Revista GGN

Assine

MORTE

Massacre diário de 12 anos contribuiu para morte de Marco Aurélio Garcia, por Hildegard Angel

Foto: Agência Brasil

Do blog Hildegard Angel

Para historiadora, massacre diário de 12 anos teria contribuído para morte de Marco Aurélio Garcia

Morreu Marco Aurélio Garcia. E quem foi Marco Aurélio Garcia?

Foi um dos idealizadores de uma política externa brasileira digna e altiva, desconstruindo o ancestral “complexo de vira lata”, fazendo do Brasil, então subserviente ao “primeiro mundo”, um ator protagonista no cenário internacional, uma liderança solidária e integrada à América Latina.

Professor aposentado do Departamento de História da Unicamp, ele dividiu a formulação da política externa com o Itamaraty, na condição de assessor dos governos petistas. A cooperação com países da América Latina, a articulação dos Brics, bloco formado por Brasil Rússia, Índia, China e África do Sul, foram iniciativas que levaram as digitais de Garcia.

Leia mais »

Média: 3.9 (14 votos)

Por que a TAM saiu ilesa do acidente que vitimou mais de cem, por Luis Nassif

Acidente com avião da TAM no aeroporto de Congonhas completa 10 anos
Acidente com avião da TAM no aeroporto de Congonhas completa 10 anos - Foto:Milton Mansilha/Agência Lusa

A não-identificação de nenhum culpado no acidente da TAM de dez anos atrás, que vitimou mais de uma centena de pessoas, é mancha na reputação do Ministério Público Federal, particularmente do procurador Rodrigo de Grandis.

O Procurador buscou culpados individuais, operador de vôo, pilotos (que morreram no acidente), ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil). Levou algum tempo para entender que um acidente de tal porte não depende de um fator específico, mas de uma soma de fatores.

Aqui no Blog um leitor trouxe o fio da meada para entender o acidente, logo após sua ocorrência. Mas há uma incapacidade crônica de alguns procuradores de trabalhar fora dos autos. Ora, um acidente de tal relevância exigiria uma investigação que transcenderia a mera elaboração de laudos técnicos, seja do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da ANAC ou de quem quer que seja. Mesmo porque, esses órgãos se limitam a identificar aspectos parciais da questão, como o fato do piloto ter se enrolado no manejo dos instrumentos. Além disso, a imprensa estava empenhada em atribuir a Lula todos os males do país, e concentrou-se especificamente na questão do recapeamento da pista.

Leia mais »

Média: 4.8 (26 votos)

Defesa responde a veículos que usam Marisa para atacar Lula

Jornal GGN - A defesa do ex-presidente Lula respondeu a veículos da grande mídia que têm dito que o petista jogou no colo da esposa, dona Marisa, falecida em fevereiro passado, a responsabilidade pelas negociações do triplex no Guarujá.

No dia seguinte ao depoimento de Lula ao juiz Sergio Moro, que durou quase cinco horas, a maioria dos jornais de grande circulação insinuou que o ex-presidente usou a morte de dona Marisa para sair pela tangente em relação ao triplex.

Leia mais »

Média: 4 (9 votos)

Belchior, uma morte anunciada, por Jorge Hélio Chaves de Oliveira

Foto: Gustavo Pellizzon/ Rádio Verdes Mares 810

Morreu, aos 70 anos e meio, o cantor e compositor cearense Belchior, o mais complexo letrista da MPB. E o corpo do autor de “Coração selvagem” cumpre um estranho ritual de volta. Sai de Santa Cruz do Sul, no interior dos Pampas, para a Sobral de sua infância, na região norte do seu Ceará natal. Faz o caminho inverso daquele que as charqueadas empreenderam no final do século XVIII, quando um certo Pinto Martins tangeu suas últimas cabeças de gado rumo às campinas do extremo sul da então colônia portuguesa. Foram, ele e seu gado, os precursores da BR-116.

Leia mais »

Média: 4.4 (14 votos)

Assessor de imprensa das polícias de SP faz piada com morte de João Victor

Jornal GGN - Em meio a uma campanha nas redes sociais para boicotar a rede Habib's em função da morte do menino João Victor, 12 anos, um assessor de imprensa da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, órgão responsável pelas policias Militar e Civil, publicou uma mensagem em desprezo ao movimento. "Vou comer 50 esfihas. Só pra contrariar. E um beirute", disse.

Segundo reportagem do Ponte Jornalismo, a SSP tangenciou o assunto alegando que o assessor Adriano Moneta não responde pela Comunicação do órgão e apenas emitiu uma opinião pessoal. A explicação do assessor foi a de que ironizava a forma da greve, não o episódio em si.

Leia mais »

Média: 2.6 (10 votos)

Moro extingue punibilidade, mas nega absolvição sumária de Marisa Letícia

Jornal GGN - O juiz federal Sergio Moro, responsável pelo julgamento do caso triplex, no Paraná, negou em despacho assinado nesta sexta-feira (3) a absolvição sumária pleiteada pela defesa da ex-primeira-dama Marisa Letícia, que teve morte cerebral em decorrência de um AVC, no final de janeiro.

Moro disse que, "pela lei e pela praxe", diante do óbito, cabe apenas a extinção da punibilidade ao réu, sem entrar no mérito de sua inocência ou culpa. Na petição ao juiz, contudo, a defesa de Lula havia apontado que o Código Penal impõe que a absolvição sumária seja concedida imediatamente após a extinção da punibilidade.

Leia mais »

Média: 3.5 (8 votos)

Carbono 14: do escândalo midiático à falta de provas reconhecida por Moro

Por algum motivo não questionado aos procuradores da Lava Jato, a Carbono 14 foi parar nas mãos de Moro já sem interesse nenhum em cumprir a promessa de revelar os "segredos obscuros" da morte de Celso Daniel. Usaram o caso para atrair mídia às vésperas do impeachment e, depois, trataram-no como "irrelevante" 

Jornal GGN - Carbono 14 é um elemento de vida longa, que resiste à ação do tempo e, por isso, a Polícia Federal achou que seria uma grande sacada nomear assim uma operação da Lava Jato que se propunha, em abril de 2016, às vésperas do impeachment de Dilma Rousseff, a apurar os "detalhes obscuros" da morte de Celso Daniel, o eterno fantasma do PT. 

Mas quem criou expectativas deve ter ficado decepcionado com a sentença de Sergio Moro, proferida nesta quinta (2), no âmbito da Carbono 14. O juiz de Curitiba teve de admitir que a força-tarefa da Lava Jato não encontrou nenhuma prova que sustente a teoria de que o empresário Ronan Maria Pinto teria recebido quase R$ 6 milhões a mando do PT para ficar calado sobre o assassinato de 2002.

Aliás, o Ministério Público Federal sequer apresentou denúncia de extorsão contra Maria Pinto. O que Moro julgou foi o crime de lavagem de dinheiro envolvendo um empréstimo que José Carlos Bumlai tomou junto ao banco Schahin, em 2004, no total de R$ 12 milhões. Em troca, anos depois, o Grupo Schahin foi compensado com um contrato bilionário com a Petrobras.

Leia mais »

Média: 4.1 (8 votos)

Menos de 24h após condenação, HC dá liberdade a ruralista que matou agente da PF

 
Jornal GGN - Após um longo julgamento passados cinco anos do assassinato do agente da Polícia Federal, Alexandre Drummond Barbosa, que foi executado a tiros em abril de 2012, pelo ruralista e ex-candidato a deputado estadual no Paraná pelo DEM, Alessandro Meneghel, o júri de Curitiba o condenou a 34 anos e seis meses de prisão. Entretanto, mais um recurso o possibilitou cumprir esperar a sentença em casa.
 
Um Habeas Corpus, concedido pelo desembargador Antonio Loyola Vieira, nesta sexta-feira (24), permitiu que Meneghel aguarde o julgamento da segunda instância em liberdade. A decisão ocorre apenas um dia após a condenação do ruralista que assassinou a agente da PF, em 2012.
 
O júri popular decidiu em aproximadamente 30 horas a condenação de Meneghel. O resultado final foi definido na madrugada desta quinta-feira (23), em Curitiba e proferida pelo juiz Thiago Flôres Carvalho.
Média: 2.4 (13 votos)

A morte, os moraes e os moros, por Psicanalistas pela Democracia

Henry de Groux: "Zola aux outrages" - 1898

do Psicanalistas pela Democracia

 
Editorial

Quando alguns se colocam no papel de justiceiros contra inimigos escolhidos a dedo e insistem em permanecer nesse pedestal de barro é evidente que, enquanto o fazem, consideram que suas ações são incólumes e que não serão julgadas pela história. Os nazistas pensavam assim, os generais latino americanos pensam e pensavam assim, os Botha pró apartheid da África do Sul pensavam assim, os colonizadores escravocratas nas américas e etc. Estavam todos fazendo o bem para as pessoas que escolhiam defender, proteger, adular e fazendo o bem ao matar, torturar e explorar os inimigos desde suas posições de prestígio e poder institucional que grupos determinados e/ou uma parcela significativa da população lhes conferia. Não estavam sozinhos. Gozavam do apoio ou da omissão de muitos.

Difícil afirmar qual o papel que o massacre à Lula e sua família tiveram na debilitação e morte de Dona Marisa. Ataques contínuos, odiosos, violentos e arbitrários contra a história, filhos e honra matam pessoas, mas é difícil aferi-los porque se misturam a muitos outros fatores que também determinam uma morte prematura ou um sofrimento que, pouco a pouco, conduz à debilidade psíquica e física que desencadeia o fim de uma vida.

Leia mais »
Média: 4.8 (17 votos)

Justiça do Paraná mantém dona Marisa no banco de réus e a intima

 
Jornal GGN - Após negar o pedido de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para adiar as audiências de testemunha do processo do triplex do Guarujá, a Justiça Federal de Curitiba ainda intimou a ex-primeira-dama Marisa Letícia, que faleceu na última sexta-feira (03).
 
Em despacho publicado nesta quarta-feira (08), o juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, negou uma solicitação dos advogados de Lula para adiar as audiências, que começam nesta quinta (09), uma vez que o ex-presidente não conseguia se encontrar com a defesa, diante dos "motivos pessoais relevantes", trâmites com a morte de sua esposa.
 
Ainda, esta quinta, data anteriormente já agendada por Moro para ter início às audiências, coincide com a missa  de sétimo dia de dona Marisa. Os advogados Roberto Teixeira, Cristiano Zanin Martins, José Roberto Batochio e Juarez Cirino dos Santos alertaram para a impossibilidade de o réu, Lula, se preparar "adequadamente para tais audiências".
Média: 5 (4 votos)

"Marisa, descanse, o seu Lulinha paz e amor vai continuar em luta"

Após discurso emocionado, bispo católico Dom Angélico Bernardino disse a Lula: "Esse bispo velhinho, quer lhe dar um conselho: a partir de amanhã, descanse. Porque o Brasil precisa muito de você."

Jornal GGN - "Se alguém tem medo de ser preso, esse que está enterrando a sua mulher hoje não tem, porque primeiro eu tenho a consciência tranquila. Não sou eu que tenho que provar que sou inocente, eles que tem que provar que as mentiras que estão contando são verdadeiras. Marisa, descanse em paz, o seu Lulinha paz e amor vai continuar em luta, para defender a sua honra e a sua luta".

Foram as últimas palavras do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no velório de Marisa Letícia, na tarde deste sábado (04), no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo, onde Lula a conheceu.
 
Em discurso emocionado, Lula agradeceu a todos os presentes, familiares, amigos, políticos e simpatizantes, que deram apoio a Lula e homenagearam dona Marisa. No local onde conheceu a ex-primeira-dama, lembrou a importância daquele salão: "Possivelmente a minha vida não seria um décimo do que é se não fosse esse sindicato, se não fosse esse salão. Vocês não tem noção que a representatividade que esse espaço teve na minha vida. 
 
"Aqui aprendi a falar, aqui decidimos a combater a ditadura militar, aqui criamos um novo sindicalismo, aqui foi onde pensamos em criar a CUT, o PT, todas as greves nessa categoria e do movimento sindical brasileiro, e aqui eu conheci a Marisa, aqui eu casei com a Marisa."
Leia mais »
Média: 4.7 (23 votos)

Os 40 anos de política de Marisa Letícia

 
Jornal GGN - A morte oficial de Marisa Letícia, esposa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi confirmada pelo Hospital Sírio-Libanês na noite desta sexta-feira (03).
 
O velório da ex-primeira dama ocorrerá neste sábado (04), das 9h às 15h, no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. Á tarde, o corpo será cremado em cerimônia particular, no Cemitério Jardim da Colina, em São Bernardo do Campo.
 
O hospital divulgou a morte após um protocolo do hospital, realizado em dois procedimentos: às 12h e às 18h, confirmando a inatividade cerebral para a doação de órgãos, que foi antecipada por Lula nas redes sociais. 
 
Dos seus 66, foram 40 anos de política, vivenciada não nos bastidores, mas cotidianamente por Marisa Letícia, desde que Lula assumiu a presidência do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em 1975. 
Média: 5 (8 votos)

Avião de acidente de Campos revela esquema milionário com governo de Pernambuco

 
Jornal GGN - Investigações da Operação Vórtex, deflagrada hoje (31) pela Polícia Federal, revelaram que uma das empresas proprietárias do avião Cessna Citation, que transportava o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), recebeu R$ 75 milhões durante a gestão de Campos no Estado (2010-2014).
 
A empresa é a construtora Lidermac, do segmento de equipamentos e construção. Seguiu obtendo contratos com o governo de Pernambuco inclusive após a morte do ex-governador, até 2016.
 
O desmembramento da Operação Turbulência, que investiga a propriedade do avião que transportava o então candidato à Presidência da República e que caiu em agosto de 2014, deixando sete pessoas mortas, entre elas o ex-governador, também revelou que um dos proprietários da empresa tinha como sócio Rodrigo Leicht Leão, genro do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) José Múcio.
Média: 5 (10 votos)

As dúvidas da semana resumidas em uma palavra, por Gregório Duvivier

 
Jornal GGN - Para resumir os últimos acontecimentos envolvendo a morte do ministro Teori Zavascki e os imbróglios nas decisões que paralisam o Supremo Tribunal Federal (STF), o universo político e os brasileiros com o futuro herdeiro da Operação Lava Jato, o colunista, ator e escritor Gregório Duvivier só encontrou uma palavra: "caralho".
 
E para o uso dela, pediu "desculpas" ao "leitor pudico", afinal, a palavra "caralho" é "platônica", "transcendente", "sempre metafórico" e "pertence ao campo das ideias". 
Média: 4.6 (20 votos)

Investigação sobre morte de Teori Zavascki vira sigilosa

Jornal GGN - O inquérito que investiga as causas do acidente aéreo que tirou a vida do ministro Teori Zavascki e mais quatro pessoas foi colocado sob segredo de Justiça, segundo informações do Uol, nesta segunda (23).

A queda do avião de pequeno porte aconteceu em Paraty, no Rio de Janeiro, na semana passada. O caso também é investigado pela Polícia Federal e Ministério Público Federal. O sigilo foi imposto pela Justiça de Angra dos Reis, em ação da Polícia Civil. Uma outra frente, ligada à Aeronáutica, também apura o caso.

Leia mais »

Média: 1 (3 votos)