Hong Kong suspende embargo à carne de frigoríficos que não são investigados

carne_1.jpg
 
Jornal GGN – Nesta terça-feira (28), as autoridades de Hong Kong decidiram suspender parte do embargo à carne brasileira, e agora a restrição está limitado aos 21 frigoríficos investigados pela Operação Carne Fraca. 
 
Hong Kong, o segundo maior importador de carne brasileira no ano passado, havia determinado a suspensão das compras e também a retirada do mercado de produtos oriundos dos frigoríficos investigados pela Polícia Federal.

 
O governo do território semiautônomo chinês afirmou que a suspensão parcial do embargo foi tomado após as informações prestadas pelas autoridades brasileiras. Segundo comunicado do Centro de Segurança Alimentar de Hong Kong, divulgado pelo Ministério da Agricultura, foram verificadas 66 amostras de carnes brasileiras e que não há indícios de problemas nos frigoríficos que exportam carne para o país.
 
Em nota da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, o governo comemorou a suspensão do embargo. “Trata-se de uma vitória para o setor agroexportador brasileiro e um resultado importante logrado pelos esforços conjuntos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), do Itamaraty e do Consulado-Geral do Brasil em Hong Kong”.
 
O governo também afirmou que agora “todos os grandes mercados para exportação de carnes brasileiras encontram-se novamente reabertos”. Anteriormente, Chile, China e Egito haviam diminuído as restrições para a carne brasileira.
 
Assine

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. Os produtos brasileiros

    Os produtos brasileiros representam um “risco para os cidadãos europeus”

    http://ansabrasil.com.br/brasil/noticias/americalatina/brasil/2017/03/27/produtores-italianos-cobram-veto-total-a-carnes-brasileiras_8c800867-e6ac-43dd-aaa9-e567adc4e8bc.html

     

    Produtores italianos cobram veto total a carnes brasileiras

    (ANSA) – A Confederação Nacional dos Cultivadores Diretos da Itália (Coldiretti) cobrou nesta segunda-feira (27) a União Europeia para proibir a importação de carne brasileira por conta das denúncias feitas pela Operação Carne Fraca, conduzida pela Polícia Federal.

    Segundo a entidade, que chamou o caso de “maior escândalo mundial” do setor, os produtos brasileiros representam um “risco para os cidadãos europeus”. “É preciso esclarecer isso imediatamente para não colocar em risco a saúde dos consumidores”, disse a Coldiretti.

    A confederação também recomendou que as pessoas verifiquem a origem na etiqueta das carnes nos mercados e peçam garantias sobre a natureza “made in Italy” dos produtos em restaurantes. Segundo a PF, alguns dos maiores frigoríficos do país, como JBS e BRF, pagaram propinas para permitir a comercialização de carnes vencidas ou irregulares.

    “É necessário que da União Europeia chegue um bloqueio das importações de carne do Brasil, como já fizeram China e Coreia do Sul, enquanto o maior escândalo mundial da carne não é esclarecido”, afirmou a associação. Em 2016, a Itália importou mais de 30 milhões de quilos de carne brasileira.

    Nesta segunda, o comissário europeu para Saúde e Segurança Alimentar, Vytenis Andriukaitis, chegou ao Rio de Janeiro para discutir a crise e garantiu que quer ajudar o país a “recuperar a própria credibilidade”.

    No momento, a UE suspendeu apenas a compra das carnes dos frigoríficos envolvidos no escândalo, assim como a China, que até chegou a fechar seu mercado ao Brasil, mas agora proíbe apenas produtos das empresas citadas na Operação Carne Fraca. Já a Coreia do Sul não impõe mais restrições, após ter vetado temporariamente a importação de carne de frango. (ANSA)

    Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

     

  2. À propósito
    LAVAJATO E A

    À propósito

    LAVAJATO E A DESTRUIÇÃO DO PAÍS. PROFESSOR DA UFRJ e ECONOMISTA DO IPEA DIVULGA DADOS

    A queda abrupta das atividades da Petrobras e das empreiteiras envolvidas pela operação, nos últimos anos, fechou direta ou indiretamente inúmeros postos de trabalho na indústria e na construção civil. São quase 3 milhões de trabalhadores demitidos nesses dois setores, em 2015 e 2016

    Algumas consultorias divulgaram estudos que avaliam que do resultado negativo do PIB de 3,8% em 2015 e de 3,6% em 2016, estima-se que a operação é responsável por entre 2 e 2,5 pontos percentuais da queda de cada ano. Em outras palavras, se não fosse a Lava Jato, a recessão de cada ano teria sido algo em torno de 1,5%.

    https://www.cartacapital.com.br/economia/quantos-empregos-custa-a-lava-jato

  3. A verdade – em off – é que os

    A verdade – em off – é que os países importadores não encontratam no mercado internacional ninguem que pudesse suprir a demanda interna. Ou seja, não tem carne “sobrando” no mercado para substituir a carne brasileira. Os países que importam muito e podem estão fazendo vista grossa. E não tem nada de carne podre nem papelão; MAS… o produto entregue É de qualidade inferior a que é vendida.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome