24 de março: Fernández lembra mortos da ditadura argentina

"Seguimos desde casa reivindicando exatamente o mesmo: Memória, Verdade e Justiça", disse o presidente da Argentina, em mensagem nas redes sociais

Jornal GGN – O presidente da Argentina, Alberto Fernández, publicou uma mensagem nas redes sociais fazendo lembrar dos 30 mil desaparecidos políticos da última ditadura argentina, a que deixou mais mortos e desaparecidos.

O dia 24 de março é a data do golpe que instalou a última ditadura no país latino-americano e que em 2020 completa 44 anos. “Mobilizados com a memória, lembramos dos 30 mil que desapareceram. E seguimos desde casa reivindicando exatamente o mesmo: Memória, Verdade e Justiça”, afirmou Fernández em vídeo curto divulgado em suas redes sociais.

A diferença deste ano, o presidente argentino lembrou que a luta deve ser feita “desde casa”, pela quarentena obrigatória para enfrentar o coronavírus, que já deixou cinco mortos e mais de 300 infectados no país.

Diante do cenário, organismos de direitos humanos decidiram suspender a histórica marcha da Plaza de Mayo, que é feita todos os anos para lembrar dos mortos e desaparecidos políticos da ditadura no país, e convocaram à população a compartilhar fotos e depoimentos pelas redes sociais, além de acenar com lenços brancos das janelas e varandas.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Evo Morales viaja de Argentina para Venezuela após vitória de aliado na Bolívia

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome