newsletter

Pular para o conteúdo principal

Os pontos de ônibus hi-tech na Avenida Paulista

Do Estadão

 
Paradas terão telas sensíveis ao toque, estrutura única e mais publicidade
 
Caio do Valle
 
A exemplo do que vem ocorrendo em outras vias da cidade, os abrigos de ônibus da Avenida Paulista começaram a ser trocados. O passageiro encontrará estruturas mais modernas, hi-tech, com iluminação noturna e até telas sensíveis ao toque, mas terá de conviver com diversos painéis publicitários. As duas primeiras paradas reformadas - uma na frente do Parque Trianon, outra diante do Hospital Santa Catarina - serão entregues antes do Natal, segundo a São Paulo Obras (SPObras).

Até o fim de fevereiro, todos os 14 pontos da avenida serão renovados, conforme a empresa da Prefeitura responsável por gerenciar o contrato com a concessionária Otima, que monta e mantém os abrigos, podendo explorá-los comercialmente. O modelo adotado na Paulista, porém, é diferente da maioria dos pontos da capital.

Batizado de "minimalista com ginga" tem, além de bancos, apoio para os braços. Nele, os usuários também poderão usar telas touchscreen - cuja função não foi revelada pela empresa. A tecnologia será instalada "nos próximos meses, após definição de alguns detalhes do serviço", informou a Otima.

A concessionária e a SPObras garantem que o teto de vidro das estruturas vai proteger os usuários do sol forte. Esse foi o principal alvo de queixas nos primeiros abrigos alterados, que começaram a ser instalados no primeiro semestre. Inicialmente, vinham com uma cobertura transparente, que permitia que a luz entrasse direto no ponto. Depois, o problema foi corrigido com uma camada fosca.

No croqui divulgado para o abrigo do Parque Trianon contam-se oito espaços dedicados para a publicidade. É que, como os pontos da Paulista geralmente têm mais do que uma cobertura, multiplicam-se as oportunidades de exploração comercial do espaço. Hoje, cada abrigo isolado tem direito a duas propagandas.

Até agora, 1.219 abrigos já foram trocados na cidade, de um total de 6,5 mil. A meta da concessionária é substituir todos até 2015. Antes do fim da concessão de 25 anos, a empresa também terá de instalar mais mil abrigos e 2,3 mil totens na capital.

Wi-Fi. Por dois meses, os usuários de alguns pontos de ônibus da zona sul terão internet sem fio gratuita à disposição. Por enquanto, estão em três abrigos novos. Um deles fica na Avenida Ibirapuera, na frente do Hospital do Servidor. Os outros estão na esquina das Avenidas Juscelino Kubitschek e Faria Lima e na Avenida Doutor Chucri Zaidan, na frente do número 860. Trata-se de uma campanha publicitária da Mozilla Firefox e da Vivo. 

 

Média: 5 (1 voto)
8 comentário(s)

Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Joni Be good
Joni Be good

Pto de onibus hi- tech

Eu sugiro que o teto do ponto de onibus, ou seja, a cobertura do ponto poderia ser feita de painéis solares que proporcionariam a energia para iluminação interna do ponto durante a noite, com lâmpadas led (já existentes).

Com a economia dessa energia poupada daria pra dar um desconto para a concessionária, viabilizando a construção desses painéis solares de energia fotovoltaica.

Essa idéia é usada em New Jersey NY USA, para ilumiinaçãoe de postes da rua.

Muito boa essa minha dica não é?

Aguardem mais sugestões de sustentabilidade de Joni be good.

Tchau galera!

Seu voto: Nenhum

O ponto é hi-tech...

... mas o serviço é aquela bosta de sempre; agora os otários no ponto serão informados, de que levarão quase meia hora, na espera do próximo ônibus que passará lotado.

Alguém deve estar faturando com essa perfumaria, sobre a coisa mal cheirosa que é o serviço privado de transporte público; a medida gera um factóide, para o prefeitinho de merda aparecer e dizer que "está melhorando" o sistema de transporte; mas cadê a coragem para tomar a medida básica, que realmete convém ao melhoramentos do transporte público, sua estatização?

 

Seu voto: Nenhum

Almeida

Lugar de conforto

Ponto de ônibus é pra ser lugar de conforto. Isto se traduz em:

+ Proteção contra o sol e a chuva.

+ Informação segura sobre linhas, trajetos, tempo de viagem, assentos livres nos ônibus, próximo ônibus.

+ Botões num painel (e/ou um aplicativo para dispositivos móveis) em que os passageiros possam marcar que estão esperando ali o ônibus número tal. O motorista desse ônibus tal recebe, em seu painel, um sinal de que há passageiros para subir naquele ponto. E pára lá. Os passageiros não precisarão mais ficar dando pescoçadas para avistar seu ônibus... Poderão esperar tranquilamente pela chegada dele. E terão informações sobre a disponibilidade de assentos. Talvez até prefiram aguardar o próximo.

+ Publicidade pra quê? Que mentalidade mais tacanha. Garanto que o passageiro aceita pagar mais 10 centavos para ter serviços assim...

Seu voto: Nenhum

José Américo de Lacerda Júnior

imagem de Lucas Feijó
Lucas Feijó

Quem pega ônibus diariamente

Quem pega ônibus diariamente acaba tendo a ideia de que deveria ter uma forma mais inteligente de chamar o ônibus, mas sejamos sensatos, essa forma super tecnologicamente integrada é utopia, nunca vai acontecer. É muito mais simples fazer o ônibus parar sempre que tiver um passageiro no ponto, como acontece em países onde o transporte coletivo é decente. SIM, isso os deixa mais lentos, mas o ônibus deveria servir como o transporte alimentador de uma linha de metrô ou trem, e não como linha troncal.

Outra coisa: se tu achas que aumentar 10 centavos pra ter um serviço básico é aceitável, tu devia rever o que aconteceu mais cedo esse ano. Sim, eles estavam aumentando 20 pra não ter serviço adicional algum, mas o problema é justamente que um aumento de preço num serviço público tão básico e que afeta tanta gente pobre não é simplesmente: vamos subir 10 centavos e colocar um sistema de chamar o ônibus sem levantar a mão.

Seu voto: Nenhum

Ja emendando, se é prá

Ja emendando, se é prá fiscalizar  que tal dar uma olhadinha nas calçadas? Crateras,vales, até fossas, 

sem contar que virou moda colocar messas fixas nas mesmas, principalmente nesses botequinhos   de

gente vistosa, obrigando " a galera a passar pela rua. Moblidade tambem é ter calçada.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de autonomo
autonomo

O Brasil é o berço do

O Brasil é o berço do surrealismo.

O vão livre do MASP, obra prima da Lina Bardi, cartão postal da cidade.  foi tomado por bandidos, traficantes, viciados em crack.

Devido a isso, foram canceladas ate as visitas programadas de escolas ao museu.

A diretoria da instituição pede aos orgãos publicos autorização para cercar a area.

Pobre da minha amiga Lina Bardi.

Deve estar chorando no seu tumulo.

Enquanto isso, outros planejam pontos de onibus hi-tech,na avenida Paulista.

Não seria melhor começar , ao menos, pelos onibus?

Espero que os pontos de onibus sejam tão "ri-techs"  a ponto de suportar as proximas "manifestações" dos back blocs.

Não acredito que esses pontos de onibus durem mais que 20 minutos.

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Rodrigo C Moreira
Rodrigo C Moreira

Maneiro. Bem maneiro. Mas o

Maneiro. Bem maneiro.

Mas o que importa mesmo é o tempo para a chegada dos ônibus. Tem isso?

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Bonito! Sem aliviar. Enquanto

Bonito! Sem aliviar.

Enquanto isso ( principalmente na periferia) uma legião de usuários completamente perdidos

com  mudanças de itinerários e linhas, muitas desapareceram sem aviso prévio ou consulta

obrigando o cidadão a malabarismos extras.Tudo muito confuso beirando ao desrespeito, se

liga Haddad isso naõ é um detalhe.

Seu voto: Nenhum
imagem de Flavio Martinho
Flavio Martinho

Bobagem. Logo, logo os black

Bobagem. Logo, logo os black não sei o quê e os pixadores farão o que sempre fazem.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.