Banco Mundial manipulou ranking de competitividade

Ex-diretor responsável pelo “Doing Business” fez manobras por motivações políticas prejudicando, particularmente, Chile nos governos de Bachelet 

Augusto Lopez-Claros, o pivô do escândalo do Banco Mundial Foto: Divulgação

 
Jornal GGN – Uma escândalo surgiu de dentro do Bando Mundial apontando que o ex-diretor do grupo responsável pelo relatório “Doing Business”, o chileno Augusto Lopez-Claros, teria alterado intencionalmente a metodologia durante vários anos prejudicando, particularmente, o Chile nos governos de Michelle Bachelet por motivações políticas. 
 
A revelação foi feita pelo economista-chefe do Banco Mundial, Paul Romer, ao “Wall Street Journal”, afirmando que irão corrigir e recalcular os rankings nacionais de competitividade de pelo menos os últimos quatro anos. Romer também pediu desculpas pela manipulação “injusta e enganosa”. 
 
Segundo o porta-voz do BM, a competitividade do Chile caiu do 33º lugar em 2015 para o 120º em 2016, influenciado pelas constantes mudanças na forma de medir o índice e não pelas políticas econômicas do país. Isso explicaria também a queda de 40% de investimentos estrangeiros no Chile em 2017. 
 
O Doing Business é o relatório de maior visibilidade do Banco Mundial e organiza os países em ranking por competitividade no seu ambiente de negócios. 
 
Após a notícia, a presidente chilena exigiu investigações do Banco Mundial: “Os rankings administrados pelas instituições internacionais têm que ser confiáveis, já que têm impacto no investimento e desenvolvimento dos países” publicou Bachelet na sua conta do Twitter. 
 
Vamos aguardar agora como a manipulação pode ter prejudicado o Brasil e outros países. 
 
Com informações de: Dow Jones, Estadão e G1. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Coronavírus: pandemia amplia desigualdades no Chile

8 comentários

  1. A picaretagem é geral. Só

    A picaretagem é geral. Só ingênuos acreditam em rankings feitos por organizações mundiais   controladas pelos EUA. Por isso não acredito que a ONU vá condenar o Brasil por perseguir Lula politicamente. 

    • Nada mais certo, o sistema ONU é o que menos segue os

      mandamentos dos EUA, por isso Israel é condenado sistematicamente (ok sem nenhum efeito prático), Trump mandou seu pais sair da UNESCO, etc…

      Os paises que tem visão de longo prazo (o que exclui os EUA de Trump e todos os paises da América Latina) saberão votar a favor de Lula sabendo que terão recompensas futuras.

       

  2. 5ª coluna

    Um chileno sacaneando o próprio pais! O Brasil também está cheio dessa raça.

    Pior: Agora eles estão no poder, eleitos por uma penca de paneleiros inúteis! Ocupam a presidência, vários governos estaduais, inúmeras prefeituras e são acompanhados de sua renca nos poderes judiciários (bom dia mouro), legislativos,midiáticos, militares e religiosos. A cada minuto eles mordem mais um pedacinho do pais. 

    Depois pedem desculpas! Desculpas que deveriam ser aceitas desde que acompanhadas do custo da bala de fuzil.

  3. chocado mas não surpreso

    Deixei de acreditar há muito tempo em agencias inernacionais de avaliação de risco, fmi, banco mundial, grande imprensa ocidental, fundações “desenteressadas” e que tais…

    O tempo tem me dado razão!

     

  4. E os 6 anos de manipulação do Real??? Já enterraram o assunto???

    “Vamos aguardar agora como a manipulação pode ter prejudicado o Brasil e outros países.”

    BRASIL É AMONTOADO DE 200 MILHÕES DE TROUXAS!!! PODEM PREJUDICAR À VONTADE!!!

    2 ANOS ATRÁS PEQUENAS E RÁPIDAS NOTAS NOS JORNAIS DENUNCIAVAM:

    “Entre 2007 e 2013, 30 operadores de bancos estrangeiros conspiraram para influenciar o câmbio do real em relação ao dólar. Combinaram cotações falsas, compartilharam lucros de 30% e dados sigilosos de clientes. Dividiam-se em dois grupos de chat: um autodenominava-se “A Máfia”, outro identificava-se como “O Cartel”.

    Representavam Citigroup, Bank of America, Barclays, Deutsche, HSBC, Merril Lynch, Morgan Stanley, JP Morgan Chase, Royal Bank of Canada, Nomura, Tokyo-Mitsubishi, Royal Bank of Scotland, Standard, Credit Suisse e UBS.

    Essa manipulação ajudou a destruir a nossa estrutura. Somente em vendas de produtos manufaturados perdemos US$ 50 bilhões e a chance de criar dois milhões de empregos.”

    PREJUÍZOS ACIMA DE 50 BILHÕES… MAS QUEM SE IMPORTA??? QUEM LIGA??? 

    https://jornalggn.com.br/noticia/so-o-bc-nao-viu-por-jose-casado

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome