Revista GGN

Assine

Exorcizando os fantasmas da terceirização

Luis Nassif

Ontem, no Repórter Brasil, mediei um debate entre dois técnicos competentes, André Rebelo, da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), e Clemente Gantz, do DIEESE (Departamento Intersindical de Estudos Socio Econômicos), sobre terceirização.

A conclusão final de ambos os debatedores é que houve grandes avanços na votação do substitutivo, chegando-se a um texto bastante equilibrado.

 

14 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Marcos M Roland
Marcos M Roland

Há uma outra discussão importante

Creio que o maior perigo da terceirização está no setor público. No setor privado, é possível, sim, que a própria boa administração empresarial em face do mercado evite que a terceirização se dê também nas atividades-fim, com poucas exceções que não fariam muito impacto. Assim, nas empresas privadas, pouco mudaria em relação ao cenário atual, exceto pela regulamentação duma prática que já existe e uma melhor proteção dos direitos trabalhistas dos terceirizados, o que deve ser benéfico para trabalhadores e (bons) empresários. Estou dizendo: é possível, ter certeza acho que ninguém pode. Não creio, por exemplo, que o Bradesco venha a contratar um caixa terceirizado.

Já no setor público, tanto na Administração Direta como na Indireta, pode haver, há muita chance mesmo de haver, abusos na terceirização por motivações político-eleitoreiras, com sistemática burla ao instituto do concurso público e cooptação de empregados terceirizados para contribuições a partidos políticos, isto já pensando num possível fim do financiamento empresarial de campanhas.

Então, penso que essa discussão é importante também. Não tenho nada contra limitar a terceirização às atividades-fim, para todos os contratantes, seja do setor privado, seja do setor público. Mas creio que o fundamental mesmo é prevenir a "abertura da porteira" no setor público. Vou mais longe, por mim, no setor público, deveria haver também uma restrição de atividades-meio que poderiam ser terceirizadas. Por exemplo, o setor de pessoal deveria estar fora disso, e é uma atividade-meio. A propósito, um grande absurdo que está vigente, a que as pessoas já se acostumaram e não acham estranho, é a terceirização dos concursos públicos para essas nebulosas instituições de fins lucrativos (não declarados) como Cespe, Cesgranrio, etc, etc. Já pensaram se fosse terceirizada também a atividade de "recrutamento" de políticos, isto é, as eleições??

Seu voto: Nenhum
imagem de Mailson
Mailson

A escolha foi ingênua

Em algumas matérias publicadas aqui nesse blog Nassif disse que em algumas situações a Dilma tinha sido ingênua.

Mas Nassif, mais ingenuidade do que essa mostrada por você na escolha dos dois convidados que aparecem neste vídeo, impossível. Ou a escolha não foi sua?

Chamar dois representantes das classes patronais para "discurtir" sobre o projeto de terceirização é brincadeira. Veja, eu não estou lhe agredindo, até porque você é tão honesto na sua profissão quanto a Dilma na qualidade de Presidenta da República. E eu tenho todo o respeito do mundo pelas pessoas honestas, muito embora muitas vezes elas se mostrem ingênuas. Simplesmente porque elas acreditam na boa fé das pessoas.

Foi o seu caso ao convidar esses dois caras para "discutir" o projeto de terceirização. Você chamou o Pelé e o Pepe da Fiesp e foi aquele show de bola. Da próxima vez convide o João Pedro Stédile como representante dos trabalhadores. Ai sim, nós teremos um debate pra valer.

Um abraço.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

debate técnico e pouco esclarecedor

Assisti ao debate do reporter Brasil , técnico demais e esclareceu quase nada ao espectador. Surpreendente a posição passiva do representante do Dieese que parecia temer as reações do patrão da Fiesp. Há uma obviedade a toda prova nesta questão da terceirização , a precarização das condições de trabalho. Se o salário do trabalhador não vai diminuir, a conta não fecha. Qual a vantagem da empresa contratante em pagar um funcionário mais uma terceirizada ? É óbvio, limpo e cristalino que quem vai pagar a conta é o trabalhador.

Seu voto: Nenhum (9 votos)
imagem de Mogisenio
Mogisenio

Todo mundo sabe que o poder

Todo mundo sabe que o poder executivo não consegue fiscalizar bem.

Todos nós sabemos que o poder judiciário é moroso. Logo, o empregado, o otário, terceirizado, moverá açao contra a empresa e ficará esperando a morosidade jurídica resolver o problema até que se esgote a possibiidade de receber dessa empresa. Só ai, responsabilizará a contratante. 

Os entrevistados enrolaram mas não enganarm seus leitores atentos Nassif.! 

Todos nós sabemos que esse PAPO FURADO de que o terceirizado não será subordinado da empresa contratante não cola mais. Ora, o empregado fará parte de um projeto e receberá ordens de quem, dentro da empresa que "locou " a sua força de trabalho? 

E isso sem falar do problema sindical brasileiro. Sindicatos que não defendem , efetivamente, os direitos dos trabalhadores e ainda, podem "criar" regras mediante convenção e acordo coletivo.

 

Em suma, essa terceirização é uma FRAUDE, UMA REFORMA trabalhistas camuflada. Só os otários empregados que vão, como de hábito, pagar a conta.

Por que não colocam a responsabiidade solidária? Por que? Qual é o problema se vão "fiscalizar" , como dizem? Qual será o valor dessa garantia? Vai cobrir tudo que TODOS OS trabalhadores tëm direito de receber, eventualmente? Em todos os 5 anos? Tudo tudo? Duvido. Duvido muito.

Cheira mal. Muito mal. 

Francamente, estamos vendo um enrolaçao dessa avançar sem debate claro. E os empregados vão pagar a conta.

Veja voces uma coisa:

A pjtizaçao NÃO PODE EXISTIR. é CONTRA A LEI. 

Só que existe. Muitos recebem assim , nessa fraude descarada. 

Imaginem voces com sera essa terceirizacao?

Espero que a presidente vete o projeto. É o mínimo que pode fazer. 

Ocorre que estão aproveitando da "fraqueza" política dela , no momento, e estao empurrando essa FRAUDE goela a baixo dos brasileiros otarios

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Acácia Andrade
Acácia Andrade

Fundo caução?

Então quando uma empresa contrata uma terceirizada e esta terceirizada não cumpre direito as leis trabalhistas, o funcionário primeiro cobrará da empresa a qual foi contratado e depois não conseguindo terá que cobrar da empresa que contratou a terceirizada, só nesse processo, já visumbro o trabalhador penando.

E pelo que o representante das empresas responde é que terá um fundo caução que servirá para pagar este funcionário, dai eu vejo mais uma vez o trabalhador pagando o pato, pois de quem será tirado esse dinheiro pra se fazer este fundo? Quem mais uma vez pagará a conta? 

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Adolfo Silva Rego
Adolfo Silva Rego

Terceirzação

Bastante equilibrado? Poderia explicar melhor o significado disso? Seria uma tentativa de tornar a regulamentação indiscriminada aceitável? Afinal, o tema do texto nos direciona para esse caminho. Lamentável, Nassif!

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Acácia Andrade
Acácia Andrade

Não entendi bem..

Se uma empresa contrata uma terceirizada e esta não cumpre os direitos trabalhistas, a empresa contratante terá que arcar com os custos e por isso vai ter que ter um fundo para esse tipo de ocorrencia. Pois bem,  eu pergunto de onde, vocês acham que virá então o dinheiro desse suposto fundo? quem, mais uma vez, irá pagar a conta? adivinhem!

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Distorção

"A conclusão final de ambos os debatedores é que houve grandes avanços na votação do substitutivo, chegando-se a um texto bastante equilibrado." não corresponde a verdade. Quem disse isso, e insistiu, foi o cara da FIESP. O do DIESE disse que houve avanços e que a regulamentação é importante para ambos os lados. Não é a mesma coisa. 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Rodrigo Nin

Uma empresa poderá contratar

Uma empresa poderá contratar outra empresa para executar sua atividade-fim. Qual o proposito da existência da primeira empresa, visto que a segunda executará o trabalho? 
Se o salário da categoria será garantido, se todos os benefícios serão garantidos e haverá mais uma empresa intermediária lucrando sobre o trabalho, o trabalhador terceirizado terá que custar mais caro para a empresa contratante do que um trabalhador que ela contratasse diretamente. Agora aparecem especialista com esse papo furado de que nada muda. A única forma da contratação terceirizada ser vantajosa é se o trabalhador tiver seur benefícios e proventos REDUZIDOS. É matamática elementar!

Seu voto: Nenhum (13 votos)
imagem de Frank
Frank

Sou contra a PL 4330, mas a

Sou contra a PL 4330, mas a outra possibilidade de manter o rendimento do trabalhador sem perdas seria o governo arrecadar menos, ou seja diminuindo a arrecadação previdenciária, tributária e fiscal.O Levy já foi no congresso pedir pra não mexerem no FGTS...

Seu voto: Nenhum
imagem de Beto
Beto

O trabalhador pela clt qusta

O trabalhador pela clt qusta quase 200% do salario, com a terceirização alguem pode contratalos por alguns dias sem ter de paga o salario deles quando eles não tiverem  mais o que fazer!

Seu voto: Nenhum
imagem de WanderleyKuruzu Rossi Jr.
WanderleyKuruzu Rossi Jr.

Especialista diz que terceirização põe fim a concursos públicos

Entrevista concedida nesta sexta, 10.

http://www.pt.org.br/terceirizacao-poe-fim-a-concursos-publicos-diz-espe...

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de NALDO
NALDO

Que vá esses dois trabalhar

Que vá esses dois trabalhar em firma terceirizada,pra ver como é bom, é só ver os problemas dessas empresas terceirizadas de limpeza e segurança, meu cunhado está tentando receber o ultim salario dele de uma empresa (salario, nem são os direitos) e advinha se ele sequer descobre onde ir pra reclamar. Na pratica a teoria é outra, foi uma tunga gigantesca nos direitos do trabalhador, essa é averdade.

Seu voto: Nenhum (8 votos)
imagem de Jan
Jan

Lamentável

 

Eu acho lamentável a posição do entrevistado do DIEESE.   A começar pelo simples fato de ser o patronato o grande propulsor da proposta. Oras, o ganho deles será debitado na conta dos trabalhadores. Como pode o DIEESE defender essa posição.

Um dos pontos não debatidos é  que o poder de negociação dos trabalhadores fica diminuído.  Numa mesma empresa haverá empregados de muitas terceirizadas e dificlmente poderá haver movimentos reinvidicatórios unificados entre todos os empregados. 

Quem conhece a realidade da "pejotização" sabe muito bem que se trata somente de uma forma de retirar direitos do trabalhador. 

Seu voto: Nenhum (11 votos)

Ë isso.

Parabens. Inforrmação e debate. Tudo que o pig não sabe mais fazer, não passa nem perto. Obrigado.

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.