newsletter

Assinar

Carta aos juízes do meu País, por Álvaro Augusto Ribeiro Costa

Por que lhes dirijo humilde e respeitosamente a palavra neste gravíssimo momento em que a preocupação acerca do futuro do País e de suas instituições – especialmente da magistratura – se encontram em gravíssimo risco?

Explico:

Desde os tempos de estudante de Direito, e até alcançar o mais elevado grau da advocacia pública brasileira, conheci e aprendi a admirar e respeitar os juízes e, por meio deles, compartir a veneração da magistratura.

Antes disso, porém, ainda criança, respirei o orgulho de meus familiares ao invocarem como exemplo de magistrado um Juiz Federal de Santos, em São Paulo, Bruno Barbosa Lima, que, enfrentando a ira da ditadura getuliana, proferiu decisão favorável à Pagu - então perseguida e hoje reconhecida pela História do Brasil como heroína e precursora dos direitos das mulheres.

Esse juiz discreto, forte e justo era meu tio-avô. E - diziam naqueles tempos - pagou amargamente o preço de sua integridade com a extinção da Vara em que judicava; por isso, com sua numerosa família e já em idade avançada, teve que recomeçar a vida profissional como advogado no Rio de Janeiro, sendo acolhido no escritório e na casa de um irmão, também advogado, Virgílio Barbosa Lima.

Sob a inspiração desse exemplo e de tantos outros magistrados cuja isenção, equilíbrio e moderação testemunhei ao longo de quase meio século na advocacia, no magistério e no Ministério Público Federal, é que me dirijo agora aos juízes do meu País:

Aos que sabem não existir ninguém acima da lei – muito menos eles mesmos – e ninguém que esteja fora de sua proteção;

Aos que são plenamente conscientes de que nenhum juiz pode usurpar competência de outro ou emitir juízos fora dos processos sob sua responsabilidade;

Aos que não substituem os meios legais de publicação de seus atos de ofício pela divulgação extralegal, parcial, escandalosa e seletiva dos mesmos

Aos que não substituem os meios legais de publicação de seus atos de ofício pela divulgação extralegal, parcial, escandalosa e seletiva dos mesmos;

Aos que em seus gabinetes quase anônimos e sufocados pelo invencível acúmulo de processos e de demandas individuais e coletivas, cumprem o seu dificílimo mister com a isenção, a serenidade, a firmeza e a modéstia dos sábios e justos;

Aos que labutam incansavelmente para que tenham curso e cheguem ao fim os processos, sem apressá-los contra uns e retardá-los contra outros;

Aos que consideram sagrados o devido processo legal, o contraditório e a ampla defesa;

Aos que garantem e promovem o respeito à dignidade humana e aos direitos fundamentais dos cidadãos, zelando pela integridade física e moral dos jurisdicionados e de suas famílias;

Aos que praticam a justiça como um verdadeiro sacerdócio;

Aos que abominam a violência e os linchamentos físicos ou midiáticos e para nenhum deles contribuem direta ou indiretamente

Aos que abominam a violência e os linchamentos físicos ou midiáticos e para nenhum deles contribuem direta ou indiretamente;

Aos que não distorcem a legalidade para fins alheios à Justiça e com ela incompatíveis;

Aos que não utilizam abusiva, arbitrária e ilegalmente os instrumentos legais que a sociedade lhes confiou;

Aos que não apontam à execração pública quem  precipitada ou preconceituosamente julgam criminosos antes mesmo de identificado eventual fato delituoso e da formação da culpa;

Aos que não admitem acusação ou restrição da liberdade sem um libelo formal e substancialmente válido, apto a propiciar a qualquer acusado o conhecimento preciso da acusação para que possa contraditá-la e exercer amplamente o seu inalienável direito à defesa;

 Aos que não fazem da magistratura instrumento de “marketing” politico ou de prosperidade econômica;

Aos que não fazem da toga instrumento de vaidade ou messianismo;

Aos que não se deixam usar como instrumentos de ódios e facciosismos políticos

Aos que não se deixam usar como instrumentos de ódios e facciosismos políticos;

Aos que não permitem que se transformem os templos da Justiça em cenários de intermináveis novelas com que se busca em crescente delírio o aumento da audiência e o aplauso das multidões;

Aos que não promovem nem insuflam conflitos e, em vez disso, dirigem todo o seu esforço e estudo no sentido de resolvê-los pelos meios adequados e legais em benefício da paz social;  

Aos que não prejulgam nem propagam através da mídia e foros extrajudiciais seus prejulgamentos e preconceitos, usurpando a competência do juiz natural e constrangendo outros julgadores;

Aos que não presumem explícita ou implicitamente que decisões de outros juízes ou instâncias devam ser tão viciadas quanto as próprias ou orientadas na mesma direção;

Aos que não participam de reuniões em que se conspira abertamente contra a Constituição e o Estado Democrático de Direito e se discute a partilha dos proveitos de um golpe antidemocrático em pleno curso;

Aos que não se fazem partícipes essenciais na formulação, execução e acompanhamento de táticas e estratégias visando à destituição de governos e à desestabilização do País;

Aos que não utilizam o cargo para atacar pessoas e entidades que tenham sido, estão sendo ou poderão vir a ser partes em processos sob o alcance de sua jurisdição; 

Aos que não orientam partes e grupos em conflito assegurando-lhes antecipadamente o sucesso de investidas judiciais que conduzem e julgam sem arguir a própria suspeição, mesmo sendo ela notória;

Dirijo-me, pois, a todos esses magistrados que, inteiramente dedicados às suas funções e isentos de paixões políticas, não desejam ver o País mergulhado em convulsão social, nem comprometida a credibilidade e o respeito devidos à magistratura.

Àqueles, porém, cujos atos, palavras e condutas extraprocessuais – sobretudo - vêm se revelando tão inconvenientes à boa e serena imagem da Justiça e à validade de suas próprias decisões, fica a ponderação: é necessário preservar os atos que tenham praticado com acerto e justiça e assim devam ser julgados, embora a validade de algumas de suas passadas e futuras decisões já esteja por  eles mesmos irremediavelmente comprometida.

A eles eu não diria – como o imortal Zola – “Eu acuso! “ Não é necessário. Seus próprios atos os acusam flagrantemente

A eles eu não diria – como o imortal Zola – “Eu acuso! “ Não é necessário. Seus próprios atos os acusam flagrantemente.

Embora ninguém seja obrigado a oferecer provas contra si mesmo, eles o fizeram e insistem em fazê-lo de modo reiterado. Suas palavras e condutas, registradas indelevelmente nos autos dos processos e fora deles, além de propagadas pela grande imprensa, constituem um claro, nítido e substancial corpo do delito da suspeição e do desvio de finalidade. O que é notório independe de prova – é o princípio jurídico. Para isso não é necessário sequer invocar a teoria do domínio do fato.

A todo os juízes, porém, que mesmo na serenidade de seu árduo e profícuo labor cotidiano tudo percebem mas nada dizem ou fazem fora dos respectivos autos e instâncias, reitero minha profunda admiração e respeito. Nada mais lhes tenho a dizer. Eles conhecem muito bem a Constituição e as leis que todos juramos defender.

Assim, neles permaneço confiante, como neles necessitam ainda e sempre confiar todas as cidadãs e cidadãos brasileiros.

* Alvaro Augusto Ribeiro Costa

(Advogado, Subprocurador-Geral da República aposentado, ex- Presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República, ex-Procurador Federal dos Direitos do Cidadão, ex-Advogado Geral da União)

Imagens

Média: 4.8 (31 votos)

Recomendamos para você

34 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de geraldo Maciel
geraldo Maciel

Pedirir um milagre

Esperar que  Gilmar e Moro leem esta carta é pedir um milagre acima da santidade do atual Papa Francisco, mas podemos continuar rezando.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Não só carta, mas um forte

Não só carta, mas um forte libelo contra os descaminhos de membros do Judiciário que comprometem pelo seu partidarismo e exposição de egos a imagem e a respeitabilidade da magistratura. 

Poderia ter sido expressa em termos até mais contundentes se o autor estivesse assistido um vídeom publicado hoje,  no qual um ministro do Supremo - Celso de Melo - concede uma "entrevista" a uma militante política num shopping na qual, despudoramente, responde a perguntas envolvendo outros ministros e fazendo juízos de valor sobre contenciosos(Lava a Jato, impeachment) que certamente irá julgar lá na frente. 

Nunca na nossa história o aparato repressivo-judicial foi tão questionado como atualmente. E são os próprios operadores do Direito, incluindo procuradores e magistrados, que externam indignação e constrangimentos. 

Seu voto: Nenhum
imagem de Esmael Leite da Silva
Esmael Leite da Silva

Junto a matéria acima este

Junto a matéria acima este alerta aos Ministros do STF e aos juízes federais: 

A violência perpetrada contra Teori Zavaski e sua família demonstra que os golpistas são mais do que ousados, são criminosos impondo suas demandas a força, se neste momento tomam esta atitude, caso obtenham sucesso, com certeza darão um jeito de expulsarem do Supremo Tribunal Federal os Ministros que não se alinharem totalmente com as disposições do novo regime que se imporá através da força, a autoridade dos Ministros do STF será totalmente retirada, a PEC da bengala vai ser revogada e qualquer um que não se alinhe será convencido a se aposentar, haverá um efeito cascata que será utilizado cirurgicamente, todos os juízes federais estarão sujeitos a leis de exceção, cabe lembrar que o STF só é respeitado como guardião da constituição em regimes democráticos, em regimes de força eles não tem nenhuma representatividade e passam a ser uma mera repartição administrativa a serviço do Executivo. Os membros do STF deviam refletir sobre isso. 

Seu voto: Nenhum
imagem de Plínio J. V. Lins
Plínio J. V. Lins

Resumindo...

Para os bons entendedores (que felizmente estão cada vez crescendo a aparecendo), é como se estivesse escrito:

"Aos que não são Moro nem Gilmar"...

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Justiniano
Justiniano

Se por estas  terras

Se por estas  terras tivéssemos um pouco de seriedade e sabedoria, este texto estaria na página inicial do sítio da AJUFE.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de serralheiro 70
serralheiro 70

Felicidade em tempo de deconforto

Muito prazer em conhece-lo, Sr Alvaro. Sem dúvida a operação lava jato tem sido , desde seus primeiros dias , motivo de extremo desconfoto para mim. Aposentado já a algum tempo da Petrobras foi entristecedor saber que alguns colegas de meu tempo, neste esteio de nossa economia, envolvidos em falcatruas. Mais ainda  pela estúpida campanha depreciando este sonho de independência que tem sido até hoje a Petrobras Outras decepções, um juiz endeusado pela midia, abusando de exposição, desrespeito a presunção de inocência de cidadões brasileiros, exacerbado autoritarismo e , nenhuma dívida, partidadorismo político. Estamos vivendo uma nova conspiração contra nossa frágil democracia. Ela envolve os maiores recursos de mídia, interesses estrangeiros poderosos, parte substancial do judiciário, ministério público e polícia federal. Nos afeta tanto que tornou-se natural a muitos de nós esconder tal desconforto para não receber a designação de petralha. Esta sua carta dirigida a juízes mostra que ainda podemos sobreviver, sua voz qualificada  passou para mim esperança que valores individuais como V. Sa. possam trazer razão ao nosso Brasil. 

Seu voto: Nenhum

SERENA E FIRME MENSAGEM

Uma serena e firme mensagem que merecia ser conhecida por todos os brasileiros. Infelizmente, se hoje se pode ver no horizonte que o estabelecimento da DITADURA DO JUDICIÁRIO é uma "promessa", que talvez atitudes como a do Dr. Álvaro ainda consiga colaborar para abortar, a DITADURA DA DESINFORMAÇÃO, promovida pelos MONOPÓLIOS da COMUNICAÇÃO é uma DURA E TRISTE REALIDADE.

 

 

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Bocas cheias na justícia!

Um amigo anistiado em 1979, terrorista libertário – sem aspas por fidelidade à sua memória – me contou que a pior tortura que sofreu foi na aeronáutica. Desenharam com giz um quadrado no chão e lhe ordenaram que lambesse. Porradas interrompidas por ofertas melífluas de que “era só lamber!” Não lambeu.

O Marcelo Odebrecht, preso desde junho em Curitiba, não lambeu. O José Dirceu também não lambeu. Isso incomoda muito aos torturadores de toga: esses caras lambem qualquer parte em troca de algumas moedas!

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Putsgrila

imagem de nilo walter
nilo walter

Vou tirar uma  cópia e

Vou tirar uma  cópia e entregar ao meu filho que  faz Direito .

Sou um semi analfabeto mas  entendi perfeitamente a lição de moral e de como se deve aplica a justiça. Foi direto .

Existe  opinião sobre o texto apenas para  desconstruir  as verdades  do mesmo. De quem vive nas escuras .

Valeu Dr. Alvaro .

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Brnca
Brnca

Dignidade

Parabéns Dr, Álvaro! Dignidade os gigantes humanos tem, não compram. Seja com vaidades vãs, politicagens, premiações duvidosas, homenagens interesseiras e dinheirim rolando como bola de bilhar . Minha família também teve a honra de contar com um juíz, depois desembargador, de grande solidez moral e profissional e, por isso, de grande  prestígio entre seus colegas, alunos, advogados e no meio social em que vivia. Também reverencio aqui todos os juízes que não se apequenam e defendem o Estado de Direito, a Constituição e a Democracia.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Severino Januário
Severino Januário

Grande Álvaro Augusto,

Grande Álvaro Augusto, orgulho do Estado do Ceará, que felizmente existe para contrabalançar a péssima imagem de alguns recentes procuradores gerais da União cearenses, que tanto fizeram para embaçar a imagem de gerador de gênios que seu estado tão merecidamente preserva.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Comparação curiosa

Foi uma comparação deveras curiosa: de um lado um juiz que sob uma ditadura, desafiou o poder constituído e ficou ao lado de uma cidadã absolutamente indefesa naquele contexto de violência e arbitrariedade; do outro lado um juiz que, sob um regime democrático, manda para a cadeia figurões que nada têm de inermes ou indefesos, que podem pagar os melhores advogados e contam com o apoio do governo em exercício. Há paralelo entre os dois casos? Não vejo. Bruno Barbosa Lima foi um juiz corajoso que fez além do que dele se esperava; Sérgio Moro apenas cumpre o seu dever. Se não agrada a todos, bem, paciência!

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Eduardo Queiroz
Eduardo Queiroz

Re: Comparação curiosa

Concordo consigo. Sérgio Moro apenas cumpre o seu dever. Entretanto, tem desagradado profundamente à elite no poder. Já antes de liberar a conversa telefônica do Lula com a Dilma, já era perseguido e criticado. Agora, então virou um criminoso!

Concordo que cometeu um erro divulgando a conversa da chefe de estado, mas explicou as suas razões que, para mim, são muito razoáveis, pois a presidente não poderia tomar uma medida tão drástica para obstruir a Justiça. Penso que cometeu um erro muito maior que o Juiz Moro.

Seu voto: Nenhum
imagem de Ricardo Picchiarini
Ricardo Picchiarini

Não foi feita esta comparação

E não preciso lhe explicar, pois bem se vê pela sua escrita que tem domínio da língua. Releia e veja que a menção àquele caso de Barbosa Lima era para enaltecer, relembrar e inspirar a isenção e a coragem que a magistratura deveria perseguir. Claro que não há paralelo nos dois casos. E claro que criar este paralelo tem intenções senão conscientes, bastante claras em desqualificar o mérito do que foi dito: isenção. Sergio Moro decide sem isenção, portanto não cumpre a lei, poortanto falta com seu dever. Não se tarta de agradar a ninguém, Justiça não foi feita para isto. Igualmente não feita para ser exrcida com parcialidade e atropelo às normas. Nem comentada com os mesmos vícios. A quem queremos enganar? Ou, a quem queremos favorecer construindo lógicas formais baseadas em premissas falsas? O apelo da carta é extensível a seu comentário. Faço votos que a compreenda, genuina e corajosamente, em seu mérito.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de JOSE MAURILIO ALVES
JOSE MAURILIO ALVES

Concordo com você Ricardo

Não vejo comparação! Nessa carta, de forma muito serena, isenta e equilibrada, o senhor Alvaro Augusto Ribeiro Costa elenca princípios que deveriam e devem ser seguidos pelos magistrados. Bem diferente da forma que alguns procuradores e juízes o fazem, mais parecendo garotos propaganda ou chefes de torcida organizada. 

A todo momento dando seus vereditos onde quer que estejam, fora do plenário e dos autos, onde deveria ser. Holofotes, flashes e premios massageiam egos, afloram vaidades e ambições e quem sabe, no futuro próximo, um bom cargo político, de repente até a presidência...

Premio para um juiz mais parece uma compra ou paga por serviços prestados, ainda mais quando o premio é dado por um MONOPÓLIO MIDÍATICO, fraudulento desde sua criação, golpista, apoiador e braço direito de um dos momentos mais tristes da nossa história (DITADURA), corrupto e sonegador com processos já julgados (condenado) e em tramitação. Não parece ser muito ético devido a conflitos de interesse.

No Brasil a corrupção seletiva é normal, infelizmente, vejam a quantidade de membros envolvidos em processos de corrupção no congresso, alguns já condenados e continuam lá. Também nos níveis municipais e estaduais. Cadê a INDIGNAÇÃO???

Triste realidade! Funcionários do povo, eleitos por esses mas que "trabalham" , realmente, para outros (seus financiadores de campanha). São os únicos empregados que tem o poder de aumentar seus próprios salários (e que salários!!!!!!! astronômicos!!!!!!) fora os outros benefícios e outros... Acredito ser a única sessão (aumentar salário) na qual se envolvam de corpo e alma (geralmente a 1ª e depois quando lhes convêm). Temos políticos honestos sim, não posso colocar todos no mesmo saco, mas também temos muitos oportunistas.

Seu voto: Nenhum

Se você achou que eu quis depreciar...

Se você achou que eu quis depreciar Barbosa Lima sugerindo uma afinidade com Sérgio Moro, é porque não tem Sérgio Moro em boa conta. Mas isso é apenas uma opinião pessoal sua. Até onde posso perceber, por critérios estritamente técnicos, a conduta de Sérgio Moro é correta, todos aqueles que ele prendeu são culpados e ele é um magistrado enérgico e extremamente competente. A diferença entre ele e Barbosa Lima é que Moro não tem que arcar com os riscos de quem viveu sob uma ditadura, mas cada um cumpriu o seu dever dentro do contexto expecífico em que esteve inserido.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Ockham
Ockham

Defenda Hitler que é mais fácil.

"Se você achou que eu quis depreciar Barbosa Lima sugerindo uma afinidade com Sérgio Moro, é porque não tem Sérgio Moro em boa conta. Mas isso é apenas uma opinião pessoal sua."

Ora, cidadão, como é que se pode ter em "boa conta" um juiz que, como disse o Dr Álvaro, apressa o final do processo contra uns e retarda o final do processo contra outros?

Como se pode ter em "boa conta" um juiz que trabalha para uma emissora de tv?

Como se pode ter em "boa conta" um juiz que faz vista grossa para um criminoso que foi acusado 6 vezes no mesmo processo?

Como se pode ter em "boa conta" um juiz que grampeia advogados que não são investigados?

Ora, vá plantar batatas NO SEU QUINTAL! Defenda Hitler que é bem mais fácil.

Seu voto: Nenhum

Conheço juízes e juízas

Conheço juízes e juízas assim, infelizmente os poucos que extrapolam sua toga e se jogam para além do que lhes competem sujam o bom trabalho dos outros e dão uma falsa impressão de que todo judiciário é a cara deles.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Katz22
Katz22

Dignidade.

Sinceramente, me levou às lágrimas.

Tivéssemos mais gente assim no Judiciário, seria outro Brasil.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Adair
Adair

Pois é...era pra ser bom, mas perdeu foco e se prostituiu ...

A Lava-Jato era uma operação necessária em nosso país, mas a medida que foi crescendo foi tmb. perdendo o foco, tornando-se uma via de mão única, contra um único grupo político, ao contrário da Operação Mãos Limpas da Itália, que tinha foco em todos os Partidos Políticos, de oposição e situação. E, para completar, já inviabiliza nossa economia (atingiu seriamente empresas de petróleo e gás).

Seu voto: Nenhum (5 votos)

A Lava Jato já está atingindo outros partidos

A Operação Lava Jato nunca atingiu somente o PT, mas também diversos políticos de outros partidos da base aliada. Por que só a base aliada? Por motivos óbvios: só quem pode roubar é quem está no poder, e portanto tem a caneta que faz as nomeações e aprova as licitações. Os outros partidos roubaram enquanto estiveram no poder, mas como são coisas do passado, a averiguação fica mais difícil, pois muitas provas já foram eliminadas, muitas testemunhas já sumiram, etc. Mas a vez deles também está chegando. Hoje mesmo a Lava Jato divulgou que a corrupção na Petrobrás vem desde os tempos do Sarney.

Agora, afirmar que a Lava Jato inviabilizou a economia é um exagero grosseiro. Quer dizer que não houve crise econômica, queda dos preços do petróleo, má gestão na Petrobrás, nada disso, né?

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Ockham
Ockham

"A Lava Jato já está

"A Lava Jato já está atingindo outros partidos"

Exatamente por isso querem acabar com ela.

Ou você não está sabendo das tentativas de acordo entre Serra e Michel Temer?

Ou você não está sabendo que Aécio foi denunciado 6 vezes na lava jato e nada foi feito?

Ou você não está sabendo que o Listão da Odebrecht foi escondido por mais de um mês?

Ou você não está sabendo que a mansão de Paraty e o helicóptero dos Marinho estão no nome de uma empresa investigada na Lava jato e os Marinho não foram intimados para explicar?

Ou você não está sabendo que Moro grampeou  os advogados do Lula que, NÃO SAO INVESTIGADOS ?

Pelo jeito você não está sabendo de muitas coisas, ou finge que não está sabendo, o que é mais provável, devido à característica golpista dos anti-PT.

Seu voto: Nenhum
imagem de Adair
Adair

Pois é...era pra ser bom, mas perdeu foco e se prostituiu ...

A Lava-Jato era uma operação necessária em nosso país, mas a medida que foi crescendo foi tmb. perdendo o foco, tornando-se uma via de mão única, contra um único grupo político, ao contrário da Operação Mãos Limpas da Itália, que tinha foco em todos os Partidos Políticos, de oposição e situação. E, para completar, já inviabiliza nossa economia (atingiu seriamente empresas de petróleo e gás).

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Euler Conrado
Euler Conrado

O dado concreto,

O dado concreto, infelizmente, é que a ação destemperada e irresponsável de alguns juízes - Moro, Gilmar Mendes - combinada com a omissão de uma possível maioria de juízes legalistas em tempo de paz acabou por contribuir com a crise que vivemos hoje.

Considero inaceitável também a atitude omissa do governo federal, com um não-ministro da justiça durante todo o processo de golpe ardilosamente preparado pela Casa Grande para detonar o PT, Lula, Dilma - não por estes, apenas, mas pelo que representam em matéria de reais possibilidades de conquistas dos de baixo. 

O cenário atual é o pior possível e resultado direto dessa armação golpista montada pela mídia (Globo, Band, Folha, Veja, Rádio Itatiaia de MG, entre outros) em parceria com os juízes, aspas, Moro e Gilmar Dantas e os procuradores e delegados da PF do Paraná, além de Janot e da doposição golpista no congresso.

Qual é o cenário atual:

1) o PT e suas lidranças criminalizadas nas ruas, após muitos meses de bombardeio covarde, sem direito de resposta, ante a omissão dos poderes constituídos, que permitem que meia dúzia de famílias golpistas monopolizem a COMUNICAÇÃO do país, de forma inviezada, manipulada, processada para que as pessoas se tornem repetidoras acríticas (lobotomizadas) das narrativas produzidas nos laboratórios da Globo, Band, Veja, Folha, etc.;

2) os deputados dos diversos partidos que pretendem derrubar a presidenta sem nenhuma prova contra ela, querem escapar da própria culpa, já que estão todos envolvidos com caixa dois e outras patifarias próprias das negociatas políticas no Brasil. Para ser minimamente séria, esta operação lava-jato, o pivô do golpe no país, deveria ter equilibrado as forças, pois estão TODOS envolvidos nos mesmos escândalos. Mas, ao contrário disso, Moro e sua equipe só prenderam petistas - tesoureiro do PT, marqueteiro do PT, ex-presidente do PT, entre outros, enquanto blindou os caciques da oposição golpista como Aécio, Serra, Alckmin, quando, contra eles, há inúmeros indícios de envolvimentos em diversos escândalos;

3) o caso mais gritante de patifaria desses moralistas sem moral - juízes, mídia, procuradores, delegados da PF - é o tratamento dado ao presidente da Câmara Federal, com robustas provas de ter recebido propinas, com contas na Suiça e um passado ligado ao uso do aparelho estatal para fins pessoais que não deixa dúvida de quem se trata. Pois é este elemento que hoje dirige o Impeachment contra talvez a presidenta mais honesta que este país já teve. Cunha está praticamente blindado pela mídia, pela justiça e pela PGR, até que o golpe, em forma de impeachment se consolide;

4) é impressionante o cinismo de comentaristas da mídia quando dizem que este governo acabou e que não tem mais condições de governar. Claro que não tem, com este golpe armado por vocês, que detonou e detona o governo sem piedade e sem punição - o que nos faz envergonhar da justiça brasileira - vocês queriam o quê? Imaginem se fosse EU o presidente da República e não DILMA com seu republicanismo ingênuo, puro e amador? Numa boa que eu colocaria a PF no encalço dos Marinhos, dos Frias, dos Civittas, e, através de cadeia de rádio e TV convocado a cada meia hora eu explicaria didaticamente ao povo brasileiro quem são esses personagens, o que eles representam, como eles acumularam riquezas, a quem eles estão ligados, o que eles desejam com o novo golpe no Brasil e como, em nome da liberdade de imprensa, eles sequestram a liberdade de toda a população. Enfim, com uma semana eu colocaria a maioria do povo brasileirom na cola de vocês, canalhas, querendo a cabeça de vocês numa bandeja, porque ficaria claro que o desemprego e a paralisia da economia são resultado direto da expectativa negativa, terrorista, criada por vocês;

5) mas, como não fui eu o eleito presidente, e sim a presidenta Dilma, é provável que ela será derrubada, sob discursos inflamados e televisionados ao vivo, e assumirá o canalha e traíra do Temer, que vai se cercar de outros tantos pilantras, e imediatamente receberá o apoio da mídia, que virá com aquela conversa fiada de que "agora o país precisa de paz, de reconciliação, de união nacional" para recuperar o tempo perdido e os estragos causados pelo PT. Vão justificar as mais draconianas medidas contra o povo em nome de um "necessário sacrifício" para que depois, bem depois, o país volte a crescer. A lava-jato será fechada, com o Moro e sua equipe recebendo promoção e todos serão felizes para sempre. Cínicos, hipócritas! Estão cancelando os resultados das urnas como se fosse a coisa mais normal do mundo!

6) é claro que ainda não sabemos qual é o pensamento e a reação dos russos, ou seja, da maioria do povo brasileiro que vem sendo manipulado dia e noite, acreditando que o mal maior do país é a presidenta Dilma. Quando descobrirem que não é bem assim, que houve um golpe, e que as suas conquistas dos últimos anos e das últimas décadas estão sendo confiscadas, ninguém pode prever qual será a reação das pessoas do povo. Ainda mais quando associarem as perdas ao golpe construído pela mídia e pelo juiz Moro, entre outros. 

7) mas, antes disso, seguramente, haverá resistência ao golpe. Já está havendo. As forças sociais e políticas que acompanhavam a tudo meio que chocadas, hoje começam a reagir, a resistir, a se mobilizarem em todo o Brasil e no mundo. Quanto mais claro fica o golpe armado pela Casa Grande, mais indignação causa às pessoas lúcidas, não vendidas, que não perderam a capacidade de uma leitura crítica da realidade. Pois, o que está em jogo é isso: o fim da democracia, do estado democrático de direito, das garantias constitucionais (um juiz usar grampo ilegal contra a presidenta e divulgar em tempo real na mídia como forma de chantagear e insuflar a população é algo impensável num país democrático). Esperamos que as forças do povo vençam mais esta batalha contra os donos do PIB e seus capitães do mato espalhados na justiça, na mídia, no MP, na PF, no legislativo, enfim, nos aparelhos do estado.

Tudo o que ELES querem é voltar a ter o TOTAL controle do aparato estatal, para o quê, necessariamente, precisam excluir o PT enquanto governo, excluir a participação popular, excluir, enfim, os princípios fundamentais da nossa Carta Magna.

Oxalá, eles sejam derrotados!

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de leandro oliveiral
leandro oliveiral

Juiz com J

Caro Dr. ,

    talvez por não fazer parte do meio, não conheci juiz com essas características !!! É uma pena para o Brasil !!!

Seu voto: Nenhum
imagem de leandro oliveiral
leandro oliveiral

Juiz com J

Caro Dr. ,

    talvez por não fazer parte do meio, não conheci juiz com essas características !!! É uma pena para o Brasil !!!

Seu voto: Nenhum
imagem de Nisio
Nisio

Libelo contra a injustiça da "justiça"

Nos países democráticos a justiça é o último refúgio do cidadão, onde a confiança assegura um julgamento sábio e justo.

Engraçado que num país com mais cursos de direito que o resto do mundo, haja tantos juízes e procuradores praticando o inverso dos princípios apontados na magnífica carta do Juiz Álvaro Augusto Ribeiro da Costa.  

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Bonobo de Oliveira, Severino
Bonobo de Oliveira, Severino

Mantendo, ou procurando manter....

Se possível for, manter o equilíbrio e a elegancia da ESCULHAMBAÇÃO que o digno magistrado proclama, eu acrescentaria que ele saúda e louva o trabalho sério e honesto de muitos que não se deixaram encantar pelos poderes do cargo que a sociedade lhes outorgou e não se envaidecem ou se deslumbram com afagos e premios de organizações maçonicas como o Instituto Innovare, e jamais se associariam, em busca de projeção pessoal, a empressas privadas envolvidas com organizações criminosas como Abril/Cachoeira e GLOBO/Mossack-Fonseca. O povo brasieiro agradece aos agentes da magistratura que honram a sua atividade e, especialmente, aqueles que tem a coragem de expressar-se publicamente contra a fúria da turba ensandecida pela ação criminosa da parceria Moro/Globo e deplora os que fazem de suas funções PÚBLICAS instrumento de ação partidária em benefício de interesses PRIVADOS espúrios de grupos nacionais e internacionais, ao arrepio das leis e contra os interesses do povo brasileiro que lhes paga o invejável salário. 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Luciano Lira
Luciano Lira

Uma bela e serena carta.

Uma bela e serena carta. Digna de aplausos por reconhecer o quão é importante o judiciário quando na defesa da lei sem se render as pressões ou as vaidades da grande mídia. Ultimamente vi a coragem emegir dentro do judiciário restaurando os demandos causados por aqueles que agem por perseguições políticas e holofotes da grande mídia. Muito digna essa carta, meus sinceros parabéns por reconhecer a importância daqueles que defendem a constituição e promovem a paz.

Seu voto: Nenhum (8 votos)
imagem de Alde Moraes
Alde Moraes

AGRADECIMENTO, RECONHECIMENTO E ADMIRAÇÃO!

Caríssimo Doutor Álvaro Augusto Ribeiro Costa

O teor de sua carta me levou às lágrimas, principalmente, porque a lista que consegui escrever, na tentativa desesperada de elencar os juizes e juízas para quem o senhor diriu seus legítimos, justos e pertinentes apelos, não atingiu uma quantidade capaz de aliviar meu coração, diminuir minas dores de cabeça, aclamar minha alma, tampouco, me trazer de volta o sono tranquilo que me abandonou há 12 anos e, nunca mais deu sinais de vida. Mesmo assim, valeu a tentativa e, espero sinceramente, que o senhor tenha conseguido trazer á reflexão, uma parte de seus pares, suficientes para impedir que caiamos nesse abismo que se agiganda diante de nós.

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de ANTONIO DE MOURA NUNES NETO
ANTONIO DE MOURA NUNES NETO

UMA BELA LIÇÃO - DUAS CARAPUÇAS!

Sugiro aos juízes gilmar e moro uma ATENTA leitura e, sem medo, utilizem aquela cobertura de tecido flexível ajustável à cebeça, termnada em bico, em forma de cone ... Nã á da KKK. Ambos denigrem a corporação. O primeiro, então, ... etc etc etc etc.

 

Seu voto: Nenhum (4 votos)

!

Uma bela mensagem, "até poética", para alguns poucos juízes deste país!

Particulamente, não creio mais na justa aplicação das leis.

 

Seu voto: Nenhum (6 votos)

"A neve e as tempestades matam as flores, mas nada podem contra as sementes" (Khalil Gibran – 1883-1931).

imagem de altamiro souza
altamiro souza

essa justiça defendisa pelo

essa justiça defendisa pelo arfticulista ainda pode mostrar que estáviva...

a que ele critiocu é que ser dita morta....

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Rabuja
Rabuja

Mais um acordão à vista?

É isto mesmo? Tipo um megabanestado?

Troca-se a candidatura do Lula em 2018, baquinhos de lata, pedalinhos e triplex virtual pela manutenção da Dilma no poder? É isto?

Mais o que entra na negociação? Álibis para tucanos, dementes e demonios?

Inclui o multidelatado carioca com seus amigos de helipópteros e suas continhas no exterior?

Inclui o trensalão, o merendão, o roboanel, aparecidos, sorvetes e picolés?

Inclui a lavandederia que cuida da limpeza para marinhos e condôminos?

Inclui delegados, juízes e procuradores que cagaram em cima da Constituição?

Inclui O CUNHA com suas continhas suíças?

Inclui a gaveta do janota?

Os 300 da lista da construtora também?

E a Petrobrás? Daremos para as estrangeiras agora ou mais pra frente?

Quanto vai custar tudo? Um Pré-Sal inteiro?

 

Não dá para "apenas" respeitar e seguir a Constituição e fazer cumprir as leis?

Ah, deve ser o velho e podre Pragmatismo Brasileiro, aquela doença que nos mantem eternamente refém desta turma toda.

 

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Clovis de Oliveira
Clovis de Oliveira

a maldita condescendência

como disse a Rita Lee em uma entrevista, o maior mal que pode nos acometer

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.