Exportadores de carne perderam US$ 130 milhões em uma semana

carne_0.jpg
 
Jornal GGN – Com a deflagração da Operação Carne Fraca, os exportadores brasileiros de carne contam prejuízos de mais de US$ 130 milhões somente em uma semana. De acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que representa os produtores de aves e suínos, as perdas foram de US$ 40 milhões até a última sexta (24).
 
A Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), do setor de carne bovina, afirma que ao menos US$ 96 milhões em produtos prontos para exportação estão parados no Porto de Santos, no litoral paulista. 
 
Francisco Turra, da ABPA, diz que o impacto da Operação Carne Fraca foi “muito forte” para o setor, e prevê que será difícil reverter a situação. “A solução não demandará uma semana ou uma simples palavra oficial. Tudo o que deixar de ser exportado não tem espaço para ser absorvido (internamente). Então, tem de diminuir produção e reduzir empregos, o que já começa a ocorrer”, afirmou em entrevista para o Estadão.

 
Diversos países declararam o bloqueio às importações de carnes brasileiras, paralisando os embarques para o exterior. Para Blairo Maggi, ministro da Agricultura, que classificou a situação como “absurda”, a queda ultrapassou 90%. 
 
Para ele, as exportações deverão ser regularizadas em até 15 dias. O ministro tem conversado com as associações de exportadores para traçar estratégias, como realizar viagens para os países que adotaram o embargo à carne brasileira. A primeira, segundo o presidente da Abiec, Antônio Jorge Camardelli, seria para a China, seguida de Hong Kong e Argélia. 
 
No ano passado, as exportações de carne corresponderam a 7,5% do total do país, com impacto de cerca de 0,8% do Produto Interno Bruto (PIB). 
 
Com informações do Estadão
 
Assine

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. Temos uma elite suicida

    Que isso seja didático….bom para termos uma ideia do quanto de prejuizo a Lava Jato provocou ao Brasil, e o conluio midiático-penal não fez, para preservar 13% do PIB relativo a cadeia do petróelo, gás, eletronuclear e naval, a mesma campanha que agora fazem com relação a carne. Não estou dizendo que esta campanha pela restauração deste setor da economia detonado pela República de Curitiba não seja importante.  O problema é o equívoco de terem fechado os olhos para os abusos do conluio midiático-penal, se bem que detonar a economia foi importante para que o golpe de Estado tivesse sucesso. Agora é pagar o preço do golpe, certo.

    Fala Jessé de Souza

    http://jornalggn.com.br/blog/jose-carlos-lima/dos-prejuizos-causados-pela-operacao-carne-fraca

  2. US$ 130 M, de cara

         Vamos para a realidade, esta cifra refere-se a “trocados”, aos embarques imediatos, a projeção futura de rombo é no minimo 10 vezes este valor no semestre ( março a outubro ), estas cifras só computando o sub-setor bovino/aviario ( resfriado e/ou elaborado ) já contratado e “bancarizado” ( descontado nos bancos e seguradoras , “na frente” , ou no embarque FOB ).

           A cadeia da “proteina animal” exportada, agroindustrial, deve ser vista  como um ativo financeiro, não é  “carne”, cada embarque é um contrato, um “papel”, por exemplo : Um contrato de embarques mensais, tipo de um conteiner resfriado ( 2.000 a 3.000 kilos ) de cortes bovinos, para um importador chinês, teve um “fechamento de preço” ao ser firmado o contrato, com este contrato o frigorifico exportador, o “desconta” em um Banco, ou o “vende” no futuro, e em ambas estas operações incide uma certa taxa de juros, e um possivel ( caso tenha-se capital ) hedge visando proteção cambial.

           Portanto a operação sempre é “amarrada”, inclusive em seguros ( uma carga resfriada para China/HK/SA o seguro de entrega/validade é caro, “just in time delivery” ), tanto pelo exportador como pelo importador ( prime dealer ), e caso de “merda”, como ocorreu, toda a cadeia perde, desde o cara que produz milho/soja/capim para ração, até o Banco que descontou o contrato, até o navio/armador “dança”, pois ficará com carga sem pode-la desembarcar, e por consequencia acionará a seguradora ( conteiner “ficou no navio” – não pode desembarcar – é custo diario, e caso for refrigerado, passou 3 dias de porto, vira lixo, descarta-se pois sai mais barato ).

            Então a vida é assim: Produtor perdeu, exportador perdeu, porto acumulou (outros navios não entram ),seguradores perderam, Bancos nunca “perdem” , vão cobrar de alguem, os contratos anteriormente fechados , os importadores irão “renegociar” ( eles precisam de nossa carne, e pagando menos será melhor ), resumindo em economês : A cadeia será desclassificada em valor.

             Quem irá “pagar” a performance do Dr. Grillo : Todos nós, ele foi um Cyborg mais caro, não um homem de 1 milhão de dolares, mas de mais de US$ 1,0 BILHÃO.

            

             

  3.   BEM FEITO.
      Sim, eu sei,

      BEM FEITO.

      Sim, eu sei, afeta o país como um todo, os trabalhadores, etc etc… MAS eu ressalto o show de arbitrariedade sofrido pelo setor com essa operação idiota e mal dimensionada pelo idiota e mal dimensionado delegado da PF. Tá aí um efeito desse golpe, mais cedo ou mais tarde a arbitrariedade atinge a praticamente todos, seus empresários imbecis.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome