Revista GGN

Assine

globo

Paulo Silvino e as dinastias artísticas cariocas, por Luis Nassif

A morte do humorista Paulo Silvino chama atenção para um fenômeno tipicamente carioca: as dinastias artísticas que vieram do período das rádios e foram assimiladas pela TV Globo graças ao discernimento insuperável de José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni.

Paulo Silvino era filho de Silvino Neto, humoristas que se celebrizou por paródias que fazia de políticos e dos vários tipos de velhos.

Leia mais »

Média: 5 (11 votos)

Lula: "Nós nos precipitamos ao achar que 2013 foi uma coisa democrática"

Foto: Ricardo Stuckert

Jornal GGN - O ex-presidente Lula disse, na noite de sexta (11), que a Rede Globo ajudou a inflar os protestos de rua que marcaram junho de 2013 com o objetivo de forjar pressão popular sobre o governo Dilma Rousseff. Na visão do petista, foi "precipitado" considerar que aquelas manifestações foram essencialmente democráticas, já que parte das massas teria sido manipulada pela grande mídia."

Leia mais »

Média: 2.8 (18 votos)

Delação de Palocci, que pode envolver Globo, será aceita, diz jornal

 
Jornal GGN - A Folha de S. Paulo diz ter entrevistado investigadores da Lava Jato que sinalizaram que a delação de Antonio Palocci será aceita pela Procuradoria Geral da República. Palocci, em audiência com Sergio Moro, insinuou que pode entregar negociações que favoreceram grupos de mídia como a Globo, além de nomes do mercado financeiro.
 
Segundo a reportagem veiculada nesta quarta (26), "o procurador-geral [Rodrigo Janot] e sua equipe pretendem concluir as tratativas com a empreiteira OAS, o ex-ministro Antonio Palocci, o empresário Henrique Constantino, sócio da Gol, o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o doleiro Lúcio Bolonha Funaro" antes de deixar o cargo, em setembro.
Média: 5 (5 votos)

Em guerra com Temer, Globo diz que planos do "queridinho" Meirelles correm risco

Jornal GGN - Em guerra com Michel Temer desde a bombástica delação da JBS, o Grupo Globo deflagrou mais uma rodada de ataques ao presidente, agora usando o "queridinho do mercado" Henrique Meirelles como isca.

No mesmo dia em que portais divulgaram que o DEM e o PSDB fecharam questão sobre a permanência de Temer até o fim do mandato, o jornal O Globo usou quatro colunistas para expôr os conflitos da equipe econômica e sustentar que os problemas políticos de Temer viraram um risco real à economia.

Desde que foi atingido pela Lava Jato, Temer se agarrou fortemente a agenda econômica encampada por Meirelles para se segurar no cargo, se aproveitando do apoio a Meirelles em vários setores, vocalizado na blindagem feita pela grande mídia.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

O cartola, por Vladimir Aras

do blog do Vlad

O cartola

por Vladimir Aras


Ricardo Teixeira é oficialmente procurado pela Justiça espanhola pra responder por crimes que teria praticado no exterior.

Havendo ou não tratados, brasileiros natos não podem ser extraditados, por expressa proibição constitucional.

Países que se recusam a extraditar seus cidadãos devem cumprir a regra "aut dedere aut iudicare", isto é, extradite ou julgue.

Teixeira será mais um brasileiro acusado de crime no exterior a enfrentar uma investigação ou processo penal na jurisdição brasileira.

Já que a via da extradição está interditada, o Ministério Público Federal negociará com as autoridades judiciais e do Ministério Público da Espanha a transferência do procedimento penal ao Brasil, com base no tratado de assistência penal entre os dois países e no princípio da reciprocidade.

Leia mais »

Média: 1 (2 votos)

O que Palocci tem a dizer sobre a Globo na delação premiada?

Jornal GGN - Há alguns dias, a revista Veja divulgou uma nota informando que a delação premiada de Antonio Palocci tem um "anexo que entra e sai" exclusivamente dedicado à Rede Globo. O que o ex-ministro da Fazenda tem a dizer sobre o império erguido pela família Marinho, que esteve bem perto de quebrar no início dos anos 2000?

Diante de Sergio Moro, em abril passado, Palocci deu uma dica: poderia colaborar com a Lava Jato entregando negociações que ocorreram nos bastidores de Brasília para "salvar" empresas de comunicação que, sem a ajuda do governo, corriam sério risco de quebrar. 

Leia mais »

Média: 4.2 (10 votos)

Em guerra com a Globo, Temer decidiu cobrar as dívidas da emissora

Imagem: Reprodução
 
 
Jornal GGN - Fritado em rede nacional a reboque das revelações da Lava Jato, o governo Michel Temer decidiu declarar guerra à Rede Globo e estaria usando a máquina pública para vencer algumas batalhas. Segundo a coluna de Leandro Mazzini, em O Dia, nesta segunda (17), a União tem cobrado dívidas da empresa dos Marinho até mesmo com o BNDES.
 
"O presidente Michel Temer enviou o ministro Moreira Franco para conversar com a cúpula da TV Globo há dois meses, numa tentativa de trégua. Mas foi em vão. Temer então declarou guerra. E passou a ordenar a execução de eventuais dívidas da emissora com a União, de impostos e de financiamentos no BNDES. No contra-ataque, a emissora determinou a aproximação de seus principais executivos com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, na tentativa de fazê-lo presidente da República. Mesmo que seja por um ano, até a eleição direta."
Média: 4.3 (8 votos)

Globo já pressiona juízes de 2ª instância contra Lula, por Kiko Nogueira

 
Por Kiko Nogueira
 
 
Como a Globo está domesticando e pressionando os juízes do TRF-4 para terminar o serviço de Moro
 
Assim como fez com Sergio Moro, seu torquemada de casa, a Globo está cuidando agora de domesticar e pressionar o Tribunal Regional da 4ª Região (Sul) no sentido de terminar o serviço contra Lula.
 
O Jornal Nacional dedicou boa parte de sua edição de quinta, dia 13 de julho, para explicar como opera o tribunal que pode tornar Lula inelegível.
 
A matéria era parte didatismo, parte wishful thinking. No subtexto, o repórter falava ao espectador “se Deus quiser, o destino do vagabundo será selado por estes guerreiros”.
 
Imagens do interior daquela corte e closes dos desembargadores João Pedro Gebran, Leonardo Paulsen e Victor Luiz Laus ilustravam a trama.
Média: 4.2 (5 votos)

Moro usou matéria da Globo como "prova documental" que triplex é do Lula

 
Jornal GGN - O juiz Sergio Moro elaborou uma síntese das "provas documentais" que, segundo ele, confirmam a denúncia da Lava Jato contra Lula por conta do triplex, e inseriu entre elas uma reportagem publicada pelo jornal O Globo, em 2010, com a informação de que o apartamento no Guarujá pertenceria à família do ex-presidente.
 
Para Moro, nenhuma das testemunhas de defesa, nem o material levado aos autos pelos advogados e tampouco o depoimento do ex-presidente Lula conseguiram explicar por que O Globo publicou que o triplex era do petista muitos anos antes da Lava Jato começar a apurar o caso.
Média: 2.4 (12 votos)

Maia mudou lealdade a Temer após encontro com representante da Globo


Foto: Beto Barata/PR
 
Jornal GGN - Rodrigo Maia (DEM-RJ) vem confirmando que sua postura discreta guarda por trás as articulações para os próximos passos da política nacional: deve abandonar de vez a sua fidelidade a Michel Temer em nome de manter certa estabilidade para os próprios aliados, que hoje dominam o Congresso Nacional.
 
Além do apoio de grande parte dos que se consideravam aliados de Temer no mundo político, a concordância de Maia para a queda do presidente contou com o aval de representantes do mercado e da Globo. Desde um encontro que o deputado teve com o vice-presidente de Relações Institucionais do Grupo Globo, Paulo Tonet, no último domingo, o diagnóstico passou a ser certeiro: a queda do atual presidente é irreversível. 
 
O que está em jogo agora é como se dará essa transição até as eleições 2018, quando os próprios parlamentares precisam estar munidos de força política, alianças e, sobretudo, apoio do mercado para as campanhas eleitorais. 
Média: 5 (1 voto)

Ex-editor perde ação contra Ali Kamel e abre campanha para arrecadar fundos

Jornalista que trabalhou 12 anos como editor da Globo terá que pagar R$ 40 mil por textos de ficção 
 
Jornal GGN - O jornalista e blogueiro Marco Aurélio Cordeiro Mello perdeu uma ação movida pelo diretor de Jornalismo e Esportes da Rede Globo, Ali Kamel, por um texto de ficção onde Cordeiro Mello comenta o clima de terror estabelecido em uma redação de telejornal. O recurso especial foi julgado pelo Superior Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro na última terça-feira (27) obrigando o jornalista a pagar R$ 40 mil, além das custas processuais, a Kamel (clique aqui e participe).
 
Essa foi a segunda ação que o diretor da Globo entrou contra Cordeiro Mello. No primeiro pedido, julgado em 2015, o desembargador Celso Luiz de Matos Peres, do TJ-RJ, considerou improcedente a ação movida por Kamel. 
 
Para conseguir reunir recursos e pagar o valor da indenização, Cordeiro Mello que trabalhou 12 anos como editor da Globo abriu uma campanha de arrecadação pelo Catarse. "Sou assalariado e advogados custam muito. Estou aqui apelando para parentes, amigos e todos aqueles que consideram minha causa justa".
Leia mais »
Média: 4.1 (7 votos)

O “Fora Diniz!” que a Globo não mostrará, por Marcelo Auler

Protesto organizado neste domingo tem como principal bandeira escrachar presidente da Fecomércio no Rio, informação omitida por Infoglobo 
 
orlando_diniz.jpg
 
 
 
 
Neste domingo (25/06), a Avenida Atlântica, em Copacabana (zona Sul do Rio), será palco de mais uma manifestação com a bandeira do “Fora”. Mas, ao contrário do que vem ocorrendo nos últimos atos em prol da saída do presidente Michel Temer, dificilmente as Organizações Globo, ou mesmo outros canais comerciais de televisão e a imprensa tradicional marcarão presença na cobertura do evento.
 
A tão propalada e defendida liberdade de expressão, assim como a bandeira do combate à corrupção,  desfraldada enquanto o PT estava no governo, serão esquecidas. Tudo, em nome dos interesses comerciais/financeiros. Desta forma, ficará clara a hipocrisia dos meios tradicionais de comunicação, que classificaram de “sujos” blogueiros de esquerda por receberem míseros patrocínios nos governos, mas se calam diante de esquemas pesados de desvio de dinheiro e de corrupção. Basta estar em jogo seus interesses financeiros. Em nome deles, mandam às favas o compromisso social e o dever profissional de informarem leitores, ouvintes e telespectadores.
 
O fato de o movimento convocado para manhã de domingo no Rio ter como principal bandeira o “Fora Diniz”, justificará a omissão de grande parte da imprensa, em especial, do Infoglobo e da Rede Globo. Afinal, diversas outras manifestações como estas ocorreram nos últimos meses sem merecerem qualquer atenção destes órgãos de comunicação. Em compensação, gordas verbas publicitárias lhes foram destinadas, como comprova a ilustração acima.
Leia mais »
Média: 4.5 (8 votos)

Ponto de vista: a Globo e sua escolha de Sofia, por Murilo César Ramos

Ponto de vista: a Globo e sua escolha de Sofia

por Murilo César Ramos

Talvez a pergunta que mais intriga o mundo político brasileiro hoje é por que o Grupo Globo abandonou Michel Temer, levando com ele a coalizão de poder que a própria Globo ajudou a criar ao longo do processo do golpe judicial/parlamentar contra Dilma Rousseff. De fato, trata-se de uma pergunta vital ao entendimento do atual momento da grave crise política, econômica e social por que o país passa hoje, cujos primórdios remontam às manifestações de junho de 2013, e que foi potencializada para além de qualquer controle institucional pela Operação Lava Jato e seus desdobramentos que parecem beirar o infinito.

Mais ainda, a intrigante pergunta, de resposta quase impossível, mas que merece ser tentada, pode ter imbricado tanto os destinos daquela organização de comunicação e de Michel Temer e seu governo que apenas um desses dois conjuntos de personagens centrais da atual cena política brasileira poderá sobreviver: Temer, com a perda da presidência da República; a Globo, com graves prejuízos à sua credibilidade jornalística e possíveis perdas financeiras.

Leia mais »

Média: 4.8 (12 votos)

Os ataques da Globo ao BNDES

 
Jornal GGN - Não é difícil imaginar como vai acabar a relação BNDES-JBS por causa da Lava Jato, se por exemplo for tomada a devassa que a operação promoveu, em parceria com a mídia, na Petrobras e nas grandes empreiteiras do País. É com essa preocupação em vista que a reportagem do Fantástico sobre o banco, veiculada no último domingo (22), deve ser revisitada.
 
O programa dominical da TV Globo dedicou quase que a edição inteira a relembrar as revelações que Joesley Batista fez sobre Michel Temer e Aécio Neves na última semana. E, em reportagem de quase 4 minutos e meio, contou a história de um funcionário do BNDES que supostamente poderia ter favorecido o grupo JBS em transações bilionárias. 
 
Para dar dimensão ao suposto escândalo, o Fantástico cita o volume de recursos que o BNDES "injetou na JBS" durante o governo Lula (2007-2010): 8,1 bilhões de reais, dando a entender que todo esse montante foi fruto de operações ilícitas.
Média: 5 (6 votos)

Opinião do Nassif: A implosão do grupo do impeachment

Setores que apostaram em golpe têm pouco tempo para pensar em uma alternativa que não seja Diretas Já

Por mais que o Estadão e a Folha de S.Paulo tentem segurar Temer, de onde estão conseguindo tirar o sustento com as publicidades do governo, entrevistando peritos para corroborar a única defesa possível para o peemedebista, de que as gravações feitas por Joesley são adulteradas, os próprios peritos escutados por esses jornais afirmam que não houve manipulação nas conversas que especificamente incriminam Temer, quando ele indica Rocha Loures e Eduardo Cunha.

É nítido que o dono da JBS foi orientado por profissionais para fazer os grampos, o exemplo é como ele usa o rádio, ligado na CBN, como um marcador do dia e horário em que esteve com Temer. E o mérito disso é da equipe da Procuradoria-Geral da República, coordenada por Rodrigo Janot que, com isso, trouxe para ele o protagonismo nas investigações da Lava Jato, apontando a falta de profissionalismo da equipe de Curitiba que vem apresentando trabalhos medíocres, sem nenhuma prova efetiva em seus acordos de delação premiada.

Por sua vez, o ímpeto da Rede Globo em assumir o comando do impeachment de Temer está em poder impor uma alternativa através das eleições indiretas, para impedir que, em caso de eleições diretas, políticos com maior popularidade, como Lula, ou alguém indicado por ele, assuma a Palácio do Planalto.
Leia mais »

Média: 4.4 (14 votos)