Ministro alemão comete suicídio por causa da crise de coronavírus

O primeiro-ministro Volker Bouffier disse que Schaefer estava "profundamente preocupado" com o impacto econômico da epidemia

Jornal GGN – É destaque na imprensa internacional, neste domingo (29), que o ministro das Finanças Thomas Schaefer, do estado de Hesse, que inclui Frankfurt, foi encontrado morto com sinais de que cometeu suicídios. As autoridades locais afirmam que o motivo foi a crise de coronavírus.

O primeiro-ministro Volker Bouffier disse que Schaefer estava “profundamente preocupado” com o impacto econômico da epidemia. A informação é da agência de notícias AFP. O site Bloomberg também noticiou o caso.

Schaefer, 54 anos, foi encontrado morto próximo a uma ferrovia no sábado. A promotoria de Wiesbaden também acredita que foi suicídio.

“Hesse abriga a capital financeira da Alemanha, Frankfurt, onde grandes credores como Deutsche Bank e Commerzbank têm sua sede. O Banco Central Europeu também está localizado em Frankfurt”, publicou o site The Straits Times.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Coronavírus: Trump é contra resolução que flexibiliza acesso brasileiro à futura vacina

5 comentários

  1. A depender da profundidade da crise econômica, serão muitos mais que virão a dar cabo de sua existência, pois o número de pessoas que passaram a acreditar na ilusão da fruição eterna do ganho especulativo é muito maior que em outros tempos. Suicídios tem muito a ver com a perda da esperança num suposto “bom futuro”, mas principalmente tem a ver com o sentido que se dá à vida, porque os sentidos que damos, se baseiam em nossas crenças, valores (ou medos, inquietações e preocupações tem vínculo com crises e contradições nas crises) e é através deste sentido, que vamos construindo nossas decisões e promovendo nossos caminhos. Se me vejo sem sentido, fico sem enxergar um bom destino. Como escrevi em comentário de ontem, são nossas crenças, valores e percepções, já tão arraigadas que se encontram subconscientes, que fundamentam nossas fés (reais ou irreais), nossos alicerces (ou muletas – ilusões). Se o alicerce (crendices no mercado, no dinheiro, no lucro permanente, nas bancas) é fraco e superficial, a fé não suporta o peso da vida, inda mais em momentos de crises onde contradições ficam expostas. Para os adeptos ou simpatizantes da sabedoria cristã deixada nas parábolas de Jesus, há a que relembra para não construir paredes direto na terra sem alicerces, pois as tempestades e chuvas a levarão à ruína.

  2. Olha, não têm cara de suicídio.
    E o post aqui no GGN, sobre a possibilidade da China ter falseado dados da pandemia visando equilibrar sua economia, inclusive colocando a Alemanha no rolo, me leva a crer num “Garganta Profunda”.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome