Revista GGN

Assine

Barroso ao jornal O Globo: Um juiz digno do nome não joga para a plateia

Jornal GGN - O ministro do STF, Luís Roberto Barroso, concedeu entrevista ao jornal O Globo. Ao jornal, Barroso falou uma verdade que foi interpretada pelo jornal da forma como bem entendeu. Disse ele que 'a concessão de benefícios aos condenados reforçou a sensação de impunidade', mas que, no entanto, 'é preciso cumprir a lei'. O que o ministro disse, e foi interpretada à sua maneira pelo jornal, é que um ministro, ou qualquer outro juiz, não tem que gostar da lei, tem que fazer com que seja cumprida. Com várias perguntas do tipo pegadinhas, o ministro Barroso se sai muito bem, conseguindo dar algum recado ao público leitor. Leia a matéria a seguir.

de O Globo

Barroso, sobre Mensalão: ‘Juízes não são vingadores mascarados’

Ministro é o atual relator do processo no STF

Por André de Souza

BRASÍLIA - Um ano após as prisões dos mensaleiros, o ministro Luís Roberto Barroso, atual relator do processo no STF, avalia que o julgamento foi um marco contra a impunidade, mas admite que a concessão de benefícios aos condenados reforçou a sensação de impunidade. Destaca, porém, que é preciso cumprir a lei.

O julgamento do mensalão foi visto como um marco contra a impunidade. Um ano depois das prisões, é possível ratificar esse entendimento?

Sem dúvida. O sistema punitivo brasileiro reforça as desigualdades de classe que marcam a formação nacional desde sempre. O Direito Penal é duro com os pobres e manso com os ricos. É muito mais fácil punir um jovem preso com cem gramas de maconha do que um agente público ou um empresário que comete uma fraude de um milhão. Nesse sentido, é fora de dúvida que o julgamento da ação penal foi um marco contra a impunidade.

Um ano depois, pode-se dizer que o julgamento do mensalão mudou a forma como o Supremo Tribunal Federal (STF) lida com ações penais e com casos de corrupção?

Penso que sim. A verdade é que a sociedade em geral passou a ser menos tolerante com certas condutas dos agentes públicos e de empresários. E o STF tem uma tendência natural de se alinhar com o sentimento social. De modo que eu espero que se tenha, sim, iniciado uma fase de maior rigor com comportamentos que envolvam malversação de dinheiro público, corrupção e improbidade. Em favor do STF, é possível afirmar que poucos países do mundo foram capazes de condenar e prender o presidente do partido político que se encontrava no poder e seu ministro mais influente. Uma demonstração notável de integridade e independência.

Há a impressão de que a prisão domiciliar para parte dos condenados veio cedo, com menos de um ano de pena. Mesmo seguindo todos os trâmites legais, isso pode reforçar a sensação de impunidade?

Eu, geralmente, só aceito dar entrevista quando acho que há alguma questão relevante a ser trazida ao debate público. E essa questão está refletida na sua pergunta. O país tem um sistema punitivo definido pela legislação. Essa legislação é mais branda do que a de muitos países do mundo. Há dois pontos relevantes aqui. De acordo com a lei, a execução das penas se dá em três regimes: fechado, que é cumprido em penitenciárias; semiaberto, em colônias agrícolas ou industriais; e aberto, que deve ser cumprido em casa de albergado. Depois de cumprir um sexto da pena, o condenado tem o direito de progredir de um regime para o outro. O que tem acontecido entre nós? Quando o preso progride para o regime aberto, ele deve passar para uma casa de albergado. Como praticamente não existem estes estabelecimentos, a jurisprudência antiga e pacífica é que eles devem, então, passar para a prisão domiciliar.

Mas isso não reforça a sensação de impunidade?

Sem dúvida. Por essa razão, eu estou compartilhando essas informações, para que a sociedade brasileira entenda como funciona o sistema, discuta a respeito e decida se quer modificá-lo. Não há decisões politicamente fáceis nem moralmente baratas aqui. O sistema acelera a progressão de regime, dentre outras razões, porque não há vagas nele. Há um déficit de cerca de 250 mil vagas no sistema penitenciário. Para ter um sistema penal que satisfaça as demandas razoáveis da sociedade, é preciso investir recursos na construção dos estabelecimentos próprios, inclusive aumentando o número de vagas. O problema é que o dinheiro que vai para o sistema penitenciário deixa de ir para educação, saúde, saneamento, rodovias, previdência etc. Ou seja: toda sociedade acaba tendo de fazer escolhas, escolhas que por vezes são trágicas.

E como o senhor se sente diante desse sistema?

Eu cumpro a lei. A lei é que materializa essas escolhas da sociedade. Em uma democracia, não existe, de um lado, a sociedade civil, e de outro, o Estado. O Estado é o que a sociedade e os seus agentes eleitos constroem. A única coisa que um juiz não pode fazer é tratar de maneira discriminatória o condenado que a sociedade odeia. Juízes não são vingadores mascarados. Fazer justiça é aplicar a lei com imparcialidade, sem paixões, sem ódios ou espírito de vingança. É justamente quando esses sentimentos afloram na sociedade que você precisa de um juiz corajoso para fazer o que é certo. Eu tenho deveres para com a Constituição, o bem e a Justiça. O sentimento da sociedade não me é indiferente, e eu o levo em conta. Mas sirvo à Justiça, e não à opinião pública. Um juiz digno desse nome não joga para a plateia.

As penas impostas aos políticos foram, em geral, mais baixas que as impostas aos empresários e executivos. Tanto que alguns políticos já conseguiram fazer progressão de regime, e os empresários e executivos, não. Houve alguma desproporção na punição?

Isso se deveu à própria dinâmica dos fatos e ao número de delitos cometidos por cada um dos réus. Os políticos mais conhecidos foram condenados por corrupção ativa, que à época era punido com penas de um a oito anos. Alguns foram condenados por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Basicamente, uns compraram e outros venderam votos. Já quanto aos empresários, diversos deles foram condenados por uma cumulação de crimes, que incluíram peculato, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta de instituições financeiras e evasão de divisas.

Com a discussão em torno da punição de poderosos e sua ida para a prisão, foi possível observar alguma melhora na discussão da condições do sistema carcerário brasileiro?

Se há uma unanimidade no país, é que o sistema penitenciário se encontra degradado. Eu, antes de ir para o STF, propunha, como advogado, ações para discutir questões de interesse público, como uniões homoafetivas, proibição de nepotismo e direito das mulheres interromperem a gestação em certos casos. Pois bem: no momento em que a presidenta (Dilma Rousseff) indicou o meu nome, eu estava começando a estudar a propositura de ações para a reestruturação do sistema penitenciário. Como os condenados e presos em geral fazem parte de uma minoria invisível, a política majoritária não se interessa por eles. Por isso, terá de ser o Judiciário a indicar esse caminho. Acho que a AP 470 (mensalão) deu visibilidade maior a essa questão. Não houve melhora ainda. Mas já há a percepção de que esse é um tema que tem que entrar na agenda do país.

Qual a sua avaliação final de tudo o que aconteceu?

Uma coisa me chamou particular atenção neste caso. Nenhum dos condenados, em momento algum, revelou arrependimento, culpa sincera ou achou que devia desculpas ao país. A impressão que eu tenho é que todos, estranhamente, se sentem vítimas do sistema político. “Era assim antes de nós, nós jogamos o jogo como era jogado e depois de nós continuou a ser a mesma coisa”. E o que é aterrador é que talvez tenham uma certa razão. Se não mudarmos o sistema político, sobretudo para baratear o processo eleitoral, o financiamento de campanhas continuará por trás de todos os escândalos do país. Não sairemos do pântano. A centralidade do dinheiro nos roubou o idealismo e o senso de patriotismo.

Média: 5 (14 votos)
33 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

Que diferença de nível entre

Que diferença de nível entre as entrevistas do Barroso e as dos outros ministros como Marco Aurélio Mello ou Gilmar, o incorrigível.

Seu voto: Nenhum

Nossa, o texto é tão bom e

Nossa, o texto é tão bom e tem tanta coisa que nem sei por onde começar.  Bem, vou por aqui: “Uma coisa me chamou particular atenção neste caso. Nenhum dos condenados, em momento algum, revelou arrependimento, culpa sincera ou achou que devia desculpas ao país. A impressão que eu tenho é que todos, estranhamente, se sentem vítimas do sistema político.”

Boa, ministro Barroso! Pois foi bem isso mesmo que tb me chamou particular atenção nesse caso. Nenhum dos ministros do STF, em momento algum, revelou arrependimento, culpa sincera ou achou que devia desculpas ao país por ter tomado parte numa farsa que atirou o país na treva. Talvez, os ministros tb sintam-se vítimas do sistema político mas, por alguma razão, entenderam adequado pinçar parlamentares de um único partido para tentar criminalizá-lo, sem, no entanto atingir os outros. Em nenhum momento houve por parte da Corte a intenção de estender as punições a qq outro partido. Ao transformar crime eleitoral prescrito em outros crimes o MPF ( com uma denúncia fajuta forjada nas oficinas do Cachoeira), jogou a batata quente para o STF que já estava esperando para aceitá-la no estado. O PGR poderia ter escrito qq coisa que o STF aceitaria a denúncia. Todos os ministros já estavam prontos para condenar e criminalizar o PT, independentemente de fundamentos. Os discursos que antecederam a maioria dos votos deixou isso muito claro. Aliás, o próprio PGR disse que não havia conseguido provas do que denunciava; isso não era importante; o principal era aceitar como verdade a “compra de votos” e o “dinheiro público” para que os réus ficassem presos ao STF sem direito a recursos. Pois é esse julgamento que é tratado como um marco contra a impunidade.... Com todo respeito, Ministro Barroso, esse julgamento é um marco pró-impunidade. Ele é revelador do descontrole e da impunidade dos membros do sistema judiciário. Sob a falsa alegação de condenar poderosos, o STF submeteu-se a triagem criminosa do MPF para empreender uma perseguição política vergonhosa. Foi nesse julgamento, o “marco contra a impunidade” que pessoas foram condenadas sem provas, réus foram ofendidos por magistrados, advogado expulso de plenário, militantes foram acusados de lavagem de dinheiro, juiz da VEP substituído por juiz parceiro,condenados presos sem carta de sentença e presos em outros estados, ocultação de documentos por magistrados, fatiamentos obrigando coerência ( seja lá o que isso signifique ); fatiamento de execução, prisão antes do trânsito em julgado, todos os recursos entendidos como meramente protelatórios ( em última e única instância ), manipulação de penas para evitar prescrição, manipulação de pauta para interferir no processo eleitoral.... Ah, ta bom né? Ministro Barroso, esse julgamento é um marco sim, contra o Direito, contra a Justiça, contra a democracia...

O que mais espanta é que o cumprimento da lei, tratado como concessão de benefícios ainda reforça a sensação de impunidade... Ou seja, ainda não está bom. A mais Alta Corte de Justiça do País conseguiu que parte do país ficasse sedenta de sangue. Mais um pouco e o STF conseguiria pena de morte para os condenados da AP 470 ( a verdade é que faltou bem pouco mesmo ).

Não é verdade que a tolerância da sociedade com corruptos, tanto políticos qto empresários tenha diminuído; tanto assim que o líder da oposição e segundo candidato mais votado para a presidência da república, está envolvido num episódio nebuloso que conta com meia tonelada de pasta base de cocaína, dois aeroportos “ clandestinos”, um laboratório para refino de drogas fechado pela PF, na cidade onde fica um dos aeroportos; um incêndio na prefeitura, um juiz que vendia sentença para traficantes de drogas... Ora, um país que conseguiu a proeza de associar D. Geiza a Casa Civil da Presidência da República, deveria ser capaz de ligar um avião, dois aeroportos, meia tonelada de cocaína, um laboratório para refino e um juiz parente que vende sentenças, né? Então... O que o STF conseguiu com o Mensalão foi o que rezava o contrato, criminalizar o PT e seus dirigentes principais, salvaguardando o caixa2 para os demais partidos. Por isso o desespero de inventar peculato, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva, etc... Imagina como o PSDB faria campanha se o MPF e o STF não tivessem inventado que o caixa 2 do PT era esse monte de outros crimes? Se bem que sempre tem um jeito, né? No caso deles, tráfico de drogas virou improbidade administrativa.

 

“Em favor do STF, é possível afirmar que poucos países do mundo foram capazes de condenar e prender o presidente do partido político que se encontrava no poder e seu ministro mais influente. Uma demonstração notável de integridade e independência.”  Aqui sou obrigada a concordar, em parte, acredito mesmo que em NENHUM país do mundo, a mais Alta Corte de Justiça, fosse ajoelhar-se ao consórcio midiático condenando qq pessoa sem provas, apenas para tentar emparedar o Executivo e enfraquecer o partido de preferência popular. O Nome disso é golpe e não vejo nada íntegro nem de independente nisso. Somos independentes do Executivo e do Legislativo mas devemos obediência aos grupos de comunicação ou aos seus comandos nacionais ou não. O STF passou dois anos criminalizando a política e os políticos para acobertar a própria impunidade.

O blog inteiro sabe que o Sr. e o Ministro Teori chegaram depois e fizeram o que podiam para ajeitar as coisas mas, qdo a AP 470 chegou ao STF, o Brasil inteiro já sabia que quem estava no comando do MPF era o grupo do Cachoeira e o STF, lavou as mãos achando que poderia vender as condenações como um ato de justiça contra poderosos. A Justiça não condena só pobres, condenamos tbo Genoíno , o Dirceu, o JPC e o Delúbio... Isso é piada! Primeiro a mídia tranforma JD em um mafioso todo poderoso e depois o STF condena o poderoso. Fala sério.... Só um néscio de pai e mãe vai acreditar que a condenação dos mensaleiros é a prova de que a Justiça brasileira condena poderosos. É bem simples, fossem tão poderosos, não teriam sido condenados por essa Corte. Os poderosos da AP 470, foram muito bem escondidos pelos ministros.

Estamos tratando de um FARSA e se o STF está contando com uma farsa para servir de marco na luta contra a impunidade; o judiciário está pior do que eu imaginava. Uma farsa montada contra o Estado de Direito; não há nada que qq ministro possa dizer ou fazer para amenizar isso. Entendo que a pressão deva ser enorme mas se era para passar como um julgamento normal, deveriam ter sido mais convincentes e não permitirem que o público acompanhasse. A cumplicidade da OAB e do meio acadêmico não ajudou em nada;só evidenciou o que já se sabia desde o recebimento da denúncia. Tentativa de golpe paraguaio... Um vexame!

Eu não sei pq razão os ministros do STF ainda falam desse julgamento. Deveriam deixar isso a cargo de JB, GM, Ayres Britto, Pelluso e Gurgel... Ficam dando entrevistas aos grupos de comunicação que daqui a 30 anos, vão pegar essas declarações para tirarem o corpo fora e jogar o nome dos ministros na lata de lixo da História. Do mesmo jeito que do golpe de 64 só se fala em militares e nada dos grupos de comunicação; o golpe do Mensalão vai ser lembrado pelo nome dos togados e o Globo de 2070 vai tacar lá, declaração do Ministro Barroso... O julgamento da AP 470 foi um marco contra a impunidade... eles fazem um editorial, pedem desculpas e os netos dos ministros é que vão pagar o mico nos colégios. José Dirceu, José Genoíno, JPC, Delúbio... esses, se já tinham lugar garantido na História, com esse julgamento entram fazendo festa. Os grupos de comunicação são golpistas no mundo inteiro... Resta saber como querem entrar os togados. Ninguém normal pode querer ter o nome vinculado a essa AP.

““Era assim antes de nós, nós jogamos o jogo como era jogado e depois de nós continuou a ser a mesma coisa”. E o que é aterrador é que talvez tenham uma certa razão. Se não mudarmos o sistema político, sobretudo para baratear o processo eleitoral, o financiamento de campanhas continuará por trás de todos os escândalos do país. Não sairemos do pântano. A centralidade do dinheiro nos roubou o idealismo e o senso de patriotismo.

