Revista GGN

Assine

As técnicas de tortura praticadas durante a ditadura no Brasil

Sugerido por Almeida

Dicionário ilustrado da tortura no Brasil

Publicado no site do PCB - Partido Comunista Brasileiro

Fotos por João Paulo Charleaux

Ilustração por Bruno Maron

​Na mesma semana em que o Senado dos EUA publicou detalhes das torturas praticas pela CIA contra prisioneiros da chamada "Guerra ao Terror", a CNV (Comissão Nacional da Verdade), aqui do Brasil, entregou à Presidência da República, depois de dois anos e meio de trabalho, seu relatório final – um catatau de três tomos que resume o que foi nossa ditadura militar.

Um dos capítulos mais chocantes é o que trata de tortura. A CNV conta que instrutores estrangeiros ensinaram métodos de tortura a militares brasileiros aqui mesmo, em solo nacional. Agentes franceses teriam desembarcado no Brasil para ensinar algumas técnicas brutais aprendidas e testadas na guerra de descolonização da Argélia, nos anos 50.

Mais tarde, oficiais brasileiros frequentaram aulas de tortura na Escola das Américas, criada pelo Departamento de Defesa do governo dos EUA. O local foi um centro de irradiação destas práticas para toda a América Latina, durante a Guerra Fria, nos anos 60.

Entre 1964 e 1985, 434 pessoas foram mortas e desaparecidas pelo governo militar brasileiro, e mais de 6 mil foram torturadas. Além de torturar seus cidadãos, o Brasil também exportou técnicas de tortura para ditaduras vizinhas.

O Estádio Nacional, uma espécie de Estádio do Maracanã do Chile, foi convertido em 1973, pela ditadura do general chileno Augusto Pinochet, num gigantesco centro de tortura coletiva. Lá, diversas vítimas relataram ter visto e ouvido especialistas brasileiros ensinando técnicas de tortura a militares chilenos. As máquinas usadas no Estádio Nacional também continham manuais de instrução em português, de acordo com dissidentes torturados no local.

Todas as técnicas abaixo foram relatadas por torturados e torturadores à CNV. Como muita gente ainda parece não ter entendido o quanto essa prática é abominável, resolvemos convidar o desenhista Bruno Maron pra tornar mais óbvio o horror da coisa toda. 

Média: 5 (3 votos)
15 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de altamiro souza
altamiro souza

nem o holocausto nem essas

nem o holocausto nem essas torturas- algumas desenhadas -

podem prescrever.

Seu voto: Nenhum

Deve ser as mesmas ainda em

Deve ser as mesmas ainda em uso em Cuba...

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

leonidas

imagem de rosenvald flavio barbosa
rosenvald flavio barbosa

COMO PODE?????

ggn................ como pode um animal como este Leonidas comentar aqui??

este cara é um mal-caráter.

Seu voto: Nenhum

Mau carater no meu

Mau carater no meu entendimento e a relativisar as coisas a ponto de se condenar a ditadura militar no Brasil e suas obvias torturas ( que ocorrem ainda hoje em repartiçoes publicas civis , policias ) e se fazer de mudo, cego e surdo com a existencia disso em Cuba ( com o agravante que lá isso nao é passado ) 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

leonidas

imagem de Yacov
Yacov

Porque é que esses monstros

Porque é que esses monstros estão soltos até hoje ?! A humanidade realmente, não vale nada... "Quanto mais conheço os homens, mais admiro os cães".

 

"O BRASIL PARA TODOS não pasa na REDE GLOBO DE SONEGAÇÂO & GOLPES - O que passa na REDE GLOBO DE SONEGAÇÂO & GOLPES é um braZil-Zil-Zil para TOLOS"

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de O Mar da Silva
O Mar da Silva

E ainda tem gente de farda e

E ainda tem gente de farda e sem farda que desejaria mais um julgamento para as vítimas desses crimes contra a humanidade.

Na Argentina, no Chile os torturadores foram julgados pelos crimes. Aqui, querem culpar as vítimas.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Free Walker
Free Walker

Técnicas desenvolvidas

Técnicas desenvolvidas durante a DITADURA do Estado Novo de Getúlio Vargas. 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Técnicas desenvolvidas...

durante a inquisição espanhola, durante o império medo-persa, durante a dinastia ming, durante o período dos faraós do egito, durante... so what?

A questão é: quando o avanço da civilização vai nos fazer sentir abominação por essas "técnicas de obtenção de informações"?

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Free Walker
Free Walker

Exato! As técnicas da tortura

Exato!

As técnicas da tortura é uma abominação humana, não existe maneira de defende-la*, por isso me espanta certas pessoas que fazem vistas grossas a torturas em regimes que lhes são simpáticos. Muitas pessoas lembram de Carlos Marighella por ter sido "assassinado" pelo Regime Militar, mas poucos lembram que Carlos Marighella, capturado, foi sevissiosamente torturado ao extrema pelo regime ditatorial de Getúlio Vargas.

* Um radical confesso que plantou uma bomba em lugar desconhecido com poder para matar milhares de pessoas, ou um pedófilo psicopata com crianças no cativeiro, mereceriam estar sob tortura para revelarem os segredos? Não sei.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Este é o raciocinio néscio dos militares

Diziam que era uma guerra, e numa guerra vale tudo. Se uma guerra, havia uma assimetria. A tortura não foi empregada apenas contra guerrilheiros. Torturaram todos aqueles que podiam ter alguma informação que ajudasse capturar guerrilheiros. Simpatizantes, gente do povo, como no Araguaia, sem nenhum vínculo com a guerrilha. Pior dos mundos, torturaram até crianças para que seus pais dessem informação. Isto é crime grave, contra a humanidade, Nada justifica e quem praticou tem que pagar.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

A ideia de associar tortura a

A ideia de associar tortura a militares é ridicula.

No governo civil anterior a ditadura e posterior a ele tambem, a tortura corre solta nas repartiçoes do estado ( incluindo ai os presidios )

Entao por gentileza vamos deixar a demagogia de lado e se ater apenas aos fatos...

Seu voto: Nenhum (1 voto)

leonidas

Fatos?

Fato 1) Contra os militares brasileiros torturadores existem provas abundantes de que praticaram torturas de forma sistemática e hedionda, até contra crianças.

Fato 2) Uma anistia não elimina estes crimes.

Fato 3) Em outra resposta vc diz que há tortura em Cuba. Verdade. Na base americana de Guantanamo, relatada por várias organizações de direitos humanos que ouviram e recolheram provas com detentos.

Fato 4) Demagogia é vc que aqui pratica, por amor aos militares e à direita mais hedionda. Náo há nexo no que vc escreve, apenas rancor e parcos e parvos pensamentos.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Vc elenca fatos redundantes

Vc elenca fatos redundantes pois no meu texto eu nao neguei que havia tortura no regime militar.

Ignora ( por nao ter o que dizer no sentido contrario ) minha afirmaçao que a tortura acontecia antes e depois do regime militar ( um fato nao uma opinião rs )

Mas voce por má fé resolve fingir que nao viu e nem leu...rs

Depois para mostrar que sua linha de visão é completamente ideologica e desprovida de qualquer resquicio de sanidade cita tortura em Cuba creditando a mesma somente a base norte americana.

E ainda acha que postou algo minimamente aproveitavel?

Putz... 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

leonidas

imagem de Luís Henrique Donadio
Luís Henrique Donadio

O seu raciocínio é um bocado

O seu raciocínio é um bocado torto.

Houve tortura no Brasil, durante a ditadura militar, contra presos políticos. Também houve tortura no Brasil, durante a ditadura Vargas, e durante o período colonial, contra presos políticos.

Houve tortura no Brasila, durante o perído colonial, durante o Império, durante a Primeira República, durante o Governo Provisório, durante o Governo constitucional de 1934-1937, durante o Estado Novo, durante a Segunda República, durante a ditadura militar, e durante a Terceira República, contra presos comuns.

Há tortura contra presos comuns atualmente no Brasil.

Houve e há tortura contra presos políticos e comuns em praticamente todos os países do mundo, do Afeganistão ao Zimbábue. Inclusive nos Estados Unidos, onde se inventam neologismos os mais disparatados para tentar nos convencer que tortura não é tortura se lhe dermos outro nome.

E, quase com toda a certeza, há tortura também em Cuba, como houve na União Soviética e em seus satélites.

Agora, o que você parece querer dizer é o seguinte: que quem não denuncia as torturas em Cuba não tem direito a falar sobre as torturas que existiram no Brasil durante a ditadura militar.

Você, portanto, não nega que houve tortura no Brasil durante a ditadura militar. Apenas relativiza esse fato, e tenta calar quem o denuncia sem ao mesmo tempo denunciar o que ocorre em Cuba.

E isso é uma completa estupidez.

A tortura em Cuba não absolve a tortura no Brasil, e nem vice-versa.

Mas o conhecimento que temos de cada uma das coisas pode ser muito diferente, e não há denúncia válida sem conhecimento.

Mário Alves foi empalado até a morte nos porões da ditadura brasileira. É fato sobejamente conhecido, e pode sim ser mencionado sem que tenhamos que fazer uma pesquisa sobre o que acontece com prisioneiros políticos no Afeganistão, no Zimbábue, em Cuba ou nos EUA para nos credenciar a denunciar o assassinato sob tortura de Mário Alves por militares brasileiros.

Até por que se fôssemos ficar esperando por supostos humanistas internacionalistas como você fazerem suas pesquisas sobre a tortura no Azerbaijão para resolver o nosso problema local de tortura, iríamos morrer com a boca cheia de dentes, sem nunca ver a tortura ser denunciada, nem no Azerbaijão nem no Brasil.

Seu voto: Nenhum
imagem de Luís Henrique Donadio
Luís Henrique Donadio

Uma coisa é que a ditadura

Uma coisa é que a ditadura Vargas terminou há mais tempo do que a ditadura militar. E o esquecimento é função, entre outras coisas, também do tempo.

Mas eu não esqueço que o Vargas entregou Olga Benário (comunista, e judia) à Alemanha nazista.

Não esqueço disso, e nem esqueço de lembrar os que esquecem.

Já você parece disposto a usar o fato de que o regime Vargas torturou (e matou, e reprimiu, e prendeu sem culpa formada, etc) para justificar o fato de que a ditadura militar torturou, matou, reprimiu, prendeu sem culpa formada, etc.

***************************************

Quando eu participava da resistência contra o regime militar, as instruções sobre tortura eram simples: segure-se 24 horas. Neste prazo, a organização saberia do seu sumiço, e tomaria as providências necessárias para todos e tudo que corressem risco por causa da sua prisão fossem protegidos.

Então é isso que um "radical confesso" que plantou uma bomba em lugar desconhecido faria. Esperaria a bomba explodir. Não deveria levar mais de 24 horas.

Seu voto: Nenhum
imagem de Luís Henrique Donadio
Luís Henrique Donadio

Não sei se foram

Não sei se foram "desenvolvidas" pelo Estado Novo; provavelmente são muito mais antigas.

Foram, com certeza, amplamente utilizadas pelo Estado Novo. Acho que ninguém nunca disse ou insinuou o contrário. O que se pretende com essa afirmação que ninguém nega? Justificar o seu uso pela ditadura militar? Justificar o seu uso continuado contra presos comuns (não é à toa que volta e meia inocentes confessam crimes, como no caso dos quatro funcionários de um parque de diversões em Curitiba, ou dos acusados de um assassinato high profile em Brasília, no qual aliás a polícia se deu ao trabalho de plantar uma chave na residência de pessoas que sabia serem inocentes).

Se é isso, rejubile-se! Estão todos soltos, como diria a nossa presidente.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.