Revista GGN

Assine
imagem de Anna'
Profissão *
Formação *

CONTEÚDOS DO USUÁRIO

Postagens

A Despedida

Registros.

Quando a sépia colorir, quando a persiana despencar e a cortina de lágrimas tornar-se um muro, a ponte será a lembrança.

No coração, sempre e para sempre.

Média: 5 (1 voto)

Coração Selvagem

Média: 5 (1 voto)

Música

Média: 5 (1 voto)

By the flip of a coin...

Média: 3.4 (10 votos)

And I think is gonna be a long long time...

Média: 5 (1 voto)

When the time comes...

Média: 3 (4 votos)

George

R.I.P.

Média: 3 (4 votos)

Na minha árvore

Um presente de Natal para mim.

Boas Festas!

Média: 5 (1 voto)

Are you?

These Systems Are Failing
Moby, The Void Pacific Choir

Média: 5 (1 voto)

Patrulheiros que não suportam patrulha

Seria cômico se não fosse hipócrita.

É por isso que não frequento FB. Publico as boas coisas daqui por lá e nem me dou ao trabalho de comentar, que não sou evangelista nem doutrinadora política. E minha paciência acabou.

E aí percebo aquele incômodo. Os patrulheiros de plantão vêem a ausência de palavras de minha parte como provocação. Que meu silêncio "é a maior das patrulhas".

Sei que estamos sob censura, há muito tempo. Mas censurar - e qualificar como patrulha - o meu silêncio, aí já é paranóia, acho. Com a palavra os especialistas.

Êta, que o ar está mesmo pestilento.

Média: 2.5 (18 votos)

A Amizade, por Gibran

De Gibran Khalil Gibran

Em "O profeta":

Um jovem disse: "Fala-nos da Amizade."

E ele respondeu, dizendo:

"O vosso amigo é a resposta às vossas necessidades.

Ele é vosso campo, que cultivais com amor e colheis com gratidão. E é vossa mesa e vossa lareira. Pois ides até ele com fome e nele procurais a paz.

Quando o vosso amigo expõe sua opinião, não temeis o "não" que está em vossa mente, nem segurais o "sim". E quando ele está calado o vosso coração não deixa de ouvir o coração dele; Pois na amizade todos os pensamentos, todos os desejos, todas as esperanças nascem e são partilhadas sem palavras, em uma alegria não declarada.

Quando vos separais de um amigo não fiqueis aflitos, pois aquilo que mais amais nele ficará mais claro com a sua ausência, tal como a montanha, para quem a escala é mais nítida vista da planície.

E que não haja outro propósito na amizade que não o aprofundamento do espírito. Pois o amor que busca outra coisa que não a descoberta de seu próprio mistério não é amor, mas uma rede lançada que só apanha o que não é essencial. Leia mais »

Média: 4.2 (5 votos)

Carta Aberta ao Nassif

Nassif, prezado.

Estive com você pessoalmente uma vez, num Sarau no Rio de Janeiro e apenas nos cumprimentamos. Acompanho tua trajetória desde sempre – fui assinante da Folha em São Paulo e no Rio também – e sendo de conhecimento público não me alongarei por este tema.

Desde que aportei neste GGN – sensacional! – tive muitos momentos de elucidação, de compartilhamento e de comunhão com ideais que nos acompanham desde sempre: democracia, a construção de um país menos suscetível ao nefasto que habita este chão e que o trata como uma sinecura a ser legada aos filhos, justiça para todos. Estes valores que trazemos e pelos quais, cada um a seu tempo, suas condições e seus ambientes, nos batemos e, às vezes, batemos.

Daqui, um salto para sítios de mesma cepa, todos em uníssono em busca desta Nação, que olhando daqui, para os acontecimentos dos últimos 03 anos, sequer nasceu. Foi concebida, mas não saiu do Ventre da Mãe Gentil. Me apavora que gangrene neste útero e tudo esteja perdido. Que a Mãe pereça com o feto morto. Leia mais »

Média: 2.1 (34 votos)

Ah, quando se tem classe!

É aí que a memória se eterniza. Que fica impossível esquecer. Que não se quer nada além, que nada diferente pode satisfazer.  Quando queremos o insuperável, nada mais satisfaz.

Não importa onde se mora, o que se veste, nem o que se come. A origem está dentro.

Que lástima!  Que perda!  Artistas de boa cepa.

E para um toque "contemporâneo",  ela.

Média: 5 (3 votos)

Aperta, Sufoca, Lanceta

 

Passando por aqui te deixo esta que foi tua e que há muito tornou-se minha.

Média: 5 (1 voto)

O pulso pulsa e o sonho está vivo

O pulso pulsa e o sonho está vivo.

Suprimir a falta que mata a esperança é obrigação de quem ama a vida.

Eu amo.

E "versejo" sobre meus sonhos sob o olhar indulgente de bardos e poetisas.

De vez em quando, canto também!

Média: 5 (1 voto)

Fotos

Sem colaborações até o momento.

Vídeos

Solar

Drive: A Surpreendente Verdade Sobre o Que Nos Motiva, por D

Drive: A Surpreendente Verdade Sobre o Que Nos Motiva, por Dan Pink

A ciência das motivações ensina que não somos tão manipuláveis e previsíveis quanto imaginam.

por Daniel H. Pink, escritor e consultor motivacional.

https://en.m.wikipedia.org/wiki/Daniel_H._Pink

No LinkedIn:

https://www.linkedin.com/pulse/surpreendente-verdade-sobre-o-que-nos-mot...

TED:

New Year's Party Soundtrack

Best Moments 2015-2016

Hope You Enjoy !!!

31/12  -  23:00

Something

...

Wild World

...

01/01  -  00:30

Rolling in the deep

01:15

Set fire to the rain ...

Sailing

02:00

Bed of Roses

Halo

...

If I were a boy

Space cowboy

Lifted

Stars

Sunshine

...

If you dont know me by now

Something got me started

...

All of me

One

The sweetest thing

...

04:00

The blowers daughther

Love me like you do Leia mais »

Elegia

Compartilhado por JNS e reproduzido aqui com meus agradecimentos a ele por me apresentar a esta peça belíssima.

Exerto, usado livremente para a canção, do poema de John Donne - Elegia (tradução de Augusto Campos).

ELEGIA

Deixa que minha mão errante adentre
atrás, na frente, em cima, em baixo, entre
Minha América, minha terra à vista
Reino de paz se um homem só a conquista
Minha mina preciosa, meu império
Feliz de quem penetre o teu mistério
Liberto-me ficando teu escravo
Onde cai minha mão, meu selo gravo
Nudez total: todo prazer provém do corpo
Como a alma sem corpo, sem vestes
Como encadernação vistosa
Feita para iletrados, a mulher se enfeita
Mas ela é um livro místico e somente
A alguns a que tal graça se consente
É dado lê-la

Eu sou um que sabe, um...

 

ELEGIA: INDO PARA O LEITO Leia mais »

Quando se vê ...

É isto.  02/07/1965.

Leia mais »

Vibração

A música da Irlanda é usualmente associada à música celta.

Há alguns grupos e músicos irlandeses de projeção mundial, dentre eles, U2,  Cranberries, The Corrs, Enya.

Violino, flautas, guitarras ou bandolins, bodhrans, e acordeões ou concertinas. Ocasionalmente são incorporadas a gaita irlandesa – de maior grau de dificuldade – e a harpa – de difícil portabilidade.

No conjunto da obra, alegria, vibração, um enorme prazer!

Fonte: Wikipedia

Encontros e Desencontros...

O nosso poetinha já nos dizia no Samba da Benção: " ... A vida não é brincadeira, amigo / A vida é arte do encontro / Embora haja tanto desencontro pela vida..."

E o Nando:  "E a falta é a morte da esperança..."

Documentos

Sem colaborações até o momento.

Áudio

Sem colaborações até o momento.