Eles tem razão; é assim mesmo e vai continuar sendo. Todo mundo sabe disso e o mesmo STF que condenou os petistas está sentado no financiamento de campanhas para que tudo continue como está. Mas isso não impede que cada vez que cada um de nós abra a boca alguém grite mensaleiros denunciados pelo MPF e condenados pelo STF... Claro, seremos só nós; nós sabemos disso e o MPF e o STF Tb; passamos a campanha inteira aturando isso... e o helipóptero, Trensalão, morte da modelo, morte de Eduardo campos, Furnas, caixa 2 de todo mundo, grampo sem áudio... Vida de ministro do STF não deve fácil, pelo menos eu nunca tinha visto juiz acusando réu... coitados, estão acumulando as funções de magistrado e promotor... Ainda bem que não dão direito de defesa aos réus senão o trabalho ia ser triplicado. Vida boa tem o pessoal do MPF, qq denúncia bugada passa....

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de AlvaroTadeu
AlvaroTadeu

Uma única mulher lúcida e os juízes dementes.

Crstiana Castro, uma pena, só pude dar 5 estrelas ao seu comentário. Na verdade, merece dez estrelas e um sol brilhante. Obrigado, seu comentário me lavou a alma.

Seu voto: Nenhum
imagem de Anna Paula Dutra
Anna Paula Dutra

Sensacional!

Comentário lapidar e a entrevista é reveladora naquilo tudo que não foi dito explicitamente mas que está em todas as entrelinhas...  Obrigada Cristiana!

Seu voto: Nenhum (1 voto)

excelente exposição

Este texto da Cristiana Castro merece ser enviado ao ministro Barroso. Infelizmente ele não aceitaria a polêmica mas, no fundo, ele dever saber da verdade.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Eu também sou DILMA!

imagem de Marcos Roland
Marcos Roland

Cristiana Castro, associo-me

Cristiana Castro, associo-me aos elogios. Seu texto me lavou a alma. Obrigado.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Cristiana Castro, seu

Cristiana Castro, seu comentário é lúcido e objetivo! Fico imaginando aqui que ele poderia se tornar uma carta aberta ao minstro Barroso e/ou que Luis Nassif poderia elevá-lo à uma postagem! Parabéns!

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Gilson S Raslan
Gilson S Raslan

Cristina Castro, parabéns

Cristina Castro, parabéns pelo belíssimo comentário.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Nice  Almeida
Nice Almeida

O seu comentário foi mais

O seu comentário foi mais verdadeiro e brilhante do que o próprio entrevistado.Disse tudo e mais um pouco, parabéns!

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Palmas e aplausos...

Efusivos e sinceros..

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de jair almansur
jair almansur

Falta de Hmbridade do

Falta de Hmbridade do ministro. Grande comentario o seu.

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Ministro Barroso parece ser

Ministro Barroso parece ser um cara do bem e tá tentando organizar... o problema é que não há nada que possa ser feito para reparar essa situação sem causar o caos no país. Se, por um lado, nós jamais aceitaremos esse julgamento, por outro tem um monte de gente que enxerga mesmo essa aberração como um marco na luta contra a corrupção. Tirando os antipetistas que topam qq coisa ( até intervenção militar ) para apear os trabalhistas do poder, ainda tem milhares de pessoas de boa fé que nem cogitam uma revisão desse julgamento. Os grupos de comunicação fizeram um salseiro medonho com essa AP e, agora, nem que o STF quisesse conseguiria alterar a percepção criada pelo julgamento. Por mais boa vontade que tenham os ministros, sozinhos não só não vão conseguir como vão virar alvo dos Media. O que ele tentou explicar aí, me parece, é que os condenados estão cumprindo pena de acordo com a lei pq nem isso o pessoal tá aceitando.

Seu voto: Nenhum

O direito ao jus sperniands é constitucional...

O que não foi concedido  aos não-portadores de mandatos eletivos no caso do "mensalão" , foi  legalmente autorizado pelos membros do atual STF  ( mensalão tucano )...

O mesmo poderia citar o juiz em questão  ao jus sperniandis da Rede Goebbels, no caso da multa bilionária devido a  sonegação de impostos:  poderiam mandar prender toda a  direção da Globo e mandar a Record filmar, porém, permite,  legalemente,  que o devedor use das prerrogativas constitucionais  e  recorra  até a  última instância....

Simples, porém  muito difícil, assim !!!

Seu voto: Nenhum (2 votos)

 

A desgraça daqueles que não gostam da "arte maldita" da política, é ser governado por aqueles que gostam......

imagem de altamiro souza
altamiro souza

pelo jeito o ministo barroso

pelo jeito o ministo barroso admitiria uma reversão do julgmento do mentirão...

se a grande mídia tb revertesse essa tendencia escabrosa

de criminzaliação do governo trabalhista.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Leonardo Oliveira
Leonardo Oliveira

Realmente, ele disse por a +

Realmente, ele disse por a + b que se tratou de caixa 2 de campanha e que a praga continua mesmo depois do julgamento do mensalão ou seja, a reforma politica tem que vir já.
Eu sempre sustentei que toda essa palhaçada que começou com o pilantra do Roberto Jefferson foi uma tentativa rasteira de retirar o pt do poder não pela via eleitoral mas pelo eixo conservador dos togados e pela via midiática. Apanharam e tentaram o golpe do juizo final da veja e agora eu nao quero que sobre pedra sobre pedra. Eh pau cipo e pea nesses paladinos da etica e da moralidade. O Brasil saira muito melhor do que entrou neste escândalo. Deu pra ver a sede de justiça nos olhos da nossa coração valente quando da indignação no depoimento. Não queria estar na pele doa conspiradores hehehehe

Seu voto: Nenhum

Barroso não pode dizer toda a verdade, fez concessões

 

Barroso não pode dizer toda a verdade, fez concessões(defendeu o julgamento da AP 470) para mandar um recado, ao que tudo indica uma resposta a Barbosa que em recente palestra bancada pelo Itaú criticou a prisão domiciliar para os "réus políticos". Tudo bem, gostei desta explicação de Barroso. Quanto a sua afirmação segundo a qual  "é preciso cumprir a lei", sim, que bom se isso fosse verdade, mas o que se sabe é que, bom que se repita: A lei deve ser cumprida desde que os rigores da lei não se apliquem aos tucanos mas tão somente aos PPPP - Pretos, pobres, putas e petistas. Não mexam com tucanos, pois fazer isso é coisa de "estado policial", com gente da Casa Grande onde coabitam os verdadeiramente poderosos não se pode  mexer,  é esta a nossa cultura, o povão não reclama, a mídia deita falação e a população acredita, o Judiciário mantém seu velho costume de perseguir os inimigos da Casa Grande, pegam uns bagres tidos como "poderosos" tipo Zé Genoino  para bode expiatório e fica por isso mesmo. Golpe que segue....

 

Seu voto: Nenhum (5 votos)

 

...spin

 

 

imagem de josé adailton
josé adailton

A banalidade da culpa

O juiz pôs a última pá cal em toda polêmica a respeito da AP470, no trecho abaixo de sua última resposta da entrevista:

 “Era assim antes de nós, nós jogamos o jogo como era jogado e depois de nós continuou a ser a mesma coisa”. 

Seu voto: Nenhum (7 votos)

É... caixa 2 de campanha...

É... caixa 2 de campanha... era assim, é assim e vai continuar sendo assim.... Já esqueceu que o GM tá sentado em cima do financiamento?

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Vc não entendeu nada. Ele se

Vc não entendeu nada.

Ele se referia ao caixa 2 de campanha, que é o único crime da AP 470 e pelo qual todos deveriam ser julgados. Todo o final da entrevista se refere a isto, desmentindo com uma discrição incrível o mentirão montado pela PGR e pelo Batman.

Seu voto: Nenhum (8 votos)

Viver é afinar um instrumento...

imagem de José Lidio Moura Pinho
José Lidio Moura Pinho

Sérgio, não se dê ao trabalho

Sérgio, não se dê ao trabalho de explicar. O homem que não lê, mal fala, mal ouve Vê. Eu colocaria, com muita humildade, uma coisita mais: não compreende o que lê, não fale babaquices

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Se vc se deparar com o Barbosa por ai avise a Justiça

Ele encontra-se escondido em algum lugar para não ser intimado em processo em que é acusado de ter praticado crime  de danos morais contra um cidadão. Colabore com a Justiça.

http://www.conjur.com.br/2014-nov-14/justica-nao-encontrar-joaquim-barbosa-intima-lo

Seu voto: Nenhum (7 votos)

 

...spin

 

 

"Eu, geralmente, só aceito

"Eu, geralmente, só aceito dar entrevista quando acho que há alguma questão relevante a ser trazida ao debate público "

Clap,clap,calp de pé!

Essa frase deveria ser emoldurada e colocada em posição de destaque numa das parede do STF com as devidas alterações.

"Ministro do STF só deve aceitar dá alguma entrevista quando houver alguma questão relevante a ser trazida ao debate público"

Ouviram, Gilmar, JB e Mello ?

 

Seu voto: Nenhum (13 votos)

Consagre os seus sonhos e projetos ao Senhor, e eles serão bem sucedidos, creia.

gAS

Dois pesos para a mesma medida.

"A impressão que eu tenho é que todos [os prisioneiros da AP 470], estranhamente, se sentem vítimas do sistema político. “Era assim antes de nós, nós jogamos o jogo como era jogado e depois de nós continuou a ser a mesma coisa”. E o que é aterrador é que talvez tenham uma certa razão".

E o que é aterrador é que talvez tenham uma certa razão.

Quando Barrozo mandou o caso de Azeredo para Minas, deu razão a quem pensa assim.

Seu voto: Nenhum (11 votos)

Ouso pensar porque ouso pensar que ouso pensar.

 

Barroso esta rigorosamente

Barroso esta rigorosamente certo. Se quer ser estrela o juiz deve trocar o Judiciário pelo estúdio ou pelo palco e se tornar ator de telenovela ou de teatro. O que se espera do Juiz é que ele cumpra e faça cumprir fielmente a Lei. É para isto que ele tem varias garantias constitucionais e legais. Juiz que joga para a platéia não cumpre sua missão institucional.

Seu voto: Nenhum (7 votos)
imagem de Cesar Saldanha
Cesar Saldanha

Puxão de orelha no Gilmar Dantas

"Se não mudarmos o sistema político, sobretudo para baratear o processo eleitoral, o financiamento de campanhas continuará por trás de todos os escândalos do país. Não sairemos do pântano. A centralidade do dinheiro nos roubou o idealismo e o senso de patriotismo". Esse puxão de orelha foi bem merecida Sr. Gimar Mendes, que senta sobre esta decisão há 8 meses para um pedido de vista ridícula, que vergonha... Devolva logo, Sr. Gilmar e acabe logo com essa palhaçada. 

Seu voto: Nenhum (7 votos)
imagem de MThereza
MThereza

Fico suprresa mesmo ao ver 

Fico suprresa mesmo ao ver  um juiz da mais alta corte, dizer que os condenados na AP 470 se sentem vítimas do sistema político, como se isso não fosse verdade. E mais vítimas ainda do sistema judiciário ou de quem operava no momento. Afinal, praticamente TODOS os casos de corrupção sabidos e comprovados de gestões passadas foram engavetados e não se fala mais nisso. O julgamento da AP 470 foi espetaculoso da denúncia às prisões e trouxe inovações das mais bizarras, de ilações a condenação sem provas, de ocultação de documentos a cerceamento de defesa, de julgamento em única instância mesmo para quem não tinha esse "privilégio" a relatos fantasios de encontros com o Presidente Lula e muitos outros absurdos. Além disso, não ficou provado que houve "mensalão", no sentido que foi amplamente difundido. O PT errou ao usar métodos ilícitos de arrecadação? Sim. Se igualou a todos os outros partidos, que usam e abusam desses métodos sem serem incomodados? Sim. Deveria ser punido pelos erros cometidos? Talvez, dependendo dos resultados de um julgamento correto e não de uma batalha conduzida por um ser vingativo e mesquinho, acompanhado de outros covardes e lenientes (salvo as exceções de sempre). Definitivamente não quero ser a parte da sociedade que acha que há "impunidade". Faço parte da sociedade que tem medo de se ver submetida a um sistema judiciário injusto, fora da lei. Não sou das pessoas ricas que contam com proteção do sistema judiciário ou tem acesso a advogados que "conhecem" os juízes. E se não posso ter acesso à justiça, resta pouca coisa para confiar.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

A AP 470 foi um ponto fora da curva(Barroso)

Não há qualquer indício de que houve compra de votos de congressistas para que votassem as reformas de Lula, de forma que o "mensalão", visto da forma como se deu o julgamento, é um erro jurídico que deve ser reparado. Houve sim, financiamento de campanhas políticas de deputados da base e o correto seria terem sido julgados por isso e não por crime que não cometeram. Os réus confessaram que houve repasse  para quitação de débitos das campanhas, grana essa levantada mediante empréstimos junto a rede bancária e devidamente quitados, não houve prejuizo aos cofres públicos, já no mensalão tucano houve uso e abuso de recursos públicos, as estatais mineiras foram sangradas e houve até assassinato da modelo que transportava as malas de dinheiro, mas são tucanos né...Saiba mais: http://www.lexometro.blogspot.com

Seu voto: Nenhum (6 votos)

 

...spin

 

 

É preciso cumprir a lei, desde q isso não valha para tucanos...

Há dois precedentes perigosos que podem se repetir na Lava Jato:

1- O julgamento do "mentirão", quando os tucanos foram excluidos da ação, cito aqui os tucanos que eram chefes do Pizzolato e que de fato foram os responsáveis pelos contratos firmados pelo BB e desfalques que, conforme o TCU não existiriam....outro tucano que se safou foi o Aécio Neves, este era presidente da Câmara dos Deputados quando as licitações ocorreram pelas quais João Paulo Cunha pagou o pato....

2- Outro precedente: A CPI do Cachoeira; Nessa investigação, quando a coisa ficou feia para a direita o PMDB e PSDB estes partidos se uniram para tirar o cu dos seus da reta, o do Sérgio Cabral e do Marconi Perillo..os dois partidos fizeram uma aliança para rasgar relatório da CPI e ainda culparam o PT pelo fracasso da investigação quando o PT, que tinha a relatoria, fez um bom relatório.....o PT votou pela aprovação do relatório,,,mas não PMDB e PSDB...há sim o risco de repetirem o padrão "mensalão" e/ou CPI do Cachoeira...

 Autor da CPI da Petrobras recebeu dinheiro de empresa investigada pela Policia Federal</p />
<p>O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) responsável em protocolar no Senado a instalação da CPI da Petrobras, também está na lista de pagamentos de empresa investigada na Operação lava jato

Alejandro Santiago

Autor da CPI da Petrobras recebeu dinheiro de empresa investigada pela Policia Federal

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) responsável em protocolar no Senado a instalação da CPI da Petrobras, também está na lista de pagamentos de empresa investigada na Operação lava jato

 

Seu voto: Nenhum (5 votos)

 

...spin

 

 

imagem de Ivan de Union
Ivan de Union

Nao eh por falta de

Nao eh por falta de tentativas de mascarar los.  Eh impossivel mascarar o desmarcarado.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Minha Nossa Senhora de Miami, Batman !!

"Juízes não são vingadores mascarados."

Esta foi direto no queixo !!

 

Seu voto: Nenhum (12 votos)

Viver é afinar um instrumento...

Um craque.

O texto todo está repleto de recados.

Seu voto: Nenhum (9 votos)

Ouso pensar porque ouso pensar que ouso pensar.

 

A melhor parte, xará, é no

A melhor parte, xará, é no final, onde ele deixa claro (mas de forma bem discreta) seu entendimento sobre toda a história - foi caixa dois.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Viver é afinar um instrumento...

imagem de Ivan de Union
Ivan de Union

O cara eh FFFFFFFFFFporreta!

O cara eh FFFFFFFFFFporreta!

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Almeid
Almeid

Eu ainda não li todo texto.

Eu ainda não li todo texto. Estou, ainda, tentando entender (quebra cabeças) a razão de acordão simples - no caso Azeredo -  ter demorado 6 meses para publicação e nvio para MG.

Seu voto: Nenhum (7 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.