Revista GGN

Assine

Funaro

Janot corre para fechar delações de Eike, Léo Pinheiro, Cunha e Palocci antes de deixar cargo

 
Jornal GGN - O procurador-geral da República Rodrigo Janot está com pressa para fechar delações premiadas de peso para a Lava Jato, como as de Eike Batista, Antonio Palocci, Léo Pinheiro, Eduardo Cunha ou Lúcio Funaro, entre outras. Segundo informações de Mônica Bergamo, a pressa está vinculada à proximidade do fim de mandato de Janot.
Média: 5 (2 votos)

Funaro permanece na PF e retorno à Papuda é adiado

Foto-Montagem: Brasil247

Por Marcelo Brandão

Da Agência Brasil

Preso na Superintendência da Polícia Federal em Brasília desde a semana passada, o doleiro Lúcio Funaro voltaria hoje (14) para o presídio da Papuda, também no Distrito Federal, mas um pedido da força-tarefa da Operação Greenfield à 10ª Vara da Justiça Federal adiou a transferência. Com isso, a volta do doleiro à Papuda está suspensa até o dia 19 deste mês.

Segundo a Procuradoria da República no DF, a força-tarefa da Greenfield quer que Funaro preste mais esclarecimentos. A operação investiga fraudes e irregularidades na administração em quatro dos maiores fundos de pensão do país: Funcep, Petros, Previ e Postalis.

Funaro está preso desde 1º de julho de 2016, pela Operação Sépsis, um desdobramento da Lava Jato. O doleiro foi preso com base na delação de Fábio Cleto, ex-vice presidente de Fundos e Loterias da Caixa. O doleiro é apontado como operador financeiro do ex-deputado Eduardo Cunha.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Delação de Cunha já foi entregue, mas deve ser rejeitada, diz jornal

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - A delação de Eduardo Cunha já está na Procuradoria Geral da República para avaliação do potencial explosivo do material mas, segundo informações do jornal Valor, membros do Ministério Público Federal tem dado sinais de que o termo não será assinado.
 
A Lava Jato pretende fazer com Cunha e o doleiro Lúcio Funaro, operador do peemedebista, o mesmo que fez com a OAS e a Odebrecht: uma disputa de onde sairá apenas um vencedor. Ou seja, das negociações em trâmite, só sairá um beneficiário.
Média: 4.8 (5 votos)

O conveniente vazamento do vídeo de Geddel

 
Jornal GGN - Foi apenas para expôr Geddel Vieira Lima à humilhação ou o vazamento do vídeo da audiência de custódia teve outro propósito?
 
Preso por obstrução de Justiça, Geddel chorou diante de um juiz da Lava Jato tão logo percebeu que pode ter tomado um xeque-mate.
 
Participam da audiência, na quinta (6), o magistrado Vallisney Oliveira de Souza, a defesa de Geddel e representante do Ministério Público Federal. No mesmo dia, o vídeo foi vazado à imprensa. 
 
O destaque, em muitos portais, foi o choro de Geddel quando Vallisney indeferiu o pedido da defesa para que ele fosse transferido para a prisão domiciliar, com tornozeleira, entrega de passaporte e qualquer outra medida que fosse necessária.
 
Mas o vídeo contém outra informação importante para a Lava Jato.

Leia mais »

Média: 4.2 (5 votos)

Geddel chora ao ser mantido na prisão, após admitir ligação a mulher de Funaro

Jornal GGN - O ex-ministro Geddel Vieira Lima admitiu, em audiência de custódia com o juiz federal Vallisney Oliveira, nesta quinta (6), que conversou por telefone com a esposa de Lúcio Funaro por mais de 10 vezes no último ano, mas negou que a conversa tenha envolvido "chantagem" ou "pressão". Geddel foi preso sob a acusação de obstrução de Justiça. 

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

Com 100 anexos, delação de Cunha pode ser entregue na próxima semana

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - Complicando ainda mais a situação de Michel Temer, Eduardo Cunha estaria com mais de 100 anexos rascunhados na tentativa de fechar um acordo de delação premiada com a Lava Jato. "Ainda não se sabe quantos deles serão aproveitados no acordo oficial", disse Mônica Bergamo, na Folha desta quinta (6), mas a expectativa é de que os documentos sejam entregues e passem a ser avaliados já na próxima semana.
Média: 4.2 (5 votos)

Porque a prisão de Geddel apavora o governo Temer, por Bernardo Mello Franco

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN - Aliados de Michel Temer podem tentar negar o impacto da prisão de Geddel Vieira Lima sobre a denúncia contra o presidente, que já está na Câmara. Mas a verdade é que Geddel está tão envolvido na delação da JBS quanto Rodrigo Rocha Loures.
 
É por isso que a alegria com a liberdade de Loures durou muito pouco para Temer, diz Bernardo Mello Franco em sua coluna na Folha, nesta terça (4). Conhecido como "pavio curto", Geddel na cadeia é como um jacaré recolhido à jaula, afiando os dentes, apontou Franco.
Média: 3.8 (4 votos)

Sem saídas, delação de Funaro ameaça ainda mais Cunha e Temer

Arrolados pelas acusações da JBS, por falta de opções, agora é o operador do ex-presidente da Câmara que negocia acordo que atingirá em cheio Cunha e Temer
 

 Foto: Divulgação
 
Jornal GGN - O empresário Joesley Batista teria repassado R$ 173 milhões ao doleiro Lúcio Funaro, considerado o principal operador financeiro do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Nos depoimentos do acordo de delação premiada, o executivo da JBS relaciona esses repasses a Funaro diretamente com Cunha, e os dois, por sua vez, com Michel Temer.
 
Joesley Batista disse que a dupla Funaro e Cunha "encamparam" indicações de terceiro escalão do governo Dilma Rousseff, dominando o jogo de interesses e influências. "Eles vinham tomando terreno, este grupo. Encampou o [fundo de investimento] FI-FGTS, encampou a Caixa, aí encampou o Ministério da Agricultura", disse.
 
De acordo com Joesley, entre os repasses de R$ 173 milhões desde 2011, Funaro recebeu da JBS como propina uma casa nos Jardins, em São Paulo, de R$ 14 milhões, e um helicóptero, de R$ 8,4 milhões. Além dos depoimentos, o empresário entregou uma planilha que traz descrito a entrada e a saída dos pagamentos ao operador de Cunha.
Média: 5 (4 votos)

Temer acelera impeachment por medo de ser pego pela Lava Jato, diz Lindbergh

Jornal GGN - O interino Michel Temer (PMDB) quer antecipar o impeachment por medo de ser prejudicado pela operação Lava Jato, avalia o senador Lindbergh Farias (PT). Após os senadores Romero Jucá e Renan Calheiros (PMDB) confirmarem que o calendário do julgamento de Dilma Rousseff será encurtado, Lindbergh reagiu afirmando que estão cerceando a defesa da presidente eleita. Antes, quando a decisão estava prevista para sair em setembro, Dilma tinha direito a 32 testemunhas. Agora, com a pressão de Temer, caiu para apenas cinco.

Leia mais »

Média: 3.4 (5 votos)

Suposto operador de Cunha denuncia ameaça a seus funcionários

 
Jornal GGN - A prisão de um dos operadores do esquema de corrupção na Caixa, que teria sido comandado pelo deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), trouxe mais informações sobre o caso. De acordo com o advogado de Lúcio Bolonha Funaro, que supostamente intermediava o esquema, funcionários de sua empresa foram ameaçados.
 
De acordo com a defesa de Funaro, o seu ex-sócio Alexandre Margotto - também apontado como recebedor de propina de recursos liberados pela Caixa a grandes empresas, segundo acusação de Fábio Cleto, ex-vice presidente do banco -, teria intimidado os funcionários da empresa de Funaro.
 
"Alexandre Margotto entrou em contato com funcionários da Holding Viscaya, de propriedade do peticionário [Funaro], na data de 12.07.2016, ameaçando-os sob a chantagem de que 'iria incriminar a todos', além de 'retaliar' o próprio peticionário e sua família", disse o advogado Daniel Gerber, em petição ao Supremo Tribunal Federal (STF), solicitando a prisão preventiva de Margotto ou outras medidas cautelares.
 
O pedido foi protocolado no Supremo nesta terça (19). Para endossar a denúncia de que o ex-sócio de Funaro ameaçou seus funcionários, o advogado também enviou documentos que mostram ligações recebidas de um telefone, que seria de Margotto, e troca de mensagens de funcionárias de Funaro se dizendo amedrontadas.
Média: 5 (5 votos)