A ascensão do fascismo, por Jessé Souza

Por Jessé Souza

Todo fascismo é reflexo de uma luta de classes truncada, percebida de modo distorcido e por conta disso violento e irracional no seu cerne. A elite e a alta classe média haviam, com sucesso, legitimado a opressão das classes populares pelo moralismo seletivo da corrupção apenas do Estado e da política como forma de criminalizar a soberania popular. Os “belgas”, que se vem como estrangeiros na própria terra, oprimiram o “Congo”, ou seja, o próprio povo, e o reduziram á pobreza e á ignorância. O ódio ao escravo se transformou simplesmente em ódio ao pobre. O escravo negro é eternizado nas massas majoritariamente mestiças com escolaridade precária condenadas ao trabalho desqualificado e semiqualificado. Esta é a base primeira de todo o ódio e ressentimento reprimido e recalcado que é o núcleo da sociedade brasileira. O fascismo implícito sempre foi o DNA da opressão de classes entre nós. O que tem que ser explicado, portanto, é como ele contaminou as próprias classes populares.

A ascensão do partido dos trabalhadores, com todas as suas limitações, foi uma inflexão importante no processo de organização popular. Com o golpe de 2013/2016 a reação conservadora veio primeiro de cima, da alta classe média nas ruas, da sistemática corrosão de valores democráticos diariamente perpetrada pela imprensa, e do acanalhamento do STF e por consequência da constituição. O governo Temer promoveu o saque e a rapina que a elite queria e empobreceu o povo que havia experimentado uma pequena ascenção social. Foi dito a este povo que a corrupção política havia sido a causa do empobrecimento. Quando a corrupção dos partidos de elite fica óbvia a todos, sem ser reprimida, todo o sistema perde representatividade. O golpe de misericórdia foi a prisão injusta do líder das classes populares desmobilizadas. Aqui o último elo de expressão racional da revolta popular foi cortado.

Leia também:  Brasil deve ou não permanecer no Conselho de Direitos Humanos da ONU?

Abriu-se a partir daí a porta para a revolta agora irracional das massas. Neste contexto a ocasião faz o ladrão. A belíssima marcha do “ele não”, majoritariamente composta pelas mulheres da classe média mais crítica e engajada, possibilitou a cooptação do voto feminino das classes populares, última cidadela contra a “ética da virilidade” do fascismo popular. Aqui entra em cena o que há de mais sujo na política das “fake News” e da mentira institucionalizada. Analistas de ultradireita da campanha fascista, que perceberam as consequências do isolamento político dos indivíduos que é o que capitalismo financeiro representa na esfera política, se aproveitaram impiedosamente deste fato para oporem mulheres emancipadas da classe média contra as mulheres pobres e evangélicas.Se você é pobre e humilhada o ganho emocional que a distinção moral construída artificialmente com relação a mulheres supostamente “indecentes” exerce, por meio de mentiras que não podem ser desmentidas, passa a ter um apelo irresistível. É uma “vingança de classe”, obviamente distorcida e contra a fração errada da classe média, como escape em relação à pobreza vivida diariamente, mas cujas causas não são compreendidas.

Como já discuti no meu livro “A ralé brasileira”, contracorrente, 2017, a oposição pobre honesto versus pobre delinquente perpassa os mais pobres dificultando enormemente qualquer solidariedade de classe. Daí também a importância de líderes políticos que os representem a partir de cima e secundarizem a contradição interna de classe com uma política de interesse de todos os pobres. Era isso que Lula representava. Sem isso a porta fica aberta para a guerra de classe entre os próprios miseráveis divididos entre os supostos honestos e supostos delinquentes como definidos pelas elites.

Leia também:  Operação da PF instala de vez as condições para Bolsonaro deixar PSL

É aqui que a “ética da virilidade”- ou seja, a ética dos que não tem ética – do fascismo reina absoluta. O fascismo arregimenta a partir de cima os ressentimentos, medos e ansiedades sem explicação possível e os canaliza a “bodes expiatórios” externos. O antipetismo é apenas o mais óbvio. Mas todo fascismo usa e abusa da sexualidade reprimida das classes populares. A homossexualidade que não pode ser admitido em si mesmo é canalizado em selvagem agressão externa e o ódio a mulher percebida como ameaça incitam a uma agressiva regressão a padrões primitivos de relações de gênero. O pobre não é apenas pobre. Ele é humilhado e dominado por valores construídos para subjuga-lo. Isso confere ao fascismo enorme capilaridade e contamina a vida familiar e relações de vizinhança em todos os níveis da sociabilidade popular. 

O líder fascista sem discurso e sem argumentos é o profeta exemplar perfeito das massas destituídas em todas as dimensões da vida. Sem organização hierárquica como os nazistas alemães, o nosso é um fascismo miliciano, capilarizado e sem controle. O que é necessário explicar ao povo de modo compreensível é porque ele ficou mais pobre. Sem isso se pavimenta o caminho ao ódio irreversível.  

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

36 comentários

  1. Impressionante a lucidez  do

    Impressionante a lucidez  do Jessé de Souza e também impressionante como os partidos tradicionais perderam inteligencia por conta de vaidades e disputas pessoais de poder…

  2. Uma lição linda e assustadora de Jessé

    Linda porque, como o Maestri observou, não tem rodeios nem tentativa de botar panos quentes, é direto ao assunto e enfiando todos os dedos na ferida de uma vez só.

    Assustadora porque, afinal, o fascismo brasileiro – historicamente incubado, miliciano, capilarizado e sem controle central –  só estava esperando uma oportunidade para vir à tona. O que torna ainda mais complicado pensar num cenário otimista que seja para os próximos 10, 15 anos.

    • Jessé
      Tenha emprego e vai trabalhar que você não precisa se assustar. Olha ao seu redor e aí sim você vai ver o país miserável que você vive, não precisa se assustar com o futuro, se assuste com o presente.

  3. Telegramas de Pasárgada…

    O cerne do fascismo está na nossa incompreensão sobre ele.

    Com Jessé de Souza não poderia ser diferente! Aliás, é ele um dos maiores expoentes de um pensamento de esquerda míope, incapaz de “dar o passo adiante”, refém de suas idiossincrasias.

    Não se julga o livro pela capa, mas em retórica, boa parte do significado se apresenta no seu primeiro trecho, é na introdução que apresentamos a ideia central da ideia que queremos expor.

    Ei-la:

    “Todo fascismo é reflexo de uma luta de classes truncada, percebida de modo distorcido e por conta disso violento e irracional no seu cerne.(…)”.

    Jessé, como seus pares imaginam o fascismo como uma exceção, um quebra de um sistema virtuoso, que tende ao avanço civilizatório, e mais, ele imagina que haja uma luta de classes que NÃO SEJA TRUNCADA!

    Existe alguma luta de classes, mantida desde sempre na hierarquia que conhecemos, que não se expresse de modo violento, desde que rasguemos os véus da hipocrisia ideológica que nos é ensinada em escolas e igrejas, contando sempre a história dos vencedores?

    Há um ambiente proporcionado pelo capitalismo e as instituições que lhe servem, onde a luta de classes se trave em contornos “civilizados”?

    Ah, Jessé, isso é até bonito, mas não dá pé!

    O fascismo é o estado da arte do capitalismo, e se nada mais nos ensinar a enxergar isso, vamos a História:

    – Todos os ciclos de expansão de capital, com posterior retração de fluxos, foram antecessores de saídas ou busca por saídas autoritárias no seio dos sistemas capitalistas, sejam os de centro, sejam os de periferia!

    Nada se compara ao salto que eram Alemanha, Itália e Japão em dez ou quinze anos de supressão de “direitos” ou nas suas escaladas autoritárias!

    Mas essas escaladas se deram quase todas pelos meios institucionais parlamentares que esses países mantinham, não houve “golpe” de Estado!

    O medo da esquerda revolucionária (que pregava o fim do capitalismo) fez o capitalismo recrutar o centro e a esquerda reformista para conter o perigo vermelho, e para tanto, valia tudo!!!

    Tudo gente “civilizada”, Jessé!

    Se tiver uma mão de obrazinha escrava (como a dos judeus na Hoescht, Daimler, Tyssen Krüpp) então fica melhor!

    Que os diga os negros dos EUA presos no New Deal e sua escalada anterior de criminalização da pobreza, justamente para colocar os pretos nos “trabalhos forçados”, em PLENA DEMOCRACIA ESTADUNIDENSE!!!!

    Mais ou menos como a recente era Reagan e sua guerra às drogas, e já que não dava para incluir os pretos no “milagre”, prendam-nos e depois coloquem-nos nos sub-empregos que restam!

    Claro que o nível de selvageria e capacidade de reação à tais saídas autocráticas obedece a contextos históricos específicos, e principalmente, aos níveis de desigualdade a que estão expostas as sociedades.

    Mesmo assim, imaginar que os modos de dominação capitalista sejam menos autoritários só porque se apresentam sob um disfarce institucional-constitucional, ou sob o manto de circos eleitoriais é de um tolice que não pode ser tolerada em intelectuais desse naipe, ou que ao menos reivindicam lugar de destaque na cena intelectual brasileira e mundial.

    Então uma sociedade que detém 800 mil pretos e pobres presos, mata 60 mil deles por ano, e que mantém níveis de desigualdade impensáveis, pode ser mesmo considerada civilizada?

    Sim, as instituições estão funcionando, dirá Jessé, mas para que é por quem?

    Mídia funcionando, liberdade de imprensa, sim, mas como se dá o exercício dessa liberdade? 

    É desistoricizada, como um slogan na parede, e nos basta a ideia de que somos livres para sermos livres de fato?

    O exercício da liberdade e a busca por ela não é diária e histórica e muito mais importante que a ideia formal dela (liberdade)?

    NADA É MAIS AUTORITÁRIO QUE A DESIGUALDADE, Jessé! Então, um sistema que é desigual por natureza, é autoritário por natureza!

    • A ascensão do fascismo

      Jessé acha que se pode derrotar o fascismo com lágrimas e… amor!

      tudo bem, nada contra o amor. principalmente acompanhado de sexo. mas para acompanhamento das lágrimas, é preciso suor e sangue.

      isto vai ser uma merda! simplesmente tá todo mundo perdidinho… só tenho uma expectativa: dá prá me incluir fora disto?

      vídeo: Jessé de Souza se emociona ao falar sobre o perigo do fascismo

      [video:https://www.youtube.com/watch?v=apV19JOVo00%5D

      .

  4. Jessé Souza esqueceu apenas

    Jessé Souza esqueceu apenas um detalhe importante. Enquanto a esquerda se esgoela na internet, a campanha presencial dos pastores do ogro nas ingrejas fez a diferença nessa eleição. 

    http://jornalggn.com.br/blog/fabio-de-oliveira-ribeiro/o-dragao-da-internet-contra-o-pastor-evangelico-guerreiro-por-fabio-de-oliveira-ribeiro#.W8IqgSuv3vo.twitter

    O dito conflito de classes precisa ser repeensado. No Brasil alguns índios se aliaram aos colonos contra seus inimigos tradicionais. Os negros só foram submetidos porque também havia negros que serviam a Casa Grande. Em trocade favores, uma comida melhor, eles brutalizavam no Brasil aqueles que na Africa eram seus inimigos.

    A cooperação e colaboração de alguns judeus também ajudou os nazistas a localizar, reunir e transportar suas vítimas para os campos de concentração. Isso é deixado bem claro na obra de Hannah Arendt (Eichmann em Jerusalém).

    A percepção de pertencimento uma classe existe no topo da pirâmide social. Na base dela esse pertencimento é negado por razões ideológicos. A conflito entre as classes deixa de existir por causa da colusão de classes. E me parece que a esquerda não conseguiu minimizar esse fenômeno reforçado pelos pastores.

     

    • Como “o dito conflito entre classes”?

      Conflito entre classes não é algo que tem que ser pensado ou repensado, é uma evidência histórica.

      Pelas tuas palavras quer dizer que como parte dos escravos da Roma Antiga que eram reprimidos também por escravos tinha que ser repensado por quem?

      Existiram três guerras dos escravos romanos (as guerras servis) e mais uma incontável quantidade de revoltas de menor intensidade, a mais notável delas foi a terceira e última liderada por Espártaco que atingiu toda península italiana. O mesmo processo ocorreu no Haiti, que foi posteriormente sufocado economicamente pelos franceses por duras indenizações que os Haiti nunca foi perdoado.

      Poderia citar as centenas de revoltas camponesas contra a nobreza, a resistência das cidades contra a aristocracia e poderia seguir a diante.

      A mais infeliz referência ao “dito conflito entre classes”, a mais torpe das referências, é a dos judeus que foram obrigados a ajudarem os nazistas nos campos de concentração são uma negação da luta de classes. Meu caro, o dilema destes miseráveis judeus colaboradores (miseráveis no sentido que estavam na miséria absoluta, em termos físicos e morais, quebrados e demolidos em todos os sentidos por seus eficientes algozes) era uma questão simples de sobrevivência, ou faziam concessões  para preservar a vida ou não viveriam mais alguns dias ou semanas. Esta afirmação é de uma IMENSA ESTUPIDEZ INTELECTUAL, torpe, e vilã, pois guardas de campos de concentração e prisioneiros não são CLASSES SOCIAIS, e apesar de não ter conhecimento ao ponto de dizer o que direi, aposto que JAMAIS HANNA ARENDT deve ter classificado estes judeus, como classes sociais. Diria até que se tens alguma honestidade intelectual, deverias te retratar por tamanha vilania, ofendendo a memória de pessoas que simplesmente lutavam para ver o próximo dia nascer.

      Agora o fenômeno que é mais visto, este sim que pode ser definido como colusão de classes, é a aderência de elementos pequeno burgueses a um discurso enviezado de rendição ao capitalismo, este sim, existe, é quantificável e tem seus participantes plenamente identificados.

      • Ok, você tem o direito de

        Ok, você tem o direito de discordar. Mas não precisa se rebaixar a fazer um ataque pessoal. Você não foi ofendido por mim e agiu como um verdadeiro vilão.

        No mais, certo ou errado, eu apresentei argumentos racionais para apoiar o que disse. Você raciocina com yma categoria fixa (guerra de classes) e essa sua fixação o impede de avaliar qualquer tipo de pensamento que ouse ser diferente. 

        Minha intenção era fornecer mais elementos para pensar a equação para que uma solução possa ser encontrada. Pois os fatos evidenciam que a esquerda está perdendo a disputa de narrativas e, em consequência, vai perder a eleição. Mas eu não tentei obrigar ninguém a concordar comigo.

        O seu autoritarismo, por outro lado, fica bem claro quando você me acusa de “pequeno burguês”. Talvez eu seja, mas estou do lado certo da história. Você, por outro lado, ficaria muito bem ao lado do Bozo. Ele também pensa em termos de guerra de classes, ocasionalmente ele está do outro lado (do lado errado da história), mas você sabe… Um traidor de esquerda a mais ou a menos não faz diferença. Troque de lado e seja feliz junto com alguém tão autoritário quando você.

        E passe muito mal…

        • Tu não me ofendeste, ofendeste a HUMANIDADE.

          Meu caro, falar que os judeus que foram usados pelos algozes para tarefas como transportar cadáveres, ou até, ter que colocar seus parentes e amigos em fornos crematórios como um exemplo de falha no conceito de luta de classes, além de ser uma imensa estupidez em termos teóricos, é algo torpe, calunioso e vulgar, nem estou aí para tua indignação, cuide nas besteiras que escreve e não venha por isto me chamar de autoritário.

          Cuspir no passado de pessoas que sofreram, como estes homens reduzidos a animais, que só pensavam e sobreviver mais um dia, é ESTÚPIDO, IMBECIL, IDIOTA e pequeno burguês.

          Tu na realidade não me ofendeste, ofendeste sim a HUMANIDADE.

  5. Eloqüência
     

    Essa foto dispensa comentários

    Esse azulão na cara do coiso é do futuro sufocante que nos espera, fazendo conjunto  com as estrelas da brutalidade dos generais que o apoiam.

    A faixa sobre a boca, prestes a se transformar em mordaça e a testa amarela própria dos enfermos traduzem ao mesmo tempo a natureza doentia  do opressor e o nível de contágio aos oprimidos.

     

     

  6. Lula
    Parece-me muito simplista taxar todo mundo contra o PT de fascista. Mesmo se assim fosse, como justificar: mensalão, petrolão dentre outros escândalos e líderes presos. Um pensador capacho de um dos lados não agrega nada para o debate nacional.

  7. Jessé
    As pessoas só querem acordar e ir estudar e trabalhar, essa coisa chata insistente de manter o Brasil sempre em conflito já deu o que tinha que dar. Basta Jessé, por favor faça uma análise do resultado genocida dos 13 anos de governo PT, ao qual você fez parte, basta de palavras bonitas, palavras “intelectuizadas” para parecer que tem alguma sabedoria, basta de se acharem inteligentes e o resto das pessoas burras, basta de dizer que você sua turma são bem informados e vêem além do que os outros vêem. Levanta-te e olhe a sua volta, e veja a miséria que o Brasil está. Saindo mundo de Alice, sai das suas idéias juvenis de socialismo e luta de classe. Apoie a educação igual para todos, só isso basta para a maioria dos seus seguidos olharem para você e ver que você não passa e intectual atrasado e mesquinho. E por favor não fale sobre o nazismo com tanta simplicidade, apenas acusando alguém que você sabe não ser nazista, não seja covarde, não seja desonesto.

    • A miseria que o Brasil estah
      A miseria que o Brssil estah eh a mesma miseria na wual o Brasil sempre esteve, exceto nos governos petistas

    • A miseria que o Brasil estah
      A miseria que o Brssil estah eh a mesma miseria na wual o Brasil sempre esteve, exceto nos governos petistas

    • Boçal
      Você sim , é que é desses reducionistas , ignorantes e boçais como o o seu “ídolo” !
      Acordar e ir estudar ( que Educação, a alienante ? Igual para todos ficarem mediocres como vcs ?) , genocida ( só se for o “coiso” ) , miséria (pergunte ao Temer e ao Palo Guedes , o guru econômico de seu candidato).
      Gemte como vc são um bando de burros , idiotizados , sem um pingo de intelecto mesmo , e os maiores responsáveis pelo atraso do país .
      Socialismo , luta de classes : é esta a visão e linguagem rasas e boçais que gente como vc tem da Social Democracia que o PT (ao qual , sim , tenho minhas críticas ) representa ( nunca o capitalismo financeiro e corporativo ganhou tanto na história do país qto nos governos petistas , e vc vem com esta sandice ? ).
      Abra os livros , cara !
      Diante do seus “argumentos” acima , me dispenso de lhe chamar de desonesto , ou mesmo covarde !
      És , na realidade , como eu já disse , um ignorante mesmo , perdido em sua escuridão mental !!!
      No fundo , mereces nosso desprezo por tanta pobreza , coitado !

  8. Confissão
    O Eduardo Jorge da Rede, que foi do PT, declara com toda a clareza que a origem do ódio na sociedade brasileira é obra do Lula. Não é a direita que acusa o Lula, é um ex integrante do PT, que conta toda a estratégia de dividir para conquistar. É uma acusação séria e que desmonta toda a falácia da esquerda. Se for verdade os historiadores e cientistas políticos deverão corrigir suas teses e livros para não passarem por amadores ou mentirosos.

    • Culpar o PT
      A história do último ano tem mostrado que culpar o PT pelas mazelas a que tem sido submetido é como culpar a mulher pelo estupro… Parte da esquerda achou que levantar bandeiras contra o PT engrossaria suas fileiras, o PSOL até hoje atua como corrente do PT, numa eterna dor de cotovelo, fica em cima do muro quando não só acompanha a Globo.

      Desde a década de 90 já fazia a leitura que o PT é social democrata, mas vejam que nem isso é aceito pelo ‘poder’ e notem quanto malabarismo foi feito, com justiça e justificativa, para tirar gente da miséria, pra entrar na universidade e no mercado de trabalho.

      Meu partido apóia o PT, temos críticas? Sim, mas não as publicamos endossando a escória do jornalismo, os lambe botas dos patrões e anunciantes, dos militantes mesquinhos, infantis e sem compromisso com a política real.

        • Quem liga para o que disse Eduardo Jorge

          Diante de um cara que diz textualmente que é a favor da tortura, um cara que diz que o país só vai melhorar se  se matar os pobres porque a nação não pode sustentá-los. Que quer queimar os livros de Paulo Freire, que  sequer se digna a dizer a nação porque quer ser presidente. Que estimula o ataque a seres humanos apenas porque  não tem os mesmo valores. Que prega valores religiosos e ao mesmo tempo prega a violência.  Etc. etc.. etc… Que afirmou que para resolver o problema no Rio de Janeiro ele daria uma aviso e depois de uma semana bombardearia as comunidades.  Diante disto quem liga para o que disse Eduardo Jorge.

          E você esta preocupado com Eduardo Jorge. porque nao se preocupar com o congelamento de gastos que ja destroi nossa educação e pesquisa. Porque não se pensar que a grande divisão vem quando se aprova uma reforma trabalhista que tira direitos e mais direitos.

          Quanto a opinião de Eduardo Jorge é a opinião de Eduardo Jorge se ele pensa deste jeito eu sinto muito,mas tenho a certeza que Eduardo Jorge não apoiará Bolsonaro, equanto que   Marina, ao se negar a tomar uma posição se posicionou a favor deste cara que vai destruir inclusive o Ibama para liberar geral para os ruralistas. 

          • Frederico, realmente, o pessoal conta cada lorota.

            Eduardo Jorge? Quem é este cara. Trairdores de dentro do PT já estão fazendo filas, e sentado em banquinhos para não cansarem.

    • O ódio de classe
      O ódio de classe vem da colônia.O imperador foi derrubado pouco depois da princesa Isabel abolir a escravatura. Quem quer que represente politicamente os excluídos será vítima da irá da elite e seus simpatizantes – da Casa Grande.

  9. “… o nosso é um fascismo

    “… o nosso é um fascismo miliciano, capilarizado e sem controle.” E por isso a matança será geral e indiscriminada como aconteceu no Sudão, em Angola e em outros paises miseráveis. Os nordestinos que se cuidem. Serão caçados.

  10. Suplentes
    O GGN poderia levantar quem são os Suplentes(sem votos e visibilidade em eleições) no Congresso atual e dos que virão?

    Lembro me que o presidente da comissão que destituiu Dilma é suplente do Rego, inclusive haviam suplentes na bancada.

  11. caro professor Jessé
    Primeiramente sou contra o Fascista, não sou petista, sou sim humanista, ambientalista e feminista.

    Me permita um complemento.Poupar o PT e suas alianças de governabilidade só lhe trazem mais estragos e estes são em boa medida a querosene nesta fogueira dicotomia. Me desfiliei ao PT depois longos 37 anos por não suportar ser ignorada em minhas críticas e alertas de militante de base cristã, como muitas. Constatar que se preferia alianças apenas para ganhar eleição, por métodos abusivos claramente corruptos.
    Desde 2013, ou antes.Esperávamos uma AUTOCRITICA e sérias mudanças pra voltar à origem,ela não veio.Nem q fosse por ser inteligente como outras siglas de causados. Em 2018, novamente a arrogância da cúpula,se negou a declinar do poder central para compor uma Frente ampla. Estamos pagando o preço de não lucidez, distanciamento das bases. Estou em campanha por Haddad e Manuela apesar de tudooooooo. Tenho compromisso de classe por uma transformação social pra além de elicão. Mas não dá pra ler um artigo tão chapa branca maia.

  12. Século das mulheres

    O que levou parcela da sociedade brasileira aderir ao fascismo do Bolsonaro é o fato de que este século é das mulheres. Somos nos, sem pretensão, que fizemos e fazemos os movimentos sociais acontecerem, que estamos nas filas de frente de todos os combates das minorias e por politicas sociais, além de trabalhar, estudar, pesquisar, cuidar da casa, familia, filhos, sobreviver com salarios menores que os homens. Não é coincidência que em varias chapas presidenciais as mulheres são vice. E isso deixou desesperados os filhotes da ditadura, os irmãos de bolsonaro. Nos todas que fizemos o elenão devemos ainda voltar às ruas e dar uma aula historica sobre a verdade desses tempos que querem barbaros, mas não serão. 

  13. Um Erro  Por Ruy
    Um Erro  Por Ruy Medeiros  Diferentemente daquilo que ocorreu em outros países, como a Argentina, por exemplo, o Brasil não puniu responsáveis pelo golpe de estado de 1964, nem por suas práticas sistemáticas de torturas e desaparecimentos contra opositores, na época da ditadura militar. Provocado a declarar a inconstitucionalidade da lei de anistia quanto ao perdão nessa previsto aos agentes do Poder que praticaram crimes, o Supremo Tribunal Federal acolheu a alegação de anistia recíproca e com isso fechou a possibilidade de punir torturadores, exterminadores e “desaparecedores” de pessoas. É o fato. Foi um grande erro. Agora, vê-se que um grupo de militares, com apoio de civis que vêm há algum tempo estimulando a intervenção militar (durante a greve dos caminhoneiros isso ficou evidente), aproveita da situação de crise, insegurança e insatisfação popular para eleitoralmente ocupar o poder –esse é claramente o sentido da candidatura de um oficial reformado do exército. Quem assistiu à propaganda eleitoral daquele nos últimos dias, em horário nobre, e conheça a história do Brasil nos últimos tempos, ou que vive desde os anos sessenta, deve ter percebido nela o mesmo tom com que agia o CCC –Comando de Caça aos Comunistas, grupo que perseguia a todos aqueles que não concordavam com o golpe. Para eles, todos os que não aderiam a golpes ou a golpistas eram comunistas. Como se fazia naquela época contra os adversários, desqualificando-os, a propaganda do capitão reformado ofendeu seu adversário (o que havia feito em postagem anterior qualificando-o de canalha), e se traduz como discurso de intolerância e chamamento à violência. A propaganda eleitoral do capitão reformado desmente sua mensagem desautorizando a violência. Ele a incita. Antes da propaganda eleitoral do segundo turno, seu companheiro de chapa, também militar, além de pregar revogação de direitos trabalhistas, prometeu reescrever o conteúdo dos livros didáticos quanto ao sombrio período ditatorial. A mensagem do general vice é clara: ou apaga o conteúdo dos livros ou se faz a versão que ele e seu colega de chapa e farda querem. Da nova versão de “seus” livros de história o general omitirá ou dirá por que torturadores foram perdoados? A gente sabe da aversão desse pessoal à liberdade de consciência e à verdade histórica. Antes do golpe, um livro de história do Brasil vinha sendo publicado em fascículos pelo MEC – era a Nova História do Brasil, coordenada por Nelson Werneck Sodré (militar democrata do exército), Joel Rufino dos Santos e outros, logo após o golpe foi retirada das bibliotecas públicas, postos de venda e de outros lugares, exemplares destruídos e foi impedida sua circulação. Seus autores foram processados por haverem escrito o livro, e mesmo os ditadores de plantão, perante a Justiça Militar, conseguiram de um historiador ser nomeado e produzir um laudo técnico contra o livro escrito antes do golpe. Laudo contra um livro… É assim mesmo que gente desse tipo age: nada de divergência em relação ao que pensam e querem. Houve intelectual proibido de escrever (Caio Prado Júnior), livros censurados, intelectuais de renome internacional tiveram suprimidos direitos políticos e cátedra. Um deles (na época o mais conhecido no mundo), Josué de Castro, foi proibido de retornar ao Brasil: todas as embaixadas brasileiras na Europa recusavam visar seu passaporte. Quando morreu na França, a muito custo deixaram seu corpo vir ser sepultado no Brasil, porém foram proibidos fotos do ato de sepultamento. Mas seus livros Geografia da Fome e Geopolítica da fome, e outros artigos continuavam lidos em várias universidades. O país vive nova preparação de um golpe, agora sob justificação de sagração eleitoral, ou não, e também com as palavras de ordem com que, em 1964, os golpistas obscureceram consciência, manipulando-as: Deus, família e moralidade. Cabem algumas (dentre muitas) perguntas: defende a família que votou a favor da reforma trabalhista da qual consta que mulheres grávidas podem trabalhar em condição insalubre? Defende a família que vota contra direitos das empregadas (e empregados) domésticas, que têm filhos? Que Deus é aquele que se compraz com elogio de torturador? Que Deus é esse? Qual é a moralidade da censura, da política econômica desumanizadora proposta? Qual a moralidade do apagamento da história? O “filme” é velho, mas é inevitável assistir a ele novamente? 

  14. O ódio aos pobres
    “O ódio ao escravo se transformou simplesmente em ódio ao pobre. O escravo negro é eternizado nas massas majoritariamente mestiças com escolaridade precária condenadas ao trabalho desqualificado e semiqualificado. Esta é a base primeira de todo o ódio e ressentimento reprimido e recalcado que é o núcleo da sociedade brasileira.” Jesse foi preciso, claro e didático na sua explicação. Pode ser cantada em versos de cordel. Quem quer que assuma politicamente a causa da justiça social (dos pobres) será vítima da irá das elites.

  15. O Brasil já é colônia novamente.

    Não se produz nada de valor neste país. Nada, até o milho é semente importada.

    Já vivemos o facismo escravocrata.

    A dissolução dos estados brasileiros já é uma realidade a médio prazo. Coisa parecida a queda da Iugoslávia!!!

  16. CARTA ABERTA AO PRESIDENTE LULA
     Sr. Presidente, diante da tenebrosa tempestade fascista que se aproxima sobre o Brasil e em nome do povo brasileiro e do futuro da nossa Nação e das futuras gerações, venho humildemente pedir: Se o senhor realmente ama esta Nação, o senhor mesmo, o povo brasileiro e, em especial, o sofrido povo nordestino; se o senhor não quer ver o nosso riquíssimo pré-sal, as nossas empresas, as nossas terras e riquezas entregues, a preço de banana, aos estrangeiros… Por favor, como algumas vozes sábias já vêm sugerindo, seja sábio e um estadista de verdade e entre para a história da humanidade, tomando a única decisão que restou ao PT para impedir a ameaça fascista de extrema-direita que está prestes a tomar o poder (sabe-se lá por quantos anos) no Brasil: peça ao Fernando Haddad para renunciar sua candidatura em favor de Ciro Gomes. Sim, essa seria a última bala na agulha, a grande estratégia da “Arte da Guerra”, a grande carta na manga do PT e da Esquerda para impactar e, quem sabe, reverter o rumo desta eleição; colocando Ciro no centro das atenções, surpreendendo os eleitores de todo o Brasil e o próprio Mundo e desestabilizando a campanha do Adversário, a Grande Mídia, o Sistema e toda a Extrema-Direita… Me recuso a acreditar que, por mero orgulho e vaidade, o senhor e o PT fizeram isso com Ciro e com a Nação Brasileira apenas para manter a hegemonia da Esquerda. O senhor já realizou seu sonho de ser Presidente, o Ciro ajudou e ficou do lado do PT por tantos anos. Por favor, cumpra a tua antiga promessa de apoiá-lo, Sr. Presidente, e deixe ele realizar o seu sonho de também ser Presidente; não só por ele, mas pelo Brasil e pela democracia! A vingança, o ódio e o desespero nunca foram bons conselheiros… Pelo amor de Deus, deixe a teimosia, a vingança, o orgulho e a vaidade de lado e se torne o grande estadista que o povo brasileiro espera de ti, tomando uma das mais sábias decisão da tua vida. Ou será que o senhor deixará a democracia morrer no Brasil sem lutar até o fim? Ou será que o senhor deixará os militantes e blogueiros de esquerda serem perseguidos como na época da Ditadura, para “acabarem o serviço” como disse o tal Mito? Ou será que o senhor deixará o teu povo nordestino (a qual sabemos que é o que mais sofrerá as consequências de um governo de extrema-direita liberal) ficar abandonado de novo, voltar a ser discriminado e voltar a ficar na miséria e a morrer de fome e de sede na época da seca? Ou será que o senhor quer passar o resto dos seus dias (e, talvez, até ser torturado e morrer) na cadeia, numa prisão de verdade sem nenhuma regalia?  Ou, quem sabe, o senhor sonha com o próprio sacrifício na prisão, a fim de se tornar um verdadeiro mártir de esquerda; para, quem sabe assim, a Esquerda morrer e o PT, como uma fênix, renascer das suas cinzas? Ou, então, o senhor acredita que o Governo Bolsonaro não será tão ruim quanto a Esquerda inteira teme?  Pense bem, Sr. Presidente; o maior erro dos alemães foi não ter levado a sério as palavras de Hitler, antes de chegar ao poder! Em todo caso, a melhor “vingança” que o senhor poderia fazer contra todos aqueles que destruíram o PT, te levaram à prisão e fizeram morrer tua esposa, seria ajudar o Ciro a se tornar Presidente para pôr todos na “caixinha”; e não tentar uma “Vitória de Pirro” com Haddad! Mesmo porque, eu sei, tu sabes, ele sabe, nós sabemos, vós sabeis e eles sabem que Haddad não tem a mínima chance de vencer esta eleição e que Ciro é o único que talvez (e só talvez) tem alguma chance de vencer Bolsonaro e de salvar o Brasil da dança na beira do abismo. Pois, tudo o que o PT fizer para derrubar Bolsonaro será apenas “fogo de palha” ou “tiro de festim”; não por causa do Haddad ser ou não ser Lula, dos 32 processos contra ele (segundo a capa da revista Isto É) serem ou não serem verdade, de vestir gravata vermelha ou verde-amarela, etc.; mas, sim, por causa da onda anti-petista que invadiu o Brasil! Por outro lado, Ciro não está “queimado” pela Lava Jato, não é do PT e pode pegar votos indecisos, da Marina e do Alckmin que foram para Bolsonaro. Uma das melhores estratégias, numa batalha, é sempre surpreender o inimigo, fazer justamente aquilo que ninguém espera, fazer aquilo que nosso inimigo acredita que jamais teremos coragem de fazer… Enquanto que, a melhor estratégia é aquela a qual não resta outra alternativa. Pode o general desistir da guerra sem antes tentar usar a sua última estratégia? Pode o soldado se render à morte sem antes atirar a última bala contra o seu algoz inimigo? Há um ditado (atribuído a Einstein) que diz que loucura é insistir nos mesmos erros esperando resultados diferentes. Há outro ditado que diz que o tolo não aprende nem com os próprios erros, o astuto aprende com seus próprios erros e o sábio aprende com os erros dos outros. Outro, ainda, diz que tolo é o líder que não ouve o conselho dos sábios. Houve um sábio que o aconselhou a não colocar a Presidenta como sua sucessora, o Sr. não ouviu… Depois, aconselhou a não colocar um indivíduo como Temer na linha de sucessão da presidência; o Sr. também não ouviu… Recentemente, o sábio disse que o PT convidou a Nação a bailar na beira do abismo e o Sr., mais uma vez, não deu ouvidos… Agora, o sábio foi embora; não por estar magoado pelas rasteiras e traições que levou, mas porque sabe que o PT não tem chance nenhuma de vencer, mesmo com seu apoio. É hora de ser inteligente e sábio, Sr. Presidente, é hora de ser estadista, é hora de tentar a última estratégia, é hora de usar a última bala! Sim, pode ser que seja tarde demais, pode ser que nem mesmo Ciro consiga vencer o temível Adversário. Mas, pelo menos, o Grande Líder ouviu o conselho dos sábios, o General usou a sua última estratégia antes de se render, o Soldado atirou a sua última bala antes de morrer… 

  17. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome