Guaidó convoca novas manifestações contra Maduro

Ele disse que os deputados de oposição não podem enfrentar o governo sozinhos, por isso ‘é preciso sair às ruas para protestar e exigir, organizados, juntos’.

Jornal GGN – O opositor de Nicolás Maduro, Juan Guaidó, disse ontem, dia 11, que os venezuelanos ‘não podem ficar em casa’ e devem protestar contra o governo Maduro. Disse também ser ‘improvável’ dialogar.

‘Ninguém pode ficar em casa. Ninguém pode se ajoelhar diante da ditadura’, disse ele, segundo publicação da Reuters.

Foi a primeira declaração após a disputa no domingo passado, quando seguidores de Guaidó disseram que foram impedidos de entrar no Congresso, que elegeu o deputado Luis Parra como novo presidente da Assembleia Nacional.

Em contra-ataque, a oposição liderada por Guaidó fez uma sessão improvisada em jornal local e o reelegeu como presidente da Casa.

Dois dias depois, nova confusão no Parlamento, na primeira sessão do ano, quando Guaidó prestou juramento como ‘presidente encarregado’ da Venezuela, após brigar com as forças de segurança que impediam a entrada no Congresso de deputados considerados inabilitados pelas autoridades.

Em discurso em rua de Caracas, Guaidó clamou que venezuelanos, ‘todos juntos’, deveriam forçar e ‘abrir as portas da liberdade e da democracia’. Ele disse que os deputados de oposição não podem enfrentar o governo sozinhos, por isso ‘é preciso sair às ruas para protestar e exigir, organizados, juntos’.

O opositor disse também que esta semana vai revelar seus planos para ‘retomar’ a sede do Parlamento, que diz estar sob custódia militar. Disse ainda que o legislativo pode realizar sessões em qualquer dia e lugar.

Na outra ponta, o governo anunciou que fará uma marcha em direção ao Congresso na terça, dia 14. Maduro reconheceu Parra como novo presidente do Parlamento e disse que Guaidó e opositores não entraram no Congresso, no dia da eleição, pois sabiam que perderiam a votação.

Leia também:  A fúria negra ressuscita outra vez: Brasil tem dia de protestos contra racismo

Guaidó contra-atacou dizendo que não considera provável um diálogo com Maduro, mesmo reconhecendo que desejam uma negociação.

Sua declaração se deu após Mike Pompeo, secretário de Estado dos EUA, sugerir diálogo para resolver a crise na Venezuela.

Com informações do Sputnik News.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. Já passou da hora do supremo da Venezuela julgar Guaidó por alta traição…
    o cara simplesmente não respeita nada por estar sempre às ordens dos EUA

    por aqui até podemos tolerar adoradores dos EUA, porque foi eleito democraticamente, mas por lá, por autoproclamarem-se contrário ao governo legítimo, só prendendo por no mínimo 50 anos ou matando

    2
    1
  2. Esse obaminha descorado da Venezuela deve tomar alguma bebida estupefaciente no café da manhã.
    Para passar essa vergonha toda e ainda conclamar o povo para participar, só pode estar drogado.
    Ele é prova viva de que o que nos salva da loucura é a platéia.
    Deu uma de louco, alguém parou pra olhar e aplaudiu, tá consagrado.
    Acho que vou me autoproclamar qualquer coisa poderosa só pra sair da rotina. Vai que cola.

    • nenhum s a mais…
      já foi apagado internamente várias vezes e continua a se oferecer como acesso, como lá. como uma porta permanentemente aberta para o caos social que eles querem na Venezuela
      ( qualquer dúvida, vide Irã com no máximo mil querendo tomar o lugar de 80 milhões de iranianos)

      daí é que vem o meu “ou julga e prende ou mata”

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome