newsletter

Assinar

Fora de Pauta

O espaço para os temas livres e variados.

Média: 2.6 (5 votos)
20 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

Lava Jato

Eu acredito no juiz Sérgio Moro

 

                                                           

Eu acredito em Moro como juiz da Globo, do PSDB e a serviço da entrega da Petrobrás! Moro, assim como o ministro Joaquim Barbosa, receberam o prêmio da Globo como “Homem que faz a diferença”.  Ambos os juízes estão a serviço do PSDB, pois tanto no mensalão como na Lava Jato nenhum tucano foi convocado,  julgado ou preso. Na Ap 470, conhecida como mensalão, os crimes dos tucanos foram anteriores ao do PT e nem sequer foram julgados e estão prescrevendo.

Na lava Jato, vários senadores do PSDB foram citados como Antonio Anastasia, Aécio Neves (duas vezes), o falecido Sérgio Guerra e Aloysio Nunes; e o governo de FHC na Petrobrás, citado em várias delações, e ainda com o reconhecimento do próprio FHC, que em seu livro afirma que havia corrupção na Petrobrás. E, mesmo com tudo isso, nenhuma ação na Lava Jato contra os tucanos!


Moro quer entregar a Petrobrás, pois se não bastasse fazer de tudo pra desmoralizar a empresa, chamou os procuradores americanos para vir investigar a Petrobrás por conta da corrupção, o que forneceria a eles provas para entrarem com ação contra a empresa brasileira. Logo eles, que estão doidos para levar nosso pré-sal, pois só têm petróleo para três anos. Para ser  coerente, Moro teria que mandar os procuradores brasileiros investigarem a petroleira Chevron americana, denunciada em 2009, pelo Wikeleaks, na troca de telegramas entre executivos da Chevron e o senador Jose Serra, no sentido de favorecer a empresa americana e prejudicar a Petrobrás. Moro, além de prejudicar a Petrobrás, legitimou a espionagem americana.


A Globo, que premiou os dois juízes,  sempre fez campanha para entregar a Petrobrás, tanto que, na década de 90, quando FHC tentou privatizar a empresa, a Globo, em campanha maciça na mídia, comparava a Petrobrás a um paquiderme e chamando os petroleiros de marajás. A resposta da Petrobrás veio com o desenvolvimento de tecnologia inédita que permitiu a descoberta do pré-sal, que os críticos diziam que estava adormecido no fundo do mar, entretanto o pré-sal já produz mais de hum milhão de barris por dia,  o suficiente para abastecer juntos todos os países do Mercosul. Mesmo assim, a Globo teve a cara de pau de publicar em editorial: “O pré-sal pode ser patrimônio inútil”.


Voltando à Lava Jato, a mentira tem sido uma arma dessa Operação: o próprio juiz Sérgio Moro foi autor da mentira vazada para imprensa com provável intuito de desgastar o governo Dilma de que faltaria dinheiro para operação Lava Jato. “PF nega falta de recursos na sede da Lava Jato” O Popular, 10/01/2016 06:01.
Outra mentira também, na véspera da eleição, plantada na mídia, vazada diretamente da Lava jato de que Lula e Dilma saberiam da corrupção na Petrobrás. Vide anexo.
O Lava Jato, além dos grampos ilegais, vazamento seletivo, prisões arbitrárias, blindagem aos tucanos, é um antro de contradições. Além do juiz Moro e suas derrapadas; os delegados que compõem a operação fizeram campanha para Aécio Neves, e chegaram a chamar Lula e Dilma de anta, em blog de campanha. E todos os procuradores, que compõem a força tarefa da Lava Jato, fizeram campanha contra o procurador Geral da República, Geraldo Brindeiro, nomeado por FHC, que engavetava todas as denúncias. Por não conseguir investigar nada, nesse período, esse grupo de procuradores  se denominava “Tuiuiús”, pássaro do Pantanal do Mato Grosso que não consegue levantar voo. Hoje esse grupo compõe a Lava Jato e, podendo investigar a todos, blinda os tucanos.      

Aliás, é bom lembrar que, nos governos do PT, foram criadas as condições para que, pela primeira vez, corruptos e corruptores estão indo para a cadeia. Isto é muito bom! Pena que os piores corruptos estejam ainda blindados!


Diante de todo esse quadro, eu afirmo que acredito no Juiz Sérgio Moro, mas como juiz da Globo, do PSDB e a serviço da entrega da Petrobrás.

 

Fonte: Mentira contra Lula e Dilma Lula: http://jornalggn.com.br/noticia/a-informacao-que-pode-elucidar-a-fala-de...         

Rio de Janeiro, 17 de fevereiro de 2015

OAB/RJ 75 300             

End.: Praia do Flamengo nº 100, apto. 905, CEP 22210-030;              

Emanuel Cancella é coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).

OBS.: Artigo enviado para possível publicação para o Globo, JB, o Dia, Folha, Estadão, Veja, Época entre outros órgãos de comunicação.


 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Vivi Lefay
Vivi Lefay

Velho. Já foi a post.

Velho. Já foi a post.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Piso do magistério: os 08 anos de uma conquista extraordinária

PISO NACIONAL DO MAGISTÉRIO COMPLETARÁ OITO ANOS - O piso nacional do magistério passou em 2016 para R$ 2.135,64. 

O valor deve ser pago para docentes com formação de nível médio com atuação em escolas públicas com 40 horas de trabalho semanais.

O piso nacional, reivindicação histórica da categoria, foi aprovado pelo governo Lula em 16 de julho 2008, através da Lei Nº 11.738. O Ministro da Educação era Fernando Haddad, atual prefeito de São Paulo. 

O piso entrou em vigor em 2009 com um valor fixado no montante de R$ 950,00. De 2009 a 2016 o piso teve um aumento nominal de 124,80% (passou de R$ 950,00 para os atuais R$ 2.135,64). 

No mesmo período o salário mínimo aumentou 89,24% (partiu de R$ 465,00 em 2009 para os atuais R$ 880,00).

A inflação oficial acumulada no período (IPCA, índice acumulado entre 2009 e 2015) ficou em 55,31%.

Entre a implementação da legislação (2009) e 2016 o aumento no piso nacional dos professores ficou na média de 12,2% ao ano. 

Mantida a progressão verificada até aqui chegaremos a 2020 com um piso nacional equivalente a R$ 3.384,53. 

Convém lembrar que um aumento anual médio de 12,2% equivale a dobrar um valor determinado no espaço de apenas 06 anos. 

Ou seja, com a progressão dos aumentos no piso do magistério mantida, chegaríamos a 2022 com o valor fixado em R$ 4.260,74 (praticamente o dobro do piso atual, valorado em R$ 2.135,64). 

Todos estes números e progressões que cito servem para que se aprimore, tanto quanto possível, o hábito de acompanhar a evolução das séries históricas e não apenas alguns dados esparsos e soltos no ar. 

É verdade que o piso de R$ 950,00 fixado em 2009 era irrisório. Mas também é verdade que este valor mais do que dobrou desde lá até aqui. 

Também é verdadeiro dizer que mantida a progressão apurada entre 2009 e 2016, chegaremos a 2022 - data que está logo ali - com o dobro no valor atual do piso do magistério, como foi demonstrado logo acima. 

Se ser professor a 10 anos era quase um ato de fé (ou uma penitência), sê-lo hoje já começa a ficar interessante. 

Daqui a pouco tempo voltará a ser, em termos salariais, uma excelente carreira.

Por fim, não esqueçam: o que vale mesmo é o aumento real (aumento nominal menos a inflação do período). 

Temos tido aumentos reais de 2009 para cá e é isto o que de fato importa. Que continue assim.

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Diogo Costa

A falácia do prejuízo com o "represamento" na Petrobras

LUCRO LÍQUIDO DA PETROBRAS E A FALÁCIA DO "REPRESAMENTO" - Seguem os dados consolidados do lucro líquido da Petrobras no passado recente:

2011: R$ 33,3 bilhões
2012: R$ 21,2 bilhões
2013: R$ 23,6 bilhões
2014: R$ -21,5 bilhões¹
2015: R$ 2,1 bilhões²

É uma grotesca falácia dizer que a Petrobras "quebrou" em função do "represamento" de preços praticados entre 2011 e 2014.

O lucro líquido acumulado entre 2011 e 2013 - 78,1 bilhões de reais - desmonta automaticamente a fantasiosa tese do "represamento".

O prejuízo de 2014 se deveu principalmente ao impairment, aos reflexos da Operação Lava Jato e ao começo da queda na cotação do petróleo.

Para se ter uma ideia, a receita operacional (valor adquirido com vendas de produtos e serviços) da Petrobras cresceu 11% no ano de 2014, em relação a 2013.

Os desmemoriados de plantão deveriam lembrar também que apenas em 2013 houveram 03 aumentos de combustíveis, algo que mais uma vez transforma em poeira cósmica a tese do "represamento de preços".

De meados de 2014 em diante, com especial destaque para 2015, o fator queda brutal na cotação do barril de petróleo impactou muito mais a Petrobras do que qualquer outro fator existente.

Aliás, impactou as petroleiras do mundo inteiro.

Termino informando o valor do lucro líquido médio da Petrobras nos governos Lula e Dilma:

-Governo Lula (2003 a 2010): média anual de R$ 25,4 bilhões de lucro líquido
-Governo Dilma (2011 a setembro de 2015): média anual de R$ 11,7 bilhões de lucro líquido

Em julho de 2008, pouco antes do Crash de 15 de setembro, o barril de petróleo do tipo Brent atingiu o seu pico, no valor de US$ 147.

O pico no governo Dilma foi de 128 dólares (2012) e a partir de junho de 2014 a commodity entrou em queda livre (debacle de 75%).

Hoje o barril do Brent custa US$ 33.

¹ Prejuízo de R$ 21,5 bilhões no exercício de 2014 devido à perda de R$ 44,6 bilhões por desvalorização de ativos (impairment). O valor da baixa de gastos adicionais capitalizados indevidamente no ativo imobilizado oriundos do esquema de pagamentos indevidos descoberto pelas investigações da Operação Lava Jato (baixa de gastos adicionais capitalizados indevidamente) foi de R$ 6,1 bilhões.

² Lucro líquido consolidado até o terceiro trimestre. O resultado do último trimestre, e consequentemente o de todo o ano de 2015, deve sair até o final deste mês.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Diogo Costa

Petrobras: alvo prioritário de teses mistificadoras e mentirosas

BAQUE MUNDIAL NO SETOR PETROLÍFERO - Desde junho de 2014 a cotação do petróleo caiu aproximadamente 75%. É uma queda violenta em pouco mais de 18 meses. 

Essa derrocada brusca no valor do "ouro negro" está afetando profundamente as empresas do setor petrolífero mundial. 

Aqui em Pindorama se cria um clima de caos em torno da Petrobras, como se a queda no lucro líquido da empresa fosse uma consequência direta dos processos de corrupção ou de hipotéticas incompetências administrativas. 

Isto, evidentemente, é uma abordagem estúpida e mistificadora. 

A Petrobras fatura quase 1 bilhão de reais por dia e até agora o que se tem - segundo o Ministério Público Federal - são valores próximos de R$ 6 bilhões que foram subtraídos da companhia através de contratos superfaturados feitos pelo cartel das empreiteiras. 

Este valor é terrível e os culpados devem ser punidos. Mas não é isso que está afetando a empresa (o valor dos mal feitos, em comparação com o faturamento e o patrimônio, é ínfimo).

Para se ter uma ideia, em julho do ano passado a British Petroleum concordou em pagar uma astronômica multa, de US$ 18,7 bilhões (aproximadamente 74 bilhões de reais), para encerrar o caso do vazamento de petróleo ocorrido no Golfo do México, no ano de 2010.

Este valor é muitíssimo maior do que o valor apurado até agora nas supostas corrupções e desvios da Petrobras. 

Possivelmente a Petrobras apresente o balanço de 2015 até o final deste mês e aí poderemos compará-lo com o de outras petroleiras. 

O que se sabe até agora é que o lucro líquido da Petrobras, apurado entre janeiro e setembro de 2015, é 58% inferior ao lucro líquido apurado no mesmo período, no ano de 2014. 

Vejam agora o panorama do lucro líquido de outras grandes petroleiras: 

1) Variação do lucro líquido da gigantes do setor do petróleo (2015 em relação a 2014)¹:

-Exxon: -50,3%
-Shell: -87,0%
-Chevron: -76,1%
-BP: -271,4%
-Pemex: -133,8%
-Statoil: -222,7%
-Conjunto das petroleiras citadas: -97,7%

O que se constata é que a queda do lucro líquido da Petrobras em 2015 é uma das menores entre as grandes petroleiras do mundo (só ficou atrás da Exxon). 

É triste ver como os temas petróleo, desinvestimento, Petrobras e lucro líquido são abordados aqui no Brasil. 

Até com isso se faz proselitismo ao invés de informar de fato o grande público a respeito do quadro internacional.  

O que se vê no Brasil é um ataque coordenado que tem o objetivo nítido de mentir sobre a empresa com o fito de abrir a exploração do pré-sal para as multinacionais (como se já não houvesse abertura suficiente...). 

¹ http://www.valor.com.br/empresas/4425414/lucro-liquido-das-gigantes-recuou-98-no-ano-passado

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Diogo Costa

imagem de Palhaço Goiabada
Palhaço Goiabada

No PIG, quase neinguém fala da lavanderia dos donos da Globo

Desenhando, fica mais fácil entender?

aroeiratri

Hoje, com toda a razão, o Paulo Nogueira, no Diário do Centro do Mundo, saúda o cartunista Laerte por ter rompido, com sua charge de hoje na Folha (veja abaixo) o muro de silêncio que se fez em torno da descoberta de que a mansão dos Marinho em Paraty, construída em área proibida e objeto, por isso e outras coisas, de um processo judicial pertence – oficialmente –  a uma empresa “agropecuária”, 90% de propriedade de um grupo panamenho e outros 10% pertencentes a uma senhora que vive em um modesto apartamento no Grajaú, baixo da Zona Norte do Rio.

Ver matéria completa em 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

A longa marcha da recuperação econômica

PROJEÇÃO DO PRODUTO INTERNO BRUTO (EM TRIMESTRES) - A recessão pela qual passamos é intensa mas não durará para sempre, evidentemente. 

Até agora temos os resultados consolidados dos 3 primeiros trimestres de 2015 e temos algumas projeções para o último trimestre do ano passado e para os trimestres do ano corrente. 

Trago a baila as projeções conservadoras do banco Itaú¹ a repeito da recuperação econômica do Brasil (e também os resultados consolidados):

1) PIB brasileiro/trimestre sobre o trimestre anterior (variação trimestral dessazonalizada) 

1º trimestre de 2015: -0,8%
2º trimestre de 2015: -2,1%
3º trimestre de 2015: -1,7%

Os 3 primeiros trimestres de 2015 tem resultados consolidados. Agora seguem as projeções:

4º trimestre de 2015: -1,5%

1º trimestre de 2016: -1,1%
2º trimestre de 2016: -0,4%
3º trimestre de 2016: -0,3%
4º trimestre de 2016: -0,2%

1º trimestre de 2017: 0,1%
2º trimestre de 2017: 0,3%
3º trimestre de 2017: 0,4%
4º trimestre de 2017: 0,6%

Tem-se, portanto, que a economia começará a se recuperar e crescer a partir do início do ano que vem, segundo o Itaú. 

Ainda estamos em queda do PIB mas essa queda diminui cada vez mais. A maior queda ocorreu no 2º trimestre de 2015 (-2,1%) e de lá para cá as quedas tem diminuído de trimestre em trimestre. 

Como toda e qualquer projeção, essa do Itaú - e outras várias - está sujeita a mudanças de rota de acordo com as conjunturas nacional e internacional. 

Mas o que importa, penso eu, é que saibamos que a tendência é de abrandamento das quedas trimestrais do PIB, o que indica uma linha de recuperação econômica no médio prazo. 

A conferir.

¹ https://www.itau.com.br/_arquivosestaticos/itauBBA/contents/common/docs/Revisao_de_Cenario_Brasil_201602_.pdf

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Diogo Costa

imagem de Free Walker
Free Walker

Música Instrumental Catarinense.

A vocação de Santa Catarina é a música instrumental. Com gerações de virtuoses e estudiosos, o Estado reverbera a chamada escola musical do Sul do país com músicos conectados ao resto do mundo e às raízes brasileiras. São artistas desapegados de gêneros e que bebem na fonte da tradição e da modernidade, desde as bandas militares no século 19 até os gênios da nova geração. Mestres como Hermeto Pascoal, Arismar do Espírito Santo e Yamandu Costa amam tocar aqui e dizem que o segredo é: SC inspira. 

 Os três elementos básicos da música – melodia, ritmo e harmonia – são metáforas para explicar essa vocação. Em reportagem especial multimídia, confira dois webdocumentários que contam a história da música instrumental em SC e como o Estado se tornou referência no gênero para o resto do país e do mundo.

http://dc.clicrbs.com.br/sc/entretenimento/noticia/2016/02/santa-catarina-se-consolida-como-a-terra-da-musica-instrumental-4976355.html

Seu voto: Nenhum (1 voto)

O combatido "Bolsa Família" visto de fora

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Suspenso depoimento de Lula - do 247

247 - Uma decisão proferida no final da noite desta terça-feira (16) pelo Conselho Nacional do Ministério Público suspendeu o depoimento do ex-presidente Lula e da ex-primeira-dama Marisa Letícia no inquérito aberto para averiguar a propriedade de um triplex no Guarujá. A audiência ocorreria às 11h desta quarta-feira (17).

O conselheiro Valter Araujo, do CNMP, concedeu liminar em pedido do deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) por entender que Cassio Conserino não é o "promotor natural" para conduzir o inquérito.

Na decisão, ele deferiu parcialmente o pedido de medida liminar, "a fim de tão-somente suspender a prática de qualquer ato pelo Requerido relacionado aos fatos narrados neste Pedido de Providências, em especial no âmbito do PIC nº 94.2.7273/2015, até que o Plenário deste CNMP delibere sobre a alegação de ofensa ao princípio do Promotor Natural na hipótese dos autos".

O pedido

Paulo Teixeira (PT-SP) protocolou, nesta terça (16), a representação junto ao CNMP contra o promotor Cássio Conserino, de São Paulo, que anunciou aos meios de comunicação que indiciaria o ex-presidente Lula e sua esposa Marisa Letícia – por lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio – antes mesmo de ouvi-los em depoimento.

Segundo o parlamentar, o promotor tem objetivos políticos no caso e extrapolou das suas prerrogativas funcionais. “O objetivo da representação é pedir a suspensão da ação promovida pelo promotor porque ela é ilegal. Ele não tem competência para fazer essa investigação. Por um lado, se está vinculada ao tema da Bancoop, a 1ª promotoria é a que possui a competência, e não a 2ª, onde ele está lotado. Além disso, ao tomar conhecimento de alguma irregularidade ele deveria distribuir a denúncia, mas não o fez. Então ele está usurpando da condição de promotor natural”, argumenta Teixeira, que pede na representação a distribuição do processo aberto por Conserino à 1ª Promotoria Criminal da Capital do Estado de São Paulo.

“O promotor fez um prejulgamento ao antecipar seu juízo antes mesmo de ouvir o ex-presidente Lula. Com isso ele comprova que agiu sem o equilíbrio requerido pela função de quem investiga. Além disso, o promotor tenta influenciar a sociedade ao vazar documentos, como ele fez, numa atitude política, ilegal, que fere a lei orgânica do Ministério Público”, acrescenta Teixeira.

Na opinião do deputado, é o promotor que deve ser alvo de investigação, e não o ex-presidente Lula, “contra o qual não pesa qualquer acusação ou suspeita que justifique a abertura de um procedimento investigatório”.

Cássio Conserino fez as declarações com base na cobertura midiática de um apartamento no Guarujá (SP) cuja propriedade alguns órgãos da imprensa tentaram atribuir ao ex-presidente. A intensa cobertura do episódio foi encerrada repentinamente, tão logo foi descoberto que vários apartamentos no edifício pertencem à Murray Holding, subsidiária da empresa panamenha Mossack Fonseca que tem vínculos com a Agropecuária Veine, que figura como proprietária da mansão da família Marinho – controladora da Rede Globo – construída ilegalmente em área de proteção ambiental em Paraty (RJ) e também é dona do helicóptero usado pelos herdeiros de Roberto Marinho.

"Abusou"

O deputado federal Elvino Bohn Gass (PT-RS) comentou a decisão no Twitter: "Conselho do Ministério Público suspendeu a audiência que ouviria, amanhã, o ex presidente Lula. A decisão do Conselheiro se baseia que o promotor abusou de suas atribuições ao assumir um inquérito q não era de sua responsabilidade"

Seu voto: Nenhum

Passeio virtual pelo Marinhos's Triplex (externas)

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Viabilidade das teses de Sanders

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Palhaço Goiabada
Palhaço Goiabada

Os fodões que querem bagunçar o coreto

Foto Publicada em 16/02/2016 no Conversa Afiada

o culpado_phixr.jpg

Do amigo navegante Jonas Vaquer

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Irene Rir
Irene Rir

A Globo pagou, indiretamente, propina para FHC

http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2016/02/miriam-dutra-del...


Miriam Dutra "delata": Globo proporcionou vantagens para FHC.

 

A ex-namorada de FHC, Miriam Dutra, saiu da TV Globo após 35 anos de contrato e agora concedeu entrevista. Deixo de lado as questões pessoais e separei os trechos em que relata a relação profissional com a Globo.

Ela revela que em 92, 93 e parece que em parte de 94 trabalhou de fato como jornalista em Portugal, fazendo reportagens.

A partir de 94, ano em que FHC despontou como candidato favorito e apoiado pela Globo, ela foi retirada do ar e colocada na geladeira. Disse que ficou 10 anos em Barcelona contratada pela Globo sem fazer nada (entendi que foi por volta de 1995/1996 até 2005/2006). Depois passou por Londres e Madri, onde também pouco a deixaram trabalhar.

Disse que o contrato, alegando direito de imagem, a proibia de dar entrevistas ou aparecer em outras mídias. E disse que era do interesse de FHC mantê-la longe dos holofotes e do Brasil, porque ele temia atrapalhá-lo nas eleições presidenciais que disputou.

Desse conjunto de fatos descritos, dá para deduzir que a Globo proporcionou vantagens para FHC, pagando uma funcionária para não fazer nada e ficar em silêncio. E ao ficar com medo da revelação do segredo, FHC ficou na situação de comer na mão da Globo.

Lembremos que FHC sempre atendeu com digamos, generosidade, os interesses das Organizações Globo em seu governo.

Nestes tempos de inquisição, fosse FHC petista e fosse a TV Globo outra empresa, seria grande a chance de dez anos de salários para não trabalhar ser tratado como pagamento de vantagem, ou seja, propina.

A entrevista inteira está publicada no Conversa Afiada.

Seu voto: Nenhum
imagem de Vergueira
Vergueira

A canalhice de quem se julga intocável

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Miriam Dutra detona FHC, Globo e Mario Sergio Conti

Brasil 247

Miriam Dutra detona FHC, Globo e Mario Sergio Conti

 

:

Depois de 30 anos de silêncio, a jornalista Miriam Dutra, que teve um caso com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, falou pela primeira vez sobre a relação entre os dois; em entrevista à revista BrazilcomZ, ela conta como foi seu "exílio" decretado pela Globo, quando vazaram as notícias de que FHC tinha um filho fora do casamento; "Eu passei muita dificuldade, muita solidão, focada nos meus filhos, e tentando muito sempre trabalhar e pedindo pra Globo, pelo amor de Deus pra fazer alguma coisa, e eu era sempre cortada, sempre cortada", conta; ela revelou ainda que FHC a obrigou a conceder uma entrevista a Veja, dizendo que o pai da criança era um biólogo – e não o ex-presidente (o que depois não se confirmou com o teste de DNA); "Foi Fernando Henrique com Mario Sergio Conti", afirmou, apontando o ex-diretor da revista (hoje na Globonews) como responsável pela armação; em relação ao ex-presidente, ela o qualificou como uma pessoa que gosta de "fazer tudo sorrateiramente e posar de bom moço"

16 de Fevereiro de 2016 às 20:29

 

247 – Depois de 30 anos, a jornalista Miriam Dutra, que foi uma das principais profissionais da televisão brasileira, resolveu quebrar o silêncio em relação a seu caso extraconjugal com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

A entrevista é reveladora. Ao mesmo tempo em que qualifica FHC como uma pessoa sorrateira e manipuladora, Miriam também aponta os bastidores da blindagem midiática em torno do caso. Enquanto a Globo decidiu exilá-la em Portugal, Veja publicou uma entrevista em que ela própria contava uma mentira para proteger FHC: a de que seu filho era fruto do relacionamento com um biólogo.

Antes da disputa presidencial de 1994, quando FHC se elegeu presidente pela primeira vez, vários veículos de comunicação investigaram a história do filho extraconjugal do então candidato tucano. Mas nada foi publicado.

Miriam só decidiu falar após ter saído oficialmente da Rede Globo, onde já não aparecia nem por meio de buscas no site, numa entrevista a uma revista internacional, focada no Brasil.

No depoimento, ela conta à repórter Fernanda Sampaio, da revista BrazilcomZ, os bastidores de seu relacionamento com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e as consequências da gravidez de Tomas Dutra Schimidt, que seria filho presumido de FHC – uma história sempre abafada pela imprensa brasileira.

Miriam conheceu Fernando Henrique quando o tucano era suplente de Franco Montoro, que assumiu o governo de São Paulo (83-87). Ela comenta o fatídico episódio em que FHC se sentou na cadeira de prefeito de São Paulo antes do resultado das eleições: "Ele se acha o máximo". Depois de anos, tentou romper o relacionamento. "Ele não deixava romper... ele me perseguia... quando eu ia sozinha nos lugares, ele ia atrás".

Miriam também disse que ficou 'assustada' quando o político começou a fazer de tudo para assumir o poder. "Ele mudou muito, me assustou". Disse que "era apaixonada por ele" e que o ex-presidente dizia que ela era para ele um pé na realidade. "Ele era muito... como é que eu vou falar... da aristocracia de São Paulo... sabe? Irreal".

Sobre a gravidez de Tomas, em janeiro de 1990, afirma que quis ter o filho. "Eu tive uma relação de seis anos, fiquei grávida, decidi manter a gravidez, então é meu. Eu sou uma mulher, eu que decido isso! Se eles não querem, eles que se cuidem". Ela nega uma história relatada pelo jornalista Palmério Dória, autor do livro Privataria Tucana, de que teria sido chamada de 'rameira' pelo então senador, quando teria ido ao seu gabinete comunicar a gravidez.

"Eu nunca fui ao gabinete dele! Ele dormia na minha casa, eu não precisava disso", rebateu. "Como ele tinha histórias com secretárias, assistentes, com milhões de jornalistas, ele [Palmério] deve ter me confundido com outra pessoa", provocou a jornalista. "Até agora, tudo o que foi publicado sobre mim foi mentira", ressaltou Miriam.

Ao falar do famoso exame de DNA, que teria dado resultado negativo, ela diz que foi o próprio FHC quem divulgou: "Ele divulgou! E isso me prejudicou muito. É o estilo dele: fazer tudo sorrateiramente e posar de bom moço". Ela desmente a história de que Fernando Henrique teria decidido assumir o garoto mesmo não sendo seu filho. "O Tomas nunca teve pai, nunca foi reconhecido", afirma. "Se falarem... provem! Porque eu nunca vi nenhum documento. Essa história de que veio aqui em Madri é tudo mentira!".

Questionada sobre o episódio em que FHC teria ido até aos Estados Unidos se encontrar com Tomas para um segundo teste, ela responde: "Eu acho que é mentira, porque eu só vi um documento, mas todo mundo pode enganar com um DNA". Miriam diz ainda que nunca proibiu que se fizesse o exame de DNA. "Ao contrário, eu sempre incentivei que fizesse, que tivesse contato, essa coisa toda". Outra importante revelação feita pela jornalista é a de que FHC, segundo ela, a forçou dar uma entrevista à revista Veja: "Me obrigou a dar uma entrevista pra Veja dizendo que o pai do meu filho era um biólogo. Foi Fernando Henrique com Mário Sérgio Conde (Mário Sérgio Conti, ex-diretor da revista, hoje na Globonews)".

"Exílio" da Globo

Ao contrário do que já foi divulgado, a jornalista assegura que foi ela quem decidiu sair do Brasil. "Eu decidi sair sozinha do Brasil, ninguém me mandou pra fora, isso é muito importante ficar bem claro, ninguém me mandou embora!". Ela descreve o cenário na Globo à época: "me colocaram abaixo de qualquer coisa". "Aquele 'Globo memória' eles não me colocaram. Eu fui a primeira mulher que fiz o Bom Dia Brasil, eles não me colocaram, não colocaram sequer o meu nome. Tentaram apagar a minha imagem, porque não interessava pra eles".

"Esse exílio foi muito pesado e todo mundo achando que era um exílio dourado, que eu estava super bem. Eu passei muita dificuldade, muita solidão, focada nos meus filhos, e tentando muito sempre trabalhar e pedindo pra Globo, pelo amor de Deus pra fazer alguma coisa, e eu era sempre cortada, sempre cortada", conta.

O prejuízo na carreira é a coisa que mais lhe dói nessa história, admite à repórter. "Agora meu trabalho sempre foi tão importante pra mim, isso me dói. Ter lutado tanto e de repente, por um homem completamente manipulador e por ter trabalhado em um grupo de comunicação tão... eu queria usar um verbo, mas não me permito usar esse verbo... eu fui prejudicada".

Leia aqui a íntegra da entrevista.

https://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/217314/Miriam-Dutra-detona-FHC-Globo-e-Mario-Sergio-Conti.htm

Seu voto: Nenhum (2 votos)

webster franklin

imagem de evandro condé de Lima
evandro condé de Lima

Li a entrevista

Eu ainda não entendi- o Nassif deve ter suas razões - como ainda não foi replicado aqui no blog. Até que gostaria de saber.

Seu voto: Nenhum

Quanta sordidez para proteger

Quanta sordidez para proteger um político sem escrúpulo! Haja sofrimento dessa jornalista entregue as feras!!!

Seu voto: Nenhum (2 votos)

webster franklin

CINCO ECONOMISTAS NO DESERTO

CINCO ECONOMISTAS NO DESERTO - O Programa Roda Viva de ontem, na TV Cultura, discutiu a crise economica brasileira. Cinco economistas foram convocados: Bresser Pereira, Luis Gonzaga Belluzo, Marcos Lisboa, Samiel Pessoa e Amir Khair, todos economistas veteranos de nomeada, largamente conhecidos do publico.

Ninguem esteve de acordo com ninguem, diagnosticos completamente diferentes, visões de processos e de movimentos que nada tinham a ver um com outro. Bresser como sempre um pouco confuso, Belluzo fazendo outro tipo de confusão,

Pessoa com visão sociologica vendo pactos do povo consigo mesmo, Lisboa com todo o vestuario intelectual neoliberalissimo, Khair foi o mais curto e preciso, na minha visão o melhor debatedor da noite.

Nenhum deles teve propostas simples e claras para a crise economica brasileira porque são economistas mais academicos que operacionais, embora alguns tivessem tido cargos de comando com avaliações contraditorias.

Na minha visão o grande dirigente de economia deve ser um politico de alta categoria e não um economista, aliás esse é o conceito americano, onde muito raramente o Secretario do Tesouro, equivalente ao nosso Ministro da Fazenda, é um economista, são quase sempre empresarios, advogados ou executivos, o unico economista profissional no periodo recente foi Lawrence Summers que todavia era menos academico e mais operador vom experiencia diversificada.

No Brasil grandes Ministros da Fazenda, com comando operacional de soluções rápidas e sólidas foram por exemplo Oswaldo Aranha, Ministro nas decadas de 30 e 50, sem ser economista, Horacio Lafer, industrial, Ministro do segundo Governo Vargas, Sebastião Paes de Almeida, comerciante, Ministro de JK.

 

Comandante da economia é 90% capacidade de operação politica e 10% conhecimento teorico.

Khair atacou o nervo de forma precisa: a conta de juros da divida publica é muito mais importantes do que o deficit primario, a conta de juros é sete vezes maior que o ajuste fiscal de que tanto se fala e ninguem fala na absurda conta de juros.

As taxas de juros praticadas pelos bancos brasileiros são na média (ele trouxe dados estatisticos) ONZE vezes maiores que a inflação, enquanto nos EUA, União Europeia e Japão o custo do dinheiro está menor que a inflação.

Segundo Khair as taxas de juros são o verdadeiro freio ao crescimento economico e induzem a  recessão.

Bresser dá importancia quase total à abertura excessiva e mal feita da economia no Governo Collor secundada pela globalização financeira do Governo FHC, Belluzo dá importancia capital à taxa de cambio, Pessoa falou um disparate ao comentar a importancia que Bresser dá à industria, disse que a industria não é assim tão importante, Lisboa ve tudo tão ruim que é melhor os brasileiros se suicidares, está tudo uma tragedia, é o diapasão dos economistas de mercado.

Na verdade a economia brasileira está muito longe de estar tão ruim como essas analises apontam. Com reservas cambiais de 370 bilhões de dolares, maior exportador de soja e carne do mundo, bovina, aviaria e suina, com gigantescos recursos naturais, o Brasil tem um economia desajustada que todavia tem fatores muito melhores que nas crises do passado, que foram resolvidas sem que o Pais deixasse de existir, ao contario, nas crises do passado o Brasil cresceu nas medias dentro das decadas mesmo com deficiencias muito superiores às de hoje, a economia de 46 a 85 nunca perdeu o dinamismo.

O que vemos agora é uma campanha de auto flagelação e de negativismo que não havia nas crises anteriores e essa é

a grande dificuldade de retomada do crescimento, a campnha interna alimenta a campanha externa, nós mesmo fornecemos os argumentos para sermos atacados pela midia e pelo mercado financeiro internacional, quando no mundo vemos crises muito maiores do que a nossa sendo administradas com mais "molejo" e mais auto confiança que por

aqui desapareceu. Definitivamente o problema de nossa economia e antes de mais nada psicologico e politico, os economistas não tem muita contribuição a dar neste cenario.

Seu voto: Nenhum

Trumbo: O homem íntegro diante de um tribunal de exceção

O filme 'Trumbo', mesmo que o filme não faça justiça ao protagonista, mostra como se comporta um homem coerente diante de tribunais de exceção

http://cartamaior.com.br/?%2FEditoria%2FCultura%2FTrumbo-O-homem-integro...

Seu voto: Nenhum (4 votos)

♦ Xô golpistas ♦

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.