Revista GGN

Assine

O balanço econômico e político do período militar

Foi um equívoco o editorial da “Folha” sobre o regime militar. Nele, deplora-se a violência, mas considera-se a modernização tecnocrática proporcionada pelo regime.

Diz que em vinte anos a economia cresceu 3,5 vezes. Isso equivale a 4,89% ao ano. Ora, nos dezesseis anos anteriores – de 1947 a 1964 – a economia cresceu a 6,7% ao ano, mais do que nos 20 anos seguintes.

Era um ciclo ligado à urbanização disponibilizando mão de obra e às políticas de substituição de importações, que se mantiveram durante o período democrático e na ditadura.

Em período democrático, o país conseguiu criar grandes estatais, como a Cemig, a Petrobras, a Eletrobrás -, assim como no regime ditatorial criaram a Telebras e outras.

***

Vencido o impasse político do momento, nada do que foi construído no período militar não poderia tê-lo sido em regime democrático. Pelo contrário, em um sistema democrático provavelmente a grita da oposição não teria permitido exageros, como a Transamazônica, a Ferrovia do Aço; a Siderbras.

***

A democracia imperfeita, de fato, valia-se do uso do Banco do Brasil para cooptar bancadas políticas. Mas a ditadura imperfeita distribuiu benesses a torto e a direito, sem nenhum critério.

No período Delfim Netto, enormes extensões de terra na Amazônia foram entregues a grandes empresas, multinacionais e nacionais, sem nenhum compromisso com a colonização; escândalos financeiros de monta, como no Independência Decred ou nas “polonetas”.

No período supostamente rigoroso de Ernesto Geisel, a criação pelo Ministro Mário Henrique Simonsen de sistemas de apoio a bancos quebrados permitiram enriquecer os controladores em detrimentos dos depositantes. Sem contar os superinvestimentos induzidos pelos Planos Nacionais de Desenvolvimento.

***

Não significa que o regime militar era intrinsicamente corrupto, como não significa que o modelo democrático é intrinsicamente viciado.

O grande problema da ditadura foi o enorme desequilíbrio no atendimento das demandas sociais e o enorme atraso provocado na organização da sociedade.

***

Nos anos 60 emergiu uma nova geração, que pela primeira vez acordava para os aspectos mais anacrônicos do país, um meio rural onde sequer se pagavam salários, uma pobreza ampla a irrestrita que sequer era atendida. Descobria-se o interior, o nordeste, as favelas, os planos de desenvolvimento econômico (em JK) ou social (em Jango).

Havia demagogia, é claro, as lideranças que tentavam se aproveitar desse idealismo, os populistas de ocasião, os pelegos, os radicais. Mas o amadurecimento era questão de tempo, dependia apenas do aprendizado democrático.

***

A ditadura ceifou não apenas uma, mas as gerações seguintes, milhares de jovens que poderiam ter se especializado em questões sociais, que poderiam ter desenvolvido soluções para a miséria, somando-se à modernização que ocorreu no mercado de capitais, nas contas públicas, na Receita. Foi a falta de voz que permitiu a concentração desmedida de renda, a deterioração dos serviços públicos ante a urbanização que se acelerava, a sobrevida dos coronéis regionais, a demora em constituir um mercado interno robusto.

Só agora, com as manifestações de junho de 2013, percebe-se uma nova geração com o ímpeto juvenil da geração dos anos 60.

Média: 4.2 (13 votos)
100 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR

Nassif, uma pequena, mas importante correção. A média de crescimento durante o regime militar foi de 7,81% ao ano. e foi puxada para baixo pelo período Castelo Branco. Os governos nacionalistas que se seguiram foram um grande sucesso em modernização administrativa, em dinamismo e em adensamento produtivo e tecnológico do país.

Pode-se dizer que POR OUTRO LADO foram autoritários, fascistas etc, ou mesmo que não tem compensação econômica que valha o regime de exceção. Pode-se ainda argumentar que só conseguiram tamanho sucesso econômico porque puderam centralizar e planejar. Mas é preciso separar analiticamente as coisas, sob pena de jogarmos o bebê fora junto com a ágia do banho. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de AlvaroTadeu
AlvaroTadeu

O legado da Ditadura.

Não precisa analisar o quanto o país cresceu na Ditadura e sim o quanto a Ditadura concentrou a renda. O arrocho salarial era escandaloso e participação em sindicatos era decretação de sentença de morte. Manoel Fiel Filho, operário metalúrgico, foi assassinado no governo "legalista" de Ernesto Geisel.  Leiam os dados compilados em "São Paulo, Crescimento e Pobreza", editado pela Cúria Metropolitana, quando dirigida por D.Paulo Evaristo Arns, um exemplo de padre realmente cristão. O livro mostra o quanto a miséria havia crescido na capital mais rica do país, entre 1964 e 1975. Bairros inteiros eram criados da noite para o dia, favelas inchavam as periferias, que forneciam empregadas domésticas e operários analfabetos pelo preço de uma garrafa de scotch.

Seu voto: Nenhum
imagem de Manoel Gomes
Manoel Gomes

Os partidos de esquerda

Os partidos de esquerda instalaram em Brasília grupinhos barulhentos que estão sufocando as opiniões contrária dos cidadãos conservadores, não Deixe dar opinião favorável aos militares e nem que é contra o terceiro sexo, é eles que estão enchendo um monte de vagabundos de direito

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de renato batisteli pinto
renato batisteli pinto

Tenho 57 anos e considero-me,

Tenho 57 anos e considero-me, hoje talvez nem tanto, uma orfão politico. Nascido e criado na periferia de SP quase não sabia do que se passava no país mas lembrom-me muito bem das cargas da cavalaria ao manifestantes no Largo São Franscisco. É que nessa altura era office boy e cheguei, por várias vezes, a "matar o trampo" para ver o que passava. Na inocência de adolescente desinformado nã fazia ideia do horor que aquilo representava. A orfandade só não causou mais danos por conta de dois professores, Marco e Vitor, que criaram o Coral Ouviver, no qual eu era baixo, que serviu de pretexto para uma formação política muito, mas muito sútil. Não obstante a sutileza ambos não duraram muito na Escola Estadual d 2º Grau Prof Luiz Gonzaga Pinto e Silva. Acho que era esse o nome. Lembro-me ainda dessa época alguns episódios. O primeiro, bem vivo na minha memória, eu e meus doir imrãos mais novos, à beira do córrego que ainda hoje corre por trás da nossa casa, ajoelhados a volta de uma vela e a rezar por algo que temiamos. Ainda no mesmo colégio a figura do professor Georji, um nissei de cara de bolacha que usava uns óculos de aros negroas e grosos, que aliciava jovens para a TFP. Uma ocasião, num bar em frente ao colegio, onde entrei para comprar alguma coisa, deparei-me com dois senhhores dos seus trinta e poucos anos e não me lembro de como nem porque falei-lhes ou eles falaram-me tendo ficado na minha cabeça uma pergunta feita a mim por um deles: você conhece a OBAN, operação bandeirante? Evidentemente não conhecia. Em 25 de abril de 1974,  ainda a tabalhar pelo centro de São Paulo como comprador externo, compareci à manifestação em apoio à Revolução dos Cravos. A imagem me é nítiida: uma roda formada por uma meia centena de pessoas, penso que eram sobretudo artistas, todos com cravos vermelhos à lapela completamente em silêncio, devidamente guardados pela tropa de choque acompanhada de cães em reta prontidão. Felizmente o silêncio ensurdecedor não provocou a sanha repressiva da PM. A manifestação disspou-se e lá fui eu percorrer a Florencio de Abreu em busca das brocas, parafusos, rebolos, paquimetros,retentores e outros produtos necessários ao laboratório de desenvolvimento da eltrometalurgica onde trabalhava. 

Seu voto: Nenhum
imagem de renato batisteli pinto
renato batisteli pinto

Tenho 57 anos e considero-me,

Tenho 57 anos e considero-me, hoje talvez nem tanto, uma orfão politico. Nascido e criado na periferia de SP quase não sabia do que se passava no país mas lembrom-me muito bem das cargas da cavalaria ao manifestantes no Largo São Franscisco. É que nessa altura era office boy e cheguei, por várias vezes, a "matar o trampo" para ver o que passava. Na inocência de adolescente desinformado nã fazia ideia do horor que aquilo representava. A orfandade só não causou mais danos por conta de dois professores, Marco e Vitor, que criaram o Coral Ouviver, no qual eu era baixo, que serviu de pretexto para uma formação política muito, mas muito sútil. Não obstante a sutileza ambos não duraram muito na Escola Estadual d 2º Grau Prof Luiz Gonzaga Pinto e Silva. Acho que era esse o nome. Lembro-me ainda dessa época alguns episódios. O primeiro, bem vivo na minha memória, eu e meus doir imrãos mais novos, à beira do córrego que ainda hoje corre por trás da nossa casa, ajoelhados a volta de uma vela e a rezar por algo que temiamos. Ainda no mesmo colégio a figura do professor Georji, um nissei de cara de bolacha que usava uns óculos de aros negroas e grosos, que aliciava jovens para a TFP. Uma ocasião, num bar em frente ao colegio, onde entrei para comprar alguma coisa, deparei-me com dois senhhores dos seus trinta e poucos anos e não me lembro de como nem porque falei-lhes ou eles falaram-me tendo ficado na minha cabeça uma pergunta feita a mim por um deles: você conhece a OBAN, operação bandeirante? Evidentemente não conhecia. Em 25 de abril de 1974,  ainda a tabalhar pelo centro de São Paulo como comprador externo, compareci à manifestação em apoio à Revolução dos Cravos. A imagem me é nítiida: uma roda formada por uma meia centena de pessoas, penso que eram sobretudo artistas, todos com cravos vermelhos à lapela completamente em silêncio, devidamente guardados pela tropa de choque acompanhada de cães em reta prontidão. Felizmente o silêncio ensurdecedor não provocou a sanha repressiva da PM. A manifestação disspou-se e lá fui eu percorrer a Florencio de Abreu em busca das brocas, parafusos, rebolos, paquimetros,retentores e outros produtos necessários ao laboratório de desenvolvimento da eltrometalurgica onde trabalhava. 

Seu voto: Nenhum

O repúdio da Dívida paga a juros pornográficos

Penso que a grande bandeira para o movimento popular de junho de 2013 seria o repúdio da dívida pública que é paga a juros pornográficos e capa toda e qualquer possibilidade do povo brasileiro abandonar o verdadeiro regime de escravidão em que se encontra submetido e a Nação desenvolver seus potenciais em benefício dela mesma.

Vontade política, que o povo irá insuflar, cedo ou tarde, nos que comandam o Brasil.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Follow the money, follow the power.

imagem de Cunha
Cunha

  Não entendo como alguém

 

Não entendo como alguém pode achar um regime ditatorial melhor que um regime democrático.

 

Seu voto: Nenhum
imagem de João B. do Amaral
João B. do Amaral

Com relação a  economia , o

Com relação a  economia , o regime miltar sobreviveu à custa  dos fartos empréstimos externos , em função do excesso de

liquidez que existia no mercado internacional naquela época .   Quando a fonte secou , tinha chegado a hora de começar a

amortizar os empréstimos  . Neste momento os militares sairam de cena. Muitas riquezas foram constituídas naquela

época , principalmente pelos latifundiários que davam calote no BB , desviando  os fartos empréstimos baratos do crédito

rural , além dos proprietários das Corretoras e Distribuidoras de Títulos que operavam no mercado financeiro , que

exerciam o papel de Delears, onde de  posse de informações privilegiados aplicavam  milhões em títulos públicos

cambiais  dias antes das periódicas  maxi desvalorizações cambiais que ocorriam naquela época.     

Seu voto: Nenhum

"Foi um equívoco o editorial

"Foi um equívoco o editorial da “Folha” sobre o regime militar. Nele, deplora-se a violência, mas considera-se a modernização tecnocrática proporcionada pelo regime."


 


  Hehe, você é um pândego, Nassif. Mas ainda assim parabéns pelo texto, muito bom.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

  De Jânio de Freitas:   "As

  De Jânio de Freitas:


  "As escolas militares não preparam militares para a democracia.


