Revista GGN

Assine

folha de pagamento

Fim da desoneração da folha passa a valer no dia 1º de julho


Dyogo Oliveira e Henrique Meirelles - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
 
Jornal GGN - A Medida Provisória que acabou com a desoneração da folha de pagamento para grande parte dos setores da economia começa a valer a partir do próximo dia 1º de julho. Considerada uma das principais políticas do governo de Dilma Rousseff para estimular a economia, a desoneração voltará para diversas empresas.
 
Setores de tecnologia da informação, teleatendimento, hoteleiro, comércio varejista e alguns segmentos industriais, como automóveis e vestuário, terão que contribuir com a alíquota de 20% a partir do próximo mês.
 
A desoneração instituída pelo governo Dilma substituía a contribuição sobre a folha de pagamento por uma contribuição sobre a receita bruta, destinada ao financiamento da Seguridade Social. Mas o governo de Michel Temer acabou com a política e buscou recuperar parte do déficit primário de R$ 139 bilhões do país com a retomada da arrecadação.
Média: 2.3 (3 votos)

Renan trava análise de projeto que pode arrecadar R$ 4,8 bilhões

Foto: Lula Marques/Agência PT
 
 
Jornal GGN - O senador Renan Calheiros (PMDB) trava a composição de um grupo especial no Congresso que vai analisar uma Medida Provisória que pode gerar ao governo Temer cerca de R$ 4,8 bilhões em arrecadação no próximo semestre, em cima de tributação sobre a folha de pagamento de setores como o de hotelaria, varejo, indústria, tecnologia e callcenter.
 
Segundo reportagem do Poder 360, a análise da MP 774 ainda não começou porque Renan, líder do PMDB no Senado, ainda não escolheu um relator.
Média: 5 (1 voto)

Emprego industrial tem retração de -0,4% em novembro

Jornal GGN - O total do pessoal ocupado assalariado na indústria caiu 0,4% em novembro de 2015 frente ao mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, registrando assim sua 11ª taxa negativa consecutiva, acumulando perda de 7,3% nesse período. Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Com esses resultados, o índice de média móvel trimestral recuou 0,6% no trimestre encerrado em novembro de 2015 frente ao mês anterior e manteve a trajetória descendente iniciada em abril de 2013. Leia mais »

Sem votos

Folha de pagamento real da indústria recua 6,1% no semestre

Jornal GGN - Em junho de 2015, o valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria ajustado sazonalmente avançou 1,3% frente ao mês imediatamente anterior, após assinalar dois meses consecutivos de taxas negativas, período em que acumulou redução de 4,7%. Os números foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

No índice desse mês, verifica-se a influência positiva do setor extrativo (31,2%), em função do pagamento de participação nos lucros e resultados em importante empresa do setor, uma vez que a indústria de transformação (-1,1%) permaneceu apontando taxas negativas pelo sexto mês seguido. Leia mais »

Sem votos

Senado deve finalizar votação do ajuste fiscal

 
O Senado poderá votar na semana a última medida do ajuste fiscal - o projeto de lei da Câmara que reduz as desonerações na folha de pagamento. Aprovado pelos deputados na quinta-feira (25), o PL 863/2015, do Poder Executivo, aumenta as alíquotas incidentes sobre a receita bruta das empresas de 56 setores da economia com desoneração da folha de pagamento.
 
Desde 2011, essas empresas foram autorizadas pelo governo a trocar a contribuição patronal para a Previdência, de 20% sobre a folha de pagamentos, por alíquotas de 1% e 2% sobre a receita bruta. Leia mais »
Média: 2 (1 voto)

Comissão da Câmara discute desoneração da folha de pagamento

A Comissão de Finanças e Tributação promove audiência pública nesta quinta-feira (9) sobre a proposta de desoneração da folha de pagamento do setor produtivo, objeto de Projeto de Lei (PL 863/15) encaminhado pelo Executivo em substituição à MP 669/15. O debate foi proposto pelo deputado Manoel Júnior (PMDB-PB).

A MP foi devolvida pelo presidente do Congresso Nacional, Renan Calheiros, no dia 3 de março. No mesmo dia, a presidente Dilma Rousseff assinou projeto de lei para substituir a medida provisória devolvida. A proposta foi assinada em regime de urgência, para ter prioridade na votação no Congresso.

O parlamentar destaca que a MP propunha alterações na legislação quanto à contribuição previdenciária sobre a receita bruta; à tributação de bebidas frias; e sobre medidas tributárias referentes à realização, no Brasil, dos Jogos Olímpicos de 2016 e dos Jogos Paraolímpicos de 2016. Leia mais »

Sem votos

Governo aumenta contribuição previdenciária de empresas

Dando sequência às medidas de ajuste fiscal na economia, o governo publicou hoje no Diário Oficial da União a Medida Provisória 669 que eleva as alíquotas da contribuição previdenciária das empresas sobre as receitas brutas. Na prática, a medida reduz a desoneração da folha de pagamentos, iniciada em 2011.

A MP dispõe também sobre a tributos ligados à realização dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016 no Rio de Janeiro e altera os mecanismos de fiscalização no setor de bebidas frias.

No que se refere à contribuição previdenciária paga por determinados segmentos de empresas, o texto reduz a desoneração das folhas de pagamento. A desoneração da contribuição previdenciária sobre a folha de pagamentos das empresas começou a ser adotada em 2011 para reduzir os gastos com a mão de obra e estimular a economia.

Segundo a MP, a partir de junho, o recolhimento das empresas passará de 2% para 4,5% sobre o faturamento bruto. As empresas que recolhiam 1%, passam a pagar 2,5% sobre o faturamento bruto.

Leia mais »

Média: 3 (6 votos)

Folha de pagamento da indústria avança 1,9% em dezembro

Jornal GGN - Em dezembro de 2014, o valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria ajustado sazonalmente avançou 1,9% frente ao mês imediatamente anterior, eliminando parte do recuo de 2,4% registrado em novembro último, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O levantamento destaca a influência positiva tanto da indústria de transformação (1,6%), como do setor extrativo (3,7%). O índice de média móvel trimestral para o total da indústria apontou variação positiva de 0,1% no trimestre encerrado em dezembro de 2014 frente ao patamar do mês anterior, após registrar queda de 0,9% em novembro último. Leia mais »

Sem votos

Folha de pagamento da indústria sobe 1,1% em outubro

Jornal GGN - O valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria ajustado sazonalmente avançou 1,1% em outubro frente ao mês imediatamente anterior, recuperando parte do recuo de 1,3% registrado em setembro último, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Ao longo do período, verifica-se a influência positiva da indústria de transformação (1,1%), já que o setor extrativo mostrou recuo de 0,6%.

Ainda na série com ajuste sazonal, o índice de média móvel trimestral apontou variação positiva de 0,1% no trimestre encerrado em outubro de 2014 frente ao patamar do mês anterior e interrompeu a trajetória descendente iniciada em fevereiro último. A taxa acumulada nos últimos 12 meses mostrou recuo de 0,8%, o resultado negativo mais intenso desde abril de 2010 (-1,1%) e permaneceu com a trajetória descendente iniciada em janeiro último (1,6%). Leia mais »

Sem votos

Folha de pagamento real da indústria cai 2,9% em julho

Jornal GGN - O valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria, ajustado sazonalmente, recuou 2,9% em julho frente a junho, segundo resultado negativo consecutivo nessa comparação, acumulando no período redução de 5,2%. Os números foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Nesse mês a indústria de transformação e o setor extrativo, ambos com queda de 2,7%, apontaram taxas negativas. Com isso, a média móvel trimestral para o total da indústria caiu 1,1% no trimestre encerrado em julho de 2014 frente ao patamar do mês anterior, e manteve o comportamento predominantemente negativo presente desde março último.

Em relação a julho de 2013, o valor da folha de pagamento real recuou 3,4%.  O índice acumulado nos últimos doze meses, com variação positiva de 0,1%, mostrou perda de ritmo frente aos resultados de janeiro (1,6%), fevereiro (1,5%), março (1,4%), abril (1,2%), maio (0,9%) e junho (0,7%). Leia mais »

Sem votos

Taxa de desemprego apresenta estabilidade em quatro regiões

Jornal GGN - A greve dos funcionários do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) influenciou a divulgação da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), restringindo o escopo da análise a quatro das seis regiões metropolitanas envolvidas no levantamento. Regionalmente, em maio de 2014 a taxa de desocupação ficou estável nas quatro regiões divulgadas, em relação ao mês anterior.

"Excepcionalmente, não estão disponibilizados os dados das Regiões Metropolitanas de Salvador e Porto Alegre", diz o IBGE. "O atraso nas etapas de coleta, apuração, crítica, análise e avaliação da qualidade do dado coletado foi devido à paralisação dos servidores do IBGE, impossibilitando a divulgação completa na data prevista no calendário de divulgação". Posteriormente, em data ainda não definida, serão divulgados os dados completos do mês de maio incluindo as Regiões Metropolitanas de Salvador e Porto Alegre Leia mais »

Sem votos

Folha de pagamento real na indústria cresce 0,7%

Jornal GGN - O valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria ajustado sazonalmente avançou 0,7% em abril frente ao mês imediatamente anterior, após assinalar recuo de 2,3% em março e crescer 1,5% em fevereiro, de acordo com levantamento divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A pesquisa mostra que, nesse mês, verifica-se a influência positivo tanto da indústria de transformação (0,8%), como do setor extrativo (2,4%). O índice de média móvel trimestral para o total da indústria assinalou variação negativa de 0,1% na passagem dos trimestres encerrados em março e abril de 2014 e manteve a trajetória descendente iniciada em fevereiro último. Leia mais »

Sem votos

Valor da folha de pagamento real varia -2,1% em março

Jornal GGN - O valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria caiu 2,1% em março frente ao mês imediatamente anterior, segundo dados ajustados sazonalmente e divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O índice ampliou o ritmo de queda visto em fevereiro, quando a variação foi de -1,5%.

Os números divulgados destacam a influência negativa tanto da indústria de transformação (-1,5%), como do setor extrativo (-1,5%). O índice de média móvel trimestral assinalou queda de 0,4% na passagem dos trimestres encerrados em fevereiro e março de 2014 e interrompeu a trajetória ascendente iniciada em outubro último.

Ainda na série com ajuste sazonal, na comparação trimestre contra trimestre imediatamente anterior, o valor da folha de pagamento real da indústria cresceu 0,5% no período janeiro-março de 2014 e assinalou o segundo trimestre seguido de crescimento, mas em ritmo menos intenso do que o observado no último trimestre do ano passado (1,3%). Leia mais »

Sem votos

Folha de pagamento da indústria avança 1,6%

Jornal GGN - O valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria ajustado sazonalmente avançou 1,6% durante o mês de fevereiro frente ao mês imediatamente anterior, após assinalar recuo de 0,6% em janeiro último, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O destaque do mês ficou com a influência positiva da indústria de transformação (0,5%), já que o setor extrativo recuou 0,5%. Ainda na série com ajuste sazonal, o índice de média móvel trimestral para o total da indústria assinalou variação positiva de 0,4% na passagem dos trimestres encerrados em janeiro e fevereiro de 2014 e manteve a trajetória ascendente iniciada em outubro último.

Na comparação com igual mês do ano anterior, o valor da folha de pagamento real subiu 2,5% em fevereiro, atingindo seu segundo resultado positivo consecutivo nesse tipo de confronto. com resultados positivos em nove dos quatorze locais investigados. O principal impacto positivo sobre a média global foi observado em São Paulo (3,1%), impulsionado em grande parte pelas taxas positivas em doze dos dezoito setores investigados, com destaque para a expansão no valor da folha de pagamento real nas indústrias de alimentos e bebidas (10,7%), máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (12,4%), máquinas e equipamentos (2,6%), borracha e plástico (6,1%), metalurgia básica (9,9%), meios de transporte (1,4%) e vestuário (12,9%).

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Folha de pagamento industrial cai 3,7% ante 2012

Jornal GGN - O valor da folha de pagamento real na indústria brasileira caiu 3,7% no mês de novembro em relação ao visto no mesmo período de 2012, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em seu primeiro resultado negativo desde dezembro de 2009, quando a variação foi de -4,3%. De acordo com a pesquisa, a comparação foi influenciada pela elevada base de comparação, já que o valor da folha de pagamento real em novembro de 2012 cresceu 10,5%. O total acumulado em 11 meses do ano subiu 1,7% frente a igual período do ano anterior. Ao avançar 2,4%, o total acumulado nos últimos 12 meses assinalou resultado abaixo do registrado nos meses de setembro (3,8%) e outubro (3,7%).
 
A avaliação mensal mostra que o valor da folha de pagamento real ajustado sazonalmente subiu 2,6% frente ao visto no mês anterior, eliminando o recuo de 0,8% observado em outubro último. O levantamento destaca que, nesse mês, é possível apurar a influência da expansão de 2,1% registrada pela indústria de transformação, uma vez que o setor extrativo apontou recuo de 1,4%. Leia mais »
Sem votos