newsletter

Assinar

Em Israel, empresa oferece empregadas com preço por etnia

Do Brasil 247

Empresa israelense oferece empregadas com valor tabelado por etnia

Plínio Zunica

O trabalho doméstico é, por si, um absurdo. Em Israel, porém, o absurdo ganha sempre novos limites, principalmente quando envolve a exploração de minorias étnicas, e com o trabalho doméstico não poderia ser diferente. Agora, na "única democracia do oriente médio", o valor da exploração do trabalho doméstico de uma mulher é tabelado por origem étnica.

"Precisa de uma empregada? Está cansado de ser multado por contratar imigrantes ilegais? Não quer contratar uma faxineira árabe por questões de segurança? Está cansado de seguir a lei e depois ser processado por empregados temporários?"

Esse é o texto no cabeçalho de um folheto publicitário que vem sendo distribuído nas vias mais movimentadas do norte de Tel Aviv, a cidade "mais progressista" de Israel. No dia 05 de fevereiro, a blogueira israelense Tal Schneider recebeu este panfleto e denunciou a empresa, que oferece serviços de diaristas e empregadas domésticas com valores diferenciados de acordo com a sua etnia.

A empresa oferece a "solução" para as aflições dos cidadãos israelenses, com um cardápio variado de mulheres para atender as necessidades e níveis de racismo de cada cliente. De acordo com o flyer, a empresa reconhece oficialmente que a carne mais barata do mercado é a carne negra, uma vez que contratar uma empregada doméstica vinda de países africanos custa 49,00 NIS (Shekel israelense, cuja cotação atual é de 1 para 1 com o Real). Uma empregada do Leste Europeu sai por 52,00 NIS por hora. Já a hora de trabalho uma empregada da parte ocidental da Europa custa 69,00 NIS, ou seja, uma mulher do "mundo civilizado" vale 40% mais do que uma africana.

O jornal israelense Mako entrou em contato com a empresa, que declarou que o anúncio é verdadeiro, que não há nenhum mal entendido, e que em Israel não é ilegal pagar salários diferentes por motivos raciais. Infelizmente, eles têm razão. A discriminação racial é legalizada em Israel, e casos como este não são nenhuma novidade na nação mais racista e xenófoba do planeta.

Não é nenhuma novidade que o apartheid racial é legalizado e amplamente normalizado na sociedade sionista. Um exemplo das leis que garantem o direito israelense de ser racista é o fato de que todo proprietário pode se recusar a alugar imóveis para não-judeus, e é muito comum que árabes e negros sejam considerados vizinhos indesejáveis. Pra além das medidas de racismo governamental, existem as práticas cotidianas de uma sociedade profundamente embriagada com a ideia de sua superioridade racial, como nos mostra o caso recente de dois palestinos que foram expulsos de um voo porque cerca de setenta israelenses se enfureceram com a ideia de dividir o seu precioso espaço com árabes. Ou podemos citar o caso de outubro de 2015, quando uma reportagem do Channel 2 de Israel revelou que os hotéis da rede Crown Plaza alertavam seus clientes israelenses de que, infelizmente, teriam que passar pelo inconveniente de terem que dividir as áreas comuns do hotel com árabes. Os exemplos são infinitos.

O racismo israelense não é novidade, porém é muito comum que se pense que o preconceito sionista seja apenas islamofóbico ou anti-palestino. A propaganda de doutrinação sionista costuma usar, muito desonestamente, a existência de judeus etíopes para alegar que não existe preconceito contra negros em Israel. O caso desta empresa, no entanto, é apenas mais um dos inúmeros exemplos que provam que a sociedade israelense não é apenas paranoica com "questões de segurança" e "terroristas muçulmanos". Israel é uma sociedade xenófoba e higienista, que não vê problemas em tabelar o valor de mulheres de acordo com a cor de sua pele e origem étnica, da mesma maneira que não vê problemas na existência deHolot, um campo de concentração no deserto do Negev, construído para encarcerar ilegalmente negros refugiados e depois deportá-los à força para destinos aleatórios. Afinal, colonização, racismo e exploração do trabalho são elementos indissociáveis, e o sionismo moderno não é nada mais do que a perpetuação do colonialismo europeu.

Para saber mais sobre o racismo israelense contra povos africanos, recomendo o site (em inglês) do jornalista David Sheen, que compila reportagens e relatórios de ataques sionistas contra populações negras.

 

Imagens

Média: 3.5 (11 votos)

Recomendamos para você

15 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

O sionismo segue fielmente a lição dos seus mestres.

Próximo passo: Bordar um símbolos nas roupas como este abaixo.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Agora com filtro

imagem de Ricardo Staack
Ricardo Staack

Com a estrelinha na cor vermelha, de quebra, para demonizar o PT

Aqui no Brasil menina adolescente usou moletom vermelho está em perigo, passa um machucado bolsonarete, vai querer estuprar a garota "mesmo que ela não mereça" .  

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de franklin
franklin

O Israel remascente

O Israel remascente espiritual de Abraão sofre nas mãos do Israel político e racista que governa Israel e o mundo hoje.

Seu voto: Nenhum
imagem de Adão Paim
Adão Paim

igual a todos os lugares

Não sei o motivo do espanto. Aqui na nossa sociedade missigenada e tal  tem as mesmas praticas. Vai perguntar se uma dona de casa não tem preferências étnicas veladas para uma serviçal. Pelo menos são  autênticos.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Ricardo Staack
Ricardo Staack

Racistas autenticados

A miscigenação trás o progresso e afasta os imbecis racistas para sempre, que feneçam em paz. Talvez no inferno tenha uma tabelinha dessa. 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Roberto Monteiro
Roberto Monteiro

Quanto pagariam ao nosso Leônidas rsrsrsrs

por lá?

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Luciana Mota
Luciana Mota

As madames de São Paulo, já

As madames de São Paulo, já sabem aonde procurar mão-de-obra!

Afinal, não era para esse lugar (país essa invasão não é!) o hot spot para imigrantes tupiniquins instatisfeitos?

Luciana Mota.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Edu
Edu

"As madames de São Paulo, já

"As madames de São Paulo, já sabem aonde procurar mão-de-obra!"

Madames preconceituosas e gente rica escrota existe em qualquer lugar, não é só em SP.

Essa sua afirmação é tão xenófoba e preconceituosa quanto qualquer sionista.

Seu voto: Nenhum
imagem de Vixe
Vixe

Qual a surpresa???

A mim, nenhuma...

O SIONISMO por si só é racista e discriminador.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Pois é...

Mas pro leitor da Veja, do Estadão e pro comentarista do G1, quem não presta são os muçulmanos...

Seu voto: Nenhum (4 votos)

No Brasil a única proposta política da oposição é o golpe.

Quando a Justiça só pune de um lado, os bandidos já sabem qual lado escolher.

Nenhuma novidade. Israel é um

Nenhuma novidade.

Israel é um estado racista.

Nem mesmo uma constituição aquele país tem.

O predomínio do judaismo é uma aberração.

A teocracia israelense é evidente e raramente questionada.

O medo de receber a marca de "nazista" e "anti-semita" por rejeitar os absurdos raciais, religiosos e militares de Israel inibe as pessaos de criticar aquela merda de país.

Mas em algum momento os israelenses terão que pagar os abusos que tem cometido.

Pequena perda direi quando isto ocorrer. 

Não tenho piedade de racistas ou de militaristas, sejam eles alemães dos anos 1930 ou israelenses dos anos 2010. 

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de sabra arad
sabra arad

Isto só me dá uma grande

Isto só me dá uma grande tristeza, pois quem sofreu e não aprendeu a tolerância, desiste um pouco de si mesmo.

 

 

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Esse povo escolhido de Deus,

Esse povo escolhido de Deus, vou te contar !!!

Esse preconceito está enraizado na história do judeus. Quando da entrada  em Canaã, a terra prometida,  os judeus tinham  que expulsar ou matar todo o povo daquela terra.

Os heteus, amoreus, ferezeus, heveus, gigarseus,jebuseus...

Ao longo da história da humanidade, os judeus discriminaram ou foram discriminados, por ex. o Holocausto

 Por isso esse povo é refratário a tudo que não é judeu.

 

Seu voto: Nenhum (15 votos)

Consagre os seus sonhos e projetos ao Senhor, e eles serão bem sucedidos, creia.

gAS

Espera aí, vc tá criticando o preconceito sendo preconceituoso?

Ora, ora, francamente!

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Anarquista, tenho certeza que

Anarquista, tenho certeza que você foi uma boa aluna, e não faltava aula de interpretação de texto.

Tente outra vez.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Consagre os seus sonhos e projetos ao Senhor, e eles serão bem sucedidos, creia.

gAS

Qualquer comentário sobre um povo inteiro é PRECONCEITUOSO

Vc nao vai poder negar que fez isso só com sua soberba. Aliás, nao fui a única que reagi ao seu preconceito.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Moguga
Moguga

Não, meu querido. Eles são

Não, meu querido. Eles são refratários até ao que é judeu, porque o judaísmo não deve ser confundido com o Estado de Israel, assim como o Islã não se confunde com o Daesh.

A maior parte dos judeus não tem problemas com quem quer que seja e acha mesmo uma bobagem isso de "povo escolhido". Agora, tem essa linha Sionista que é essencialmente segregacionista.

Tem alguma coisa de parecido com o Nazismo, tanto que sionistas foram os maiores apoiadores do nazismo nos meios israelitas... e das correntes mais poupadas também.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Os judeus são os seus principais críticos.

Aqui mais uma vez é necessário fazer-se a diferenciação entre judeu e sionista.

Seu voto: Nenhum (12 votos)

Ouso pensar porque ouso pensar que ouso pensar.

 

imagem de JoãoPVC
JoãoPVC

  1) Só mostra o teu

 

1) Só mostra o teu preconceito. A diferença é entre judeu, sionista e racista. O racismo pode estar em todos os lugares.

2) O anúncio causou indignação entre israelenses sionistas e entre sionistas não israelenses. Ou tu achas que o combate ao racismos é exclusividade de brasileiros progressistas  anti-sionistas?

3) Em países como Brasil e EUA é comprovado que há diferenças salariais por etnia, independente do mérito.

 

Seu voto: Nenhum

Sacumé?

Ele ouve falar de uma atitude sionista e deduz, tá na bíblia, que todo judeu é assim; tem conhecimento dos crimes nazistas, conclui que todo alemão é assado; se o cara for índio, será assim e assado; se for árabe ou muçulmano, é claro que pertence ou apóia o ISIS; se for preto... é mais um fernadinho beiramar, idi amin, membro do boko haram ou soldado do tráfico.

Aí a gente chama o camarada de preconceituoso e racista e ele fica todo ofendidinho.

Seu voto: Nenhum (7 votos)

Agora com filtro

imagem de Vagalume do Brejo
Vagalume do Brejo

Acho o contrario, devemos

Acho o contrario, devemos sempre lembrar os judeus do facismo sionista, quem sabe assim eles se incomodam e partem para o enfrentamento. Pois se alguem tem de ter vergonha são os judeus.

Reproduzir a segregação não é soloção para os judeos.

Alias, este estado judeo é republicano ou não?

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Surreal.

.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Vagalume do Brejo
Vagalume do Brejo

Surreal não, a mais pura

Surreal não, a mais pura realidade cotidiana. 

Seu voto: Nenhum

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.