Revista GGN

Assine

Mídia digital

O STF, o CNJ e a mídia digital, por Luis Nassif

Há duas semanas estive com a Ministra Carmen Lúcia, presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) e do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), em uma audiência por mim solicitada.

A Ministra foi muito gentil, me recebendo com pão de queijo e histórias de Minas.

A visita teve dois motivos:

A Ministra anunciou a recriação de um grupo de mídia, no âmbito do CNJ, visando resguardar a liberdade de imprensa contra a indústria das ações judiciais. Mas incluiu no grupo exclusivamente a parte menos vulnerável da imprensa: os grupos de mídia, empresas consolidadas, com departamentos jurídicos, capazes de se defender.

Leia mais »

Média: 4.9 (34 votos)

A revista New Republic após Chris Hughes, milionário graças ao Facebook

Por Lee Siegel

Choque de apetites

Traduzido e publicado no Estadão

Nova direção. Chris Hughes, que enricou nos primórdios do Facebook, tem apenas 31 anos 

A revista New Republic, de Washington, publicação de conteúdo político, cultural e opinião, acaba de comemorar seu 100º aniversário. Tornou-se uma lenda nos círculos políticos, intelectuais e literários, em grande parte porque foi ali que alguns dos mais destacados jornalistas do país iniciaram sua carreira. Assim, quando o novo proprietário forçou a saída de dois de seus principais editores na semana passada, metade da redação se demitiu e a mídia americana se enfureceu.

Parece uma perfeita expressão simbólica do momento. O novo proprietário, Chris Hughes, ex-colega de quarto de Mark Zuckerberg em Harvard, amealhou uma fortuna de meio bilhão de dólares investindo no Facebook quando este começava a engatinhar. Hoje com 31 anos, ele tinha 28 quando adquiriu a New Republic, há quase três anos. Por outro lado, Franklin Foer, o principal editor que ele demitiu, tem 40 e trabalhou por quase 15 na revista, em diversos momentos. O outro demitido, o brilhante e carismático editor literário Leon Wieseltier, ali esteve por 31 anos, desde que Hughes estava ainda na barriga da mãe.

Leia mais »

Média: 3.7 (3 votos)

No Brasil, Google permanece como buscador mais usado

Jornal GGN – O Google Brasil, plataforma em língua portuguesa da gigante de buscas, se mantém como o buscador mais usado no país, com 93,74% das buscas em levantamento feito ao longo de quatro semanas entre novembro e 28 de dezembro do ano passado. Em segundo lugar, no mesmo período, aparece o Google internacional – terminação “.com” –, com 2,42%. Quem aponta é a ferramenta Hitwise, líder de inteligência em marketing digital da Serasa Experian.

Até dezembro de 2013, o Google Brasil foi o mais usado também na categoria “compras e classificados”, registrando 33,06% do tráfego do setor entre todos os outros buscadores no período do Natal. Em terceiro na lista de mais usados pelos internautas brasileiros vem a Ask Brasil, com 1,57%, e Bing Brasil (plataforma brasileira do buscador da Microsoft), com 1,28% da preferência dos usuários.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)