Revista GGN

Assine

aditivo

Justiça nega pedido para suspender investigação sobre cartel dos trens

Foto: Divulgação

Jornal GGN - O Tribunal Regional Federal da 3ª Região negou um pedido da CPTM para suspender um inquérito que apura se houve pagamento de propina e lavagem de dinheiro envolvendo empresas que formaram consórcios para executar as obras da Linha 5. 

Segundo o Estadão, o tribunal decidiu que Mário Bandeira, ex-presidente da CPTM, e José Luiz Lavorente, ex-diretor de operação e manutenção da empresa, devem continuar como investigados.

Leia mais »

Média: 3.7 (3 votos)

Governo Alckmin pagou 290% a mais à OAS por Rodoanel Norte

 
Jornal GGN - A Polícia Federal investiga o contrato da empreiteira OAS com a empresa Dersa, controlada pelo governo paulista Geraldo Alckmin (PSDB), nas obras do Rodoanel Norte, que sem ouvir técnicos recebeu R$ 390 milhões de recálculo de um trecho adicional. Para o incremento do que representou 290% a mais do custo da terraplanagem do espaço, a estatal paulista assinou um relatório produzido pela própria OAS.
 
O documento da empreiteira precisava ter a confirmação de um técnico responsável especialista, como geólogo ou geotécnico, afirma reportagem da Folha de S. Paulo. Mas não tem. O relatório apenas afirma que o projeto original da Dersa não previu a grande quantidade de rochas existentes no local, que dificultavam a terraplanagem e justificariam o aumento de 290% no custo do serviço.
 
A empresa controlada pelo governo estadual de Alckmin concordou com o argumento, sem consultar as áreas técnicas ou especialistas, incluindo os próprios setores de Projeto da Dersa - que supostamente teria errado ao não prever as condições expostas - e o Planejamento. 
 
A obra que hoje não apresenta nem metade de sua conclusão deve, ainda, receber outros aditivos que acrescentarão ao menos 10% no valor total da obra licitada, em 2012, prevista à época pela quantia de R$ 3,9 bilhões. 
 
De acordo com a reportagem, que não especificou em sua manchete de capa, título ou linha-fina a relação da obra com o governo tucano, as obras também atrasaram pela demora nas desapropriações - uma responsabilidade, também, do governo estadual para o Rodoanel Norte. Com isso, a obra prevista para março deste ano ficou para 2018. 
Média: 5 (4 votos)