Revista GGN

Assine

leitura

"Tropa de cheque" de Temer manobra na CCJ e revolta deputados

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN - A sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara que aguarda a leitura do parecer do deputado Sergio Zveiter sobre a denúncia da Procuradoria Geral da República contra Michel Temer, já começou com bate-boca. Isso porque, para garantir que terá os votos necessários à derrubada de um eventual relatório favorável à denúncia, o governo Temer decidiu trocar, à força, parlamentares que participam do colegiado.

Segundo Ivan Valente (PSOL), aliados do Planalto trocaram, nesta segunda (10), pelo menos 12 deputados que não fecharam acordo para salvar o Temer. Um deles, o Delegado Waldir, do PR, deixou a cadeira durante a sessão da CCJ aos berros.

Leia mais »

Média: 3.7 (7 votos)

Partidos vão ao STF para frear impeachment enquanto propina a Temer não for investigada

Jornal GGN - É muito mais grave a denúncia de que Michel Temer teria recebido propina da Odebrecht, segundo revelações da Lava Jato, do que Dilma Rousseff ter comedito crime de responsabilidade fiscal - principalmente quando o Ministério Público Federal desabona essa versão para o impeachment.

Com esse argumento, o senador Humberto Costa (PT) diz que os partidos que apoiam a presidente afastada irão recorrer ao Supremo Tribunal Federal para desacelerar o julgamento de Dilma até que as investigações contra Temer sejam encaminhadas. Para petistas, Temer quer concluir o impeachment rápido, antes que outras informações da Lava Jato tragam problemas para seu governo.

Leia mais »

Média: 4.7 (13 votos)

Aliados de Dilma pedem fim do golpe em leitura de voto

 
Jornal GGN - Logo após a conclusão da leitura do parecer de Antonio Anastasia (PSDB-MG), pela pronúncia da presidente Dilma Rousseff e favorável ao seu afastamento definitivo por crime de responsabilidade, senadores aliados leram um voto em separado na Comissão. Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) tiveram um prazo de 20 minutos para a apresentação das 27 páginas.
 
"As razões alegadas como crime de responsabilidade são em sua totalidade inconsistentes, tendo os depoentes, em sua esmagadora maioria, atropelado os argumentos da acusação", afirmaram.
 
As parlamentares contestaram os argumentos apresentados por Anastasia, rebatendo, por exemplo, que Dilma não praticou as chamadas pedaladas fiscais, referentes aos atrasos nos repasses do Plano Safra para o Banco do Brasil.
 
Neste ponto, relembraram a manifestação do Ministério Público Federal (MPF) pelo arquivamento de uma investigação na Justiça que questionava as pedaladas. "O Ministério Público Federal [órgão competente para a denúncia de crimes], por meio de despacho de 14 de julho de 2016, determinando o arquivamento da investigação em relação às operações do Plano Safra, pela clarividente inexistência de condutas criminosas no âmbito da Operação do Plano Safra, haja vista a inexistência de operação de crédito", afirmaram.
 
 
Gleisi destacou que o próprio relator, Antonio Anastasia, deveria ser considerado impedido de relatar o processo, uma vez que pertence "ao mesmo partido que os denunciantes", ao se referir à advogada de acusação Janaína Paschoal, ligada ao PSDB.
Média: 4 (12 votos)

A vida e a obra de Conceição Evaristo

Jornal GGN – O jornal O Globo entrevistou a escritora mineira Conceição Evaristo, uma das principais referências da literatura brasileira. Ela falou sobre a vida que levou e como isso impactou na sua arte.

“A pobreza pode ser um lugar de aprendizagem, mas apenas quando você a vence. Se não, é o lugar da revolta, da impotência, da incompreensão. E aí você não faz nada. Hoje eu vejo que a pobreza foi o lugar fundamental da minha aprendizagem diante da vida”, afirmou. “Minha literatura não é pior nem melhor do que qualquer outra, só nasce de uma experiência diferente da qual eu me orgulho e que não quero camuflar”.

“Eu sempre tenho dito que a minha condição de mulher negra marca a minha escrita, de forma consciente inclusive. Faço opção por esses temas, por escrever dessa forma. Isso me marca como cidadã e me marca como escritora também”, disse.

Leia mais »

Média: 5 (5 votos)

O clássico da fantasia infantil “O filho da feiticeira” chega ao Brasil

O título de Kelly Barnhill é perfeito para os leitores de fantasia e foi eleito o melhor livro infantil do ano

Jornal GGN - Depois de estrear no Brasil com “A vida misteriosa de Jack”, a escritora Kelly Barnhill pretende agradar, mais uma vez, o público brasileiro com “O filho da feiticeira”. O título, que foi considerado pelo Washington Post e também pelo Publishers Weekly um dos melhores livros de 2014, chega ao país nesse mês de junho, pela Galera Junior.

“O filho da feiticeira” traz uma boa dose de fantasia com a jornada de um menino tímido que se torna a única esperança de seu mundo. Ned, que após tentar construir, com seu irmão gêmeo, uma balsa para chegar até o mar, se tornou o sobrevivente do acidente que matou seu irmão.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Gregório Duvivier: Não se mate ainda, não

da Folha

Gregorio Duvivier: Não se mate ainda, não

O pessimista fica feliz duas vezes: quando acerta e quando erra." Por incrível que pareça, Millôr foi das pessoas mais otimistas que conheci. Nunca me esqueço um dia em que alguém contou um caso bárbaro de violência televisionada, concluindo que "o mundo tá a cada dia mais violento". Ao que o Millôr retrucou: "Você já ouviu falar na técnica de empalamento? Já ouviu falar no genocídio armênio? Já viu fotos de um gulag? O mundo nunca foi tão pouco violento; a gente é que nunca foi tão bem informado."

Não se mate ainda, não. Apesar de tudo de ruim que pode haver no mundo, dos Bolsonaros e Temers e Trumps, é sempre bom lembrar que, salvo exceções, o mundo está progredindo, sim. Devagarinho, claro. Mas está. Claro que está.

Quem acha que a juventude está perdida não frequentou nenhuma escola ocupada. Quem acha que o machismo venceu não está acompanhando a multiplicação de blogs feministas bons. Quem acha que o Rio não tem jeito ainda não deve saber que o Freixo vai para o segundo turno, e vai ganhar.

Leia mais »

Média: 4.6 (27 votos)

Projeto educativo da Cidade do Livro incentiva o hábito da leitura

A Cidade do Livro, leva as crianças para um passeio que garante o aprendizado sem perder a diversão

Jornal GGN - A Cidade do Livro existe desde 1997. E, desde então, leva para a criançada a experiência de viver histórias dentro de um livro gigante. O projeto educativo, na cidade de São Paulo, incentiva o hábito da leitura por meio dos diversos espaços cenográficos tematizados, abordando saúde, pluralidade cultural, ética, meio ambiente e cidadania. 

Dentro da estrutura de dois mil metros quadrados, os pequenos curtem inúmeras atrações e interagem com vários personagens da cidade. A Tracinha, o Xerox Holmes, a árvore contadora de histórias, Dina - a "dinossaura falante” e a Vó Cotinha, permitem que as crianças façam um passeio usando a imaginação.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Outro jornalismo é possível, por Gilson Caroni Filho

Jornal GGN – Hoje nos chega às mãos o discurso de Gilson Caroni Filho como Paraninfo de turma de Jornalismo. Um discurso que orienta jovens e futuros profissionais, e que deveria ser enviado a cada um que se formou há mais de dois anos e está na lida diária da caça às notícias.

Gilson Caroni lembra a todos que a ética não é um discurso vazio, mas uma prática diuturna e obrigatória nesta profissão que tem, por norte, trazer o diverso, para que mentes se formem passeando pelo dito e pelo ouvido em tantas fontes.

O discurso é novo. Mas já se torna velha esta necessidade de tornarmos o jornalismo ao ponto inicial, ao nascedouro da notícia, à conquista de uma sociedade plural, jamais uníssona, jamais partida, jamais raivosa, nunca perdida, por sorte cidadã e forte.

O discurso está aí senhoras e senhores, aproveitem e ajudem a fazer brotar um novo tempo.

Por Gilson Caroni Filho

Discurso de Paraninfo de Jornalismo. Facha. 2015-2

Prezados alunos.

Mais uma vez fui surpreendido pela escolha de vocês.  Nosso primeiro encontro se deu quando ainda estavam nos dois primeiros períodos do curso. Imaturos, não todos, viviam o encantamento do início da vida acadêmica. Estudavam Sociologia, Filosofia, Psicologia e outras cadeiras teóricas tão indispensáveis para a formação do pensamento crítico.

Passados quatro anos, pergunto qual é o significado do jornalismo nos dias de hoje? Qual a sua importância para o país em que vivemos? E como devem exercê-lo?

Leia mais »

Média: 4.3 (6 votos)

Escritores e jornalistas sugerem leituras para o fim de ano

Boitempo indica leituras para o fim de ano!

Do Blog da Boitempo

vt

Reconhece os 20 autores que entraram nesse cartaz comemorativo, feito pelo cartunista Vitor Teixeira?

Dois mil e crise… que ano! Ano em que a Boitempo completou 20 anos de história. Preparamos aqui uma série de indicações de livros para ler ou presentear os queridos, neste final de ano. Confira abaixo sugestões de nossosautorescolaboradores e equipe:

* * *

Christian Dunker badiou

Recomendo como leitura inspiradora de férias o clássico contemporâneo, agudo e ademais agilíssimo São Paulo: a fundação do universalismo de Alain Badiou. Em tempos de particularismo e de condomínios por toda parte o que nos falta é um novo universalismo. Um universalismo fraturado, dividido e não-todo, onde não existam nem homens nem mulheres, nem gregos nem romanos, nem cristãos nem judeus. O texto de Badiou é um pequeno antítodo de bolso, que nos ensina que no começo está o ato, no meio está o amor e no final estão desejo. Nas palavras do autor:

“A dissolução, no universal, da identidade do sujeito universalizante, máxima de Paulo, faz que o Mesmo seja o que se conquista, inclusive, quando necessário, alterando nossa própria alteridade. Essa lógica subjetiva leva, para o sujeito, a uma indiferença pelas nominações seculares, àquilo que atribui predicados e valores hierárquicos aos subconjuntos particulares. A esperança é a maior dessas nominações. A epístola aos filipenses (Fl. 2. 9) fala do Cristo como “nome que está acima de qualquer nome”. São sempre a esses nomes, mais do que aos nomes fechados das línguas particulares e das entidades fechadas, que o sujeito de uma verdade aspira. Todos os nomes verídicos estão “acima de qualquer nome”.”
(BADIOU, Alain. São Paulo: a fundação do universalismop.128)

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Em audiência na Câmara, especialistas dizem que é preciso reformular ensino de literatura

Enviado por Odonir Oliveira

Da Agência Câmara

 
Audiência pública que discutiu a situação da leitura no País indicou que 44% dos brasileiros apresentam dificuldades na compreensão da leitura
 
Debatedores e parlamentares presentes a audiência pública na Câmara dos Deputados concluíram que o método de ensino da Literatura nas escolas brasileiras precisa ser reformulado. A situação da leitura e do ensino dessa disciplina na educação básica foram o tema do debate realizado na quinta-feira (8) pela Comissão de Educação da Câmara.
 
Para acadêmicos e parlamentares, as diretrizes dos vestibulares e, principalmente, do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), limitam e prejudicam o modo de abordagem da Literatura no Ensino Médio. Hoje, segundo eles, há um acúmulo de teorias.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

O que as bibliotecas podem aprender com o BuzzFeed


Do Bibliotecários Sem Fronteiras

5 lições que as bibliotecas podem aprender com o BuzzFeed

[texto de Christina Manzo, publicado no Weave]

 

Desde seu lançamento em 2006, o BuzzFeed se tornou uma instituição da internet, ao reconhecer e aproveitar o ciclo de vida insaciável da mídia viral. A ideia por trás do site é relativamente simples: reunir conteúdo de tendências de toda a web (por exemplo, notícias, fofocas de celebridades, entretenimento, quizes) e organizá-lo em um formato que seja curto e atraente.

O patrimônio líquido da BuzzFeed Inc. é estimado 850 milhões de dólares. E de acordo com uma auditoria de analytics, o site recebeu 146 milhões de visitas somente em maio de 2015 (visitas online e mobile). Em contraste, a Biblioteca do Congresso, a mais antiga instituição cultural federal nos Estados Unidos, atraiu pouco mais de 1 milhão de visitas no mesmo período.

O modelo de negócios do BuzzFeed depende do potencial de compartilhamentos, algo que possui em comum com as bibliotecas de hoje, e por essa razão os designers de sites de biblioteca têm a oportunidade de aprender com o esmagador sucesso do BuzzFeed. Aqui estão as principais lições que designers de sites de bibliotecas podem aprender com o BuzzFeed.

Leia mais »

Média: 1 (1 voto)

Dia Nacional da Leitura: temos o que comemorar?, por Valéria Martin Valls

Dia Nacional da Leitura: temos o que comemorar?, por Valéria Martin Valls

No Brasil temos várias datas comemorativas relacionadas ao livro e a leitura, são elas: o Dia Mundial do Livro (23 de abril), o Dia Internacional do Livro Infanto-Juvenil (2 de abril), o Dia da Leitura (12 de outubro), o Dia Nacional do Livro Infantil (18 de abril) e o Dia Nacional do Livro (29 de outubro).

Especialmente sobre a comemoração do Dia Nacional da Leitura e da Semana Nacional da Leitura, no dia 12 de outubro, ela foi instituída pela Lei 11.899/09, de autoria do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que afirmou que a iniciativa estimulará a convivência da sociedade com a produção literária do país, além de ter a intenção de enfatizar junto à sociedade brasileira a importância do cultivo do amor aos livros desde a infância.

Mas, de fato as crianças brasileiras têm contato com livros na família, na escola e nas bibliotecas? A leitura é um componente cultural da nossa sociedade? A cultura digital tem afetado o hábito de leitura das crianças, que já estão conectadas muito antes de serem alfabetizadas? Os jovens ainda se sentem atraídos pelo livro tradicional?

Nesse contexto, em pesquisa recente sobre a Leitura e Informação na cidade de São Paulo a Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo – FESPSP apresentou dados muito relevantes: segundo a pesquisa, os principias meios de se informar sobre o que acontece na cidade são os Portais da Internet (34%), as Redes Sociais (26%) seguidos de perto pelos telejornais (25%), dentre outros meios, o que indica que a internet hoje é o grande canal de acesso a informação por parte dos paulistanos.

Outro dado interessante se relaciona à quantidade de livros lidos, que foi categorizada por formação: quem mais lê são os cidadãos com mestrado (15 livros) e pós-graduação (9), e na categoria jovem quem tem colegial incompleto (8) e primário incompleto (7).  A pesquisa ainda apresenta que o gênero literário mais lido é o de não-ficção (39%), seguido por ficção (35%), autoajuda/religioso (25%) e infanto-juvenil (1%), considerando que 40% dos entrevistados tem entre 20 e 29 anos.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Paulistanos preferem se informar pela internet

Da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo

Portais da internet têm preferência do paulistano na busca por notícias

Pesquisa realizada pela FESPSP (Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo) aponta que 34% dos moradores de São Paulo utilizam sites para se informar sobre a cidade

Na véspera do Dia Nacional da Leitura, estudo aponta que a maioria dos moradores da cidade de São Paulo preferem os grandes portais da internet como fonte de informação sobre a cidade. É o que aponta pesquisa realizada pela FESPSP (Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo) realizada em junho deste ano. Os dados indicam que 34% da população utilizam os sites como fonte para se informar sobre o município.

Os portais da web são seguidos pelas redes sociais, que angariam 26% da preferência do público. Os telejornais, veículos que tradicionalmente ocupavam o primeiro posto, agora ficaram em terceiro lugar, com 25%. Os jornais impressos colecionam 10% da preferência, enquanto o rádio 4%. Apenas 1% dos entrevistados não soube responder.

Leia mais »

Média: 5 (5 votos)

Você está cercado

Laerte

Leia mais »

Média: 5 (20 votos)

Os mais lidos do metrô de São Paulo

Jornal GGN – Uma dupla de paulistanos resolveu criar um novo ranking de best sellers literários e verificar cotidianamente quais livros as pessoas estão lendo no metrô. O resultado é um top 20 que tem desde ficções como As Crônicas de Gelo e Fogo até estudos econômicos, como O Capital no Século XXI, de Thomas Piketty.

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)