Carta aberta das editoras independentes a autores e intelectuais comprometidos com um mundo mais justo

Contribuir por omissão com a dinâmica de concentração e dominação pode, a longo prazo, enfraquecer o poder transformador do nosso trabalho e fortalecer o sistema existente.

Carta aberta das editoras independentes a autores e intelectuais comprometidos com um mundo mais justo

Estamos convencidos que autores, tradutores, editores, livreiros, bibliotecários, jornalistas,
críticos e leitores têm que agir em união e em solidariedade se quisermos mudar o curso das coisas, quebrando o círculo vicioso do setor editorial, dando significado e uma raison d’être ao livro como instrumento capaz de criar uma humanidade mais justa, atenta e amigável ao seu ambiente. Contribuir por omissão com a dinâmica de concentração e dominação pode, a longo prazo, enfraquecer o poder transformador do nosso trabalho e fortalecer o sistema existente. Portanto, tem se tornando urgente questionar essa realidade – dentro do papel que cada um ocupa na corrida desordenada para destruir e aniquilar o outro – e nos comprometermos a rever toda forma operacional, para lutar contra a sujeição do mundo das ideias a essa lógica extrativista.

carta-aberta-das-editoras-independentes

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  O artista e seu comitente ou a arte e a falta de grana no Brasil, por Rogério Mattos

3 comentários

  1. Um dos artigos mais importantes sobre cultura, publicado em media alternativa. Incrivel. Nassif, pede as outras midias alternativas para publicar esta carta aberta. Isso e primordial no ambito de aumentar a visibilidade de publicacoes.
    Na rodoviaria Tiete, havia uma livraria, na qual eu gastava cerca de 1000 reais a cada seis meses. A dona vendeu a um cara de Belo Horizonte, que se desfez de livros que abria a consciencia politica, por publicacoe de direita e outras baboseiras. Escrevi uma carta ao dono e ele nem me respondeu.
    Parei de comprar. Sai de Sao Paulo estou fora do pais e nao sei como lidar com a falta de uma livraria. Online nunca gasto dinheiro. Entao acabou a contra danca.

  2. Os editores e livreiros brasileiros deveriam constituir uma associação para a promoção da leitura de livros no Brasil, hábito que anda em baixa em nosso país. A divulgação e a promoção de eventos literários, feiras, congressos de escritores e editores, estímulo à criação de clubes de leitores de livros, etc. teriam o duplo papel de promover o hábito da leitura entre os brasileiros e atender aos interesses comerciais das editoras e livreiros. É a minha sugestão, aficionado que sou pela leitura.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome