newsletter

Assinar

Luis Nassif Online

A construção de uma agenda de governo é como um puzzle onde se juntam as peças até se enxergar o todo; por Luis Nassif
5 comentários
Cardozo manifesta duas suspeitas de crimes, como se fosse um cidadão comum, e não o chefe maior da PF; por Luis Nassif
35 comentários
Jornalista coloca no mesmo embrulho leitores de blogs, de notícias e usuários de sites pornográficos, por Luis Nassif
29 comentários

Quando o fascismo cresce, silenciar é ser cúmplice, por Jorge Furtado

Fiquei muitos meses sem escrever por aqui, por excesso de trabalho e por achar que o debate político estava tão alterado que a atitude mais sábia era o silêncio. Esperava que os derrotados das eleições fizessem o mesmo, deixassem passar os primeiros meses do novo governo para cobrar resultados. Meu volume de trabalho não diminuiu, na verdade cresceu, e os derrotados não esperaram nem um dia para subir ainda mais o volume e a grosseria das críticas, muitos pregam em voz alta, sem qualquer pudor, a volta da ditadura militar ou qualquer outro golpe que lhes devolva o poder que perderam nas urnas.
 
Volto a escrever sobre política porque o crescimento da direita, da intolerância, do fascismo, da ignorância e da homofobia, transforma os calados em cúmplices. A história ensina que os inimigos da democracia se utilizam da frustração e dos anseios legítimos da sociedade, das pessoas de boa fé, para chegar ao poder, e então passam a exercê-lo com tirania, perseguindo minorias, promovendo a intolerância e a violência. E aí é tarde demais para combatê-los pacificamente.
 
Não é possível ficar quieto quando o congresso é dominados pelo que há de pior na sociedade brasileira, bandidos e falsos pastores, achacadores em nome de Cristo, picaretas envolvidos em todo tipo de falactrua, legislando em causa própria, manobrando votações, chantageando empresários para garantir seu butim, promovendo cultos religiosos no plenário, fomentando a homofobia e a ignorância. O atual congresso brasileiro, comandado por Renan Calheiros e Eduardo Cunha, ambos investigados por uma dúzia de crimes e toda sorte de imoralidades, é uma vergonha para o país. Leia mais »

Média: 4.6 (29 votos)

Atividade industrial em São Paulo sobe 1,2% em maio

Jornal GGN - O desempenho da indústria paulista cresceu 1,2% em maio na comparação com abril, segundo dados com ajuste sazonal divulgados pela Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp). Embora o resultado seja considerado positivo, ele não muda a perspectiva das entidades de baixo dinamismo da indústria neste ano.

A indústria paulista registrou uma piora de 3,6% em seu desempenho no período de janeiro a maio, enquanto as perdas no acumulado de 12 meses chegam a 4,8%, números da leitura sem ajuste sazonal. Além da baixa base de comparação registrada em abril, a variável Total de Vendas Reais também ajudou a puxar o resultado do mês, com variação positiva em 2,5%.

“Comparamos maio com um outro mês que foi muito fraco. Mas se compararmos com o mesmo mês em outros anos, vemos que o crescimento de maio é muito modesto, porque este costuma ser um bom mês”, diz Paulo Francini, diretor da Fiesp/Ciesp.  Em relação ao mesmo mês do ano anterior, a atividade industrial apresenta uma queda de 7,7%.  “Não podemos interpretar a pequena alta como, talvez, um processo inicial de recuperação, ou que o pior já passou. Não. Seria ledo engano. Nossa perspectiva para o ano mantém-se muito ruim, com o aprofundamento da crise no segundo semestre”, afirma Francini.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

O Brasil de Lula vs FHC, segundo Bill Clinton

Dois vídeos: num Bill Clinton elogia o Brasil de Lula e, no outro, se irrita com FHC se humilhando, com pires na mão e detonando nosso próprio país mundo afora (bem ao contrário do que fez Lula, cuja diplomacia comercial tentam criminalizar), alias, era isso o que o tucano fazia e faz até hoje mundo afora com seu incurável vira-latismo: falar mal do Brasil

As diferenças em números, descirtos no post "Enquanto houver Marietas Severos,  Faustões não passarão", por Eduardo Guimarães, no Blog da Cidadania

"(...)

