Revista GGN

Assine

Grupo Abril faz parceria para editar “The Huffington Post” no Brasil

Jornal GGN – Meses depois da crise que decretou o fechamento de vários títulos de seu catálogo de impressos, da entrega dos direitos da MTV Brasil à matriz norte-americana e da demissão de centenas de funcionários, o Grupo Abril da família Civita anuncia um novo passo editorial. A empresa da revista Veja vai entrar para a lista de parceiros internacionais do The Huffington Post Media Group, com o objetivo de editar uma versão brasileira do “The Huffington Post” – um dos maiores portais de notícias e agregador de blogs dos EUA.

O anúncio oficial foi feito conjuntamente por Arianna Huffington, presidente do The Huffington Post Media Group, e Fabio Colletti Barbosa, presidente da Abril SA. A edição brasileira faz parte de uma estratégia de crescimento do grupo, que já conta com 40 sites editoriais e cerca de 30 títulos. O grupo norte-americano contabiliza cerca de 6 milhões de downloads de aplicativos de suas publicações, deixando parte deles entre os dez mais baixados.

“O rápido crescimento do Brasil, a vitalidade e a criatividade têm colocado o país no centro das conversas globais. Durante minhas visitas ao Brasil, e nas visitas dos nossos parceiros, eu vim a conhecer e respeitar profundamente a equipe da Abril. E estou particularmente animada sobre a parceria com eles para usar todos os recursos e ferramentas à nossa disposição para contar as histórias que precisam ser contadas e dar vozes e perspectivas de uma plataforma ainda maior para a expressão do Brasil”, disse Arianna Huffington.

“Para a Abril, será mais um passo importante em contribuir para a difusão da informação, cultura e entretenimento em nosso país. A posição do The Huffington Post na vanguarda do conteúdo digital, juntamente com o conhecimento do mercado brasileiro de Abril, fez esta parceria possível. Esta parceria nos permite acelerar a nossa entrada em novos modelos de negócios digitais, a fim de chegar a um outro segmento de clientes no Brasil como Huffington Post fez com outros parceiros em todo o mundo”, anunciou Barbosa.

Estratégia editorial

Também estiveram presentes ao anúncio Jimmy Maymann, CEO do Post Media Group Huffington, e Manoel Lemos, diretor digital da Abril. “Esta edição não vem só para colocar o HuffPost em seu nono país e no quinto continente, mas também vai nos colocar no centro de uma das regiões de maior crescimento no mundo. Brasil tem mais de 100 milhões de usuários de Internet, a quinta maior audiência em do mundo, e está crescendo rapidamente – 7,6 % ao ano até 2016, de acordo com pesquisas”, afirmou Maymann.

“Esta parceria representa o início de uma nova era para a nossa presença digital. Unindo a tecnologia do HuffPost e estratégia digital com nosso profundo conhecimento do público brasileiro em todos os segmentos em que atuamos, estamos com o objetivo de construir uma operação digital única e muito relevante”, destacou Lemos. Entre os objetivos da empresa norte-americana, também está a realização da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil.

Após o Brasil, ainda haverá o lançamento das edições em língua alemã do The Huffington Post, que também já está presente no Reino Unido, Canadá, França, Espanha, Itália, Magrebe e Japão. No total, são mais de 50 mil blogueiros em todo o mundo – entre políticos, estudantes, celebridades, acadêmicos e especialistas em política. O Huffington Post já foi vencedor do Prêmio Pulitzer – um dos mais importantes reconhecimentos jornalísticos do mundo. São 46 milhões de visitantes únicos mensais nos EUA e 78 milhões de visitantes únicos mensais em todo o mundo, segundo a empresa.

Sem votos
5 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

Concordo com o andrec, a

Concordo com o andrec, a aliança não faz sentido ideológico. O Huffington tem uma postura mais para o lado dos democratas, enquanto a Veja faz a linha dos republicanos, mas não sei dizer se isso ocorre em todas as versões internacionais, pois só conheço a americana e o andrec citou a espanhola.

E vale lembrar que desde 2011 o site é da AOL, então entrar num mercado grande como o brasileiro, no qual eles não conseguiram se manter no passado (como o Ivan apontou), pode ser mais importante que manter qualquer linha editorial.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Abril e Huffington não combinam

Quando morei em Madrid lia muito o huffington espanhol. Lá ele era claramente de esquerda e bastante questionador tanto da direita como da esquerda.

Na minha cabeça, eu não consigo entender pq se aliar ao grupo Abril, o grupo mais reacionário das américas.

Já nasce fadado ao fracasso.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de PauloBR
PauloBR

Pergunta: parceria ou venda

Pergunta: parceria ou venda disfarçada? Venda pode?

Seu voto: Nenhum

Huffington

Traduzindo, huffington é algo como bufando, irritado, atucanado, combina bem com a turminha dos Civitas. Vai ser a união do imperialismo americano, nazismo sul-africano e pouca inteligência da Abril.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Remindo Sauim

Bandalheira.

SOBRE INJUSTIÇAS COMETIDAS POR UMA IMPRENSA CONCENTRADA NAS MÃOS DE POUCOS - Como não é proibida a propriedade cruzada na área da comunicação, recurso que existem em muitos paises, nos EUA por exemplo, aqui um grupo vai acumulando tudo quanto é possível: Portais de internet, revistas, rede de tv, rádio, e junto com a Globo formam um pool, e ainda dizem que por aqui há liberdade de imprensa, de empresa sim, de imprensa não, daí que temos uma mídia tão poderosa que foi capaz de criar a versão para um crime que não existiu (não estou falando da Escola Base e sim do mensalão) e instalaram um tribunal de exceção para que, com base num crime que não foi cometido, impor pesadas penas aos réus. E ainda há quem aplauda essa bandalheira. Este vídeo remete a agluns erros da imprensa, dentre eles o "mensalão", só para termos idéia do quanto é danoso uma imprensa que funciona em forma de pool, de oligopólio, sem diversidade e concorrência entre os veículos de comunicação, o que torna fácil a manipulação das massas na hora de condenar inocentes.

E olhe lá que do caso Escola Base só participaram a mídia e a policia, enquanto que para sustentar o mentirão convergiram 4 grandes e poderosas forças, o bando dos quatro: Oposição, mídia, STF e PGR

Seu voto: Nenhum (2 votos)

 

...spin

 

 

imagem de Ivan de Union
Ivan de Union

Otima maneira de interessar

Otima maneira de interessar as pessoas nos insuportaveis comentarios deles.  Porque eu nao pensei nisso antes?

Eles estao planejando sair do Brasil com o rabo entre as pernas igual a AOL?  Entao eh um otimo plano.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.