Bolsonaro explora pandemia para “consolidar governo autoritário”, dizem historiadores suecos

Brasil pós coronavírus tende a ver "menos liberalismo e menos democracia", a depender de seu presidente

Jornal GGN – Três historiadores suecos que lecionam em Estocolmo e também na Espanha assinam um artigo no The Guardian desta terça (21) afirmando que países como o Brasil tendem a ver “menos liberalismo e menos democracia” depois da pandemia do coronavírus, em função da postura do presidente Jair Bolsonaro.

Lars Trägårdh, Umut Özkırımlı e Henrik Berggren afirmam que assim como Victor Orbán, da Hungria, e Recep Erdogan, da Turquia, Bolsonaro está “explorando a pandemia para consolidar ainda mais seu projeto autoritário”.

Os três governantes vão na contramão de países como a Suécia e Espanha, que contam com a confiança de seus cidadãos para enfrentar a COVID-19. São nações que optaram por um grau maior ou menos de distanciamento social no meio da crise, mas ambos os caminhos dispensam medidas “draconianas” e escanteiam qualquer polarização ou radicalização política neste momento.

Leia o artigo completo aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Obra de professor brasileiro é considerada a mais importante do constitucionalismo moderno

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome