Revista GGN

Assine

afastamento

Após críticas de Temer e pedido de suspeição, Fachin quer posição de Janot


Foto: Marcos Correa/PR

Jornal GGN - Michel Temer considerou o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, suspeito para o investigar. O ministro relator dos processos da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, pediu para o procurador se manifestar.

Da Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin concedeu hoje (10) prazo de cinco dias para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, se manifestar sobre pedido de suspeição feito pela defesa do presidente Michel Temer.

Leia mais »

Média: 1 (1 voto)

Ao vivo: Deputados discutem denúncia de Temer por corrupção passiva

Foto: Agência Brasil

 

Jornal GGN - O relatório do deputado Sergio Zveiter (PMDB) orientando a Câmara a votar a favor da denúncia contra Michel Temer por corrupção passiva está em debate na Comissão de Constituição e Justiça, na manhã desta quarta (12). Temer foi acusado pela Procuradoria Geral da República de ser o destinatário final da mala com R$ 500 mil que a JBS entregou a Rodrigo Rocha Loures.

Leia mais »

Sem votos

Maia se aproxima do mercado e já sinaliza quais ministros serão demitidos

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - De maneira discreta, Rodrigo Maia (DEM) vem dando sinais de quais mudanças pretende fazer no governo caso assuma a presidência no lugar de Michel Temer. Para angariar apoio, ele tem insinuado que o titular da Fazenda, Henrique Meirelles, deverá ser mantido pelo bem do ajuste econômico. Dyogo Oliveira, do Planejamento, é "dúvida", já que "empresários e investidores" estão interessados em escolher um novo nome. A informação é do Poder 360.
 
Já o núcleo duro da área política de Temer - formado por Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria Geral) e Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) - deve ser totalmente modificado para mostrar "renovação". "O entendimento é que novas caras (e mais jovens) precisam assumir o comando", apontou o portal.
Média: 1.7 (10 votos)

Lula: “Rodrigo Maia já está se preparando para ser o próximo presidente”

Foto: Ricardo Stuckert
 
 
Por Esmael Morais
 
O ex-presidente Lula, em discurso na posse da senadora Gleisi Hoffmann, na presidência do PT, disse na noite desta quarta-feira (5) que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já está se preparando para ser o próximo presidente da República.
 
“Certamente o Rodrigo Maia já está se preparando para ser o próximo presidente da República. Não podemos esquecer que golpista é golpista”, discursou.
 
Lula pediu para a militância e a direção do PT ficarem atentos acerca dos motivos da Globo defender a queda do ilegítimo Michel Temer.
Média: 4 (4 votos)

O que forja o atraso da queda de Michel Temer

 
Jornal GGN - O início da análise da denúncia por corrupção passiva contra Michel Temer na Câmara dos Deputados esbarra em um complexo jogo de alianças e interesses numa das maiores crises políticas do país. Enquanto deputados analisam até que ponto podem sacrificar imagens ao veredito público pelo simples apoio a Temer da grande base no Congresso, as ameaças constantes da Lava Jato a diversos políticos e as eleições de 2018 complicam ainda mais o cenário.
 
Por parte do comando da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) é um claro fiel aliado do mandatário peemedebista. Apesar de publicamente afirmar que os prazos para a denúncia de Temer na Casa serão respeitados, táticas vem sendo usadas para protelar ao máximo a conclusão da análise dos deputados sobre se o presidente será ou não julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
 
Em outra frente, Maia também evita se expor ou tirar proveito como um possível herdeiro da cadeira do Planalto, caso Michel Temer seja afastado. O presidente da Câmara é o próximo da linha sucessória da Presidência da República. Em gesto de que não pretende, nem temporariamente, comandar o país, a ausência de Temer em agenda internacional fez o deputado também marcar viagem ao exterior para não estimular as hipóteses.
Média: 5 (2 votos)

Gilmar Mendes é "manipulador", "vingativo" e "cooptador", denuncia advogado

Foto: Carlos Humberto / STF
 
Jornal GGN - "Gilmar Mendes só poderia ser mantido na magistratura em uma República de Bananas", afirmou ao GGN o professor doutor Marcelo Neves, um dos autores do pedido de impeachment no Senado, do pedido de denúncia na Procuradoria-Geral da República e de afastamento do ministro junto ao Supremo Tribunal Federal (STF).
 
Ocupando o cargo de conselheiro do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), por indicação do Senado, mais especificamente do então parlamentar Aloizio Mercadante (PT), os anos de 2009 a 2011 foram suficientes para Neves conhecer de perto algumas posturas do ministro do Supremo, quando Gilmar presidiu a Corte e também o Conselho (2008-2010).
 
Começando por sua própria entrada no órgão, Marcelo Neves acompanhou, como observador, a relação do jurista nas indicações e o poder político de influência que exercia sobre elas. 
 
Á época, Neves era professor de Teoria do Direito no Programa de Estudos da Pós-Graduação da PUC/SP e professor doutor de Teoria do Estado da USP. Não esperava se enredar por cargos da vida pública. Até que o líder do PT no Senado, Mercadante, analisasse quem seria um forte indicado para ser conselheiro do órgão e, juntamente com Gilmar, tomaram conhecimento de seu nome.
Média: 4.8 (21 votos)

Os crimes de Gilmar Mendes, segundo os autores da denúncia


Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil
 
Jornal GGN - Gilmar Mendes cometeu crimes junto à Lei Orgânica da Magistratura, ao Código do Processo Civil e à Lei do Impeachment por três motivos: atuação político-partidária ilegal, ao articular com o senador Aécio Neves (PSDB-MG) a aprovação da lei de abuso de autoridade; por julgar causas com a defesa do advogado Guilherme Pitta, membro do escritório de sua própria esposa; e por desrespeitar com ataques membros do Ministério Público Federal (MPF), ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e o próprio Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
 
As considerações são do constitucionalista e professor da Universidade de Brasília (UnB) Marcelo Neves, do ex-procurador-geral da República Cláudio Fonteles, e outros 29 representantes do Direito e Universidades, que enviaram contra o ministro Gilmar Mendes três peças para o seu afastamento do Supremo: um pedido de impeachment ao Senado, uma reclamação disciplinar ao STF e uma "notitia criminis" ao MPF.
 
Ao GGN, Marcelo Neves explicou como o ministro e presidente do TSE infringiu diversas leis e regulamentações da magistratura, que se caracterizam como crime de responsabilidade. "O primeiro é exercício ilegal de atividade político-partidária que fere tanto a Constituição, como a Lei de Organização da Magistratura, como também o artigo 39 da Lei de Impeachment", introduziu.
Média: 4.7 (14 votos)

E se Dilma tivesse usado a máquina pública contra delatores da Lava Jato?

Foto: Lula Marques/PT
 
 
Jornal GGN - A operação deflagrada pela Polícia Federal contra a JBS, nesta sexta (9), coordenada por uma autarquia ligada ao Ministério da Fazenda, chama atenção pelo "time": ocorre exatamente um dia após 3 deputados afirmarem ao jornalista Tales Faria, em off, que o governo Michel Temer tem um plano para dizimar a empresa de Joesley Batista, em retaliação à delação premiada que balançou a cadeira do presidente.
 
A contraofensiva de Temer, que envolve ainda o Judiciário e o Ministério Público, vem ocupando espaços discretos nos jornais nos últimos dias. A mesma informação sobre as investidas contra a JBS, Rodrigo Janot e Edson Fachin com o uso das tropas aliadas e órgãos do governo passaram pela Folha, O Globo, Valor e Estadão, apenas para citar alguns exemplos. Mas sem o alarde que os fatos ensejam. Fica a pergunta: a grande mídia contemporizaria com o suposto uso da máquina pública contra delatores, procuradores e juízes da Lava Jato, se a presidência ainda estivesse ocupada por Dilma Rousseff (PT)?
Média: 4.8 (5 votos)

PSOL e Rede pedem cassação de Aécio

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

Jean Wyllys questiona parecer que não ouviu suas testemunhas

 
Jornal GGN - O relator do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, Ricardo Izar (PP-SP), pediu a suspensão por quatro meses do mandato de Jean Wyllys (PSOL-RJ), nesta terça-feira (13). O motivo seria o fato de o deputado ter cuspido em Jair Bolsonaro (PSC-RJ), após o mesmo ter provocado o parlamentar por ser homossexual.
 
Em resposta, Jean Wyllys não apenas contesta a suposta quebra de decoro, por defender que não aceita "ser punido por ser um homossexual que ousou sair do lugar subalterno que a sociedade lhe reserva", como também questionou o conteúdo do parecer de Izar.
Média: 4.4 (7 votos)

Renan Calheiros desafiou o Supremo e venceu, o que não deve ser exemplo, por Janio de Freitas

Jornal GGN - "Nenhum cidadão, por mais honra que tenha", deveria ter margem para desafiar o Supremo Tribunal Federal e não cumprir uma decisão judicial vinda da mais Suprema Corte. O exemplo de Renan Calheiros, se se seguido, só vai acrescentar à crise institucional que pauta o governo Temer, capítulos mais "dramáticos", para não dizer que podem vir a ser "trágicos". É o que avalia o colunista Janio de Freitas, nesta quinta (8).

Leia mais »

Média: 5 (5 votos)

Temer diz que PEC do Teto "seguramente" será votada seguindo sua agenda

 
Jornal GGN - Michel Temer está confiante que, independentemente do afastamento ou não de Renan Calheiros (PMDB-AL) da Presidência do Senado, a sua agenda de votações será mantida no Congresso.
 
Após sair da cerimônia de promoção de oficiais das Forças Armadas no Palácio do Planalto, Michel Temer disse que "seguramente" a PEC 55, do Teto dos Gastos Públicos, será votada na próxima terça-feira (13), em segundo turno.
 
A postura do peemedebista é contraditória ao que foi dito pelo partido de oposição ao governo. O senador Lindbergh Farias (PT-SP) desmentiu a informação, nesta quarta, de que o atual substituto de Renan, Jorge Viana (PT-AC) abandonaria o posto para deixar nas mãos de Romero Jucá (PMDB).
Média: 2.3 (3 votos)

Supremo deve favorecer Renan, ou Jucá assumirá Senado no lugar de Viana

Jornal GGN - A crise entre Senado e Supremo Tribunal Federal, colocando em xeque medidas econômicas que interessam ao governo Temer, pode terminar nesta quarta (7) com tendência de favorecimento a Renan Calheiros. Segundo informações da Folha, Temer conseguiu articular com o STF para ter maioria no julgamento que ocorre hoje. A tendência é Renan ser mantido no cargo de presidente do Senado.

Leia mais »

Média: 1.8 (5 votos)

Procuradores falam em "golpe" do Senado e Supremo decide sobre Renan amanhã

Jornal GGN - Após a Mesa Diretora do Senado decidir não respeitar a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello, que determinou o afastamento de Renan Calheiros do presidência do Senado, Cármen Lúcia, presidente da Suprema Corte, agendou para a quarta-feira (7) o julgamento da liminar em plenário pelos demais ministros.

Leia mais »

Média: 4 (4 votos)

Em impasse de Renan, Senado tem sessão paralisada

 
Jornal GGN - Ainda no impasse sobre o afastamento de Renan Calheiros (PMDB-AL) da Presidência do Senado, a advocacia da Casa chamou a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio, de "teratológica", no Mandado de Segurança impetrado nesta terça-feira (06).
 
A intenção de Renan é tentar voltar ao posto de comando do Senado, contra a medida do ministro. Enquanto isso, o senador espera que, tanto seu recurso, quanto o Plenário do STF julgue o caso, e não obedeceu à decisão de Marco Aurélio.
Média: 4 (8 votos)