newsletter

Assinar

O que muda com Lula como alvo, por Marcos Nobre

Jornal GGN - A entrada do ex-presidente Lula como alvo de investigações da Operação Lava Jato do Ministério Público de São Paulo pode mudar um rearranjo político construído a duras penas ao longo do ano passado. Para Marcos Nobre, professor de filosofia política da Unicamp, não é possível encontrar expressão no sistema político para os ataques e defesas públicos de Lula. Além disso, o ano de 2015 foi marcado pela retomada da política pela sociedade, com o centro da disputa tomado por núcleos sociais com posições divergentes. Leia mais abaixo:

Do Valor

O que muda com Lula como alvo

Marcos Nobre

2015 foi o ano em que uma entrevista de um grande empresário podia dar a Dilma mais uma semana de sobrevida ou jogar mais gasolina na fogueira da sua deposição. Uma manifestação de rua podia desencadear o impeachment ou enterrá-­lo. É um claro sintoma de pane geral do sistema político. Ao mesmo tempo, levou à novidade muito interessante de uma espécie de retomada da política pela sociedade. Em lugar de partidos, o centro da disputa política foi tomado por núcleos sociais com posições divergentes, com sugestões diferentes quanto ao rumo mais adequado a seguir. Em um ou outro caso, pode ser que tenham vinculação a um partido. Mas, no geral, expressam posições que não cabem dentro de um partido. Pelo menos não na confusão partidária atual.

Mas se são movimentos que não estão diretamente ligados à política oficial, não deixam por isso de se orientar por ela de alguma maneira. Essa é a segunda novidade que saiu de 2015. Tendo sobrevivido ao impeachment, o governo Dilma acabou por se tornar uma arena de disputa entre projetos opostos sobre qual o melhor rumo a seguir. É um governo que opera como se estivesse aberto para ser tomado por qualquer um dos lados, desde que acumulem força suficiente para isso. Mesmo que seja por cima das convicções pessoais da presidente, que são muitas e persistentes. É um governo que não se decide por um dos lados nem abandona nenhum deles. Ao contrário, todo dia dá uma no cravo e outra na ferradura.

A entrada de Lula na mira da Lava ­Jato e do MP de São Paulo pode mudar esse rearranjo construído a duras penas ao longo de 2015. Como não existe impeachment de ex-­presidente, a disputa sai do sistema político diretamente para a sociedade. Não há como encontrar expressão no sistema político para o ataque e a defesa públicos de Lula. A disputa vai para a rua. Os nós do debate público que estão ainda conectados de alguma maneira a esse governo que se apresenta como arena de batalha de resultado indefinido serão imediatamente invadidos pela luta social direta. Enfim, é uma crise de cara nova.

Leia mais

Média: 2.1 (18 votos)

Recomendamos para você

11 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

Fraquinho, fraquinho

Se o sujeito tivesse visto o depoimento do Zė Dirceu não escreveria que o Lula é "alvo".

Seu voto: Nenhum (5 votos)

"Nascem demasiados homens, para os supérfluos criou-se o Estado"  Zaratustra

imagem de Cesar Saldanha
Cesar Saldanha

Versão brasileira a italiana

Todos sabem que Moro tenta fazer uma versão italiana a moda brasiliana, mas o seu único objetivo sempre foi pegar LULA, mesmo que seja preciso destruir o país. Afinal, quem disse que Moro ama o Brasil. 

Seu voto: Nenhum (8 votos)
imagem de altamiro souza
altamiro souza

mesmo vindo do valor, grande

mesmo vindo do valor, grande mídia e o escambAU,

esse artigo abre uma boa discussão, pois é ium problema real...

acho que a discussão deve ser feita sob o ponto-de vista

dos projetos em jogo, o da inclusão social do governo popular e o

do  outro projeto  de exclusão social, o neoliberal..

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Eduardo Pereira
Eduardo Pereira

Não aceitam

O Sistema ( alta burguesia , mercado financeiro , mídia empresarial, além de grande parte do empresariado corporativo ) não quer de maneira alguma mais 4 anos de PT , e sabem que se Lula não for abatido agora , depois , na hora da eleição ele é "pule de 10"!
Então acho que vão tentar "queimar todas as embarcações " agora apostando nisso.
Só tenho dúvida , se a coisa recrudescer e virar caos social ( ruas )com consequente caos financeiro , se esses agentes vão estar todos unidos nessa "missão " ( se as corporações , p ex ,verão essa decisão como suicídio ) . Não sei , vamos ver . Penso , hoje em dia , que o Brasil é um mercado mundialmente muito importante ( e as empresas sabem disso - o q a mídia e os papagaios do "cassino" financeiro dizem não é serio ) e , sinceramente , não tenho certeza se esse pessoal está realmente unido para embarcar nessa louca aventura ! O recuo do impchment já é , penso , um sinal disso .
E , francamente , acho que Lula e a sociedade organizada ainda possuem uma carta na manga , que se chama Ciro Gomes , e que a centro direita do PSDB e PMDB , se c... de medo , pois , apesar da pecha de porra louca , não tem rabo preso c ninguém e , mesmo não sendo tipicamente de esquerda , detesta essa gente , e certamente dará continuidade ( com correções pontuais em termos de gestão ) à filosofia politica de inclusão social e desenvolvimentista atuais .
Na verdade , esse deveria ser o caminho da esquerda brasileira . O desgaste do PT é evidente , e Lula ainda possui um capital político imenso que deve ser preservado para a História de nossas forças progressistas , além de sua própria biografia , que é igualmente importante no mesmo sentido .

Seu voto: Nenhum (1 voto)

SErá que o GGN virou balcão de propaganda do Valor Econômico?

A íntegra do artigo só está disponível para assinantes do Valor.

Creio que, ou ele deveria ser reproduzido na íntegra aqui, ou simplesmente um trecho inicial não deveria servir de "isca" para uma página bloqueada ao público em geral.

Fica parecendo que o GGN está fazendo propaganda para o Valor.

Seu voto: Nenhum (10 votos)
imagem de titus
titus

Como derrotaram os governos

Como derrotaram os governos da argentina e venezuela?

Muito simples, enquanto os movimentos sociais tinham a rua (maioria)

as cias de comunicacao tinham a vantagem.

ex: meios privados martelavam quanto mau era o governo, as redes

sociais controladas pela oposicao (que sao todas) para cada posicao

favoravel ao governo 10 faziam oposicao, portanto derrubando a moral

dos votantes (a alma do negocio e a propaganda)..

Ex: youtbe... para cada video a favor do governo 10 sao contra..

facebook para cada postagem a favor dez fazem desdem...

twitter para cada postagem a favor dez sao aberracoes ou chingamentos..

e assim vai massificando os leitores..

os blogueiros com pensamentos democraticos sao invadidos por trolls

sempre com uma mensagem manipulando o que o texto quer dizer...

promovidos por ongs politicamente direcionados...

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de anarquista sério
anarquista sério

Por algum motivos vcs ainda

Por algum motivos vcs ainda não entenderam . Ou estão em  estado de negação.

Parênteses: As escritas de ontem referia-se ao apto de F H C em Paris, sítio de Figueiredo e afins. Como se o ''roubo ''de outro justificasse o do PT  tbm. E não é por aí.

      O PT nasceu pra se contrapor a todos eles, e não se alinhar igualmente.Mas foi exatamente o que o PT fez.

        Por isso que a bronca é muito maior com o PT.

         Vamos ver se me faço entender

           Clovis Rossi

Quando os idealistas se perdems

Olho para a foto de José Dirceu, na capa desta Folha no sábado, 30, cercado de policiais, ralos cabelos brancos, um esgar no rosto que parece um sorriso, ao ser conduzido para prestar depoimento ao juiz Sergio Moro. É réu.

Volto quase meio século no tempo e vejo, num canto da memória, José Dirceu trepado a um poste da rua Maria Antônia, arengando à multidão de estudantes que protestava contra a ditadura. Era um subversivo idealista.

Olho para a foto do sítio de Atibaia, reformado por empreiteira para o conforto de Luiz Inácio Lula da Silva, frequentador confesso, talvez proprietário oculto. Um luxo só.

Volto outro tanto no tempo e a memória fotografa o estadinho da Vila Euclides, em São Bernardo do Campo, em que um Lula desalinhado e rude arengava à massa de operários em greve, um tanto por melhores salários, outro tanto contra a ditadura. Era um herói popular.

Fico pensando, no meu canto, em que momento o subversivo idealista se tornou um "profiteur" das amizades com poderosos e ricos a ponto de se tornar réu.

Fico tentando descobrir igualmente em que momento o herói popular dedicou-se a enriquecer a ponto de ter de prestar sucessivos depoimentos sobre imóveis em que empreiteiras puseram mais que um dedo para deixá-los ao gosto do novo rico. Um amigo jornalista me conta que frequentou o antigo sítio de Lula, Los Fubangos, às margens da Billings: "Era fuleiro, pior que o meu".

Sei que os hidrófobos do antipetismo e do antilulismo dirão que não houve um momento de transformação. Eles sempre teriam sido assim, interessados apenas em arrumar-se na vida.

Não concordo. Se fossem desde sempre "profiteurs", não teriam arriscado a vida, um no combate à ditadura, outro na luta sindical, sempre áspera e mais ainda em épocas autoritárias.

É verdade que Lula, mesmo antes de ser presidente, acomodou-se ao bem-bom ao aceitar morar de graça em casa de seu amigo, o advogado Roberto Teixeira.

Aí, sim, com alguma condescendência, poder-se-ia admitir que se tratava de um mimo de amigo que, talvez, não embutia a necessidade de retribuição futura.

Agora, não. Todo o mundo —e não só no Brasil– está cansado de saber que os negócios das empreiteiras com o poder público são turvos, para dizer o mínimo. Quase 100% dos escândalos que envolvem políticos mundo afora envolvem também empreiteiras de obras públicas.

No caso específico de Dirceu, tornar-se consultor de Carlos Slim, o bilionário mexicano, é desprezar o fato de que fazer fortuna no México (como em quase toda a América Latina) não é um esporte isento de irregularidades, para dizer o menos.

Não há, até agora, provas conclusivas contra Lula (ao contrário do caso de Dirceu, já condenado no mensalão e, agora, preso pelo petrolão). Mas essa é uma ressalva de caráter puramente jurídico.

Do ponto de vista do comportamento republicano, a promiscuidade comprovada com empreiteiras é um crime que ninguém deveria cometer, menos ainda um antigo herói popular. 

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Roberto Monteiro
Roberto Monteiro

E qual é o roubo do PT,

o roubo do Lula, o roubo do Dirceu...? O que eles roubaram, comprovadamente? Houve caixa 2 do partido, alguns membros (poucos) meteram a mão, Dirceu recebeu alguns agrados, como a reforma da casa e viagens de avião, mas agora tá quebrado. Contra Lula não há nada a não ser mil e uma invenções. E tu vens falar em roubo destes? É muita falta de seriedade a quem se arvora sério. Sério, sei...

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Comentário completamente

Comentário completamente equivocado.

Lula não fez nada de errado e isso foi provado com documentos de forma cabal.

O que se reclama é que enquanto as roubalheiras descaradas e multimilionárias de Cunha, Aécio, FHC e Alckmin são escondidas e ficam absolutamente impunes, a mídia e parte significativa da PF, do MP e do judiciários, movidos pela impunidade provocada pelo rabo preso da outra parte dessas instituições e seu consequente medo da imprensa, esses mesmos sem vergonhas que garantem a impunidade tucana inventam mentiras para atacar o Lula e Dilma com absurdos como essa insinuações ridículas sobre um apartamento que nem foi comprado e um bote para pescar lambaris fiscal.

Nada a ver dizer que se cobra mais do PT porque se esperava mais dele.

O que se faz contra o PT é inventar mentiras e acusações falsas. Trata-se do uso de instituições públicas para perseguição política e até mesmo de caráter pessoal. E isso é CRIME.

Ou seja, você está justificando crimes cometidos por pessoas que defendem bandidos usando desculpas esfarrapadas.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

ABAIXO A DITADURA

 

Cont...ao custo de recuperar

Cont...ao custo de recuperar 1 bi de reais a Lava Jato provocou rombo de mais de 200 bi somente em 2015, ainda há o prejuizo incalculável nos campos da geopolítico e da imagem do Brasil e dos brasileiros destroçada por esse bando de ensandecidos espetaculosos, deu no insuspeito G1, guardem este artigo antes que o mesmo seja removido a pedido da Guatánamo do Moro

Impactos da Lava Jato na economia
Perdas de R$ 142,6 bilhões (o equivalente a 2,5% do PIB)
Redução de 1,9 milhão de empregos diretos e indiretos
Queda de R$ 22,4 bilhões em salários
Diminuição de R$ 9,4 bilhões em arrecadação de impostos

http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/08/impacto-da-lava-jato-no-pib-pode-passar-de-r-140-bilhoes-diz-estudo.html  

Seu voto: Nenhum (3 votos)

 

...spin

 

 

Ja em 2004 Moro sabia como

Ja em 2004 Moro sabia como iria ser isso: na cabeça dele uma reedição da Mãos Limpas que, como sabemos, destroçou a economia e a política italianas e, no vácuo,  entronizou o "impoluto" Berlusconi, magnata das comunicações. E pensar que a Lava Jato é uma espécie de Mãos Limpas piorada que, além de poupar os aliados da mídia, já causou prejuizo de mais de 200 bi de reais, mesmo assim a mídia tenta nos fazer crer que tem sido uma beleza pq 1 bi de reais já foram recuperados, e uma coisa é certa: a Lava Jato não tem nada a ver com combate a corrupção, pois se assim fosse as forças que a apoiam não poupariam os tucanos e aliados da mídia e muito menos teriam feito das tripas coração para impedir o fim do financiamento privado de campanhas eleitorais

Como Moro em 2004 planejou a Mãos Limpas de Pindorama, o papel da midia etc

http://jornalggn.com.br/noticia/como-a-lava-jato-foi-pensada-como-uma-op...

Seu voto: Nenhum (3 votos)

 

...spin

 

 

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.