Revista GGN

Assine
imagem de Edison Brito
Profissão Profissional da Navagação Aérea
Formação Superior Engenharia

CONTEÚDOS DO USUÁRIO

Postagens

Memorial da “Descomemoração dos 50 anos da Rede Globo/SP”

Imagens

Sem votos

O grupo Globo e a democracia são incompatíveis.

A cobertura dada pela tv Globo dos protestos do dia 15 de Março foi uma declaração de guerra ao governo de Dilma Rousseff. Veja bem. A Globo deslocou todos seus repórteres. Mudou horário de jogo. Interrompeu a programação normal para dar flashes, usando o Globo Notícias. Conclamou as pessoas a irem à manifestação. Só mostrava cartazes com “fora Dilma”, ou pedindo intervenção militar. A Globonews dizia que havia 580 mil pessoas, de repente mudou pra um milhão. O jornal O Globo estimou em dois milhões. A Data folha em 280 mil. E guerra, assim como a paz, só se faz entre inimigos. Então, a presidenta Dilma precisa ter isso bem claro em sua mente: o grupo Globo é inimigo de seu governo. O grupo Globo é inimigo de qualquer governo progressista. O grupo Globo é inimigo do Brasil. O grupo Globo tem nojo do povo. O grupo Globo é inimigo da democracia. O grupo Globo tem interesses, não ideais. O grupo Globo é traiçoeiro. O grupo Globo é inescrupuloso. O grupo Globo é sorrateiro. O grupo Globo é contra a liberdade de expressão. O grupo Globo sonega imposto. O grupo Globo adora o poder. O Grupo Globo ama dinheiro. O grupo Globo acha que é Deus. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

“A libertinagem informativa não tem nada a ver com a liberdade de expressão; ao contrário, é seu exato oposto”

“A que se deve o fato de o mundo inteiro ter chegado a pensar aquilo que todos os ditadores sempre quiseram inculcar nos povos que subjugam, ou seja, que a política é uma atividade vil?”. Não sei quanto aos outros países, mas no Brasil a ideia de que política é uma atividade vil, e unicamente vil, parte da mídia. Além de noticiar somente o que há de errado e de malfeito, e de esconder o bem feito, os avanços e as conquistas, a imprensa manipula as informações segundo interesses próprios. Sem escrúpulos filtra, inventa, mente e edita informações, deturpando-as completamente. Portanto o cidadão comum, senão for atrás de outras fontes, não terá como escapar dessa armadilha midiática. Para ele, a politica e os políticos não prestam. Como escreveu Llosa: “Em nossa época, esses aspectos negativos da vida pública foram amplificados, frequentemente de maneira exagerada e irresponsável pelo jornalismo marrom, com o resultado de que a opinião pública chegou à convicção de que política é atividade de pessoas amorais, ineficientes e propensas à corrupção”. E qual o interesse dos barões de sedimentar essa imagem não só de vileza, como também do caos? Leia mais »

Sem votos

O caso de ódio da mídia em relação à Dilma e Lula não é pessoal.

Engana-se quem acha que esses barões midiáticos e seus asseclas são contra o PT, contra a Dilma ou contra o Lula.

Na ponta do lápis, eles não têm motivos palpáveis para odiarem dessa forma a presidenta e o ex-presidente a ponto de tramarem um golpe de estado.

Então, por que essas pessoas nutrem e esparramam essa raiva toda? O que eles fizeram de tão prejudicial aos interesses dessa turma que merecesse todo esse ódio? Por acaso confiscaram concessão, taxaram as fortunas, cobraram o imposto sonegado, cortaram verbas publicitárias, censuraram, fecharam empresas, quebraram bancos? Não, e muito pelo contrário. O governo Lula salvou ( aí está o ovo da serpente) a Globo da concordata, concordata essa provocada pelo seu protegido, FHC. Hoje em dia os Marinhos estão mais bilionários ainda, os três.

Então o que acontece com essa gente? Por que, novamente, tanto ódio?

A meu ver, só existe uma resposta: o PT ousou confrontá-los com seus pecados, medos, frustações e mentiras. Expos as suas incoerências, egoísmos, ascos e hipocrisias. Desnudou-os diante da nação. Quebrou o “status quo”. Leia mais »

Imagens

Sem votos

O juiz Sérgio Moro lembra o Simão Bacamarte de “O Alienista, de Machado de Assis”.

O Alienista, de Machado de Assis. “Simão Bacamarte é o protagonista. Médico conceituado em Portugal e na Espanha, decide enveredar-se pelo campo da psiquiatria e inicia um estudo sobre a loucura e seus graus, classificando-os. Instalou-se em Itaguaí, onde funda a Casa Verde, um hospício, e abastece-o de cobaias humanas para as suas pesquisas. Passa a internar todas as pessoas da cidade que ele julgue loucas; o vaidoso, o bajulador, a supersticiosa, a indecisa, sendo que na verdade eram apenas comportamentos, às vezes, estranhos. Leia mais »

Imagens

Sem votos

Todo juiz tem o réu que merece, por Millôr Fernandes.

Nesses tempos em que juízes viram heróis (ou vilões, dependendo do que mídia quer que a população acredite). Tribunais, verdadeiros palcos. Julgamentos, programas de auditórios. Leis e teorias, um joguete. Réus, em honestíssimos cidadãos. Nada melhor do que relembrar Millôr Fernandes e suas tiradas pra lá de espirituosas sobre a justiça.

 

Frases extraídas do livro Millôr Definitivo.

Juiz

  • Todo juiz tem o réu que merece.

Julgamento

  • Mais grave do que julgar um homem pelas aparências é julgá-lo à revelia.
  • O que é mais errado: julgar uma pessoa pelo que ela não é ou exatamente pelo que ela é?
  • Por que será que a gente sempre se julga pelas propostas e sempre julga os outros pelo resultado?
  • Horas de julgamento / E o réu pede licença / Pra ir na latrina / Em busca, pelo menos, / Da justiça divina.

Jurídico Leia mais »

Imagens

Média: 5 (1 voto)

“Caracas sem água”, por Gabriel García Márquez, em comparação com São Paulo

Por Edison Brito

Lendo o livro de artigos de Gabriel Garcia Márquez, intitulado  “Da Europa e da América – Obra Jornalística 3”, me deparei com um que tem muito a ver com a atual crise hídrica de São Paulo

Escrito em 6 junho de 1958 ele descreve os acontecimentos de uma  cidade que ficou simplesmente sem água.

Então, em vez de um exercício futurístico,  convido-os a se defrontarem com uma realidade “passadística”.

Eis alguns trechos do artigo.

“6 de junho de 1958: Caracas sem água.

Depois de escutar o boletim radiofônico das sete da manhã, Samuel Burkart… foi ao armazém da esquina comprar água mineral para se barbear . Caracas parecia uma cidade fantasma.

 Samuel teve de fazer fila no armazém para ser atendido…o único assunto das últimos quarenta dias e que naquela manhã estourava na rádio e nos jornais … a água acabara em Caracas… As últimas reservas se destinavam aos serviços essenciais. O governo tomava havia 24 horas medidas de extrema urgência para evitar que a população perecesse vítima da sede.

As edições dos jornais, reduzidas a quatro páginas, eram destinadas a divulgar instruções oficiais… e evitar o pânico

Leia mais »

Imagens

Média: 4.5 (8 votos)

“Caracas sem água”, por Gabriel García Márquez. Uma comparação com São Paulo.

Lendo o livro de artigos de Gabriel Garcia Márquez, intitulado  “Da Europa e da América – Obra Jornalística 3”, me deparei com um que tem muito a ver com a atual crise hídrica de São Paulo

Escrito em 6 junho de 1958 ele descreve os acontecimentos de uma  cidade que ficou simplesmente sem água.

Então, em vez de um exercício futurístico,  convido-os a se defrontarem com uma realidade “passadística”.

Eis alguns trechos do artigo.

“6 de junho de 1958: Caracas sem água.

Depois de escutar o boletim radiofônico das sete da manhã, Samuel Burkart… foi ao armazém da esquina comprar água mineral para se barbear . Caracas parecia uma cidade fantasma. Leia mais »

Sem votos

E o cantor Lobão começou a desconfiar que tá dando uma de ótario

E o cantor Lobão começou a desconfiar que tá dando uma de ótario.

Que seus líderes, Aécio, Caiado, Bolsonaro e outros ”reaças” da praça, não são tão sérios assim.

Cada um deles se preocupou com seus afazeres. O Senador conclamou manifestações pelo impeachment de Dilma, e ele não compareceu,  foi descansar na praia. É o mesmo que dizer: trabalhem por mim, quando tudo estiver pronto: me avisem, voltarei, assim que puder,  para assumir a presidência ou fazer algum discurso inflamado de repúdio à Dilma.

E o Lobão pagando de otário.

Que José Serra compareceu com o mesmo estilo oportunista/golpista/sacana de sempre. Discursou na paulista, apostando no vácuo de lideranças. E falou tanto, que do tanto não se tira nadica-de-nada.  Floreou o velho jargão americano: o preço da liberdade é a eterna vigilância.

E o Lobão pagando de otário

O PSDB pensou grande, e no meio de grandes besteiras foi encolhendo, encolhendo até se restringir no seu reduto, São Paulo. Leia mais »

Sem votos

E se São Paulo se separar do Brasil…

E o pessoal da direita mostrou as caras (raivosas) nessas eleições. Municiados pela mídia se viram de repente como protagonistas de um mundo que há muito pensávamos esquecido.

Do ódio escancarado. Da agressão verbal chula. Da ameaça física. Derrotados nas urnas partiram para propostas exóticas e esdrúxulas.

Clamam. Choram. Pedem o impeachment da presidenta. A intervenção militar. Ou a separação de São Paulo do Brasil.

Na recente história do país já tivemos a intervenção, com o golpe de 64, e o impeachment, com o ex-presidente Collor.

Falta, portanto a separação de um estado.

Então façamos um exercício de imaginação…

Finalmente os reacionários conseguiram o que queriam: São Paulo não faz mais parte do Brasil. É outro país.

Motivo da saída da federação: os paulistas odeiam os esquerdistas. Não querem viver sob o governo do PT. Os verdadeiros paulistas tem asco do PT e de qualquer outro partido comunista. Só os paulistas são informados, inteligentes, perspicazes, altos e lindos. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Porque não votar no Aécio Neves. Parte 3.

Porque não votar no Aécio Neves. Porque o Brasil é um país pobre. Porque é um país desigual. Porque é um país injusto. Porque a riqueza está nas mãos de poucos. Porque o mercado interno cresceu muito. Porque temos riquezas naturais imensas. Porque foi descoberto o pré-sal. Porque a Petrobrás atrapalha os negócios das grandes petroleiras.  Porque o potencial de desenvolvimento do povo brasileiro é enorme. Porque querer competir por mercado usando as mesmas condições e sob regras impostas pelos EUA e por países desenvolvidos é suicídio.  E finalmente, porque o PSDB reza na cartilha do neoliberalismo. Leia mais »

Sem votos

Porque não votar no Aécio Neves.Parte 2.

Por que não votar no Aécio. Porque ele não tem a menor ideia do seja um presidente de um país.

Porque seu pensamento é tacanho. Pequeno.

E é tacanho e pequeno porque ele é machista, preconceituoso  e prepotente.

É machista porque bate em mulher.

É preconceituoso porque não falou nada reprovando a atitude de pessoas que pedem a castração, a morte o aniquilamento dos nortistas/nordestinos.

Prepotente porque se acha acima da lei (não fez o teste do bafômetro ). E que o homem é superior à mulher.

Essas péssimas qualidades, inerente à sua personalidade, obstrui a visão de futuro. Faz com perca boas oportunidades, internas e externas. Sejam as sociais, financeiras, políticas, ambientais ou diplomáticas.

E reduz, ainda, drasticamente a criatividade e a sensibilidade. Aniquilando, portanto, o poder de negociação.

Percebam o que uma personalidade dessa poderia trazer de ruim para o Brasil. Leia mais »

Sem votos

Porque não votar em Aécio Neves. Parte I

Porque não votar em Aécio. Porque as soluções apresentadas por eles, conservadores e neoliberais não se adaptam à realidade brasileira.

O Brasil é um país pobre. De muitas desigualdades. Com graves problemas em diversas áreas. Saúde, educação, segurança, transporte.

Até bem pouco tempo atrás, 12 anos, para ser mais exato, as chances do cidadão subir na vida eram poucas. E subir não no sentido de galgar postos de trabalhos, dentro de uma hierarquia empresarial. Mas aquela em que o sujeito corte o ciclo vicioso da miséria. Aquela em que não precise acordar como bicho e sair a caçar comida. Sem perspectiva alguma de melhoras. Sem poder pensar. Sem ter tempo de se planejar. Estudar. O luta pela sobrevivência não permite  tais “luxos”.

Então, o que fazem essas pessoas que não tem a mínima chance perante a vida? Ou ficam no seu canto e assim vivem. Transmitindo para seus  filhos a miséria e o conformismo diante da realidade. Ou saem de seus lugares e vêm “tentar a vida” em outras paragens, mais desenvolvidas. Leia mais »

Sem votos

Que vergonha! Que Vergonha! Marina Silva.

Que vergonha! Que Vergonha! Da tua existência Marina Silva.

Chico Mendes tinha razão. Que vergonha das vergonhas Marina Silva.

Apoia Aécio, como apoia qualquer outro que apoia o capeta.

E o povo Marina? O que pensa dele?

Que se dane, já que não voltaram em mim.

Eu tô com Malafaia, com Bolsonaro, com Levy Fidelix.

Tô com todos que estejam contra ti.

Não importa, tenho nojo ,tenho asco. Quero cheiro mais doce do sulfeto.

Que se fodam os que não voltaram em mim.

Analfabetos de pai e mãe.

Quero o fim desses ignorantes, que não votaram em mim.

Beijo na boca a boca desdentada do conservador. Que se dane o povo. Eu desejo teu fim.

Nada é tão importante como meu desejo.

Nada me traz tanto alento com te ver no obscuro mundo do meu ser.

Apoio quem é contra o PT.

Muda. Muda. Muda pra trás? Pra frente? Leia mais »

Sem votos

Quem é o desinformado FHC? Paulistas/Paulistanos ou Nortista/Nordestinos?

Brindo-lhes com mais uma dose de estupidez da destilaria de ignorância desse ex-tudo, Fernando Henrique Cardoso.
“Não é porque são pobres que apoiam o PT e Dilma, é porque são menos informados”.
“apoiado em setores da sociedade que são, sobretudo, menos informados [...]. Geralmente é uma coincidência entre os mais pobres e os menos qualificados.”
Portanto, é óbvio que quem volta em Dilma é ignorante (43,3 milhões de eleitores), segundo o pseudo intelectual.
Conclui-se então, que, por tabela, o “mordomo da Casa Branca” chamou de ignorante os brasileiros do Norte/Nordeste. Pois, foi nestas regiões que Dilma obteve expressiva vitória, certo?
Mas para ele é apenas uma coincidência. Afinal os nortistas/nordestinos são mal informados e pobres. Coitado deles, não é mesmo?
Por que se fossem inteligentes, ricos, ou sudestinos ou sulinos votariam no playboy do Leblon, Aécio Neves, correto?
Me espanta muito a inocência e maldade do “ex”. Leia mais »

Sem votos

Fotos

Sem colaborações até o momento.

Vídeos

Sem colaborações até o momento.

Documentos

Sem colaborações até o momento.

Áudio

Sem colaborações até o momento.