Bolsa sobe 2,17%, e dólar supera patamar de R$ 5,40

Mercado brasileiro segue otimismo visto no exterior após pacote para empresas americanas; moeda norte-americana volta a bater recorde nominal

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O mercado brasileiro encerrou as operações em alta na volta do feriado, acompanhando o otimismo visto no mercado internacional. Por outro lado, a cotação do dólar voltou a bater recorde de alta.

O Ibovespa (índice da Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo) encerrou o dia em alta de 2,17%, aos 80.687 pontos e com um volume negociado de R$ 24,533 bilhões.

Na segunda-feira, um dos destaques ficou com o contrato de maio para o petróleo nos Estados Unidos, que foi negociado a preços negativos – ou seja, os investidores estavam pagando para não receber os barris.

Como as empresas interromperam sua atividade produtiva e os consumidores passaram a ficar em casa para tentar frear a disseminação do coronavírus, o mercado se viu inundado de petróleo – e indica que o nível de atividade está pior do que o esperado.

Contudo, houve otimismo no mercado externo (o que influenciou os negócios no Brasil) após o anúncio de um pacote de quase US$ 500 bilhões nos Estados Unidos como forma de aliviar a economia dos efeitos da pandemia, sendo que US$ 321 bilhões serão direcionados para um programa de empréstimos a pequenas empresas.

No cenário doméstico, existe a expectativa de uma nova redução da taxa básica de juros, principalmente depois que o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, dizer que o cenário traçado pelo Copom (Comitê de Política Monetária) mudou desde a última reunião – na ocasião, a taxa Selic caiu 0,50 ponto percentual, para 3,75% ao ano.

No câmbio, a cotação do dólar comercial encerrou o dia em alta de 1,89%, negociado a R$ 5,4089 na compra e R$ 5,4094 na venda. Com isso, a moeda voltou a atingir seu maior valor nominal (que não considera a inflação) desde a criação do Plano Real.

Leia também:  FFLCH repudia uso de espaços da USP para realização do São Paulo Boat Show 2020, em plena pandemia

O Banco Central realizou leilões de swap tradicional de 10 mil contratos com vencimento em setembro de 2020 e janeiro de 2021.

(com informações do UOL)

 

Leia Também
Reforma Trabalhista: A Medida Provisória 936 e a decisão do STF na ADI 6363/20
Inovação, criatividade e filantropia em tempos de Pandemia, por Ana Beatriz Prudente
Acordo da OPEP será insuficiente para evitar crise no petróleo
O desafio de montar cenários e projeções econômicas, por Luis Nassif

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome