newsletter

Assinar

VEP, a mão pesada de Barbosa, em ato contra Delúbio

Jornal GGN - Na véspera do feriado que paralisa o Brasil, horas depois da absolvição dos réus do crime de quadrilha – o fracasso declarado para Joaquim Barbosa, o seu braço direito na Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, juiz Bruno André Silva Ribeiro, prepara mais uma manobra: suspende o direito de Delúbio Soares trabalhar, no seu então regime semiaberto.

Delúbio estava trabalhando na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT), em Brasília. A suspensão ficará até o dia 18, data da audiência de Delúbio para prestar depoimento. Bruno Ribeiro tomou essa decisão por considerar que Delúbio Soares estava recebendo tratamento diferenciado na Papuda, com alimentação, visitas especiais e estacionamento privativo.

O juiz tomou como base o Ministério Público, que levantou que os condenados da Ação Penal 470 recebem regalias na prisão. Bruno abriu processo disciplinar para apurar os fatos, mas suspendeu a atividade externa de Delúbio antes de um resultado da investigação.

"Considerando que as irregularidades noticiadas e constatadas colocam em risco a higidez do sistema e a própria credibilidade das instituições, acolho a manifestação do Ministério Público do DF e determino a suspensão cautelar imediata dos benefícios externos deferidos por esta própria VEP ao interno Delúbio Soares”, foi o despacho.

O fato é um desfecho de uma sequência que apresenta o alinhamento de Bruno André Silva Ribeiro a Joaquim Barbosa – e não necessariamente ao STF, ambos motivados em não apenas condenar os réus, como mantê-los em rígidas regras.

Vamos a eles:

1. Joaquim Barbosa, no tumultuado debate com Luís Roberto Barroso, na votação para os embargos infringentes quanto ao crime de quadrilha, quarta-feira agora (26), disse nominalmente que tinha a intenção de aumentar as penas dos condenados da AP 470 de modo que não prescrevessem. Segue trecho:

“[Barroso] E nem estou explorando presidente, porque não tenho interesse de polemizar e aqui resolver que essa exacerbação tenha sido feita para evitar a prescrição ou para mudar o regime de semiaberto para fechado, eu não preciso especular isso... [Joaquim Barbosa] Foi feito para isso mesmo.”

2. Como apresentado no argumento de Barroso, e também no de outros ministros, o crime por formação de quadrilha iria estender ainda mais o tempo de prisão.

3. Em regime semiaberto, o trabalho durante o período diurno é um direito dos condenados. Mas, como se sabe, exercer atividade externa reduz o tempo de pena – a cada 3 dias trabalhados, 1 a menos de cadeia.

4. A Revisão Criminal foi levantada pela imprensa hoje e, inclusive, pelo próprio ministro Gilmar Mendes, em seu discurso ontem. Entretanto, a Revisão Criminal está sujeita a, entre outros critérios, o de após a sentença, existir novas provas da inocência do condenado – o que não é o caso. Corrigindo: existem, sim, novos fatos e provas que podem questionar a AP 470 – o Inquérito 2474, propositalmente mantido em segredo de Justiça por Joaquim Barbosa.

5. As férias de Barbosa foram turbulentas. Ele sabia que a guerra continuaria com Ricardo Lewandowski assumindo a presidência temporariamente. Como divulgamos no Jornal GGN, o ministro Lewandowski abriu o Inquérito 2474 a oito réus, sendo um deles Henrique Pizzolato. Para que problemas maiores não saíssem do controle, Joaquim Barbosa deixou guardiões no Brasil – Bruno Ribeiro, juiz da VEP por ele indicado, e seus dois auxiliares, Ângelo Pinheiro Fernandes de Oliveira e Mário José de Assis Pegado.

6. Foi o trio que, em novembro do ano passado, solicitou, em despacho, isonomia aos condenados da Ação Penal 470.

7. Enquanto estava de férias, Lewandowski também acatou pedido de defesa para que José Dirceu trabalhasse. Entretanto, o auxiliar de Bruno na VEP, Mario José de Assis Pegado, foi o responsável por criar motivos judiciais para que a medida de Lewandowski fosse revogada – mesmo de posse da declaração unânime dos funcionários do presídio de que não era possível comprovar que Dirceu usou o celular, o juiz da VEP não finalizou o processo de investigação e, mais, adiou e solicitou que entrevistas com a direção fossem novamente refeitas, além de suspender a análise de direitos a Dirceu, gerando tempo para Barbosa voltar da Europa. Quando voltou, Joaquim Barbosa tinha em mãos todo aparato judicial para revogar e impedir que Dirceu trabalhasse.

8. Outra manobra de Bruno Ribeiro: Ontem, ele pediu para sair da Vara de Execuções Penais por considerar que a direção do presídio da Papuda tem interferência política, dando regalias aos petistas presos. Seu fiel escudeiro, Ângelo Pinheiro Fernandes de Oliveira, também pediu a transferência, que deve ocorrer até abril.

Barbosa ainda não saiu do cargo e enfrenta hoje um desafio: com a derrota no plenário do crime de quadrilha, ele também perderá seus guardiões da Vara de Execução Penais. Ou Barbosa se mantém no STF até o último dia, para não entregar a Lewandowski a possibilidade de quebrar com o seu “trabalho primoroso, levado a cabo por esta corte no segundo semestre de 2012”, ou sairá nos próximos dias para apostar nas eleições.

Média: 4.3 (12 votos)

Recomendamos para você

44 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

VISANET - Cia. Brasileira de Pagamentos

Quando é que algum jornalista vai entrevistar os diretores da Visanet e perguntar-lhes o que acham de terem sido "roubados" pela "diretoria" do BB ?

 

Seu voto: Nenhum
imagem de moisco
moisco

Decisões do STF

Repondendo a: Álvaro Tadeu e Nelson Quintanilha

Entrei nesse blog e deixei meu comentário, sei que o Nassif é da linha progressista tudo mais, eu particularmente tenho mais admiração por ele do que rejeição (mesmo discordando em muitos pontos).

O acompanho desde seus comentários de economia na TV Gazeta de SP e também da TV Cultura.

As poucas vezes que deixei meus comentários (sempre mais elogios do que críticas), sempre foram publicadas e isto (pra mim) mostra o lado plural e democrático como o articulista Nassif trata a todos que seguem e leem suas matérias (ou de outros articulistas) mesmo discordando dele em muitas questões.

Diferentemente de outros sites (Conversa Afiada), que senha para se deixar comentários é ser militante petista, acredito que aqui ainda não chegou nesse ponto.

Seria ingenuidade da minha parte não saber que aqui a maioria dos comentários são pro-governo.

Apontei no meu comentário pontos que a matéria não mostrou, como prova a matéria deste link:  http://oglobo.globo.com/pais/vice-diretor-de-presidio-demitido-apos-mandar-delubio-tirar-barba-11683243

Gostaria que o Sr. Álvaro me mostrasse desde quando o Centro de Progressão Penitenciária (CPP), permite aos presidiários que cumpre prisão em regime semi-aberto o uso de barba? (se me provar classifico meu comentário como trollagem).

Em relação ao Jose Dirceu : trecho da matéria do portal IG.com.br Secretário do governo da Bahia, James Correia diz ter conversado por celular com o petista José Dirceu, preso desde 15 de novembro no Complexo da Papuda, em Brasília”. Link da matéria: http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2014-01-17/amigo-diz-ter-conversado-por-celular-com-jose-dirceu-em-presidio.html

Quando o Sr. Álvaro argumentou a respeito de José Dirceu na questão do celular ... o Sr. Álvaro já ouviu falar em clonagem de celular?,  (não sei se classifico como: ingenuidade ou hipocrisia).

Enfim agradeço aos moderadores deste site, mesmo com toda turbulência nos comentários de viés políticos... tem se mostrado verdadeiros defensores do direito de liberdade de expressão.

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Ricardo JC
Ricardo JC

Quer dizer que a prova

Quer dizer que a prova factual para o caso de José Dirceu ter falado ao telefone celular é uma matéria do ig? Vai mal a capacidade dos brasileiros em se indignar com a realidade. 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Orlando Soares Varêda
Orlando Soares Varêda

  O ministro Idi Amin Dada,

 

O ministro Idi Amin Dada, digo, Joaquim Torquemada Baboso, após ter confessado em pleno Tribunal, ter manipulado números incrementando a dosimetria das penas no intuito de evitar uma possível prescrição do crime de quadrilha, o que veio acontecer agora no exame dos infringentes. Por si só, esta trapaça não seria motivo suficiente para despachar essa criatura para internação cumpulsória, afim de tratar seus graves distúrbios psicológicos e mentais.

Como se mantem homens doentes, atuando destrambelhadamente no STF, como é o caso dos pacientes, o comerciante gilmar mendes e do promotor J. Torquemada Baboso? Onde diabo estão os Senadores que não enxergam um descalabro desse tamanho. Vixi maria. Creioemdeuspadre! Jesuss....

 

Orlando

 

Seu voto: Nenhum

Perseguição Política

Nestes últimos tempos assistimos de camarote, sob os holofotes da mídia, cenas explícitas e despudoradas de perseguição política. Os desmandos, falcatruas e crimes, merecedores da moralizadora fúria forense, foram todos perpetrados por um único lado do espectro político.

De nada adiantou os privilégios, muitas vezes utilizado de forma incorreta, dado aos Representantes do Povo, para assegurar-lhes a liberdade de bem defender seus eleitores. Foram todos atropelados, com ares de correção falseada, pelo partidarismo exacerbado dos membros do judiciário e da mídia. Lamentável para nossa nascente Democracia que não dispõe ainda dos meios efetivos para garantir sua sobrevivência.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Maria Rita
Maria Rita

As  contradições marcam a

As  contradições marcam a trajetória de Joaquim Barbosa.. Diz  o ministro que construiu um processo impecável junto com o Gurgel (acho que tem várias gravações que demonstraram a união tipo unha e carne entre o procurador geral da República e o relator). Quando sente que a coisa desandou, quem ele culpou? O Gurgel que, segundo ele, foi incompetente no seu trabalho. Ele nunca está sem razão. O Estadão fala sobre isso numa matéria do repórter desafeto de JB, cuja mulher, funcionária concursada, foi perseguida pelo mesmo ministro. É tanta intriga, que quando desanda, só faz a gente pensar: estão todos errados. Por outro lado, Joaquim Barbosa já demonstra um certo abandono por quem tanto o incensou. Saber se ele vai ou não sair agora, ninguém tem essa certeza, pela imprevisibilidade demonstrada em tempo integral no reality show que ele comandou. Está sozinho, embora os radicais de sempre estejam preparando uma sobrevida para ele. Com eleições ou sem eleições. Sinais de que já não tem tanto prestígio são reconhecidos na matéria acima, quando seus capatazes (Gilmar tem os deles e JB também os tem), pressentindo a reviravolta do STF, preparam seu caminho de volta ao obscuro lugar de onde vieram. É ver para crer.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Dulce (Madame X)
Dulce (Madame X)

Bruno André da Silva

Bruno André da Silva Ribeiro?

Quem é o digníssimo??

Sim, eu sei...mas SÓ SERÁ "IMPORTANTE E RECONHECIDO" enquanto "atrelar" seu nome ao nome de JOSÉ DIRCEU / JOSÉ GENOINO / JOÃO PAULO CUNHA / DELÚBIO SOARES.

Pelo "PUXASAQUISMO" jamais ´figurará" em qualquer lista tríplice, do próprio JUDICIÁRIO. Porque seus colegas NÃO O RECOOMENDARÃO...NUNCA!

Vai para o OSTRACISMO logo, logo!

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de moisco
moisco

Decisões do STF

Tive o cuidado de ler a materia completa publicada aqui por , falou e descreveu as decisões e indicações do Ministro Joaquim Barbosa principalmente na VEP (Vara de Execuções Penais). 

Porem vejo na materia que há uma intenção clara e objetiva de mostrar que nã há privilégios em relação aos condenados: Delubio Soares e José Dirceu.

Enquanto os fatos e toda imprensa tem mostrado que há SIM tratamento diferenciado dentro do presídio para esses condenados (José Dirceu e Delubio Soares), que vão desde ralaxamento de horários para visitação, permissão para uso de barba e até refeição encomendada (feijoada - por Delubio Soares), a uso de aparelho não permitido (celular - por parte de Jose Dirceu).

E qualquer pessoa com mínimo de senso crítico sabe é fácil se  provar isso tudo, mas há o viés politico muito forte e escancarado nessa questão, que vai desde a pessoa do Governador do DF (Agnelo Queiros), que é amigo dos condenados e tenta mesmo que sutilmente (pois os presídios estão no seu comando), aliviar o máximo que pode ou fazer vista grossa nessas situações que envolvem os AMIGOS do Governador.

Pelo que vi a materia omitiu esses fatos.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de AlvaroTadeu
AlvaroTadeu

trollagem de cabeça lerda.

moísco, troll e beócio-mór. Se é tão fácil de provar que Dirceu falou no celular, mais fácil ainda é você dizer qual foi a operadora, quantos minutos a conversa durou e de quem era o celular. Não sei se você sabe para que serve a Trigonometria, mas através dela dá para calcular a posição de colular durante a conversa. E como tudo é filmado no presídio, mostre a fita do Dirceu falando ao celular. Se você nem sabe com quem sua mulher conversa no celular, como sabe se o Dirceu está usando o celular? Fácil, não é? Usar barba na prisão é privilégio? Todas as vezes que um repórter entra num presídio brasileiro para mostrar as precárias condições dos presos, em celas construídas para 5 internos com mais de 20, todos os que vejo estão barbudos, cabelos compridos e despenteados, maltrapilhos. Isso é privilégio? Delúbio está trabalhando, logo, tem condições de comer feijoada. Mas os acusadores disseram que ele comprou a feijoada na cantina da prisão. Prisão tem cantina? Meu colégio tinha, mas prisão???

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Regalias????

Você acha mesmo moisco?

Um julgamento de cartas marcadas, condenações esdruxulas sem provas ou com provas tenues, penas elevadas, etc...

Qual é a regalia deles, se nem preso deveriam estar?

Nesse julgamento ficou provado que a verdadeira quadrilia não foi a do PT.

Seu voto: Nenhum (12 votos)

O QUE FAZER COM O PSICOPATA JOAQUIM BARBOSA

O QUE FAZER COM O PSICOPATA JOAQUIM BARBOSA

O Sansão de Toga do STF prestes a encarar sua Dalila. Poderia cortar a toga no Carnaval, o que seria bem apropriado para a farsa que chefiou no Supremo. Não terá coragem para tanto. Ao contrário, adiará até o último momento, 31 de março ou Primeiro de abril, datas também apropriadas, em especial a última. Pois aí ou se destogará ou será devidamente destogado.

O quê fazer contra um sujeito repugnante como este juiz ?

Desde que não cometa, até lá, algum ato golpista contra a democracia, deixa que este idiota psicopata fale as baboseiras que quiser, até o prazo limite que dispõe para decidir o que fazer da vida: relaxar de vez os poucos escrúpulos que porventura ainda tenha e virar candidato em algum partido de mentirinha, ou continuar enojando o Supremo, tornando-o sede de um partidinho de mentira.

E então, tomar as atitudes necessárias.

A se manter no STF, para tentar o golpe contra a democracia, colocá-lo sob suspeita e até levá-lo a impeachment, impedindo-o de atentar contra o processo eleitoral em curso, utilizando ditatorialmente o seu cargo (alguma dúvida quanto a isto ?).

Ou, uma vez que tente emporcalhar tal processo como candidato, com base na utilização vergonhosa e asquerosa que fez da Justiça como plataforma política, questionar no Supremo este jogo sujo, inclusive no que diz respeito ao abjeto privilégio de juízes e militares terem prazos menores para se filiarem a partidos políticos e se candidatarem, violando flagrantemente o princípio constitucional de que "todos são iguais perante a lei". Coisa que, aliás, deve ser feita de qualquer forma, já tendo em vista os diversos casos de "coleguinhas" que tentarão este salto triplo carpado.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Francisco de Assis

  Talvez o Fux ( único

 

Talvez o Fux ( único simpatizante dele no stf) consiga o afastamento dele de uma forma menos vergonhosa o aconselhando a fazer tratamento psquiátrico para controlar o  "Transtorno de Personalidade Narcisista" (CID 10 F60.8).

Do Psiqweb : A característica essencial do Transtorno da Personalidade Narcisista é um padrão invasivo de grandiosidade, necessidade de admiração e falta de empatia, que começa no início da idade adulta e está presente em uma variedade de contextos.

Os indivíduos com este transtorno têm um sentimento grandioso de sua própria importância (Critério 1). Eles rotineiramente superestimam suas capacidades e exageram suas realizações, freqüentemente parecendo presunçosos ou arrogantes. Eles podem presumir que os outros atribuem o mesmo valor a seus esforços e surpreender-se quando não recebem o louvor que esperam e julgam merecer. Um menosprezo (desvalorização) da contribuição dos outros freqüentemente está implícito na apreciação exagerada de suas próprias realizações.

Essas pessoas constantemente se preocupam com fantasias de sucesso ilimitado, poder, inteligência, beleza ou amor ideal (Critério 2). Elas podem ruminar acerca de uma admiração e privilégios a que teriam direito e comparar a si mesmos com vantagem sobre pessoas famosas e privilegiadas.

Um indivíduo com Transtorno da Personalidade Narcisista se acredita superior, especial ou único e espera ser reconhecido pelos outros como tal (Critério 3). Ele pode achar que somente consegue ser compreendido e apenas deve associar-se com outras pessoas especiais ou de situação elevada, podendo atribuir qualidades de "singularidade", "perfeição" ou "talento" àqueles a quem se associa.

Os indivíduos com este transtorno acreditam ter necessidades especiais, que estão além do entendimento das pessoas comuns. Sua própria auto-estima é amplificada (isto é, "espelhada") pelo valor idealizado que atribuem àqueles a quem se associam.

Eles tendem a insistir em ser atendidos apenas pelos "melhores" (médicos, advogados, instrutores, cabeleireiros) ou em afiliar-se às "melhores" instituições, mas podem desvalorizar as credenciais daqueles que os desapontam.

Os indivíduos com este transtorno geralmente exigem admiração excessiva (Critério 4). Sua auto-estima é, quase que invariavelmente, muito frágil. Eles podem preocupar-se com o modo como estão se saindo e no quanto são considerados pelos outros. Isto freqüentemente assume a forma de uma necessidade de constante atenção e admiração. Eles podem esperar que sua chegada seja recepcionada com grande alarde e ficar perplexos pelo fato de os outros não cobiçarem tudo o que possuem. Eles podem "caçar" elogios constantemente, por vezes de maneira muito cativante.

Um sentimento de intitulação manifesta-se na expectativa irracional destes indivíduos de receber tratamento especial (Critério 5). Eles esperam ser adulados e ficam desconcertados ou furiosos quando isto não ocorre. Eles podem, por exemplo, pensar que não precisam esperar na fila e que suas prioridades são tão importantes que os outros lhes deveriam mostrar deferência, e ficam irritados quando os outros deixam de auxiliar em "seu trabalho muito importante".

Este sentimento de intitulação, combinado com uma falta de sensibilidade para com os desejos e necessidades alheias, pode resultar na exploração consciente ou involuntária dos outros (Critério 6).

Essas pessoas esperam que lhes seja dado o que desejam ou julgam precisar, não importando o que isto possa significar para os outros. Por exemplo, esses indivíduos podem esperar grande dedicação da parte dos outros e sobrecarregá-los de trabalho sem levar em conta o impacto que isto possa ter sobre suas vidas.

Eles tendem a formar amizades ou relacionamentos românticos somente se vislumbrarem a possibilidade de que a outra pessoa vá ao encontro de seus objetivos ou de outro modo aumente sua auto-estima. Eles freqüentemente usurpam privilégios especiais e recursos extras, que julgam merecer por serem tão especiais.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

" A injustiça que se faz a um, é uma ameaça que se faz a todos." - Barão de Montesquieu

 

O Barbosa não pode ser

O Barbosa não pode ser impedido de concorrer pelo ficha limpa por ser Funcionário Público e ter constituido IRREGULARMENTE UMA EMPRESA?

Seu voto: Nenhum (7 votos)

"O que fazemos na vida, ecoa na ETERNIDADE!" (Máximus - Gladiador)

"Os dois mais importantes dias em sua vida são o dia em que você nasceu e o dia em que você descobrir o porquê... - M

imagem de Dulce (Madame X)
Dulce (Madame X)

Pior é que NÃO, amigo. Tem

Pior é que NÃO, amigo.

Tem que haver condenação de "colegiado" para impedí-lo. E o ÚNICO COLEGIADO que pode julgá-lo é..."tchantchantchantchan"... o SUPREMO TRIBUNAL FRDERAL.

Isso só acontecerá no dia que a galinha criar dente, a vaca tossir, e sertão virar mar...TUDO JUNTO. ;(

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Um dos doutos da VEP, e filho

Um dos doutos da VEP, e filho de político ligado ao psdb.

Seu voto: Nenhum (6 votos)

O Julgamento ainda não acabou

Interessante que naquele discurso final em que acusou a nova composição do STF, parecia que se preparava para sair, alegando ter sofrido um golpe, ardilosamente, engendrado pelo Executivo, ao indicar pessoas especialmente para tal fim. Mas não, lá permaneceu, talvez por se sentir ainda guardião dos embargos vindouros, o próximo trata-se de lavagem de dinheiro. Provavelmente, alguém o convenceu a ficar mais, lutando por sua obra prima. Eu acho que os réus vão vencer mais embargos, pq é unâmime entre os juizes lúcidos que as penas foram muito exageradas _ vi disposição neles de arrumar isso _ e também citaram casos de chefes teram tido penas maiores que os subordinados, absurdo que também pretendem corrigir: novas mudanças virão, vamos ver quais estruturas vão ser abaladas.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

O crime dele foi comer uma

O crime dele foi comer uma feijoada enlatada.

Seu Barbosa e seu feitor sofrem de déficit de moral.

Seu voto: Nenhum (9 votos)

zanuja

imagem de Paiva
Paiva

Todos os presos da Papuda têm

Todos os presos da Papuda têm direito a comer feijoada enlatada? Não sou contra - e acho que nem devia ser enlatada - mas o que come o restante da turma no presídio?

Seu voto: Nenhum (9 votos)
imagem de AlvaroTadeu
AlvaroTadeu

Madame Paiva, dá um tempo!

Peraí, o cérebro mais lerdo da Infovia sabe que em prisões não há alimentos enlatados. Eles viram armas em instantes. Até os talheres são de plástico. Tenha dó, fale besteiras, mas consulte o Google para ver se elas tem algum grau de razoabilidade.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de L1
L1

Quais as provas de que os

Quais as provas de que os recursos do fundo Visa eram públicos?
Quais as provas de que houve desvio e quem recebeu?
Qual o caminho do dinheiro?

Seu voto: Nenhum (7 votos)

E as "provas"?

Respondo com outra pergunta: quando é que a Visanet vai entrar com um processo contra o BB para obter seu dinheirinho "roubado/desviado" de volta?

Também respondo: nunca!

Seu voto: Nenhum
imagem de Ramalho12
Ramalho12

O Pretenso Rei Sol Tropical

Joaquim Barbosa é um Idi Amin Dada, com alma branca e que pensa que é Luis XIV.

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Fiquei meio confuso...

O que significa "alma branca". Melhor ou pior? Maior ou menor"?

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Caro Nassif e demais JB, GM,

Caro Nassif e demais

JB, GM, Bruno e Fux unidos, formam uma quadrilha?!

Saudações

Seu voto: Nenhum (14 votos)

Quadrilha ou bando...

 ...Artigo 288 do CP!

 

“Associarem-se mais de 3 pessoas, em quadrilha ou bando, para fim de cometer crimes”.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

De que tipo?

Do Houaiss:

1    grupo de quatro cavaleiros preparados para o jogo das canas

2    manada, bando
Ex.: q. de cães

3    bando de malfeitores; súcia, corja

4    Regionalismo: Rio Grande do Sul.
manada de cavalos de pelagens diversas que seguem a égua madrinha

5    Rubrica: dança.
dança popular brasileira, própria dos festejos juninos

6    Rubrica: dança.
conjunto de casais de dançarinos, que executam movimentos coreográficos derivados das antigas contradanças

7    Derivação: por metonímia. Rubrica: dança.
série de movimentos coreográficos que esse conjunto executa sem interrupção

8    Rubrica: dança.
dança de pares de origem francesa, em voga no sXIX, com cinco seções caracterizadas por tempos ('andamentos') diferentes

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

"O mundo estaria salvo se os homens de bem tivessem a mesma ousadia dos canalhas" Nelson Rodrigues

O Barbosa está parecendo com

O Barbosa está parecendo com aquele louco que empurrou a moça no metro. Tem que contê-lo antes que ele mata alguem. Cadê o OAB??

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Patricia Faermann, Quem dará

Patricia Faermann,

Quem dará um basta neste louco furioso, capaz de qq coisa para ter seu ponto de vista atendido? Sua marionete de estimação, este tal juiz Bruno Ribeiro, fará tudo o que seu mestre mandar, seja lícito ou não- no caso de Delúbio Soares foi a feijoada que ele não tem qualquer depoimento confirmando o regabofe, com José Dirceu é a visita do defensor público sem que ele, superjuiz, tivesse conhecimento. Estes dois, criador e criatura, causam asco a qualquer pessoa sensata, a sensação é de que ambos fedem. 

Seu voto: Nenhum (9 votos)

Eu acho que alguém está

Eu acho que alguém está contabilizando tudo isso, e não é só Deus não. Quanto mais ele faz mais vai se enroscar, e não falta muito pra isso. Acho que estão deixando ele agir, impunemente, para pegá-lo numa curva. Todos ainda temem sua popularidade, todos. Mas, decidiram impor-lhe limites. E isso já faz decair sua popularidade. Não foi leve o que ouviu de Barroso quanto a civilidade. Estão aguardando o momento certo. Vamos ter mais paciência, a queda dele será retumbante, talvez sem chances na política, e nós vermos que valeu a pena tudo isso.

Seu voto: Nenhum (10 votos)

O psicopata e o Rex que ele

O psicopata e o Rex que ele colocou na VEP, armaram outra pro Zé Dirceu, tb. Agora, é uma tal de visita autorizada de um defensor público... Caramba, quem vai parar com essa loucura? Para que servem essas associações de magistrados, afinal? E OAB? Vai ficar assistindo e aplaudindo tortura de presos para daqui a 40 anos ficar posando de defensora dos direitos humanos?

Seu voto: Nenhum (12 votos)

Coragem?

E quem é que tem coragem de enfrentar  deus - ele se acha como tal -  se ele tem o PIG a seu favor?

Seu voto: Nenhum

Análise: As operações

Análise: As operações aritméticas do ministro Joaquim Barbosa

 

Em meio às falas sobrepostas na sessão de quarta do STF, o ministro Joaquim Barbosa soltou uma frase que guardava consigo há pelos menos três anos: \"Foi para isso mesmo, ora!\"28 de fevereiro de 2014 | 17h 36  Felipe Recondo - O Estado de S. Paulo

Barbosa acabava de admitir abertamente o que o ministro Luís Roberto Barroso dizia com certos pudores. A pena para os condenados pelo crime de formação de quadrilha no julgamento do mensalão foi calculada, por ele, Barbosa, para evitar a prescrição. Por tabela, disse Barroso, o artifício matemático fez com que réus que cumpririam pena em regime semiaberto passassem para o regime fechado.

 

Barbosa admitiu que penas por formação de quadrilha foram calculadas para evitar prescrição - Dida Sampaio/Estadão

Dida Sampaio/EstadãoBarbosa admitiu que penas por formação de quadrilha foram calculadas para evitar prescrição

 

A assertiva de Barroso não era uma abstração ou um discurso meramente político. A mesma convicção teve, para citar apenas um, o ministro Marco Aurélio Mello. Em seu voto, ele reconheceu a existência de uma quadrilha, mas considerou que as penas eram desproporcionais. E votou para reduzi-las a patamares que levariam, ao fim e ao cabo, à prescrição. Algo que Barbosa há muito temia, como se verá a seguir.

Foi essa suposição de Barroso que principiou a saraivada de acusações e insinuações do presidente do STF contra os demais ministros. Eram 17h33, quando Barroso apenas repetiu o que os advogados falavam desde 2012 e que outros ministros falavam em caráter reservado.

Joaquim Barbosa acompanhava a sessão de pé, reticente ao voto de Barroso, mas ainda calmo. Ao ouvir a ilação, sentou-se de forma apressada e puxou para si os microfones que ficam à sua frente. Parecia que dali viria um desmentido categórico, afinal a acusação que lhe era feita foi grave.

Mas Joaquim Barbosa não repeliu a acusação. Se o fizesse, de fato, estaria faltando com a sua verdade, não estaria de acordo com a sua consciência. Três anos antes, em março de 2011, Joaquim Barbosa estava de pé em seu gabinete. Não se sentava por conta do problema que ainda supunha atacar suas costas. Foi saber depois, que suas dores tinham origem no quadril.

A porta mal abrira e ele iniciava um desabafo. Dizia estar muito preocupado com o julgamento do mensalão. A instrução criminal, com depoimentos e coleta de provas e perícias, tinha acabado. E, disse o ministro, não havia provas contra o principal dos envolvidos, o ministro José Dirceu. O então procurador-geral da República, Roberto Gurgel, fizera um trabalho deficiente, nas palavras do ministro.

Piorava a situação a passagem do tempo. Disse então o ministro: em setembro daquele ano, o crime de formação de quadrilha estaria prescrito. Afinal, transcorreram quatro anos desde o recebimento da denúncia contra o mensalão, em 2007. Barbosa levava em conta, ao dizer isso, que a pena de quadrilha não passaria de dois anos. Com a pena nesse patamar, a prescrição estaria dada. Traçou, naquele dia em seu gabinete, um cenário catastrófico.

O jornal O Estado de S. Paulo publicou, no dia 26 de março de 2011, uma matéria que expunha as preocupações que vinham de dentro do Supremo. O título era: "Prescrição do crime de formação de quadrilha esvazia processo do mensalão".

Dias depois, o assunto provocava debates na televisão. Novamente, Joaquim Barbosa, de pé em seu gabinete, pergunta de onde saiu aquela informação. A pergunta era surpreendente. Afinal, a informação tinha saído de sua boca. Ele então questiona com certa ironia: "E se eu der (como pena) 2 anos e 1 semana?".

Barroso não sabia dessa conversa ao atribuir ao tribunal uma manobra para punir José Dirceu e companhia e manter vivo um dos símbolos do escândalo: a quadrilha montada no centro do governo Lula para a compra de apoio político no Congresso Nacional. Barbosa, por sua vez, nunca admitira o que falava em reserva. Na quarta-feira, para a crítica de muitos, falou com a sinceridade que lhe é peculiar. Sim, ele calculara as penas para evitar a prescrição. "Ora!"

Felipe Recondo é repórter do jornal O Estado de S. Paulo em Brasília.

http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,analise-as-operacoes-aritmeticas-do-ministro-joaquim-barbosa,1135870,0.htm

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Jaiminho
Jaiminho

Estou quase acreditando que

Estou quase acreditando que esse ministro Joaquim Barbosa poderá, a qualquer hora, sacar uma pistola e matar alguém em plena sessão do STF, e mesmo assim nada lhe acontecerá. Parece que ele pode tudo.

Seu voto: Nenhum (9 votos)

 Coisas de que Joaquim

 Coisas de que Joaquim Barbosa se esqueceu de ficar triste

Antonio Lassance

Coisas de que Joaquim Barbosa se esqueceu de ficar tristeAlguém o viu expressar tristeza com o fato de o processo contra o mensalão tucano não atribuir o mesmo crime de quadrilha a Eduardo Azeredo, do PSDB de MG?

