Revista GGN

Assine

Xadrez da guerra final entre Temer e a Globo, por Luis Nassif

A ópera do impeachment vai chegando a uma segunda onda decisiva, com o vale-tudo que se instaurou envolvendo os dois principais personagens da trama: a organização comandada por Michel Temer; e a organização influenciada pela Rede Globo.

Do lado da Globo alinha-se a Procuradoria Geral da República e a Lava Jato. Do lado de Temer, o centrão, o Ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), alguns grupos de mídia, como a Rede Record, e provavelmente políticos jogados no fogo do inferno, como Aécio Neves.

No pano de fundo, o agravamento da crise, com um plano econômico inviável aplicado por economistas radicais valendo-se do vácuo político. E, fora das fronteiras, ventos complicados ameaçando botar mais lenha na fogueira.

O caos – que irá se ampliar nos próximos dias – é resultado direto da quebra da institucionalidade, com a Lava Jato e o impeachment. No mínimo servirá para que cabeças superficiais, como o Ministro Luís Roberto Barroso, se deem conta da imprudência que cometeram ao cederem às pressões especialmente da Rede Globo.

Aliás, quando os pecados da Globo estiverem à mostra, não se espere do bravo Barroso nenhuma declaração de fé irrestrita no combate à corrupção e de apuração até o final, doa a quem doer. Voltaremos a conviver com um garantista, cuja sensibilidade em defesa dos direitos será enaltecida pela Globonews, o espelho, espelho, seu.

Os próximos capítulos contêm pólvora pura:

Peça 1 – a Globo sob pressão

Pela primeira vez, desde a redemocratização, a Globo encontra um poder à sua altura, isto é, sem nenhum prurido, disposto a se valer de todas as armas à mão para encará-la. Uma coisa foi aliar-se ao Ministério Público Federal (MPF) para conspirar contra Lula e Dilma e sua incapacidade crônica de se valer dos instrumentos de poder. Outra coisa, é enfrentar pesos-pesados, pessoas do calibre e da falta de escrúpulos de um Eliseu Padilha, Aécio Neves.

Temer e sua quadrilha tem a força da presidência. E quem os colocou lá foram justamente a Globo, a Lava Jato e a PGR. Agora, a mão e as verbas do Planalto estão por trás dos ataques da TV Record à Globo. Ou julgaram que o pior grupo político da história aceitaria ir para o patíbulo sem se defender?

Não apenas isso.

Ontem, a Justiça espanhola emitiu uma ordem de prisão e captura contra Ricardo Teixeira, ex-presidente de CBF, por corrupção praticada no Brasil. E, no centro da corrupção, a compra dos direitos de transmissão da Copa Brasil pela Globo, com pagamento de propina.

O carnaval feito pela Globo, com a delação da JBS, visou justamente abafar a divulgação de seu envolvimento com o escândalo, levantado pelo Ministério Público Espanhol e pelo FBI.

No “Xadrez de como a Globo caiu nas mãos do FBI” detalhamos esse caso, mostrando como, no início da Lava Jato, já havia indícios de que o FBI já tinha a Globo nas mãos, a partir da delação de J.Hawila, o parceiro da emissora na criação do know-how de corrupção de compra de direitos de transmissão, posteriormente levado por João Havelange para a FIFA.

Peça 2 – o nó da cooperação internacional e o PGR

Encrenca grande também aguarda o PGR Rodrigo Janot, em visita aos Estados Unidos.

Nos próximos dias deverão aparecer pistas de operações de cooperação com o FBI onde ficará mais claro a montagem de uma parceria supranacional que afronta explicitamente a noção de soberania nacional. É possível que o PGR tenha pedido ajuda do FBI contra um presidente da República. Se confirmado, cria-se uma crise aguda, com o atropelo inédito à soberania nacional, mesmo que na ponta investigada esteja um político desqualificado como Temer.

Além disso, exporá ainda mais a cumplicidade da PGR com a Globo, especialmente se nada for feito em relação a Ricardo Teixeira. Poderia um PGR entregar um brasileiro para ser julgado pela Justiça de outro país, por crimes cometidos aqui? Pelos princípios de soberania nacional, de modo algum.

Mas como se explicaria o fato dos crimes jamais terem sido apurados no Brasil, nem no âmbito da cooperação internacional? E, ao mesmo tempo, se ter valido da cooperação internacional contra presidentes da República?

Como se explicaria a enorme blindagem de Ricardo Teixeira que, no fundo, significa a blindagem às Organizações Globo?

Quando começou a ficar claro a falta de regras e de limites para a cooperação internacional, prenunciamos aqui que mais cedo ou mais tarde o PGR seria submetido a um julgamento por crime de lesa-pátria. O exemplo maior foi trazer dos Estados Unidos documentos destinados a torpedear o programa nuclear brasileiro.

Peça 3 – a desmoralização final da República

E, agora, como ficará a PGR ante a exposição da Globo a diversas acusações? Do lado da Espanha e do FBI, o caso CBF-Copa Brasil. Do lado de Temer, os ataques às jogadas fiscais da Globo. E, de sobra, as suspeitas de que a Lava Jato estaria impedindo a delação do ex-Ministro da Fazenda Antônio Palocci, justamente por poder atingir a aliada Globo.

A impunidade da Globo significará a desmoralização final do MPF, da Justiça e de qualquer veleidade de se ter uma nação civilizada, na qual nenhum poder é intocável. O enfrentamento da Globo, mesmo por uma quadrilha como a de Temer, trinca a imagem de intocabilidade da empresa. Finalmente, quebrou-se o tabu.

Por outro lado, uma eventual vitória de Temer significará a entronização, no poder, de uma organização criminosa.

Finalmente, um acordão significaria um pacto espúrio que não passaria pela garganta da opinião pública.

Não há saída boa.

Todo esse lamaçal foi ocultado, até agora, pelo estratagema de construção de um inimigo geral, Lula e o PT. Foi a repetição de um golpe utilizado em vários momentos ultrajantes da história, do incêndio de Reichstag ao macarthismo, dos processos de Moscou ao golpe de 1964: a criação de um grande inimigo externo, para justificar todos os abusos do grupo vencedor.

Agora o álibi se desgastou como um balão furado, com o nível do rio baixando e expondo todos os dejetos.

A sentença de Sérgio Moro condenando Lula não foi endossada publicamente por ninguém.

Na Folha, o corajoso Elio Gaspari precisou colocar uma enorme ressalva - de que nos Estados Unidos Lula estaria condenado – para admitir que o Código Penal brasileiro não autoriza a condenação de Lula. Esqueceu de lembrar que nos EUA as estripulias de Moro e do MPF não teriam passado da primeira rodada.

Já o advogado Luiz Francisco Carvalho competente penalista, admitiu que não há nenhuma prova sustentando a sentença de Moro, aceitou que Lula não é corrupto. Em vez da condenação dos abusos de Moro, preferiu concentrar-se nas críticas às reações de Lula. Ou então a demonstração de equilibrismo de Carlos Ari Sundfeld, que não é nem contra, nem a favor, muito pelo contrário.

Todas as deformações trazidas pelo golpe ficarão claras, agora.

As ondas trazidas pela quebra da institucionalidade criaram movimentos incontroláveis.

O grupo do impeachment esfacelou-se em mil pedaços, o grupo de Temer, o grupo da Globo, um PSDB partido ao meio, um PGR que enfiou o MPF em uma aventura irresponsável, a Lava Jato esvaindo-se nos seus próprios exageros.

E agora, José? No inferno, Eduardo Cunha dá boas gargalhadas e prepara seu tridente.

Média: 4.6 (85 votos)
108 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

Guerra sim. Final não

A guerra entre Temer e mídia só será final quando a mídia estiver definitivamente fechada. Até lá eles sempre ressucitam do inferno para assombrar os vivos.

Eu torço para que Temer ganhe esta guerra, embora duvide muito, afinal a mídia é poderosíssima e domina o país há décadas. Torço por Temer, porque o mandato dele acaba bem ou mal em 1° de janeiro de 2019, já o poder da mídia poderá continuar a se manter por décadas e séculos se ninguém a vencer.

Ou seja, de Temer nos livraremos em pouco mais de um ano, mas da mídia sabe-se lá quando nos livraremos e se nos livraremos.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Ze Guimarães

Globo vs. Temer: exemplo mais ilustrativo da tragédia brasileira

Globo vs. Temer: o exemplo mais ilustrativo da tragédia brasileira

Por Romulus

A Globo nunca ficou do lado perdedor...

Assim, em constatando a derrota final dos Procuradores, não hesitará 2 segundos antes de jogar o PGR Rodrigo Janot e o MPF ao mar...

À Globo, no curto prazo, basta que siga a Lava a Jato de ~Curitiba~...

(que visa exclusivamente a Lula e ao PT!)

É verdade que o “passo maior que as pernas” – a guerra total contra ~toda~ a classe política tocada pela Lava a Jato de ~Brasília~ – animou a Globo (e a Finança) num primeiro momento...

Afinal, a implantação da “Noocracia (escamoteada!)/ “‘Democracia’ à iraniana” no Brasil – seu projeto de longo prazo – estava a apenas um passo...

Mas aí...

Chegou o Ortega y Gasset e estragou a “festa”:

 

"Entre o ser e o crer que já se é...

... vai a distância entre o sublime e o ridículo"

 

- Certo, Globo/ MPF/ Janot??

 

LEIA MAIS »

 

 

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Gaudencio Horta
Gaudencio Horta

O dia em que a direita rachou

Ao longo dos anos assistimos sem entender, a falta de união dos partidos de esquerda brasileiros. Embora o objetivo primeiro da luta para chegar ao poder fosse comum a todos eles, o grande obstáculo, nossa direita raivosa, também o era, e por dispor dos principais meios de comunicação do país sempre nadou de braçadas no mar da nossa política, mesmo nos momentos em que a esquerda logrou êxito em chegar ao poder e foi destronada por golpes e campanhas orquestradas pela mídia conservadora. Mas nem o adversário comum permitiu a união da esquerda para juntos tentarem vencer esse grupo coeso na defesa de seus interesses.

O que assistimos agora é justamente uma situação inédita (ao menos para mim) em que a direita rachou. Após o golpe que afastou a presidenta Dilma os grupos passaram a ter objetivos diferentes e essa divisão está servindo para expor o objetivo maior que era destruir o PT, o ex-presidente Lula e toda a esquerda. A reforma trabalhista não esconde o interesse maior de eliminar a força dos sindicatos e torná-los inoperantes. Quando tudo parecia apontar para um fortalecimento da direita com o enfraquecimento das centrais sindicais eis que a divisão da direita e a perseguição escancarada ao Lula e ao PT criam a perspectiva do fortalecimento do ex-presidente como uma solução para recolocar o país nos trilhos.

É esperar para ver.

Seu voto: Nenhum
imagem de Ricardo A A Pereira
Ricardo A A Pereira

Prezado Nassif: Embora não

Prezado Nassif:

Embora não discorde de suas análises a respeito do racha entre as forças que perpretaram o golpe contra Dilma e também quanto aos objetivos e motivações de seus atores, gostaria de apresentar algumas considerações que há algum tempo venho fazendo e que acho poderiam contribuir como sugestão de tópicos a serem incluídos nas análises e comentários do pessoal deste espaço.

1 - Esta primeira observação é mais antiga mas não acho que seja de todo extemporânea. Trata-se do descobrimento do chamado " departamento da propina da odebrecht ". 

Não me parece verossímel que uma empresa do porte da Odebrecht não tivesse condições de esconder o tal departamento da curiosidade não apenas do nosso MPF ou da PF como até mesmo de um FBI. Esta empresa lidava com inúmeros projetos de segurança, armamentos, mísseis, radares, etc, enfim tudo altamente sensível à sua sobrevivência e de seus parceiros e não seria a prisão de um funcionário que poria toda esta segurança estratégica nas mãos de quem não interessava.

A hipótese com a qual trabalho, é que de alguma maneira, houve um vazamento permitido, e as motivações por trás deste vazamento não tinha apenas o objetivo turbinar uma delação premiada mas algo muito maior. Não sei exatamente o quê nem se este objetivo foi alcançado, mas acho que não foi apenas para incluir mais gente de outras legendas na fogueira da lava jato não. Acho que tinha mais coelhos escondidos nesse mato.

2- A delação da JBS.

A versão vendida por todos é que os donos da JBS, querendo salvar suas empresas e, logicamente, se livrarem da cadeia, resolveram fazer uma delação " padrão Friboi de qualidade " envolvendo peixes graúdos. O que não se encaixa no meu entendimento é a extensão do perdão que eles receberam. Como todos perceberam, o preço que Janot e o STF pagou, apesar do que foi entregue foi muito desproporcional a qualquer coisa vista até aqui.

A hipótese com que trabalho é que houve algo além de uma simples negociação, penso mesmo em uma chantagem. Esta negociação não teve nenhum dos elementos que caracterizaram o padrão lava jato de delação premiada. Não houve nem mesmo o, já desgastado, linchamento público de Lula e do PT, nem a participação das mídias, nem prisões, nada. Tudo indica que as condições não foram negociadas mas impostas por Joesley e tudo o mais, os grampos a Temer e a Aécio, nada mais foi que cortina de fumaça.  Talvez isto tenha a ver com nomes do MPF e mesmo do poder judiciário (qual o nome do juíz ). A Globo também não embarcou nessa canoa apenas para encobrir os seus escândalos não. Como alguns comentaristas aqui mesmo já disseram, ela teria meios de abafar o caso FIFA sem precisar jogar Temer e Aécio ao mar, e mais, neste trabalho não lhe faltaria o apoio nunca negado das outras emissoras. A forma como a Globo entrou nesta jogada indica que ela se viu em um perigo muito grande e não teve, como seu costume, tempo de planejar a jogada. Pela primeira vez vimos a Globo entrar em uma jogada na qual ela visivelmente não estava no controle. Assim como o Janot também não estava no controle, nem o STF. Nesta jogada o Joesley, e só ele, e que dava as cartas e jogava de mão.

É sintomático o fato de também pela primeira vez vermos políticos envolvidos na lava jato, e com o peso das provas que pesam contra eles, desafiarem, quase humilharem, ao mesmo tempo o PGR, o MPF, o STF e a poderosa Globo da forma como vemos o time de Temer fazer, e nem o apoio popular eles têm. De onde eles tiram tanta força de resistência. Eles quebraram até o fortíssimo monopólio da mídia ( alô instituto millenium ).

Como disse no início, são considerações que fazem com que o entendimento do que está ocorrendo não me pareça completo, mas não tenho respostas só dúvidas. De qualquer forma, não sei se para o bem ou para o mal, e apesar de não ter simpatia nem por temer, nem por joesley, fico feliz em ver a lava jato e a globo calçarem pela primeira vez as sandálias ( havaianas ) da humildade, e com tanto vigor.

Obrigado,

Ricardo

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de JORGE ALMADA
JORGE ALMADA

A GRANDE FARSA....

A GRANDE FARSA COMEÇA A SER DESMASCARADA
"Vivemos um clima de Farsa no Brasil", Farsa de todos poderes, STF, Congresso, Governo Temer, PRINCIPALMENTE, o pior que os meios de comunicação liderada pela REDE GLOBO, são partes desta farsa, que tudo vai acabar com punição para os corruptos, fará- se justiça, haverá REGENERAÇÃO da classe política será UM NOVO BRASIL. O pior que uma boa parte da população acredita nisto. Há uma Ùnica solução é a INTERVENÇÃO MILITAR CONSTITUCIONAL, LIMPEZA NO CONGRESSO E REAL PUNIÇÃO PARA OS CORRUPTOS.

Seu voto: Nenhum

Acabou a guerra que nunca começou

Nassif, 

Acabou a guerra que, na verdade, nunca começou. Ontem vi o Jornal Nacional (coisa que quase nunca faço), e constatei que a Globo não está batendo no governo do Traidor não. Ao contrário, está fazendo uma abordagem positiva dos atos do governo.

Pode ser que a aprovação da reforma trabalhista tenha sinalizado que o Traidor tem condições políticas de aprovar reformas impopulares, como deseja a plutocracia. Afinal, aprovar reformas que privilegiem ainda mais o capital foi uma das principais razões do golpe.

Pode ser também que a ameaça do governo, de executar suas dívidas, tenha feito a Globo pisar no freio. Os bandidos se respeitam.

De toda forma, o fato claro é que não há nenhum sinal de guerra entre Globo e o governo federal. Basta ver os programas de "jornalismo" da Globo.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Meireles

A mídia não bate no governo, mas sim, só na figura de Temer. Isto tem motivo, Meireles, Ministro da Fazenda, é o homem do Mercado, e por isto é protegido pela mídia.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Ze Guimarães

Brasil, um território em disputa por gangs

Diante de tudo isso só posso deduzir uma coisa: o Brasil perdeu totalmente seu viés de legalidade e enveredou pela condição de um território em disputa por gangs de egos e interesses poderosíssimos.

São cobras engolindo cobras e é difícil prever onde vamos chegar, isso porque rounds e nocautes vão acontecer e a rebordosa final deverá ser de entortar o cano.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de amjr
amjr

Conjecturas

O pior neste xadrez é a verossimilhança que torna qualquer desfecho possível. Os dois lados já estão trocando farpas há algum tempo, na típica disputa de bucaneiros pelo butim, e tais disputas, reza a lenda, terminavam sempre com o cadáver de um deles sobre o almejado fruto do roubo, para guardá-lo para a eternidade. O problema é que as possibilidades envolvem o que há de mais rasteiro em termo de desfechos:

- a associação mídia/judiciário se impõe, destrona o regente e entroniza outro, mais ajustado a seus desejos;

- a associação executivo/legislativo venais dá um golpe de mão e solapa a força da coligação adversária, ao retirar-lhe a concessão pública e reduzir sua maior capacidade de influência;

O problema de ambas as possibilidades é que os destronados, qualquer que seja o lado vencedor, são poderosos. E educados para jamais perder, qualquer que seja o tabuleiro do jogo: se tal hipótese se vislumbra, a ordem é chutar o tabuleiro e arrastar o adversário ao Hades, mesmo se isto não lhe traga vitória alguma. Antes morrerem todos do que ser enxovalhado sozinho. Em uma briga de titãs deste porte, as ondas sísmicas de tal embate já bastariam para fazer tremer a terra pátria. Uma extinção mútua, então...

Ah, mas há a terceira possibilidade, bem lembrada em comentário mais abaixo: se a coisa ficar realmente feia, os dois lados sentam e fazem um acerto de contas entre "capo dei capi". Um daqueles que "só a gente sabe fazer". Mas aí seria impossível prever a resposta popular a um compadrio tão descarado, em tempos de ódio insuflado. Rasgar totalmente a cortina institucional, para chegar a um acordo de confraria impossível de ocultar, poderia ser o sinal para desencadear não uma revolução (não creio que isto aconteça jamais neste País tão doutrinado contra esta palavra), mas uma desordem civil, do tipo "se ninguém manda, manda o mais forte". E estaria dado o sinal para intervenção dos coturnos, que pouco sabem de conjuntura econômica e preferem obedecer, mas crescem na contingência de manter a ordem, único terreno onde se arriscam sem precisar pensar muito. O que restaria disto também é de difícil previsão. Mais 21 anos, ou mais ainda, de sombras?

Droga, Nassif, desta vez você estragou minha noite. Acho que terei pesadelos dos mais diversos matizes...

Seu voto: Nenhum
imagem de Lais Borgess
Lais Borgess

Muito boa a análise do

Muito boa a análise do Nassif. E outra coisa q dá prazer em ver no GGN é o nível dos comentários. Nem sempre concordo com alguns, mas é um prazer ler colocações bem escritas, de gente q sabe debater ideias civilizadamente.

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de alcides carpinteiro
alcides carpinteiro

A interpretação que Nassif dá

A interpretação que Nassif dá para a súbita mudança de posição do grupo Globo em respeito ao governo, na minha opinião, é possível, mas improvável.

Vamos tomar como verdadeiro que os Marinhos sabiam antecipadamente tanto da divulgação premente do seu envolvimento nas investigações do MP espanhol e da polícia federal americana e que Joesley havia feito uma delação bombástica contra Temer. Segundo Nassif, para tentar desviar a atenção do grande público contra si, a Globo investiu contra Temer. E deu certo, pois quase ninguém ligou para a notícia contra ela. 

Em minha opinião, a Globo não precisava fazer esse movimento para abafar as notícias contra si. Veja o caso do mandado de prisão espanhol contra Ricardo Teixeira. Está sendo tão pouco divulgado que ainda não sei se é fake ou não. A Globo abafaria as notícias contra ela minimizando sua divulgação, sem precisar sair do governo. 

O grande público no Brasil, apesar do peso atual da internet, toma conhecimento inicial e forma sua percepção sobre algo pela TV. Controlando o destaque que uma notícia recebe, as emissoras conseguiram treinar o expectador quanto a sua importância. Se o tema ocupa muito tempo nos telejornais, se há chamadas prévias sobre a matéria e se ela é apresentada com entonações e caras-e-bocas, então é sério. Do contrário, não há importância. E foi assim que uma tapioca de sete Reais se tornou muito mais grave para o grande público do que 23 milhões de Serra na Suíça. 

A globo iria divulgar sim a notícia de seu envolvimento nos casos abertos pelo FBI e pela MP-Espanha. Contudo, seria um anúncio curto e vazio de detalhes. Em seguida, o apresentador comunica a versão da emissora que levaria bem mais tempo do que a apresentação da acusação. E a emissora calaria para perceber a reação do público. Se não houvesse reação do público, ótimo, o silêncio se manteria. Do contrário, a Globo aplicaria doses cavalares de sua versão no público e tentaria encontrar um culpado. Ao mesmo tempo, usaria seu poder de influência sobre os demais grupos de mídia para que minimizassem suas divulgações também.

É claro que a internet iria fazer barulho, mas não o suficiente para mover a PF, o MP e o governo. No Brasil, a globo tem as instituições de guarda do estado sob controle. Se houvesse dificuldades econômicas decorrentes da acusação no exterior, o governo amigo poderia estender-lhe a mão. Em resumo, sem precisar romper com o governo, a globo poderia controlar os danos na opinião pública interna e se manter legal e financeiramente blidado pelos watchdogs brasileiros e pelo governo. Quanto ao dano externo, esse independe de qualquer ação da globo.

Ao decidir romper com o governo, a globo deu um passo arriscado que, a meu ver, não foi para desviar a atenção. A globo percebeu que iria ficar mais dependente do governo, ao ser acusada. Quem ocupa o governo atualmente é uma quadrilha com décadas de experiência em estorção. Ela estaria em posição frágil na hora de pedir ajuda. Enxergou a possibilidade de substituir a quadrilha que ajudou a por no governo por um tolo que poderia controlar completamente. Com Rodrigo Maia no planalto, ela se fortaleceria para controlar melhor os responsáveis no Brasil por tratar seu caso com o FBI e a Espanha, sem pagar o alto preço que a quadrilha cobraria. Acho que essa versão é mais provável do que aquela de Nassif. 

A globo optou pelo preciosismo, mas não percebeu que suas pernas eram mais curtas do que o obstáculo que havia à frente. Pensou que Temer cairia rápido e fácil. Noblat e Moreno chegaram a divulgar que ele renunciaria em pronunciamento público. Era só para colocar pressão. Temer não se assustou e decidiu lutar. Afinal, ele tem uma caneta poderosa, e uma tropa numerosa no congresso que não conhece limites morais. 

Há notícias que Temer esperou o suficiente para a globo recuar. Começou a cobrar e a atacar. Foi assim que a Record fez aquela matéria no último domingo. O que estava na matéria já era sabido faz tempo por quem se informa na internet, sem qualquer efeito contra a poderosa globo. Uma confirmação de que ela poderia abafar as acusações controlando a divulgação, sem precisar romper com Temer.

Agora a Globo está na defensiva. Incapaz de derrubar Temer, está suscetível a retaliações. O judiciário, aparentemente, o últimos dos poderes a temer a globo pode perceber que não precisa ser tão covarde. A PF pode começar a querer cooperar com as investigações. O MP pode querer se mover. E quando a globo precisar de dinheiro, o governo pode recusar. À globo, o caminho mais prudente pode ser retornar ao governo. Com o rabinho entre as pernas, vai ter que se submeter às vontades da quadrilha.

O Brasil ganha quando Temer ou Globe perdem. Se eles lutam entre si, o ganho é garantido.

Seu voto: Nenhum

Vamos ver o que temos no

Vamos ver o que temos no Brasil no 15º, ou 16º, sei lá, mês depois do golpe parlamentar de 2016?

- Um governo que acabou no infame decreto do GLO, mas que continua fingindo que está governando

- Um presidente preocupado única e exclusivamente em não ser preso

- Um PGR que, na saída, está sentindo o cheiro da sua própria carne sendo fritada

- Um conglomerado que tem alguma coisa a esconder, pela insistência em que fala que está tudo bem, que continuará sendo uma empresa familiar...

Enquanto isso...

- Uma política econômica que vai arrebentar a indústria, a agricultura, o comércio e qualquer outra atividade econômica formal

- Uma economia rumo ao quarto ano de recessão

Além disso:

- Nenhum - repito, NENHUM - candidato da aliança golpista de 2016 está perto de ter chance de ganhar a eleição de 2018

Não tem como dar errado? Não tem como dar errado.

Seu voto: Nenhum

Stefan Zweig disse que o Brasil é o país do futuro.

Já a elite brasileira quer que o Brasil seja o país do passado.

E o Brasil vai se transformando no país do futuro do pretérito.

Nessa briga de cachorros grandes. . .

Nessa briga de cachorros grandes, o que não pode acontecer é empate, perca quem perder, ou a Globo ou Temer, o maior ganhador será o povo brasileiro, se perder Temer, sairá um presidente sem votos, com um projeto econômico impopular e fracassado, se perder a Rede Globo, será Ouro sobre Azul, um ganho sem precedentes do povo brasileiro, e Temer e sua trupe podem até acabar como heróis.

Seu voto: Nenhum (6 votos)

"A história da humanidade é a história das lutas de classes". Karl Marx

imagem de Lucas Paiva
Lucas Paiva

Brilhante! Uma análise

Brilhante! Uma análise dissecante do jogo que está em curso. Com uma percepção digna de muitos aplausos!

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Fabio!
Fabio!

GLOBO - uma espada de Damôcles

É uma situação paradoxal : todos os presidentes da República pós democratização tinham que ser cheios de dedos no trato com a Globo , o medo de desagradá-la e serem alvos de uma campanha de bombardeamento da imagem como represália . 

TEMER não tem mais o que temer nem perder . Popularidade zero. Animosidade aberta e declarada contra a Globo. 

Há um pouco da situação das eleições presidenciais de 2002 : os tucanos , em conluio com a Globo , se ocuparam em destruir Roseana Sarney , e desperdiçaram forças no ataque a Lula. Agora , a Globo comprou briga com todo mundo , com o golpista Temer - o qual havia anteriormente apoiado - e abertamente com o PT - antes uma briga velada. Como a Alemanha nazista , declarou guerra em duas frentes de batalha , acreditando em sua invencibilidade.

Mas o fim chega para todo mundo , e a Globo , se não cair , sairá substancialmente diminuída  , sobretudo após as eleições 2018.  Pois , tirando a corja tucana , todos os demais políticos teriam um enorme prazer em se livrar dessa espada de Damôcles que paira sobre a cabeça de todo mandatário há quase 50 anos .   

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Antonio Carlos Conceição
Antonio Carlos Conceição

Será que Temer quer derrotar

Será que Temer quer derrotar a Globo? Se a Globo recuar a paz estará selada. Ambos mediram força e ambos recuaram. A Globo passou seu recado e Temer passou o dele.
Temer volta a tocar as reformas do capital, como os financiadores da Globo exigem e o plano volta ao seu traçado original.
A reforma trabalhista passou sem prejuízo para os políticos que a aprovaram e a reforma previdenciária, mais difícil, fica para 2019. Moro e o TRF4 já garantiram que Lula estará fora do páreo e sem Lula a vitória da direita está garantida.

Seu voto: Nenhum

"Eu já sabia" ;-) (12/7/2017)

GLOBO DESESPERADA PARA ELEGER RODRIGO MAIA: PRECISA DE GRANA DO BNDES? SERÁ ISSO?

Por Romulus

- Conversão da Globo ao “Fora, Temer”: tudo menos civismo.

- O projeto de longo prazo: a tutela da classe política pela dobradinha mídia/ juristocratas – juízes/ procuradores/ policiais federais.

- No médio prazo, o medo: o FBI investiga o esquema FIFA. Sem ter feito o próximo PGR, a Globo passa a contar apenas com mecanismos extremos: “perdão presidencial”, “anistia do Congresso” e dissuasão, com a ameaça de ataques midiáticos ou de impeachment da nova PGR pelo Senado.

- No curto prazo, a corda no pescoço: o endividamento das Organizações Globo junto ao BNDES. Segundo fonte do Blog, os Marinho não estariam conseguindo rolar a dívida desta vez. O problema seria não terem bens para dar em garantia. Nem mesmo as ações na Globo!

- Uai... qual o problema, irmãos Marinho? As ações da Globo não são mais de vocês?!

 

Lembram da bailarina do Chico?

Procurando bem, todo mundo tem pereba, marca de bexiga ou vacina”

Pois é...

Procurando bem, todo mundo tem pereba...

Santo mesmo, imaculado, só no altar de Igreja.

A Globo, certamente, está longe dessa condição.

Fora a bilionária sonegação fiscal descoberta anos atrás, parece que há outros fantasmas do passado rondando as mansões dos irmãos Marinho...

 

LEIA MAIS »

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Sempre tento compartilhar

Sempre tento compartilhar seus comentários. Só há bem pouco tempo descobri vc no FB. Agora, ficou mais fácil. Parabéns, pelo seu trabalho!

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Agora, bora ver como se

Agora, bora ver como se comporta Raquel Dodge, a " salvação" das patifarias do MPF.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Ö golope já falhou e apresenta seus amargos frutos

Depois do golpe, o caos.

O golpe já falhou e os resultados dele estão aí apresentados, nem precisou esperar muito. O desastre já se manifesta no desmprego, no déficit das contas públicas, nos cortes para serviços essenciais, na volta da lista da fome, no total desprestígio internacional, na desmoralização das "instituições" como o stf, no rasgar da constituição, na paralização de obras, na sentença ridícula do moro, na piora dos serviços públicos e na incrível situação da segurança pública, etc, etc. E como diriam os economistas: tudo ainda com viés de piora.

Diz o Nasif:  "No pano de fundo, o agravamento da crise, com um plano econômico inviável aplicado por economistas radicais valendo-se do vácuo político. E, fora das fronteiras, ventos complicados ameaçando botar mais lenha na fogueira.

O caos – que irá se ampliar nos próximos dias – é resultado direto da quebra da institucionalidade, com a Lava Jato e o impeachment."

Concordo. Mas ainda vou mais longe, a conta do golpe chegou depressa demais, está aí. Os golpistas logo serão chamados a pagá-la mesmo sendo impagável. Outra panelas voltarão em breve, com outra sonoridade. E alguns novos ovos.

Golpistas, globo, grupo do temer, instituições, precatai-vos.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Quem não desconfia de si próprio não merece a confiança dos outros (ditado árabe)

imagem de Alex S.
Alex S.

Temer ganhará. Ganhará fácil.

Temer tem a caneta e o orçamento nas mãos.

Pode cobrar dívidas e aniquilar a verba de propaganda da emissora.

Tem ao seu lado políticos de todos os matizes, que buscam uma forma de tornar o jogo mais simétrico e fugir da vala comum.

Temer poderia até passar como um trator sobre as organizações Globo. 

Só não o fará mediante uma negociação de trégua e, consequentemente, se manterá no poder.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Sincermente, não duvido de

Sincermente, não duvido de que Dilma, Lula, Temer, Aécio, Gilmar ou qualquer outro que tentasse individualmente acabar com a Rede Globo, acabaria praticando pesca submarina no estilo Zavascki, se é que vocês me entendem...

O monstro não vai se render tão facilmente, e é capaz de tudo.

Seu voto: Nenhum (8 votos)
imagem de Bobo
Bobo

O grande esquema de corrupção

O grande esquema de corrupção Globo/CBF continua no comando do futebol brasileiro, o CADE e demais autoridades vão ter que impor multas, sanções, rever contratos, os clubes brasileiros estão endividados pedindo perdão de dividas ao fisco e sua maior fonte de renda os contratos televisivos se deram em processo viciado. O bravo MPF seguirá fundo até encontrar o chefe controlador do esquema que corrompeu todo o futebol brasileiro, se internacionalizou na FIFA, organizou uma quadrilha para macular contratos com o poder publico e privados, sonegou impostos, mas vai ter que ir além do que fizeram na lava-jato apenas pedir para que entreguem Lula.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Claudiney
Claudiney

O tridente do Eduardo

 

Se o tridente cutucar o diabo-chefe com a vara curta, não terá a voz aceita entre os antigos diabos aliados. Se a vara for grande demais, também não será aceito. A ganância do sistema todo dos diabos-líderes é encontrar denúncias capazes de produzir novos elementos que sejam suficientes para manter a aliança dos diabos menores em evidência, não importa se serão comprovados ou não.

 

Mesma situação se aplica ao Palocci, Funaro, etc.

 

Eles precisam falar. Mas o que falarem só será tornado público numa "delação ao vivo". Caso contrário, o assunto morre. Então o tridente precisa ter a vara com a medida certa. Quem sabe com umas cutucadas leves, cheguemos a 2019 para alguém poder botar a boca no trombone.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de ricardoaraxa
ricardoaraxa

O PT poderia aproveitar e

O PT poderia aproveitar e propor a lei de medios agora.Pra já !!!

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Duas quadrilhas, rivais de

Duas quadrilhas, rivais de tráfico internacional de drogas, em guerra e uma nação no meio.  Eliminando quem, de fato, representa  a população passaram a duelar pelo "ponto". O bom é que acabaram-se as ilusões. Nosso Judiciário é parte e não juiz na disputapelo ponto Brasil. 

Seu voto: Nenhum (14 votos)

A tragédia brasileira

Um convite para o empório em https://oemporiodocesar.blogspot.com.br/2017/07/a-tragedia-brasileira.html

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de R
R

Opinião pública

Nassif superestima a opinião pública brasileira. E o nível de informação das pessoas - quem dera o GGN fosse uma mídia de massa.
A Lava Jato/Procuradores tem grande credibilidade junto à boa parte da classe média/alta, em que não se percebe os últimos acontecimentos como GOLPE.
Nassif subestima a grande margem de manobra dos grupos políticos no poder, evidenciada por ele mesmo nos relatos do fisiologismo, da corrupção, do ataque drástico e oportunistico ao marco legal nacional do período Temer.
Qual o poder da Globo junto ao poder judiciário? É ali o tabuleiro do jogo, ganhará quem exercer a maior influência. É lá que está parado o processo da Globo. É lá que a Globo encontra apoio. Foi através do judiciário que se criou toda essa barafunda, afinal de contas, a Lava Jato foi nada mais que uma fonte de produção de denúncias para a Globo (e jornalões).

O caos é o novo normal.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Heloísa Coellho
Heloísa Coellho

Quando termina a concessão pública de TV da Rede Globo?

Isso poderia estar por trás da agressão da Globo ao "presidente"? Nassif, investigue!

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Se as organizações globo, dos

Se as organizações globo, dos irmãos maneirinhos, caírem, o Brasil irá se safar de um peso enorme. O povo brasileiro poderá ir para as ruas comemorar a morte do demônio mais velho e malvado do inferno, que infernizou o país por dezenas de anos. O Brasil poderá respirar aliviado e descansar tranquilo em berço esplêndido e eterno.

 

 

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Marcos Castro
Marcos Castro

No vácuo.

E no vácuo deixado pela Globo virá um outro diabo, seu nome? Começa com a letra R.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Luciano Lira
Luciano Lira

Muito o comentário. A grande

Muito o comentário. A grande besta está para cair...

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de j.marcelo
j.marcelo

Vou colocar mais lenha na

Vou colocar mais lenha na fogueira,se meus amigos americanos quiserem,Moro será preso!

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Sarney, Jader, Collor, Alves tomariam a Globo dos Marinho?

Antes de mais nada, seria apenas trocar uma desgraça por outra para o povo, mas não é possível que ninguém enxergue esse cenário. Será que entre esse pessoal não tem um que tenha lido Maquiavel?

E se as oligarquias políticas resolverem ficar com a Rede Globo, sem intermediários?

Hoje muitos dos caciques políticos já são afiliados regionais da Rede Globo. Mas a matriz da Rede Globo (leia-se família Marinho) para compor com FHC-PSDB nos anos 90 rompeu o pacto criado por ACM durante a ditadura e na transição do governo Sarney de dar sustentação midiática às oligarquias regionais. Collor foi eleito e derrubado pela Globo. Sarney comeu o pão que o diabo amassou no JN em 2002 e em 2009, primeiro quando Serra derrubou Roseanna, depois quando o mesmo Serra quis derrubar Sarney da presidência do Senado para implodir a aliança PT-PMDB nas eleições de 2010.

Temer tem o Ministério das Comunicações nas mãos. O Congresso tem o poder até de cassar a concessão (note que nem precisa necessariamente fechar, pode apenas obrigar a transferir o controle com a perda da concessão pelos donos). Se os coronéis eletrônicos resolverem tirar a matriz das mãos dos Marinho (como a ditadura fez com a TV Excelsior) e passar o controle da matriz diretamente para eles próprios, o que impediria?

Certamente a Globo recorreria aos amigos do judiciário. Mas as oligarquias também tem amigos no judiciário, inclusive preocupados com fogo da inquisição chegar nas togas. E com o perfil das brigas na casa grande cada vez mais parecida com métodos da máfia, ganha quem demonstrar ter mais poder de fogo.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

De quebra ganham um fortuna sem risco de prisão

Para felicidade geral do "centrão", todos ainda ganhariam uma fortuna maior do que qualquer propina, sem risco de serem presos. Os caciques mais poderosos ficariam com o valor de mercado da concessão dos Marinho da matriz. Com isso poderiam redistribuir suas próprias concessões regionais que valem também uma fortuna (mas menos valiosa do que a matriz) entre a base fisiológica para não serem receptivos a votar pelos Marinho.

Para ter apoio do Macedo, Silvio Santos, Saad e a bancada de tvs afiliadas no Congresso (Lobão, Agripino, etc) ainda poderia redistribuir melhor a programação da Globo, descentralizando o futebol, etc.

É só aplicar o be-a-bá do Príncipe de Maquiavel sobre a Globo.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de alcides carpinteiro
alcides carpinteiro

Não dá. Eles não produzem

Não dá. Eles não produzem conteúdo

Seu voto: Nenhum (1 voto)

É só fazer o conteúdo vir junto no pacote.

Quem tem a caneta e a máquina na mão pode fazer estripulias, quando o passa a valer é a lei do mais forte.

E onde os artistas de novela, o Faustão vão trabalhar? Sem concessão os Marinhos são obrigados a demitir todo mundo. Quem tem a concessão contrata. É só fazer uma regra de transição que assim, nem um capítulo de novela ficaria fora do ar. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Queremos a Globo menor?

O pessoal gosta de se esconder atrás da falsa dicotomia Capitalismo x Comunismo o que leva a gente a ter dificuldade na concepção de um país mais socialista. Ou melhor, de uma país que adota medidas mais socialistas, daquelas em que, por exemplo, não se permite o crescimento da iniciativa privada a dimensões como as dessa firma, "Globo".

"Ah, mas se eu permitir cortar as asas de uma firma, terei que aceitar que as asas de qualquer firma possam ser cortadas. Mas se mais adiante meus sonhos se tornarem realidade e eu me tornar um gigante, um monopólio no meu ramo?"

Uma que para que os sonhos de se tornar um império se realizem é preciso abrir mão da consciência cidadã, da própria nacionalidade, concessão dificílima de ser feita para muitas pessoas sem um verdadeiro estupro da própria estrutura constitucional, psicológica, cultural e moral. Outra que nem precisa se aprofundar muito em estudos estatísticos para perceber que é muito improvável que todos se tornem assim agigantados.

"Ah, mas comigo é diferente, não sou apenas mais um. Não posso nem me dar ao luxo de ser sob o risco de ser aniquilado pelo outros que não são. Se não sou o máximo pelo menos tenho que fimgir que sou através de retóricas, recursos de aparência... os que são agigantados não são de difícil acesso? Pois subirei num pedestal e os outros vão acreditar que sou gigante, sendo ou não. E com o tempo até eu mesmo passo a acreditar que sou."

O fato é que ou queremos que firmas como a "Globo" sejam impedidas de crescer tanto assim (e tanto assim se opõe às dicotomias) ou queremos que nem essa firma e nem nenhuma outra possa virar império. Querer os dois não é falsa dicotomia, é verdadeira.

***

Já que é para imaginar e realizar, será que dá para a gente se imaginar numa ordem mais socialista, menos privilegiadora do indivíduo? O que perderíamos? O que ganharíamos? Como seria?

Seu voto: Nenhum (1 voto)

A imprensa já foi

A imprensa já foi referenciada milhões de vezes como o "quarto poder". Então, a questão não passa a ser simplesmente o tamanho de uma empresa, mas o tamanho de um poder em relação aos outros três.

A ideia da república é que exista um equilíbrio entre os poderes. Um não deve interferir no outro além da sua alçada e um não deve ter supremacia em relação aos demais. Então, o que dizer de um poder "informal", que não tem regulação, que basicamente faz o que quiser?

 A verdade é: uma grande empresa, que vale 1 blhão, tem muito poder. Uma grande empresa de mídia, que valha o mesmo bilhão, tem um poder infinitamente maior. Não dá simplesmente para igualar empresas de mídia com as demais e nem devemos esquecer que, ao contrário das demais empresas, emissoras de TV são concessões públicas.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Monopólios e até oligopólios

Monopólios e até oligopólios tacitamente cartelizados em qualquer ramo não só fogem ao espírito capitalista como não são uma boa para o consumidor final. Porque nenhum banco brasileiro arrasa o mercado praticando juros menores? Porque nenhuma prestadora de serviço de telefonia móvel arrasa o mercado com bons serviços ou preços menores? Isso sem falar de AES e Sabesp em São Paulo, que aí já piora tudo: privatização com direito a monopólio. Vai reclamar da AES com quem?

E quem é o investidor privado, esteja na administração da empresa ou não, que vai se conter ante a possibilidade de manipular o mercado cartelizando tacitamente com os outros players? Ou quem vai rejeitar a oportunidade de se tornar monopólio, seja de que ramo for?

Então o poder econômico deria bom que fosse contido, e nisso não se pode contar com auto-regulamentação. Se não não haveria uma Monsanto, por exemplo, e nem a indústria farmecêutica - pela natureza do que produz - praticaria os preços que pratica. É necessário que alguém, que fique de fora, contenha os males do capitalismo.

Mas concordo: com o ramo das comunicações em massa a coisa é muito pior. Não apenas por tratar-se de concessão mas também por ser, a comunicação de massa, uma arma não menos nefasta e danosa do que as de fogo. Muita gente prefere morrer a tornar-se prisioneiro, zumbi.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Então, eu não sou contra a

Então, eu não sou contra a existência de regulação do estado em diversos ramos, justamente para impedir a ocorrência de monopólios, oligopólios e cartéis. Justamente o contrário. Acho que deve sim existir regulação, desde que não excessiva, e que também não seja como atuam as agências reguladoras que ainda existem no Brasil, que fingem que controlam alguma coisa.

É justamente por isso que a questão da mídia é tão prioritária. Além das empresas de mídia contarem com o poder econômico, como acontece com outras empresas, também contam com o poder da informação. É exasperante saber que no Brasil esse poder não tem virtualmente nenhuma regulação.

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Rui Ribeiro
Rui Ribeiro

Temer não se deixará abater por nenhuma dificuldade

"Com todo respeito: quem conquistou dona Marcela não se deixa abater por nenhuma dificuldade". Noblat

Portanto, a guerra será ganha pelo Temer, e a Globo, não podendo vencê-lo, se aliará a ele.

Tá todo mundo com a bunda de fora, a começar pela Musa do Impit, a Ju Isen. Acho que agora vão expor o intestino grosso.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

É possível que se acertem ...

"Portanto, a guerra será ganha pelo Temer, e a Globo, não podendo vencê-lo, se aliará a ele."

Essa notícia do Valor sobre O FBI gravar o Temer nos EUA a pedido do PGR pode ser algo nessa direção. Entregou o Janot, divulgando uma ação contra a soberania nacional. É verdade que este não foi o primeiro pecado da espécie. Mas os pecados anteriores ninguém deu muita importância e entraram para o catálogo do "não vem ao caso".

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Marcia Eloy
Marcia Eloy

Globo X Record

Não sei qual das duas emissoras exerce pior inflência sobre a populaão brasileira. A Globo atualmente é contra o Temer, a Record é a favor.Toda a bancada evangélica votou a favor do Temer, tanto na Reforma Trabalhista como agora na CCJ.Esta briga é para exercer mais poder, apenas isso.Só tenho pena do Palloci que foi usado pela Record.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Que venha uma nova Era

Otimo, Nassif. So acho que nessa guerra, os Marinho ainda vão levar a melhor. Enquanto não houver uma população consciente de que os veiculos de comunicação manipulam em interesse proprio, não teremos a "revolução da rede globo" e a revolução de toda essa velha midia embolorada, abraçada em velhos privilégios e nem um pouco interessada na real situação do Pais. Mas dia vira ainda que os Marinho cairão e o grupo Globo deixara de ser o quarto poder no Brasil. Enquanto isso, assisto tranquila a queda de braço do prototipo de Macbeth do cerrado versus os irmãos metralhas da comunicação.

Seu voto: Nenhum (7 votos)
imagem de jossimar
jossimar

"E agora, José? No inferno,

"E agora, José? No inferno, Eduardo Cunha dá boas gargalhadas e prepara seu tridente"

Pode não ser o melhor, mas seria o mais correto.

O STF decretando a anulação do golpe e devolvendo o governo a Dilma Roussef e a cadeia para todos os golpistas do judiciário, pgr, pf, mídia, empresários, políticos, etc etc e anulação de todas as medidas golpistas.

Se na campanha de 2018 um candidato propor as medidas dos golpistas e for vencedor da eleição não haverá nada a se fazer a não ser oposição política. Sem golpes.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Claudiney
Claudiney

O caldeirão tá fervendo

 

Na Turquia o caldo esquentou. Resolveram em um dia.

Seu voto: Nenhum
imagem de twoprong
twoprong

A sentença do moro foi

A sentença do moro foi endossada publicamente pela globo nils.

Seu voto: Nenhum
imagem de Andre Luiz RRR
Andre Luiz RRR

Será?? Mas será mesmo??! Que

Será?? Mas será mesmo??! Que com toda podridão, Temer vai deixar esse legado tão importante ao país que é enquadrar a Globo e expor toda sua imundície? Essa briga eu não quero perder, embora eu esteja longe de estar otimista, vivemos tempos interessantes!

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Só não se esqueça dos militares..

.. prezado Nassif, acho seu texto bastante consistente, acredito que essa disputa é uma espécie de "salve-se quem puder" decorrente da inércia da justiça, formada por zilhões de advogados, promotores, juízes, e também jornalistas, analistas em geral, opinão pública e o escambau, daqui e de outras partes do mundo.. fizeram a roda girar (Dilma fez isso) e agora ela vai triturar alguns.. daí a guerra.. mas tem um problema.. quando a situação sair do controle, ou seja, quando a mão da justiça alcançar de fato esses corruptos, as FA virão em seu socorro.. o mote será o combate ao "caos".. anota aí..

Seu voto: Nenhum (8 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.