E só para que não restem dúvidas de que Marieta sabe do que está falando, aí vão alguns dados sobre quanto o país melhorou nos últimos anos, apesar das dificuldades momentâneas

Produto Interno Bruto:

2002 – R$ 1,48 trilhões

2013 – R$ 4,84 trilhões

PIB per capita:

2002 – R$ 7,6 mil

2013 – R$ 24,1 mil

Leia mais »

Média: 4.6 (10 votos)

Balança tem superávit mensal de US$ 4,527 bilhões

Jornal GGN - A balança comercial brasileira encerrou o primeiro semestre de 2015 com um superávit acumulado de US$ 2,222 bilhões, revertendo o saldo negativo alcançado em igual período de 2014, de -US$ 2,512 bilhões. Os dados foram divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O resultado é o melhor para o período desde 2012, a última vez que o indicador tinha registrado superávit nos seis primeiros meses do ano.

A corrente de comércio alcançou cifra de US$ 186,436 bilhões, representando queda de 16,6% sobre o mesmo período anterior, quando totalizou US$ 223,574 bilhões, pela média. No acumulado janeiro-junho de 2015, as exportações apresentaram valor de US$ 94,329 bilhões. Sobre igual período de 2014, pela média diária, as exportações registraram retração de 14,7%. Já as importações somaram US$ 92,107 bilhões, com queda de 18,5% sobre o mesmo período anterior, pela média diária.

Em relação às exportações, todas as categorias de produtos acumulam queda no ano. A venda de produtos básicos caiu 21,6% no primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2014, impactadas principalmente pela queda no preço internacional das commodities (bens agrícolas e minerais com cotação internacional).

As exportações de manufaturados caíram 8% de janeiro a junho, com destaque para óleos combustíveis (-63,4%) e motores e geradores (-25,8%). As vendas de semimanufaturados recuaram 3,9%, puxadas por couros e peles (-15%), açúcar em bruto (-13,9%) e óleo de soja em bruto (-12,4%).

Leia mais »

Média: 5 (5 votos)

Clipping do dia

As matérias para serem lidas e comentadas.

Média: 1 (2 votos)

Fora de Pauta

O espaço para os temas livres e variados.

Média: 3.4 (5 votos)

Multimídia do dia

As imagens e os vídeos selecionados.

Média: 2.3 (3 votos)

Barbosa diz que apoia governo federal na rejeição à maioridade penal

Jornal GGN - O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa usou as redes sociais para se manifestar mais uma vez em relação a um tema polêmico discutido pelo Congresso essa semana. Ex-presidente do STF, Barbosa disparou contra a redução da maioridade penal, rejeitada pela Câmara nesta quarta-feira (30). Com patrocínio de Eduardo Cunha (PMDB), porém, a ideia de imputar criminalmente jovens a partir dos 16 anos já deve retornar à pauta. 

"Eu apoio integralmente a posição do governo federal, contrária à redução da maioridade penal. Estão brincando com fogo!", disse Barbosa. "Quem conhece as prisões brasileiras (e os estabelecimentos de 'ressocialização' de menores) não apoia essa insensatez", acrescentou o ex-ministro.

Leia mais »

Média: 3.9 (7 votos)

Cunha conclui manobra e retoma redução da maioridade penal

 
Jornal GGN - O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), concluiu a manobra para colocar em votação, mais uma vez, a proposta de redução da maioridade penal. Mais cedo, o Jornal GGN anunciou as articulações de Cunha para validar a tentativa. Retomando as chances de aprovação, será analisado um novo texto que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos, para o cometimento de crimes graves.
 
O projeto é resultado de uma emenda aglutinativa, que reúne trechos de mais de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), apensadas ao texto que está na pauta do plenário. 
 
Também está em vistas de conclusão a manobra de Cunha de alterar regulamentações internas, para permitir a contabilização do seu voto e, assim, aumentar o quórum. "Eu era favorável à redução plena. Eu estou com raiva que eu não posso votar. Eu pretendo que se reinterprete o regimento para que eu possa votar", declarou o presidente da Casa.
 
A ação ocorre depois de o plenário da Câmara derrubar, em votação histórica na madrugada desta terça-feira a PEC 171. O resultado teve como balanço 303 votos a favor, 184 contra e 3 abstenções. Para ser aprovado, a proposta precisava de, no mínimo, 308.
 
"Cunha e seus discípulos esnobam do resultado democrático da votação de ontem, que rejeitou a redução da maioridade penal, e preparam para hoje mais uma de suas manobras para votar novamente uma proposta quase idêntica, dando um golpe em nossa Constituição, e impor a sua vontade autoritária", afirmou o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), em sua página do Facebook.
 
 

GOLPE À VISTA:Cunha e seus discípulos esnobam do resultado democrático da votação de ontem, que rejeitou a redução da...

Posted by Jean Wyllys on Quarta, 1 de julho de 2015

Média: 4.2 (10 votos)

Maioria que votou pela redução da maioridade aprovou também a terceirização

Do Justificando

Grande parte dos parlamentares também foram à favor do dinheiro de empresas para financiar campanhas

Dos 303 parlamentares que foram favoráveis à redução da maioridade penal, 80% (242) também votaram a favor da terceirização ampla no dia 8 de abril, quando foi aprovado o Projeto de Lei (PL) 4.330, agora no Senado, sob o número 30. As duas pautas têm também em comum o apoio ostensivo do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Uma coloca em risco o futuro dos empregos, ao permitir que todos os setores de um empresa, inclusive sua atividade-fim, tenham funcionário diretos substituídos por terceirizados – que têm jornada maior, rendimento menor e estão mais expostos à insegurança. Já o Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171, segundo amplos setores atuantes em assuntos de juventude, educação, segurança pública e direito humanos, expõe os jovens em conflito com a lei ao colapso do sistema carcerário brasileiro.

Já no cruzamento da votação de ontem (30) com a da que aprovou a legalização  do financiamento de empresas a partidos em  campanhas eleitorais, em dia 27 de maio. Entre os 303 deputados que apertaram o “sim” nesta terça-feira estavam 249 (82%) que aprovaram a PEC 182/07, apelidada de PEC da Corrupção por movimentos sociais que a consideram uma contrarreforma política.

Para a aprovação do dinheiro empresarial nas campanhas eleitorais, o presidente lançou mão de um expediente que está sendo contestado por parlamentares de diversos partidos no Supremo Tribunal Federal. Esse bloco denuncia que o presidente da Câmara havia firmado acordo de levar a questão do financiamento privado apenas uma vez à votação. A proposta acabou derrotada e Cunha, dois dias depois, encaminhou nova votação da matéria, prevendo apenas doações privadas a partidos.

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

Armandinho e a igualdade social

Leia mais »

Média: 5 (8 votos)

Líderes do PT e do PMDB na Câmara divergem sobre pesquisa CNI-Ibope

Da Agência Câmara

O líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE), disse hoje (1º) que não se preocupa com o resultado da pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), segundo a qual o percentual de pessoas que consideram o governo ótimo ou bom caiu de 12% para 9%.

Segundo ele, pesquisa é um dado de momento, e acha que "juntando tudo" – não especificou o que é o tudo – "a gente tem aprovação de 20 a 25%, [índice] que poucos governadores têm. Não estou preocupado com isto. Estou preocupado em construir aqui uma agenda diferente desta do pessimismo, do ‘quanto pior melhor’”, disse ele, lembrando que 21% dos entrevistados avaliaram o governo como regular.

O petista afirmou que já há sinais de uma retomada do processo de crescimento do país, e destacou a declaração do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que rebateu uma jornalista brasileira, afirmando que o governo norte-americano vê o Brasil como uma potência global e não como liderança regional.

Temos que entender, segundo ele, que há uma articulação e o pessimismo contamina o ambiente politico. Mas "estou muito seguro que a afirmação de Obama é o sentimento generalizado em todas as economias. As pessoas dizem que não tem quem invista no Brasil, mas somos o terceiro ou quarto em aporte de investimentos internos e externos”, avaliou.

Leia mais »

Média: 2.5 (4 votos)

As possibilidades de um acordo entre Grécia e credores

 

Enviado por Antonio Ateu

Do Economia ao Minuto

 
O economista Francisco Louçã analisou os possíveis cenários de um acordo entre Grécia e credores.
 
No comentário semanal da SIC Notícias, Francisco Louçã avaliou a situação da Grécia e explicou as possibilidades da chegada a um acordo com os credores e a forma como este, ou a falta dele, pode mudar o rumo do país e da Europa.

Leia mais »

Média: 3 (2 votos)

Eurogrupo discute nova proposta grega

Enviado por Antonio Ateu

Do Esquerda Diário Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Média: 1 (1 voto)

Debate: a juventude e a renovação dos partidos

Enviado por Antonio Ateu

Partidos sem renovação: número de filiados entre 16 e 24 anos caiu 56% nas cinco maiores siglas

De O Globo

PT sofreu a maior variação negativa, mas ainda é o que tem mais jovens

Por Marlen Couto / Cristida Tardáguila

RIO - Dos governistas à oposição, os principais partidos políticos brasileiros estão envelhecendo. Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) obtidos pelo GLOBO revelam que, nos últimos sete anos, incluindo 2015, o número de filiados entre 16 e 24 anos despencou 56% nas cinco maiores legendas: PMDB, PT, PP, PSDB e PDT. Os jovens nessa faixa etária somam hoje 132.292 filiados. Em 2009, eram pouco mais de 300 mil.

Leia mais »

Média: 3.7 (3 votos)