Revista GGN

Assine

Elemento radioativo pode abastecer veículos “para sempre”

Jornal GGN – A empresa Laser Power Systems desenvolveu o protótipo de um veículo de passeio que usa um dos elementos mais densos do planeta como fonte de energia. Radioativo, um único pedaço de tório pode gerar, por exemplo, 20 milhões de vezes mais energia do que a mesma quantidade de carvão. A eficácia do elemento é tão grande que, segundo a empresa, é provável que o motorista do veículo viva toda a sua vida sem a necessidade de reabastecer o veículo, pois o elemento continuaria gerando energia anos após a morte do dono do veículo.

O tório é usado para aquecer a água, que se torna vapor, e move a turbina para gerar energia. Porém, o que poderia ser a solução ideal em um mundo onde a poluição gerada pelos combustíveis fósseis é alarmante, acaba se tornando um empecilho econômico, de acordo com o principal executivo da empresa, Charles Stevens. Segundo Stevens, o conceito de um carro que, com um único pedaço de elemento, possa ter energia “para sempre” inviabiliza o modelo de negócio em que toda a cadeia fatura não apenas com a venda do veículo, mas com o constante reabastecimento de combustível.

“Os carros não são nosso principal interesse. As montadoras não querem comprá-los”, afirma, ressaltando que a indústria automobilística é focada em fazer dinheiro fora dos motores a gás, e vai levar ainda algumas décadas para que a tecnologia do tório possa ser usada o suficiente em outras indústrias, até que os fabricantes de veículos comecem a reconsiderar o que pensam de motores.

Outras aplicações

Segundo Stevens, há outras aplicações possíveis para a tecnologia do tório. Ele acredita que uma turbina abastecida com o elemento possa servir para alimentar aparelhos de ar condicionado capazes de servir restaurantes inteiros, hotéis, edifícios de escritórios, até mesmo pequenas cidades em áreas sem eletricidade. Apesar da alta eficácia, há preocupações sobre a radioatividade do tório, que pode causar problemas graves, como câncer e deformações em fetos. Stevens, contudo, diz que a preocupação é infundada.

“A radiação que se desenvolve fora de uma dessas coisas, pode ser protegida por uma única folha de papel alumínio. Você vai ter mais radiação em um dos aparelhos de raios X dentais do que nisso [aparelhos com tório]”, afirma Stevens.

Com informações do Mashable.com

Média: 4.3 (3 votos)
9 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de armando botelho
armando botelho

Querem sabotar o nosso pré

Querem sabotar o nosso pré sal ,isso é sacanagem dos EUA !   O nosso governo prometeu que seria a redenção economica , estariamos no paraiso e agora vem esta do Tório , tenha dó né!

E de quebra se resolveria o problema da poluição , efeito estuga e outras rusgas , estes gringos querem aparecer !

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Roberto Monteiro
Roberto Monteiro

Combustível "novo", princípio antigo.

Vira e mexe, mudam as moscas. Quer dizer, nesse caso as moscas são as mesmas. Aquecer água e movimentar coisas é muito século passado. Quero ver novidade de verdade. Prefiro a ficção científica ou um carro a vela (movimentado pelo vento).

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Eduardo B
Eduardo B

Tório se desliga sozinho

Tório se desliga sozinho quando superaquece. A segurança do tório é um pedaço de sal fusível. Não precisa casamata, não precisa vasos de vapor de alta pressão. A energia nuclear tradicional que todos tem medo foi a escolha de engenheiros que desejavam submarinos nucleares e bombas atômicas.

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Eduardo B
Eduardo B

O Tório é extremamente comum,

O Tório é extremamente comum, basta aprender como usar e usar, e a preocupação com efeito estufa e limitações ao desenvolvimento e com as guerras pelo petróleo desapareceriam.

Precauções são para quem conhece, não para que tem medo irracional de tudo que não conhece.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Three Mile Island, Tchernobyl, Fukushima...

...a gente já sabe o que acontece, com poucas plantas nucleares, com equipes de empresas enormes, dedicadas a sua operação e manutenção, em unidades centralizadas.

Agora imaginem, o que é zilhões de unidades circulando por aí, nas mãos, desde um zé mané qualquer, até um thor batista da vida. No Brasil, há menos de vinte anos, assistimos o que aconteceu com um equipamento radioativo, que foi parar nas mãos de um sucateiro.

Por favor, senhores: ficção científica, só em literatura. O tempo de brincar de Flash Gordon passou. 

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Pão ☭ Paz ✮ Terra ☀

Idéia de jerico

 Querem fazer mini-usinas nucleares ambulantes?

Um perigo em caso de acidentes com carros, se vazar radiação.

Se é fácil fazer um coquetel molotov com gasolina, que tal uma ¨bomba suja¨ com tório?

malucos é o que não falta por aí...

Seu voto: Nenhum (2 votos)

¨Liberdade é a liberdade dos que pensam diferente¨ -- Rosa Luxemburgo

imagem de AlvaroTadeu
AlvaroTadeu

radiação.

Nem precisa dizer que a radiação é perigosa. MUITO. Tório ou qualquer outro elemento acima do chumbo produz emissões radioativas naturalmente. Enquanto os cientistas não descobrirem o uso controlado da FUSÃO nuclear, radiação, só em usinas nucleares construídas como casamatas de altíssima segurança. E mesmo assim, Fukushima no Japão desnudou a pretensa eficiência japonesa e a "responsabilidade social" de empresas privadas.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Inbert
Inbert

Pode funcionar... mas...

 

Pode funcionar... para quem pesquisar sobre tório na internet pode descobrir que a india já tem uma usina nuclear para funcionar com tório praticamente pronta, e a china vai no mesmo caminho. No Brasil também tinha essa pesquisa, até o acordo com a Alemanha, então se optou pelo uranio, e se abandonou o tório.

O principio do caro ou da usina é parecido, fazer energia esquentando, fervendo água. Mas tem muitos detalhes técnicos não explicados, por exemplo, o carro passa a noite na garagem, o reator vai ficar ligado ou desligado? se desligado, quanto tempo ele levaria para aquecer a água e funcionar pela manha? E se ficar ligado, o que acontece se a água acabar. Porem a idéia é boa, e o Brasil deveria ter uma pesquisa sobre a usinas atomicas com tório ao inves de uranio.

Seu voto: Nenhum
imagem de Ivan de Union
Ivan de Union

Nao ha como "desligar" uma

Nao ha como "desligar" uma turbina radioativa.  O que vai acontecer eh que o mesmo motor vai ser usado pra esquentar ou esfriar a casa em si, alem de dar poder aos eletrodomesticos, ferramentas, e ate a iluminacao e fogoes.

Isso eh, se a coisa funcionar e se for pra frente.  Por enquanto ta muito castelo-no-ar!

Seu voto: Nenhum (1 voto)

 Em um  submarino nuclear ou

 Em um  submarino nuclear ou uma usina nuclear como se "desliga " ou minimiza-se o gasto de energia quando o equipamento não está operando ?  No automóvel não poderia ser algo similar ? 

Acho que o maior problema seria faltar água no sistema, mesmo sendo este um circuito fechado, pois uma boa parte dos usuários de carro não estariam nem aí para sistemas de prevenção ou manutenção. Já pensou no sistema de chantagem que um PCC faria deixando um carro- bomba na porta de algum político ou banqueiro?

 

 

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)

MRE

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.