Mais pessoas voltaram ao trabalho na segunda semana de junho

Total de trabalhadores temporariamente afastados chegou a 12,4 milhões, segundo dados da PNAD Covid-19 divulgado pelo IBGE

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O total de pessoas ocupadas temporariamente afastadas do trabalho por conta do isolamento social caiu de 13,5 milhões na primeira semana de junho para 12,4 milhões na segunda semana do mês, segundo dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Covid 19 divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Como a população desocupada ficou em patamar relativamente estável no período, cerca de 1,1 milhão de pessoas podem ter voltado ao trabalho por conta da flexibilização do isolamento social, como acontece em algumas cidades. Apenas na primeira semana de maio, 16,6 milhões de trabalhadores estavam afastados de suas funções.

O IBGE projeta que, na segunda semana de junho, 170 milhões de pessoas estavam em idade para trabalhar, mas 83,5 milhões estavam ocupadas. Tal número permaneceu estável desde a primeira semana de maio, e mostra que 49% das pessoas estavam trabalhando na segunda semana de junho.

Dentre as pessoas ocupadas, 8,5 milhões atuavam de forma remota, o que equivale a 12,5% dos profissionais não afastados por conta da pandemia. O percentual desse grupo oscilou durante as últimas semanas, chegando a 8,9 milhões na primeira semana de junho, retornou ao patamar do início de maio (8,5 milhões).

“Em relação à primeira semana de maio, o resultado pode significar algum retorno ao trabalho, mas também dispensa de pessoal, pois nessa comparação se observa o aumento da população desocupada em dois milhões. Então pode ter ocorrido esses dois efeitos”, explicou a coordenadora da pesquisa, Maria Lucia Viera, complementando que 11,9 milhões de pessoas estavam desocupadas na segunda semana de junho.

Leia também:  Nota de R$ 200 contraria combate à lavagem de dinheiro

 

Leia Também
Liminares sobre correção de ações trabalhistas confundem juristas
Os novos modos de produção e a destruição do emprego, por Luis Nassif
Instituto de Economia da Unicamp discute o mito da crise fiscal
Com 12,7 milhões de desempregados, país bate recorde de subutilização e desalento
Do Banestado à Lava Jato: um dossiê sobre o passado de Sergio Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome