Coronavírus: Governador de Nova York implora por ajuda com número de mortes aumentando

Caos em hospitais é um quadro que especialistas mostram como prévia do que outras comunidades nos Estados Unidos poderiam enfrentar em breve.

Foto Reuters

Jornal GGN – Andrew Cuomo, governador de Nova York, fez apelo urgente a voluntários médicos, por ajuda, quando número de mortes por coronavírus aumentaram na cidade e os hospitais já não comportam o número de infectados. Este caos em hospitais é um quadro que especialistas mostram como prévia do que outras comunidades nos Estados Unidos poderiam enfrentar em breve.

O governador de NY implorou por ajuda no momento em que as mortes no estado ultrapassavam 1.200 pessoas, a maioria delas na cidade de Nova York.

Um navio-hospital da Marinha dos Estados Unidos, com 1.000 leitos, chegou ao porto de Nova York nesta segunda, 30, o USNS Comfort. A instalação será usada para tratar pacientes que não são coronavírus, uma medida para desafogar os hospitais lotados com Covid-19.

Enfermeiros e outros profissionais médicos também começaram a chegar na região, atendendo ao apelo do govenador. “Qualquer pessoa que diga que essa situação é apenas da cidade de Nova York está em estado de negação. Você vê esse vírus atravessar o estado, esse vírus atravessar o país. Não há americano imune a esse vírus”, disse Cuomo.

Criticando a postura do presidente Donald Trump, politizando a crise, Cuomo afirmou que tal postura não é “um exercício político”. Disse ainda que este embate não é “relações com a imprensa, não é óptica”, e muito mais e muito mais grave, “o tsunami está chegando”, alertou.

Os Estados Unidos registraram mais de 160.000 infecções e mais de 3.100 mortes, sendo Nova York a cidade com mais óbitos declarados.

Realmente, o vírus vai se espalhando pelo país, sendo que especialista em doenças infecciosas, Anthony Fauci, alerta que as cidades menores estão prestes a ver os casos “decolarem” como aconteceu em Nova York.

Leia também:  Diário da rotina contra a COVID, por Suzy Groeger Lapa

O especialista afirmou que a pandemia pode acabar matando entre 100.000 e 200.000 pessoas nos EUA, caso a mitigação não dê certo.

Com informações do Al Jazeera

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Só a fria Nova York? Nova York é todo os EUA? Nova York saindo de seu Inverno Rigoroso, ainda com Temperaturas muito baixa com mínimas abaixo de 0 GRAUS, enquanto o restante do país com mais de 450 milhões de habitantes continuam com sua normalidade institucional, diária e hospitalar? Tal crise está sendo estudada para Áreas Tropicais e com temperaturas mais elevadas? Será que isto tem importância para o Mundo Industrializado, como produzir Medicamentos para Doenças Tropicais?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome