Jornalista desaparece em El Tarra, Colômbia

do blog Jornalismo das Américas

Jornalista espanhola desaparece em zona colombiana controlada por grupos guerrilheiros

A jornalista espanhola Salud Hernández-Mora desapareceu no último sábado, 21 de maio, ao meio-dia no município de El Tarra, enquanto investigava o fim de cultivos ilícitos na região de Catatumbo, no estado colombiano de Norte de Santander, informou a agência Reuters.

Nesta zona convergem grupos criminosos e grupos guerrilheiros como o Exército de Liberação Nacional (ELN), segundo a revista Semana.

Presume-se que Hernández-Mora, que exerce jornalismo na Colômbia há quase duas décadas e é atual colunista do jornal colombiano El Tiempo e correspondente do espanhol El Mundo, haveria sido sequestrada pelo ELN, o segundo maior grupo armado da Colômbia depois das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), de acordo com as declarações do ministro de Relações Exteriores espanhol, José Manuel García-Margallo, publicadas pelo jornal El País de España.

“Não temos informação, nem ninguém reclamou se foi sequestrada, ou retida contra sua vontade”, explicou o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, que, citando informação do serviço de inteligência de seu país, acrescentou que a última coisa que se soube da jornalista é que foi pega por alguém em uma motocicleta no município de El Tarra para ir ao município de Filogringo, informou El Tiempo.

O presidente Santos escreveu no domingo, 22 de maio, em sua conta no Twitter, que ordenou às forças armadas “prioridade e dedicação”, na busca da jornalista espanhola. As Forças Militares e a Polícia informaram oficialmente que ativaram os protocolos de busca de Hernández-Mora na região.

Leia também:  Mais um indígena Guajajara é assassinado no Maranhão

Hernández-Mora chegou à região de Catatumbo na segunda, 16 de mayo, segundo a Fundação para a Liberdade de Imprensa (FLIP), não só para investigar sobre cultivos ilícitos, mas também sobre o caso do Capitão do Exército Wilmar Durán – condenado a 28 anos de prisão por assassinar um campesino –, e também sobre a morte de “Megateo”, chefe do Exército Popular de Libertação (EPL), terceiro maior grupo guerrilheiro da Colômbia, de ideologia maoísta. 

El Tarra ,na zona de Catatumbo, segundo o site de notícias La Silla Vacía, é considerado um município de trânsito de armas e drogas, onde a polícia não tem nenhum controle graças à reforçada presença nos últimos meses do ELN e do EPL.

Segundo El Tiempo, o diretor da Fundación Progresar, Wilfredo Cañizares, disse que atualmente 80% da região de Catatumbo está tomada por cultivos de folha de coca, sendo El Tarra um “enclave estratégico” para o tema de corredores da guerrilha.

“A falta de informação concreta sobre o paradeiro de Salud Hernández-Mora nos preocupa enormemente. Não quero opinar sem ter dados específicos, mas se nossa jornalista está nas mãos de qualquer grupo contra sua vontade, exigimos seu imediato regresso, sã e salva”, declarou na noite de domingo 22 de maio o diretor de El Tiempo, Roberto Pombo. Não obstante, a FLIP informou que Hernández-Mora havia avisado a Pombo que estaria incomunicável até esta segunda.

Na sexta, 20 de maio, a jornalista desaparecida foi despojada de seus equipamentos jornalísticos enquanto entrevistava líderes campesinos da região, e permaneceu na área para recuperá-los, informou a FLIP.

Leia também:  "Esquinas Calientes": um documentário sobre a resistência venezuelana

“Salud tem sido uma crítica feroz de meu governo, da Presidência e crítica minha, mas precisamente por isso, por ser uma pessoa que está criticando o governo, que dei instruções à Força Pública para que apliquem todos os esforços necessários para encontrá-la, e colocá-la em liberdade, se é que está retida contra sua vontade”, disse o presidente colombiano, publicou El Tiempo.

Nos últimos meses, segundo a Reuters, o ELN incrementou seus ataques e bombardeios aos oledutos de petróleo do país como forma de pressão ao presidente Santos para aceitar os diálogos de paz. 

O ELN se uniu recentemente aos esforços de paz entre o governo e os grupos guerrilheiros do país. Contudo, o presidente colombiano disse que para iniciar as negociações com o ELN, estes devem libertar todos seus reféns, publicou Reuters. Desde fins de 2012, o governo colombiano adianta negociações de paz com as FARC.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. já foi liberada

    Se  não estou errado ela foi liberada este final de semana.

    Ouvi algo na TVE (tv espanhola).

    Dois outros permanecem sequestrados pelo ELN da Colombia.

  2. SEQUESTRO

    O GGN está um pouco desatualizado.

     

    EL PAIS

     

    Bogotá

    29 MAI 2016 – 03:43 CEST

    A jornalista espanhola Salud Hernández-Mora foi libertada na tarde de sexta-feira, de acordo com informações do bispo de Ocaña, Gabriel Ángel Villa, a Caracol Radio.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome