Judeus fazem “chamado contra o genocídio” de Bolsonaro com “inclinações nazistas e fascistas”

"O Fora Bolsonaro deve ser o chamado uníssono da hora. É o chamado contra o genocídio", afirmam 260 judeus

Foto dos atos deste sábado contra Bolsonaro, em Barra do Garças, MT - Foto: @esquerdaonline

O GGN PRECISA DE VOCÊ PARA CONTINUAR PRODUZINDO INFORMAÇÃO E ANÁLISE CRÍTICA E INDEPENDENTE
CLIQUE AQUI E SAIBA COMO APOIAR

Jornal GGN – “É preciso chamar as coisas pelo nome”, afirmam intelectuais e renomados judeus, em carta que afirma ser “perceptível que o governo encabeçado por Jair Bolsonaro tem fortes inclinações nazistas e fascistas”.

Assinado pela cientista Natalia Pasternak, os historiadores Lilia Schwarcz, Íris Kantor e Michel Ghermen, o cineasta Pedro Farkas, a psicóloga Lia Vainer Schucman, entre outros, em um total de 260 judeus.

Leia a carta na íntegra:

“É preciso chamar as coisas pelo nome. É chegada a hora de nós, intelectuais, livres-pensadores, judeus e judias progressistas, descendentes das maiores vitimas do regime nazista, posicionarmos, como atores sociais diante do debate público sobre o atual momento nacional. É perceptível que o governo encabeçado por Jair Bolsonaro tem fortes inclinações nazistas e fascistas.

É preciso chamar as coisas pelo nome.

Perspectivas conspiratórias e antidemocráticas produzem, tal qual o fascismo e o nazismo, inimigos e aliados imaginários.

Se não judeus, como o caso do Terceiro Reich, esquerdistas; se não ciganos, cientistas; se não comunistas, como na Itália fascista, feministas. A ideia de uma luta constante contra ameaças fantasmagóricas continua.

Porém há mais. As reiteradas reportações racistas e nazistas do governo B olsonaro, o uso de símbolos fascistas e referência à extrema-direita não podem deixar dúvidas.

O projeto de poder avança. Genocídio, destruição das estruturas democráticas do Estado e práticas eugênicas estão escancaradas. Cabe a nós brasileiros e brasileiras impedir que cheguemos a uma tragédia maior.

O Fora Bolsonaro deve ser o chamado uníssono da hora. É o chamado contra o genocídio.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome