Revista GGN

Assine

pesquisa

Porque Bolsonaro não tem chances em 2018, por Adriano Oliveira

Foto: Fabio pozzebom/Agência Brasil

Jornal GGN - As chances de Jair Bolsonaro sair vitorioso de uma disputa em 2018 são praticamente nulas, aponta Adriano Oliveira em artigo publicado no Poder 360, nesta sexta-feira (5). Isso porque o deputado federal e seu discurso utraconservador só se presta (e, portanto, se alimenta disso) a combater o lulismo. Nesse contexto, Bolsonaro tem de abater um grande adversário de Lula: o candidato do PSDB, que poderá vir a ser João Doria.

Só num cenário em que não exista a figura de Lula nem um postulante tucano capitalizando a onda anti-PT é que o discurso de Bolsonaro ganha repercussão. Ainda assim, é preciso considerar se ele tem potencial para atingir a maioria dos eleitores. Pesquisa feita na capital de Pernambuco ajuda a entender o perfil do eleitor e Bolsonaro: endinheirado, com ensino superior e declaramente conservador.

Leia mais »

Média: 3.8 (11 votos)

Maioria dos brasileiros acredita que Temer é corrupto, diz Datafolha

O PT volta a liderar com folga ranking dos partidos preferidos pela população: quase quatro vezes mais que o PSDB e o PMDB
 

Foto: Lula Marques - Agência PT
 
Jornal GGN - A grande maioria da população acredita que o presidente Michel Temer teve participação direta nos esquemas de corrupção da Operação Lava Jato. É o que mostra o levantamento divulgado hoje pelo Instituto Datafolha: 73% defendem isso. E a percepção é homogênea: são homens e mulheres, de todas as faixas etárias, nas cinco regiões do país, de todas as rendas e níveis de escolaridade.
 
Também a grande maioria dos ouvidos pelo Instituto não apoiam a decisão de Temer de manter na Esplanada os ministros investigados de corrupção. Chega a 82% aqueles que defendem a demissão dos ministros, e apenas 13% concordam com a medida do peemedebista de só afastar assessores que forem denunciados e só demitir auxiliares que se tornarem réus.
Média: 5 (6 votos)

Belchior, uma morte anunciada, por Jorge Hélio Chaves de Oliveira

Foto: Gustavo Pellizzon/ Rádio Verdes Mares 810

Morreu, aos 70 anos e meio, o cantor e compositor cearense Belchior, o mais complexo letrista da MPB. E o corpo do autor de “Coração selvagem” cumpre um estranho ritual de volta. Sai de Santa Cruz do Sul, no interior dos Pampas, para a Sobral de sua infância, na região norte do seu Ceará natal. Faz o caminho inverso daquele que as charqueadas empreenderam no final do século XVIII, quando um certo Pinto Martins tangeu suas últimas cabeças de gado rumo às campinas do extremo sul da então colônia portuguesa. Foram, ele e seu gado, os precursores da BR-116.

Leia mais »

Média: 4.4 (14 votos)

Ivana Bentes: Não, seu estúpido, a periferia não é “de direita”

Por Ivana Bentes

Mídia Ninja

O MBL foi o primeiro a comemorar: “Pesquisa do PT mostra que periferia é de direita”; seguido por páginas, sites e comentaristas das mídias conservadoras que usaram a pesquisa da Fundação Perseu Abramo, “Percepções e valores políticos nas periferias de São Paulo”, para explicar a derrota do PT na prefeitura de São Paulo e o impeachement, que seriam a expressão de uma “periferia liberal” que emergiu nos últimos anos e que só o PT ainda não tinha se dado conta dessas mudanças.

Leia mais »

Média: 4.2 (13 votos)

Como pensa o morador de periferia que se declara ex-eleitor do PT

Foto: Fábio Arantes/Secom
 
 
Jornal GGN - A Fundação Perseu Abramo realizou, entre novembro de 2016 e janeiro de 2017, uma pesquisa com 63 moradores da periferia de São Paulo, cuja renda familiar gira em torno de dois a cinco salários mínimos, e que declararam algo em comum: votaram no PT em todas as eleições desde 2000, mas não ajudaram a reelger Dilma Rousseff em 2014 nem Fernando Haddad em 2016.
 
A pesquisa revela como pensa esse eleitor em relação ao Estado, à política, ao trabalho, religião, família e sociedade. E concluiu, entre outros pontos, que para esse campo, a política está em descrédito, o Estado é sinônimo de coisa pública e de má qualidade, que as igrejas neopetencostais cresceram não por difundir um pensamento conservador, mas por dar sentido às relações comunitárias, e que figuras como Silvio Santo, Lula e João Doria são exemplos do que esses eleitores querem ser: alguém que ascendeu de baixo e "chegou lá". 
Média: 4.7 (12 votos)

Temer é reprovado por 62,4% dos brasileiros, mostra CNT/MDA

 
Jornal GGN - Enquanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aparece com larga vitória frente a todos os cenários de intenções de votos para a Presidência em 2018, o atual presidente Michel Temer acumula reprovação da maioria dos brasileiros: 62,4%.
 
A informação é da pesquisa CNT/MDA, divulgada nesta quarta-feira (15), e que ouviu 2.002 pessoas, em 138 municípios nas 25 unidades federativas, entre os dias 8 e 11 de fevereiro. 
 
As perguntas foram para analisar o desempenho pessoal de Temer no comando do Palácio do Planalto. A desaprovação de 62,4% dos entrevistados foi a segunda maior já calculada até agora na gestão do peemedebista. 
Média: 5 (11 votos)

Finep receberá US$ 1,5 bilhão do BID para financiar pesquisas

 
Jornal GGN - Segundo nota do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, a Financiadora de Estudos e Projeto (Finep) receberá US$ 1,5 bilhão do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para o financiamento de pesquisas pelos próximos cinco anos.
 
Deste total, US$ 310 milhões serão executados neste ano. Entre os projetos que receberão recursos do BID, o Padiq (Plano de Desenvolvimento e Inovação da Indústria Química) e o Inova Mineral (voltado para o setor da mineração). 

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

Preço do material escolar pode variar até 457%

Imagem: Reprodução

Jornal GGN – Em dezembro de 2016, entre os dias 6 e 8, o Procon-SP realizou uma pesquisa de preço com 214 itens de material escolar, em dez comércios localizados em diversas regiões de São Paulo. O levantamento apresentou uma variação de até 457,14% no valor de um mesmo produto, dependendo do estabelecimento.

Os preços excessivos servem de alerta para o consumidor. Como no caso do lápis preto Natarja HB nº 2, da CIS/Sertic, que de R$ 0,35 chegou a custar R$ 1,95. Ainda, comparando o estudo de 2016 com o de 2015, o preço de 168 produtos comuns entre as listas subiu em média 12,97%. O IPC-SP (Índice de Preços ao Consumidor de São Paulo) da FIPE, referente ao período, registrou uma variação de 6,65%.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Os direitos trabalhistas de funcionários home office

Imagem ilustrativa Pixabay/PIX1861

Jornal GGN – Segundo dados da pesquisa Home Office Brasil 2016, realizada pela SAP Consultoria, pelo menos 68% das empresas, das 325 que participaram do estudo, adotam a possibilidade de seus funcionários cumprirem a jornada de trabalho em casa. Este modelo home office, ou escritório em casa, gera dúvidas nas questões que envolvem os direitos dos trabalhadores. Mas, como assegura o advogado Fabricio Sicchierolli Posocco, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) já foi adaptada para manter os direitos home office.

A empresa que propõe o trabalho em casa deve cumprir processos básicos de contratação, como colocar a data da admissão na carteira de trabalho do prestador de serviço, a natureza do trabalho, o salário e como fará o pagamento.  Além de garantir direitos como férias, 13º salário, recolher Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), fornecer vale transporte de acordo com os dias que o funcionário precise se locomover, entre outras obrigações.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Estudo analisa mulheres e negras na educação brasileira

 
Jornal GGN - Um projeto desenvolvido entre 2014 e 2016 trouxe para o debate as políticas educacionais no Brasil para a questão do gênero, com apoio do Comitê da América Latina e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher (CLADEM), da Comunicação em Sexualidade ECOS e do Geledés, Instituto da Mulher Negra.
 
Uma compilação de artigos aprofunda o desafio da educação e gênero no Brasil, a agenda para as políticas educacionais, o contexto histórico das propostas políticas já ou não implementadas, as mulheres negras na sociedade civil e no campo acadêmico, e como a ONU analisa a educação brasileira.
Média: 4 (1 voto)

Brasil precisa se reinventar para a recuperação econômica, por José Celso Cardoso

 
Jornal GGN - Para o economista e pesquisador do IPEA, José Celso Pereira Cardoso Junior, há três caminhos para o Brasil na busca de seu desenvolvimento: ou se entrega a políticas antidemocráticas e a "moralização arcaica dos costumes", ou se mantém subalterno econômico, político e socialmente, ou "se reinventa como nação para escrever o seu próprio destino histórico".
 
No artigo "Apontamentos para uma reforma do Estado de natureza republicana, democrática e desenvolvimentista ainda no século XXI", o pesquisador mestre em Teoria Econômica e doutor em Desenvolvimento pela Unicamp mostra o cenário de deterioração profunda da economia e política nacional desde 2015 e como novos negócios podem encontrar espaço para se sustentar e reerguer a economia.
Média: 5 (1 voto)

96% sabem que Lula é réu e maioria acha que ele fez mais coisas certas que erradas

Jornal GGN - Pesquisa CUT/Vox divulga na quarta (21) mostra que 96% dos entrevistados sabem que Lula é réu na Lava Jato e, ainda assim, 56% acham que ele fez mais coisas certas que erradas (35%) e outros 43% citam o petista como o melhor presidente da história. A pesquisa foi realizada entre 10 e 14 de dezembro pelo instituto Vox Populi.

Leia mais »

Média: 4.6 (9 votos)

Em 6 anos, cresce número de apoiadores do casamento gay e legalização do aborto

Jornal GGN - Uma pesquisa feita pelo Ibope e divulgada nesta quinta (22) pelo Estadão mostra que, nos últimos seis anos, cresceu o número de pessoas que defendem a descriminalização do aborto, em detrimento daquelas que não tinham opinião formada sobre o assunto. Também subiu o número de apoiadores do casamento entre pessoas do mesmo sexo. 

"Nas questões comportamentais, o conservadorismo não cresceu. Os mesmos 78% de 2010 continuam se declarando contrários à legalização do aborto, mas a taxa dos favoráveis cresceu de 10% para 17% (os 'nem contra nem a favor' caíram de 10% para 4%). E aumentou significativamente a aceitação do casamento entre pessoas do mesmo sexo: de 25% para 42%. Agora há um empate técnico com os contrários (estes caíram de 54% para 44%)."

Em contrapartida, o conservadorismo cresceu em relação a questões de segurança pública. A pena de morte é defendida por 49% (em 2010, era apoiada por 31%). A redução da maioridade penal tem apoio de 78%, ante 63%. E a defesa da prisão perpétua para crimes hediondos aumentou de 66% para 78%.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

63% da população quer renúncia de Temer, apura Datafolha

Jornal GGN – De julho ao começo de dezembro, Michel Temer (PMDB) despencou na aprovação, conseguindo que 51% dos brasileiros considerassem sua gestão ruim ou péssima. Em julho estava em 31%. Temer conseguiu este feito antes do vazamento da delação da Odebrecht, que ocorreu na sexta-feira, sendo que a pesquisa do Datafolha foi feita em 7 e 8 de dezembro. Para quem já foi regular para 42% da população, agora é regular para 34%.

Outros dados apurados: 65% consideram Temer falso, mas inteligente (63%). Neste balanço, 50% o vêem como autoritário e 58%, como desonesto. A nota de Michel Temer, em uma escala de zero a dez, foi de 3,6.

O Datafolha apurou que maioria da população quer a renúncia de Temer, ou 63%, ainda este ano para que nova eleição direta possa ser realizada.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Maioria da população tem medo da PM, por Luís Francisco Carvalho Filho

 
Jornal GGN - Para o advogado criminal Luís Francisco Carvalho Filho, a última pesquisa do Datafolha sobre violência mostra que a imagem da Polícia Militar é equivalente ao preparo dos policiais para enfrentamentos. 
 
"Trata todos como suspeitos. Quanto mais distante do olhar crítico da imprensa, quanto mais afastada do centro geográfico das grandes cidades, mais excessos, mais truculência. O país se acostumou e vê com certa naturalidade tiroteios, batidas indiscriminadas, humilhação e prisões para averiguação", entende.
 
Por isso, não vê surpresas no resultado de que a maioria da população (59%) tem medo de agressões da PM, índice ainda maior entre os jovens de 16 a 24 anos, chegando a 67% dos entrevistados.
 
Média: 4.5 (8 votos)