Revista GGN

Assine
imagem de arkx

CONTEÚDOS DO USUÁRIO

Postagens

Os Brasis: quando serão presos?, por Arkx

Os Brasis: quando serão presos?, por Arkx

Instant Karma's gonna get you

Gonna knock you right on the head

You better get yourself together

I oribkena sçai is caoutakustas

de como uma cleptocracia sociopata arrastou o Brasil para uma guerra civil híbrida e forjou as condições inéditas para o impensável: já não haverá nenhuma retomada da economia a não ser pela aplicações das duras, necessárias e inadiáveis medidas populares”.

quando serão presos?

é o que se ouve nas vielas e nos becos, nas esquinas e nas encruzilhadas, nas senzalas e nos quilombos...

Leia mais »

Média: 4.3 (6 votos)

Os Brasis: a ruptura do cerco a Stalingrado, por Arkx

Os Brasis: a ruptura do cerco a Stalingrado, por Arkx

o cerco a Stalingrado foi rompido. a farsa do golpeachment está desmascarada. os golpistas perderam a batalha das ruas.

ficou totalmente exposto qual o projeto de país da plutocracia brasileira. um Brasis como mera capitania hereditária propriedade de uma lumpenburguesia irrecuperável.

como o choque de realidade implementado pelo governo usurpador se encarrega de comprovar, já não haverá nenhum país. restará apenas uma neo-colônia com a economia devastada, conflagrada socialmente e sem qualquer estabilidade política. um país inviável com uma população amputada de sua cidadania.

Leia mais »

Média: 3.9 (12 votos)

Os Brasis: rumo ao bunker fascista!, por Arkx

Os Brasis: rumo ao bunker fascista!

por Arkx

há exatamente um ano atrás, Luis Nassif publicou um de seus artigos antológicos, e premonitórios: O xadrez da batalha de Stalingrado do impeachment.

“Os alemães montaram uma blitzkrieg contra Stalingrado. Precisavam vencer rapidamente, caso contrário o inverno rigoroso jogaria contra a ocupação. Houve uma resistência heróica que segurou as tropas alemãs, expondo-as ao inverno russo. O fator tempo decidiu a batalha. É um quadro muito similar ao brasileiro.”

então, nos perguntávamos: “O que fazer?”

o que fazer? resistir

os soldados e o povo em Stalingrado resistiram porque já não havia outra coisa a fazer. não porque tivessem esperança. resistir é um imperativo ético. da tenaz resistência surgiu a saída.

Leia mais »

Média: 4.1 (17 votos)

os Brasis: Sul de Minas se levanta contra o desmonte da Previdência

 

Enviado por arkx

vídeo: 

Leia mais »

Média: 4.5 (8 votos)

os Brasis: territórios ocupados, por arxk

Por arkx

“Este é o estatuto da lei, que o Senhor ordenou, dizendo: Dize aos filhos de Israel que te tragam uma novilha ruiva, que não tenha defeito, e sobre a qual não tenha sido posto jugo.”

Números 19:2

há uma guerra. mas não uma guerra no mundo. e sim uma guerra de mundos. uma guerra contra a multilateralidade e a multipolaridade. a guerra do mundo unipolar contra todos os demais mundos. nesta guerra mundial híbrida em curso, a batalha do Brasil ganha dimensões épicas.

para onde se olhar na cena do crime do golpeachment, estarão por toda a parte as impressões digitais da máquina de guerra Anglo-SioNazi.

desde a revelação por Snowden da espionagem da NSA com alvo na Petrobrás e na própria Presidência da República, passando pela recepção com honras de Chefe de Estado do muy amigo Eduardo Cunha no Knesset, até o batismo de Jair Messias Bolsonaro nas águas do rio Jordão, conduzido pelo pastor Everaldo, líder do PSC, no mesmo dia do afastamento de Dilma Roussef.

Leia mais »

Média: 4.5 (19 votos)

Os Brasis: a hora do jogo, por arkx

Por arkx

como encaixar num quebra-cabeça a peça definitiva, mesmo sabendo que ela não vai se encaixar? como colocar em jogo o craque que decidiria a partida, apesar dele apenas querer jogar para a platéia? como jogar na mesa o triunfal às de trunfo, se ele insiste em pular fora do baralho?

o cenário que vivemos no Brasil é inédito e, ao mesmo tempo, aterrador. nunca antes neste país o jogo esteve tão às claras, mas nunca também as cartas estiveram tão embaralhadas.

mais uma vez o novo tenta nascer, não apenas o velho se recusa a morrer, como é mantido artificialmente vivo conectado a caros, e geralmente inúteis, aparelhos, ironicamente denominados pela indústria médico-hospitalar como “suporte de vida”.

mas o que nasce primeiro? o programa mínimo e sua estratégia? ou o candidato viável eleitoralmente para viabilizá-lo? ou continuamos nos perdendo nas falsas questões? e sendo assim, qual a questão que, de fato, importa?

Leia mais »

Média: 2.8 (10 votos)

os Brasis: dragar o atoleiro

“eu vi as notícias de hoje, cara. sobre um executivo rico. apesar de não ser muito legal, eu tive que dar uma risada quando olhei a fotografia. ele esticava sua cabeça abaixada para fora de um carro. não havia notado que as coisas tinham mudado. a matéria deu milhares de views. mas nem todos que liam sabiam ao certo do que se tratava.”

um dia desses – a day in the life - 22/06/2015

“Eu não era o dono do governo, eu era o otário do governo. Eu era o bobo da corte do governo.”

Marcelo Odebrecht - 01/03/2017

a esquizofrenia política brasileira segue insuperável. Leia mais »

Sem votos

Os Brasis: nós, por Arkx

fotos: Jornalistas Livres

Os Brasis: nós, por Arkx

aquela era uma estranha contagem regressiva. quanto mais chegava ao seu término, mais distante ficava de seu destino. 2018 é para sempre um ano longe demais.

não haverá retorno ao paraíso perdido do big-bang das commodities. nenhum regresso à ilusão dos anos dourados do “político mais popular da Terra”. adeus à qualquer reedição da estratégia de conciliação permanente para viabilizar um projeto de hegemonia às avessas.

já não pode existir uma coexistência pacífica na qual a minoria mantém seus privilégios ultrajantes e seus lucros exorbitantes, enquanto se tenta mitigar a vergonhosa miséria da maioria através de políticas sociais compensatórias.

Leia mais »

Média: 3.4 (15 votos)

Os Brasis: falta um Povo?, por Arkx

Os Brasis: falta um Povo?, por Arkx

“Então, quando eu morrer, não espere por mim,

Andando pelo corredor sombrio;

No Céu ou no Inferno, não espere por mim,

Senão você vai esperar para sempre.

Você vai me encontrar enterrado, morto-vivo

Nestes versos que você leu.”

na tarde do dia 09/02/2017, as ruas do centro do Rio de Janeiro nas imediações da ALERJ (Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro) tornaram-se áreas conflagradas. havia uma sublevação em marcha. aquele era agora um território insurgente.

o trânsito fora desviado. o comércio baixara suas portas. com a estação mais próxima do metrô fechada, o VLT e o terminal de ônibus parados, o fluxo naquela parte da metrópole estava comprometido. a circulação já não podia ser a mesma.

impossível não ignorar a magnitude daquele fato político. tudo e todos foram de alguma forma afetados. nenhum mecanismo de controle psico-social seria suficiente para induzir a negação daquela realidade.

Leia mais »

Média: 3.3 (16 votos)

Os Brasis: a Ex-querda e a re-existência, por Arkx

Os Brasis: a Ex-querda e a re-existência, por Arkx

o Brasil fora estilhaçado. como pedaços de espelhos partidos, os vários Brasis já não refletiam nenhuma identidade coletiva.

assim como a teoria e a interpretação majoritárias sobre o Brasil haviam sido volatizadas pelo golpeachment, os tradicionais conceitos e práticas da Esquerda se revelaram como apenas mitologias e equívocos.

junto com o Brasil também estava morta a Ex-querda.

a Ex-querda é uma ampla frente de partidos, organizações, associações, tendências e diversos tipos de grupos. todos reunidos sob a incontestável liderança do Lulismo.

Leia mais »

Média: 2.4 (20 votos)

a morte do Brasil: re-existir

o Brasil tal qual o imaginávamos conhecer, está morto!

por que morremos? talvez por não sonhar o bastante... e países, por que morrem? por que sociedades se suicidam? por que também já não podem sonhar, intoxicados pelo pesadelo interminável do cinismo e da hipocrisia?

mas onde tudo termina, também algo renasce.

já não existe mais aquele Brasil surgido com a Revolução de 1930 e consagrado pela Constituição “cidadã” de 1988.

mas aquele fora um Brasil erguido sobre um mito fundador através de uma narrativa conveniente ao setor dominante, mesmo quando elaborada por intelectuais de esquerda. só era real como discurso ideológico. sua existência sempre estivera circunscrita ao imaginário social.

o Brasil que agora morre ainda não tinha sido plenamente um país gestado no útero das lutas populares, não nascera de um grande movimento social pelo qual um Povo conquista sua Nação. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

O Brasil & os Brasis: descobrimento, por Arkx

por Arkx

eram muitas as análises acerca de quando aquilo tinha acontecido. alguns até defendiam que sempre fora assim, desde o primeiro desembarque dos conquistadores. ou talvez fossem ruínas acumuladas ao longo de séculos.

seja como for, ninguém mais podia negar, pois estava escancaradamente à descoberto: já não existia apenas um único Brasil.

aquele Brasil de palmeiras e sabiás, da miscigenação inzoneira, da abençoada cordialidade tropical, aquele Brasil já não há – e para ele jamais iremos voltar. o Brasil tal qual o imaginávamos conhecer, está morto!

Leia mais »

Média: 4 (5 votos)

A verdade por inteiro, por Arkx

por Arkx

“Que Deus tenha misericórdia desta nação”.

desde o choque de realidade causado por aquela farsa dantesca encenada no teatro de horrores da Câmara, ainda era esta a frase ecoando em meio ao desastre e o caos.

como uma profética maldição, uma conspiração de circunstâncias negativas, para manter o país aprisionado numa era de Aquarius ao inverso.

como aquele interminável pesadelo tivera início? alguém ainda se lembrava?

após meses de incessante tortura psicológica, as mentes estavam atordoadas e confusas, dominadas pela frustração, raiva, impotência e depressão. ainda prevaleciam os sintomas mórbidos, os fenômenos bizarros e as criaturas monstruosas.

Leia mais »

Média: 4.5 (8 votos)

o nome do jogo

peças derrubadas. cartas embaralhadas.

quem jogava contra quem? equipes ou duplas? um contra todos? todos contra um? todos contra todos? qual o objetivo? ainda havia regras naquele jogo? qual o nome daquele jogo?

através de uma complexa engenharia política psicossocial, as fronteiras entre a ficção e o real se tornam voláteis. notícias fake propagam pós-verdades através das bolhas midiáticas. com a incessante cartografia do Big Data nas redes sociais, pela obra e graça de algoritmos se corrobora um mundo moldado à imagem e semelhança de cada respectivo perfil.

mas pouco a pouco a reprodução do capital fictício, seja financeiro, cultural ou social, não era mais suficiente para conferir qualquer estabilidade ao capitalismo de desastre, restando apenas o caos. um caos com dinâmica própria, no comando dele mesmo.

uma a uma as bolhas começaram a estourar... Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Fator Putin - efeito Trump, por Arkx

Fator Putin - efeito Trump, por Arkx

nada é exatamente o que parece ser. tudo é teatro de sombras. jogo de espelhos, miragens distorcidas. tudo são performances. manipulação de manipulações. reflexo infinito.

um reality show dentro de uma gigantesca bolha, como num bizarro conto sci-fi.

através da gestão da percepção e da elaboração do simbólico, a política e a arte se unem, garantindo acesso direto ao inconsciente social. quem domina a linguagem, domina o mundo.

mas entre as narrativas e o fato, uma evidência se acentua: o Império do Caos e a Tirania Financeira Global perderam a guerra para impor uma governança mundial unilateral.

não haverá mundo unipolar. nenhum algoritmo cibernético automaticamente calculando uma nova ordem para governar um mundo previsível e estável, do qual a política foi extirpada.

Leia mais »

Média: 3.4 (16 votos)

Fotos

quando serão presos?

#31M

Stalingrad Fora Temer

Escândalo da Carne

AngloSioNazi x Brasil

Água não é mercadoria

A água é do povo

O Salto do Tigre

Povo sem Medo

O Brasil está morto

a verdade por inteiro

Fator Putin - Efeito Trump

Alice: flores e justiça

Hillary e cometa 2017

Vídeos

Sem colaborações até o momento.

Documentos

o que a Esquerda se recusa a entender sobre Trump

o que a Esquerda se recusa a entender sobre Trump:

1. Sanders foi o grande catalisador das imensas insatisfações sociais aprofundadas pela não superação da crise de 2008. contudo, o “socialista democrata” não foi capaz de derrotar a viciada máquina de seu partido. tampouco enfrentou à altura o esquema Clinton. pior, a ele capitulou ao apoiar Hillary. deixou seus seguidores à deriva;

2. a tática Democrata de focar o processo político na defesa do “direito da minorias”, nunca passou de cortina de fumaça para ocultar a causa das crescentes desigualdades sociais: uma economia girando em torno dos interesses dos 1% para pauperizar todos os demais; Leia mais »

Áudio

Sem colaborações até o momento.