 
Outra condição é que se propague a noção de soberania, tão escassa nos níveis socioeconômicos que influenciam a condução do país. Em seu artigo na Folha de ontem, o embaixador Rubens Ricupero contou de documentos por ele vistos, na Biblioteca Lyndon Johnson, em que os "reformistas" conduzidos por Roberto Campos, no governo Castello Branco, sujeitavam aos americanos até a revisão do currículo escolar. Se a imaginação conseguir projetar a mesma conduta para o sistema financeiro privado, por exemplo, pode-se ter uma ideia dos obstáculos que a construção do desenvolvimento brasileiro enfrenta."
 
  AÍ ESTÃO OS CULPADOS PELO FIM DA EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QUALIDADE: os "SALVADORES" da democracia.
 
http://jornalggn.com.br/noticia/o-balanco-economico-e-politico-do-periodo-militar
Seu voto: Nenhum
imagem de Lais
Lais

...os "reformistas"

...os "reformistas" conduzidos por Roberto Campos, no governo Castello Branco, sujeitavam aos americanos até a revisão do currículo escolar."    

Em 1972, eu estava no segundo ano do Instituto de Educação, tradicional escola de formação de professores do RJ, quando ouvi de uma professora o seguinte comentário, pertinente à uma Lei de "Reforma" do ensino, promulgada naquela ocasião : " este é o maior projeto de emburrecimento coletivo de um país " e ainda completou dizendo que como já estava velha, não viveria o suficiente para ver o tamanhp do estrago que aquilo causaria ao Brasil. 

Pois é, nós estamos aqui testemunhando, 42 anos depois, o fruto do que eles plantaram...

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Erasmo Filho
Erasmo Filho

Infeliz o comentário do

Infeliz o comentário do autor. Qual o conhecimento dele sobre as escolas militares? Primeiramente, deixa-me fazer um relato aqui: nos 7 anos em que estive frequentando as escolas militares, jamais um professor faltou a uma aula sequer. No início de cada ano eu recebia um planejamento de aulas a serem ministradas, e naquele dia e naquele horário a aula era dada, sempre pontual e ordeira. Compare os resultados do ENEM e do ensino superior das escolas militares com as escolas publicas e particulares e vc chegará a sua própria conclusão. Depois de muitos anos, já realizando o Doutorado na FGV do Rio de Janeiro pude participar de diversas discussões sobre a política brasileira, com professores e alunos e jamais vi qualquer diferença marcante sobre o que aprendi e sobre o que outros doutorandos oriundos de escolas civis aprenderam. A bem da verdade o que era diferente é que alguns alunos tinham orietação socialista, mas o socialismo por si só não se sustenta. O mundo e a história estão aí para mostrar isto. As escolas militares têm uma formação cartesiana, mas é preciso que seja assim, porque o que diferencia um militar de outros profissionais é que as vezes ele será chamado para, fardado, fazer o uso cívico da força em prol do estado e, neste momento, sua formação é que garantirá a este estado a certeza de que será feito o melhor para o estado e não para um governante ou grupos de influência.

Seu voto: Nenhum
imagem de lclbotelho
lclbotelho

Prezado Erasmo Filho Você

Prezado Erasmo Filho

Você está profundamente equivocado ! . Em cursos superiores modernos em Universidades e Faculdades  , o máximo que um Professor almeja é ser um TUTOR !. Jamais   um  instrutor-adestrador  ! , como nas Escolas Militares , onde o processo pedagógico principal parece ser  doutrinar para a obdiência cega à hierarquia ! (sendo portanto um simples e extremamente medíocre processo de memorização pura e simples de Apostilas (nem livros se memoriza nestas Academias !) , e assim retirando totalmente a  capacidade de Análise enriquecida e convivência com estudos contraditórios e conflitantes  dos Cadetes . Os Generais são as referências intelectuais neste meio "acadêmico".....

Militar é Militar , Profissões Liberais são Profissões Liberais !.

Diga-me a produção de Pesquisa Original e de valor Internacional dos Instrutores das Academias Militares (AFA, AMAN, Escola Naval) ?.

Esta é a péssima qualidade intelectual , tanto no Campo das Ciências Militares quanto aquelas puramente acadêmicas dos Oficiais Militares Brasileiros . Claro , desde quando operar estruturas militares  construídas há 50 anos atrás , exige algum raciocínio avançado ?(F-5E, Porta Aviôes São Paulo  , Tanques Leopard , SuperTucanos , etc...).

Seu voto: Nenhum
imagem de rita de cassia
rita de cassia

Militares e democracia

Prezado, vc enalteceu a formação cartesiana dos militares mas não falou nada da fomação de valores. Até hoje na AMAM existe fotos dos ditadores miliatres. Que formação seria essa para a democracia? Se chamados a dar um golpe aceitariam? Estão seguros de seus valores democráticos como respeito à Constituição, o poder é civil e não se deve matar povo desarmado? Acho que não, pois se assim o fosse teriam se descompromissado do erro da ditadura e punido os fascínoras. Não fizeram isso porque acreditam ainda que fardados garantirão, nas suas palavras, " a certeza de que será feito o melhor para o estado e não para um governante ou grupos de influência."

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Orlando Soares Varêda
Orlando Soares Varêda

  Ahhh!!...  Somente agora,

 

Ahhh!!...  Somente agora, comprendi a admiração subalterna e a obdiência servil dos nossos militares, em atender aos generais norte americanos. Seria isso derivado de certa extravagante visão cartesiana. Dizem, que durante a II Guerra, construiram grande amizade. Quando nossos pracinhas lá estiveram para defender a democracia. Aquela que, até aqui, sobra para os herdeiros da casa grande e falta muito para os verdadeiros donos desse País.

 Sabe-se que hierarquia e a obdiência , são princípios essenciais, crucias, para o bom funcionamento da caserna. Todavia, a gorilada local, fez uso das regras quando estas lhe respaldavam a vontade. Como aliás, é regra entre qualquer elite de merda, conservadora, mantenedora dos usos, costumes e do ranço gorduroso do Brasil colonial.

No entanto, não consigo evitar uma certa ponta de inveja, quando observo os militares da Rússia. Aqueles, forjados lá atrás, no alvorecer do século XX, daqueles que se tornaram  os militares da extinta União Soviética. Aqueles soldados, oriundos da escola do mesmo "socialismo (que) por si só não se sustenta."  Não obstante, foram eles capazes de dá forma a um exército de verdade. Os Soldados da Rússia não se agacham em reverente genuflexão, cuidando alvorassados, para lustrar as botas dos milicos do Pentágono.

Um primeiro de abril nos moldes daquele enfiado no rabo dos traidores do Brasil. Tamanha patranha, jamais seria praticada por militares de formação republicana de vaerdade.

Orlando

 

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

"Foi a falta de voz que

"Foi a falta de voz que permitiu a concentração desmedida de renda, a deterioração dos serviços públicos ante a urbanização que se acelerava, a sobrevida dos coronéis regionais, a demora em constituir um mercado interno robusto."

Na minha opinião é o contrário: a concentração de renda é que calou a voz de quem propunha reduzir dsigualdades. O Professor Wanderley Guilherme dos Santos já expôs em vários momentos que os conflitos distributivos estão na base de mudanças institucionais. E na base da resistência a essas mudanças, portanto. E isso não é nenhum materialismo, não. Se sociedade se diz baseada em valores comuns, desigualdades tão estúpidas como as da sociedade brasileira são injustificáveis; e as instituições vão sempre passar por testes de estresse. Estamos ainda em processo de inclusão: no sistema escolar, no sistema salarial e de consumo, etc.

O processo de consolidação do "modo de produção" urbano industrial brasileiro conta essa história direitinho. O trabalho rural era superexplorado para que os custos de reprodução da mão de obra urbana se mantivesse bem baixo de modo que permitisse também o achatamento dos salários urbanos nos níveis mínimos necessários para sua reprodução básica, por um lado, e a taxa de lucro no limite máximo, por outro. Essa acumulação era invertida lá fora. Daí a história econômica brasileira ser uma história de crises cambiais. Enricar pra gastar lá fora sempre foi o lema. Para uma minoria imitar os padrões de consumo e estilos de vida lá de fora, dados os níveis de produtividade, só mantendo a ampla maioria nos limites da indigência.

Esse modelo só foi agravado pelos governos militares. Tentaram conter o processo de pressão distributiva e só o agravaram. Empurraram com a barriga até onde podiam e largaram o abacaxi na mão da democracia; sem assumir qualquer responsabilidade, sequer; tal qual crianças mimadas.

Não tem importância. Na democracia o povo é maior de idade e assume responsabilidades. A agenda da igualdade que foi interditada na década de 60 veio para ficar. Já que o mercado não paga nem nunca pagou salários decentes - vide mais uma vez as condições de vida nas cidades onde o capital imobiliário, que sempre foi protagonista nesse processo, empurrou dois terços da populção para periferias e favelas - o povo pede mais salários indiretos via serviços públicos de maior abrangência e qualidade.

Foi por isso que as pessoas foram às ruas recentemente. Não foi para derrubar governo nem calar ninguém. Podem os reacionários de sempre continuarem fazendo a chacrinha ideológica que quiserem. Ou aceitam que em sociedades que dizem compartilhar valores comuns tais desigualdades são inadmissíveis, ou que passem a defender abertamente uma sociedade de castas.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

PJ não VOTA!

O Jornalismo acabou e a eleição não tem fim!

imagem de jcordeiro
jcordeiro

"Não Li e Não Gostei"

Nassif: vou lembrar de uma fala do Osvald de Andrade, quando lhe perguntavam sobre publicação de autor chinfrin: “não li e não gostei”. Assim me reporto ao editorial da Folha a que você utiliza para embasar seu artigo. O governo militar, que insiste em querer repartir com a elite civil da época a responsabilidade da cama-de-sete-varas em que se meteu, tem até vergonha da data de sua façanha --- 1º de Abril, dia mundial da mentira, do engodo. Sim, porque da forma como comemoram é o único evento, no mundo, que surgiu no momento das dores de parto, não no nascimento da criança. E esse seu “ceifou vidas” é eufemismo. Mataram mesmo. Só no Rio de Janeiro foi apurado que a cada dois dias um “comunista” era justiçado (explica-se: “comunista” era tudo que não lhes fosse do agrado). Era uma guerra, alegam, em que ganharam importantes batalhas. Mas perderam, ao final. Material e moralmente, deixando um rastro de vergonha e dor em 90% dos brasileiros. Destruíram duas gerações de jovens “pensantes”, pois só lhes interessavam os alienados e os filhos de corruptos, a quem o poder seria entregue. Nas urnas eram um fracasso, apesar de todas as manobras de cassação e exilio. Quanto a economia, seu demonstrativo é suficiente para desmascarar os “Sardenberg” da vida. Na Alemanha e no Japão os responsáveis foram exemplarmente punidos. Atualmente, Argentina e Chile fizeram o mesmo. Só aqui, atrás de uma anistia fajuta, tentam se esconder. Crimes contra a humanidade, contra seu próprio povo, verdadeiro lesa-pátria, nunca prescrevem. E não tomem esta manifestação como aprovação ao que fizeram seus adversários. Estamos falando da tortura “institucionalizada”. Das outras, aqui e agora não é o lugar e o tempo. Quanto a Folha e sua congênere Veja, são detritos midiáticos, cuja finalidade é, inescrupulosamente, ganhar dinheiro. E dizem que estão sendo bem remuneradas, no momento, em moeda nacional e estrangeira.

Seu voto: Nenhum
imagem de Eduardo O. H.
Eduardo O. H.

Nassif, essa entrevista com o

Nassif, essa entrevista com o Cláudio Lembo sobre os 50 anos do golpe é muito boa. Ele faz, inclusive, uma declaração sobre o papel da imprensa da época surpreendente:

https://www.youtube.com/watch?v=dtL9V1lbmuc

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de jose carlos costaq de castro
jose carlos costaq de castro

O Periodo da Ditadura de 64

Parabens Nassif. Concordo em genero, numero e grau com tudo que ja foi dito sobre e contra aquele periodo negro que vivenciamos, e, ainda, sobre o ainda será dito.

Para agradar os sadosistas do regime so poderia ser publicada a frase celebre do Ministro da Justiça, cearense...., todas as vezes que era arguido sobre qualquer problema, à epoca.

 

" NADA A DECLARAR ".

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de JoaoMineirim
JoaoMineirim

Foi um engano, um lamentável

Foi um engano, um lamentável equívoco. Se eu soubesse que o movimento de 64 iria dar no que deu, não teria tomado parte dele. Durante dois anos preparei a Polícia Militar de Minas para uma revolução que vencesse a corrupção e a subversão. Hoje, 25 anos depois, sei que o que aconteceu foi um golpe. A corrupção tomou conta de Minas e do Brasil. Fomos meros serviçais dos magnatas. A cada dia eles se tornaram mais ricos e o povo ficou cada vez mais pobre", analisou Coronel José Geraldo (ex-comandante da PM ) na época.

http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2014/03/30/interna_politica,51...

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Erasmo Filho
Erasmo Filho

A César o que é de César!

Caro Nassif,

Querer esconder os feitos econômicos do período do Regime Militar no Brasil me parece uma ignorância sem tamanho. Já que você omitiu no seu texto, permita-me citar apenas algumas relizações dos Generais Presidente:

- Construção de 4 portos e recuperação de outros 20;

- Criação da Eletrobrás; 

-Construção da Ponte Rio-Niterói

- Implantação do Programa Nuclear; 
- Criação da NUCLEBRÁS e subsidiárias; 
- Criação da EMBRATEL e TELEBRÁS (antes, não havia "orelhões" nas ruas nem se falava por telefone entre os Estados);
- Construção das Usinas ANGRA I e ANGRA II; 
- Desenvolvimento das INDÚSTRIAS AERONÁUTICA e NAVAL (em 1971 o Brasil foi o 2º maior construtor de navios do mundo); 
- Implantação do PRÓ-ÁLCOOL em 1976 (em 1982, 95% dos carros no país rodavam a álcool); 
- Construção das maiores hidrelétricas do mundo: TUCURUÍ, ILHA SOLTEIRA, JUPIÁ e ITAIPÚ; 
- Rede de rodovias asfaltadas, passou de 3 mil para 45 mil.

Agora, me cite você os brilhantes feitos da democracia brasileira nestes 29 anos de abertura política. Porque considerar democracia o fato de poder se votar em pessoas como Lula, Dilma, Collor, Tiririca , José Dirceu e tantas outras figuras de notória incompetência é no mínimo uma piada. A César o que é de César!

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Concordo...

Realmente os militares fizeram "grandes obras", mas para quem? Procurou preparar o "povo" para serem governados e não a aprender a escolher, decidir, pensar, aliás, se alguém tomasse uma posição dessas, o pau corria solto. Prova de que eles fizeram uma infraestrutura para um País sem povo ou para um povo boiada, foi só cairem fora como coisa obsoleta que as raposas acabaram vendendo tudo, tal qual filhinho que não ajudou o pai a construir a empresa, quando assume pela aposentadoria dele, não sabe o que fazer. E pela sua medida dicide que se ele não sabe fazer, então ninguém sabe. E vende. Foi só um metalúrgico chegar ao poder, sem teorias econômicas e coisas como "eterna dependência" que as coisas se reencaixaram e a engrenagem voltou a funcionar.

Seu voto: Nenhum

A Eletrobrás foi criada por

A Eletrobrás foi criada por João Goulart e seu processo de criação vinha desde Getúlio Vargas.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Erasmo Filho
Erasmo Filho

A Eletrobras foi proposta por

A Eletrobras foi proposta por Getulio Vargas em 1954 e só foi aprovada em 1962 por oposição do Congresso Nacional. 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de E.L.Tro Coitado
E.L.Tro Coitado

Portanto, antes do Golpe

Conforme suas próprias afirmações (1962).

Apenas admita o erro e pronto.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de DanielQuireza
DanielQuireza

E competente para voce é quem

E competente para voce é quem ? O Alckmim, que depois de 19 anos no Governo está a beira de um racionamento de água ? Ou o FHC, que depois de 7 anos, teve que racionar energia ? O Nassif não disse que os Governos militares não tiveram méritos, e eu também sei que tiveram sim. O que o ele demostra é que estes méritos são relativos e o País também poderia ter conseguido coisas boas, como já conseguiu várias, com democracia. Querer justificar uma ditadura por causa de supostos méritos  é absurdo.

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Erasmo Filho
Erasmo Filho

Creio que vc não tenha

Creio que vc não tenha formação acadêmica em política para falar sobre os dois períodos. Provavelmente está baseando seus argumentos em períodicos como Veja, Istoé, Folha de São Paulo ou autores como o próprio Nassif. Quando vc faz um estudo com base em dados estatísticos sobre educação, saúde e segurança que são políticas básicas de uma sociedade, vc vai chegar à conclusão que, na época do Regime Militar, os índices eram melhores. Isso é um fato. Não há como negar o que é científico. E Fernando Henrique Cardoso e Alckimin nunca estiveram ao lado do regime militar, portanto suas administrações "demócráticas" não deveriam ter levado o Brasil `a bancarrota em 1999 e nem à falta de energia em 2001 e 2014. 

Amigo, democracia é muito mais do que poder votar em alguém. Especialmente quando esses "alguéns" são os políticos que aí estão.

Seu voto: Nenhum
imagem de DanielQuireza
DanielQuireza

Então quer dizer que só quem

Então quer dizer que só quem tenha formação academica em politica pode opinar ? De onde o senhor tirou isso ? Não leio Veja nem Isto é, nunca li, na verdade. A Folha, parei de ler há uns 12 anos, mais ou menos. Mostre os números então, e os dados, e vamos comparar.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de aliancaliberal
aliancaliberal

Lista um pouco mais

Lista um pouco mais completa.

Os militares pegaram um país com o 45º PIB do mundo e, 21 anos depois, entregaram aos civis com o 10º(décimo) PIB mundial.

- Criação de 13 milhões de empregos;

- A Petrobrás aumentou a produção de 75 mil para 750 mil

barris/dia de petróleo;

- Estruturação das grandes construtoras nacionais;

- Crescimento do PIB de 14%;

- Construção de 4 portos e recuperação de outros 20;

- Criação da Eletrobrás;

- Implantação do Programa Nuclear;

- Criação da Nuclebrás e subsidiárias;

- Criação da Embratel e Telebrás (antes, não havia 'orelhões' nas ruas nem se falava por telefone entre os Estados);

- Construção das Usinas Angra I e Angra II;

- Desenvolvimento das Industrias Aeronáutica e Naval (em 1971 o Brasil foi o 2º maior construtor de navios do mundo);

- Implantação do Pró-álcool em 1976 (em 1982, 95% dos carros no país rodavam a álcool);

- Construção das maiores hidrelétricas do MUNDO: Tucuruí, Ilha Solteira, Jupiá e Itaipú;

- Brutal incremento das exportações, que cresceram de 1,5 bilhões de dólares para 37 bilhões; o país ficou menos   dependente do café, cujo valor das exportações passou de mais de 60% para menos de 20% do total;

- Rede de rodovias asfaltadas, que passou de 3 mil para 45 mil km;

- Redução da inflação galopante com a criação da Correção Monetária, sem controle de preços e sem massacre do funcionalismo público;

- Fomento e financimento de pesquisa: CNPq, FINEP e CAPES;

- Aumento dos cursos de mestrado e doutorado;

- INPS, IAPAS, DATAPREV, LBA, FUNABEM;

- Criação do FUNRURAL - a previdência para os cidadãos do campo;

- Programa de merenda escolar e alimentação do trabalhador;

- Criação do FGTS, PIS, PASEP; (**)

- Criação da EMBRAPA (70 milhões de toneladas de grãos); (**)

- Duplicação da rodovia Rio-Juiz de Fora;

- Criação da EBTU;

- Implementação do Metrô em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Fortaleza;

- Criação da INFRAERO, proporcionando a criação e modernização dos aeroportos brasileiros (Galeão, Guarulhos, Brasília, Confins, Campinas - Viracopos, Salvador, Manaus);

- Implementação dos Pólos Petroquímicos em São Paulo (Cubatão) e na Bahia (Camaçari);

- Investimentos na prospecção de petróleo no fundo do mar que redundaram na descoberta da bacia de Campos em 1976;

- Construção do Porto de Itaquí e do terminal de minério da Ponta da Madeira, na Ilha de S. Luís, no Maranhão;

- Construção dos maiores estádios, ginásios, conjuntos aquáticos e complexos desportivos em diversas cidades e universidades do país;

- Promulgação do 'Estatuto da Terra', com o início da Reforma Agrária pacífica;

- Polícia Federal;

- Código Tributário Nacional;

- Código de Mineração;

- Implantação e desenvolvimento da Zona Franca de Manaus;

- IBDF - Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal;

- Conselho Nacional de Poluição Ambiental;

- Reforma do TCU;

- Estatuto do Magistério Superior;

- INDA - Instituto de Desenvolvimento Agrário;

- Criação do Banco Central (DEZ 64);

- SFH - Sistema Financeiro de Habitação;

- BNH - Banco Nacional de Habitação; (***)

- Construção de 4 milhões de moradias;

- Regulamentação do 13º salário;

- Banco da Amazônia;

- SUDAM;

- Reforma Administrativa, Agrária, Bancária, Eleitoral, Habitacional, Política e Universitária;

- Ferrovia da soja;

- Rede Ferroviária ampliada de 3 mil e remodelada para 11 mil Km;

- Frota mercante de 1 para 4 milhões de TDW;

- Corredores de exportações de Vitória, Santos, Paranaguá e Rio Grande;

- Matrículas do ensino superior de 100 mil em 1964 para 1,3 milhões em 1981;

- Mais de 10 milhões de estudantes nas escolas (que eram realmente escolas);

- Estabelecimentos de assistência médico sanitária de 6 para 28 mil;

- Crédito Educativo;

- Projeto RONDON;

- MOBRAL;

- Abertura da Transamazônica com instalação de agrovilas;

- Asfaltamento da rodovia Belém-Brasília;

- Construção da usina hidrelétrica de Boa Esperança, no Rio Parnaíba;

- Construção da Ferrovia do Aço (de Belo Horizonte a Volta Redonda);

- Construção da Ponte Rio-Niterói;

- Construção da rodovia Rio-Santos (BR 101)

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de lclbotelho
lclbotelho

Aliança Liberal Jamais se

Aliança Liberal

Jamais se fazem comparações sem se levar em conta  a famosa relação de custo benefício .Diga-me , de quanto a dívida externa aumentou no período e as nefastas consequências sentidas até hoje ?(a inflação sendo um exemplo  bom deste endivadamento SUPERFATURADO  promovido pelos militares ) . Hoje a bandalha não se faz mais por instalação de elefantes brancos (O programa Nuclear com a Alemanha do Maluco do Geisel!) , mas com a empulhação de supostas transferências de tecnologia (A "Nascente indústria de Lego armamentista Brasileira) , ou Passadena ou pior , a Usina de Itaboraí , no Rio de Janeiro , ou o REfIS , na área econômica Tributária . No Brasil , Alinaça Liberal ou Aliança Comunista só tem um significado :Aliança Mafiosa para a Locupletação !.

Seu voto: Nenhum

Quem te viu, quem te vê

Quem te viu, quem te vê defendendo a criação de estatais!

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de aliancaliberal
aliancaliberal

Não estou defendendo apenas

Não estou defendendo apenas mostrando o que fizeram.

O maior erro foi a lei de informática fechou o país e condenou o país a um atraso de anos.

Por sinal a experiência da lei de infor mática não é muito falada atualmente, cabe criar um texto sobre.

 

Seu voto: Nenhum
imagem de Severino Januário
Severino Januário

Não sou reacionário, mas

Não sou reacionário, mas gosto de Nelson Rodrigues. Tudo o que você relatou é a mais pura verdade. Lembro-me de uma referência feita por um general americano na Europa sobre o Brasil, e não era o Vernon Walters, na qual ele falava, com muita decepção na voz, que no Brasil havia acontecido um fenômeno inesperado.

Um governo militar implantado para trazer aquele (nosso) país aos parârametros mais radicais do liberalismo econômico, (onde ele seria devorado facilmente pelos grandes lobos liberais), tinha se transformado no governo mais protecioniista, mais estatizante que se possa imaginar, com o Estado direcionando tudo e se imiscuindo em toda sorte de atividades econômicas.

Um governo implantado para proibir o estudo da matemática moderna, como se fez na Argentina e na Grécia, justamente incentivou o desenvolvimento daquela matéria, quando os estudantes brasileiros foram apresentados à teoria dos conjuntos.

Jamais chegaremos perto da verdade tentando negar ou minimizar tudo o que foi feito pelo desenvolvimento do país no período militar. Não devemos encarar este período como um "tabu" que não possa ser vasculhado senão para catar seus terríveis pecados.

Infelizmente sabemos pouco ou quase nada do que acontecia no interior das altas iinstâncias do poder comandadas pelos militares, e esta é nossa grande falha em historiografia. Roberto Campos, por exemplo, um liberal radical, ministro da fazenda nos primeiros momentos do regime, parece ter sido convocado mais para modernizar tecnicamente o aparelho estatal do que para submetê-lo a alguma doutrina ou conduzí-lo à ortodoxia econômica liberal.

Este afastamento do liberalismo foi percebido rapidamente  por Carlos Lacerda e pela UDN, fiadora civil interna do golpe. Bem que Lacerda tentou articular a derrubada do "monstro estatizante" que acabara de ajudar a criar. Foi  preso e anulado. Há uma face realmente monstruosa da ditadura, esta sim, amparada pelos sádicos da "Escola das Américas" do Panamá, mantida pelos Estados Unidos. Mas é bem verdade que muitos oficiais de peso insistem em que nada sabiam sobre as atividades destes degenerados e de seus discípulos no país. Até a ponto isto seria verdade? Até a que ponto necionalistas verdadeiros e capazes agiram no interior do poder militar para conduzir o Brasil? Não sabemos. Mas não devemos ter medo de saber.      

Seu voto: Nenhum

?????????????

Neolliberal defendendo políticas Keynesianas (intervenção do estado)?

Não é a ditadura do Pinochet ou da Argentina sua preferida no campo econômico?

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Meninos, eu vi.

Os militares entregaram um país quebrado, endividado e em hiper-inflação. Não sei que idade você tem, mas eu já era adulto no governo Figueiredo.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Ouso pensar porque ouso pensar que ouso pensar.

 

imagem de aliancaliberal
aliancaliberal

"Os militares entregaram um

"Os militares entregaram um país quebrado, endividado e em hiper-inflação." sim pq cometeram os mesmos erros do atual governo.

Seu voto: Nenhum

Viva Keynes

Ainda bem que o PT amadureceu e está copiando a parte boa daquela época, o desenvolvimento econômico com uma diferença (mais distribuição de renda) e ainda deu as Forças Armadas o maior orçamento desde aquela época.

Mesmo assim o governo petista custa apagar o caos econômico neoliberal:

- A TELEBRÁS é impedida de desempenhar um papel maior pelo Paulo Bernardo, lobista da teles;

- O governo atual aceita passivamente uma participação maior do capital estrangeiro numa empresas estratégicas como a EMBRAER e HELIBRÁS, num momento de crise nos países centrais, era para o Brasil aproveitar e aumentar as ações;

- Governo tem a maioria do capital da VALE, mas não comanda a empresa de fato;

- Concessão desnecessária dos aeroportos, tanto que o BNDES vem aumentando suas ações nos aeroportos, não seria o caso do BNDES ter emprestado dinheiro para as obras sem concessão? Ou está engordando caixa das concessionárias?

- As ferrovias deveriam desempenhar um papel de reduzir o fluxo dos aeroportos, mas o governo extinguiu a RFFSA (que já vinha mal antes) e não revogou nenhuma concessão irregular, vem até adotando esse modelo;

- Duplicação de rodovias a passos de tartaruga: BR-381 (Belo Horizonte-Governador Valadares), BR-364 (Mato Grosso-Rondônia), BR- 316 (Rio-Bahia), BR-105 (Natal-Fortaleza), etc. Reforça a tese que a área de trasnportes é a mais decepcionante do governo petista, justiça seja feita a pasta foi comandada na maioria por não petistas (culpa do governo de coalizão);

Seu voto: Nenhum

Nassif, meu filho, deleta a

Nassif, meu filho, deleta a ultima frase. Tudo bem, a garotada está querendo sair da passividade, mas não há nível de comparação, do ponto de vista de conteúdo político, entre a geração de 60 e essa do "vem para a rua voce também".

Seu excepcional texto não precisava desse adendo, um tanto quanto ingenuamente otimista 

Seu voto: Nenhum (9 votos)

Juliano Santos

Assino embaixo.

Caramba Juliano,

Ia dizer isto!

Li o texto do Nassif e achei correto, mas a ultima frase é totalmente equivocada. Acho que o Nassif coloca seu desejo acima da percepção da realidade.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

"Penso, logo existo"

imagem de Konkor Dante
Konkor Dante

Concordo

Nem é muito por culpa deles, mas pelo ambiente político/midiático/educacional prevalente, promovido pelos que estão sem a autoridade, mas (ainda) detém o poder no país.

Do BBB, do funk, do sertanejo "universitário", da Internet e redes sociais manipuladas, dos citérios de "sucesso" na vida, das novelas, Pânicos, CQC´s e "Mondo Cane" policial na TVe outras tantas.

Talvez a próxima geração possa chegar lá.

Ou (infelizmente) até piorar.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

O Golpe nunca é temporário

O Golpe nunca é temporário.

O Golpe nunca é por pouco tempo.

O Golpe sempre vem pra ficar!!

As pessoas que falam em golpe para arrumar a casa não conhecem o que é a ditadura e muito menos a opressão.

Os golpistas estão sempre de plantão e na primeira opotunidade voltam com a ladainha de salvar o país dos comunistas.

Os golpistas atiçam com a mão esquerda e tomam com a mão direita. 

Trechos da canção  " Vinte anos depois" (CarlitoMattos)

"Vinte anos depois, juventude iludida

Vinte anos depois, juventude enganada

Enquanto ouvíamos Beatles nos salões, eles faziam as revoluções

A CIA e a máfia na Amárica latina

Políticos exilados, jovens mutilados. e nós anestesiados na nossa loucura"

 

NÃO QUEREMOS GOLPE !!

DITADURA NUNCA MAIS !!!

 

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de aliancaliberal
aliancaliberal

"DITADURA NUNCA MAIS !!!" pq

"DITADURA NUNCA MAIS !!!" pq então apoiam ditaduras atuais.

Seu voto: Nenhum (7 votos)
imagem de Barbeiro
Barbeiro

O balanço econômico e político da ditadura militar

Caro Nassif, 

Uma aula de jornalismo. Você é o ultimo grande jornalista deste Pais. 

Esta responsabilidade com a infomação e profundidade na analise é só sua. Basta ler o nivel dos comentarios que atrai. 

Deveria ser de leitura obrigatoria em todas as escolas de jornalismo. 

Abs, 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Fabio Augusto
Fabio Augusto

Assim não dá, Nassif.

"Vencido o impasse político do momento, nada do que foi construído no período militar não poderia tê-lo sido em regime democrático. Pelo contrário, em um sistema democrático provavelmente a grita da oposição não teria permitido exageros, como a Transamazônica, a Ferrovia do Aço; a Siderbras". O que o Senhor me diz da transposição do Rio São Francisco e dos estádios da copa?

"A democracia imperfeita, de fato, valia-se do uso do Banco do Brasil para cooptar bancadas políticas. Mas a ditadura imperfeita distribuiu benesses a torto e a direito, sem nenhum critério". O que o senhor me diz das bolsas-isso-e-aquilos? Há critério que não seja a compra de votos?

"No período supostamente rigoroso de Ernesto Geisel, a criação pelo Ministro Mário Henrique Simonsen de sistemas de apoio a bancos quebrados permitiram enriquecer os controladores em detrimentos dos depositantes. Sem contar os superinvestimentos induzidos pelos Planos Nacionais de Desenvolvimento". O que o senhor me diz das aquisições e fusões entre bancos, além das renuncias fiscais em prol das montadoras de veículos?

Somemos a isso tudo, essa maravilha de democracia em que vivemos, o enriquecimento de todos os integrantes da família Lula, os escândalos de mensalão, refinaria de Passadena, CEF precisando de socorro para fechar contas... A violência, a estagnação econômica... Ah, são tantas coisas que é impossível levar essas suas palavras a sério, Nassif

 

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de DanielQuireza
DanielQuireza

Que tamanha imbecilidade e

Que tamanha imbecilidade e ignorancia juntas.

Que lhe disse que transposição e estádios não são essenciais ?

Deixe de ser preguiçoso cara, nem os critérios para o bolsa família conhece. De uma pesquisadinha no google.

Aquisições e fusões entre bancos..kkkk, putz, o que tem que ver isso cara, ?

CEF precisando de socorro para fechar as contas ? De onde tirou isso ? O lucro liquido em 2013, foi de 6,7 bilhoes.

Quem lucra 6,7 bi em um ano precisa de socorro aonde ?

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

  Limpe a baba que está

  Limpe a baba que está escorrendo da sua boca e repita CEM VEZES:


  "governo e REGIME de governo são coisas diferentes"


  "governo e REGIME de governo são coisas diferentes"


  "governo e REGIME de governo são coisas diferentes"


  "governo e REGIME de governo são coisas diferentes"


  "governo e REGIME de governo são coisas diferentes"


  "governo e REGIME de governo são coisas diferentes"


 


(...)


 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Rei Nada Azedette
Rei Nada Azedette

Quanta papagaice de míRdia!

Transposição do velho Chico: visa atender GENTE (brasileiros, já ouviu falar?) que vive sob seca no semi-árido (já ouviu falar?), uma solução que vem sendo discutida há mais de século.

Estádios: Papo farsesco, pois o governo federal, no máximo financia. Boa parte é de estados e municípios. De qualquer forma, o valor total deles (que não é nadica um gasto federal) é de 1/4 ou 1/3 do total dos demais investimentos em infraestrtutura, que são necessários ao país.

Bolsas: sim, há critério e não é eleitoreiro. É investir no principal recurso de uma nação: GENTE (já ouviu falar?)

Aquisições e fusões entre bancos: um problema entre eles (ex: Itau/Unibanco). Em alguns casos menores, houve absorção para bancos públicos (lucrativos e que ajudam o país)

Renuncia fiscal: embora as montadoras sejam beneficiadas (pela manutenção ou aumento no volume de vendas) o principal objetivo foi manter empregos e a economia girando, o que deu certo para enfrentar a crise que atingiu o mundo inteiro e nos deixou mais tranquilos.

O último parágrafo (enriquecimento, Pasadena, CEF, violência estadual, mensalão, estagnação, etc., é de uma papagaice miRdiática tão grande que não vale o trabalho de responder.

A menos que vc se digne a discorrer sobre o que "sabe" e não currupaquear o que lê para se desinformar.

"Tá mals", hein?

 

PS: E se continuar se desinformando assim, vai piorar!

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Não dá mesmo

Argumentação de leitor da Veja. A poça argumentativa para afogar traças.

Seu voto: Nenhum (7 votos)

Batata

Coisas da mitologia do progresso pela ordem forçada

"Diz que em vinte anos a economia cresceu 3,5 vezes. Isso equivale a 4,89% ao ano."

Se aumentou 350% em 20 anos resulta em 7,8% ao ano.

De qualquer modo, não é desculpa para militarismos.

Economias crescem pela disponibilidade de capital, trabalho e ambiente institucional, e isso ocorre tanto com democracias como ditaduras.

Esse mito da ditadura ajudando economia só é usado quando conveniente ao discurso, quando coincide de um país estar em um ciclo de crescimento.

Na mesma época houve países que cresceram quase o mesmo tanto sem recorrerem a estado de exceção (México, Colômbia, Japão)

E também houve ditaduras que não cresceram (China)

E houve democracias que lidaram com insurgências (Itália/Brigadas Vermelhas; Alemanha/Baader Meinhof.)

Assim, alguns axiomas básicos:

- Ditaduras nunca se justificam

- Ditaduras podem até eventualmente não atrapalhar desenvolvimento, mas acelerar não aceleram.

Mesmo quando são do 'socialismo real'. Depois de décadas de poupança forçada a URSS chegou nos anos 1960 a +/- os mesmos 40% da renda per capita dos países centrais que a Rússia czarista havia chegado ao final do século XIX. É claro que isso é discutível e depende de pesquisador, pois nem havia metodologia de contas nacionais consolidada numa época, nem a URSS usou a metodologia mundial por muito tempo.

Órfãos de autoritarismo, de direita ou de esquerda, seriam tediosos se não fossem trágicos.

 

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

"Se você pode sonhar, você pode fazer" - Walt Disney

Usaram o fator 3,5 que

Usaram o fator 3,5 que equivale a 250%

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.