Revista GGN

Assine

Policiais invadem audiência pública sobre Educação em Direitos Humanos

Foto Diário do Centro do Mundo-DCM

Jornal GGN – No dia 11 de agosto, o Conselho Estadual da Condição Humana realizou uma Audiência Pública na Universidade Federal de São Paulo, Campus Baixada Santista, para discutir o texto do Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos de São Paulo. Antes do início da audiência, o campus ficou coalhado de policiais, que chegaram armados para uma audiência em que seria abordada a educação em direitos humanos.

A comunidade acadêmica ficou estarrecida. Bradando por “direitos humanos aos humanos direitos”, “mudar nomenclatura Ditadura Militar de 1964 para Revolução de 1964” ou ainda “retirar a discussão de gênero nas escolas”, cerca de cem elementos se colocaram na discussão.

A cada proposta ou protesto de estudantes e professores quanto ao tema, os policiais retrucavam com seu conhecido linguajar e atuação. Leia a nota de repúdio da Unfesp sobre o ocorrido.

da Adunifesp

NOTA DE REPÚDIO DIANTE DO OCORRIDO NO CAMPUS BAIXADA SANTISTA

Manifestamos nosso mais profundo repúdio ao que ocorreu na Universidade Federal de São Paulo, Campus Baixada Santista, na noite de 11 de agosto de 2017, durante a Audiência Pública convocada pelo Conselho Estadual da Condição Humana para discutir o texto do Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos de São Paulo.

Desde às 18h o campus foi ocupado por policiais, muitos fardados e inicialmente armados (foi exigido que guardassem as armas). A calçada do portão principal ficou abarrotada de viaturas da Polícia Militar. A comunidade acadêmica que ali se encontrava para as atividades diárias tinha pouca informação a respeito e ficou estarrecida quando soube que se tratava de uma audiência em que seriam definidos os rumos da educação em direitos humanos e, mais ainda, quando compreendeu que os policiais militares (que a esta altura chegavam a quase cem) defendiam a proposta de eliminar conteúdos fundamentais à educação pública. Estes bradavam por “direitos humanos aos humanos direitos”, “mudar a nomenclatura Ditadura Militar de 1964 para Revolução de 1964”, “retirar a discussão de gênero nas escolas”, etc.

Professores, técnicos e estudantes que estavam no campus, após tomarem conhecimento do que ocorria, decidiram participar da audiência e foram hostilizados pela tropa, que tentou impedir que votassem, sob o argumento de que não estavam lá desde o início. Houve até gritos de “vagabundos”. Se fazem isso contra quem estava no próprio espaço de trabalho e estudo (muitos descendo da sala de aula), o que não farão com pessoas mais vulneráveis em um país com cerca de treze milhões de desempregados?

Estudantes e professores que se manifestaram pacificamente com cartazes em defesa da Escola Pública e dos Diretos Humanos também foram hostilizados. Ouviram-se frase macabras, como “Depois morre e não sabe o porquê!” ou “Quando precisarem da polícia, chamem o Batman”. Além disso, um grupo de militares e seus apoiadores começou a fazer cartazes com “Bolsonaro 2018”, “Liberdade sem libertinagem”, “Pode confiar #”. Situação preocupante em que os que defendem a “escola sem partido” partidarizam sua atuação portando as vestes e as insígnias de uma corporação militar. Ainda mais lamentável: a alta patente fardada nada fez para controlar seus subordinados que, aliás, quase agrediram fisicamente algumas docentes e estudantes.

Feita a leitura do texto-base do Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos de São Paulo, começou a “votação”. O que se viu foi um verdadeiro espetáculo de horror. Depois de perderem uma proposta, militares agrediram verbalmente professores e estudantes, chamando-os – mais uma vez – de “vagabundos”. Nas votações subsequentes, intimidaram-nos fazendo pessoalmente a contagem dos votos e filmando, fotografando e olhando de modo ameaçador cada um que votava contra a posição deles. Ao longo da noite, a comunidade acadêmica correu sérios riscos.

Foi aprovada a supressão de qualquer referência a direitos humanos no plano estadual; foi eliminado o item que obrigava o Estado a garantir a permanência e combater a evasão escolar das minorias; foi suprimida a obrigação de formar agentes de segurança pública com base nos princípios dos direitos humanos.

Apesar do temor, a comunidade acadêmica resistiu pacificamente. Externamos nossa forte preocupação com quem pretende, na base do grito, se sobrepor à produção de conhecimentos, à liberdade de pesquisa, à democracia e à autonomia universitária.

A Adunifesp-SSind entende que este ato abusivo e autoritário se insere num movimento maior de ataques à democracia e aos direitos humanos em curso em nosso país. Também o fato de que ele tenha ocorrido dentro da Unifesp escancara o processo de demonização e ataque às Universidades Públicas que é impetrado hoje em dia por setores reacionários da sociedade.

Por fim, repudiamos veementemente o modo como ocorreu a votação e solicitamos que o Conselho Estadual da Condição Humana desconsidere o resultado desta “consulta”.

Queremos esclarecimentos sobre a utilização do espaço da Universidade Federal de São Paulo para episódios desta natureza. Manifestamos nossa preocupação com a integridade física dos professores, técnicos e estudantes que ali defendiam o ensino público e de qualidade, a escola sem mordaça, a permanência dos direitos humanos como princípio norteador da educação. Exigimos que as chamadas autoridades competentes manifestem posição urgente e clara sobre o ocorrido, especialmente no tocante às relações entre disciplina da tropa e Estado de direito.

ADUNIFESP – SSind

 

Média: 4.6 (9 votos)
34 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Nabucodonosor
Nabucodonosor

A audiência só é "pública" se

A audiência só é "pública" se você defender as teses da esquerda. Como os caras que penduraram a enorme faixa "FORA TEMER" no auditório.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Homicídios em RJ e em PE: Empate.

A notícia não traz o que foi execução por policiais ou não. Empate com o estado do Rio de Janeiro: No primeiro semestre de 2017, Pernambuco contabilizou 2.876 . PE: Aumento de 40% no semestre em relação ao semestre de 2016. Há notícias de que Pernambuco superou o Rio. JORNAL DA TV BAND há pouco.Google: " número de homicidios no rio de janeiro e em pernambuco "

 

Seu voto: Nenhum
imagem de Eduardo Bessa
Eduardo Bessa

Segundo Bezerra, é a estória do Bicho Feroz...

Saudoso Bezerra !!

Seu voto: Nenhum

Qual a razão da histeria? A

Qual a razão da histeria?

A Audiência não era PUBLICA?

Da proxima vez façam uma audiência PRIVADA e ai sim haverá invasão, se era pública não houve INVASÃO NENHUMA.

Que ridiculo...

Seu voto: Nenhum (1 voto)

leonidas

Simples. O motivo da histeria

Simples. O motivo da histeria é que a polícia quer continuar podendo achacar e impor poder e terror à população vulnerável sem ser punida por isso. Quer continuar sendo justiceira impunemente. A referência ao justiceiro ilegal "Batman" não é à toa.

Mas mesmo entendido o motivo da histeria, é feio de ver marmanjo armado tendo estremilique e fricoteiramente gritando numa assembléia democrática e civilizada, ainda mais sobre um marco civilizatório tão importante quanto o dos direitos humanos.

Não creio que a corporação toda seja assim histérica, só os imaturos, nenezões armados.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Legalmente ninguém pode entrar numa assembléia......

Legalmente ninguém pode entrar numa assembléia armado, só se eles tivessem ido para a repressão de algum crime, que não era o caso, logo eles estavam completamente errados.

Por outro lado, para militares e polícias militares é proibida a manifestação em público, principalmente fardados.

Logo pelo lado legal estavam completamente errados.

E digo mais, se tivesse alguma pessoa com experiência de agitação de esquerda tinha aproveitado o máximo a situação, levando os soldados e oficiais a uma discussão pública altamente proveitosa.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Não me consta que eles tenham

Não me consta que eles tenham se recusados ao desarme, ou se entraram armados e não há menção a resistencia erro tambem de quem organizou o evento.

Sobre manifestação em publico, tenho minhas dúvidas pois a audiência era publica mas em espaço fechado e não havia nenhuma demanda irregular a função deles, era apenas até onde posso ver uma participação no ambito coletivo sobre politicas que envolvem as  duas partes...

Seu voto: Nenhum (1 voto)

leonidas

Além de direitista não consegue interpretar um texto.

O que falei que a manifestação dos policiais militares está contra a lei.

LEI COMPLEMENTAR Nº 893, DE 09 DE MARÇO DE 2001.Estado de São Paulo

Institui o Regulamento Disciplinar da Polícia Militar. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte lei complementar:

......

......

SEÇÃO II Da Transgressão Disciplinar 

Artigo 12 - Transgressão disciplinar é a infração administrativa caracterizada pela violação dos deveres policiais-militares, cominando ao infrator as sanções previstas neste Regulamento.

§ 1º - As transgressões disciplinares compreendem:

.................

124 - comparecer, uniformizado, a manifestações ou reuniões de caráter políticopartidário, salvo por motivo de serviço (M);

................

126 - autorizar, promover ou participar de petições ou manifestações de caráter reivindicatório, de cunho político-partidário, religioso, de crítica ou de apoio a ato de superior, para tratar de assuntos de natureza policial-militar, ressalvados os de natureza técnica ou científica havidos em razão do exercício da função policial (M);

127 - aceitar qualquer manifestação coletiva de subordinados, com exceção das demonstrações de boa e sã camaradagem e com prévio conhecimento do homenageado (L);

Seu voto: Nenhum

Ainda acho questionavel

Ainda acho questionavel (exceto o item sobre portar armas ) a aplicação do RD em cima desse fato.

Pois a assémbleia discutia direitos humanos que é sim algo relativo  e importante de ser discutidos entre as partes que trabalham diretamente no assunto.

Sobre o fato de estarem armados, reitero havendo local adequado para o desarme não há problema.

Agora se não havia local para o desarme, então ai sim temos um problema ...

Seu voto: Nenhum

leonidas

Não vejo nenhum inconveniente da manifestação pública de PMs!

Por mais que não desejemos a Polícia Militar é uma corporação que foi estruturada para a repressão popular, mas apesar disto, mesmo em períodos de democracia mais forte, poucos se manifestaram sobre isto e o pior jamais se procurou ouvir quem está atrás da farda.

Se os policiais tivessem ido sem farda, com roupas civis seria isto sim o mais grave de tudo, pois se caracterizaria uma infiltração em algo que poderia ser considerado uma organização puramente civil.

A pergunta que deveria ser feita é por que esta assembleia não se organizou como tal e não teve uma condução adequada. Com uma organização adequado poderia ser cobrado uma organização sem gritos e sem intimidações, porém para fazer isto é necessário liderança efetiva e não mera gritaria de uma parte contra a outra.

Os verdadeiros fascistas são aqueles que utilizam as polícias militares para os seus fins de repressão popular.

Seu voto: Nenhum

Devagar com o andor!

Parece-me que estas audiências públicas da forma que são organizadas são mais audiências homologatórias do que qualquer coisa, o que deveria ter sido feito é aproveitado à presença dos policiais militares e feito uma chamada ao debate organizado. Simplesmente esta audiência pública de algo simplesmente homologatório transformar num debate de ideias, chamando de forma organizada pessoas para defenderem com tempo limitado o favor e o contra e depois uma proposta de voto.

O mais fácil é se esconder covardemente com a desculpa que se sentiram intimidados.

Contra intimidação se utiliza a lógica e a disciplina do debate, e deveriam os organizadores ter forçados os policiais militares manterem a disciplina, porém lhes dando direito a palavra de forma organizada.

Esta esquerda frouxa tem muito que apreender.

Seu voto: Nenhum
imagem de Felipe Queiroz
Felipe Queiroz

Concordo com o senhor em

Concordo com o senhor em muitas partes, mas eu não sou besta para tirar onda de herói. A comunidade acadêmica, inclusive professoras pós doutoras idosas e franzinas foram literal e explicitamente ameaçadas. E só não houve agressão porque um contingente relativamente grande de servidores e estudantes desceram das salas de aulas e setores (e que fique registrado, foram chamados de vagabundos).

Meu pai dizia que bala fura qualquer faixa preta. Parece que você tem algum segredo contra elas para enfrentarmais de 100 policiais, inclusive algum de patente de capitão pra cima...

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Meu caro, o problema foi de condução da assembléia!

Meu caro, o problema foi de condução da assembléia! Como diria a falecido Brizola, "bom orador de comício, da aparte até para bêbado".

A esquerda não tem o mínimo jogo de cintura, ou estabeleciam um debate organizado ou cancelavam a audiência, porém os militantes dos PSOIS da vida estão acostumados a simplesmente eles critarem e quando gritam mais alto do que eles há uma intimidação.

Eu já apartei briga de faca somente no grito, ou seja, tem que ter experiência e postura correta, principalemente com policiais.

Eu poderia fazer alguns comentários sobre a falta de capacidade de parte da esquerda em manejar multidões, mas a maioria poderia ser considerada politicamente incorreta.

Seu voto: Nenhum
imagem de Marcia Eloy
Marcia Eloy

Policiais

O fascismo está em várias partes da sociedade, polícia, judiciário, poder legislativo e executivo.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Acho que o fascismo no judiciário e legislativo é muito ....

Acho que o fascismo no judiciário e legislativo é muito mais pernicioso do que nas PMs, são meros comandados e mandados da casa grande.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Elizabeth Pretel
Elizabeth Pretel

Secretário de segurança

Secretário de segurança pública se manifestou contra essa truculência??? Com certeza não, pois o pig não divulgou, então, mais arbitrariedades cometidas. A única maneira de mostrar, pelo menos indignação, com atitudes como essa, são as divulgações dos blogs. Infelizmente, isso é o que acontece por todo o país..

Seu voto: Nenhum (1 voto)

FASCISMO! Pronto! Alguma duvida? Quem puder comece sair do BR

Precisa de mais alguma prova?

Degeneramos! Que isso! grupos de policiais indo em votação pública sobre plano estadual de educação contra direitos humanos! Falta O Mussolini da vez! Ah não falta! Já estavam levantando o cartaz...

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Denilson J. da Silva
[email protected]
Agente de Pesquisa e Mapeamento IBGE
 

Meu caro, se era uma audiência pública era PÚBLICA.

Há fatos que incomodam, mas não saber lidar com os mesmo é ainda pior. Eu prefiro um ato que os PMs se manifestam com a palavra do que com um cassetete.

Seu voto: Nenhum

Você está negando a realidade?

Você pode segui-los da próxima vez e ver o que foram afzer depois da reunião pública... Quem sabe pode pega-los em flagrante fazendo na prática o que defenderam na manifestação de opinião...

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Denilson J. da Silva
[email protected]
Agente de Pesquisa e Mapeamento IBGE
 

Meu caro, simplesmente chamar policiais de fascistas ....

Meu caro, simplesmente chamar policiais de fascistas não é solução para nada, o que se tem que se discutir é o papel e a existência de uma polícia como a atual, e talvez a melhor forma de fazer isto é no embate direto com estes representantes.

E mais uma observação, gritos histéricos em reuniões públicas não é um privilégio das forças de direita.

Seu voto: Nenhum

Nobre colega! Não estou chamando: ELES ESTÃO SENDO! Acorda!

Você precisa revisar seus conceitos! O professor Fornazieri acabou de escrever um texto neste blog sobre isso!

As pessoas estão querendo dialogar com facistas? Invadir reunião pública com arma na cintura, em massa, manifestando opinião de ódio, assustando portadores de opinião contrária para você é democracia? Quando os Nazistas invadiram Paris vc  correu para conversar com eles e oferecer vinho chamandoos de amigos? Cada uma... Senhor, pessoas neste país foram para as ruas çpelo recismo, a favor da fome e tem gente dormindo ainda!

Policial armado oprimindo professores e alunos em seu local d etrabalho e estudo agora é democracia!

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Denilson J. da Silva
[email protected]
Agente de Pesquisa e Mapeamento IBGE
 

Nobre colega! Não estou chamando: ELES ESTÃO SENDO! Acorda!

Você precisa revisar seus conceitos! O professor Fornazieri acabou de escrever um texto neste blog sobre isso!

As pessoas estão querendo dialogar com facistas? Invadir reunião pública com arma na cintura, em massa, manifestando opinião de ódio, assustando portadores de opinião contrária para você é democracia? Quando os Nazistas invadiram Paris vc  correu para conversar com eles e oferecer vinho chamandoos de amigos? Cada uma... Senhor, pessoas neste país foram para as ruas çpelo recismo, a favor da fome e tem gente dormindo ainda!

Policial armado oprimindo professores e alunos em seu local d etrabalho e estudo agora é democracia!

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Denilson J. da Silva
[email protected]
Agente de Pesquisa e Mapeamento IBGE
 

Se queres ler algo coerente sobre fascismo leia o artigo.....

Se queres ler algo coerente sobre fascismo leia o artigo  de ROBERTO BITENCOURT DA SILVA "Observações sobre fascismo e entreguismo no Brasil" aqui mesmo no GGN, e lá verás qualq a diferença entre  Fascismo Social e a Ideologia Fascista.

Seu voto: Nenhum

Vou ler depois de contabilizar outras coisas:

1) A Ação da grande mídia com a Globo a frente de fazer discursos de ódio e incitar a população contra governo legimtimo eleito, politicas sociais de sucesso

2) A Criminalização de pessoas, o julgamento sumário e transformaçaõ em inimigo público porque contrariram interesses graudos (José Dirceu foi o primeiro até chegar no golpe)

3) A Bomba lançado no instituto Lula

4) A Condenação sem provas do Lula

5) A Proteção Midiática de um  crapúla que comprou por 4 bilhões em emendas, sua permanência no cargo

6) 100 policiais muitos com armas invandido audiência pública para votação de plano educacional, para defender o fim dos direitos humanos na educação...

 

 

Amigo! O Brasil morreu... Agora é Brascista! Nossa nação fascista! Entendeu?

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Denilson J. da Silva
[email protected]
Agente de Pesquisa e Mapeamento IBGE
 

Meu caro em 1966 corri de uma carga de Policiais com .....

Meu caro em 1966 corri de uma carga de Policiais com fuzis e baionetas caladas e cavalaria com SABRE DESEMBAINHADO. Aí sim que é ruim, não tem macho neste momento, todo mundo fica de perna frouxa antes de correr como um louco (quando não se borra todo).

Voces estão muito mal acostumados, o Brasil nunca foi para iniciantes, vai raciocinando melhor e lembrando do passado para ver que em relação a outras épocas ainda (até este momento...) está um mar de rosas, quando não se pensa que vai piorar aí é que piora mesmo. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Rogerio D Maestri
Rogerio D Maestri

Meu caro, se leres alguns documentos do professor Fornazieri....

Meu caro, se leres alguns documentos do professor Fornazieri verás que há uma diferença do que é chamda comportamento fascista com ser fascista!

Exemplo, Dória é alguém que claramente é um fascista, pois segue a ideoplogia como tal, já popliciais militares no Brasil e na maior parte do mundo tem comportamentos truculentos de repressão a população mais pobre que se chama inadivertidamente de fascistas.

Se olghares nos textos em que há discussão sobre este assunto verás claramente que não concordo com esta falta política, pois simplesmente coloca automaticamente uma parte da população junto a FASCISTAS CLÀSSICOS.

Realmente há uma grande confusão sobre isto, tanto que uma das musas deste assunto escreveu um livro "Como Conversar Com Um Fascista" que é uma destas joias da confusão política, onde não haveria diferenciação entre um policial repressor num país socialista e num país capitalista.

O que se tem  que questionar não é as atitudes dos mesmos, é a existência deles não como pessoas mas sim como corporação.

Seu voto: Nenhum

Meu querido, é isso mesmo:Só reclame quando tiver câmara de gás?

Ah sim! Você pegou um extremo e só por isso temos que fica calado até chegar nele de novo? Vamos ter que esperar estado de sítio ainda, ou quem sabe um Joãop Doria espalhando uma cidade linda pelo Brasil, (derrubando quarteirões ao invés de um prédio "só") ou pior, um Bolsonaro vomitando ódio em rede nacional e agariando apoio e estimulando sociopatas como ele a se mostrarem por completo!

Ah claro! Os Fascistas que trabalham como policiais não mataram ninguém no debate público! Só ameaçaram com arma na cintura! Mantiveram a operação padrão e se mataram petros e pobres no horário de trabalho, como de costume. Tenho que esperar voltar a ficar como em 73! Claro! Só aí é que se deve reclamar!

Se você viveu o pior foi porque antes muitos pensaram como você e deixaram acontecer, como você faz agora! Passar bem! Não respondo mais...

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Denilson J. da Silva
[email protected]
Agente de Pesquisa e Mapeamento IBGE
 

Quem disse que devemos ficar calados?

A brutalidade policial é CRIME e como crime deve ser tratado como tal.

Seu voto: Nenhum
imagem de Jurgen2010
Jurgen2010

É apenas a ditadura se impondo.

Exigir não chamar 1964 de ditadura e sim de revolução, é a prova escarrada que os mandantes são os mesmos. Inclusive os que financiaram do norte e deram apoio logístico e de armas.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

todas as faces do fascismos são detestáveis...

mas esta da PM, na realidade inalterável, se apresenta estimulada por uma governança local vergonhosa. por incentivadora, e que pretende se espalhar Brasil afora caso conquiste a Presidência.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de GalileoGalilei
GalileoGalilei

Gleisi igualada aos nazistas de Charlottesville

O delinquente intelectual, porta-voz de ministro do STF, consegue ser mais grotesco do que Trump ao condenar "ambos os lados" nos eventos de Charlottesville.

Em um triplo carpado no raciocínio lógico, encontrou um jeito para ao citar o episódio racista, atacar Gleisi Hoffman.

Se o indigitado não percebeu, ao contrário do que afirma, ele tem sido um dos maiores responsáveis pelo clima de ódio aqui reinante.

O nome dele, não cito. Não merece. É aquele que na falta de argumentos parte sempre para o ataque pessoal e que por isso já foi chamado de rottveiller pela ombudsman da Folha.

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de WG
WG

O Brasil de hoje está cada

O Brasil de hoje está cada vez mais parecido com a Alemanha à época em que os nazistas preparavam a tomada do poder. Se não houver mobilização de pelo menos parte da sociedade que represente os valores de nossa frágil civilização, o risco de o país mergulhar na barbárie do fascismo torna-se real. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

ERRADA A COMPARAÇÃO.

Na Alemanha nazista eram as SA que faziam o papel e não a polícia, ou seja, mais perigoso do que uma polícia truculenta de assassina são paramilitares assassinos.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de baader
baader

esses delinquentes fardados

esses delinquentes fardados já se tornaram um ESTAMENTO, como o judiciário. o fascismo precisa deles todos. 

No Wikipedia: "Constitui uma forma de estratificação social com camadas mais fechadas do que as classes sociais, e mais abertas do que as castas, ou seja, possui maior mobilidade social que no sistema de castas, e menor mobilidade social do que no sistema de classes sociais. É um tipo de estratificação ainda presente em algumas sociedades. Nessas sociedades, do presente ou do passado, o indivíduo desde o nascimento está obrigado a seguir um estilo de vida predeterminado, reconhecidas por lei e geralmente ligadas ao conceito de honra, embora exista alguma mobilidade social. O rei Luís XVIII de França foi o primeiro a introduzir este tipo de estratificação social na França.

Historicamente, os estamentos caracterizaram a sociedade feudal durante a Idade Média.

Na obra de Max Weber, o conceito de estamento é ampliado. Passa a significar não propriamente um corpo homogêneo estratificado, mas sim uma certa teia de relacionamentos que constitui um determinado poder e influi em determinado campo de atividade."

Seu voto: Nenhum

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.