Zema, em Minas Gerais, aplicou menos recursos em saúde que todos os outros governadores

Romeu Zema destinou R$ 1,9 bilhão, o que corresponde a 7,76% da RCL. A lei estipula que a destinação à saúde seja de 12% por ano.

Foto Agência Brasil

Jornal GGN – Minas Gerais investiu menos em saúde que todos os outros estados, em se considerando os recursos provenientes da Receita Corrente Líquida (RCL). No primeiro semestre, caminhando para o pico do covid-19, Romeu Zema destinou R$ 1,9 bilhão, o que corresponde a 7,76% da RCL. A lei estipula que a destinação à saúde seja de 12% por ano, o que foi feito pelos outros governadores.

Segundo informações do G1, levantamento do percentual da RCL e Serviços Públicos em Saúde de todos os estados brasileiros, demonstra que vinte estados já destinaram até agora os 12% previstos em lei.

Amazonas foi o que investiu maior percentual da RCL, com 20,63%, seguido por Tocantins (17,86%), Pernambuco (17,2%) e Pará (16,47%).

Na região Sudeste, São Paulo investiu o correspondente a 14,26% da Receita Corrente Líquida; Espírito Santo, 15,47%, e Rio de Janeiro, que também ainda não cumpriu a meta, 8,18%.

Pela receita estimada pelo governo de Minas para 2020, de pouco mais de R$ 55 bilhões, seria necessário que Zema gastasse outros R$ 4,7 bilhões no segundo semestre para cumprir a meta. Os 12% só são considerados ao final dos 12 meses e o Tribunal de Contas do Estado analisa os gastos no ano seguinte e depois passa por aprovação na Assembleia Legislativa. Caso sejam reprovadas as contas, o estado pode deixar de receber repasse de recursos voluntários da União.

Mesmo na lanterninha dos repasses à saúde, Minas ainda investiu mais do que o fez ano passado, foram R$ 600 milhões mais. Ano passado, Zema só destinou 5% da RCL à saúde. O que preocupa, pois é um processo de desmonte que já vem acontecendo desde então.

Com informações do G1.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  WSJ: A Exxon costumava ser a empresa mais valiosa da América. O que aconteceu?

1 comentário

  1. O dinheiro está sendo gasto nos veículos de imprensa de Minas e do país . Todo dia essa figura deplorável dá entrevista nas rádios e tvs daqui e na Globonews e Cnn.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome