Revista GGN

Assine

O fim inglório da EPL, a que veio para organizar as concessões

Jornal GGN - Nos idos de 2013, o Jornal GGN falou sobre a concepção da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), criada pelo governo federal para realizar a difícil – e ainda assim necessária – tarefa de desenvolver o ambiente de negócios para concessões públicas em infraestrutura.

A EPL surgiu de uma necessidade de pensar de forma sistêmica, integrada, a infraestrutura nacional. Antes dela, cada setor enxergava exclusivamente o seu próprio modal. O desenvolvimento (quando acontecia) se dava de forma descentralizada, sem definição de um macroplano.

O primeiro passo foi realizar um amplo diagnóstico do déficit logístico brasileiro, consolidando estudos de diversas entidades. A partir daí a empresa estatal pôde fazer o que lhe competia: planejar o fluxo de investimentos elencando as prioridades.

Leia também: A EPL e as concessões públicas 

Mas o problema do passado, a falta de um projeto multimodal robusto, deu lugar a outro: a dificuldade de atrair a iniciativa privada para investimentos de tão longo prazo e as dificuldades orçamentárias de realizar os aportes diretamente. E, principalmente, esbarrou na descontinuidade que tem marcado o governo Dilma. Pouco tempo depois de colocar a EPL em pé, Bernardo Figueiredo atritou-se com a presidente e pediu demissão.

De acordo com o levantamento da EPL, o déficit brasileiro em infraestrutura é de cerca de R$ 700 bilhões. Dos R$ 15 bilhões investidos por ano depois do PAC, seria necessário saltar para R$ 100 bilhões por ano. E manter esse ritmo de investimentos por pelo menos sete anos. Para só então poder voltar à velocidade de cruzeiro.

Claro que pela dinâmica das relações econômicas, o déficit aumenta na medida em que os investimentos não são realizados.

Leia também: Os dólares chineses na infraestrutura brasileira 

E desde a saída do primeiro presidente, Bernardo Figueiredo, em 2013, a EPL já teve outros dois dirigentes. Os grandes investimentos nunca vieram e mesmo a velocidade de cruzeiro diminuiu.

O Valor Econômico de hoje (9) afirma que a estatal está limitada a 28% do orçamento previsto para este ano (R$ 83,2 milhões dos R$ 288 milhões fixados para 2015). E o jornal especula que a empresa sequer é peça central do pacote de concessões que o governo anuncia hoje.

Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL, pediu demissão após desgastes com a implantação do pacote de concessões. E de acordo com o Valor Econômico sequer foi convidado para o Palácio do Planalto, para cerimônia de apresentação do novo programa.

Atualmente, a EPL é presidida por Josias Sampaio Cavalcante Júnior, ex-diretor e ex-presidente da Valec. A empresa ainda emprega 168 pessoas e ocupa dois andares em um edifício no centro de Brasília.

De acordo com o Valor, a reacomodação da estatal já foi considerada, e até mesmo a descontinuidade das operações.

Média: 3.6 (5 votos)
6 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de ABDON JUAREZ DA SILVA DIAS
ABDON JUAREZ DA SILVA DIAS

o plano nacional de logística integrada e a EPL

 

A QUEM INTERESSA  ACABAR COM A EMPRESA DE PLANEJAMENTO DO GOVERNO?

 

VEZ POR OUTRA SURGI UMA NOTINHA QUE A EPL-EMPRESA DE PLANEJAMENTO E LOGÍSTICA VAI ACABAR.

COMENTÁRIOS MALDOSOS POR AQUELES QUE TEMEM QUE O GOVERNO REALMENTE SE ORGANIZE, ATRAVÉS D EUMA EMPRESA SÉRIA COMPOSTA DE TÉCNICOS DE ALTO NÍVEL QUE FORAM CEDIDOS POR VÁRIOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E QUE DESENVOLVE UM PLANO NACIONAL D ELOGÍSTICA INTEGRADA - PNLI, NÃO COM A EXARCERBAÇÃO DAQUELES QUE QUEREM PROJETOS A TOQUE DE CAIXA AO BEL PRAZER DAS EMPREITERS, MAS SIM PROJETOS PENSADOS, COM SEUS HORIZONTES DE IMPLANTAÇÃO COERENTES PARA QUE O GOVERNO POSSA TER NA PRATELEIRA UM ESTOQUE DE PROJETOS PARA DECISÃO DE QUAL SERÁ IMPLANTADO PARA BENEFÍCIO DA SOCIEDADE E DO PAÍS.

 1 - EM UM PEQUENO ESPAÇO DE 3 ANOS COMPLETADOS, A EMPRESA , JÁ PARTICIPOU:

a) DA ELABORAÇÃO DO PLANO SAFRA COM O LEVANTAMENTO DAS NECESSIDADES DOS ARMAZENS PARA ESTOQUE DA SAFRA BEM COMO NO DIRECIONAMENTO PARA SEU ESCOAMENTO ATÉ OS PORTOS;

b) DAS ANÁLISES DOS ESTUDOS ELABORADOS PELAS EMPRESAS DE CONSULTORIA LOGIT/EBP, BEM COMO DOS LEVANTAMENTOS DE CAMPO QUE POSSIBILITARAM MELHOR ADEQUAÇÃO DOS PROGRAMAS DE EXPLORAÇÃO DE RODOVIAS- PER DOS 9 (NOVE) LOTES DE CONCESSÃO DA 3ª FASE DAS CONCESSÕES;

c) DOS LEVANTAMENTOS DOS TRECHOS RODOVIÁRIOS SELECIONADOS PARA COMPOREM AS PROPOSTAS DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE-PMI's, DEFININDO AS ALTERNATIVAS DE MELHORIA DE TRAÇADOS BEM COMO OS TIPO DE INTERVENÇÕES PREVISTAS;

2 -DOS ESTUDOS TÉCNICOS DESENVOLVIDOS PODEMOS CITAR:

d) OS ESTUDOS DE MELHORIA DE TRAÇADO E ESTUDOS GEOTÉCNICOS QUE REDUZIU O TRAÇADO DO TAV - TREM DE ALTA VELOCIDADE EM MAIS D E9,0 KM, E COM ISSO REDUZINDO O CUSTO DO PROJETO E TRAZENDO MAIS EFICIÊNCIA ;

e) OS ESTUDOS, LEVANTAMENTOS E PESQUISA QUE ENVOLVEM O PLANO NACIONAL DE LOGISTICA INTEGRADA - PNLI - QUE TEM COMO OBJETIVO

• identificar as necessidades e propor as oportunidades de investimentos a curto, médio e longo prazo, para  prover o país de uma logística eficiente e competitiva, com associação entre infraestrutura e serviços, numa visão Pública, Privada e Pública-privada. O PNLI, ESTÁ NA SUA 2ª FASE, SENDO A 1ª FASE  O LEVANTAMENTO DE DADOS PRIMÁRIOS E SECUNDARIOS, BEM COMO A ELABORAÇÃO DA MATRIZ DE TRANSPORTE DE CARGA QUE VAI POSSIBILITAR EM FUNÇÃO DO PORTIFOLIO DE PROJETOS GERADOS, E A DECISÃO DE IMPLANTAÇÃO DAS OBRAS DE INFRA ESTRUTURA ALÍ LEVANTADAS, TERMOS UM GRANDE IMPÁCTO NA REDUÇÃO DO CUSTO BRASIL.  AGORA ME DIGAM A QUEM INTERESSA EXTINGUIR A EPL ?

 

 

Seu voto: Nenhum
imagem de batista neto
batista neto

Saudade da colonia.

Como todo bom representante dos velhos entusiastas da politica da dependencia, o Valor festeja e sonha com o fracasso de qualquer esforço direcionado a politicas desinvolvimentistas. Tem umas soluções fáceis e rapidas para financiar as obras e não depender de boa vontade de empreiteiras que só querem a parte mais molinha do filet. Mandar o projeto de taxação severa e progressiva sobre qualquer modalidade de acumulação financeira e criar a Construbras para realização de grandes obras de infraestrutura. Ai o valor vai chamar todo mundo de comunista, mas não faz mal.

Seu voto: Nenhum

Não sei não, mas este pessoal não me parece à toa

Agenda de notícias do governo brasileiro.

 

Seu voto: Nenhum

Follow the money, follow the power.

imagem de DanielQuireza
DanielQuireza

168 pessoas mais

168 pessoas mais provavelmente um prédio alugado (se for próprio poderia estar alugado recebendo) no centro de Brasilia.

Por que será que a tesourinha do Levy não chegou até ai ?

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Tudo na base da

Tudo na base da gambiarra.

Qual a novidade?

O único que esper até hoje que as coisas engrenem, ou melhor, peguem "no breu", é você, Nassif.

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Calvin
Calvin

Para cada problema, uma estatal

Bernardo Figueiredo desmontou a falácia repetida sobre a viabilidade (que seria óbvia) das hidrovias, e isto antes da seca (e consequente bloqueamento da Tietê-Paraná)!

Afirmava que obras de derrocagem custam R$ 1 bilhão e em poucos anos precisam ser refeitas, além do que, ao contrário das ferrovias (que não dependem de chuvas), não se pode escolher a origem ou o destino.

Por isto foi combatido e saiu da EPL, um pequenino elefante branco...

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Gente, o que vcs buscam? Um

Gente, o que vcs buscam?

Um sinal de inteligência do Governo?

Governo são pessoas!

 

Quando  a Dilma acha que pode dar esporro em todo mundo, da nisso.

Tem gente que trabalha para o Governo porque quer. Não é pelo dinheiro, não é por ideologia e sim por ter capacidade de tocar projetos grandiosos.

Capacidade é a palavra chave.

 

Mas deixa quieto. Já já a Dilma coloca o Mercadante para tocar!

Sabe como é, sinal de inteligência...

Seu voto: Nenhum (12 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.