Bolsonaro ironiza “pacto pelo emprego” de Flávio Dino

Bolsonaro segue menosprezando as políticas de combate ao coronavírus por isolamento social, a única medida efetiva e recomendada até hoje

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro satirizou a proposta do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), de construir um Pacto Nacional pelo Emprego para amenizar os impactos da pandemia do novo coronavírus.

“Tem governador agora que quer que eu faça um pacto pelo emprego. Mas ele continua com o estado dele fechado”, disse o mandatário.

Bolsonaro segue menosprezando as políticas de combate ao coronavírus por isolamento social, a única medida efetiva e recomendada pelas organizações sanitárias internacionais, até hoje, para evitar a propagação do vírus no mundo.

A referência do mandatário foi sobre o fato de Dino manter políticas de restrição no estado e começar a pensar em medidas para retomar a economia, defendendo os direitos dos trabalhadores.

“Considerando este cenário desafiador, gostaria de sugerir uma reunião liderada por V. Exa. com os governadores e os presidentes das confederações empresariais e centrais sindicais para que possamos construir um ‘Pacto Nacional Pelo Emprego’, com medidas emergenciais de geração de emprego e renda”, escreveu Dino.

Leia sobre a proposta de Dino: Flávio Dino propõe Pacto Nacional pelo Emprego ao governo Bolsonaro

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Rússia afirma estar à frente dos rivais na corrida pela vacina contra Covid

5 comentários

  1. Flávio Dino é um parvo por achar que pode “pactuar” qualquer coisa com o Bolsonaro. Isso é a frente ampla: desmobilizam-se os trabalhadores e a população em geral, não se faz a campanha pelo Fora Bolsonaro e a nova e velha velhacaria nacional permanecem no controle da situação, rumo ao fascismo. Temos crias de Sílvio Frota comandando o país e o sujeito quer fazer pacto. É pra rir ou não é da frente ampla?

    4
    1
  2. Querer que o insano deixe de ser uma toupeira é burrice, uma tremenda perda de tempo. Décadas moscando na câmara atrofiaram ainda mais seu cérebro minúsculo, que já nasceu doente.
    Mas enquanto o imbecil vai tomando toco nos eua por seus (e dos improdutivos filhotes) palpites infelizes na eleição americana, investidores vao metendo o pé.

    https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/07/28/investidores-retiram-us-312-bi-de-aplicacoes-financeiras-no-brasil-no-semestre-maior-saida-em-26-anos.ghtml

    2
    1
  3. Bolsonaro não é um imbecil…pois claro que ele consegue compreender que governadores e prefeitos “fecham” estados ou municípios não porque têm prazer em fechar mas porque precisam evitar que a tal “abertura” (rumo às aglomerações) causem mais casos de COVID e até mortes, colapsando de vez o sistema de saúde e principalmente as vagas hospitalares que, em nenhum país do mundo sobram (as vagas hospitalares). Se não é um imbecil porque consegue compreender isso, É UM CAFAJESTE MESMO, QUE MERECE SER CONDENADO POR TRIBUNAL PENAL INTERNACIONAL POR GENOCÍDIO. Aliás, pena que não exista pena de morte nesse país, pois eu adoraria guilhotinar a cabeça desse cafajeste.

    5
    1
    • Perfeito!
      É sim um cafajeste (acho mais um cafaJEGUE) e merece ser julgado, quiçá condenado) por genocidio em Haia.
      Aliás, aproveitando o gancho, alguem habilitado poderia descrever as consequências de uma eventual condenação por genocídio em Haia?
      Discorrer sobre o julgamento, sua admissibilidade (ja parcialmente relatada em outro post aqui no GGN, as instancias, sobrecomposição da mesa julgadora, se existe “peso” de países (poderao potências chantagear o tribunal, assim como trump faz com a OMS?), etc

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome