Revista GGN

Assine
imagem de rdmaestri

Conteúdos do usuário

Postagens

A Bomba demográfica brasileira. Teoria da estabilidade de sistemas dinâmicos. Há alguma correlação?

A Bomba demográfica brasileira. Teoria da estabilidade de sistemas dinâmicos. Há alguma correlação?

Conforme já escrevi há quase um ano em :“Demografia brasileira, um item pouco lembrado em análise da capacidade de mobilização” a variação da demografia brasileira no último meio século foi realmente um fato que poucas pessoas se dão conta, na ausência do grande geógrafo brasileiro, Milton Santos, que se interessou e trabalhou no seu livro “Urbanização do Brasil”, pouco se tem escrito em termos de análise global do processo de urbanização do país e as influências sociais e culturais que levaram este processo.

Nos dias atuais, mesmo pessoas situadas bem mais a esquerda ficam surpresas com o que ocorreu no Espírito Santo, e se atém aos fatos ligados ao movimento paredista da Polícia Militar do estado e deixam passar de longe algo bem mais notável que foram os saques ocorridos naquele que era considerado um dos estados mais controlados no país. Leia mais »

Sem votos

Gesetz über Maßnahmen der Staatsnotwehr, a verdadeira origem da justiça de Moro.

Gesetz über Maßnahmen der Staatsnotwehr, a verdadeira origem da justiça de Moro.

Muitas pessoas e juristas ficam citando a operação “Mani pulite” (mãos limpas) ocorrida na Itália no período entre 1992 a 1996 que sacudiu com a Itália acabando com os partidos de direita e de centro naquele país. Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Entregar os anéis para não perder os dedos, por que não aceitaram?

Entregar os anéis para não perder os dedos, por que não aceitaram?

Vendo todos os problemas que pipocam por todo o país fica uma questão que deve ser uma reflexão a ser levada por todos, como uma classe social joga fora um quarto de século de tranquilidade para entrar na lógica do enfrentamento que prevalece em grande parte do mundo?

Achar que o mundo é um lugar tranquilo sem confrontos, sem guerras e sem revoluções é simplesmente ignorar o que passa por ele. Se olharmos a Europa um possível enfrentamento militar com a Rússia é uma hipótese perfeitamente factível visto as possíveis vitórias dos partidos nacionalistas de direita que ganham corpo naquele continente. Se falarmos em África não é necessário procurar muito, guerras, ações terroristas, e fomes se sucedem e quando há um ano de sossego no continente as pessoas agradecem ao senhor. Leia mais »

Sem votos

Por que não há intervenção militar?

O falecido coronel Jarbas Passarinho chamava aqueles que ficavam em torno dos quartéis de “vivandeiras de quarteis” aquelas pessoas que ficavam buzinando nos ouvidos do exército opiniões para o exército permanecer no controle ou aumentar a repressão. A palavra vivandeiras significava nas guerras anteriores ao século XX as mulheres que vendiam comida as tropas ou levavam aos seus parentes ou amigos, era no tempo em que o conceito de logística numa guerra era algo completamente inexistente.

Pois as vivandeiras de quartéis capitaneadas principalmente pelo deputado Bolsonaro e outros grupos ditos intervencionistas estão pedindo com urgência a chamada intervenção militar, porém parece que apesar do aparente caos que temos no Brasil atualmente não há um movimento aparente nesta direção, ou seja, não se vê manifestação de quem está no comando por esta intervenção. Leia mais »

Sem votos

O que ocorreu no Espirito Santo não foram saques, foram movimentos de desobediência social.

 

O termo desobediência civil é conhecido por toda a burguesia brasileira, porém para ficar mais claro coloco a definição corrente deste “ato cívico”:

“Desobediência civil, é uma forma de protesto político, feito pacificamente, que se opõe a alguma ordem que possui um comportamento de injustiça ou contra um governo visto como opressor pelos desobedientes.”

Se por acaso “feito pacificamente” é retirado da frase, entraremos noutra seara, que poderia ser definida como resistência social, que ficaria definida por:

“Desobediência social, é uma forma de protesto político, que se opõe a alguma ordem que possui um comportamento de injustiça ou contra um governo visto como opressor pelos desobedientes.”

Pois bem, a partir desta definição poderíamos simplesmente dizer que os saques que foram promovidos nas lojas no Espírito Santo, e que tem tudo para serem repetidos em todo o país, são casos de uma desobediência  social. Leia mais »

Sem votos

Funcionário fantasma vira de cabeça para baixo as eleições francesas.

 

Todos pensam que o Brasil é a pátria da corrupção, porém a maior parte das pessoas pensa isto simplesmente porque não seguem os noticiários internacionais de política.

Daqui a mais ou menos três meses o primeiro turno das eleições presidenciais francesas ocorrerão. Nas pesquisas de opinião o candidato da direita francesa liderava já com uma pequena queda as pesquisas de opinião, François Fillon, um candidato que propunha austeridade para o povo francês do tipo, trabalhar mais e receber menos, liderava com mais ou menos tranquilidade até a entrada do candidato do partido socialista Emmanuel Macron, que embalado por todo o movimento das prévias do partido socialista mostrava uma recuperação que muitos acham que vai cair. Porém Fillion era o representante da direita conservadora, e como tal mantinha-se nos primeiros postos.

Há poucos dias o Canard Enchaîné, que traduzido seria o Pato Acorrentado, um jornal satírico, porém sério em suas revelações apresenta o caso do nepotismo da Mme Fillion, que segundo a regra da câmara dos representantes francesas foi contratada por seu marido para aparentemente trabalhar como assessora parlamentar. Leia mais »

Sem votos

Retribalização ou a volta da tribalização e seu uso para a falência das organizações partidárias (Parte 1).

Parte 1: O processo histórico da formação das “cibertribos”.

Em 1962 o pai de algumas das teorias da comunicação moderna, Marshall Mcluhan no seu livro “A Galáxia de Gutenberg”, lançava o conceito de “retribalização”, que seria uma espécie de volta a uma espécie de comunicação via a tradição oral da tribalização primitiva onde o grupo se comunicava dentro da própria tribo sendo a linguagem o instrumento para a comunicação e para a sobrevivência do núcleo social, no caso a tribo.

Mcluhan era extremamente otimista sobre o futuro das tecnologias de comunicação, entretanto o que talvez ele devido à precocidade de seus trabalhos (décadas de 60-70) não tinha condições de prever que talvez o processo de comunicação gerado pelo “ciberespaço” formando não uma “cibercultura” geral e universal tenha por certo ponto causado mais uma regressão a um novo conceito de “TRIBO” que por um lado permitiu a construção de diálogos entre pessoas que não tinham no passado como se reunir, mas que se reagrupam como novas “Cibertribos”. Leia mais »

Sem votos

A falha da teoria e a falta de crédito a quem merece.

A falha da teoria e a falta de crédito a quem merece.

Vamos fazer uma pequena revisão histórica, onde as revoluções socialistas triunfaram e para depois não darem o esperado, Rússia, China, Cuba e Vietnã, países com economias atrasadas onde segundo os interpretes do marxismo mais corrente supunham que nada poderia acontecer aí.

Porém se aceitarmos a realidade e não ficarmos presos nas interpretações correntes e pensarmos, por que estas revoluções não ocorreram exatamente nos países em que os teóricos delimitavam claramente que seriam os locais adequados para o surgimento da Grande Revolução? E por que nestes países os regimes degeneraram para situações completamente adversas? Leia mais »

Sem votos

A Teoria da anti-conspiração.

A Teoria da anti-conspiração.

Neste momento correm teorias da conspiração por todos os lados, porém ninguém tenta pensar não em uma conspiração, mas sim motivos que impediriam ou inibiriam por completo uma conspiração para assassinar o Ministro Teori, pois se há motivos para se pensar numa conspiração dever-se-ia pensar nos motivos para não haver a conspiração.

Primeiro motivo: Os resultados contra ou a favor dos diversos membros que estão sendo suspeitos na Lava-jato do STF, divergem de acordo com as análises, pois simplesmente na verdade ninguém sabe a priori o que vai acontecer com a morte de Teori com os julgamentos da Lava-jato no STF. Fica claro nos diversos artigos que escrevem sobre o assunto que dependendo o caminho que vai tomar o STF qualquer coisa pode acontecer, se Teori fosse um juiz do PT de carteirinha ou ao contrário e quem o fosse suceder tivesse uma posição claramente contra a posição de Teori, realmente haveria sentido na tal conspiração. Leia mais »

Sem votos

Desmistificando uma Teoria da Conspiração.

Desmistificando uma Teoria da Conspiração.

Parece que 83% da população brasileira acreditam que a queda do avião com Teori Zavascki foi um atentado. Como curto muito ficar no sentido contrário das maiorias comecei a pensar no que poderia levar a este atentado e para isto pensando no mesmo cheguei uma sólida conclusão igual aos 17% que não acreditam nisto.

Para se imaginar uma teoria da conspiração tem-se que primeiro colocar na pele dos conspiradores e de quem executa, e através do imaginário assassino cheguei a conclusão que foi um acidente mesmo, pois vamos as razões.

Imagine que alguém quisesse assassinar o Ministro do Supremo, primeiro vamos pensar quem seria o executante, pois o(s) mandante(s) aí é outra parte da teoria que falo depois. Mas vamos imaginar que o(s) mandante(s) seja(m) uma () pessoa(s) poderosa(s) com vínculos com outras pessoas especializadas em derrubar aviões, isto só seria conseguido com contato com organismos de inteligência de outros países bem mais desenvolvidos, tais como USA, Rússia, UK, França, Alemanha ou Israel. Leia mais »

Sem votos

Enquanto na França a esquerda domina um espaço, o YouTube, no Brasil quem fala são os bolsomitos e olavetes!

 

As “brilhantes cabeças” da mídia alternativa, em que incluo Luis Nassif e mais outros, continuam insistindo na mídia escrita na Internet, há um espaço que está sendo ocupado pela direita e extrema direita e não há a mínima reação para mudar mais uma forma de difusão de ideias.

Claro que a maioria das pessoas que escrevem aqui no GGN provavelmente já passaram dos 50 anos e alguns ainda mais velhos do que eu, que já passei dos 60, são arredios a novas formas de divulgação de ideias corretas sem as farsas características da velha mídia. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

BOULOS é o primeiro prisioneiro político da nova fase do golpe.

Se chamarmos de gatinho um Leão ele não se comportará como um bichano, ele rugirá e se estiver com fome nos comerá.

Não podemos chamar BOULOS nos dias atuais como se começou a chamar, sinto muito que tanto um cientista social e mais grave a presidenta deposta da presidência da república lastimavelmente façam declarações como estas:

- "é um absurdo e uma repressão aos movimentos sociais e suas lideranças. Isto faz parte deste triste momento de ataque à democracia brasileira, com um governo golpista e sem legitimidade....”

ou

"Os movimentos sociais devem ter garantidos a liberdade e os direitos sociais, claramente expressos na nossa Constituição cidadã, especialmente, o direito à livre manifestação. Prender Guilherme Boulos, quando defendia um desfecho favorável às famílias da Vila Colonial em São Paulo, evidencia um forte retrocesso.....”

Nenhum dos dois disse que o Leão era um Leão e não um gato, pois se tivessem dito isto estariam dizendo o que realmente ocorre:

BOULOS É CLARAMENTE O PRIMEIRO PRISIONEIRO POLÍTICO DA NOVA FASE DO GOLPE. Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

A corrupção ou a percepção da corrupção. Qual a diferença? Qual a verdade? (Parte I)

A corrupção ou a percepção da corrupção. Qual a diferença? Qual a verdade? (Parte I)

Na desordem mental que andamos nos últimos tempos, atribulados por uma série de fatos ou factoides que aparecem a cada dia ou até a cada hora nas notícias do dia a dia, muitas vezes, perdemos por completo o sentido das palavras ou expressões que nos chega nestes períodos.

Uma das coisas que aparecem extremamente seguido na imprensa é o grau de corrupção do Brasil, quando vamos escrever ou falar algo sobre o assunto da validade da intensidade do combate à corrupção no nosso país, vem logo, quase que como uma autocrítica nacional ou a seguinte introdução:

“Eu sou contra a corrupção, mas...”

ou para quem vai em outra direção:

“Eu sou contra a corrupção, logo...”

ou seja, implicitamente todos internalizaram a mensagem que a corrupção no nosso país é algo que é “endêmica” e fantástica, e que falando contra ou a favor ao combate da mesma temos que nos desculpar antes de falar qualquer coisa. Leia mais »

Sem votos

O MPF trabalhou para inocentar a Galvão Engenharia!, por Rogério Maestri

Voltando dois anos ao passado, o MPF trabalhou para inocentar a Galvão Engenharia!

por Rogério Maestri

Tenho um hábito que adquiri lendo várias dezenas de trabalhos que meus alunos entregavam todos os semestres, lê-los! Lia ao ponto de verificar que trabalhos executados um ou dois anos antes eram plagiados pelos alunos, recebendo os mesmos a devida pena, ZERO.

Pois lá em fevereiro de 2015, li com cuidado os documentos fornecidos pelo Ministério Público Federal de Curitiba, que se tratavam naquele momento da denúncia contra a Galvão Engenharia, o documento no qual me baseie o meu artigo em 28/02/2015, pode ser encontrado em  http://www.mpf.mp.br/pgr/copy_of_pdfs/AIA_GALVAO%20assinada.pdf/at_download/file , deixando de lado toda e enrolação que os promotores colocavam no início do sua denúncia fui exatamente no que interessa, as provas sobre o superfaturamento que resultariam em tese das propinas pagas aos diretores da Petrobras, no caso Paulo Roberto Costa.

Leia mais »

Média: 4.5 (23 votos)

A candidatura Jean-Luc Mélechon progride bem mais que a esquerda pequeno burguesa deseja.

A candidatura Jean-Luc Mélechon progride bem mais que a esquerda pequeno burguesa deseja.

Já começo o artigo com uma provocação, meio que transferindo o debate francês para nossa terra, pois a candidatura de JLM está provando uma coisa, que a esquerda pode e deve voltar a ser esquerda e ousar.

No artigo que falei sobre JLM como uma nova esquerda que nasce na França, houve críticas que considero pueris, pois falavam que não se podia definir este candidato como uma novidade, pois o mesmo é um dos mais antigos (se não for o mais antigo) dos candidatos das eleições presidenciais francesas, porém esquecem alguns que a definição de novidade não está somente na idade e na inexistência anterior do candidato na política.

Jean-Luc Mélenchon apresenta novidades programáticas em grandes agremiações que quem vive na triste realidade da política brasileira estranharia muito a existência de algumas propostas.

Primeiro, La France insumise, o nome da frente que propõe o candidato (Insoumise » rebelde), propõe uma revolução no modo e nas formas de produzir, pensando de forma ecológica e sustentável sem perder em momento nenhum o sentido social desta proposta. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Fotos

Sem colaborações até o momento.

Vídeos

Sem colaborações até o momento.

Documentos

No século XX, a Eugenia, no século XXI a Pegada Ecológica.

Normal 0 21 false false false PT-BR X-NONE X-NONE MicrosoftInternetExplorer4 Leia mais »

Áudio

Sem colaborações até o momento.

Comentários

18/02/2017 - 22:39

Nas eleições Lula terá 73 anos de idade, Ciro ainda 61, ou seja, se Ciro conseguir entrar como vice estará certo mais dois mandatos para o mesmo e ainda podendo ter uma atuação notável como vice não decorativo.

Afinal ele pode simplesmente pleitear um ministério como da fazenda ou um fazenda+planejamento. Querem mais poder e expectativa de poder?

18/02/2017 - 18:23

Escrever algo como estivesse falando num palanque em que só tem um minuto para falar, é uma coisa, utilizar o mesmo tipo de discurso chamando Aécio, Temer e Bolsonaro de fascistas é de uma pobresa franciscana. Bolsonaro é um boçal, não é fascista porque nem sabe o que é ser fascista, Temer é um cleptocata e Aécio é como Bolsonaro, um nada.

Certamente o candidato da direita será alguém fabricado como o Dória ou até o Roberto Justus que no fim do ano passado lançaram o seu nome como balão de ensaio (http://politica.estadao.com.br/blogs/coluna-do-estadao/roberto-justus-ad...) mas como é muito prematuro tiraram para ele não se queimar mais cedo, porém vão fabricar alguém e vendê-lo como sabonete.

18/02/2017 - 17:31

Neste caso é tão gritante a fraude que até um estagiário de direito consegue provar o embuste.

O sujeito é um desiquilibrado mental, que olhando na própria Internet, se verifica isto, depois a reportagem é tão mal montada que ela se desmancha por si mesmo, acho que esta seria realmente uma oportunidade única para desmanchar esta revista.

18/02/2017 - 17:22

Desde hoje pela manhã comecei a juntar os pontos deste personagem o tal de Davincci Loureiço de Almeida que ele é um golpista, mas não no sentido do golpe político mas sim do golpe tipo estelionato.

Ele simplesmente vendo que nos "Intervencionistas" há uma percentagem notável de pessoas que acreditam em qualquqer teoria da conspiração ele montou um negócio de ftanquias de venda de um produto miraculoso de limpeza a seco de automóveis, um tal de UV30, que vende pacotes para quem quiser ser revendedor desta "maravilha da tecnologia" se olharem o facebook dele compreenderão com quem está se lidando ( https://www.facebook.com/pg/BRAZILMILITARYTRAINING/about/?ref=page_internal ), ao mesmo tempo se olharem a página da empresa que se dizia fabricante do fantástico UV30 ( http://www.uv30.com.br/ ) a coisa complica mais.

Para mim está claro, o sujeito aliou a sua insanidade, a oportunidade de negócios e de fraudes, para ver melhor este último ítem olhem os seguintes vídeos no YouTube 

https://youtu.be/DsgcnFAJq-0

https://youtu.be/sPsOCoPsWiU

https://youtu.be/DZ5k6GT1M0w

Também tem mais outros vídeos que mostram a sua insanidade como o seguinte

https://youtu.be/BzZJHG5Tjf0

https://youtu.be/eEhNBlITtB0

O cara é louco de atar, completamente paranóico e deve ser tratado como tal, porém além de louco ele é vigarista.

18/02/2017 - 11:26

Eu também algumas vezes me esforcei em entender estas bizarrices que os norte-americanos chamam de esporte, o tal futebol norte-americano e o beisebol. E os portugueses deviam mandar este gajo para assistir uma partida de beisebol, porque seria ainda mais hilário do que foi esta narativa do superbol.

Na realidade acho que os norte-americanos no ímpeto de transfomar estes esportes em grandes promoções comerciais transformam numa grande palhaçada.

Quando o Cosmos montou aquele time que era tão forte que só podia jogar contra ele mesmo, pois não existiam outros times na época eles sugeriram aos ingleses que o nosso futebol, o verdadeiro, tivesse quatro tempos para ele poderem colocar intervalos comerciais entre os tempos, para a nossa sorte o International Board, que na realidade de internacional não tem nada, pois é uma associação entre a Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, cortaram a pretenção do mesmo e deixando o verdadeiro futebol com regras centenárias praticamente sem modificação.

Em resumo, para combater os prepotentes norte-americanos que querem ter tempo para vender lanches durante os jogos o melhor de tudo é uma união de velhinhos da Ilhas britânicas que são ainda mais prepotentes que os Yankes.

18/02/2017 - 01:15

Não se enganem com os balões de ensaio que a grande imprensa coloca, Dória ou qualquer um do tipo, por exemplo, é um candidato mauito mais viável para a direita do que Bolsonaro, não se iludam, alguém como Dória ou até o Roberto Justus, para ficar com o tipo Trump, são bem mais palatáveis e imprevisíveis, pois um Bolsonaro se algum louco qualquer se  encostar ao seu lado este governa.

18/02/2017 - 01:04

Por mais isto ou aquilo que seja Trump ele tem algo torto dentro de sua cabeça mas tem, Bolsonaro é uma mente vazia.

Fazer esta comparação é dizer que a parte anedótica de Trump é igual a anedota que é o Bolsonaro.

18/02/2017 - 00:42

A direita perdeu o rumo e entrou em desespero, por isto Bolsonaro.

O maior problema é confundir uma pessoa esperta com uma pessoa inteligente, Bolsonaro sobra esperteza e falta inteligência, se ele fosse tratado como no vídeo que Wilton Santos colocou por todos, ele nem para vereador numa cidade pequena ele se elegeria. Porém Bolsonaro teve dois cabos eleitorais muito fortes, Maria do Rosário e Jean Wyllys, este dois e mais alguns políticos de esquerda trataram como ele tivesse alguma coisa para dizer, mesmo todos sabendo que não sai nada de inteligente naquela cabeça.

Vejam vocês, quando seu Flávio Bolsonaro coloca uma pesquisa eleitoral num Twitter para homenagear seu papai, nem os Bolsonitos tem coragem de votar no cara, e olha todos sabem que pesquisa feita num Twitter certamente segue a tendência de quem é o proprietário. Logo ninguém leva a sério este cara.

Outro grande problema é procurar nesta personalidade algum traço de um líder fascista, pois na realidade “O Mito” nem tem capacidade intelectual nem o carisma para ser um líder fascista. Porém muitos dão a ele uma capacidade que ele tem, qualquer idiota sabe que Bolsonaro não tem capacidade nem para ser síndico de edifício.

Há duas formas de acabar com a criatura, ou com o deboche ou simplesmente tratando-o de forma solene e perguntando sobre assuntos que não estão na sua posição de conforto, vou colocar um vídeo que mostra como demolir Bolsonaro, fazendo perguntas sérias e fora do assunto que é a sua área de conforto.

17/02/2017 - 14:22

Minha mulher briga comigo dizendo que tenho cabeça de Delegado de Polícia, mas quando leio e vejo uma situação como esta pergunto sempre: A quem interessa o crime?

Vejam os dois babacas que devem ter em torno de 20 anos fizeram o vídeo há quase quatro meses, teve 1,6 milhões de acessos e com isto influenciou no mínimo umas 600 mil cabeças, depois de quatro meses, assim do astral a Folha publica uma rpertagem sobre o Jabá dos dois abobados, jogando o nome dos dois no lixo e a Internet é inclemente com isto. Ou seja, feita a sacanagem, o vídeo já estava lá no passado e agora sai a notícia bomba.

.

- OH a Internet faz a mesma coisa que os grandes meios de comunicação fazem!!!!

.

Todos, inclusive eu, ficam indignados, no canal dos dois há no último vídeo que eles fizeram uma quantidade notável de reclamações, críticas e desaforos, e nós, TAMBÉM BABACAS, caimos na onda de crírticas, sem maiores cuidados, pois dentro deste coelho tem um monte de mato.

Ninguém reparou o "gap" entre o vídeo e a divulgação da farsa, pois se estivessem reparados veriam que há uma coisa bem mais importante do que o que ocorreu, uma tentativa de desacreditar o meio Internet como algo que transmite notícias. Ou seja, a Folha de São Paulo, pousa de vestal e cai de pau sobre a dupla, como a Folha nunca tivesse diretamente ou indiretamente recebido do governo para publicar lixo.

O que foi feito mata dois coelhos com uma cajadada só, desacredita informações pela Internet e glorifica os bastiões da informação, os Jornalões como Folha, Estadão e Globo, as honestísssimas revistas Veja e Isto É, e os imparciais jornais televisivos, fora disto só tem merda.

É diabólico, porém mentes diabólicas com tempo livre fazem coisas incríveis.

16/02/2017 - 16:18

Cara Vânia, leia o que escrevi mais acima, pois para mim é claro que simplesmente NÃO EXISTE ESTA TAL DE CULTURA BRANCA NO BRASIL, somos uma nação de ignorantes, brancos, pretos, pardos ou loiros.

Ninguém dança aqui o minueto porque nem sabem o que é, se fossemos falar em racismo temos que partir deste básico, o racismo é impulsionado no Brasil mais para que alguém na escala social fique abaixo do que para se apropriar de símbolos e outras babaquices deste tipo.

Por que o brasileiro é racista? Simples pelo mesmo motivo porque o alemão era antissemita, para que quando o patrão desse uma chamada no sujeito ele achava alguém que deveria estar abaixo dele, e na Alemanha era mais sintomático e mais claro do que a apropriação de símbolos culturais é uma besteira, porque geralmente o Judeu era muito mais culto que o alemão médio!

Logo o racismo é simplesmente o racismo, é a forma dos fracos de colocar alguém abaixo deles.

16/02/2017 - 15:58

Este artigo parte do pressuposto que há uma sólida cultura branca que é muitas vezes levadas pelos descendentes dos imigratantes italianos e alemães, porém o que poucos sabem é que esta tal de cultura dos imigrantes é uma verdadeira piada que não resiste a uma análise menos profunda do que um poço de água de dois palmos.

Vamos aos exemplos que pululam pela chamada "cultura tradicional dos imigrantes", primeiro os imigrantes que vieram para o Brasil tinham um problema muito sério, não puderam trazer a cultura pois simplesmente não a tinham! Para não ficar no lero-lero vou colocar casos concretos que chocarão muitas pessoas. Vou começar pelos italianos.

Os italianos que vieram ao Brasil e pricipalmente os que ficaram em São Paulo fazem o mais surpreendente em termos de cultura, o desrespeito a cultura gastronômica, em São Paulo quando se come massa primeiro chama-se tudo de Macarrão, macarrão seria uma tradução para o português da palavra em italiano Maccheroni, que é um tipo especial de massa, que é feita com farinha de trigo tipo grão duro e água, e tem uma forma específica, é tubular e curta.

Na Itália pessoas cultas chamam as massas conforme sua forma e composição e isto varia de região para região, o que geralmente se chama no Brasil de Macarrão não é o "Maccheroni" é o "Spaghetti" que também em a mesma receita básica do "Maccheroni" porém é massa em forma de um fio leigeiramente arredondado e com um comprimento que pode ultrapassar um metro. Também há o spaghetinni que é mais uma forma das marcas comerciais venderem um espaguete mais fino. Tem também o penne que é uma massa que tem origem do seu nome exatamente no Penis que em italiano é "Pene" (peni seria o plural).

Há diversos tipos de massas ne Itália com denominações conforme a região, mas a pergunta que não quer calar, por que da ignorância dos descendentes de italiano sobre o "primo piatto" da cozinha italiana (prato de entrada)? Pois simplesmente na Italia um prato de massa é considerado uma das entradas possíveis durante as refeições italianas (pode ser um prato de sopa, arroz ou até em situações especiais e mesas pobres a polenta), logo o descendente de italiano, além de chamar tudo que é massa de macarrão faz uma verdadeira heresia em termos de comer a italiana, utilizar a massa como prato principal (coisa de pobre mesmo).

Outro erro espantoso dos italianos do Sul do país é achar que espegueti, com polenta, radite e galeto como uma forma de comer na Itália. Se alguém procurou em algum restaurante italiano na Itália (não as fajutas cantinas italianas no Brasil) esta combinação, deu com os burros n'água, pois simplesmente não existe. A polenta, que muitos pensam que é um prato comum na Itália, é considerado um prato pobre que era servido principalmente no norte da Itália e que atualmente desaparece das mesas dos restaurantes, quanto ao radite, esqueçam.

Por que destes equívocos? Simplesmente porque quem veio para o Brasil eram um bando de miseráveis que comiam o que tinha e polenta por exemplo era o supra-sumo da pobreza.

Agora se vocês acham que vou poupar os alemães, estão redondamente enganados. A alemoada aqui do sul fica toda alegre quando suas esposas fazem receitas de Chimias que teoricamente seriam de suas avós, pois salvo que suas avós detestassem muito a família ou quisessem matá-los não lhes dariam uma Schmier, pois simplesmente em alemão este nome quer dizer Graxa (lubrificante), ou seja, não é nada agradável comer um pedaço de pão com graxa lubrificante de máquinas!

A tradução correta para o que a alemoada aqui do sul chama de Chimia seria Marmelade.

Agora vem o mais grave para a alemoada. Porque nem o nome de um doce feito de frutas eles não conseguiram guardar? Simplesmente por dois terríveis e desconhecidos motivos, os ascendentes dos nossos imigrantes alemães não conheciam e não comia frutas e pior açúcar também não fazia parte da sua dieta. Por que isto? Simplesmente porque além de frutinhas vermelhas que colhiam em arbustos coisas como outras frutas NÃO EXISTIAM na quase total superfície do campo alemão!

Agora de onde vem as famosas receitas da vovó que aparecem no texto como legado cultural reclamado no artigo. De uma memória construída! Totalmente falsa, mas tão bem construída com desejo que seja verdade, que até acham que ela é verdadeira.

No Rio Grande do Sul temos a cidade de Gramado, que é um exemplo clássico de memória construída, os turistas brasileiros, tão burros como o resto da população, olham para as casas e edifícios e numa enrolação mental confundem toda aquela empulhação de arquitetura como originária dos colonizadores alemães e italianos da região. Qualquer um que investigue um pouco vai verificar que o estilo "bávaro suíço" com estruturas em "bechamel" (uso esta expressão para uma pretexta construção tipo enxaimel que era não um estilo de arquitetura, mas sim um método construtivo, e o que é feito na verdade é uma verdadeira cobertura de bolo tipo bechamel).

Poderia dar mais uma dezena de exemplos das "memórias construídas" na população descendente de portugueses, espanhóis, italianos, alemães e outros. Pois na verdade o que ocorreu nestes fluxos migratórios que vieram para o Brasil, 99,9% foi a reba que sobrou naqueles países e não tiveram dinheiro nem conhecimento para imigrar para os Estados Unidos.

Os negros brasileiros tem que deixar de lado todo este mimimi e fazerem que nem os imigrantes que vieram para cá, construírem suas próprias memórias. A partir do que? Da criatividade e da cara de pau dos italianos do galeto com polenta ou dos alemães que comem graxa e acham que estão fazendo o máximo de conservação da cultura que nunca tiveram.

16/02/2017 - 11:21

O artigo é povoado de falácias desde a memória que não existe nas famílias brasileiras assim como os fatos que a estas atribuem, aqui no Rio Grande do Sul, alguma coisa foi recuperada pois as pessoas queriam ver se conseguiam passaporte europeu, a maioria delas verificaram que não poderiam simplesmente porque os sobrenomes foram mudados (a imensa parte dos migrantes que vieram para o Brasil eram analfabetos e nem sabiam qual era a grafia correta de seus sobrenomes).

Vamos parar com fantasias, quem guarda por gerações as suas origens são povos que não migraram e ficaram em suas terras de origem, migrantes mudam tudo e muitos preferem esquecer o passado, pois migrar é abandonar algo que não gostavam.

 

16/02/2017 - 11:14

Restringir a perda da identidade no Brasil aos descendentes de escravos é algo mais simplificador do que qualquer coisa. Hoje em dia poucas famílias brasileiras conseguem retroagir na sua ascendência mais do que quatro gerações, ou seja, 99% dos brasileiros não sabem quase nada dos seus bisavós.

Se isto é bom ou é ruim ninguém pode dizer, mas somos um povo que não conservamos a memória do passado, poucos sabem dizer qual era a profissão de seus AVÓS (???), o nome completo dos mesmos, onde nasceram e daí por diante. 

A frase escrrita no início do texto "Boa parte da população branca brasileira sabe de suas origens europeias e cultiva, com carinho e orgulho, o sobrenome italiano, o livro de receitas da bisavó portuguesa, a memória que está há várias gerações na família." É uma imensa bobagem que se pesquisada cientificamente se mostrará uma verdadeira falácia, ninguém guarda mais os livros de receita das avós, simplesmente porque as receitas da forma que eram feitas não utilizam leite condensado, Nutella e o monte de porcarias que nos empuram no dia a dia. Não há esta memória, pois poucos tem vontade de guarda-las e na primeira mudança que fazem vai tudo para o lixo.

Não sei direito a onde quer levar este artigo, pois não entendi direito qual é seu objetivo.

16/02/2017 - 10:13

Só achei interessante que o que tem menos para discutir a China são pessoas que moram na China!

15/02/2017 - 17:53

A surpresa do Professor é que ele está chegando a conclusão que querem matar todos, parece que se chegar a esta conclusão será a grande conclusão.