou ontem, quinta-feira (21), a criação do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), uma iniciativa dos Brics para financiar projetos de infraestrutura públicos e privados, dos próprios membros do bloco e de outras economias emergentes.

O NBD será aberto a qualquer membro das Nações Unidas, mas os sócios fundadores terão poder de voto de pelo menos 55%. Além disso, individualmente, nenhum país terá o mesmo poder de voto de um país membro dos Brics.

O secretário de Assuntos Internacionais do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP), Claudio Puty, comentou a decisão dos parlamentares brasileiros, dizendo que se trata de uma nova fonte para financiar projetos estratégicos do bloco. “O investimento em infraestrutura é essencial ao desenvolvimento e à retomada do crescimento econômico brasileiro”, disse. “É ainda mais relevante em um momento que o Brasil está prestes a lançar um plano de investimentos em infraestrutura”, complementou.

Leia mais »

Média: 5 (6 votos)

Com inédito bom senso, Freire condena distritão

Do O Globo

 
A necessidade de mudar o sistema político-eleitoral não pode resultar na aprovação de medidas que façam o país andar para trás
 
Ao contrário do que se esperava, o relatório sobre a reforma política não foi votado na última terça-feira (19) na comissão especial que trata do assunto, na Câmara, em meio a calorosos debates em torno de alterações no sistema político-eleitoral brasileiro. Diante da relevância do assunto e da premente necessidade de que o Congresso avance no tema, é fundamental que tenhamos responsabilidade para evitar que eventuais mudanças não signifiquem retrocesso ou agravem um cenário que já é muito ruim.

Leia mais »

Média: 3.7 (9 votos)