newsletter

O jogo político está zerado

A grande vantagem da democracia é que nenhum governante ou partido consegue dormir em cima dos louros da vitória. O país desenvolve-se etapa por etapa.

Quando uma etapa está prestes a se esgotar, surgem sinais nos horizontes, não muito claros, apenas indícios, insatisfações difusas que indicam o esgotamento do modelo em curso e a necessidade de se iniciar um novo ciclo.

Quem não decifra o novo, é devorado. Foi assim com Winston Churchill e Franklin Delano Roosevelt, duas das figuras referenciais do século 20.  Já o medíocre Ronald Reagan teve o insight vitorioso sobre os ventos de liberalização da economia e quando o novo tempo chegou ele estava à frente.

Por sua vida e formação, e pela própria lógica partidária do PT, Lula entendeu os tempos da inclusão e da solidariedade social e tornou-se referência mundial.

***

O ciclo da inclusão se completou: daqui  para frente é só garantir a manutenção.

Mesmo assim, hoje em dia, a radicalização política tornou-se uma batalha de retrovisor. Do lado da oposição, a tentativa cada vez mais débil de desqualificar o modelo inclusivo; da parte do governo, o acomodamento de julgar que o sucesso da etapa anterior é garantia de passagem para a nova etapa. Não é.

***

No vendaval dos oportunismos de toda espécie que sacudiram a Nova República, a bandeira dos despossuídos, dos não-organizados tornou-se peça chave na luta civilizatória. Os sindicalizados tinham os sindicatos para defendê-los; os setores econômicos, os partidos políticos e suas diversas associações; o poder econômico, de uma maneira geral, tinha a mídia. E quem defendia os que nada tinham? Lula entendeu a ajudou a criar uma nova classe de incluídos.

***

A sociedade civil brasileira ganhou maioridade. Há uma profusão de ONGs, movimentos, associações, sindicatos, organizações como nunca houve na história.

O país entra no estágio da sociedade norte-americana de meados do século 19, com um traço em comum: não querem ser meros agentes passivos; exigem participar da construção das políticas públicas em torno das quais elas desfraldaram suas bandeiras.

***

Dilma entendeu a importância de completar a inclusão social e de preparar a economia para novos investimentos, para a educação, a inovação.

Mas enredou-se em uma política de gabinete que a enfraquece politicamente, tornando-a mais vulnerável às pressões do Congresso e dos atores políticos antigos. Suas apostas têm esbarrado seguidamente em empecilhos criados pela própria burocracia pública e no não engajamento dos principais atores no processo, uma alienação típica de políticas de gabinete.  As ideias não conquistam corações e mentes, não satisfazem nem os beneficiários de iniciativas nem os atores públicos.

Quando alguma demanda pública ganha dimensão maior - como ocorreu nas manifestações de junho de 2013 - supõe-se que tudo será resolvido com audiências pontuais, pequenos afagos que, até hoje, não resultaram em respostas satisfatórias.

A nova etapa política será do aprofundamento da democracia. O país ficou grande demais para comportar um novo grande pai, nos moldes do getulismo, pairando acima das forças sociais.

Sorte de Dilma é que a oposição parece entender os novos tempos menos ainda que o governo.

Média: 4.1 (31 votos)
66 comentários

Comentários

Estamos certamente passando

Estamos certamente passando por um período de transição em nossa sociedade, com a transformação de uma economia basicamente exportadora para outra mais voltada ao mercado interno, resultado da intervenção do Estado na economia e sua consequente inclusão de grande massa de trabalhadores no mercado formal – não sem as "terríveis dores do parto", como dizia Marx. Ao mesmo tempo, e dialeticamente, as massas ascendentes (sobretudo os jovens) buscam melhor posicionamento. Percebendo, agora mais que nunca, as contradições da sua existência, cobram os direitos a elas negados há séculos. Direitos não só sociais e políticos, mas, sobretudo, o direito ao consumo. Me parece bastante óbvio que as revoluções nos meios de comunicação são também fundamentais neste processo. As atuais condições materiais de existência também permitem trocas de informações como jamais foi possível. Toda esta transformação econômica e social entra em inevitável contradição com o aparato político-ideológico e suas estruturas de poder, sejam elas estatais ou privadas - sistema político, judiciário, imprensa, empresas tradicionais, sindicatos, burocracia, setores partidários etc..., que procuram a todo custo preservar a velha ordem. Em um país com alto grau de industrialização ainda predomina grande parte da oligarquia. Suas antigas práticas fisiológicas enferrujam as engrenagens do sistema até o ponto de emperrá-las. Segundo a teoria marxista, estas contradições destroem o velho, enquanto, dialeticamente, de seu próprio útero vai sendo gestado, como síntese, o novo. As forças produtivas colocadas em movimento pela redemocratização nestas duas últimas décadas (pelo menos, e com maior profundidade na última) funcionam como placas tectônicas quando deslocadas. A grandeza do que se sente na crosta, depende, pois, da intensidade deste deslocamento subterrâneo. E o meio ambiente? Este me parece ser um componente explosivo desta equação, porque tem cada vez mais se mostrado finito. Neste trem embalado não há lugar para todos na primeira classe...

 

Chamaram-me especial atenção dois pontos essenciais no texto do Nassif:

1) o esgotamento de um ciclo e início de outro;

2) e a afirmação: "quem não decifra o novo é devorado".

 

Nessas horas, é sempre bom lembrar os conselhos de quem sabe o que diz: "As rodas da história não andam para trás" (Karl Marx)

Seu voto: Nenhum

Exclusão da inclusão

Nassif coloca duas assertivas que não necessariamente precisam ser tomadas como mutuamente exclusivas. Parece óbvio que o processo de inclusão social está longe de ser completado. Não é caso de manutenção. Pode inclusive refluir. Basta ver o que vários economistas, alguns nem muito ortodoxos, Samuel Pessôa, e outros medíocres, Alexandre Schwartzman, pregam diariamente em relação aos viés gastos sociais versus aumento de tributos. Se os votos garantirem suas voltas, é certo que a inclusão parará aonde chegou. Não prosperará.

Vou mais longe. Não resolvendo os gargalos que surgiram na economia nos últimos três anos, mesmo o desemprego pode voltar a aumentar. E demissões são o lado mais cruel da exclusão. Algo não muito explícito deve andar bem na economia, caso contrário o empresariado nacional já teria iniciado suas obras demissionárias. 

Isto posto, por outro lado, é de profunda importância para o País que, como escreve o Nassif, façamos as reformas que aprofundarão a democracia. Realmente, não se pode mais manter um sistema político com um só pai, sob pena de perdermos mais uma oportunidade que a história nos dá.

Concordo que a oposição parece entender isso menos do que o governo, mas com uma vantagem. Ela pode manter essa renovação apenas no discurso, enquanto o governo precisa fazê-lo com ações e contra um aparelho midiático hostil.

Por estar no Executivo Federal, contar com amplos quadros em Estados, municípios e no Legislativo, além de militância mais bem formada, caberia ao PT ampliar as discussões no sentido de dar continuidade e ampliar a inclusão social e, ao mesmo tempo, definir as reformar que permitirão ao País aprofundar a democracia e o desenvolvimento. 

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Sta. Catarina
Sta. Catarina

Acomodação

Com uma oposição medíocre como a brasileira fica fácil cair na tentação da acomodação. Concordo que uma nova agenda deva ser lançada, pois o mundo e as coisas são dinâmicas, não estáticas. Há crises econômicas, tragédias naturais, guerras que mudam o panorama nacional e internacinal a todo momento. Gostaria de ver nossa presidente com um discurso progressista e com forte preocupação na gestão da coisa pública, com ministérios e empresas estatais bem administradas; um ministério público ativo e ágil nas punições contra aproveitadores; empresários parando de reclamar e investindo em suas empresas...Enfim, há muita coisa a ser melhorada para que o Brasil assuma de vez o papel que merece no cenário internacional.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Venezuelanos repudiam e espalham vídeo de Lula apoiando Maduro

PARA: ORGANIZAÇÕES PÚBLICAS, ORGANIZAÇÕES PRIVADAS E CIDADÃOS DO BRASIL E DO MUNDO

 

Para conhecimento,

 

Tema Em Análise: Venezuelanos repudiam e espalham vídeo de Lula apoiando Maduro

 

1.            O Brasil está jogando um jogo político, econômico e financeiro, perigosos, e, certamente, enfrentará fortes turbulências sociais, em breve, também, a exemplo da Venezuela, e como afirmações como essa não podem ser feitas de forma irresponsável, consulte, no item 7, abaixo, a análise “Perigos do Déficit em Conta Corrente Para o Endividamento Público e Para as Reservas Internacionais”, em especial o item 24, abaixo, onde se demonstra, matematicamente, o processo de guerra civil que se desenvolve, silenciosamente, no Brasil, mas que poderá ser contido, se medidas, sérias, forem adotadas, URGENTEMENTE.

 

2.            Assista ao vídeo, constante da matéria, em anexo (item 5 abaixo), intitulada “Mensagens do grupoVocês saberão quem somos” avisam que Maduro será derrubado por militares patriotas”, divulgada em 22/02/2014, por Alerta Total, abaixo reproduzida, extraída do link http://www.alertatotal.net/2014/02/mensagens-do-grupo-voces-saberao-quem.html, segundo a qual “Venezuelanos repudiam e espalham velho vídeo de Lula dando apoio à campanha que elegeu Nicolas Maduro (por meio de descarada fraude)”.

 

3.            O Brasil deve se preparar para períodos muito turbulentos, embora, parte dessa turbulência esteja sendo ocultada, do mundo, pelos meios de comunicação. Consulte as informações, constantes da matéria, em anexo, intitulada “Venezuela e a força das redes sociais”, por Jornalismo Wando, divulgada em 18/02/2014, no link http://br.noticias.yahoo.com/blogs/jornalismo-wando/venezuela-e-for%C3%A7a-da-internet-174436544.html, segundo a qual:

 

Início

 

"6 mil guerrilheiros cubanos chegaram no Brasil disfarçados de médicos!"

 

"Somente em uma ponte em Cuba foram gastos 3 bilhões. Tudo pago pelos brasileiros!"

 

Essas informações estão espalhadas pelas redes sociais e foram confirmadas por Maycon Freitas, um dos líderes das revoltas de junho, em entrevista a este blog. Munido da credibilidade adquirida durante a"Primavera Brasileira", Maycon tem muito a oferecer para os manifestantes venezuelanos. Foi a partir de suas postagens no Facebook que passei a prestar atenção nos últimos acontecimentos.

 

Ou seja, depois de torrar 3 bilhões numa ponte cravejada de ouros e diamantes em Cuba, Dilma agora comprou toda a mídia para defender o regime bolivariano e abafar a matança de Maduro.

 

"Mas, pera lá! GENOCÍDIO, Wando? A informação oficial é de que apenas 3 pessoas morreram e 23 ficaram feridas!"

 

Bom, mas isso é para quem se informa através de uma mídia que se vendeu ao Abominável Foro de São Paulo. A verdade é outra. Informações que chegam diretamente da Venezuela pela internet confirmam que mais de 3000 pessoas foram assassinadas desde o início das manifestações. Graças ao poder das redes sociais, não dependemos mais da grande mídia pra espalhar nossas próprias mentiras divulgar a verdade dos fatos.

 

A força da internet é tão grande que muitas vezes acaba rompendo com o silêncio na imprensa. Cesar Filho, ex-namorado de Angélica e atual jornalista do SBT, furou o bloqueio midiático internacional e colocou o tema genocídio venezuelano em pauta. Vejamos o tweet que ele compartilhou com seu público:

“Estima-se que há mais de 3.000 mortos na Venezuela, e aqui no Brasil, um silêncio ensurdecedor das principais emissoras de TV. É ISSO QUE ELES CHAMAM DE DIREITOS HUMANOS?”

 

Eu, com meu jornalismo-sapeca, atualizei o colega de trabalho com informações ainda mais fresquinhas e estapafúrdias. E não é que nosso garoto compartilhou?

 

“Obrigado por divulgar a luta na Venezuela, Cesinha. Mas essa info está velha, já há + de 9.000 mortos em Caracas”.

 

Final

 

4.            Não sei se, de fato, as informações de que há 9.000 mortos, em Caracas, é ou não verdadeira e quero acreditar que não sejam verdadeiras, mas não podemos afastar a possibilidade de serem verdadeiras, em um país onde falta saúde, educação, segurança, leite e, até, papel higiênico, senão, por que razão, a Onu e os EUA estariam intervindo nesse país? Sei que o brasileiros devem se cuidar para que esse processo que ocorre, na Venezuela, não se repita, no Brasil, com a mesma intensidade:

 

a)           Vide matéria intitulada “Venezuela ordena ocupação de fábrica de papel higiênico”, divulgada em 20/09/2013, pelo Portal Exame, no link http://exame.abril.com.br/economia/noticias/venezuela-ordena-ocupacao-de-fabrica-de-papel-higienico. Objetivo, da Venezuela, é garantir abastecimento de um produto que se converteu em um símbolo da escassez de bens essenciais no país.

 

b)           Vide matéria, em anexo, intitulada “Empresas fecham, mas não conseguem demitir na Venezuela”, divulgada em 12/07/2013, pelo Valor Econômico, disponível no link http://www.fazenda.gov.br/resenhaeletronica/MostraMateria.asp?page=&cod=905696:

 

I.             A Brahma mantém fábrica, FECHADA, na Venezuela, mas paga salários para 200 trabalhadores, que trabalham, diariamente, inspecionando equipamentos desligados. Leis Trabalhistas, Venezuelanas, só permitem demissão, inclusive em fábricas fechadas, se o Governo autorizar a demissão de trabalhadores. Puro populismo econômico, IRRESPONSÁVEL;

 

II.            A Venezuela é um país que paga um alto preço das consequências da prática do populismo econômico irresponsável, doença que, também, arrasou a antes, próspera, Argentina.

 

III.           Na matéria abaixo relata-se que, na Venezuela, as empresas fecham, mas não conseguem demitir os funcionários.

 

IV.          Vejam que situação absurda, relatada por essa matéria:

 

Jean Salero levanta-se de madrugada a tempo de bater o ponto em seu turno de trabalho em uma fábrica, fechada, de cerveja da marca brasileira Brahma, na cidade venezuelana de Barquisimeto. Após oito horas conferindo válvulas e anotando as temperaturas de máquinas inativas, ele bate o ponto de saída para ganhar um salário mensal de 4.700 bolívares (US$ 746, pelo câmbio oficial)”.

 

V.           Analisemos a situação, absurda. Jean Salero tem emprego em uma fábrica que está fechada. Na Venezuela, os políticos devem caracterizar essa situação, absurda, como pleno emprego, nas pesquisas de índices de emprego, para dizer que o partido político que ocupa o poder faz um excelente trabalho de manutenção dos índices de emprego. Se isso não é populismo econômico, irresponsável, então, o que é populismo econômico irresponsável?

 

VI.          A Venezuela vive de sonhos. Jean Salero, que bate ponto em uma fábrica fechada e inspeciona equipamentos desligados, vive de um emprego que não existe, na prática, e continua recebendo salários de uma atividade inexistente e inútil, para ele e para o país, já que não está produzindo, absolutamente nada, “Mesmo assim, os fortes programas de direitos trabalhistas e bem-estar social ajudaram Chávez e seu sucessor, Maduro, a vencer cinco eleições presidenciais seguidas. A taxa de desemprego foi reduzida quase à metade desde que Chávez assumiu, sob o lema "Socialismo do Século XXI". A taxa de desemprego da Venezuela foi de 7,8% em maio, segundo o Instituto Nacional de Estatísticas (INE)”, conforme consta de referida matéria”.

 

VII.        Jean Salero e os demais funcionários dessa fábrica fantasma, situação que se repete em outras empresas, na Venezuela, vivem de sonhos, mas esse sonho mais dia menos dia vai acabar, em prejuízo do seu sustento e em prejuízo do sustento de sua própria família, por que partidos políticos, irresponsáveis, que querem se manter, no poder, por decreto, fabricam situações econômicas, boas para os políticos e para a manutenção desses partidos, no poder, mas essas situações econômicas são extremamente prejudiciais para os empresários que investem e, assim, o mais forte, o Estado, no primeiro momento vence, para tombar, no segundo momento, sob o peso de revoluções sociais, internas, às vezes sangrentas, criadas por condições econômicas, fantasiosas, insustentáveis, para toda a sociedade, a custo de muito atraso e desenvolvimento para o próprio país e suas famílias.

 

c)           Vide matéria “Inflação dispara na Venezuela apesar de economia estagnada”, disponível no link https://www.facebook.com/notes/rogerounielo-rounielo-fran%C3%A7a/infla%C3%A7%C3%A3o-dispara-na-venezuela-apesar-de-economia-estagnada/587727801267656, divulgada pelo Valor Econômico, em 07/06/2013, extraída do link https://conteudoclippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/6/7/inflacao-dispara-na-venezuela-apesar-de-economia-estagnada, e do link http://www1.valor.com.br/internacional/3153160/inflacao-dispara-na-venezuela-apesar-de-economia-estagnada, segundo a qual “A alta nos gastos sociais do governo em 2012, quando o ex-presidente Hugo Chávez buscava a reeleição, ajuda a explicar o que ocorre hoje no país. Puxado pelas aquisições do governo para o programa "Gran Misión Vivienda" - versão venezuelana do "Minha Casa, Minha Vida" -, o setor de construção civil cresceu 10% no ano passado, alavancando a economia”.

 

5.            A história do populismo econômico venezuelano lembra, em certo sentido, a história econômica do populismo econômico, operado pelo Partido dos Trabalhadores, com a complacência dos demais partidos políticos do Brasil?

 

6.            Matéria, em anexo, intitulada “Mensagens do grupoVocês saberão quem somos” avisam que Maduro será derrubado por militares patriotas”, divulgada em 22/02/2014, por Alerta Total, abaixo reproduzida, extraída do link http://www.alertatotal.net/2014/02/mensagens-do-grupo-voces-saberao-quem.html:

 

Início

 

sábado, 22 de fevereiro de 2014

 

Mensagens do grupo “Vocês saberão quem somos” avisam que Maduro será derrubado por militares patriotas

 

Vídeo - Título: “Lula apóia o truculento ditador Nicolás Maduro

 

Link: http://www.youtube.com/watch?v=LZS1OeRIRbk#t=144

 

Venezuelanos repudiam e espalham velho vídeo de Lula dando apoio à campanha que elegeu Nicolas Maduro (por meio de descarada fraude).

 

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

 

O Presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, corre o risco concreto de sofrer um golpe militar interno para ser tirado do poder. A previsão é de um militar de alta patente que afirma ser um “patriota” da Força Armada Nacional Bolivariana, “com informações vitais para vencer esta luta”. Desde quinta-feira, uma conspiração em marcha contra o podre regime de Maduro espalha uma mensagem apócrifa, com o aviso: “Vocês saberão quem somos” (Ustedes sabrán quienes somos).

 

O General - que não se identifica - pede que o povo da Venezuela mantenha disciplina e perseverança em sua desobediência civil, até que “haja uma força que nos permita agir”. O militar recomenda que os civis só usem armas para reagir em legítima defesa, quando atacados, e não em ações ofensivas – que custarão vidas. Na avaliação do oficial, “as revoltas populares devem criar as condições para nós, os patriotas possamos agir dentro da Força Armada Nacional Bolivariana”.

 

A oposição ao regime bolivariano dentro das Forças Armadas – que afirma não aceitar a interferência cubana nas decisões internas – garante que “está organizada e já tirando proveito de pontos fracos do regime”. Na mensagem apócrifa a lideranças das revoltas, o militar reafirma seus alvos principais: “Não é nenhum segredo que Nicolas Maduro é um homem sem rumo, até de si mesmo, mas quem está por trás das atrocidades é Diosdado Cabello (presidente da Assembleia Nacional da Venezuela)”.

 

A tensão e insatisfação populares são crescentes nos estados de Táchira, Carabobo, Mérida, Bolívar, e Caracas. As manifestações continuam ativas. Estradas permanecem bloqueadas. O maior problema é a falta de alimentos. Agora, Maduro ameaça os estados opositores com o corte no fornecimento de combustível. Ontem, o ministro do Petróleo, Rafael Ramirez, advertiu que o governo pretende cortar o abastecimento para o que chama de “zonas de cerco fascistas”.

 

O problema para o povo venezuelano é que, até que o regime de Maduro realmente se enfraqueça, a ponto de sofrer algum tipo de golpe interno, o risco de o país mergulhar em uma guerra civil, com cada vez mais vítimas fatais, torna-se uma triste realidade concreta. Ainda é muito inconsistente a condenação da comunidade internacional aos atos bárbaros cometidos pelo regime de Maduro.

 

Apesar da eficiente guerrilha de informação promovida pela oposição venezuelana, o país parece abandonado à própria sorte. Uma mudança de regime não dependerá apenas da ação de cidadãos comuns, principalmente donas de casa que filmam abusos da repressão bolivariana e de estudantes que corajosamente partem para protestos nas ruas, enfrentando a Guarda Nacional Bolivariana (onde as chamadas “viúvas negras” de Cuba estão claramente infiltradas e agindo com violência contra aquele que não é seu povo).

 

No Brasil, a cúpula do PT continua mantendo seu irrestrito apoio ao regime Maduro (herdeiro do embalsamado Hugo Chávez, que logo terá seu nome apagado da história, no melhor estilo stalinista que conduz revoluções comunistas pragmáticas, que precisam sempre de um vivo líder carismático, como é o caso da farsa bolivariana).

 

Acuda-me, Lula... 

 

Imagem Deletada

 

A Lição da Venezuela aos Brasileiros

 

Vídeo - Título: “A lição da Venezuela aos brasileiros

 

Link: http://www.youtube.com/watch?v=C91UVzkaa-Q

 

Esclarecedor vídeo produzido por Bruna Luiza, do blog Garotas Direitas:

 

“Os maiores inimigos da liberdade não são os ditadores: são os omissos”.

 

Opressão pura

 

Imagem Deletada

 

Vídeo - Título: “GNB violan propiedad privada en la Res. Cardenal Quintero

 

Link: http://www.youtube.com/watch?v=suHV3TlLe_M   

 

Imagens feitas por venezuelanas mostram como a Guarda Nacional Bolivariana abusa do autoritarismo, invadindo o condomínio residencial Cardenal Quintero, em Merida.

 

Além de invadir uma propriedade privada, a GNB de Nicolas Maduro exagera na artilharia contra civis indefesos, sob protesto de moradores.

 

Barrigada da Mansão

 

Imagem Deletada

 

Não procede a informação de que a Presidenta Dilma tenha comprado a mansão da foto acima por R$ 5 milhões.

 

Situada na Avenida Copacabana, 41, bairro Tristeza, em Porto Alegre, a propriedade pertence ao publicitário Hugo F, Hoffman.

 

Dilma tem um apartamento no mesmo bairro, onde fica quando está na capital gaúcha.

 

Sambinha da Presidanta

 

Vídeo - Título: “Dilma em Cuba lança porto

 

Link: http://www.youtube.com/watch?v=hVXhEwsiSb4

 

Certamente, a marchinha vai fazer o maior sucesso no carnaval da oposição.

 

O refrão “Dilma em Cuba lança Porto” vai dar o que avacalhar...

 

Final

 

7.            Temas Em Análise:

 

A) Perigos do Déficit em Conta Corrente Para o Endividamento Público e Para as Reservas Internacionais (Fonte: link https://www.facebook.com/notes/rogerounielo-rounielo-fran%C3%A7a/perigos-do-d%C3%A9ficit-em-conta-corrente-para-o-endividamento-p%C3%BAblico-e-para-as-rese/686272818079820);

 

B) Vídeo “Divida Pública, Orçamento e Gastos - Profª. Dra. María Lúcia Fattorelli”, disponível no link http://www.youtube.com/watch?v=ChmYfkVDFSU, onde se aborda, dentre outros pontos, “Desregulamentação do Mercado Financeiro Global”, “Derivativos Sem Lastro”; e “Ativos Tóxicos”.

 

8.            Não basta dizer que o Brasil precisa de "POLÍTICAS ESTILO LULA PARA CRESCER", conforme afirmação constante da matéria, em anexo, intitulada “Brasil precisa de políticas estilo Lula para crescer, diz Pimco", divulgada no Valor Econômico.com, em 24/01/2014, no link http://www.valor.com.br/financas/3406732/brasil-precisa-de-politicas-estilo-lula-para-crescer-diz-pimco.

 

9.            É necessário analisar O RESULTADO DAS POLÍTICAS DE CRESCIMENTO ADOTADAS POR LULA, para sabermos se vale a pena, e se é viável, para o Brasil e para as famílias brasileiras, REPETIR A DOSE DAS POLÍTICAS DE CRESCIMENTO, ADOTADAS POR LULA, QUE PODEM SER DE REMÉDIO OU DE VENENO, QUE MATA O PACIENTE, AOS POUCOS, SEM QUE ELE PERCEBA.

 

10.         O modelo que levou o PT ao poder e que é defendido por todos os partidos políticos, políticos, empresários etc., em geral, deixará um rombo DESASTROSO para o país, que levará décadas para ser fechado. Vide matéria, em anexo, intitulada “Rombo do país com transações externas cresce 50% e bate recorde em 2013, com US$ 81,4 bilhões", divulgada no O Globo.com, em 14/01/2014, no link http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/3145047/acoes-construtoras-bovespa-refletem-temida-bolha-imobiliaria

 

11.         O Brasil tem cerca de US$ 350 BILHÕES, em reservas internacionais. Se o país tivesse US$ 80 bilhões de déficit em conta corrente, por ano, e nenhuma entrada de novos dólares, em suas reservas, isto significaria que em 4,38 anos teria torrado TODAS as nossas reservas internacionais, por meio do déficit em conta corrente.

 

12.         Se os US$ 80 BILHÕES de déficit em conta corrente, do Brasil, forem TOTALMENTE financiados pelo ingresso de US$ 80 BILHÕES, a título de capital especulativo, o Brasil não torraria suas reservas internacionais, em dólares, pois internalizaria, em 05 anos, US$ 400 BILHÕES.

 

13.         Se eu fosse candidato a Presidente da República, em ano eleitoral, estaria divulgando essa informação de forma positiva, dizendo para a sociedade brasileira que:

 

o meu governo faz acontecer e está trazendo US$ 400 bilhões, em investimentos, para o Brasil, nos próximos 05 anos”.

 

14.         Entretanto, não sou governante. Sou, apenas, um cidadão, pai de família, que nada entende de política e de economia, mas sei fazer algumas contas, básicas, para fins de expressar, livremente, minhas opiniões, buscando proteger minha família e todas as famílias, do Brasil e, por isso, nessa qualidade diria:

 

O Brasil terá sérios problemas, financeiros, econômicos e sociais, que a imprensa não explica, de forma completa, para a sociedade brasileira, se continuar, ano após ano,’ com seus déficits em conta corrente e continuar a cobrir seus déficits em conta corrente trazendo mais US$ 400 BILHÕES, em investimentos, para o Brasil, nos próximos 05 anos”.

 

15.         Explicaremos o raciocínio anterior, fazendo contas, básicas. Para fazer o câmbio de US$ 400 BILHÕES, a R$ 2,00 por dólar, em 05 anos, para internalizar US$ 80 BILHÕES, por ano, o Brasil deveria emitir R$ 800 BILHÕES em títulos públicos federais, em uma PRIMEIRA OPERAÇÃO com o "INVESTIDOR Nº 01" (várias pessoas que estariam comprando títulos públicos federais, no Brasil), onde pagaria uma PRIMEIRA taxa selic de 10% a.a, sobre R$ 160 BILHÕES, por ano, o que, grosso modo, geraria pagamento de juros, pelo Brasil, da ordem de R$ 54,9 BILHÕES, em média, por ano, ou R$ 274,5 BILHÕES, em 05 anos (Fonte: planilha “Juros pagos pelo Brasil - Deficit em Conta Corrente - US$ 80 Bilhoes.xls”, em anexo).

 

16.         Depois que o Brasil arrecadasse os R$ 800 BILHÕES, do "INVESTIDOR Nº 01", por meio da "DÍVIDA PÚBLICA Nº 01", entregaria esses recursos ao "INVESTIDOR Nº 02" (investidores que estaria trazendo dólares para o Brasil para financiar o déficit em conta corrente, por meio de capital especulativo), que, também, aplicariam seus recursos, em reais, em títulos públicos federais, em uma SEGUNDA OPERAÇÃO, que gera a "DÍVIDA PÚBLICA Nº 02", no valor de MAIS R$ 800 BILHÕES, onde pagaremos uma SEGUNDA taxa selic de 10% a.a., sobre R$ 160 BILHÕES, por ano, o que, grosso modo, vai gerar pagamento de juros, pelo Brasil, da ordem de R$ 54,9 BILHÕES, em média, por ano, ou R$ 274,5 BILHÕES, em 05 anos.

 

17.         Dessa forma, resumida, fica fácil de compreender que para o Brasil internalizar US$ 400 BILHÕES, em 05 anos, ou US$ 80 BILHÕES (R$ 160 BILHÕES), por ano, para financiar o seu déficit em conta corrente, faria dívidas, TOTAIS, no valor de R$ 1,9 TRILHÕES, em 05 anos, ou R$ 390,7 BILHÕES, por ano, e pagará juros, no valor, total, de R$ 548,9 BILHÕES, em 05 anos, ou R$ 108,8 BILHÕES, por ano, fazendo com que a dívida pública, bruta, salte de R$ 2,7 TRILHÕES para R$ 4,6 TRILHÕES.

 

18.         O orçamento geral da União de 2011, executado, foi de R$ 1,571 TRILHÃO (UM TRILHÃO QUINHENTOS E SETENTA E UM BILHÕES DE REAIS), sendo que R$ 708 BILHÕES foram destinados ao pagamento de juros e amortizações da dívida pública, o que representou 45,05% do orçamento geral da União de 2011.  

 

19.         O Brasil estaria acrescentando o pagamento de mais R$ 109,8 BILHÕES, em custos, para o orçamento geral da União, correspondentes à divisão, por quatro, do total de juros de R$ 548,9 BILHÕES, que seriam pagos em 05 anos, quando o Brasil recebesse mais R$ 1.600.000.000.000,00 (Um Trilhão e Seiscentos Bilhões de Reais) dos investidores, fazendo com que o total de pagamento de juros, pelo Brasil, salte de R$ 708.000.000.000,00 (Setecentos e Oito Bilhões de Reais) para 817,8 BILHÕES, elevando o percentual do orçamento geral da União, comprometido com o pagamento de juros, de 45,05% para 52,6%, em função do crescimento da dívida pública bruta.

 

20.         Não devemos nos esquecer, contudo, que o crescimento da dívida pública, brasileira, não se restringe, apenas, ao financiamento do crescente déficit em conta corrente, conforme visto acima.

 

21.         O Brasil, também, pretende acrescentar o pagamento de mais R$ 370.423.449.000,00 (Trezentos e Setenta Bilhões, Quatrocentos e Vinte e Três Milhões, Quatrocentos e Quarenta e Nova Mil Reais), correspondentes à divisão, por quatro, do total de juros de R$ 1.481.693.796.000,00 (Um trilhão, Quatrocentos e Oitenta e Um Bilhões, Seiscentos e Noventa e Três Milhões, Setecentos e Noventa e Seis Mil Reais), que seriam pagos em 04 anos, quando o BNDES receber mais R$ 1.800.000.000.000,00 (Um Trilhão e Oitocentos Bilhões de Reais) do Tesouro Nacional, fazendo com que  o total de pagamento de juros, pelo Brasil, salte de R$ 708.000.000.000,00 (Setecentos e Oito Bilhões de Reais) para 1,2 TRILHÕES, fazendo com que o percentual do orçamento geral da União, comprometido com o pagamento de juros, salte de 45,05% para 75,63%, em função do brutal crescimento da dívida pública bruta.

 

22.         Vide matéria intitulada “Para Tesouro Repassar R$ 365,2 BILHÕES ao BNDES, Brasil Faz Dívidas R$ 730,4 BILHÕES e Paga Juros de R$ 300 BILHÕES, Em 04 Anos”, de minha autoria, divulgada em 15/09/2013, no link https://www.facebook.com/notes/rogerounielo-rounielo-fran%C3%A7a/para-tesouro-repassar-r-3652-bilh%C3%B5es-ao-bndes-brasil-faz-d%C3%ADvidas-r-7304-bilh%C3%B5es-/634069473300155

 

23.         O leitor pensa, por acaso, que essa situação, descrita anteriormente, é SUSTENTÁVEL? Claro que essa situação não é sustentável. Analise, abaixo, mais alguns OUTROS números, também, ALARMANTES!

 

24.         Façamos contas! Se 120 milhões de pessoas da nova classe média -- “O jornal informa que dados inéditos da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República mostram que a nova classe média brasileira,composta por 120 milhões de pessoas, já é o 17o mercado do mundo, consumindo mais do que a Holanda e tanto quanto a Coréia do Sul” (Fonte: link http://www.imil.org.br/blog/crescimento-governo-brasileiro-aposta-na-nova-classe-mdia/ -- ganharem, em média, R$ 1.000,00, por mês, RECURSOS JÁ TOTALMENTE COMPROMETIDOS COM O PAGAMENTO DE ELEVADAS E NUMEROSAS PRESTAÇÕES DO CARRO, GELADEIRA, TELEVISÃO, FREEZER, MICRO-ONDAS, NOVOS, CHEQUE ESPECIAL, CARTÃO DE CRÉDITO ETC. ETC., com uma inflação, real, de 15% ao ano, isto significa que o poder de compra dessa população decresce, em média, R$ 150,00 por ano e que, no final do 5º ano, essa POPULAÇÃO DE 120 MILHÕES DE PESSOAS PERDEU R$ 500,00 EM PODER DE COMPRA (R$ 750,00 DE PERDA DE PODER DE COMPRA CAUSADO PELA INFLAÇÃO MENOS R$ 250,00 DECORRENTES DE 5% DE REAJUSTE SALARIAL, POR ANO, DURANTE 05 ANOS), OU SEJA, NO QUINTO ANO, 120 MILHÕES DE PESSOAS TERÃO PERDIDO 50% DO SEU PODER DE COMPRA e estarão ganhando, em termos de poder de compra, R$ 500,00, o que, na prática, significa, potencialmente, que O BRASIL ATRAVESSARÁ SÉRIOS PROBLEMAS SOCIAIS, MUITO PIORES DO QUE AS ATUAIS MANIFESTAÇÕES, se o Governo Federal não contiver, neste momento, o crescimento das expectativas inflacionárias dos agentes econômicos.

 

25.         Não é necessário fazer grande esforço de lógica para compreender que se os brasileiros apresentam 88% de seu patrimônio comprometido com pagamento de dívidas próprias e de impostos, conforme itens abaixo, que não há espaço para aumento da carga tributária.

 

26.         Se não há espaço para aumento da carga tributária, e o Governo Federal continuar a gastar, desenfreadamente, como está fazendo, o Brasil não conseguirá honrar seus compromissos.

 

27.         Entretanto, o mais preocupante é o fato de que mesmo que o Governo Federal pare de gastar, agora, o próprio efeito da inflação corroendo o poder de compra das famílias é um processo que, por si só, ganhou vida própria e, com toda certeza, vai deixar graves conseqüências na sociedade brasileira, em pouco tempo.

 

28.         Os programas sociais, iniciados no Governo de Fernando Henrique Cardozo, do PSDB, e continuado pelos Governantes do PT (Senhor Lula e Senhora Dilma), trouxeram 120 milhões de pessoas para o consumo, criou sonhos de prosperidade para as famílias mais pobres, mas esses sonhos de prosperidade não podem ser concretizados, por que, apenas, programas sociais, são insuficientes para gerar o progresso, sustentável, desses indivíduos e de seus filhos, e pode ser, que, em pouco tempo, a violência, no Brasil, se transforme em problema social sem controle, no curto prazo.

 

29.         Esta análise, de minha autoria, intitulada “Pesquisa da FGV mostra que 71% dos Brasileiros não confiam nas TVs e 62% não confiam nos jornais”, divulgada em 02/12/2013, está disponível no link https://www.facebook.com/notes/rogerounielo-rounielo-fran%C3%A7a/pesquisa-da-fgv-mostra-que-71-dos-brasileiros-n%C3%A3o-confiam-nas-tvs-e-62-n%C3%A3o-confi/678161982224237

 

30.         Esta outra análise, de minha autoria, intitulada “Rombo nas contas externas sobe 70% e soma US$ 67,5 bi no ano Parte 01”, divulgada em 24/11/2013, está disponível no link https://www.facebook.com/notes/rogerounielo-rounielo-fran%C3%A7a/rombo-nas-contas-externas-sobe-70-e-soma-us-675-bi-no-ano-parte-01/673749249332177 e o complemento, intitulado “Rombo nas contas externas sobe 70% e soma US$ 67,5 bi no ano Parte 02”, divulgado em 24/11/2013, está disponível no link https://www.facebook.com/notes/rogerounielo-rounielo-fran%C3%A7a/rombo-nas-contas-externas-sobe-70-e-soma-us-675-bi-no-ano-parte-02/673777442662691 e abrange os seguintes pontos:

 

a)           Primeiro Fator Prejudicial para o Brasil. Temos o quadro, histórico, geral, de queda do saldo da balança comercial brasileira;

 

b)           Segundo Fator Prejudicial para o Brasil. Temos o quadro, geral, de queda das exportações brasileiras;

 

c)           Terceiro Fator Prejudicial para o Brasil. O preço dos produtos brasileiros, exportados, também, estão caindo;

 

d)           Quarto Fator Prejudicial para o Brasil. As importações estão aumentando e prejudicando, fortemente, o saldo da balança comercial brasileira, que está, simplesmente, derretendo ao longo do tempo;

 

e)           Quinto Fator Prejudicial para o Brasil. O aumento, das importações, prejudica a logística das exportações e o preço do que o Brasil ainda consegue vender cai ainda mais;

 

f)             Sexto Fator Prejudicial para o Brasil. O comércio, no mundo inteiro, desacelera, enquanto isso o Banco Central do Brasil, faz o que? Aumenta a taxa selic. Ninguém explica por que, apesar da desaceleração da economia, do Brasil e do mundo, a inflação no Brasil sobe, o que é um contra-senso. Há algo errado com a economia do Brasil, mas ninguém quer explicar para a sociedade brasileira;

 

g)           Sétimo Fator Prejudicial para o Brasil. Bancos europeus rejeitam dinheiro de clientes alemães por que não tem mais como arcar com custos de captação desses recursos, em uma ponta, e não podem emprestá-los, na outra ponta, para nenhum país do mundo. A recusa dos bancos europeus em aceitar recursos dos seus clientes é sintoma, inequívoco, do início do “estouro da bolha” de ativos do Sistema Financeiro Internacional;

 

h)           Oitavo Fator Prejudicial para o Brasil. Por que a inflação, no Brasil, não pára de crescer, apesar da desaceleração da economia, do Brasil e do mundo? Resposta: excesso de capital, remunerado, que não consegue ser aplicado em atividades produtivas (Causas da inflação, no Brasil, apesar da desaceleração econômica, mundial);

 

i)             Nono Fator Prejudicial para o Brasil. O endividamento público não pára de crescer e com o aumento do endividamento público cresce o pagamento de juros pelo Brasil;

 

j)             Décimo Fator Prejudicial para o Brasil. A burla, realizada pelo Governo Federal, da Lei de Responsabilidade Fiscal e a extrapolação do Orçamento Geral de Gastos Públicos, autorizado pelo Congresso Nacional, no orçamento, por meio de operações envolvendo o Tesouro Nacional e o BNDES;

 

k)           Décimo primeiro Fator Prejudicial para o Brasil. O brutal crescimento da carga tributária, em função do brutal crescimento da dívida pública, bruta, brasileira, e do brutal crescimento do pagamento de juros (taxa selic). O Brasil capta recursos, via tesouro nacional, para repassar ao BNDES, a taxa de juros de 18% a.a. e empresta a taxa de juros de 5% a.a. (abaixo da inflação), com perda de 13% a.a. sobre endividamento de R$ 730,3 BILHÕES, conforme item anterior e, em algumas grandes operações de crédito, como as realizadas com o grupo “X” pode o BNDES, inclusive, não receber o dinheiro de volta;

 

l)             Qual é o problema de o Estado BRASILEIRO, por meio do Ministério da Fazenda, não atacar as verdadeiras causas da inflação?

 

31.         Interessante notar que os atuais protestos sociais, que se espalham pelo Brasil, não estão sendo realizados pelos 120 milhões de pessoas da nova classe média. Esses protestos sociais, que se espalham pelo Brasil, em sua grande maioria, estão são realizados pela CLASSE MÉDIA VERDADEIRA que está tendo o seu poder de compra achatado pelo processo inflacionário, descrito no item anterior.

 

32.         A imprensa brasileira diz que o Movimento Passe Livre demanda que as passagens de transporte urbano não sejam elevadas em R$ 0,20, o que é uma verdade, mas a imprensa brasileira omite que esses R$ 0,20, na verdade, são a gota d´água do processo de erosão do poder de compra das famílias, conforme demonstrado anteriormente e novos protestos irromperão, no Brasil, em breve, com o Governo Federal, substituindo o discurso democrático pela força, o que não vai acabar bem, na minha opinião!

 

33.         No “Programa Painel”, de William Waack, das organizações globo, de 16/02/2014, especialistas fizeram as seguintes ponderações:

 

a)           Brasil está pobre de lideranças capazes de interpretar o país, projetar o país à frente e de aglutinar os indivíduos e as organizações em torno de um projeto nacional que interesse a todos;

 

b)           Os indivíduos estão com medo da situação do Brasil, provocado, em parte, pela falta de respostas, adequadas, de partidos políticos, da situação e da oposição, sobre o que deve ser feito para enfrentar os pequenos conflitos sociais que se avolumam em várias regiões do país e os problemas, econômicos e financeiros, que se agigantam;

 

c)           Grupos organizados quebram as grades do Palácio do Planalto, ameaçam os três poderes, interrompem uma sessão do Supremo Tribunal Federal e, posteriormente, são recebidos pela Presidente da República, num tipo de simbologia incompreensível sobre que tipo de valores se deve expressar e valorizar e sobre que tipo de valores expressados são valorizados pelas autoridades do país;

 

d)           Os órgãos de poder (legislativo, executivo e judiciário) se tornaram estruturas arcaicas, inoperantes e com foco na manutenção e/ou ampliação de privilégios conquistados, enquanto o exercício das competências principais desses órgãos, voltados para a manutenção da paz social, não é exercido ou é exercido de forma incompleta ou inadequada;

 

e)           Como o Congresso Nacional pode ser a expressão da vontade popular e ser respeitado se de 594 deputados e senadores, 222 respondem a algum procedimento no Supremo Tribunal Federal e, destes, cerca de 30% tornaram-se réus em ações criminais (Fonte: matéria, em anexo, intitulada “Um terço dos parlamentares tem processos no STF”, divulgada em 05/05/2013, no link http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/na-justica-37-dos-parlamentares-tem-processos/ .

 

f)             assiste-se, em praça pública, matanças e espancamentos, sem julgamento, de indivíduos que, supostamente, cometeram delitos, ou até mesmo, espancamentos de pessoas sem terem feito absolutamente nada, mediante omissão da maior parte dos jovens. Veja os vídeos:

 

I.             Rapaz é espancado e agressores gravam surra na Asa Sul”, no link http://globotv.globo.com/rede-globo/dftv-2a-edicao/t/edicoes/v/rapaz-e-espancado-e-agressores-gravam-surra-na-asa-sul/3154504/, divulgado pelo DF TV, 2ª Edição, de 17/02/2014;

 

II.            Menina é espancada ao sair da escola e jovens dão risada”, no link http://www.youtube.com/watch?v=fMmP9CzbV2Y, divulgado pelo DF TV, 2ª Edição, de 17/02/2014;

 

III.           Homem é morto com três tiros na cabeça em plena luz dia” em uma das mais movimentadas estradas do bairro da Prata, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, disponível no link http://www.youtube.com/watch?v=rFrh0GH2rjM. Segundo relato de testemunhas, a vítima seria um ladrão e estava atacando comerciantes e pedestres na região. O vídeo mostra a execução que ocorreu no último dia 23/01/2014. A polícia recebeu as imagens e já tem um inquérito aberto para investigar o crime;

 

g)           as insatisfações, populares, se transformam em queima de ônibus e outros exemplos de exercício arbitrário das próprias razões, inclusive com a admissão, social, de execuções de seres humanos, em plena luz do dia, por que as pessoas não mais acreditam nas respostas de instituições e autoridades constituídas;

 

h)           é muito grave o fato de os indivíduos estarem abandonando a procura das instituições e autoridades (Prefeito, Delegado de Polícia, Ministério Público, Governadores, Deputados, Poder Judiciário etc.), para solução de conflitos, ao invés de fazer justiça com as próprias mãos;

 

34.         O Governo Federal deveria dar mais atenção à opinião dos "Especialistas", que discutiram a natureza da crise política brasileira e das manifestações sociais, no “Programa Painel”, de William Waack, das organizações globo, de 16/02/2014, conforme abaixo, do que endurecer o discurso contra a insatisfação popular, generalizada, por que, senão, vai perder o controle da situação, de vez:

 

Vídeo - Título: “Globo News Programa Painel "discute" natureza da crise política brasileira e das manifestações 1

 

Link: http://www.youtube.com/watch?v=WBE7GvB4IbE

 

Atenciosamente,

 

Brasília-DF, Brasil 22/02/2014

 

ΣEMΣ EIAAM ABPAΣA

O Sol Eterno Abrasax”, o Sol Central Espiritual

 

CENTRO CIENTÍFICO UNIVERSAL PARA O PROGRESSO DA HUMANIDADE

 

CONSCIÊNCIA CÓSMICA NO PLANETA TERRA, POR INTERMÉDIO DA CONSCIÊNCIA CRÍSTICA

 

SÓ A FRATERNIDADE E UNIÃO ENTRE OS SERES HUMANOS, DO MUNDO, PODERÁ RESOLVER OS PROBLEMAS SOCIAIS, AMBIENTAIS, ECONÔMICOS, FINANCEIROS E DE RELACIONAMENTO, DO PLANETA TERRA. NÃO HÁ IDEOLOGIA SUPERIOR À FRATERNIDADE UNIVERSAL

 

"O Ser Supremo protege os fracos, impede que os fortes exacerbem o mau do seu egoísmo, em prejuízo ainda maior  dos fracos e  também protege os próprios egoístas do seu próprio egoísmo, pois ama todas as criaturas da mesma maneira."

 

“quando os bons não se apresentam ao campo de batalha a vitória da injustiça é justa.”.

 

“O poder que os homens possuem, no Planeta Terra, serve para nos ensinar que o maior PODER DO MUNDO é o PODER de dominar-se a si mesmo, que é um PODER MENOR, que te leva ao PODER MAIOR, QUE É NÃO TER PODER ALGUM, QUE É O MAIOR DE TODOS OS PODERES”.

 

“ADOREMOS O PAI UNIVERSAL! SAUDEMOS O SER SUPREMO!

 

Rogerounielo Rounielo de França

Advogado - OAB SP 117.597

Pós-Graduado em Direito Público pela Faculdade Fortium

Mestre Maçon - Loja Areópago de Brasília nº 3001

Mestre Maçon - Loja de Pesquisas Maçônicas do GODF nº 3994

Grande Oriente do Brasil-GOB

Grande Oriente do Distrito Federal-GODF

Mestre. Loja Uversa nº 5.342.482.337.666. Filiada ao Grande Oriente de Uversa, jurisdicionada pelo Sétimo Grande Oriente Super-Universo Orvônton, vinculado ao Reino Estelar do Universo dos Universos do Tempo e do Espaço (Ilha do Paraíso).

Especialista em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas-FGV

Participante do Centro Espírita André Luiz-CEAL

Funcionário do Banco do Brasil S.A. Diretoria de Micro e Pequenas Empresas

Blog: http://rounielo.blogspot.com

Final

Seu voto: Nenhum

Venezuelanos repudiam e espalham vídeo de Lula apoiando Maduro

 

Envio os dados faltantes do item 25 ("Se o Brasil trilhar o caminho do aumento da carga tributária, combinado com o endividamento da população, aumentos de taxas de juros e inflação corroendo o poder de compra das famílias, AO INVÉS DE CORTAR GASTOS PÚBLICOS, a guerra civil, no Brasil, irromperá mais cedo do que o previsto e com um ingrediente há mais (não será possível ser controlada, A NÃO SER À CUSTA DE MUITAS VIDAS, NA CASA DOS MILHÕES. O AVISO, HÁ PEDIDO DA ESPIRITUALIDADE SUPERIOR, FOI TRANSMITIDO"):

 

"25.            Não é necessário fazer grande esforço de lógica para compreender que se os brasileiros apresentam 88% de seu patrimônio comprometido com pagamento de dívidas próprias e de impostos, conforme itens abaixo, que não há espaço para aumento da carga tributária incidente sobre o “Povo Brasileiro”, para CONTINUAR BANCANDO O SISTEMA POLÍTICO, ECONÔMICO E FINANCEIRO (A SOLUÇÃO, CAROS LEITORES, É CORTAR GASTOS PÚBLICOS E CORTAR PRIVILÉGIOS, INJUSTIFICÁVEIS, DE UMA MÁQUINA PÚBLICA QUE SIMPLESMENTE NÃO FUNCIONA):

 

a)           Dívidas são pagas com bens. O PIB, do Brasil, somou R$ 4,4 TRILHÕES, em 2012 (Fonte: matéria, em anexo, intitulada “PIB do País fecha 2012 com crescimento de 0,9%, o menor em 3 anos”, divulgada pelo Estadão, em 01/03/2013, disponível no link http://economia.estadao.com.br/noticias/economia-geral,pib-do-pais-fecha-2012-com-crescimento-de-09-o-menor-em-3-anos,145637,0.htm.

 

b)           Os brasileiros, em tese, grosso modo, têm R$ 4,4 TRILHÕES para pagar suas dívidas.

 

c)           Qual é o tamanho da dívida dos brasileiros, para sabermos se R$ 4,4 TRILHÕES são suficientes para o pagamento dessas dívidas? A primeira fonte de dívidas dos brasileiros é o crédito e a carga tributária.

 

d)           A carga tributária, no Brasil, em 2012, foi de R$ 1,5 TRILHÕES, ou 34% do PIB de 2012, que foi de R$ 4,4 TRILHÕES. (Fonte: matéria, em anexo, intitulada “Brasil tem a maior carga tributária do BRIC, diz estudo”, divulgada pelo Uol.com, em 04/07/2012, disponível no link http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/infomoney/2012/07/04/brasil-tem-a-maior-carga-tributaria-do-bric-diz-estudo.jhtm).

 

e)           O leitor pode argumentar que se trata de dívida do Governo Federal, o que é uma verdade. Contudo, como as dívidas do Governo Federal são dívidas dos cidadãos e de suas famílias, que as pagam por meio de impostos, esses R$ 1,5 TRILHÕES da carga tributária são dívidas do povo brasileiro.

 

f)             Assim, de um total de R$ 4,4 TRILHÕES em bens para pagar suas dívidas, o povo brasileiro deve abater R$ 1,5 TRILHÕES da carga tributária, POR ANO, e, dessa forma, os R$ 4,4 TRILHÕES diminuem para R$ 2,9 TRILHÕES, em bens para pagamento de outras dívidas.

 

g)           Quais são as outras dívidas do povo brasileiro. A principal delas são as dívidas com o Sistema Financeiro Nacional que, em 2012, atingiram o patamar de R$ 2,37 TRILHÕES (Fonte: matéria, em anexo, intitulada “Volume de crédito cresce 16,4% em 2012 e atinge R$ 2,37 trilhões”, divulgada pelo Globo.com, em 03/04/2013, disponível no link http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/04/volume-de-credito-cresce-164-em-2012-e-atinge-r-237-trilhoes.html).

 

h)           Assim, de um total de R$ 2,9 TRILHÕES em bens para pagar suas dívidas, o povo brasileiro deve abater R$ 2,37 TRILHÕES das dívidas com empréstimos tomados, pelas pessoas físicas e pelas pessoas jurídicas, junto ao Sistema Financeiro Nacional, e, dessa forma, os R$ 2,9 TRILHÕES diminuem para R$ 0,53 BILHÕES, em bens para pagamento de outras dívidas.

 

i)             Por essas contas, simples, é possível notar que o grau de comprometimento do povo brasileiro com o pagamento de dívidas é de 88%, ou seja, se tenho R$ 4,4 TRILHÕES, em bens, para o pagamento de dívidas, e o tamanho dessas dívidas é de R$ 3,87 TRILHÕES, me restam, apenas, R$ 0,53 BILHÕES, em bens, para o pagamento de dívidas e, portanto, quando se compara o total das dívidas, do povo brasileiro, com o total de bens do povo brasileiro, chega-se à conclusão de que para cada R$ 100,00, em bens, R$ 88,00 estão comprometidos com o pagamento de dívidas (CARGA TRIBUTÁRIA = R$ 1,5 TRILHÕES e PAGAMENTO DE EMPRÉSTIMOS AO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL = R$ 2,37 TRILHÕES), o que se traduz em comprometimento do povo brasileiro, com o pagamento de dívidas, de 88% do total de bens do país (PIB de R$ 4,4 TRILHÕES).

 

j)             Na matéria, em anexo, intitulada “Endividamento das famílias sobe para 44,82% em julho e bate novo recorde”, divulgada pelo Uol.com, em 23/08/2013, disponível no link http://oglobo.globo.com/economia/endividamento-das-familias-sobe-para-4482-em-julho-bate-novo-recorde-9680254, está INCOMPLETA.

 

k)           Por essa matéria, “segundo a autoridade monetária, o comprometimento mensal da renda, ou seja, o quanto a dívida pesa no bolso das famílias todo o mês, subiu levemente de 21,50% para 21,52% em junho. Isso corresponde apenas ao endividamento com o sistema financeiro nacional e não leva em consideração outros compromissos como carnês de lojas”.

 

l)             Se as famílias brasileiras devem 44,82% da sua renda anual para o Sistema Financeiro Nacional (bancos) e se, também, as famílias brasileiras ainda, por cima, pagam os 34% da carga tributária com essa mesma renda anual -- (Fonte: matéria, em anexo, intitulada “Brasil tem a maior carga tributária do BRIC, diz estudo”, divulgada pelo Uol.com, em 04/07/2012, disponível no link http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/infomoney/2012/07/04/brasil-tem-a-maior-carga-tributaria-do-bric-diz-estudo.jhtm) --, é fácil concluir que o nível de comprometimento da renda, anual, das famílias brasileiras, está em torno de 78,82% -- soma dos 44,82% (dívidas com o sistema Financeiro Nacional) + 34% (carga tributária).

 

m)          De um total de R$ 2,37 TRILHÕES das dívidas com empréstimos tomados, pelas pessoas físicas e pelas pessoas jurídicas, junto ao Sistema Financeiro Nacional (Fonte: matéria, em anexo, intitulada “Volume de crédito cresce 16,4% em 2012 e atinge R$ 2,37 trilhões”, divulgada pelo Globo.com, em 03/04/2013, disponível no link http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/04/volume-de-credito-cresce-164-em-2012-e-atinge-r-237-trilhoes.html), grosso modo, as pessoas físicas participam com 44,82% do total desses empréstimos, ou R$ 1,07 TRILHÕES, enquanto as pessoas jurídicas participam com 55,15% do total desses empréstimos ou R$ 1,3 TRILHÕES.

 

n)           A renda, anual, de uma família, para pagamento de dívidas, está diminuindo, rapidamente, por dois motivos. O primeiro motivo é por causa da elevação do valor das próprias dívidas (o brasileiro aumenta, cada vez mais, o volume de suas dívidas) e elevação dos encargos das dívidas, já que o Brasil tem uma das maiores taxas de juros do mundo.

 

o)           A renda, também, está sendo severamente diminuída, por causa da inflação e o impacto da inflação, na diminuição da renda anual das famílias brasileiras, não é pequeno e a diminuição da renda anual das famílias brasileiras levará, inevitavelmente, a inadimplência, estratosférica.

 

p)           “Renda do trabalhador crescendo, mas poupança, agregada, nacional, estagnada ou em queda há muitos anos, custos das empresas aumentando, produtividade do país em queda, exportações caindo, preços dos produtos exportados caindo, comércio mundial desacelerando, importações aumentando, portos congestionados, em função do aumento das importações, já que as exportações do Brasil estão em queda, economia interna desacelerando, endividamento público crescendo exponencialmente, famílias com renda anual 88% comprometida com o pagamento de dívidas (compras de carros, casas, geladeiras, fogões, em longas prestações e alto endividamento em cheque especial e cartão de crédito) e impostos, taxas de juros cobradas pelos bancos aumentando, em função do aumento da Taxa Selic, Governo Federal injetando cada vez mais recursos, via operações de crédito, na economia, privilegiando o consumo, em detrimento de investimentos em infra-estrutura, saúde e educação, utilizando, principalmente, o BNDES e a Caixa Econômica Federal, o orçamento geral da União de 2011, executado, que foi de R$ 1,571 TRILHÃO (UM TRILHÃO QUINHENTOS E SETENTA E UM BILHÕES DE REAIS), no total, sendo que R$ 708 BILHÕES foram destinados ao pagamento de juros e amortizações da dívida pública, o que representou 45,05% do orçamento geral da União de 2011, o Brasil que está acrescentando o pagamento de mais R$ 370.423.449.000,00 (Trezentos e Setenta Bilhões, Quatrocentos e Vinte e Três Milhões, Quatrocentos e Quarenta e Nova Mil Reais), correspondentes à divisão, por quatro, do total de juros de R$ 1.481.693.796.000,00 (Um trilhão, Quatrocentos e Oitenta e Um Bilhões, Seiscentos e Noventa e Três Milhões, Setecentos e Noventa e Seis Mil Reais), que seriam pagos em 04 anos, quando o BNDES receber mais R$ 1.800.000.000.000,00 (Um Trilhão e Oitocentos Bilhões de Reais) do Tesouro Nacional, fazendo com que  o total de pagamento de juros, pelo Brasil, salte de R$ 708.000.000.000,00 (Setecentos e Oito Bilhões de Reais) para 1.078.423.449.000.000,00 (Um Trilhão, Setenta e Oito Bilhões, Quatrocentos e Vinte e Três Milhões e Quatrocentos e Quarenta e Nova Mil Reais), fazendo com que o percentual do orçamento geral da União, comprometido com o pagamento de juros, salte de 45,05% para 68,6%, em função do brutal crescimento da dívida pública bruta, inflação corroendo o poder de compra das famílias, o Ministério da Fazenda afirmando que esta tudo bem com a economia do Brasil, quando nada está bem, situações que, quando combinadas em uma análise de cenário estratégico, de médio prazo, são sinônimos de cenários, apenas, catastróficos para o Brasil, totalmente divorciados do discurso do Governo Federal e da visão que a imprensa nacional vende para a sociedade brasileira sobre a economia do país como, por exemplo, tendência, concreta, de demissões, em massa, de trabalhadores que estão vendo sua renda crescer 27% na década (pura ilusão), que vai acabar em breve, já que essa matriz econômica e financeira, adotada pelo Brasil, não é sustentável, conforme demonstram os números, matemáticos, oficiais, da economia brasileira!”.

 

q)           Para poucos um "pingo", no oceano, significa muitas coisas, mas para a grande maioria dos políticos e de integrantes do Governo Federal essa informação de que “BRASILEIROS ESTÃO COMEÇANDO A APRESENTAR DIFICULDADES PARA PAGAR DÍVIDAS DE PEQUENO VALOR, EM FUNÇÃO DA INFLAÇÃO” é, apenas, mais um fato econômico, sem nenhuma importância, a ser minimizado e NEGLIGENCIADO, pensamento que, certamente, é um sério convite a implantação do caos, incontrolável, no Brasil, em pouco tempo.

 

r)            Vide matéria, em anexo, intitulada “Aumenta inadimplência de dívidas de até R$ 250”, divulgada em 17/12/2013, pelo blog da jornalista Miriam Leitão, de “O Globo”, no link http://oglobo.globo.com/economia/miriam/posts/2013/12/17/aumenta-inadimplencia-de-dividas-de-ate-250-518470.asp

Seu voto: Nenhum
imagem de Francisco Linhares
Francisco Linhares

bipolarismo inutil

Concordo Nassif, só que pra mim, já entramos numa nova etapa que veio para ficar e vai demorar a sair, a do bipolarismo inútil. As críticas insensatas da oposição já estão criando uma estagnação de idéias no PT, que agora começará a simplesmente se defender dos ataques da oposição deixando de innovar e se arriscar simplesmente porque o risco te espõe mais a críticas. Por outro lado a oposição não consegue entender que a democracia no Brasil evoluiu e continuarão batendo na mesma tecla. O resultado é simples, um debate violento sobre as formas, que vai anular os conteúdos, o bipolarismo inútil. E o bipolarismo inútil é uma máquina essencial para que pensemos ainda estar em democracia, quando é justamente através desta máquina que nos privarão devagarzinho da própria democracia. A economia vai começar a cair só depois da olimpiada, quando os investidores de rapina, terminada a copa e mundial, farão malas e se mudarão para um novo paraíso pra vender o ópio do povo. Acredito que novas forças, idéias e líderes possam surgir, e se o farão só poderá ser do resultado das manifestações de agora e das que virão. Isto se a praça tiver suficiente inteligência para enfrentar a policia com cabeça e não com o estômago. Revidar a policia não ganha o respeito do povo, resistir e continuar se manifestando, juntar ideias e criar novos ideais essa é a chave. Só não tenho certeza que nossa democracia e sociedade tenha crescido o suficiente para enfrentar novos caminhos.

Esquerda e direita não existem mais, só restamos as pessoas e o capital. O capital usa os medias para se enaltecer, as pessoas só se inaltecem com idéias e ideais, que por enquanto valem 20 centávos...

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Qual é o novo ciclo?

A análise é muito oportuna. Porém o que é este novo ciclo que se ergue? Penso que a inclusão social construída até aqui o foi na interface entre a necessidade de produzir mais cidadania (a vertente progressista) e a necessidade de produzir tuma força de trabalho mais eficiente (a vertente conservadora).

A hegemonia compartilhada (PT + conservadores) permitiu este encontro único de necessidades a serem atendidas que podem ser ilsutradas pela proeminência dos recursos para a técnica (pronatec, Ciências sem fronteiras para as áreas tecnológicas, PAC de infraestrutura, etc) sobre o homem e sua emancipação como "fim em si" (o desenvolvimento local, a cultura, o esporte, a dignidade das prisões, etc).

O novo ciclo virá do descolamento da ideia e das políticas de emancipação como um fim em si da necessidade (perante a tutela conservadora) da legitimação tecnicista do investimento no ser humano.

A leitura deste novo ciclo deverá concentrar-se no desenvolvimeno local e na dignificação do homem em todos os ambientes da vida social (inclusive as prisões) e não somente naqueles em que poderá render mais como força de trabalho. O novo ciclo é o de mais civilização.

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Ion de Andrade é médico, professor universitário e autor do livro a Hipótese da Revolução Progressiva

O ciclo da inclusão está completo.?

Não é fácil tecer críticas aqui, não raro vêem-nas como ataque direto contra a pessoa. Enfim...

Um modo suave de escapar à dura realidade é este pois um olhar rápido sobre outros Estados informa que também neles houve imensas inclusões de pessoas ao mercado de consumo. Nem no nosso é a primeira vez. Migrações massivas em meados dos vinte melhorou o que era terrível e cruel no meio rural. Deixou de ser?

Ninguém ousaria dizer entretanto que houve lá e acolá - Rússia, China, Africa do Sul, México - um presidente que entendeu os novos tempos, simplesmente que processos capitalistas foram ampliados.

Os chineses estabelecerem mega-plataformas de exportação de produtos e mercadorias, por exemplo, ampliou sobremaneira as possibilidades de compra e venda.

Imagino que uma das dificuldades para compreensão mais profunda está então no excessivo apego a explicações ao mesmo tempo abrangentes e sintetizadas, a sensação é de alívio, gostosa de ver e ouvir. Procrastinadora que mais gostamos.

Por sua vez, a complexidade fortemente intrincada é angustiante. Sobram pontas de todos os lados, tapa-se um buraco no casco e há outros duzentos e cinquenta e oito aguardando a chance. Faltam meios, gentes, dinheiros, iniciativa ousada, inteligência, capacidades, estudos, esforços impossíveis.

A idéia do ciclo é de boa. Acabou um, começa outro. Veio um cara e nos mostrou um caminho, que chegue outro e continue de onde parou.

Parece que é a democracia a bola da vez, como se não fosse desde sempre. Mas vai que consertam essa daí. Vão dizer daqui a trinta anos que mais um ciclo chegou ao fim. Será o caso da justiça? Talvez, quem sabe da educação, mobilidade, segurança, saneamento...

Até lá, vivamos de ciclos porque a complexidade não é nosso forte.

Seu voto: Nenhum
imagem de Clever Mendes de Oliveira
Clever Mendes de Oliveira

Bom, mas elástico, cabendo em qualquer lugar

 


Luis Nassif,


Bom post. Fico, entretanto, pensando se não cabia fazer um comentário que levassem em conta as especificidades da democracia brasileira. Do jeito que você escreveu fica parecendo que “mutandis mutatis” seu post “O jogo político está zerado” de quinta-feira, 20/02/2014 às 06:00, possa ser usado em qualquer país democrático do mundo.


Foi mais ou menos isso que eu disse em um comentário que enviei para junto do comentário de Alexandre Weber – Santos – SP, enviado quarta-feira, 19/02/2014 às 23:33, lá no post “O xadrez da economia para 2014” de sexta-feira, 14/02/2014 às 05:00. O endereço do post “O xadrez da economia para 2014” é:


http://jornalggn.com.br/noticia/o-xadrez-da-economia-para-2014#comment-228401


Deixei o endereço do post “O xadrez da economia para 2014” no próprio comentário meu, de onde eu retiro o seguinte trecho:


“Chamo atenção para o post “O jogo político está zerado” porque nele Luis Nassif faz um jogo retórico interessante. Diz muitas coisas triviais de um modo razoavelmente solene, mas no fim fica um discurso que “mutandis mutatis” pode ser aplicado em qualquer país democrático no mundo. Enfim, a compreensão de todo o processo não é bem feito porque há que ver as várias democracias no mundo e descobrir em que elas são diferentes para poder fazer um discurso que seja adequado para o país considerado. A democracia americana é praticamente única. A democracia europeia deve ser vista como uma só e bastante semelhante, apesar das diferenças que se percebem entre, por exemplo, a Itália e a Inglaterra. Penso que a democracia brasileira deve ser comparada com a democracia russa, embora os russos estejam em atraso. Propus esta comparação porque me parece que tanto no Brasil como na Rússia a democracia foi apropriada por um pequeno grupo. Na Rússia a democracia foi apropriada pelo grupo de Vladimir Putin. E no Brasil a democracia foi apropriada pelo PT e PSDB”.


Considero a apropriação realizada, tanto na Rússia como no Brasil, foi feita legalmente, utilizando as regras do jogo. E considero que todas as duas apropriações foram benéficas para os dois países. Só que as duas apropriações também trouxeram danos e tanto a apropriação como os danos não são divulgados. e um post como este "O jogo político está zerado" seria uma boa oportunidade para análise dessas circunstâncias.


Clever Mendes de Oliveira


BH, 20/02/2014

Seu voto: Nenhum
imagem de Maíra
Maíra

Ler discernimento é bom e a gente gosta!

E também quando lemos clareza a gente agradece. 

Seu voto: Nenhum
imagem de rl
rl

jogo político

Aprofundamento da democracia? Qual democracia? No Brasil, os representantes de tres Estados - Roraima, Amapá e Acre ,que somam 1,238 milhões de eleitores -- ganham por 3x2 dos representantes de São Paulo e Minas, que dispõem de 46,2 milhões de eleitores. São necessários 107 votos paulistas para fazer um voto de Roraima. Ou 51 votos mineiros.  Esse cálculo baseia-se no Senado, que teoricamente deveria manifestar-se apenas nas matérias relativas à Federação, mas vota - ou engaveta - todos os projetos de lei. Antes de nos queixarmos das composições políticas que o Executivo é obrigado a fazer com essa gente que não representa coisa nenhuma, talvez fosse melhor pensarmos numa saída para essa situação, delineada na ditadura militar e aperfeiçoada em 88, pelos constituintes eleitos segundo as regras vigentes no período anterior.

Seu voto: Nenhum
imagem de rl
rl

jogo político

Aprofundamento da democracia? Qual democracia? No Brasil, os representantes de tres Estados - Roraima, Amapá e Acre ,que somam 1,238 milhões de eleitores -- ganham por 3x2 dos representantes de São Paulo e Minas, que dispõem de 46,2 milhões de eleitores. São necessários 107 votos paulistas para fazer um voto de Roraima. Ou 51 votos mineiros.  Esse cálculo baseia-se no Senado, que teoricamente deveria manifestar-se apenas nas matérias relativas à Federação, mas vota - ou engaveta - todos os projetos de lei. Antes de nos queixarmos das composições políticas que o Executivo é obrigado a fazer com essa gente que não representa coisa nenhuma, talvez fosse melhor pensarmos numa saída para essa situação, delineada na ditadura militar e aperfeiçoada em 88, pelos constituintes eleitos segundo as regras vigentes no período anterior.

Seu voto: Nenhum
imagem de Severino Januário
Severino Januário

Esse cálculo baseeia-se no

Esse cálculo baseeia-se no Senado é uma afirmação ridícula. Este cálculo é o Senado. E tem que ser assim. Ou você acha que a China e a Índia juntas devem ter 70% da representação na ONU? E que o Líbano não merece ter nenhum representante? Os senadores são como os embaixadorres das unidades da federação. E mesmo na Câmara, há uma representação trabalhosamente calculada para haver um balanceamento justo de representantes, embora os estados mais popullosos tenham muito mais representantes. É odioso ver de vez em quando esta argumentação descabida surgir na imprensa do país.  

Seu voto: Nenhum
imagem de rl
rl

jogo politico

Severino, se não me engano, a regra básica da democracia é: um cidadão, um voto. Se o Senado se manifestasse apenas sobre matérias que digam respeito à Federação,ainda se poderia admitir o escandaloso desbalanço.  Mas hoje, em qualquer projeto, os 31,2 milhões de votos paulistas valem tanto quanto os 292 mil votos de Roraima.  E isso dá no que deu: há exatos cinquenta anos não há um representante de São Paulo na presidencia do Senado e, portanto, do Congresso.  De Minas, se a memória não falha, o último foi o Magalhães Pinto, há mais de trinta anos. Do Rio Grande do Sul, nem me recordo, mas acho que não teve ninguém há pelo menos meio século. Quanto à Câmara, a trapaça feita durante a ditadura resultou que são necessários pouco menos de 50 mil eleitores para fazer um deputado em Roraima, e um pouco mais de 440 mil em São Paulo. Existe alguma democracia no mundo com tais características?  E o pior: os beneficiários desse descalabro nunca vão votar medida nenhuma para acabar com ele. O futuro do país, e das instituições, continuará amarradoi aos rincões mais atrasados.

Seu voto: Nenhum
imagem de Odilon Silva
Odilon Silva

jogo politico

Estes limites de deputados minimo e máximo acho que 6 e 66 vem do regime militar é um absurdo, na época eles achavam que seria mais fácil dominar estes deputados. Hoje sem limite SP teria 166. Da no que dá. Vejam só, a cidade de São Paulo, terceira maior do mundo, não tem uma Universidade Federal. Pior, já tentaram nos ultimos anos criarem mais 2 ou 3 estados no norte - nordeste, com isto ultrapassariam 50% na camara e poderiam alterar a constituição com esta bancada. Acredito que esta distorção levou a nos ultimos 30 anos a situação de 50% do IPI e IR irem para o fundo dos estados e municipios e quase sua totalidade vai para estes estados.

Seu voto: Nenhum
imagem de Odilon Silva
Odilon Silva

jogo politico

Estes limites de deputados minimo e máximo acho que 6 e 66 vem do regime militar é um absurdo, na época eles achavam que seria mais fácil dominar estes deputados. Hoje sem limite SP teria 166. Da no que dá. Vejam só, a cidade de São Paulo, terceira maior do mundo, não tem uma Universidade Federal. Pior, já tentaram nos ultimos anos criarem mais 2 ou 3 estados no norte - nordeste, com isto ultrapassariam 50% na camara e poderiam alterar a constituição com esta bancada. Acredito que esta distorção levou a nos ultimos 30 anos a situação de 50% do IPI e IR irem para o fundo dos estados e municipios e quase sua totalidade vai para estes estados.

Seu voto: Nenhum
imagem de Francisco187
Francisco187

O cilclo de inclusão se

O cilclo de inclusão se ecerrou??? Agora é só manutenção??? Meu Deus, o Sr. nao deve sair muito de casa, andar pela rua...tá louco...O que foi feito é o mínimo dos mínimos.  

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Me incomodou também

A ideia do ciclo de inclusão encerrado me incomodou também. Me parece que o pouco de inclusão que houve se prendeu a uma ideia de ser humano como força de trabalho uma emancipação ainda tutelada pelo conservadorismo. A renda melhorou mas a vida nas comunidades continua sem alternativas de cultura, de lazer, de esporte de massas, os trasnportes coletivos são péssimos, as prisões talvez nem encontrem pralelo nas da Roma imperial, não há política de inclusão de quem não é força produtiva como crackeiros ou idosos, etc, etc.

O novo ciclo só pode ser o do descolamento das políticas de inclusão destas outras de rentabilidade da mão de obra...

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Ion de Andrade é médico, professor universitário e autor do livro a Hipótese da Revolução Progressiva

imagem de Maíra
Maíra

Acho que o Sr. Francisco 187

Acho que o Sr. Francisco 187 ñ interpretou muito bem esse trecho do texto. É que para se poder ler bem uma análise política e extrair dela o máximo que podemos, isso exige trabalho também do leitor. Não foi exigido muiiito trabalho apenas de quem a escreveu. Ler e escrever são mesmo tarefas difíceis!

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Francisco187
Francisco187

De fato, eu só li por cima e

De fato, eu só li por cima e a frase me incomodou. 

Seu voto: Nenhum

Claro que é o mínimo do

Claro que é o mínimo do mínimo. O que eu quis dizer é que a agenda já está posta e é irreversível, já se incorporou à dinâmica das políticas públicas. Agora, é criar a nova agenda.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

EU ACREDITO...

EU DIGO QUE ACREDITO QUE DILMA, COM  A PRÓPRIA CRIAÇÃO DO OBJETO REVELADA EM NÓS, VAI LIBERTAR O PAÍS DA ESCRAVIDÃO FINANCEIRA.

MAS O QUE DIRIA O MERCADO FINANCEIRO PARA MOSTRAR O PODER DO SEU VALOR ANUNCIADO POR TODA TERRA: "QUEM ES TU? NÃO IMPORTA QUEM VAI CONCORRER, MAS COM QUEM VOU USAR DE MISERICÓRDIA. NINGUÉM RESISTE A MINHA VONTADE. SOU EU QUE ENDUREÇO A ESCRAVIDÃO FINANCEIRA COM QUEM NÃO ME APRAZ. VOCES SÃO MEUS."

DE MODO ALGUM. FOSTE ENXERTADO NO MEIO DE NÓS, E TUA RAIZ SERÁ ARRANCADA!!!

 

Seu voto: Nenhum

Uma ideia ou intuição dita de modo próprio pode servir de via de acesso em direção a percepção metafísica do ser e o quanto no universo ele é capaz de constituir por si mesmo para tal transcendência existencial.

imagem de Odilon Silva
Odilon Silva

O jogo politico esta zerado

Não podemos deixar de admitir que a matemática é cruel.

Não tem como galgar novos horizontes sem crescimento e grande. O Brasil tem que crescer acima de 6-7% ao ano seguidamente para que nossa rende percapita em uma geração suba aos patamares europeus. Descontando o crescimento da população por volta de 2%, seria um crescimento liquido de 4-5%, com isto se a Europa e EUA manter um crescimento pequeno talvez cheguemos a ultrapassar perto de Portugal e Espanha, acima deles muito dificil.Disto viria todo o necessário para a etapa seguinte.

Não se pode negar que temos ainda numeros alarmantes em que pese a baixissima taxa de desemprego. Pelos números do IBGE de 2013 16 milhões de familias vivem do bolsa familia, ou seja quase 80 milhões de brasileiros (40%), ainda pelo IBGE metade destas familias já recebiam o Bolsa 12 anos atrás, em vários estados do Norte Nordesteo já estamos na segunda geração do Bolsa Familia, isto é o menino de 12 anos de idade 11 anos atrás já vivia com bolsa familia, hoje virou pai de familia e vive do mesmo programa, indice de criminalidade sendo um dos mais altos do mundo, indices de IDHU e IDEB péssimos e vai po aí afora.

Acho que não se trata de novas etapas e sim da necessidade de alguns estadistas (e não vai ser um só) que promovam as mudanças necessárias e sinceramente estes estadistas não existem no atual cenário.

Fora a vergonha de ver hoje o STF voltar os supersalários na camara e senado. Contra tudo o que pensa a maior parte da população.

Seu voto: Nenhum
imagem de LC
LC

Então ela não serve Nassif

 

Dilma entendeu a importância de completar a inclusão social e de preparar a economia para novos investimentos, para a educação, a inovação.

Educação Nassif ??? Ela só apostou o tempo todo em estímulos de demanda via endividamento crescente. No caso brasileiro, pelo menos, isso se provou um fracasso retumbante. Conheço uma professora na Baixada Fluminense que dá aula na antiga oitava série. Ela me disse que nenhum dos seus alunos sabe escrever. Sabe o que ela está fazendo? Alfabetizando aos poucos o pessoal. Nosso ensino público é simplesmente vergonhoso, mesmo se comparado ao argentino ou ao chileno. Isso não foi causado por ela, mas que ela não fez nada p/mudar, pode ter certeza que não.

Mas enredou-se em uma política de gabinete que a enfraquece politicamente, tornando-a mais vulnerável às pressões do Congresso e dos atores políticos antigos. Suas apostas têm esbarrado seguidamente em empecilhos criados pela própria burocracia pública e no não engajamento dos principais atores no processo, uma alienação típica de políticas de gabinete.  As ideias não conquistam corações e mentes, não satisfazem nem os beneficiários de iniciativas nem os atores públicos.

Então você me desculpe, mas se isso for verdade (e eu acho que é), então ela não é líder, não está preparada para conduzir o país pelo momentos difíceis que se aproximam, tem que pular fora o quanto antes...

Seu voto: Nenhum (1 voto)

E a culpa é do PT?

O governo está investindo em professores e alunos, fundeb, programas sociais, ações que melhorarm em muito a qualidade do ensino publico. Agora corrigir uma mazela que se originou lá na ditadura a 50 anos em 12 anos? E com os governos estaduais que temos que manipulam as verbas da educação e roubam até merenda escolar? Os grandes estados brasileiros, a maioria está na mão do PSDB como SP, MG, PR, GO oupartidos fisiológicos. manera na crítica ao PT e dê o nome aos bois!

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de LC
LC

Vou dar nome aos bois

Primeiro não maneiro a minha crítica ao PT porque ele está no poder há 12anos. Segundo, a montanha de dinheiro que sua candidata deu a grandes grupos empresariais e Às montadoras estrangeiras deveria ter ido diretamente ao ensino fundamental. Terceiro, igualdade social de verdade só será alcançada quando o filho do empregado e o do patrão estiverem na mesma sala de aula.

Seu voto: Nenhum
imagem de Calvin
Calvin

"E quem defendia os que nada

"E quem defendia os que nada tinham? "

Collor! Lembra dos "descamisados"? :D

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Marco Antonio L.
Marco Antonio L.

Mudança de ciclo , só daqui a 20 anos.

O ciclo petista, iniciado pelo Lula e continuado pela Dilma em primeiro mandato, ainda está em fase média. Com o segundo mandato de Dilma, com a possibilidade de retorno de Lula em 2018, e com o nome de Fernando Haddad já posto como figura principal a continuidade desse cliclo, vemos claramente que a população, em sua grande maioria, ainda não se decidiu por qualquer tipo de mudança política, digo que independentemente de outros partidos de oposição aparecerem. Povo bem cuidado, mesmo que ainda falte algumas coisas, é povo fiel. E sabemos muito bem, que somente um governo como o do PT, com a ajuda alguns outros partidos solicalistas e progressistas, podem realmente fundamentar todas as mudanças que o Brasil e o povo brasileiro realmente necessitam. A grande maioria não quer mudança de governo, isso está bem claro nas pesquisas recentes, inclusive se atentarmos para as pesquisas espontâneas para presidente. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Ronaldo Braga
Ronaldo Braga

Como assim?

Como assim "O jogo político está zerado."?

Como assim "O ciclo da inclusão se completou: daqui para frente é só garantir a manutenção."?

Cadê  o Diogo Costa para mostrar o placar da verdade?

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de helcio dias de sa
helcio dias de sa

Como assim

A linguagem empregada pela midia favorece a violencia:"Matou a jogada","Roubou a bola",Deu uma bomba""Fuzilou o adversario"(JRM)Vamos parar de torcer para partidos politicos,viajar na maionese ou na metrolandia.Acabou a manipulaçao informativa sem respostas por parte da sociedade.O descontentamento generalizado com os politicos que se comportam como marcas e se dedicam a critica destrutiva mais eleitoreira do que preocupada com o bem comum(Manuel Castels).Ministros de STF(FUX) com nome e carreira parecida com marca de sabao em pó e  matando no peito.

Seu voto: Nenhum
imagem de Maria Izabel L Silva
Maria Izabel L Silva

Eu não consigo enxergar esse

Eu não consigo enxergar esse "novos tempos". Acho que é tudo tão antigo ... só muda o suporte.  Hoje se faz o mesmo discurso de anos atrás, só que em meio eletrônico.   O PT logrou chegar onde partido algum jameis chegou, e esta suportando um cerco e um bombardeio que já dura mais de 10 anos. Os "novos" atores, supostamente na "nova" esquerda, fazem o jogo da Direita e com eles se alinham para derrotar o "inimigo" comum, o PT. E nenhum deles tem bulhufas de proposta nenhuma para país.  Nem Marina, nem Dudu, nem os psolistas, nem ninguem...

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Para entender o que acontece na Venezuela e na Ucrânia

Seguem os links de dois filmes que mostram de forma didática o quadro que hoje se desenrola na Venezuela e na Ucrânia. Vale a pena assisti-los

  Assassino Econômico - John Perkins http://www.youtube.com/watch?v=vO8vPa_H71g Trecho do documentário Zeitgeist Addendum. John Perkins, ex-agente da CIA e autor do livro "Confissões de um Assassino Econômico", fala de como funciona a tática de guerra econômica usada para subjugar nações. A Revolução não ser televisionada -  O golpe contra Chávez http://www.youtube.com/watch?v=MTui69j4XvQ Documentário de Kim Bartley e Donnacha O'Briainsobre sobre o golpe ocorrido na Venezuela em abril de 2002. O golpe foi consumado, pois não houve resistência de Chaves que foi preso. Mas as manifestações e o apoio de militares fiéis ao país enfraqueceram os golpistas, e Chaves retornou ao governo. Participação clara da midia privada, empresários e militares oposicionistas no golpe, além de declarações do governo americano de apoio ao golpe na Venezuela.

 

Seu voto: Nenhum
imagem de Ronaldo Braga
Ronaldo Braga

A Globo estava desde

A Globo estava desde terça-feira aqui no prédio da reitoria da UFRJ na Ilha do Fundão fazendo gravação de novela.

Hoje, finalmente, os alunos botaram a Globo pra correr.

Gritavam: "A verdade é dura, a Globo apoiou a ditadura".

Melaram a gravação.

Seu voto: Nenhum (7 votos)
imagem de LC
LC

Isso está certo?

Ou seja, os inimigos da Globo adotam a política "Globo". E você aplaude.

Inacreditável...

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Ronaldo Braga
Ronaldo Braga

Não entendi...

Você é amigo da Globo?

Qual seria esta "política Globo" a que você se refere? Dá pra ser mais claro?

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Estamos certamente passando

Estamos certamente passando por um período de transição em nossa sociedade, com a transformação de uma economia basicamente exportadora para outra mais voltada ao mercado interno, resultado da intervenção do Estado na economia e sua consequente inclusão de grande massa de trabalhadores no mercado formal – não sem as "terríveis dores do parto", como dizia Marx. Ao mesmo tempo, e dialeticamente, as massas ascendentes (sobretudo os jovens) buscam melhor posicionamento. Percebendo, agora mais que nunca, as contradições da sua existência, cobram os direitos a elas negados há séculos. Direitos não só sociais e políticos, mas, sobretudo, o direito ao consumo. Me parece bastante óbvio que as revoluções nos meios de comunicação são também fundamentais neste processo. As atuais condições materiais de existência também permitem trocas de informações como jamais foi possível. Toda esta transformação econômica e social entra em inevitável contradição com o aparato político-ideológico e suas estruturas de poder, sejam elas estatais ou privadas - sistema político, judiciário, imprensa, empresas tradicionais, sindicatos, burocracia, setores partidários etc..., que procuram a todo custo preservar a velha ordem. Em um país com alto grau de industrialização ainda predomina grande parte da oligarquia. Suas antigas práticas fisiológicas enferrujam as engrenagens do sistema até o ponto de emperrá-las. Segundo a teoria marxista, estas contradições destroem o velho, enquanto, dialeticamente, de seu próprio útero vai sendo gestado, como síntese, o novo. As forças produtivas colocadas em movimento pela redemocratização nestas duas últimas décadas (pelo menos, e com maior profundidade na última) funcionam como placas tectônicas quando deslocadas. A grandeza do que se sente na crosta, depende, pois, da intensidade deste deslocamento subterrâneo. E o meio ambiente? Este me parece ser um componente explosivo desta equação, porque tem cada vez mais se mostrado finito. Neste trem embalado não há lugar para todos na primeira classe...

 

Chamaram-me especial atenção dois pontos essenciais no texto do Nassif:

1) o esgotamento de um ciclo e início de outro;

2) e a afirmação: "quem não decifra o novo é devorado".

 

Nessas horas, é sempre bom lembrar os conselhos de quem sabe o que diz: "As rodas da história não andam para trás" (Karl Marx)

Seu voto: Nenhum

Pesquisa o fundamento

O discurso contra a Dilma está parecendo o fundamento da inflação com os tomates.

Os tomates tem uma terra fertil pra voltar à mesa. 

A Dilma, com todos os extratos da sociedade, só tem a oposição como fundamento dos seus defeitos. 

Deu certo para o mercado anti-social influir na posição da SELIC; mas a vitória da oposição na política pressupõe a verdade das forças produtivas.

Ou seja: Ideias com fundamentos sociais.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Uma ideia ou intuição dita de modo próprio pode servir de via de acesso em direção a percepção metafísica do ser e o quanto no universo ele é capaz de constituir por si mesmo para tal transcendência existencial.

O poder corrupto é tão grande

O poder corrupto é tão grande que pessoas como nós que acreditamos que da para melhorar, e é preciso melhorar, seremos taxados de loucos ufanistas em busca de utopias impossíveis.

A indignação e a revolta me permeia, postei vários comentários em forma de desabafo, com erros grosseiros propositadamente, para aludir que o povo clama por justiça social. Que preconceitos estupido, dividem os desejos mútuos.

Cabe a classe média a obrigação de proteger o povo, o povo não é seu inimigo.

Acompanho todas as discussões no Senado, me irrita toda a hipocrisia que lá impera. Vejo grupos trabalhando com afinco para levar nosso país ao retrocesso.

Na situação politica e econômica do país hoje considero muito imprudente criar ferrovias para dar vasão total de nossa safra.

Este projeto a meu ver pode atrair mais mau do que bem. Nosso país não controla o que é produzido e muito menos determina como ele será distribuído pelo mundo.

Estamos navegando em águas muito perigosas que ditarão o futuro da humanidade não só de nosso povo.

No demais estou de acordo com o Nassif, é preciso uma mudança não podemos aceitar o retrocesso.

Seu voto: Nenhum

Tudo por um país melhor!

imagem de Daytona
Daytona

O ciclo da inclusão continua

O ciclo da inclusão continua longe de se completar, além de muitos movimentos de minorias, como o LGBT, os indígenas, os negros, falta aprofundar os processos democráticos, principalmente no Judiciário, que continua sendo uma instituição típica de regimes autoritários, sem transparência e com decisões eivadas de arbítrio.

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Spok da Silva
Spok da Silva

Bom, até junho do ano

Bom, até junho do ano passado, Dilma tinha 84% de aprovação. O que mudou  na condução do país que justifique que o ciclo acabou? Até agora não vi nenhuma análise consistente que elucide as razões daquele movimento, de onde surgiram as insatisfações até então não percebidas por nenhuma pesquisa? Ou será que as pesquisas anteriores foram feitas com a faca no pescoço do entrevistado? Nem mesmo os manifestantes sabem porque estavam nas ruas. Muito menos sabem dizer qual o caminho a seguir, a volta dos tucanos com toda a desgraça que trouxeram ao país? Ou entrar na aventura Eduardo Campos, cujo mérito consiste apenas em ter aplicado os fartos recursos que o Governo Federal lhe confiou? 

Não há dúvidas de que é preciso aprofundar o processo de mudanças agora com reformas inadiáveis. Uma delas é a mãe de todas as reformas, a política. Não há governo que possa render seu máximo sob a ameaça constante de pessoas como Eduardo Cunha. Sem isso, qualquer grupo que assuma o poder terá que enfrentar os mesmos problemas de governabilidade.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Marco Valverde
Marco Valverde

Já é hora de aprendermos com o passado

Parabéns Nassif, situação muito bem retratada. Encarar este retrato é um bom começo para o povo de forma mais objetiva lute por este "aprofundamento da democracia". Não estou querendo dizer que devemos continuar da forma que está por que está dando certo, ou, está dando menos errado, pelo contrário, devemos renovar, apoiar rostos novos, novas idéias, menos vícios. Temos que reinventar a política e os políticos: chega de político de carreira, o pior político é aquele que tem passado político. Já é hora de aprendermos com o passado. “Os políticos e as fraldas devem ser trocados frequentemente e pela mesma razão” (Eça de Queirós)

Seu voto: Nenhum (6 votos)

o jogo político fora de lugar fora de época por fora... démodé

e, por citar Churchill, Roosevelt...mais copa [e cozinha modelo padrão Odeàbrecht] de futebol em meio ufanista-eleitoreiro da política rasteira bola da vez deste jogo medíocre pífio de zero a zero no PIB no IDH no PISA no plano de metas sonhado... Dilma JK 50.5 na invenção-fraude BNDES/FAT de nosso bilionário das arábias sheik eike...

alguém tem que falar de coisas chatas maçantes démodé por demais... ser um desmancha-prazeres de políticos e governantes e das utopias nassifistas de otimismo doentio do tipo grave sem cura ainda: tipo D noves fora...zero à esquerda no poder!

valha-me Deus e das memórias pós-guerra do historiador inglês Tony Judt (1948 - 2010) para animar a festa da reforma política e do jogo político com espetacular show da Ivete, devidamente pago no cacau pelos franciscanos Irmãos Unidos & Cia & Gomes, lá do eólico infantil turístico sol doce farniente Ceará:

... do capítulo político DAS AUSTERIDADES (com pertinentes adaptações assimilações acomodações ao clima tropical quente sonolento lascivo ao Sul do Equador):

"Mas a austeridade não se restringia à questão econômica:  aspirava a ser uma ética pública. Clement Attlee, primeiro-ministro trabalhista de 1945 a 1951, surgira - como Harry Truman - da sombra de um líder carismático da época da guerra e personificava as reduzidas expectativas do período.

Churchill o descreveu, ironicamente, como um homem modesto "que tem muitos motivos para ser modesto". Mas foi Attlee quem conduziu a maior reforma da história britânica moderna - comparável às conquistas de Lyndon Johnson, duas décadas depois, embora para Attlee as circunstâncias fossem bem menos auspiciosas. A exemplo de Trumanele viveu e morreu com parcimônia - colhendo ganhos materiais escassos numa vida inteira de serviço público. Attlee era um típico representante da grande era dos reformistas eduardianos de classe média: moralmente sério e levemente austero. Quem, entre os líderes atuais, poderia alegar o mesmo - ou mesmo entender isso?

A seriedade moral na vida pública é como a pornografia: difícil de definir, fácil de identificar quando se vê. Representa uma coerência entre intenção e ação, uma ética de responsabilidade política. Toda política é a arte do possível. Contudo, até a arte tem sua ética. (A ética não é uma lei. Não é imposta pelo Estado. É um conjunto de normas, valores, crenças, hábitos e atitudes adotados voluntariamente - que nós, como sociedade, impomos a nós mesmos. As leis regulam o comportamento de fora para dentro. A ética regula o comportamento de dentro para fora. A ética é algo que você carrega consigo aonde for, para se guiar no que fizer). 

[...]

O oposto da austeridade não é a prosperidade, mas luxe et volupté. Substituímos o comércio desenfreado pelo benefício público, e não esperamos de nossos líderes aspirações mais altas. Sessenta anos depois de Churchill só poder acenar com "sangue, empenho, suor e lágrimas", nosso próprio presidente guerreiro - não obstante o moralismo exacerbado de sua retórica - não conseguiu pensar em nada para nos pedir, depois do 11 de Setembro de 2001, além de que continuássemos consumindo. Esta visão empobrecida de comunidade - união em torno do consumo - é o máximo que recebemos dos governantes. Se queremos um governo melhor, precisamos aprender a exigir mais dele e pedir menos para nós. Um pouco de austeridade viria a calhar.

[...]

Exatamente três séculos depois, o governo trabalhista de Clement Attlee iniciaria o Estado de bem-estar social que garantiria aos mais pobres uma vida digna e um governo a seu serviço. Attlee nasceu em Putney e morreu a poucos quilômetros dali; apesar de uma longa e bem-sucedida carreira política, manteve a modéstia nos modos e nos recursos - em gritante contraste com seus sucessores ambiciosos e carreiristas. Ele foi um representante exemplar da grande era dos reformistas eduardianos de classe média - moralmente sério, financeiramente austero."

quem, na representação política, na governança, no serviço público se habilta se apresenta?

[sem chance...]

Seu voto: Nenhum

"Ganhe as profundezas, a ironia não desce até lá" Rilke. "A ironia é o pudor da humanidade" Renard. "A ironia é a mais alta forma de sinceridade" Vila-Matas.

A notícia a verificar a veracidade

http://www.brasil247.com/pt/247/agro/130835/Indica%C3%A7%C3%A3o-de-K%C3%...

O portal Brasil 247 notia que:

INDICAÇÃO DE KÁTIA ABREU ABRE CRISE NO PMDB

Partido se irrita com indicação feita pela presidente Dilma Rousseff do assessor especial do Ministério da Agricultura, o médico veterinário Enio Marques, ao cargo de ministro; deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) ameaçou governo de rompimento do PMDB: "Já exoneramos o sujeito uma vez, se ela o colocar como ministro, aí vai ser uma agressão ao meu partido"

 

Se for verdadeira, hummmm....

Seu voto: Nenhum

"Recria tua vida, sempre, sempre. Remove pedras e plantas roseiras e faz doces. Recomeça. Faz da tua vida mesquinha um poema e viverás no coração dos jovens e na memória das gerações que hão de vir". Cora Coralina

crônica

Nassif

Sou de Florianópolis, músico e hoje estou em Campo Grande fazendo meu show e amanhã em Dourados c a Gal, com quem toco a 16 anos.Sei que você é um eximio bandolinista.

Acompanho tuas crônicas sempre que posso e gostaria de te parabenizar pela lucidez e consistência em tuas colocações sobre o momento político que estamos passando.

Te desejo muito sucesso e te convido pra acessar meu site.

Estarei c a Gal em SP em abril e teria muito prazer em te ter como meu convidado.

Um abraço e sucesso.

Meira

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Com todo prazer.

Com todo prazer.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Alexandre Bueno
Alexandre Bueno

Me chamou a atenção o

Me chamou a atenção o resultado de algumas pesquisas de opinião afirmando que o brasileiro quer mudança, mas com Dilma. Parece um contrasenso. Creio que esta coluna  explica um pouco desta, digamos, contradição. O quadro pintado no texto é bem otimista, mas eu sou um pouco mais cético com relação à manutenção de benefícios sociais - ou quais aliás, sou favorável. Não estou 100% certo de que eles seriam mantidos em um mandato pós-PT.

Por outro lado, a administração Dilma deixa lições não só ao ambiente político, mas também ao nosso dia a dia em empresas. Política de gabinete, com "boas idéias" mal vendidas ou não implantadas (o que é pior) não funciona. Se abre-se espaço para as pessoas posicionarem-se é preciso ouví-las de fato. Bom aprendizado para o futuro.

Seu voto: Nenhum

Meu Cândido, " Sorte de Dilma

Meu Cândido, " Sorte de Dilma é que a oposição parece entender os novos tempos menos ainda que o governo."

GENIAL?

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Exclusão da inclusão

Nassif coloca duas assertivas que não necessariamente precisam ser tomadas como mutuamente exclusivas. Parece óbvio que o processo de inclusão social está longe de ser completado. Não é caso de manutenção. Pode inclusive refluir. Basta ver o que vários economistas, alguns nem muito ortodoxos, Samuel Pessôa, e outros medíocres, Alexandre Schwartzman, pregam diariamente em relação aos viés gastos sociais versus aumento de tributos. Se os votos garantirem suas voltas, é certo que a inclusão parará aonde chegou. Não prosperará.

Vou mais longe. Não resolvendo os gargalos que surgiram na economia nos últimos três anos, mesmo o desemprego pode voltar a aumentar. E demissões são o lado mais cruel da exclusão. Algo não muito explícito deve andar bem na economia, caso contrário o empresariado nacional já teria iniciado suas obras demissionárias. 

Isto posto, por outro lado, é de profunda importância para o País que, como escreve o Nassif, façamos as reformas que aprofundarão a democracia. Realmente, não se pode mais manter um sistema político com um só pai, sob pena de perdermos mais uma oportunidade que a história nos dá.

Concordo que a oposição parece entender isso menos do que o governo, mas com uma vantagem. Ela pode manter essa renovação apenas no discurso, enquanto o governo precisa fazê-lo com ações e contra um aparelho midiático hostil.

Por estar no Executivo Federal, contar com amplos quadros em Estados, municípios e no Legislativo, além de militância mais bem formada, caberia ao PT ampliar as discussões no sentido de dar continuidade e ampliar a inclusão social e, ao mesmo tempo, definir as reformar que permitirão ao País aprofundar a democracia e o desenvolvimento. 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de helcio dias de sa
helcio dias de sa

Exclusao da inclusao

Graças a Deus excluimos os economistas profetas e o trabalho chegou para todos,resta aos meios de comunicaçao começarem a comunicar e parar de querer fazer a cabeça cheia de cabelo e nenhum pente.

Seu voto: Nenhum

Rui, parabens!

mais uma vez sua contribuição aos posts do nassifão é fundamental!

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Carlos Lima
Carlos Lima

GOVERNO FRANCO. ADMITO, FUI DURO, MAS NÃO MENTIR.

Tenho escrito e chamado o governo de FRACO, fui duro demais, mas não fui mentiroso, talvez pela pouca ou quase nenhuma cultura para escrever. O artigo comentado do Nassif é preciso e esclarecedor, embora talvez aliviasse a Dilma da fraqueza, mas não livraria o PT que realmente virou o mesmo d'aquilo que sempre combatemos. Não foi uma boa ótica que o PT teve da sua própria renovação e legado oferecidos ao país, o PT não renovou, praticou a política do medo, não enfrentou, ficou e fica sempre na defensiva, não usou e não usa o poder que o povo lhes autorgou no voto. É uma mágoa assistir, ouvir e ler como os conglomerados de comunicação acuaram o PT e o transformou num nanico medroso e tomaram o país de assalto e sem meras palavras são hoje os que governam o país de fato. Outra manobra escabrosa que o PT praticou, transformou seus seguidores das bases, os  que o ajudou a construir o projeto de poder trabalhista em LIXO IDEOLOGICO, acreditou que as benesses oferecidas e dadas aos conservadores e grupelhos os levariam a gloria da unanimidade, deu no que deu perdeu espaço nos dois lados ou mais. Assistir uma história recente de como a Receita Federal tratou o Atlético Mineiro e como trata a GLOBO em relação a dívidas tributárias é um sintoma de síndrome de "Amicius Curiae" neste caso o governo trata os adversários como amigos que para mim são inimigos, pois é enumeras as tentativas de golpes desestabilizadores contra um governo eleito democraticamente e que não demonstra  nenhuma reação lógica. A vulnerabilidade que a esquerda demonstrou em sua autodestruição e deplorável, a própria esquerda deu o caminho das pedras para o arcaico, e na ânsia de tentar combatê-lo novamente envelheceu, cedeu a grupelhos fomentados por ministros nada preocupados com a governabilidade, mas sim em demonstrar um afã de realmente mostrar o exotismo de suas  taras e vontades pessoais. Dar poder a ministros que traíram o próprio partido como é o caso de MG pontualmente BH, ao entregar a cidade aos adversários ignorando a ótima avaliação que o partido tinha na cidade, cidade qual sofreu uma transformação com a lida petista, não foi só ignorância, foi covardia e traição. É por estas e outra mazelas que o governo petista enfraqueceu e se tornou vulnerável e fraco.  Deixou a justiça e mídia num dueto de malandros governarem e legislar,  e em momento algum se mobilizou para brecar o golpe, fingia que não era com eles, é triste, e eu não quero ser o ultimo a apagar as luzes.  Há realmente um vácuo na política brasileira, o vácuo do medo e da sonolência. Parece que perdi a minha estrela.

Seu voto: Nenhum

Caos democrático

O Nassif escreveu:

"A grande vantagem da democracia é que nenhum governante ou partido consegue dormir em cima dos louros da vitória. O país desenvolve-se etapa por etapa."

Frase de efeito, mas sem um significado claro para mim, mais ainda, indica um caos que leva a guerra civil em última instância. Está implícita a idéia do Thomas Khum da quebra de paradigmas que vinhamos discutindo, na mensagem http://jornalggn.com.br/node/1323458#comment-227482,  Giorgio Agamben: Por uma teoria do poder destituinte.

 

Sobre este assunto, a Democracia e seu alcance nos estados do século XXI, temos também aqui no blog uma discussão sobre o assunto na mensagem http://jornalggn.com.br/noticia/o-xadrez-da-economia-para-2014#comment-224995 O xadrez da economia para 2014, onde o Clever Mendes de Oliveira faz uma defeza dela.

Agora o que mais me chama a atençâo na frase do Nassif é que ele acredita na possibilidade de algum grupo ou pessoa dormir em cima dos louros da vitória.

Concordo com ele nesta aqui. Os donos do Dólar vêm nadando de braçada aqui no Brasil há centenas de anos e pelo visto vão continuar se refestelando por um bom tempo mais. Não se valem da democracia ou do autoritarismo para isto, o que corrobora a minha crença que não é por ai que passa o poder.

Para rompermos com isto, só um novo acordo com quem detêm o poder, ou terra arrazada.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Follow the money, follow the power.

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.