Revista GGN

Assine

O PT não soube exercer o mando, por André Araújo

Por André Araújo

A crise institucional inédita porque passa o País abriu clareiras para que corporações NÃO ELEITAS, apenas qualificadas para o serviço público, assumissem grandes fatias de Poder.

Cumpriu-se assim o mandamento de ciência política que diz que o Poder não admite vácuos.

O vácuo se deu pela presença do PT por 12 anos no comando do Poder Executivo.

Enquanto os partidos tradicionais do Poder antigo traziam o know, o berço, as raízes do conhecimento das alavancas, o "mando ancestral" de que falava Jorge Amado, o PT não tinha essa experiência acumulada. Assumiu um poder como quem entra pela porta de serviço, acanhado e respeitoso. Não soube fazer uma aliança vital com as Forças Armadas e talvez nem pudesse, seu DNA vinha de uma vertente anti-militar não doutrinária, porque nem sabiam por que eram, afinal, o PT nasceu durante o regime militar e sob a tolerância, para não dizer, bênçãos do General Golbery.

O desconhecimento antigo dos porões do Poder que dinastias políticas traziam desde Dom João VI fizeram falta ao PT. Por falta desse faro antigo desguarneu guarnições fundamentais, que hoje liquidam o Partido com gosto e fúria.

A Procuradoria Geral da Republica é instituição visceralmente dependente do Rei, o cargo vem do antigo Procurador do Rei, afinal o Procurador Geral não representa a si mesmo, ele representa o Monarca ou o Chefe de Estado, assim é em todo lugar. O Procurador Geral dos Estados Unidos representa o Presidente e não a si mesmo e os demais procuradores, lá nem corporação é, todos são nomeados pelo Presidente e não há concurso publico.

A Polícia é o braço armado do Governo, a ele obediente, a responsabilidade do comando da Policia é do Chefe de Estado através de seu Ministro da Justiça, assim é em todas as democracias, não há no planeta Policia independente do Poder, que se auto constitui em poder independente, a Policia, desde Napoleão, é por excelência a mão armada do Chefe de Estado a quem presta completa obediência, Fouché reverenciando Napoleão, que nele não confiava.

Nas indicações do Supremo, o PT jamais entendeu o jogo, nomeou a maioria dos Ministros e não tem sequer informação do que se passa no Supremo, lá não tem nenhuma influência. Nos EUA, os juízes da Suprema Corte são escolhidos por identificação com um campo partidário, espera-se dele fidelidade ao ideário do Partido que o indicou.

O PT entregou, assim, vastas fatias de poder de graça e entregou, no mínimo, a frios neutrais, para não dizer adversários.

Hoje, o PT é caçado a campo "chasse gardé", está em terreno para ser caçado sem maiores protocolos.

Parece uma sina de partidos de origem muito popular. Certos populismos não cometeram esses erros por causa de suas origens especiais. Peron era populista, mas também oficial do Exército, sabia mandar e controlar. Vargas era populista, mas oriundo da elite da República Velha, conhecia o "mando ancestral", não dava poder de graça.

Não se sabe o que Lula tinha na cabeça ao aceitar que procuradores se reunissem em torno de um "líder" e o indicassem pronto para a nomeação do Presidente, sem uma prova de fidelidade antecipada que se espera em um cargo de tal importância. Nos governos anteriores, o Procurador Geral era de estrita confiança do Presidente, com essa mesma Constituição. Nos EUA, um Presidente indicou seu próprio irmão como Procurador Geral. Não há uma razão lógica para incorrer riscos nessa área. Um grupo político escolher seu líder por aclamação é um modelo fascista.

Mussolini foi escolhido "Duce" por aclamação de seus camaradas. Não há método mais perigoso numa democracia.

O PT por desconhecimento ou descuido perdeu nacos enorme de poder que hoje apresentam sua conta, seu outrora grande líder, Jose Dirceu, ameaçado de vendettas infindáveis, seu Tesoureiro preso como reles marginal.

A Democracia é apenas um modelo menos ruim de poder, mas não é um modelo puro, nem nobre. Uma dose de autoritarismo é fundamental para manter o controle do Estado. De Gaulle compreendeu isso sempre, ao assumir o poder pela segunda vez em 1958, exigiu uma Republica autoritária, quase ditatorial, a 5ª Republica, com um presidencialismo muito mais forte do que nas demais nações europeias.

A reforma política no Brasil vai exigir um Estado forte, centralizado, sem ilhas de poder. Quem não detém a soberania por eleição ou revolução não pode mandar. Concurso público não é soberania, é apenas um método de escolher bons funcionários públicos.

Ou o Estado se fortalece e governa o País por um poder central, ou o Brasil pode se esfacelar, algo que não aconteceu em nenhum momento a partir da Independência, porque os grandes vultos do Estado, Deodoro, Floriano, Hermes, Bernardes, Vargas, Juscelino, nunca brincaram com o Poder, não governaram com Supremos perigosos e jamais permitiriam a desenvoltura de adversários no Judiciário, Procuradorias, ou muito menos Polícia.

O PT agiu como pobres que ganham na loteria, não soube administrar o que ganhou e acabou perdendo por descuido.

Mais, ainda, não se protegeu com dois guardas fundamentais para o poder em países emergentes, uma aliança com as Forças Armadas e outra aliança com os Estados Unidos. Sem esses dois "seguranças", o poder vira alvo fácil de conspiradores sempre prontos a caçar tesouros, o Poder no Brasil é um grande tesouro.

Média: 4.1 (29 votos)
109 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Jose Milton
Jose Milton

Isso mesmo.

Sempre preguei isso em encontros, seminarios é palestras promovidas pelo partido, e sempre me senti com o maluco pregando no deserto. Há um ditado que diz: quem está por cima e não sabe bater vem para baixo para apanhar. Pecou por amadorismo, pecou por vaidade, pecou por confiar, pecaram por não lerem manjadas obras, e Maquiavel que o diga. E cito Maquiavel não para tê-lo como manual de procedimentos nas para aprender como o inimigo pensa e age...se tiver oportunidade.

Seu voto: Nenhum

      Tudo muito bem, tudo

 

    Tudo muito bem, tudo muito bom, mas, aliança com os Estados Unidos?!  Quê isso, gente?!

Seu voto: Nenhum

Dulcinéa

Para o texto ficar perfeito

Para o texto ficar perfeito faltou só a inclusão do enfraquecimento da mídia como estratégi que o PT renegou.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Danilo Pro

imagem de AVirgilio
AVirgilio

análise sobre o PT e o poder

Também concordo! Gostei da análise. Acho que ela reflete bem o quadro atual. Um poder que emerge do povo não se sente empoderado para exercer plenamente o poder que lhe assegure o comando do país. Mas, de fato, faltou a inclusão do papel da mídia.

Seu voto: Nenhum

Questão de nível!

Uma politica simples, o petismo equalitário ou nivelar o pais por baixo!

O executivo não poderia fugir a regra: nivelar por baixo, ser mediocre, escondido, sem comando, quase subalterno, um soldado com estrelas de general!

Porém, o Brasil está na mais perfeita ordem, as instituições funcionando, algumas sem comando, mas funcionando.

No castelo a rainha pensa que manda, mas os dois primeiro-ministros não nomeados da camara e senado dizem que não. E agora?

Belo texto do Andre que mostra muitos dos sucessivos erros nesses doze anos!

O prazo de validade venceu em 2014, mas que opção tinhamos?

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Valeu a pena o republicanismo

Valeu a pena o republicanismo de Lula? http://josecarloslima80.blogspot.com.br/2015/04/valeu-pena.html 

Seu voto: Nenhum

 

...spin

 

 

imagem de Carlos Alberto Santos
Carlos Alberto Santos

Traduzindo em português: o PT

Traduzindo em português: o PT se deu mal porque não aparelhou suficientemente o MP, a Polícia e o Judiciário ?

Lula poderia colocar quem ele quisesse como PGR denre os outros 2 que sobraram, porque não havia um petista disponível na lista tríplice formada pelos procuradores mais votados entre seus pares quando ele escolheu o Antônio Fernando de Souza para PGR em 2005, que foi quem denunciou o Mensalão. Gurgel e o atual PGR, Janot, são petistas, para quem não sabe. Gurgel ficou com ódio de Dilma porque ela nunca o recebia, sempre mandava um assessor qualquer, e Gurgel resolveu se vingar, inclusive desengavetendo processos que ele mesmo vinha segurando, mas seus arroubos foram impedidos por quem ? Justamente Joaquim Barbosa!!!

Lula escolheu Joaquim Barbosa por ser negro, competente e petista. Sim, meus caros, ele era petista de carteirinha. Só que era honesto, foi nisso que eles se lascaram.

O PT perdeu nacos enormes do poder porque descuidou-se do nível de roubalheira, pilantragem e aparelhagem que impôs, levando à situação pré-falimentar uma das maiores empresas de petróleo do mundo, negativando os fundos de pensão das estatais e deixando, por pura incompetência, o país cair em um abismo econômico que gerou revolta até na população bobalhona que nunca se mexe.

Jamais um projeto de poder de ex-guerrilheiros, auto-intitulados esquerdistas ou comunistas ou o que seja que venha desses senhores travestidos de "esquerda" teria apoio das Forças Armadas Brasileiras, por isso o Golpe de 64 era desnecessário, já que os "comunistas" combatidos não tinham mesmo o apoio das FA nem naquela época e jamais chegariam ao poder de forma sustentável. Dêem graças a Deus que os milicos de hoje só pensam em carreira, promoção, pra onde vão ser removidos, etc. e estão querendo mais é que os civis se ferrem pra sentir na pele o que é votar em quem lhes trai.

Os próximos revoltados serão os pobres, quando acabar o dinheiro para a bolsa família.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de DanielQuireza
DanielQuireza

Que dois que sobraram ? De

Que dois que sobraram ? De onde tirou isso ?

O presidente pode escolher qualquer procurador de carreira, existem milheres por todo o País.

Não há relatos que JB tenha sido petista, voce está mentindio. Nem de sua competência, ele sempre foi concurseiro e fazerdor de curos no exterior, isso é sinal de competência ? A que nível ? No caso dele, Lula errou porque o indicou sem o conhecer, esse foi o grande problema.

Assim como também mente dizendo que os procurados são petistas.

 

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Jorge Viana
Jorge Viana

Presidencialismo Sindicalista

Apreciei muito o post, que me ajudou a entender minimamente sobre as "alavancas do poder". Ficou-me a impressão de que Lula, ao conceder independência à PGR, agiu calcado em sua experiência sindicalista no sentido de "democratizar" a escolha do líder por seus próprios subordinados. Quanto à inexperiência de "mando ancestral" penso que seja decorrência de um partido que se forjou ideologicamente e, portanto, distante da prática do poder. Será que ainda haverá tempo para corrigir essas falhas?

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Um "sujeito" ou "sujeita"

Um "sujeito" ou "sujeita" oculta nesse intenso e educativo debate é a Constituição de 1988. Alicerce sobre o qual se erigiu praticamente uma Nova Ordem no país. Isto posto, as avaliações dos governantes que se elegeram sob sua égide tem que tomar como referência a nova realidade a começar pelo caráter dual do novo Contrato no que se refere ao regime de governo. 

Se por um lado permaneceram certas características próprias do Presidencialismo, a começar pela chefia  do governo e do Estado pelo Presidente da República, por outro o poder deste ficou reduzido em contrapartida ao aumento no Legislativo. Agrege-se a isso a instituição de um Ministério Público autônomo em todos os sentidos, se constituindo num Poder ad hoc

A par disso, não vejo pertinência nas comparações feitas pelo autor do post antepondo os governos do PT e os anteriores a 1988. Também reforça ainda mais essa assimetria as cinjunturas singulares de cada época. Há alguma similitude entre, por exemplo, a Era Vargas e o Brasil a partir da década de 90? O exercício do Poder também varia - isso é óbvio - a depender dos contextos. 

Assim, descontando os governos de Collor e Itamar Franco por razões óbvias, só restaria a confrontação com os governos do PSDB no período 1995-2002. E a primeira pergunta que se sobressai é: os goverrnos tucanos, capitaneados por Fernando Henrique Cardoso exercitaram melhor o Poder que os do PT em que sentido? Afinal, qual seria a "régua" para se mesurar as performances? Não seria por acaso o republicanismo implícito e explícito na Carta de 1988?

Pois bem, Seria uma completa inversão de valores se fossem avaliadas como positivas, dignas de nota, ações de um governo que solapa os princípios de uma Constituição, como foi o caso dos governos do PSDB. Estamos tratanto de absurdos como o de acostar em postos chaves da República apadrinhados ou correligionários políticos, como no caso da nomeação do Procurador Geral ou ministros para o STF. Alterar uma Constituição ainda imberbe única e exclusivamente para garantir mais quatro anos no Poder à custa do suborno de parlamentares e para benefício próprio. 

O PT trouxe para o governo um modelo de tomar decisões gestado no movimento sindical, no qual prevalecia o viés coletivo e consensual.  Empalma o Poder(nesse ponto concordo com o André Araújo) não sem uma certa timidez. Mas o inegável é que sempre governou(quando foi possível) a inspiração da Carta se 1988. Assim, não se pode ter como demérito o que na realidade foi, e é, um mérito. A história saberá reconhecer isso.

 

 

 

 

Seu voto: Nenhum

Excelente post e . . .

Excelente post e excelentes comentários, especialmente o contraponto de Diogo Costa, na minha opinião ambos tem razão,  o André Araujo, quando diz que faltou um pouco de firmeza nas rédeas dos governos do PT,mas os comentários de Diogo Costa  também são verdadeiros,  o PT não tinha como agir diferente, era como segurar um pássaro nas mãos, se apertar demais ele morre, se o aperto for fraco, o pássaro foge. O PT assumiu o governo com as bandeiras de  1)melhorar as condições de vida das classes menos favorecidas,  2)promover o desenvolvimento do país e  3) acabar com a corrupção. Conseguiu as duas primeiras, mas teve fortes acusações contra si por corrupção, por atos que sempre existiram no país, uma coisa que a elite não perdoou, pois julgava a corrupção como uma exclusividade sua, ao PT caberia  então fazer crescer o país, para que depois que saisse do governo, eles voltassem a fazer o que sempre fizeram, desta vez então com um bolo muito maior. 

Seu voto: Nenhum (2 votos)

"A história da humanidade é a história das lutas de classes". Karl Marx

imagem de Cesário
Cesário

Anacronismo

Citar De Gaulle como exemplo a ser seguido, é no mínimo um anacronismo! Com a comunicação existente hoje, a democracia significa: participação, transparência, resistência, inspiração, transpiração, informação. O PT não comprou o país! Apenas foi eleito (com pequena margem) nas eleições diretas para presidente.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Cesário
Cesário

Anacronismo

Citar De Gaulle como exemplo a ser seguido, é no mínimo um anacronismo! Com a comunicação existente hoje, a democracia significa: participação, transparência, resistência, inspiração, transpiração, informação. O PT não comprou o país! Apenas foi eleito (com pequena margem) nas eleições diretas para presidente.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Na prisão de Vaccari há um

Na prisão de Vaccari há um aspecto que poucos comentaram. È possivel prender um cidadão já maduro, pacifico,  com dois policiais à paisana, mas para Vaccari foi um PELOTÃO COM METRALHADORAS, COLETES A PROVA DE BALA, UNIFORME DE BATALHA, policias tipo Rambo, chamndo antes uma equipe da Globo para filmagem de perto, é a chamda PRISÃO COM HUMILHAÇÃO MAXIMA, só faltou arrastar o indigitado depois de surra-lo.

Quem mandou se fazer assim? Para que o aparato policial de prender traficante da pesada?  Foi EVIDENTEMENTE uma prisão com CENARIO POLITICO definido. O mandado determinava prisão com humilhação?

Alguem cogitou de investigar, nem digo prender, os Tesoureiros dos demais partidos?  Foi só  o do PT quem recebeu dinheiro de empreiteiras? Os outros estão limpinhos? Qual será o grupo que comanda a Federal do Paraná?

Fica dificil de saber porque cada capitania tem seu Comando, essa é a " Republicana" citada com orgulho por um finado Ministro da Justiça, um dos criadores do caos politico-institucional em que mergulharam o Brasil.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Sem esquecer, André, que há

Sem esquecer, André, que há uma Súmula Vinculante do STF restringindo o uso de algemas quando estritamente necessário. O que está longe de ser o caso do Vaccari,

Seu voto: Nenhum (9 votos)
imagem de Amig Darose
Amig Darose

Perfeito. o juiz errou ao

Perfeito. o juiz errou ao pedir no seu despacho: "Destaque-se um efetivo de 10 homens em 3 viaturas sendo que todos devem portar armas semi-automáticas e coletes.... e não se esqueçam de algemar o meliante"

 

Seu voto: Nenhum
imagem de Adolfo Silva Rego
Adolfo Silva Rego

Os "dois guardas fundamentais"

Discordo da indicação dos "dois guardas fundamentais". Concordo que a aliança com as forças armadas seja fundamental (por essa aliança, por exemplo, o chavismo ainda resiste), mas os Estados Unidos jamais seria um "guarda". O inimigo não traz segurança, mas perigos!

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Juscelino fez exatamente essa

Juscelino fez exatamente essa aliança, fechou com o General Lott a proteção  das Forças Armadas e fechou com Washington a ALIANÇA PARA O PROGRESSO, uma ideia sua que começou com o nome de Operação Panamericana

e que gerou como subproduto o Banco Interamericano de Desenvolvimento. Juscelino tinha uma aliança de interesses com os EUA sem nunca ter sido subserviente.

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Amig Darose
Amig Darose

Estado x Governo

Noto uma certa confusão entre Estado e Governo. Quando você diz que o PGR é dependente do Rei, sim quando tinha um( ou Imperador).Hoje ele trabalha para a Republica (Estado). "A Policia é o braço armado do Governo" me parece uma definição da Gestapo. A Policia, acreditem, também trabalha para o Estado ou para a RÉS PUBLICA.

Quanto ao Judiciário, a comparação é terrível, já que se trata de um outro poder...pelo menos na Constituição. Certificar-se de colocar lá pessoas tendenciosas à ideologia do Governo também me lembra a Alemanha...não a atual, a de Hitler.

Quando você cita JFK que nomeou seu irmão Robert como Procurador Geral, deixa sub-entendido que assim ele pode agir quase à margem da lei( ou fora )...10 anos depois Nixon é investigado (o PG de Nixon era tucano!?) e renuncia antes de perder seu mandato.

o Duce foi escolhido por aclamação... e por aclamação ele foi morto...

O título do Post é perfeito mas os motivos são outros

Seu voto: Nenhum (3 votos)

O Governo é ELEITO para gerir

O Governo é ELEITO para gerir o Estado. Quem elege o Procurador Geral da Republica? Ninguem, pela simples razão que ele é um braço do Governo. Assim é na maioria dos paises do mundo e assim era no Brasil, de 1822 a 1988. Na Constituição de 1988 tampouco se diz que o PGR é independente do Governo, tanto que é o Presidente da Republica que o indica. Quer dizer, pode indicar quem quiser, dentro do quadro de procuradores de carreira, que são em torno de 2.200.

Então a propria Constituição PRESUME que o Presidente vai indicar alguem de sua confiança. A INDEPENDENCIA surgiu com Lula , que aceitou sem razões logicas que os proprios procuradores indicassem seu chefe. É nesse momento que se cria a INDEPENDENCIA, quando o Presidente aceita uma indicação "interna corporis" cujos critérios ele, Lula e os eleitores brasileiros desconhecem. Porque Janot ou não outro? Por que criterio foi escolhido INTERNAMENTE?  Na Constituição Federal de 1988 NÃO HÁ uma lista triplice apresentada por uma Associação de procuradores, QUE NÃO É PARTE DO ESTADO, é uma associação privada. Essa associação apresenta uma lista triplice, formada por um criterio proprio e particular e o Presidente Lula a aceita como "indicação" do Procurador Geral. Qual a legalidade desse método não previsto na Constituição Federal? Todos sabem que há uma batalha interna altamente politizada para um determinado nome entrar na lista triplice. É um metodo horroroso porque vence quem promete mais vantagens corporativas para seus colegas, mas nessa eleição quem representa o País, os interesses do eleitores que não são procuradores? Eleições corporativas são um PÉSSIMO modelo de escolha porque vence o mais bonzinho para a CLASSE e não para o Pais.

Já na Constituição do Estado de São Paulo há uma lista triplice apresentada por uma associação, é algo espurio mas legal, na mesma onda de criar agendas para minorias que veio após o fim do regime militar que sempre olhou o Pais como um ESTADO NACIONAl e não como um ajuntamento de minorias cada uma com sua propria genda.

Dessa lista de três o Governador escolhe um, não precisa ser o mais votado. Os Governadores de São Paulo desde Mario Covas NÃO tem escolhido, salvo engano, o mais votado e sim aquele em quem tem mais confiança.

Na maioria dos paises do mundo o Procurador Geral é um cargo politico de confiança escolhido pelo Chefe do Governo,

o Procurador Geral, ao contrario do que vc diz, historicamente e dentro de todas as Teorias de Estado NÃO representa a Republica, representa sim o Governo, assim é nas duas mais importantes Republicas do planeta, pela antiguidade e solidez, o que faz delas modelos para as democracias subsequentes, abstraindo a Inglaterra que é uma Monarquia,

a França e os EUA, na França o Procurador Geral é um funcionario do Ministerio da Justiça e Guarda Selos, nos EUA é um  auxiliar do Presidente, sem mandato e de sua estrita confiança, com status de Ministro da Justiça.

O Judicairio Federal dos EUA é NOMEADO pelo Presidente, cada Juiz Federal, com aprovação do Senado, nem preisa ser advogado. As indicações de juizes da Suprema Corte nos EUA são nitidamente paertidarias, Roosevelt fez o diabo para nomear juizse de sua "estrita confiança", amigos de copa e cozinha como Felix Frankfurter, que passava os fins de semana na casa de campo de Roosevel, Hyde Park on the Hudson, até hoje os juizes indicados para a Suprema Corte NÃO SÃO NEUTROS, elaes carregam consigo as agendas do Partido que os indicou e são vistos na função como agentes desses campos partidarios, juizes "gelatina" não funcionam na Suprema Corte.

Na 5ª Republica Francesa não se conhecem juizes "inimigos do Presidente", a Democracia é RELATIVAMENTE democratica, não há democracia absoluta em nenhum lugar, ou alguem manda ou o Pais é ingovernavel.

O Poder do Presidente nos EUA é imenso, se o Congresso é hostil, ele governa por ""ordens executivas" como Obama está governando. A Suprema Corte vai massacrar Nixon? Era o que se esperava, um dia antes de começar o processo

o novo Presidente, Gerald Ford, o ANISTIA, por ordem executiva,  de todas as acusações e Nixon vai para a casa sem processo e sem questionamentos de quem quer que seja, o Presidente dos EUA pode quase tudo.

 

 

 

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de Amig Darose
Amig Darose

André, Você confunde indicar

André,

Você confunde indicar com controlar. A indicação não significa que o indivíduo age de acordo com a cabeça do mandatário ou mandatária, graças a Deus.

O Governo é ELEITO para gerir o Estado. Para administrá-lo, segundo a Constituição. ..são principios da Democracia, não sei se você entende...

Então a propria Constituição PRESUME que o Presidente vai indicar alguem de sua confiança. e que vai respeitara LEI da Republica !!! senão coloca o tesoureiro lá !!

A INDEPENDENCIA surgiu com Lula , que aceitou sem razões logicas que os proprios procuradores indicassem seu chefe. Foi uma escolha ou um erro não sabemos, mas não significa que o escolhido vai atacar o Governo ou Descumprir a lei , não ?

Na maioria dos paises do mundo o Procurador Geral é um cargo politico de confiança escolhido pelo Chefe do Governo, OK

o Procurador Geral, ao contrario do que vc diz, historicamente e dentro de todas as Teorias de Estado NÃO representa a Republica, Por isso no Brasil recebe o nome de Procurador Geral do Governo PGG

a França e os EUA, na França o Procurador Geral é um funcionario do Ministerio da Justiça e Guarda Selos, nos EUA é um  auxiliar do Presidente, sem mandato e de sua estrita confiança, com status de Ministro da Justiça. OK

Logo o presidente destes países é ininputável....

O Judicairio Federal dos EUA é NOMEADO pelo Presidente, cada Juiz Federal, com aprovação do Senado(Senado neste caso é o poder Legislativo), nem preisa ser advogado. As indicações de juizes da Suprema Corte nos EUA são nitidamente paertidarias, Roosevelt fez o diabo para nomear juizse de sua "estrita confiança", amigos de copa e cozinha como Felix Frankfurter, que passava os fins de semana na casa de campo de Roosevel, Hyde Park on the Hudson, até hoje os juizes indicados para a Suprema Corte NÃO SÃO NEUTROS, elaes carregam consigo as agendas do Partido que os indicou e são vistos na função como agentes desses campos partidarios, juizes "gelatina" não funcionam na Suprema Corte. OK, mas validadas pelo Senado...so Senado é hostil ou se o candidato é ruim, pode não aprovar o candidato !!!

Na 5ª Republica Francesa não se conhecem juizes "inimigos do Presidente", a Democracia é RELATIVAMENTE democratica, não há democracia absoluta em nenhum lugar, ou alguem manda ou o Pais é ingovernavel. Por esta razão a França é governada pelo Primeiro ministro(política interna), o Presidente tem funções de Estado e de política Externa,...não podemos comparar com o nosso caso

O Poder do Presidente nos EUA é imenso, se o Congresso é hostil, ele governa por ""ordens executivas" como Obama está governando(que podem ser questionadas pelo Congresso...quando Obama estourou o teto do orçamento ele não fez uma ordem executiva para disponibilizar recursos...esta é uma função exclusiva do Legislativo !!!)

o novo Presidente, Gerald Ford, o ANISTIA, por ordem executiva,  de todas as acusações e Nixon vai para a casa sem processo e sem questionamentos de quem quer que seja Sim este poder é dado ao presidente: conceder o perdão a culpados a exceção de pessoas impedidas. Como Nixon não sofreu o Impeachment, Ford concedeu anistia...senão, não poderia....

, o Presidente dos EUA pode quase tudo. Em caso de Guerra sim, senão ele se submete às leis, podendo ser investigado pelo Congresso(e sofrer Impeachment). Ele não pode criar leis, não pode declarar guerra, não pode remover juízes(é o legislativo), 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

O grande erro dos DEMOCRATAS

O grande erro dos DEMOCRATAS TEORICOS é achar que a democracia é um regime perfeito. A Democracia é um regime só um pouquinho melhor que o Despotismo Esclarecido, as vezes é muito pior. A Democracia não é o regime universal nem hoje,  no passado proximo era uma raridade, o grosso do mundo era governardo por despotas até a Revolução Francesa, mesmo depois só a França em certas fases e os EUA eram uma democracia, o resto do mundo era governardo por regimes autoritarios fortes por toda a Europa, Americas e Asia.

Em 1942 quase o mundo inteiro era governardo por ditaduras. Hoje não há democracia na Russia, na China, na maior parte da Africa, em todo o Oriente Medio.

Então é uma ilusão pensar que a Democracia é eterna ou imemorial, é um regime complicado, caro e raro, pode ser um desastre em determminadas circunstancias MAS uma certeza é que grandes Estados precisam um boa dose de poder central para serem minimamente governaveis. A Democracia americana, a mais aniga do mundo moderno no regime republicano, funciona porque lá existem fortissimas INSTITUIÇÕES construidas por uma elite sólida e patriota, os chamados FOUNDING FATHERS, os grandes homens que criaram o Pais desde os primeiros povoamentos. Não importa quem seja o Presidente, há um CENTRO POLITICO fortissimo que segura as colunas mestras do Estado. Isso não existe nos paises da America Latina, tudo depende de quem é eleito, pode ir de 8 a 80, a noção de CENTRALIDADE do poder depende de quem está no palacio, o PT perdeu esse eixo quando sairam do poder os dois homens que sabiam manejar as alavancas do Palacior, JOSE DIRCEU E ANTONIO PALOCCI, com eles o PT hoje estaria no topo, o moralismo de televisão junto com a turma das apostilas acabou com os dois logo que puderam, sabiam que eles eram o alicerce do Poder do PT.

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Amig Darose
Amig Darose

Estamos quase

Estamos quase concordando...

Conforme diziam 48% dos chilenos que votaram pela permancência de Pinochet no plesbicito..."por lo menos és uno solo robando"

Na Democracia real e imperfeita há outras vantagens...e não me refiro ao direito ao voto mas, na maior dificuldade de se cometerem excessos..como ocorrem na China, Rússia, na maior parte da África e no Oriente médio. A alternância no poder reduz o instinto de dominância e mantém os escrupulos  mais controlados( numa eventual ditadura, quem iria descobrir e investigar a corrupção, dos amigos do Rei, na Petrobras ? no caso Caval no Chile ? ou seria melhor uma Venezuela corrupta, onde o presidente escuta o passarinho de Chavez dando-lhe conselhos ? ou na ilha, onde os Castros moram como Deuses ?).

O nosso problema está mais ligado ao povo, que considera tudo consequência da obra divina e ainda espera a vinda de um Messias que vai resolver tudo...o Gigante dorme em berço esplêndido.

torço para que Palocci e Dirceu consigam provar que o dinheiro é lícito...senão provarão, mais uma vez, que poder corrompe

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Texto funesto, autoritário, medíocre e lamentável

Em primeiro lugar, cumpre dizer que as críticas são ao texto, não ao autor. Sigamos. 

 

O texto medíocre em questão é ao mesmo tempo patético, ridículo e lamentável. É uma ode à ditadura do Estado Novo, que prendia e arrebentava. É uma ode à ditadura militar, que prendia e arrebentava. É uma ode ao compadrio e ao patrimonialismo que sempre existiram no Brasil desde 1500. É uma ode ao pacto das elites que sempre se utilizaram do Estado para defender os seus interesses privados, calando a voz da sociedade e dos poderes com missão fiscalizatória. 

 

Este texto medíocre diz tudo aquilo que o Partido dos Trabalhadores jamais deveria fazer, pois é um partido de caráter eminentemente popular, nascido de baixo para cima e não de cima para baixo. Este texto é uma elegia ao pérfido tempo do desgoverno de FHC/PSDB, quando absoluta e rigorosamente nada era investigado, quando o Ministério Público não servia para nada, quando o sr. Geraldo Brindeiro, então Procurador-Geral da República, era, pasmem, o primo do vice de FHC, Marco Maciel (além de ser, com justiça, alcunhando de Engavetador-Geral da República). 

 

Este texto é o grito incontido que há muito está se manifestando neste blog, que nada mais é que o grito e o lamento dos grupos empresariais, midiáticos e políticos que se veem acossados com o fim do pacto patrimonialista que sempre regeu as relações entre o público e o privado no Brasil. Este texto é o lamento angustiado de empresários que nunca foram presos, de empresários e banqueiros que sempre negociaram as suas dívidas com o Fisco na boca do balcão do CARF, com negociatas de todos os tipos. É um lamento profundo e tonitruante dos sonegadores que sempre evadiram divisas para paraísos fiscais em distintos pontos do globo terrestre. 

 

Este texto é uma vacina que desde já se aplica nos inocentes úteis de plantão, que acreditam em qualquer coisa. E essa vacina tem efeitos muitos simples e até mesmo simplórios, qualquer um que tenha mais do que dois neurônios consegue compreender. O que se prepara desde já é a volta triunfal do pacto patrimonialista, do paraíso dos sonegadores e evasores de divisas, dos apanhiguados que poderão ter outra vez a blindagem escancarada e desavergonhada de um Ministério Público e de uma Polícia Federal manieatados, usados apenas como adornos ou enfeites sem serventia alguma. 

 

Este texto diz nítida e cristalinamente: como era bom no tempo da ditadura do Estado Novo e na Ditadura Militar! Aos amigos, o banquete do poder estatal; aos inimigos, a lei e a cadeia! Como era bom no tempo em que tínhamos um Engavetador amigo, que soterrava a roubalheira dos ladrões e deixava a corrupção, o tráfico de influência e outras maracutaias correrem soltas! Como era bom no tempo em que a Polícia Federal fazia apenas 28 Operações em 08 anos, apreendendo algumas carguinhas de maconha! Onde já se viu, e este é o lamento camuflado, uma Polícia Federal que resolveu sair de ridículas 28 Operações para mais de 1.500 (390 delas somente no ano passado)? 

 

Este texto, de forma desbragada e desavergonhada, postula pela substituição da República por um modelo híbrido entre o autoritarismo da ditadura, "embelezada" com os punhos de renda do absolutismo feudal, e o "modernismo" do compadrio e da blindagem dos pérfidos tempos tucanos. Dane-se a sociedade, essa é a consigna deste texto medíocre. Que história é essa do Ministério Público ser um órgão autônomo, como manda a Carta de 88, e ainda se dar ao "trabalho" de defender os direitos econômicos, sociais, ambientais e difusos da sociedade? O que se quer, com este texto malicioso, é destruir a própria democracia e substituí-la pelo governo dos "homens bons e de bens", sem nenhuns rigores de fiscalização por parte da sociedade e do Poder Judiciário, muito menos da 'grande mídia' ou da mídia alternativa. 

 

Ou seja, trata-se de um texto inútil e imprestável. Trata-se de um texto que ataca o PT pelas suas virtudes e pela coragem que este partido tem demonstrado desde 2003, pagando um altíssimo preço por isso, ao colocar o dedo na ferida e ao rachar o medieval pacto patriomonialista que não aceita morrer de jeito nenhum. Separar o público do privado? Prender "gente da alta" e não apenas os de sempre? Ficar falando em 'temas banais' como sonegação fiscal, cartel ou outras coisas absolutamente 'normais' desde os tempos de Cabral? Não, isso é demais para uma fração importante da classe dominante que manda desde os tempos de Cabral! 

 

O mais risível do texto, além de tudo o que foi explanado, que nada mais é do que um lamento pelo início do fim do pacto patrimonialista verde-amarelo e uma vacina preparatória para quando o PT sair do governo, é a audácia do título do texto! Diz o risível título: "O PT não soube exercer o mando". Uau! Que "magnífica" constatação! 

 

Porém, contudo, entretanto e todavia, nota-se que este PT que "não soube exercer o mando" venceu em 2014 a sua quarta eleição consecutiva. Imagine se soubesse exercer, não é mesmo? E mais, o PT não tem que exercer mando nenhum, no sentido em que este mando é colocado no texto. O sentido deste mando é um coronelismo remodelado, um autoritarismo que se jacta de ser, talvez, uma nova versão do "despotismo esclarecido" que alguns ainda imaginam ser possível cultuar em pleno século XXI. 

 

O PT é alvo da sanha de seus detratores? Sem dúvida alguma. Mas o é por causa das suas virtudes e por causa das corretas políticas que vem implementando. Uma delas, dolorida, diz respeito justamente aos mecanismos legislativos e ao impulso para se investigar temas que nunca sequer eram murmurados neste país. Os ataques ao PT nada mais são do que os estridentes berros dos desmamados. Dos que sempre 'ajeitaram' os seus problemas fazendo negociatas e misturando o público e o privado. Porque os detratores do PT não defendem, por exemplo, o financiamento público de campanhas? Nem é preciso responder...

 

Encerro por aqui, mas lamento não escrever mais sobre o tema. Daria para fazer mais uma boa dúzia de parágrafos para demonstrar, de forma cabal, que a direita se movimenta hoje falando em "Estado forte" apenas para preparar a cancha. Querem trazer de volta todas as práticas mais arcaicas que se possa imaginar, e contra as quais a esquerda sempre lutou desde a sua existência aqui no Brasil.

 

E encerro também dizendo que o problema do Brasil está no modelo político-eleitoral, que permite a existência de 28 agremiações no Congresso Nacional, tornando quase impossível governar sem estar sempre com a faca no pescoço, sem estar sempre sendo refém de obscuros interesses (mas isto é tema para se desenvolver em texto próprio e separado). 

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Diogo Costa

imagem de alcarpinteiro
alcarpinteiro

Prezado Diogo Costa, O texto

Prezado Diogo Costa,

O texto de André Araújo em momento algum pregou o retorno às práticas patrimonialistas apontadas por vc, que eram cotidianas até o gov. FHC. Ele disse que o PT não soube ocupar o espaço que é garantido por lei ao vencedor da escolha popular. E por não fazer isto, outros o fizeram e hj o PT enfrenta dificuldades impostas por seus adversários que souberam se aproveitar da situação. 

Concordo que a sociedade não ganha quando algum engavetador é nomeado PGR, embora o governo ganhe. Concordo que o sistema de escolha atual é melhor para a sociedade do que aquele da época de FHC, embora seja pior para o governo. Mas também concordo que este sistema está longe de ser bom, pois levou ao comando do ministério público grupos que atacam seletivamente alvos ligados ao governo. O governo erradamente acreditou que nomear alguém escolhido pelos pares garantiria a desejada independência. Apenas levou ao poder um grupo independente de suas (do governo) linhas de atuação, e até mais alinhado aos adversários.

O que André Araújo defende em seu texto é que o escohido deveria ser alguém que seja republicano, para usar o termo caro à presidenta, mas que também tenha identificação clara com as linhas do governo que o indicou. Isto é o meio termo entre os casos do engavetador e o modo petista de indicação.

Ainda mais absurdo do que a escolha do PGR é a falta de comando da PF. Não se pode admitir que um delegado monte uma fotografia com o dinheiro apreendido na operação dos aloprados para repassar aos jornalistas e ficar impune. Tão absurdo quanto isso, é a falta de punição aos delegados que investigam na lava-jato e militam nas redes sociais contra o governo. Há agente que publica vídeo na internet praticando tiro, usando uma foto da presidenta como alvo. Isto é falta de comando e não republicanismo. Você deve se lembrar que o então delegado Protógenes foi expulso e processado por ter excedido limites na operação satiagraha. Nada disso ocorreu nos casos que citei anteriormente. 

Se o PT tivesse ocupado de fato os espaços que a escolha popular garantem, mas sem os exageros da época de FHC, o país estaria melhor, pois haveria investigações a favor e contra, sem essa perseguição seletiva ao governo que promove desestabilização política e econômica.

Por último, o texto de André Araújo pode ser interpretado como uma crítica ao PT por este não criar sua própria rede de agentes sociais capazes de defender seus interesses. Interesses que seriam legítimos de sua linha política e submetidos ao escrutínio popular, e não daqueles grupos adversários. O PT comporta-se como se visse a sociedade formada por grupos que agem para o progresso coletivo, quando a verdade é que os grupos sociais pensam prioritariamente em interesses próprios e estabelecem alianças eventuais com outros grupos em torno de pontos convergentes. André Araújo defende que o PT errou ao não estabelecer sua própria rede de alianças. Este é o mundo real.  E quem não faz alianças termina como aquele participante do BBB que se isola: toda semana vai para o paredão e depende do público para não ser eliminado.

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Parabéns, Sr. Diogo Costa,

Parabéns, Sr. Diogo Costa, pela clareza! E eis desmascaradas as ideias conservadores, por mais travestidas de progressistas que tentam se mostrar. O título, "O PT não soube exercer seu mando" remete a no mínimo duas questões:

 

1 - Como assim, "não soube"? No passado? Como se não estivesse mais o PT no comando das instituições democráticas...

 

2 - Se o PT "não soube" fazer, como se faz? O texto sugere que o "certo" de se fazer é como temos feito desde Deodoro da Fonseca. Mas esse jeito de fazer não tem dado muito bons resultados, não é isso?

 

Por fim, sem querer ser pessimista, de que adianta uma reforma política nas leis se não nos dispomos nós outros a repensar nossa participação cidadã? O impulso ao despotismo seria eliminado caso o regime fosse parlamentar? Uma democracia direta em lugar da representativa mudaria nosso caráter de quase-analfabetos políticos? Será que antes de pensarmos em mudar as leis não seria bom pensarmos em evoluir nosso jeito de pensar o estado? Enfim, será que os manifestantes dos passeios anti-dilma, que clamam por reforma política nas leis, querem mesmo uma reforma política em si mesmos? Talvez seja bom que se faça reforma das leis mas antes talvez seja melhor que se faça reforma dos nossos costumes, que tal? Que, a propósito, não tem que se pedir a ninguém autorização para fazer, cabe a cada um de nós, é isso?

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Muita adjetivação, pouca argumentação.

Sr. Diogo Costa,

Seu comentário promete não agredir o autor do post, mas apenas suas ideias. Entretanto seu texto agride, sim, aqueles que sustentam tais ideias.

Quem apoia as ideias defendidas no post não são necessariamente empresários, banqueiros ou componentes do pacto patrimonialista que está há séculos instalado no Brasil. Não, sr. Diogo Costa, menos. Mais respeito, por favor, com os que não convergem com seu pensamento.

Atualmente a situação política está tão difícil no Brasil que temos a todo momento que apresentar credenciais para defender nosso pensamento, prática esta que, por si só, é profundamente autoritária e anti-iluminista. Ainda assim, me apresento: lutei e fui à rua pelas Diretas, votei e fiz campanha pelo PT em todas as campanhas presidenciais, estaduais e municipais desde 1989. Votei em Lula para presidente todas as vezes, em todos os turnos, igualmente em Dilma - votei neles, não pelo mérito deles, mas pelo Partido dos Trabalhadores, mesmo sem ser filiado ao mesmo. Não aceito suas acusações quanto às origens e posições de classe e estamento a respeito das razões para a concordância ou discordância com as posições expressas no texto. Argumente, ao invés de acusar.

Quanto às ideias: não há autoritarismo algum em um presidente democraticamente eleito nomear quem quiser, dentro da carreira do ministério público, para ser o PGR. Aliás, isto está previsto na constituição; é prerrogativa do poder presidencial segundo a constituição. A constituição federal também fala em três, e apenas três, poderes. Não há constitucionalmente previsão de um quarto poder. Se assim é, é porque qualquer outra instituição deve estar, constitucionalmente, submetida a um ou mais poderes. Ministério público não é poder da República, quer o senhor queira, quer não.

O presidente deve seu poder à soberania popular nos marcos constitucionais. O PGR não tem tal prerrogativa e nem tem legitimidade para se arvorar a tê-la.

O que acontece hoje é que uma parcela de uma corporação de servidores públicos (nem é o ministério público federal integralmente, mas apenas os mais graduados da corporação), sem compromisso expresso, delegado ou previsto em lei, indica uma lista tríplice para o presidente da República e este, movido por uma ignorância política abissal, entrega uma parcela de seu poder outorgado pelo povo para que uma corporação passe a conspirar diuturnamente pela derrubada do governo ou das forças que o apóiam. O ministério público federal hoje se resume, majoritariamente, a isso, ou seja, a perseguir petistas ou seus simpatizantes, nada mais. Os fatos falam por si - não preciso me delongar sobre isso.

Democracia e republicanismo não significa, nem jamais significou, corporativismo. Se assim fosse, o presidente teria que pedir licença a todas as respectivas corporações para nomear seus ministros e presidentes das estatais. Se assim o fosse, o presidente deveria consultar a comunidade diplomática para nomear o ministro das Relações Exteriores. Teria que consultar os militares para nomear os comandantes de cada força e o ministro da Defesa.

Patrimonialismo não é o presidente legitimamente eleito exercer seu poder legítimo. Patrimonialismo é justamente as elites encrustadas no aparato do estado atuarem no sentido de preservar seus privilégios como se fossem sua possessão e patrimônio. Essas elites se perpetuam nos aparatos do Estado desde suas origens coloniais portuguesas. Portanto, não é a soberania popular que tem que pedir licença a um grupo de aprovados em concurso público, mas, sim, estes que têm que se ater aos limites e deveres legais e constitucionais de sua atuação, inclusive tendo o seu chefe, o PGR, nomeado pelo poder discricionário do presidente da República.

É por raciocínio como esse seu que agora até a Polícia Federal, um braço armado do Estado, quer ser independente. Isto é um absurdo em seus próprios termos. Como pode um poder armado não estar submetido? O presidente da República nomeia não só o ministro da Defesa e os comandantes das Forças, mas até mesmo os generais, e o faz porque o presidente da República é, constitucionalmente, o comandante supremo das Forças Armadas. Se assim é com as FFAA, por que deve ser diferente com o MP e com a PF, principalmente quando a lei confere tal poder ao presidente?

Se o PT quer ser eleito para não exercer o poder que cabe ao presidente, é melhor que deixe de disputá-lo. O poder do presidente, além de conferido pela soberania popular, é exercido de acordo com os limites e controles estabelecidos pelas leis e pelos demais poderes. Querer criar ainda outros poderes para limitar o poder presidencial é atentar contra o próprio princípio constitucional e a soberania popular. Antes era a independência do Banco Central, agora é a independência do MP, amanhã será a independência da PF, depois a independência das estatais, autarquias e por aí vai. É melhor acabar logo com a figura da presidência.

Seu voto: Nenhum (6 votos)

José Policarpo Jr.

Argumentação amplamente equivocada (não entendeu nada)

Não há agressão nenhuma. Há, isto sim, uma tese (da volta do compadrio e do autoritarismo), uma antítese (comentário que contesta tudo isso) e cada um que faça a síntese que achar mais conveniente. 

 

PT vociferou, corretamente, durante 08 anos consecutivos contra o pérfido sistema de blindagem e compadrio exercido pelo PSDB, que nomeou e renomeou por 03 vezes consecutivas o sr. Geraldo Brindeiro, alcunhado corretamente de Engavetador-Geral da República. Aliás, como explicar que um dia foi possível nomear um parente, no caso, o primo do vice presidente da República (Marco Maciel), para chefiar o Ministério Público Federal? Isto é um ignomínia completa e absoluta. Foi neste contexto que o PT chegou ao governo em 2003 e esmigalhou essa prática, moldando a prática atual, correta, no critério de nomeação do PGR. 

 

A Polícia Federal não é e nunca foi independente no Brasil e em nenhum lugar do mundo. E não vi absolutamente ninguém dizer o contrário disto ou defender a maluquice absurda da independência ou autonomia da Polícia Federal. As polícias, sejam elas as militares, as civis, a Força Nacional de Segurança Pública ou a Polícia Federal, são e devem ser sempre subordinadas ao Poder político, eleito pelo povo brasileiro. Repito, não vi ninguém defender o contrário disto. O que não se pode permitir é a volta de uma Polícia Federal imprestável, como era no tempo dos tucanos, que não fez sequer 30 Operações contra crimes e fraudes diversos em longos 08 anos. E o que não se pode permitir é esse raciocínio absurdo, subreptício e solerte de imaginar que "um pouco de autoritarismo" é bom ou até mesmo desejável. Será que as pessoas já se esqueceram de para que existia a Polícia Federal no tempo da ditadura militar ou do Estado Novo? Será que é para perseguir desafetos e para torturar que queremos que ela sirva?

 

Outro ponto: o PT não tem, nunca teve e nunca terá o poder absoluto sobre o Estado. O tempo de Stálin e Hitler já passou faz tempo, felizmente. O que temos é um "Estado Democrático de Direito", criado pela própria burguesia com base na tripartição dos poderes e dos freios e contrapesos, bem explicitados na obra de Montesquieu. O PT exerce uma PARTE do poder estatal, que é o Poder Executivo. E exerce este poder de forma mitigada porque tem apenas e tão somente 13% dos parlamentares no Congresso Nacional. Vossa senhoria quer que o PT exerça com mais força o poder de Estado? Simples, arrume uma varinha mágica de condão e faça o PT ter pelo menos 50% dos parlamentares no Congresso Nacional! Ou vossa senhoria imagina que se ao invés de Dilma fosse a Luciana Genro a presidenta, com seus meia dúzia de parlamentares, e ela conseguiria implantar o financiamento público, a Ley de Medios e a reforma agrária?

 

Ora, o PT exerce o poder que a correlação de forças permite. Exerce o poder que a representação política dele e da esquerda como um todo permitem. O PT não tem maioria como tem o Evo na Bolívia, o Maduro na Venezuela, o Putin na Rússia ou o Alexis Tsipras na Grécia. Este é o ponto. 

 

Por fim, pergunte ao douto feitor do post em questão, a quem admiro, se ele acha que é necessário fazer uma Ley de Medios no Brasil, para regular economicamente a 'grande mídia', algo que os EUA, a França, a Inglaterra e vários outros países já fizeram há décadas. Pergunte! Ou isto não é uma demanda democrática? Ou isto não é fundamental para aperfeiçoar a democracia brasileira?

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Diogo Costa

O PT vai acordar tarde demais

Prezado Sr. Diogo Costa,

Obrigado pela resposta e comentário agora mais racionais e explicativos.

Estou de acordo com alguns de seus pressupostos, talvez mais do que o sr. imagine, por exemplo: como eleitor e defensor das realizações do governo do PT, sou também crítico da visão messiânica e voluntarista de vários segmentos da esquerda, como o PSOL, PSTU e outros. Peço, entretanto, que alargue um pouquinho sua visão da própria esquerda. Vou dar um exemplo hipotético: Leonel Brizola certamente jamais cairia nesse primarismo político de entregar o cargo de PGR a um grupinho de subprocuradores de tendência majoritariamente fascista. Nem Brizola, nem Arraes, se estivessem na posição de presidente da República cometeriam esse suicídio político-jurídico que o PT comete. Nem Brizola, nem Arraes podem ser acusados de serem expressões do patrimonialismo brasileiro, muito pelo contrário.

O senhor está completamente certo em afirmar que jamais o PT terá o poder absoluto. Claro, estamos em uma democracia, e em um estado de direito, apesar de todas as suas deficiências - até que alguns procuradorezinhos o derrubem. Nem eu também desejo que partido algum assuma tal poder. Há um legislativo e há um judiciário.

O PT, entretanto, está abdicando da parte do poder que lhe cabe legitimamente como ocupante da presidência da República. Claro que para aprovar leis, emendas constitucionais, etc., o PT jamais terá discricionariedade - sempre terá que se submeter aos acordos da maioria parlamentar; é assim e deve ser assim. E é precisamente por isso que esse Congresso jamais aprovará uma reforma política que acabe com financiamento empresarial, que acabe com coligações proporcionais, que defina o poder político para os partidos e não para os candidatos individualmente. OK, estou a par de tudo isso, e não culpo o PT por não conseguir isso, nem por não conseguir uma Lei de Meios - sei que isso é matéria congressual, em cujo meio o PT e a própria esquerda em geral não tem maioria.

O presidente da República, entretanto, não precisa de composição partidária para nomear o PGR. Este apenas terá que ser aprovado pelo Senado, mas isso não seria jamais um problema incontornável, como não o é a nomeação de ministros do STF, para os quais Dilma parece ter despertado do seu sono dogmático nas últimas três indicações.

É somente isto que estou falando, sr. Diogo Costa. Nomeação de PGR e de ministros do STF são atribuição exclusiva da presidência. Mas Dilma, em sua infinita ignorância política (o fato de ser seu eleitor e defensor do governo não me faz cego para esse fato), demora meses para nomear alguém e às vezes nomeia representantes dos adversários do PT.

É preciso ter bem claro, que só houve o processo da AP-470 por uma manobra do então procurador geral Antonio Fernando de Souza, nomeado por Lula para desestabilizar seu governo, em conluio com o ex-ministro Joaquim Barbosa que pôs em segredo de justiça um inquérito que fazia ruir toda a linha mestra da acusação do "mensalão". Se fosse outro o procurador, este problema não teria existido.

Esses procuradorizinhos de agora nada mais fazem do que seguir o exemplo que foi dado desde 2005.

Por fim, saiba que há, sim, um movimento em marcha de delegados da PF reivindicando autonomia institucional para a instituição. Em breve Dilma haverá de atender a essa demanda alegando "republicanismo", e logo em seguida Lula deverá ser preso a pedido de um delegado da PF e do pedido de um garotão procurador, pedido que será atendido rapidamente por um juizinho ditador. Talvez, aí, o PT comece a acordar... só que será tarde demais.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

José Policarpo Jr.

"suicídio político-jurídico

"suicídio político-jurídico que o PT comete. "

Muito bem colocado, Policarpo.

A nomeação de ministros do STF e do PGR tem sido ultimamente o espelho da frase acima. O mensaão não existiria sem o republicanismo infantil do PT .

Os pestistas estão nomeando hienas para para julgar eles próprios.

Só resta dizer uma coisa: merecem...

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Caríssimo

Caro colega, a quem tributo alta estima, permita-me dizer algo mais a respeito disso tudo, não antes sem expressar, novamente, a admiração que tenho pelo autor do post, em que pese termos divergências a respeito da análise política atual. 

 

O PT nada sabia em 2003, nunca esteve no poder e surgiu da base, de baixo para cima (quando Barbosa foi nomeado o governo Lula não tinha sequer 05 meses de vida e a esquerda aplaudiu de pé a nomeação dele em 2003).

 

O PT foi aprendendo a lidar com essas questões intestinas do poder na marra, com acertos e erros colossais. Se há uma área onde o PT errou, foi em imaginar que poderia se valer dos mesmos instrumentos que a direita sempre utilizou desde o tempo das caravelas do Cabral. Mas o ponto nem é este, mas sim o fato de que o PT aprendeu muito nestes últimos 12 anos e pouco, e é justamente isso o que incomoda os seus detratores. 

 

Equivoca-se rotundamente que imagina o PT morto e enterrado, faltando mais de 03 anos para o pleito de 2018. Dilma irá se recuperar política e economicamente, não nos níveis altíssimos de popularidade que tinha até a irrupção da micareta do junho de 2013. 

 

E essa recuperação, mesmo que mediana, da presidenta Dilma Rousseff, já é mais do que suficiente para a volta do Lula, que não tem nenhum adversário capaz de enfrentá-lo. O que não se modificará, infelizmente, é a correlação de forças no parlamento (ou mudará muito pouco). Aliás, a esquerda no Brasil é de uma debilidade a toda prova, basta ver quem são os nossos congressistas. 

 

No mais, o caminho se faz ao caminhar. Se o PT tem 'zilhões' de defeitos e ingenuidades, e certamente os tem, também é verdade que jamais na história do Brasil um partido de esquerda venceu 04 eleições consecutivas, algo que é de suma importância em se tratando do Brasil. 

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Diogo Costa

imagem de Arthemisia
Arthemisia

Permita-me discordar, Diego.

Permita-me discordar, Diego. Entendo o texto como um alerta ao PT e à esquerda de que ser governo demanda esforços além da ideologia, da boa vontade e das realizações. Você está certo ao enfatizar que continuamos no governo, apesar de tudo. Mas a que preço? Qual de nós quer estar na situação de José Dirceu, Genoíno ou Vaccari? Para mim, o autor do texto não despreza as conquistas dos governos petistas, mas todas elas - enfatizo o TODAS - estão ameaçadas exatamente pela inexperiência do PT com as instiuições conforme opina AA, ou com sua ênfase nas condições objetivas. Quando você diz que o PT sempre lutou contra as práticas arcaicas não contradiz o post porque o que ele questiona é se o PT lutou mesmo pela implantação de novas práticas políticas, posto que não conseguiu tradizir isso em ações. Para instituir novas práticas no Brasil há que se modificar as instituições e isso o PT não fez; o que aconteceu foi que ele simplesmente achou que as insituições mudariam sozinhas. Ora, se a economia precisou da intervenção do governo porque não outras áreas? Enquanto o PT esperava, outros agiam e aí estão os resultados. O governo precisa, sim, mostrar quem manda aos policiais federais, pois estes não passam de funcionários públicos comuns e a eles o povo não delegou nenhum poder. O PT precisa, sim, mostrar ao MP que ele é que detém mandato popular e que o MP tem limites de ação. Uma vez eu li que o PT e toda a oposição, à época da Reforma do Judiciário, se compotavam como se nunca fossem chegar ao poder. Parece que o autor tinha razão e conseguia antever os problemas que teria o PT num possível governo. Democracia se constrói, não acontece por magia ou por ação de controles remotos. E democracia, ensinava Lefort, é o regime no qual não há vácuos no poder. É disso que trata o post, a meu ver, e não de ditaduras e autoritarismos.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Ministros do STF

Luis Roberto Barroso e Teori Zavascki tem calibragem para serem ministros do STF. Ricardo Lewandowski, idem. Resta saber de onde sacaram o inacreditável Joaquim Barbosa. Por que o mais surreal ainda Dias Toffoli está no STF? Puxa vida... E Rosa Weber? Quem são essas pessoas? Weber e Barbosa pelo menos são funcionários de carreiras jurídicas de Estado  - embora sejam fracos -, vá lá, mas Dias Toffoli, quem é? Pelo amor de deus. Luis Fux... Tem certo nome. Mas personalidade controversa. Por que é ministro do STF?

Na PGR concordo. Por que o PT não tem o seu Geraldo Brindeiro? Só para não dizer que tem um "engavetador geral da república" e ficar levando fumo a torto e a direito? O autor do texto acerta em muitos pontos. Principalmente quando compara o PT ao pobre que ganhou na loteria e perdeu tudo por não ter planejamento para manter a fortuna.

Seu voto: Nenhum (7 votos)

"o mundo é um saco de merda se rasgando. não posso salvá-lo."

 

Imagem fantástica:

Imagem fantástica: "O PT agiu como pobres que ganham na loteria, não soube administrar o que ganhou e acabou perdendo por descuido."

Seu voto: Nenhum (13 votos)

"o mundo é um saco de merda se rasgando. não posso salvá-lo."

 

imagem de Clever Mendes de Oliveira
Clever Mendes de Oliveira

A sua alternativa é a que se escancara no Egito e é da direita

 


Andre Araujo,


Quando você vem com seus argumentos mostrando como seria o governo do mundo se fosse você o governante, eu me lembro da resposta de Alexandre, o Grande, à proposta do rei Dario III, de dividir o império persa em dois, e para a qual Alexandre, o Grande, respondeu que assim “como o mundo não tem dois sóis, a Ásia não pode ter dois senhores”.


Não que você faça-me lembrar de Alexandre, o Grande. Aliás, Alexandre, o Grande era sanguíneo o que não parece ser do seu feitio e apelava mais para o Tarot, a Astrologia e a Geometria que só o xará dele aqui no blog, o Alexandre Weber – Santos –SP, insiste em recomendar.


A lembrança decorre do fato de a proposta ter sido apresentada ao general Parmênio que aconselhou a Alexandre, o Grande, que aceitasse, dizendo “Eu aceitaria, se fosse Alexandre”. A resposta de Alexandre, o grande para Parmênio fora: “Eu aceitaria se eu fosse o Parmênio”.


O PT também não é Alexandre, o Grande, mas é evidentemente muito maior do que você e é de esquerda, e ainda é menor do que você supõe que o partido seja.


O PT não é como o Partido Justicialista que guardando as proporções é o maior partido do mundo democrático. O PT é um partido de esquerda em um mundo que não é de esquerda. Não há como o PT puxar o pais para o caminho do PT, mas é de fato inimaginável ver como uma força tão minoritária no Brasil consegue impedir que o país vá na direção contrária ao do PT.


Não é de estranhar que os seus escritos chamem atenção de leitores específicos que se revelam no comentário. Seja, por exemplo, o post “Falta uma perna no Plano de Levy, por Andre Araujo” de domingo, 22/02/2015 às 18:09, aqui no blog de Luis Nassif e com texto de sua autoria. Diante do seu texto, o comentarista Mucio Linhares da Rocha em comentário enviado domingo, 22/02/2015 às 12:05, assim se expressou:


“Para um ESTADISTA esse momento de Lava Jato, tentativa de impítimam (prefiro assim e com meuzovo) e tudo mais, estaria criada a situação perfeita pra que ele em definitivo consolidasse o PODER em suas mãos. Dilma porém prefere cortar tomates ou sei lá o que com Ana Maria Braga na Rede Grobo”.


Pareceu-me que o termo que ele queria dizer era ditador.


Você, sendo próximo do poder durante tanto tempo, tendo convivido com as dificuldades que conhecidos seus enfrentaram na labuta de governar, deveria questionar mais esta visão da governabilidade como que aceitando só uma forma: a do pragmatismo. Se o pragmatismo fosse o modelo que alcançasse melhores resultados seriam os defensores do pragmatismo que estariam governando. Se é um partido ideológico que tem conseguido por tanto tempo obter o bom resultado nas urnas então talvez o pragmatismo não seja algo assim tão eficaz como você propugna.


É claro que há também que se considerar a possibilidade de você estar errado na sua avaliação sobre a incapacidade do PT ser pragmático.


Clever Mendes de Oliveira


BH, 18/04/2015

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Heart
Heart

Mesmo que o PT voltasse no

Mesmo que o PT voltasse no tempo, ainda assim não teria como fazer melhor. Nunca teve apoio dos militares e nem da mídia, então foi um milagre conseguir vencer 4 pleitos.

FHC comprou escancaradamente a PEC da reeleição e ninguém poderoso teceu a mínima crítica. Privatizou tudo a preço de banana para _estrangeiros_ e tinha carta branca para isso.

Quando o PT governa, até a respiração do partido é criminosa.

Não tem como, simplesmente não tem como...

Seu voto: Nenhum (8 votos)
imagem de Marcelo Arjjona
Marcelo Arjjona

Era o obvio

Quando o PT chegou ao poder com o Lula, depois de 4 eleições, a ideologia do PT já não era a mesma, mas para chegar ao poder teve que se adpatar, já que ninguém quer uma suécia, o próprio vice presidente, que a televisão nunca teve coragem de supor qualquer coisa, já era uma cobra criada no seu meio. Ao contrario, Lula tinha ficado com todo o ódio, mas Lula era Lula, quem já tinha a experiência de ter apanhado da Globo por mais de 20 anos, ele não liga para os intelectuais do mercado, ah o juros é absurdo, o dolar tem que subir toda essa baboseira dita todo dia na globo news, eles perceberam que não adiantava bater, se fose box Lula seria Muhammad Ali, Então a ideia era não deixar scessores , mataram um a um, Palocci, Dirceu, Genoino esse foi o grande motivo do mensalão. Lula viu em Dilma uma pessoa de caracter, trabalhadora e eficiente, mas Dilma não era uma pessoa politica, quando se elegeu quis receber a atenção da mídia, achou que o discurso era sincero, abaixou o juros, elvou uma de direita, e se perdeu, hora por outra querendo uma amizade com a mídia em vez de governar para o povo, tomou o primeiro lockout, nas últimas eleições, ficou tonta e só vem apanhando de lá para cá. 

Nossa direita é a melhor do mundo, em anos perdeu apenas algumas vezes, e agora ganhou de novo, acredito que se o Lula tentar ser presidente novamente, algum delator irá denunciar a ele. trabalhadores perderam de novo, agora talvés depois de uns 40 anos.

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Glaucia Wagner
Glaucia Wagner

O texto  diz que o PT perdeu

O texto  diz que o PT perdeu poder por excesso de republicanismo e por nao entender  como funcionam as veredas do poder. 

Talvez o PT tenha simplesmente exercido o poder dentro dos limites que lhe foi possivel exercer sem acirrar contra si o ódio desmesurado das elites. Conseguiu evitar assim, pelo menos até agora, que seu projeto nacionalista e desenvolvimentista fosse interrompido prematuramente por um golpe parlamentar ou judiciario.  Bem que a direita tentou, como ainda está tentando,  interromper esse projeto. Li em algum lugar que o PT é "a esquerda possível" no Brasil.

Enquanto o PT negocia e transige para se manter no poder, a producao do pre sal aumenta, a inclusão social avanca, as obras do PAC prosseguem, as forcas armadas se modernizam, a America Latina se integra, o BRICS coalesce... O PT deve continuar negociando e cedendo em algumas áreas para permitir que seu projeto desenvolvimentista prossiga e seus avanços se tornem irreversiveis.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Texto muito bom e realista. O

Texto muito bom e realista.

O PT de fato, ao segmentar e dar poderes  extraconstitucionais ao MPF E PF, perdeu o comando do poder. Hoje qq delegado ou promotor poe a republica de joelhos.

A nomeação de ministros do STF é um atestado de imcompetencia sem fim. Se brincarem mais um pouco vão parar todos na cadeia( os petistas, somente).

O mais impressionante são os intelectuais de esquerda que assessoram o partido, todos tem visão curta e deturpada sobre o poder. Parece que nem mesmo Maquiavel conhecem...

Uma investigação judicial sem fim a mais de uma ano paralisa as principais atividades motoras do PIB e ninguem do governo faz nada. Assistem calados e de camarotes. É estarrecedor.

Acho que nem mesmo falta de experiência não é mais possível alegar, afinal são mais de dozes anos no governo, porque poder nunca tiveram nas mãos...

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de Arthemisia
Arthemisia

Nem fale dos intelectuais de

Nem fale dos intelectuais de esquerda. Onde andam?

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de mucio linhares da rocha
mucio linhares da rocha

Poder é pra ser exercido por

Poder é pra ser exercido por quem é capaz de ter sangue nos olhos e mãos, e faca nos dentes.

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de Ze Guimarães
Ze Guimarães

Excelente artigo

Concordo plenamente, com o artigo do Sr. Araújo. Ao nomear para cargos de Poder Supremo, com Republicanismo, o PT brincou de roleta russa.Os adversários não haverão de perdoar, assim como não tem perdoado nem dado uma única trégua ao PT na mídia.

Exercer o poder com autoridade, difere de exercer o poder com autoritarismo, e o PT não soube entender esta diferença. tentando ser liberal ao extremo, o que os adversários conservadores confundiram com libertinagem e usaram para desestabilizar o Governo petista.

O que realmente faltou ao PT seria uma visão mais militar do poder; qualquer General do Planeta se perguntado sobre o Republicanismo ao escolher Ministros, iria rir, da ingenuidade da pergunta. Nem todo poder precisa ser autoritário. JK exerceu o poder com centralismo, sem cair em autoritarismo. Autoritarismo só acontece quando se desrespeita a Constituição. E não há nenhuma clausula na Constituição que impeça o governo de nomear com critérios próprios, sem dar satisfaçãções a ninguém que seja.

Não há poder neutro. Todo poder tem lado. Ou o governo nmeia os "seus", ou o adversário o fará com grande prazer.

 

Alguns comentaristas ingênuos que ainda defendem o Republicanismo, em breve verão o preço deste. Com a derrocada economica, iniciada na Petrobrás, a direita terá infelizmente farta munição eleitoral para talvez voltar ao poder e até fazer um retrocesso social gigantesco.

Aí ficará a pergunta de que nos servirá o Republicanismo?

"Num jogo de xadrez, ou na política, não há lugar para ingênuidade, mas apenas para bons jogadores."

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Que derrocada econômica?

Com a Petrobras ainda?

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Márcio Carioca
Márcio Carioca

Questão de mentalidade

O grande complicador é que a opinião pública brasileira ainda tem uma mentalidade autoritária. Veja como o governador Alckmin, com todos os seus desmandos e trapalhadas, consegue sair quase incólume porque passa a imagem de "patrão", de "senhor", de um comandante investido de autoridade. Já a Dilma, quanto mais democrática e republicana tenta ser, mais é xingada e enxovalhada por uma "elite" extremamente mal-educada.

Também é sintomático que o escândalo da Petrobras seja atribuído ao governo dela, quando foi justamente nesse governo que o esquema foi desmontado. E mais, ninguém ainda se tocou que o "mártir" Eduardo Campos rompeu com o governo exatamente quando o Paulo Roberto Costa foi afastado.

O presidente Lula ainda tinha a seu favor o carisma e a capacidade de articulação política. A Dilma achou que o bom-mocismo seria suficiente para conquistar automaticamente a opinião pública, inclusive a classe média, mas não percebeu o quanto esta última tem de autoritário, preconceituoso e excludente.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de raymond goodventure
raymond goodventure

Certo dia, ouvindo uma colega

Certo dia, ouvindo uma colega de universidade,pude entender a que ponto chega a criatividade humana.  Dizia-me ela: " na política, em sua configuração atual, é muito difícil encontrarmos candidatos honestos, veja o caso de José Genoíno, roubava para comprar apoio ao PT e aos seus candidatos, e  mesmo que não tenha auferido riqueza pessoal, roubava por idealismo. Quanto aos outros partidos, são somente acusações que buscam desviar as atenções da poderosa quadrilha petista encastelada no poder".Ora, um partido que chega ao poder e permanece por no mínimo 16 anos, não fazendo as reformas necessárias para desmontar um Estado privatizado, paga um preço alto por tamanha omissão. Se para governar teve de  abandonar todos seus ideais de construção de uma sociedade menos desigual, e para isso, permitindo pequenas concessões, não valeu a luta.

Paradoxalmente, não vemos petistas milionários, donos de rádio ou tv,donos de agências  de intermediação financeira, ou seja, detentores do poder real, este que coopta corações e mentes, o dinheiro.

Roubar por ideologia, parafraseando minha colega citada, quanta perda de tempo.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

aS NOMEAÇOES  SAO POLITICAS

aS NOMEAÇOES  SAO POLITICAS SIM, mais  existe uma diferença entre  por  exemplo a  nomeaçao  de  Zavasck ou de  Barroso   para a nomeaçao de  Gilmar  Mendes,  Gilmar  que era advogado  geral da uniao e colocado por  Fernando henrique  e  mais  tarde como ministro do supremo   veio com o  objetivo de  servir  aos seus  senhores.  tal como   Fernando Hwenrique  grandes  grupós economicos, e  aos  EUA. 

Querer  que o Brasil faça  alianças  com os  EUA. so pode  ser   brincadeira,  os  EUA  nos  ver como seu quintal,  nunca  tiveram respeito  pela  america do Sul  Central. Se  acham donos  roubam nossas riquezas  como  o  petroleo e o niobio infiltraram-se pela  amazonia, tomaram conta  do SIVAN, que  alias  serve  mais  a eles do que ao Brasil, jamais iriam fazer  alianças  com o Brasil  que  nao lhe  rendesse  a  submissao  brasileira. jamais eles  iriam  permitir  que  o  Brasil  tenha  tecnologia  propria  para  construir   avioes de caça ou outros  equipámentos  belicos, Eles  nao  passam  e ainda deixam bem claro que  nao  vao permitir  que outros  países passem, Dentro  desses pequenos exemplos  como  esperar que o Brasil progressita  que ora ocupa  o poder  faça  alguma  aliança com quem  quier nos   escravizar.? Va  devagar  porque o buraco é mais embaixo. 

O  Brasil foi  erm direçao a Russia e a China  justamente por isso, porque  se  ficar  esperando  que os EUA  diga  amem é bom que  ele  deite  e  espere  porque nunca vai chegar esse dia.  e  se os  militares  brasileiros bem  souberem  devem apoiar  esse governo que  vem aparelhando  as forças  armadas  coisa  que  nenhum governo anterior  fez  inclusive  o de  Fernando Henrique, Ele  e  Collor  foi um  entrave  na vida das forçasd  armadas.  Collor  tapou o buraco  de  experiencias  nucleares  do Brasil,  acabou  com as  industrias belicas, Fernando  Henrique  destruiu  a  base  de alcantara  junto com os  americanos  numa  sabotagem que  custou a vida  de todos os  cientistas  brasileiros  e tecnicos  experientes. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

edson tadeu

imagem de Daytona
Daytona

A moderação censurou

A moderação censurou comentário refutando pontos do artigo, sem nenhuma grosseria ou algo do tipo(dei print).

Fica cada vez mais claro que o blog é refratário a argumentos contrários às posições defendidas por seus articulistas, no que não é muito diferente da posição adotada pelo oligopólio midiático. 

A internet pluralizou às opiniões, mas manteve as mesmas práticas da mídia tradicional, repetidas por blogueiros que aprenderam fazer jornalismo nos porões de Folhas, Estadões, etc.

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de Véio Zuza
Véio Zuza

O artigo é brilhante, como

O artigo é brilhante, como outros comentaristas já pontuaram. Tento avançar um pouquinho, as idéias não são minhas, são de amigos (alguns leninistas ou ex-leninistas)...

 O PT, criado por uma confluência de cristãos (católicos na maioria), sindicalistas puros (não aqueles "infiltrados" nos sindicatos pelas antigas org. esquerda...) e trotksitas sempre apostou muito no espontaneísmo. O "Estado" é visto como um inimigo - muitos achavam, e ainda acham, que é possível transformar determinado país ou sociedade sem o poder de estado... Assim, além de nunca explicitar uma teoria do estado, ao estilo leninista, sempre viu o estado e seus agentes como "inimigo", com o qual era necessário conviver, nada mais do que isso... daí o desprezo às instituições ou carreiras típicas - exército, polícia, judiciário, mp, diplomatas...

Só que o PT também era e é um partido institucional, se propôs alcançar o governo pelo voto. Chegando lá, ao que parece, não soube bem o que fazer nessas áreas. Preferiu escolher o que achava menos ruim em cada uma delas; o que menos incomodasse...  O risco se mostrou demasiado; na diplomacia conseguiu alguma coisa com Celso Amorim, que veio a se filiar ao partido... no resto, bem o resto caiu em mãos nada amigáveis...

Resumo da missa: ou aprende a manobrar o aparelho do estado - e a legitimidade das eleições lhe concede algum poder para isso - ou vira um partido auxiliar, que "terceirizar" as áreas sociais, num governo de coalização com os PMDBs e PSDBs da vida... 

Não creio que o opção extra-parlamentar, estilo PSTU ou PCO (o PSOL é uma incógnita) faça sentido...

Saravá! 

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Excelente

Assim como muitos dos colegas do Blog, assino embaixo apenas que retirando a aliança com os EUA, que em nada contribui a esse belo texto do AA

São muitas as atitudes que dão razão ao texto do AA. Por exemplo, aquele episódio de um sujeito de Itamaraty, que trouxe um político da Bolívia, escondido. Acredito que o sujeito não foi nem demitido.

Acho que o grande culpado de tudo isso é o rabo preso, pois, por pequeno que seja, o PIG se encarrega de amplificar, assim como oculta o rabo de dinossáurio dos tucanos.

O PT terá que voltar ás ruas e tomar um espirito de PSol, renovando a equipe e, ao contrário de hoje, agir com rigor contra corruptos, PIG e etc. dos outros partidos

Seu voto: Nenhum (12 votos)
imagem de Daytona
Daytona

O artigo é simplista, e suas

O artigo é simplista, e suas conclusões equivocadas. Perón e Vargas foram derrubados e sucedidos por conservadores. Ao retornar do exílio, Perón se concíliou com os conservadores.

A realidade é muito mais complexa. Tivesse partido abertamente para o enfrentamento, talvez Lula também tivesse sido derrubado, talvez morto. Um Estadista de verdade não sacrifica seu país na disputa pelo poder, tiranos fazem isso.

Seu voto: Nenhum (8 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.