 

 

 

O presidente do Supremo, relator da AP 470, esbravejador-geral da Nação, candidato em campanha a um cargo sabe-se lá do que nas eleições de outubro, decretou solenemente:

"É uma tarde triste para o Supremo".

É curioso como Joaquim Barbosa se mostra triste com algumas coisas, e não com outras.

Alguém o viu expressar tristeza com o fato de o processo contra o mensalão tucano não atribuir o mesmo crime de quadrilha a Eduardo Azeredo (PSDB-MG) & Companhia Limitada?

O inquérito da Procuradoria-Geral da República (INQ 2.280, hoje Ação Penal 536), que sustenta a denúncia contra Azeredo, foi apresentado pelo mesmo Procurador (Roberto Gurgel), ao mesmo STF que julgou o mensalão petista, e caiu nas mãos do mesmo relator, ele mesmo, Joaquim Barbosa.

O que dizia o Procurador? Que o mensalão tucano "retrata a mesma estrutura operacional de desvio de recursos públicos, lavagem de dinheiro e simulação de empréstimos bancários objeto da denúncia que deu causa a ação penal 470, recebida por essa Corte Suprema, e envolve basicamente as mesmas empresas do grupo de Marcos Valério e o mesmo grupo financeiro (Banco Rural)”.

Se é tudo a mesma coisa, se são os mesmos crimes, praticados pelas mesmas empresas, com o mesmo operador, cadê o crime de quadrilha, de que Barbosa faz tanta questão para os petistas?

Alguém viu o presidente do Supremo expressar sua tristeza sobre o assunto?
 
Alguém o viu decretar a tristeza no STF quando o processo contra os tucanos, ao contrário do ocorrido com a AP 470, foi desmembrado, tirando do STF uma parte da responsabilidade por seu julgamento?

Talvez muitos não se lembrem, mas as decisões de desmembrar o processo do mensalão tucano e de livrar Azeredo e os demais da imputação do crime de quadrilha partiram do próprio Joaquim Barbosa.

Foi ele o primeiro relator do mensalão tucano. Foi ele quem recomendou tratamento distinto aos tucanos.

Justificou, sem qualquer prurido, que os réus estariam livres da imputação do crime de formação de quadrilha “até mesmo porque já estaria prescrito pela pena em abstrato”, disse e escreveu Barbosa, em uma dessas tardes tristes.

Mais que isso, livrou os tucanos também da imputação de corrupção ativa e corrupção passiva.

O que se tem visto, reiteradamente, são dois pesos, duas medidas e um espetáculo de arbítrio de um presidente que resolveu usar o plenário do STF como tribuna para uma campanha eleitoral antecipada de sua possível e badalada candidatura, sabe-se lá por qual "partido de mentirinha", como ele mesmo qualificou a todos.

E as tantas outras tristezas não decretadas?

Vimos a maioria que compõe hoje o STF ser destratada como se fosse cúmplice de um crime; um outro bando de criminosos, portanto, simplesmente por divergirem de seu presidente e derrotá-lo quanto a uma única acusação da AP 470.

Que exemplo!

Sempre que um ministro do Supremo, seja ele quem for, trocar argumentos por agressões, será uma tarde triste para o Supremo.

Há uma avalanche de questões importantes, que dormem há décadas no STF, e que seriam suficientes para que se decretasse que todas as suas tardes são tristes.

Não só há decisões, certas para uns, erradas para outros. Há sempre uma tarde triste no STF pela falta de julgamentos importantes. Cerca de metade das ações de inconstitucionalidade impetradas junto ao Supremo simplesmente não são julgadas.

Dessas, a maioria simplesmente é extinta por perda de objeto. Ou seja, o longo tempo decorrido é quem cuida de dar cabo da ação, tornando qualquer decisão desnecessária ou inaplicável. Joaquim Barbosa se esquece de ficar triste com essa situação e de decretar seu luto imperial.

Por exemplo, o STF ainda não julgou as ações feitas por correntistas de poupança contra planos econômicos, alguns da década de 1980. Tal julgamento tem sido sucessivamente adiado. Triste. Quem sabe, semana que vem?

É triste, por exemplo, a demora do STF em julgar a Lei do Piso salarial nacional dos professores. Nada acontece com prefeitos e governadores que se recusam a pagar o piso salarial, enquanto o Supremo não decide a questão. Até agora, o assunto sequer entrou em pauta. Triste.

Muito mais triste foi a tarde em que auditores fiscais do trabalho, procuradores do trabalho, militantes de direitos humanos, sindicalistas e até o ministro do Trabalho, Manoel Dias, se reuniram em frente ao Supremo para chorar pelos dez anos de impunidade da Chacina de Unaí-MG.

Fazendeiros acusados da prática de trabalho escravo contrataram pistoleiros que tiraram a vida de quatro funcionários do Ministério do Trabalho que investigavam as denúncias.

Nenhum dos ministros cheios de arroubos com o suposto crime de quadrilha esboçou tristeza igual com a impunidade de um crime de assassinato.

Até o momento, aguardamos discursos inflamados contra esse crime que envergonha o país, acobertado por aberrações processuais judiciárias, uma delas estacionada no STF.

Quilombolas e indígenas: que esperem sentados?

Tristes foram também os quase cinco anos que o Supremo demorou para simplesmente publicar o acórdão (ou seja, o texto definitivo com a decisão final tomada em 2009) sobre a demarcação da reserva indígena de Raposa Serra do Sol (RR). Pior: ao ser publicado, o STF frisou que a decisão não serve de precedente para outras áreas. Triste.

Faltou ainda, a Joaquim Barbosa e a outros ministros inflamados, uma mesma tristeza, uma mesma indignação e um mesmo empenho para que o STF decida, de uma vez por todas, em favor da demarcação de terras quilombolas.

Seus processos, como tantos outros milhares, aguardam julgamento.
 
Uma Ação Direta de Inconstitucionalidade foi ajuizada pelo DEM contra o decreto do presidente Lula, de 2003, que regulamentava a identificação, o reconhecimento, a delimitação, a demarcação e a titulação das terras ocupadas por essas comunidades que se embrenharam pelo interior do território nacional para fugir da escravidão.

Por pouco não se deu algo ainda mais escabroso, pois o ministro relator de então, Cezar Pelluso, havia dado razão aos argumentos do DEM impugnando o ato.

A propósito, na mesma tarde em que o STF julgou e afastou a imputação do crime de quadrilha aos réus da AP 470, o mesmo Joaquim Barbosa impediu a completa reintegração de posse em favor dos Tupinambás de Olivença, Bahia.

A área dos índios estava sendo reconhecida e demarcada pela Funai. Joaquim Barbosa, tão apressado em algumas coisas, achou melhor deixar para depois. Ora, mas o que são uns meses ou até anos para quem já esperou tantos séculos para ter direitos reconhecidos?

Realmente, mais uma tarde triste para o Supremo

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Triste tb!

Marco , é chegarmos à conclusão que houve e continua havendo um trabalho de "quadrilha", para que o STF levasse adiante o seu Circo. Que ele continua "castigando" os petistas dentro do presídio, aquadrilhado ao Juiz responsável pela prisão. E mais triste ainda é ver que nenhuma voz , de pessoas que possuem este direito, se levanta "oficialmente" contra os desmandos deste sr. Muito triste e penoso mesmo! Só a justiça Divina !

Seu voto: Nenhum (9 votos)

lenita

"É uma tarde triste para o

"É uma tarde triste para o Supremo".

Não! A maioria não considerou isso.

Presidente administra o STF (temporariamente). Ele não fala pelo pleno!

O pleno (maioria) não considerou isso.

Ele pode e tem o direito de ficar triste. O STF foi para outra direção.

Ele confunde ser presedente, com ser a opinião, ser o dono do STF.

Puta que o pariu! Não vivi (quase) 70 anos para ter que aturar um destemperado com um terço do poder da República.

Arrego!

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Leo Bahia
Leo Bahia

História

Cara Lenita, o Jpaquim Barbosa também será julgado pela história. Creio que a certeza dessa condenação é o que deixa cada vez mais transtornado. 

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Leo, certamente a história

Leo, certamente a história dará o destino que ele meree.

Eu, estou com pressa. Vou me aproximando dos 70 anos e não tenho muito tempo para esperar.

Não dá para ver o meu país tendo um cara, com um terço do poder da República, com esse destempero.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Ugo
Ugo

plantão psiquiátrico

Barbosa nada e ninguém conseguirá te arrancar dos teus recalques e nunca mais sairá da loucura.

Seu voto: Nenhum (8 votos)
imagem de Schell
Schell

Pois, esperems ser o JB homem

Pois, esperems ser o JB homem suficiente para se submeter ao desgaste de uma campanha eleitoral. No caso específico da VEP do Distrito Federal, lamentável a atuação de seus juízes, sempre no aparador das (des)ordens barboseanas. Suspender o trabalho do Delúbio, antes de qualquer averiguação é, em si, nova condenação. O caso do pseudo telefonema do Dirceu, então, ultrapassa ao ridículo a que esses expoentes se mostram por inteiro (rabos presos). Mas, enfim, este é o Brazil: uma vez casa-grande, sempre casa-grande.

Seu voto: Nenhum (7 votos)
imagem de anac
anac

Duvido que seja homem o

Duvido que seja homem o suficiente. Aliás, que assim age como ele, nem homem pode ser considerado. Em respeito aos verdadeiro homens, claro.

Sem a toga ele não é NADA.

Será trucidado nas eleições. E abandonado pelo PiG.

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Muhamad
Muhamad

Não diga isso. Neste momento,

Não diga isso. Neste momento, é importante dar corda a Barbosa para ele se achar o Rei da Cocada Preta e pedir pra sair. 

 

É a melhor coisa que ele pode fazer pelo Brasil.

 

Vamo lá, todo mundo: BARBOSA PRESIDENTE DO BRASIL!

Seu voto: Nenhum
imagem de Gabriel Q Vix
Gabriel Q Vix

Concordo! Brasil!   Urgente!

Concordo!

Brasil!   Urgente!   Barbosa presidente!

Brasil!   Urgente!   Barbosa presidente!

Brasil!   Urgente!   Barbosa presidente!

Seu voto: Nenhum
imagem de Ivan de Union
Ivan de Union

E mais uma vez:  OU EH LEGAL

E mais uma vez:  OU EH LEGAL PRA UM SUPREMO FAZER O QUE BARBOSA FEZ OU NAO EH.

NAO DA PRA FICAR EM CIMA DO MURO, JUDICIARIO DE MERDA.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Ivan de Union
Ivan de Union

"as irregularidades

"as irregularidades noticiadas e constatadas colocam em risco a higidez do sistema e a própria credibilidade das instituições":

Naaaaooooo.  Isso eh trabalho de juiz.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.