A história vai julgar Bolsonaro, diz Mandetta em entrevista à BBC inglesa

Ex-ministro da Saúde diz que discurso de Bolsonaro sobre coronavírus "confunde" a população e tem prejudicado o enfrentamento à pandemia no Brasil

Jornal GGN – O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta disse em entrevista exclusiva à BBC do Reino Unido que “a história vai julgar” o presidente Jair Bolsonaro por sua postura irresponsável no enfrentamento à pandemia de coronavírus.

A fala de Mandetta foi registrada após o jornalista da BBC frisar que Bolsonaro tem um discurso contrário às recomendações sanitárias da OMS, participa e incentiva atos com aglomerações humanas, não usa máscara nem mantém distância das pessoas. Ao contrário disso, tira selfies e toca a mão de seus seguidores, e minimiza, sempre que pode, a gravidade do vírus, como se fosse uma “gripezinha”. “Eu tenho certeza que a história vai julgá-lo por tudo isso que você disse”, admitiu Mandetta.

Apesar disso, o ex-ministro comentou que é “direito” de Bolsonaro ter um discurso próprio e se preocupar com a economia. Ele também amenizou as críticas dizendo que a sociedade brasileira não tem apenas uma liderança para influenciar as decisões. Imprensa, governadores e prefeitos têm feito um papel importante orientando a população a seguir as dicas de prevenção.

“Bolsonaro decidiu priorizar a economia, o que me colocou em colisão [com o governo] enquanto ministro da Saúde. Mas é direito dele, ele está no comando, ele foi eleito. Nós teremos eleição daqui dois anos e as pessoas serão capazes de julgar” o presidente, disse Mandetta.

A BBC também destacou na entrevista que o Brasil caminha para ser o novo epicentro da pandemia de coronavírus e que o descaso de Bolsonaro o responsabiliza, de alguma forma, pelo aumento no número de mortes. Seria como ter, metaforicamente, “as mãos sujas de sangue”, colocou o repórter.

Leia também:  Rodrigo Maia enterra possibilidade de impeachment contra Bolsonaro

Mandetta respondeu que não colocaria as coisas nesses termos, “porque não ajudaria em nada na situação em que estamos.” Mas reconheceu que Bolsonaro terá de assumir as consequências de seus atos no futuro. “A mensagem dele é muito confusa para as pessoas”, disse.

Mandetta também disse que é absolutamente contra Bolsonaro colocar a economia acima de vidas humanas. Questionado por que não se demitiu do cargo antes, o ex-ministro respondeu: “Porque um médico nunca abandona um paciente.” Ter ficado no Ministério no começo da pandemia foi importante para ajudar “muitas pessoas a terem um juízo melhor sobre quem deveriam seguir e como deveriam se comportar. Era um período em que precisavam ver que existe uma voz diferente” da de Bolsonaro.

A reportagem da BBC considerou ainda que Bolsonaro merece um impeachment por sua gestão da crise de coronavírus. Questionou se não é motivo suficiente para deflagrar o processo. Mandetta tangenciou: “Não é hora de discutir isso. Nós temos um inimigo maior e mais forte, que é o coronavírus. Vamos falar de política depois. Agora precisamos que todos ajudem na luta” contra a doença.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. O sujeito faz um monte de bobagem, empurra seu gado para a rua, tenta esfumaçar tudo que se refere às pesadas suspeitas sobre parentes, e para manter seu esquema de proteção, tenta isentar os maus militares, como os que meteram a mão nos 600,00 sem, contudo, esconder o proprio mau carater pois coloca a culpa nos recrutas quando, no artigo abaixo, destaca-se que até inativo e pensionista estao no rolo.

    https://g1.globo.com/politica/noticia/2020/05/13/bolsonaro-diz-que-militares-que-receberam-auxilio-emergencial-sao-jovens-do-servico-obrigatorio.ghtml

  2. Espero que a HISTORIA tb seja justa com Mandetta ..quiçá a Justiça tb
    ..quer pela demonização inicial que vc fez do SUS, pelo desmonte IRRESPONSÁVEL e prematuro do MAIS médicos ..e por ceder aos militares e ao OGRO e adiar medidas preventivas, campanhas esclarecedoras, e provimento de equipamentos e meios pra que o BRASIL pudesse se preparar pra aquilo que TODO O PLANETA JÁ SABIA, que ninguém escaparia com BRAVATAS e demagogia, dos efeitos nefastos da COVID.

  3. “Ave Mandetta, morituri te salutant”, Paródia.

    Nassuf: mande o Mandetta mandar a mensagem aos parentes do mortos pelo monstro que ele ajuda a manter no governo.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome